Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

30
Mar 21

“Nesta bolha fechada (que é a Terra) convidando-nos ao convívio (neste paraíso e ecossistema), sendo muito mais interessante conviver com a Fauna & Flora ─ Natural ─ do que com a artificialidade do Homem (racional, mas de nível básico).”

 

Esta pequena-grande história que tanto poderia encantar crianças como adultos imaginando-se num mundo alternativo e belo (no nosso e pelos vistos, ainda existindo bolsas), começa numa localidade rural localizada no estado do Illinois (EUA) ─ Rushville ─ envolvendo uma família e um pássaro, no mínimo curioso: a família Curry e um Cardeal-Amarelo (imagem 1).

 

GMY7AL73TBEE7NNQAKVNCWN4LA.jpg

Cardeal-Amarelo da América do Norte

 

Com Chelsea Curry certamente uma amante da Natureza e como boa e experiente observadora-de-aves ─ sendo capaz de as distinguir não só pelo seu aspeto como pelo seu canto ─ estando em casa (no seu interior) e ao ser abordado um certo dia pelo seu marido informando-a da presença de um Cardeal na árvore do seu quintal (deduzindo tal pelo seu aspeto e comportamento geral), de seguida e até pela sua cor dizendo de imediato tal ser impossível: sendo os Cardeais para o vermelho e não para o amarelo.

 

Mas depois de uma melhor observação e de recolha de informação sobre os Cardeais, chegando mesmo à conclusão que sendo esmagadoramente para o vermelho, também existindo uns (mesmo muito poucos, sendo raros) amarelos (na América do Norte nos cerca de 12 milhões, talvez 1 dúzia): com a jovem mãe Curry (34 anos de idade) revelando sem intenção especial o acontecido consigo ao Mundo, acabando por se tornar famosa (ou não fosse uma ave raríssima) apenas por causa de um pássaro fazendo do quintal dela sua casa.

 

AWP57FULK5FGZOVAJVUFUT6GRU.jpg

Cardeal-Amarelo com a sua parceira, mais um

 

Uma história tendo como protagonista o Cardeal-Amarelo, aparecendo misturado com outras aves da sua espécie em fevereiro de 2020 (pelo quintal, pelas árvores da casa) e que depois de se tornar “importante” (pelos especialistas, média e público interessado/curioso), já no início da Pandemia (com tudo a fechar e com o ambiente a acalmar) acabou por adotar a sua casa para uma estadia mais prolongada ─ tornando-se um hóspede regular dos Curry.

 

Fazendo aí todas as suas refeições e até realizando (nas árvores disponibilizadas) muitos dos seus encontros para namorar (como se vê na imagem 2) ─ e apesar de elas (mais para o castanho, mas com vermelho) preferirem os vermelhos lá se safando quanto a engates: regressando na Primavera com uma companheira e ainda sendo acompanhados (por +1), desaparecendo de novo de cena e regressando outra vez aquando da chegada do frio. Talvez reconhecendo como um abrigo ─ a casa da família Curry ─ até se habituando aos humanos e ao bater da porta de casa.

 

(dados: chicagotribune.com ─ imagens: Chelsea Curry/chicagotribune.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:17

Março 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO