Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Quem ainda Manda quer escolher quem vai Mandar

Sábado, 26.09.15

“Nem as Instituições Superiores deste país (públicas ou privadas) parecem ter vergonha de apenas por dinheiro (mesmo que necessário para a sua sobrevivência) participarem neste enredo e farsa tentando enganar-nos a todos.”

 

deuda-y-bancos-europeos-cartoon-624x448.jpg

Uma mensagem vinda da Grécia à imagem do futuro que nos espera

 

Quem olha para as sondagens realizadas à distância de um ano (2014), fica completamente estonteado com o que as sondagens revelam agora (2015): enquanto há um ano o resultado a pontava para o PS no limiar da maioria absoluta, neste preciso momento e a pouco mais de uma semana das Eleições Legislativas a maioria governamental já sonha (para já modestamente para não deitar tudo a perder com a sua soberba) com a sua maioria absoluta.

 

A conclusão da PÁF para os seus fanáticos e associados é que os quatro anos de governação nunca existiram, a Primavera e o Verão foram maravilhosos e após 4 de Outubro será sensacional. Porquê? Sócrates pegara no calhau e atirara-os aos portugueses (esmagando-os com dívidas e ilusões), Coelho chegara e com grande esforço começara a afastar o calhau da base para o sopé da montanha (propondo-nos a sua realidade topográfica mas perigosa – o calhau poderia sempre rebolar montanha abaixo) e agora vinha o outro (de novo) para tudo destruir – ou seja rasteira-los no seu esforço patriótico deixando o pedregulho rolar e de novo destruir.

 

Partido Sondagem RTP (%) Sondagem TVI (%) Sondagem SIC (%)
PS 34 33 36
PÀF 41 38 35.5
CDU 9 8 10
BE 7 6 5
LIVRE - - 1.5
PDR - - 2
Outros 4 4 -
Abstenção 5 11 10

 (em 25.09.2015)

 

Do resto nem interessa falar porque somos mesmo muito estúpidos. Daí a campanha absolutista lançada por toda a comunicação social (a crise é de tal ordem que voltou a voz do dono) tentando transformar um criminoso numa vítima das circunstâncias: seria um marco histórico da política moderna mundial assistirmos à reeleição de um governo tendo exclusivamente no seu currículo a destruição da maior classe social do seu país. Só mesmo numa ditadura (em que se matam os vivos e se negam os mortos).

 

O PS ganhará as eleições, a PÀF perderá aos pontos e as restantes forças políticas completarão o ramalhete (CDU, BE, LIVRE, PDR). E sem maioria absoluta e um Presidente ausente (e temporário), ainda teremos que esperar pela saída deste grande calhau (na engrenagem democrática).

 

Os Presidentes só são julgados depois de perderem o lugar (este devia-se preocupar).

 

(imagem: 19.02.2015 – umjeitomanso.blogspot.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:54


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.