Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

23
Mar 20

MUNDO:

“366.956 Infetados, 16.100 Vítimas Mortais, 101.065 Recuperados.”

(23.03.2020 pelas 17:38 TMG)

 

Segundo dados de hoje (23.03.21020) registados pela DGS e reportados às 11:00 locais (de Portugal):

 

siga-a-confer-ncia-de-imprensa-da-dgs-em-direto-12

Conferência de Imprensa da DGS de 23.03.2020

 

Pandemia Covid-19

Casos

Condições

%

Suspeitos

13.674

Vigilância

11.482

Infetados

2.060

Não Internados

1.789

86,8

Internados

201

9,8

Grave/Crítico

47

2,3

Vítimas Mortais

23

1,1

Recuperados

14

 

Com 2.060 infetados e 23 vítimas mortais − taxa de mortalidade = 1,1% − e dos casos ativos com 47 em estado grave/crítico – 2,3% (dos 2.060) – estando Portugal ainda afastado dos cenários Europeus mais explosivos como (a nível do nº de vítimas mortais, superior a 100) a Itália (5,476), a Espanha (2.206),  a França (674), o Reino Unido (289), a Holanda (213), a Suíça (118) e a Alemanha (115) – e abaixo da centena de mortos surgindo a Bélgica (88): ou seja e sendo uma evidência, com a Europa claramente dividida entre a tragédia em curso na Europa Ocidental e o ambiente bem mais desanuviado da Europa de Leste. Justificação?

 

Com a seguinte curva epidémica (relativa a 21 dias) e distribuição por região (8):

 

curva-epidmica-de-covid.jpeg

↑Casos Confirmados por dia de 2 a 22 de março

 

Dia

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

2

2

2

3

4

8

9

9

2

18

19

Dia

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

34

57

76

86

117

194

143

235

260

320

?

 

Relativamente á evolução dos casos confirmados (neste momento com 2.060 casos e 23 mortos) diariamente (num registo de 21 dias consecutivos), com o seu número continuando ainda a aumentar (nos últimos três dias registando-se +235, +260 e +320 novos casos respetivamente) moderadamente, deixando-nos ainda pensar (e a desejar) que  a exponencial e o topo da curva (de atividade do Covid-19) poderão ter ainda um comportamento aceitável (achatando a Curva e espalhando-a no tempo para dar possibilidade aos equipamentos e descanso aos recursos humanos), no que diz respeito à evolução da nossa saúde e das restantes pessoas: afastando-nos da previsão de Curvas de impacto muito mais violento, tal como acontece (para já e sobretudo) na Itália e na nossa vizinha Espanha (no caso do Algarve e felizmente, com a nossa vizinha Andaluzia sendo das regiões menos atingidas de Espanha) e por outro lado aproximando-nos mais do exemplo da China, Coreia do Sul e Macau (tendo já controlado os efeitos desta Pandemia, estabilizado e preparando-se para o retorno à atividade económica). Um mau sinal seria repentinamente o número de casos confirmados disparar, sendo acompanhado simultaneamente pela subida em flecha (a tal exponencial) do nº de vítimas mortais (na Itália num só dia e batendo todos os recordes globais registando-se quase 800 mortos, o dobro dos dias mais críticos registados no início da epidemia, então com epicentro na China).

 

Pandemia Covid-19

Região

Infetados

Vítimas Mortais

%

%

Norte

1.007

48,9

9

39,1

Centro

238

11,6

5

21,7

Lisboa e V.T.

737

35,8

8

34,8

Alentejo

5

0,3

0

0

Algarve

42

2,0

1

4,4

Madeira

9

0,4

0

0

Açores

11

0,5

0

0

Estrangeiro

11

0,5

0

0

Total

2.060

100,0

23

100,0

 

No que diz respeito à passagem do Covid-19 pelo nosso país e seus efeitos e consequências nas diversas regiões (continente e ilhas), com a grande concentração de casos (confirmados) a localizarem-se − não só no nº de infetados como o nº de mortes − na região Norte (1.007/9)  e na região de Lisboa e Vale do Tejo (737/8), mas igualmente com a região Centro (238/5) a preocupar. Com a outra vítima mortal a ser registada no Algarve (Albufeira) e com o Alentejo e as ilhas ainda sem vítimas mortais. Esperando-se, desejando-se e rezando-se, para que tudo continue assim (ou melhor) − pelo menos com os chineses, a ajudarem-nos.

 

Screenshot_2020-03-23 Covid-19 Mais de 460 mortos

Espanha − de 22 p/ 23 de março c/ +4.500 infetados e +460 mortos

 

Já a nível Global – com mais de 350.000 infetados e mais de 15.000 mortos (taxa de mortalidade = 4,4%) − envolvendo todos os Continentes e pondo de lado a Europa − agora a receber ajuda chinesa, cubana e russa, numa tentativa de evitar o colapso e o caos social, nada interessante devido à suas trocas comerciais, especialmente para os asiáticos – com o panorama geral a não ser nada um bom sinal, com o coronavírus depois de atacar a Ásia e a Europa, a dirigir-se em força para o continente Americano (mais intenso para já a norte) − veja-se o caso dos EUA (já perto dos 500 mortos) podendo imitar a Espanha ou a Itália − estando já a infiltrar-se em África (para já com a África do Sul a ter o maior nº de infetados/402, sem vítimas mortais e o Egito o maior nº de mortos/14 e 327 infetados). Estando “com o credo na boca” a ITÁLIA (5.476 I/3.000 Graves-Críticos), a ESPANHA (2.206 I/2.355 G-C), o IRÃO (1.812 I/sem dados de G-C), a FRANÇA (674 I/1.746 G-C), os EUA (483I /1.040 G-C) e o REINO UNIDO (3.35 I/20 G-C) − e preparados como suplentes na Europa a HOLANDA (213 I/435 G-C) e na América do Sul o BRASIL (25 I/18 G-C), este último (é certo que eleito pelos brasileiros, mas graças ao louco/criminoso Presidente Bolsonaro) com números superiores ao de Portugal.

 

(imagens: Dgs-Covid-19-Coronavírus/headtopics.com

− anmsp.pt − EPA/MARISCAL/24.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:47

Março 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO