Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

29
Jan 21

Esta sexta-feira (29 de janeiro) e mantendo a média da “queda de um avião de passageiros por dia” (um Jumbo), registando-se mais 278 vítimas mortais. Para além de ─ das quedas anteriores ─ ainda estarem 6.627 indivíduos internados e destes 806 em cuidados intensivos.

 

Screenshot_2021-01-29 Visão Covid-19 O número de

1ª Vaga Vs. 2ª Vaga

 

Aproveitando a visualização de dois gráficos da DGS (sobre o COVID-19) publicados na revista VISÃO (esta quarta-feira, 27 de janeiro), a constatação imediata de duas consequências brutais do contágio pelo vírus SARS CoV-2 (originando esta Pandemia): o número de óbitos ocorridos (até o dia de hoje sexta-feira 29, 11.886) ─  particular e extremamente elevados nesta nova vaga (para uns a 2ª para outros a 3ª), com o pico máximo de mortes diárias a ser mais de 8X superior ao anterior ─ como é bem visível no gráfico (a 03.04.2020 registando 37 óbitos/dia e a 28.01.2021 registando 303 óbitos/dia); e a elevada taxa de mortalidade por COVID-19 entre os mais idosos (um vírus pelo menos na sua fase inicial ─ antes de mutações e aparecimento de novas estirpes ─ parecendo-lhes destinado) de um total de perto de 12.000 óbitos registados  (por Covid-19 a 29.01.2021) mais de 10.000 sendo de indivíduos de 70 anos de idade ou superior (a caminho dos 85%). Mas agora com esta nova vaga em curso ─ introduzindo novas estirpes do vírus, de contágio mais rápido e infecioso ─ com as novas versões do coronavírus a aproveitarem muito mais eficientemente todas as “vias e portas de comunicação abertas” (como a ligando as Escolas às Famílias) utilizando invariavelmente cada pausa ou descuido oriundo do nosso lado (até pelo cansaço e ultrapassar de todos os nossos limites psíquico-físicos) para se infiltrarem e nos minarem (e toda a Sociedade) progressiva e talvez irreversivelmente por dentro:

 

Screenshot_2021-01-29 Visão Covid-19 O número de

Jovens Vs. Idosos

 

Com os mais idosos cada vez mais fragilizados (pela vaga inicial), aumentando simultaneamente (nesta nova vaga) o contágio entre os mais novos (os filhos/netos) e naturalmente por ligação e transporte, inevitavelmente entre os mais velhos (os pais/avós). Algo que se poderia ter suavizado (pelo menos) tivesse tal sido feito ontem (há pelo menos um mês, aquando da quadra do Natal), mas que infelizmente e cumprindo a tradição (“de remediar em vez de prevenir” conjugado com “do mais vale tarde do que nunca) apenas se fez hoje. Com as vítimas mortais desde o início da Pandemia COVID-19 a estabilizarem pelas 2.000 (por meados de setembro de 2020), para iniciarem uma ligeira subida durante o mês de outubro e a mesma (subida) se tornar ainda mais acentuada a partir de novembro (de perto de 2.500 óbitos passando a mais de 4.500): para então no início de dezembro e já pelas 5.000 vítimas mortais a subida nunca mais parar (7.000 no final de 2020) acelerando ainda mais iniciado o ano 2021 e estando hoje em cima das 12.000. Podendo-se afirmar 2.000 mortes iniciais (1ª Vaga), agora adicionadas (na 2ª Vaga) de outras 10.000 (em menos tempo) e totalizando as tais 12.000 mortes.

 

(imagens: DGS/VISÃO)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:45

Janeiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13

23

27



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO