Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O Cometa Vulcânico (vizinho do Gigante)

Domingo, 24.10.21

Provando que nem tudo apesar de parecer é rigorosamente igual (seja qual for o tempo e espaço e o ponto de observação ou de vista), suportados pelos nossos órgãos dos sentidos e por outros instrumentos tecnológicos de perceção, deparamo-nos todos os dias com o aparecimento de pequenos pormenores justificando a diferença: e se num pequeno passatempo utilizando dois desenhos aparentemente iguais, nos é proposto como tarefa a “descoberta das diferenças” (elas existirão sempre num sistema de base replicante, mesmo vindo de um mesmo molde original) ─ e na realidade com as mesmas, a aparecerem ─ num exemplo maior que o de um simples desenho, sendo natural ocorrer idêntica situação.

expansion2b.jpg

Comet 29P erupted 4 times in quick succession

Blowing shells of “cryomagma” into space

 

Como é o caso do objeto 29P/Schwassmann-Wachmann (60Km de dimensão) uma bola branca de gelo orbitando o Sol (numa órbita quase circular) para além da órbita do gigante-gasoso Júpiter (o maior planeta de todo o Sistema Solar), inicialmente na sua família sendo considerado como mais um entre muitos (iguais), mas na realidade tendo a particularidade de ter sido capturado por Júpiter e andar sempre por cá, muito próximo: tratando-se aqui do cometa 29P/Schwassmann-Wachmann, descoberto há quase um século (94 anos) e sendo considerado o objeto mais ativo vulcanicamente em todo o nosso sistema planetário (tal como a Terra centrado no Sol). Mesmo podendo ter vindo lá de longe (tal como a maioria dos cometas), andando sempre por cá, “sendo diferente dentro do igual”.

lesseroutbursts.jpg

A time series of previous outbursts June/April 2021

All small compared to the current superoutburst

 

Aparecendo de novo em erupção e brilhante e iluminando uma área no espaço maior que a de Júpiter (quando muitos deles oriundos da Nuvem de Oort têm um período orbital muito maior, demorando mais entre idas e vindas) neste ano de 2021 (desde 25 de setembro) ─ na sequência de anos anteriores com procedimentos semelhantes, mas pelos vistos nunca tão intensos ─ num evento (ocorrendo em média 20vezes/ano) considerado o mais intenso registado nas últimas quatro décadas. Sendo um cometa, mas pela sua órbita e certas manifestações por vezes (e por alguns) não o parecendo, internamente bem ativo e sujeito a erupções e podendo ser considerado um cometa vulcânico, mas em que a lava (neste caso) é de gelo.

(imagens/legendas: spaceweatherarchive.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:22


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.