Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

29
Out 15

“Deixamo-nos aqui ficar bem sentados e remediados, mas sem nunca saber o que fazer.”

 

O que é necessário ser para se conseguir sobreviver?

 

Tal como antigamente integrar-se docilmente no conjunto e como prova de pura tolerância tranquilamente deixar-se levar e aceitar.

 

Ou então esperar que as Virgens por muitos prometidos finalmente apareçam e em transe espiritual nos transportem até aos Céus.

 

E o que fazer com os Mortos Vivos?

 

first-migrants-reach-slovenia-after-hungary-closes

The Walking Dead

 

Em função das consequências (bem visíveis) de todas as grandes crises migratórias de que até aos dias de hoje tivemos conhecimento (e que agora assistimos presencialmente) e tendo em consideração que fomos nós (uma das partes do conflito) que as provocamos e impulsionamos (na outra parte), é natural que não sabendo para onde fugir as presas procurem o paraíso (exclusivo) dos seus predadores. Uma simples questão de sobrevivência.

 

Atravessado o estreito mar Mediterrâneo e transpostas as águas antes mortais separando continentes, os exércitos de doentes, famintos e desprezados pela Terra, encaminham-se perdidos e sem destino para as míticas Cidades Pavimentadas a Ouro.

 

“E no entanto milhares de seres humanos (como nós) esfomeados, doentes e desesperados, estão já em fuga muito perto de nós, mesmo do outro lado da (nossa) fronteira.”

 

(imagem: Reuters.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:00

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Outubro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
15
16
17

18
19

25
26
27
28
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO