Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

10
Fev 17

O Céu parece carregado de NEO’s naturais e artificiais: qual deles nos atingirá primeiro?

Se calhar seremos nós.

Apesar de alguns afirmarem preferirem ser atingidos por um asteroide a ter Clinton ou a ter Trump.

Saiu-nos a pessoa ou saiu-nos o asteroide?

 

snapshot.jpg

Natural

Bola-de-Fogo nos céus dos EUA

E iluminando a noite com um brilho azul-esverdeado

 

Com 15 pequenos objetos/tipo asteroide a passarem a menos de 5.000.000Km da Terra entre o passado dia 4 de Fevereiro e o próximo dia 29 de Maio (mais do que 1/semana), alguns poderão começar a perguntar-se qual a razão para que tal fenómeno se repita. Ainda-por-cima quando se sucedem as notícias sobre um crescimento constante do número de passagens ou mesmo de entrada na nossa atmosfera desses pequenos objetos (para já de pequenas dimensões, entrando, desintegrando-se e por vezes nem sequer atingindo o solo). Uns detetados antes (e até acompanhados durante parte da sua viagem – como foi o caso da sonda Roseta e do asteroide/cometa 97P/C-G), outros detetados no instante (como o meteorito de Cheliavinsk faz dia quinze 4 anos) e outros só adicionados depois (pelo menos enquanto não for um grande, que dê mesmo cabo de nós). Num planeta tal como todos os outros visitado por objetos circulando próximo (por vezes impactando).

 

Variando as suas dimensões entre 4-812 metros e o ponto de maior aproximação à Terra entre pouco mais de 1 milhão de Km e pouco menos de 4 milhões. Nada de significativo face aos 100 milhões Km de distância ao Sol. E passados já sete deles (até 5 de Fevereiro) com os oito restantes com uma órbita ainda incerta e com o terceiro deles ainda a passar até ao fim de Fevereiro: com a designação 2017 BY93, descoberto a 26 de Janeiro deste ano, melhor definido a 7 de Fevereiro, referenciado com código 9 (orbita altamente incerta), apresentando uma dimensão de mais de 80 metros e no dia da sua maior aproximação ao nosso planeta (de 23 para 24 de fevereiro) passando segundo estimativas da base de dados de pequenos objetos da JPL (jpl.nasa.gov) a cerca de 900.000Km (a Lua fica a menos de 400.000Km). Com o maior deles (2014 JO25 de 812 metros – um monstro se comparado com o referido antes 10X maior) a passar já a mais de 1.700.000Km a 19 de Abril.

 

No interior do seu ecossistema familiar e aparentemente protegidos de todas as incidências negativas vindas do exterior, observando ou escutando preocupados notícias sobre incidentes semelhantes, cada vez em maior número, cada vez com mais testemunhas e até com registos de imagens: um pouco por todo o Mundo e quase todos os dias com novas previsões – ou então avistamentos (mais perto e restando esperar ou mais longe para dar tempo para pensar). Recentemente (2ªfeira, 6) com mais um meteorito a atravessar os céus da parte central-oeste dos EUA, formando uma grande bola de fogo brilhante à medida que atravessava a atmosfera terrestre e se ia desintegrando (devido ao desgaste brutal provocado pelo atrito): num espetáculo bem luminoso presenciado em 4 dos seus Estados (mas sem notícias de vítimas – ou de danos materiais – ou de possível impacto). Sendo certo que estando os cálculos (associados a esses objetos) dentro dos necessários e fundamentais parâmetros de segurança (proteção da Vida na Terra), 2017 BY93 nunca nos atingirá se passar a essa distância (mais de 2 viagens à Lua). Residindo para já o único problema no seu código associado: 9 (com muitos parâmetros por definir). Restando-nos esperar por 23 de Fevereiro para ver o que acontece.

 

ufo sun stargate portal gateway.jpg

Artificial

Objeto cilíndrico atravessando o Sol

Ou uma falha na imagem?

 

 

Entretanto com muitos outros objetos semelhantes ou não (naturais e artificiais) a passarem nas proximidades da Terras, muitos deles esperados outros sendo surpresa. No caso dos esperados e além dos atrás já referidos, com o Site spaceweather.com a informar-nos adicionalmente (utilizando as tabelas do JPL) de que o NEO que passará mais perto de nós será mesmo 2017 BY93 mas com mais de 100 metros de dimensão e que o maior monstro a passar nas proximidades serão na realidade dois: 2013 WT67 com cerca de 1100 metros e passando a 17.000.000Km da Terra (dia 17) e 1998 QK56 com cerca de 1200 metros e passando a 20.000.000Km (dia 24).

 

E até para quem gosta de questões de uma outra dimensão envolvendo mundos alternativos e até extraterrestres (que até podem ser como nós mas vivendo noutros mundos e dimensões) podendo-se alargar um pouco mais o nosso horizonte visual estendendo-o até ao Sol e analisando fenómenos nalgum aspeto semelhante ao destes nossos intrusos terrestres (sejam meteoritos ou outro tipo de calhaus): podendo-se mesmo sugerir (no caso dos intrusos solares) a sua origem artificial. Como a noticia publicada (e acompanhada por imagens do observatório solar SOHO) no Site ufosightingshotspot.blogspot.pt, onde aparentemente um objeto de dimensão extraordinária (ou um feixe brutal de energia dirigida) atinge o Sol, atravessando-o e provocando atrás de si uma reação imediata por parte deste (uma enorme ejeção de material da coroa solar). Num Universo onde tudo começa a ser cada vez mais possível.

 

(imagens: PPP e Paranormal Crucible)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:12

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Fevereiro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


22



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO