Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

19
Abr 20

[14 de março a 19 de abril]

 

Reflexão: 87% dos óbitos provocados pelo Covid-19 (714), atingindo homens/mulheres com 70 anos de idade ou mais (621) − como se fosse um extermínio planeado e dirigido (e logo por um bicho) aos mais idosos. Mas fora a questão do bicho (a culpa é sempre dos outros), o extermínio sendo da responsabilidade do Homem: que o digam (entre outros) os golfinhos e os passarinhos − regressando para junto de nós − o ar e a água (mais limpos e transparentes).

 

Continuando como referência o dia 3 de março (uma data para o pico máximo) com as suas 37 vítimas mortais (valor máximo): hoje nas 27 (menos dez, passados dezasseis dias).

 

CV1.jpg

Evolução do nº vítimas mortais por dia

(com o valor máximo registado a 3 de abril)

 

Com a razão entre as vítimas mortais num dia e as registadas no dia anterior (1,64 a 23 de março), a indicar-nos atingindo o valor 1 não se ter registado nenhum óbito (o desejado).

 

CV2.jpg

Aproximação da razão VM₂/VM₁ ao número ideal igual a 1

(dia em que o nº de óbitos será igual a zero)

 

E ainda se confirmando o grupo etário mais atingido − 80 anos de idade ou superior – com 66% das vítimas mortais, no género equilibrados: 50,1% Homens e 40,9% Mulheres.

 

CV5.jpg

Óbitos e % por grupo etário registados desde 16 de março

(bem visível o mais atingido)

 

E na evolução global desta pandemia tendo a mesma já percorrido todo o Hemisfério Norte (o mais rico, mais desenvolvido, mais poluído e com mais população) e entrado no Hemisfério Sul (o oposto do outro hemisfério), prevendo-se por um lado e gradualmente o regresso á Economia e ao Trabalho e esperando-se por outro lado, que com precaução e com consciência − da possibilidade de uma outra Vaga − nos não desleixemos e preparemos: não seja este coronavírus como a gripe e volte de novo para o ano.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:19

17
Abr 20

 

Dois gráficos referentes ao dia 17.04.2020 (13:32 TMG), o primeiro indicando o número de vítimas mortais registados em cada dia em Portugal (continente e ilhas) e o segundo o panorama geral das vítimas mortais e casos graves/críticos registados nos países (um deles um território integrando a China) de Língua Portuguesa (nove no total).

 

C4.jpg

Mantendo-se (para já) o Pico Máximo

a 3 de abril de 2020

 

No 1º gráfico observando-se como pico mais elevado o registado no dia 3 de abril de 2020 (37 óbitos) ─ permanecendo para já como o “Pico Máximo” ─ mantendo-se a tendência iniciada a 4 de abril (já no 14ºdia) apontando para uma descida lenta mas progressiva: assim até 2 de maio continuando-se  sob Estado de Emergência (mais suavizado) para a 3 de maio se rever a situação.

 

C2.jpg

Com o Brasil arriscando-se a percorrer um caminho (em números)

entre a Europa e os EUA

 

No 2º gráfico comparando-se o número de vítimas mortais e casos graves/críticos registados nos 9 países/territórios de Língua Portuguesa, com o primeiro a iniciar a “viagem” a ser Portugal, seguido pelo Brasil, sendo agora a vez dos países africanos: com 2 territórios destacando-se ─ Brasil (HS) e Portugal (HN) ─ e com os restantes ainda no início. E se Portugal com 657 óbitos já atingiu o seu PM, o mesmo não sucedendo para já com o Brasil com 1.952 óbitos.

 

[HN: Hemisfério Norte HS: Hemisfério Sul PM: Pico Máximo]

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:00

03
Abr 20

No dia em que o número de óbitos

− De um dia para o outro

Duplicar,

Entraremos definitivamente na

Zona Vermelha”.

tvi-direto-boliqueime-loule.jpg

 

O dia em que o Covid-19 chegou a um Lar de Idosos de Boliqueime

(Algarve, concelho de Loulé e terra natal do ex-1º Ministro Cavaco Silva)

 

Mapa indicativo do número de “óbitos + casos críticos ou graves” registados diariamente em Portugal, desde 2 de março até 3 de abril de 2020.

x.jpg

 

Numa contagem iniciada a 16 de março − 1º óbito registado – e registando o primeiro valor de casos graves/críticos a 20 de março. Hoje (abril, 3) indicando um total acumulado de 246 óbitos e 245 em estado grave/crítico.

 

Num Universo de mais de 10.000.000 pessoas (10.276.617) e numa amostra de quase 10.000 contaminados (9.886) – 0,01% da população de Portugal − com 246 óbitos (taxa de mortalidade = 2,5%) e com 245 em estado grave/crítico (2,5%).

 

Ou seja, amanhã (abril, 4) até se podendo atingir (um cenário trágico) as 491 vítimas mortais, praticamente duplicando o número de óbitos e aí sim, tornando-se uma verdadeira preocupação lançados como estaremos a caminho do tão falado Pico Máximo.

 

(dados: wikipedia.org − imagem: regiao-sul.pt/TVI)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:02

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO