Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

02
Mar 18

“Teoria da Antártida: Nos anos sessenta, Charles Hapgood queria entender como se desenvolveu a era glaciar e teorizou que a acumulação de gelo nos calotes polares podia causar um peso capaz de mover a terra de tal modo que alguns continentes passaram pela era glaciar num sistema rotativo. Então, o jornalista britânico Graham Hancock veio causar polémica: o continente da Antártida não era mais que a ilha da Atlântida na sua era glaciar. E todas as cidades estariam enterradas no gelo polar.”

(observador.pt)

 

P2020027.jpg

A base norte-americana de Amundson-Scott de latitude 89⁰ 59’ 85’’

(instalada no Pólo Sul desde 1956 a uma altitude de 2830m)

 

Falando um pouco do Pólo Sul e do que de mais importante por lá se vai passando ‒ numa área gelada de 14 milhões de Km² (sem gelo de 280 mil Km² ou seja 2%) e habitada por aproximadamente 1000 pessoas ‒ e tendo em consideração as declarações um pouco confusas mas no fundo não contraditórias dos cientistas ‒ uns afirmando que a camada de gelo está a congelar e não a derreter, outros afirmando que a mesma está a perder água rapidamente e ainda outros afirmando terem detetado uma aceleração do aumento do nível da água dos oceanos (entre outras afirmações) ‒ poderemos concluir facilmente que algo de estranho (ou talvez não) se passa no continente da Antártida: algo que para já não compreendemos (por falta de informação sobre um continente tão inóspito, como distante e gelado, representando 9% da área dos continentes) sobre um território enorme e ocupado por 0,00002% da população mundial (colocando de lado todos os países e as suas bases lá colocadas, como as dos EUA/Estação do Pólo Sul de Amundsen-Scott, da Rússia/Estação Vostok/no Inverno e da China/Estação Kunlun/no Verão ‒ entre as mais importantes) e que apesar das mais de 170 estações e subestações até hoje lá instaladas (umas ainda ativas outras não, umas trabalhando total ou parcialmente, num total de cerca de 30 países por lá tendo passado), ainda não nos esclareceu totalmente (nem sequer parcialmente) certos pormenores intrigantes sobre esse Continente (há uma infinidade de tempo tomando como referência o tempo de vida do Homem) Gelado ‒ rodeado de milhares de supostos segredos e de pretensos mistérios (vindos desde a Antiguidade) e no Mundo Atual sujeito a um rol extenso e muito variado de Teorias da Conspiração (já que os eruditos não esclarecem, entrando os leigos em ação).

 

dbfaafaab0231739ef09318c023681d0--save-our-earth-g

A Terra e o aparentemente irreversível Aquecimento Global

(Um processo Interno e recorrente ou despoletado artificialmente pelo Homem)

 

E enquanto se discute o impacto do degelo nos polos (norte e sul) na alteração das condições climáticas na região do Pacífico (contribuindo para o Aquecimento Global e para a formação de Ciclones mais poderosos e destrutivos nessa região), se fala sobre a possibilidade de nevando mais na Antártida diminuir a subida das águas (dos oceanos), se declara que a própria Gronelândia poderá estar a derreter (logicamente diminuindo a sua área sólida), se verifica que mesmo com esta onda de frio assolando toda a Europa na Antártida as temperaturas até subiram (em relação aos valores habituais) e até que o nível da água do mar poderia subir de 0,7 metros a 1,2 metros até 2300 se fosse cumprisse o Acordo de Paris (agora que Donald Trump é Presidente dos EUA e se distanciou dos objetivos da Conferência/Acordo sobre Alterações Climáticas realizada em Paris, estando o cenário já ultrapassado) ‒ e com estudos recentes a apontarem que mantendo-se o cenário (de não atuação proposto pelos EUA ao Mundo, mantendo o status quo atual) dando-se origem a um acréscimo de mais 20cm por cada 5 anos até ao ano de 2300 ‒ a realidade factual é que nada se tem feito (infelizmente pelos dois lados, um nada fazendo outro só falando) como se nada de importante se passasse. Deixando a nossa dúvida crescer (pelo menos em alguns dos mais de 7,5 biliões de terrestres), submetendo-nos a uma infinidade tóxica de infrutíferas explicações (na verdade justificações), confundindo-nos sem interrupção e sem piedade e sem nos dar tempo para pensar (raciocinar), colocando-nos entre o oficial, o oficioso e o nada e agora (até integrando as Fake News) atirando-nos (finalmente e como sempre) para a mão ou dos Detentores da Verdade ou dos seus inimigos (e contrários necessários por complementares) os Conspiradores: sem sabermos o que fazer por termos a cabeça vazia (eliminada de vez por não produtora de mais-valia a Imaginação).

 

antártida-pinguis-gelo-alterações-climáticas.j

Na Antártida com as Alterações Climáticas a já estarem a afetar as suas colónias de pinguins

(mantendo-se o rumo atual podendo levar estes mamíferos à extinção)

 

E falando do nosso protagonista o Continente Gelado da Antártida (do outro lado, tendo-se provavelmente outro Mistério, mas aí no Círculo Polar Ártico) ‒ onde até os seus pinguins correm o risco de desaparecer até ao fim do séc. XXI ‒ recorrendo à História (antiga) e à Ciência (atual) ‒ podendo-se até falar de outro continente também entretanto perdido e ainda por localizar: o Continente Perdido da Atlântida (para muitos leigos e eruditos podendo estar debaixo da espessa camada de gelo, cobrindo precisamente a Antártida).

 

The Lost Civilization of Atlantis: Buried beneath the Ice of Antarctica

(ancient-code.com)

 

“Using the dating method of Dr. W.D. Urry. from the Carnegie Institution in Washington D.C., scientists discovered that Antarctica’s rivers, sources of fine-dispersed deposits, were flowing as depicted on The Orontius Finaeus map, about 6,000 years ago. About 4000 years B. C., glacial sediments started to accumulate.”

 

In 1949, Admiral Baird’s expedition bore holes into the Ross Sea in three spots, where Orontius Finaeus marked river-beds. In the cuts, fine-grained layers were found, obviously brought to the sea with rivers whose sources were situated in temperate latitudes (i.e. free of glaciers).The samples were taken from three different locations.

 

Portugal2100-1.jpg

Numa previsão já antiga do que seria o território de Portugal no ano de 2100

(consequência do Aquecimento Global e provocando a subida do nível da água dos oceanos)

 

The fine-grained sediment that was found is the sort that is carried by rivers from ice-free continents.  Also during the Byrd expedition of 1935 geologists made a rich discovery of fossils on the sides of Mount Weaver which included leaf and stem impressions and fossilized wood.  In 1952 they identified two species of a tree fern called Glossopteris once common to southern continents (Africa, South America, and Australia.)

 

Core samples taken from the Ross Sea during the Byrd expedition of 1947-1948 shows glacial marine sediment from the present to 6000 years ago.  From 6,000 to 15,000 the sediment is fine-grained suggests an absence of ice from the area.  Then there is a zone fine-grained sediment from 30,000 to 40,000 years ago, again suggesting that the area was ice free.  From 40,000 to 133,550 years ago there are two zones of coarse and two zones of medium-grained texture.  While comparing the three samples, two of them show that the end of the temperate period and the beginning of the most recent glacial period started 6,000 years ago and the third just 1,000 years after that.  So Antarctica has had recent period of temperate climate.

 

Entre tantos registos (históricos) escritos (por exemplo por Platão) ou de outra forma qualquer passando intactos (como por exemplo certos objetos) de geração em geração ‒ e face aos factos até agora apresentados (e conhecidos apesar de poucos) ‒ podendo-se aceitar como credível essa hipótese da Antártida poder ter sido a Atlântida (antes visível mas agora debaixo de água no seu estado sólido/gelo): tal como o acontecido na cidade algarvia de Loulé, hoje à superfície e com uma Mina de Sal-Gema subterrânea, mas há muitos e muitos anos no passado, certamente não sendo visível por se encontrar submersa (por água no seu estado líquido mas agora visível). Coisas da Evolução de qualquer Organismo Vivo (conjugando Matéria, Energia e Movimento): e para nos darem atenção ainda algum Magnetismo.

 

(texto/inglês: ancient-code.com ‒ imagens: coolantarctica.com/pintrest.co.uk/noctula.pt/wordpress.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:43

Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10



25
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO