Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Out 15

“Boneco negro da Playmobil com coleira de escravo causa indignação”
(expresso.sapo.pt)

 

Um afroamericano de calças rasgadas e t-shirt esfarrapada, descalço e com uma coleira de escravo ao pescoço. É esta a aparência de uma das personagens do navio pirata da Playmobil. Segundo o jornal “The Washington Post”, o barco parece ainda incluir uma espécie de masmorra.

 

A descoberta horrorizou Ida Lockett, uma mãe de Sacramento, na Califórnia, cujo filho de 5 anos recebeu este presente de aniversário por parte da tia, que o adquiriu numa loja de brinquedos. Ao ler o manual de instruções, Ida Lockett percebeu que a coleira servia para colocar no pescoço do boneco afroamericano.

 

CQ4FPC7WsAE_td3.jpg

Qual dos seguintes sujeitos ativos será o verdadeiro predador: o ideólogo (da Teoria da Escravatura), o escravo (a vítima representada no boneco) ou o aplicador (aqui em causa)?

 

É muito simples: primeiro escraviza-se o ser humano economicamente mais depauperado (por exemplo utilizando o pretexto da cor), em seguida transforma-se o escravo num exemplo pedagógico e normalizador (estrategicamente negativo, mas eficaz produtor de mais-valia) e finalmente atribui-se-lhe um valor indefinido mas simbólica e profundamente intrusivo (escravo por hereditariedade e confirmado por adereços de cor).

 

Se assim o fizerem os Teóricos da Escravatura mesmo que constituídos arguidos serão sempre protegidos e como consequência eternamente ilibados (as regras das suas nomeações a isso obrigam, como simples aplicadores e verificadores da lei), podendo desde o seu pedestal (de inimputabilidade) indicar sequências e escolher os culpados. Que até poderão ser o Escravo e a própria Empresa que (seguindo a Lei) o contrata.

 

O Racista não é aquele cidadão (individual ou coletivo) que nos trata como um simples preto, mas a empresa (real ou imaginária) que dirigida por outro cidadão (sendo preto ou sendo branco), não soube interiorizar a Ideia do Racista passando logo (e ingenuamente) à ação.

 

Pelos vistos a ideia a transmitir é que o Mal nunca estará do lado de quem introduz a cor PRETA, mas do lado de quem a define como mera ausência de cor (o PRETO não existe). Pelo menos eu ainda não defino e diferencio as espécies terrestres utilizando exclusivamente um dos órgãos dos sentidos. E logo o da Visão onde os Olhos são tantos!

 

A PLAYMOBIL agradece!

 

(texto em itálico/imagens: expresso.sapo.pt/complex.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:12

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Outubro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

12
13
15
16
17

18
19

25
26
27
28
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO