Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

24
Jun 15

"I ask the court to acknowledge that the law 'on the removal of the presidential title from Viktor Yanukovych' as unconstitutional."
(Petro Poroshenko – Presidente da Ucrânia)

 

Poroshenko.jpg

Petro Poroshenko

 

Aumentando ainda mais a confusão instalada na UCRÂNIA, o actual presidente desta antiga região integrando a extinta URSS (Petro Poroshenko), vem agora declarar que a remoção dos antigos títulos (e logicamente estatutos) do seu antecessor (Viktor Yanukovych) é inconstitucional (ou seja ilegal).

 

O que não deixa de colocar todo o mundo de boca aberta (especialmente aqueles que do exterior patrocinaram o golpe, investindo no mesmo 5 biliões de dólares), confundindo ainda mais intensamente a opinião pública internacional (instrumentalizada diariamente pelas fontes privilegiadas dos novos donos do mundo): posta perante um cenário sem alternativa de prossecução da luta entre as forças do Bem e as forças (tantas vezes identificadas com o Eixo) do Mal.

 

O que nós (ocidentais) sabemos até agora, é que a Rússia invadiu a Ucrânia, anexou a província da Crimeia, apoiou os rebeldes das províncias de leste e pelo meio abateu um avião cheio de passageiros (matando-os a todos com um míssil). O Ocidente por seu lado e estrategicamente apoiado pelos Estados Unidos da América (através da NATO), depois de ter apoiado uma transição democrática e tranquila (a bem), apenas tomou a iniciativa de apoiar os golpistas (a mal), por achar ser essa a única solução viável.

 

De um lado a personificação do Bem na pessoa do actual presidente da Ucrânia (e dos seus apoiantes internos e externos), do outro lado a personificação do Mal na pessoa do actual presidente da Rússia. Só que agora com estas declarações de POROSHENKO tudo muda: "I ask the court to acknowledge that the law 'on the removal of the presidential title from Viktor Yanukovych' as unconstitutional". Pondo com esta afirmação todo o processo em causa (desde o Golpe de Estado), até a sua própria legalidade como Presidente.

 

O que poderá estar aqui em causa não será tanto a preocupação com a legalidade de todo o processo que levou à destituição de YANUKOVYCH, mas a própria sobrevivência do actual presidente Poroshenko: ele sabe que se para o anterior presidente essa obrigação tivesse sido respeitada, mantendo-a futuramente ainda poderia sonhar em preservar o seu cargo no futuro próximo (e sem perigo de vida). Mas as crescentes e poderosas pressões exercidas pelos sectores de direita radicais ucranianos sobre o seu Presidente, empurrando-o para novas confrontações com a Rússia contando para isso com o apoio militar norte-americano, não prenunciam um grande futuro para aquela região do leste da Europa, fazendo fronteira com uma potência como a Rússia e tendo do outro lado toda a Europa.

 

Entretanto as sanções impostas pela Comunidade Económica Europeia à Rússia mantêm-se até ao final deste ano (por recomendação norte-americana), enquanto que os alemães vão continuando a perder milhões e os mesmos norte-americanos continuam com muitos dos seus negócios com a Rússia. Em mais um episódio de crimes de guerra contra populações indefesas, em que todas as partes (a Ocidente e a Oriente) são culpadas (menos essas mesmas populações, as únicas vítimas).

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:17
tags:

Junho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
12

15
16
18
20

21



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO