Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Onda de Frio em França

Segunda-feira, 12.04.21

“Depois da Crise Socioeconómica e da Crise Pandémica

(ainda em curso)

─ e agora devido à Meteorologia

a Crise Agrícola.”

 

Como “não há duas sem três”, depois da crise socioeconómica e da Pandemia Covid-19, eis que a França é atravessada de “lés-a-lés” por uma intensa onda de frio (em muitas zonas atingindo-se recordes em temperaturas mínimas registadas no mês de abril), oriunda do norte do oceano Atlântico ─ apanhando toda a Europa (entrando pelo norte) de 7 a 9 de abril (3 dias) ─ e atacando muitas das suas vinhas e pomares, destruindo muitas das suas colheitas.

 

france-frost-aprl-9-2021.jpg

Com uma onda de frio histórica (neste mês de abril de 2021)

a destruir em 3 dias a maioria das colheitas em França.

 

No seu percurso de oeste para este não poupando nenhuma região agrícola de França (sobretudo no centro/norte do país), destruindo cerca de 90% das colheitas e com os vitivinicultores a preverem (dada a extensa destruição) um dos piores anos desde os anos 80/90 (do século passado) ─ mais de 80% de destruição. Isto apesar de tudo o que pôde ser feito (nesses três dias) já em desespero ─ para evitar esta catástrofe ─ como o da colocação de várias fogueiras de modo a tentar diminuir os efeitos provocados (na agricultura) pelas temperaturas extremamente baixas.

 

EySi8mPXMAIV2--.jpgEyXIJUSWQAIwyeQ.jpg

Alsácia (este de França) e Touraine (oeste de França)

Velas e fogueiras colocadas para proteger os pomares e as vinhas

da acentuada descida de temperatura

6 de abril e 7 de abril

 

EyXANfVXEAM_enA.jpg

Indre-et-Loire (oeste de França)

Fogueiras para proteger as vinhas

das temperaturas negativas extremas

7 de abril

 

E face a esta enorme calamidade ─ para se sobreviver tendo-se obrigatoriamente de comer, existindo alimentos ─ com o Governo francês (o seu Ministro da Agricultura) a mobilizar (melhor, a prometer) para ajuda a este sector, 70 milhões de euros dos 100 biliões disponibilizados para a recuperação do país nestes tempos de crise Covid-19: ou seja, investindo a astronómica quantia de 0,07% dos 100 biliões de euros (reservados).

 

(imagens: watchers.news ─ Frederick Florin/@AFP photo,

@bbcweather e @gsouvant em twitter.com/watchers.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:11


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.