Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


“Não Temer o Vírus” e “Vacinar, Vacinar, Vacinar”

Domingo, 18.07.21

[Sendo necessário, em ritmo militar.]

No final deste domingo 17 de julho de 2021, 2º ano Covid-19 (a caminho do 17º mês) e 1ª ano de vacinação (a caminho do 7º mês), das quase 10,5 milhões de doses administradas, com perto de 4,2 milhões estando já completamente vacinados (40%) e com perto de 6,3 milhões tendo tomado 1 de 2 doses (60%). Obra de um militar (de 60 anos), quando muitos civis com a mesma idade (ou mais novos), já estão reformados (ou prontos para se transferirem, feito o seu estágio no setor público, para o seu verdadeiro mundo a iniciativa privada).

Imagem2.jpg

Infetados

1 de Janeiro 2021 a 15 de Julho de 2021

 

Determinando a razão entre o Nº de Infetados e o Nº de Óbitos ao longo deste ano de 2021 (durante 196 dias/28 semanas/14 períodos), em três pontos distintos dos respetivos gráficos ─ ponto inicial, ponto de pico máximo e ponto final ─ chegando-se à conclusão de que se no ponto inicial o Nº de Infetados era 70X o Nº de Óbitos (no ponto de pico máximo 51X), já no seu ponto final o Nº de Infetados era 453X o Nº de Óbitos: sendo pois muito menor as consequências mortais, mesmo com um nº muito superior de Infetados (com Covid-19).

Algo fácil de constatar observando-se e comparando-se os dois gráficos (aqui representados), muito semelhantes na sua evolução (no mesmo período de tempo e atravessando a vaga anterior) exceção feita à sua “fase final” com a curva de “Infetados” a ser bem mais expressiva do que a ligeiríssima curva de “Óbitos”.

Imagem3.jpg

Óbitos

1 de Janeiro de 2021 a 15 de Julho de 2021

 

Podendo-se desde já destacar dois fatores podendo ter contribuído maioritariamente para a diminuição desta correspondência ─ diminuindo muitas vezes mais, o nº de mortes ─ apesar de mais contagioso sendo esta variante do vírus muito menos “mortal” (talvez mais graças a Nossa Sra. de Fátima, nunca à civil M. Temido de A. S.) e com a campanha de vacinação em curso sendo uma arma fundamental (podendo tornar-se num êxito, graças à liderança de um militar. H. G. e Melo) para diminuir drasticamente as vítimas desta luta prevendo-se prolongada.

Tentando-se agora adivinhar o que se seguirá a esta “vaga de Verão”, quando a vaga que antes mais se temia, seria aquela a surgir depois do Verão (fim do 3º trimestre/início do 4º trimestre de 2021): por essa altura e mantendo-se o ritmo (do “militar”), com 100% da população portuguesa completamente vacinada.

(dados: dgs.pt imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:09

Surfando a Vaga de Verão com o Certificado Covid-19 na Mão

Sexta-feira, 09.07.21

“Nunca se podendo esquecer a campanha de vacinação ─ com 58% dos portugueses tendo tomado já uma dose, 36,5% tendo já a vacinação completa, ou seja, quase 95% com um mínimo de proteção (contra a Covid-19) ─ vindo desta a maior oposição ao alastrar desta Pandemia de SARS CoV-2 (e suas estirpes/variantes).”

Agora que dizem estarmos a atravessar uma “nova vaga Covid-19”, a constatação de que mesmo estando a um nível muito semelhante no nº de Infeções/dia registado já na fase de decrescimento da “vaga anterior” (a “vaga de janeiro”) ─ 3.194 Infetados/7 Óbitos em julho contra 2.583 Infetados/203 Óbitos em janeiro ─ se por um lado o nº de Infetados/dia até cresceram 24%, por outro lado o nº de Óbitos/dia desceu drástica e felizmente nesse mesmo período (de 5 meses), sendo hoje 29X menor.

Imagem1.jpg

De uma ponta à outra do gráfico c/ o nº de infetados não tendo a mesma correspondência c/ o nº de óbitos, do lado esquerdo sendo maior e do lado direito menor

Uma clara indicação de que apesar de ser mais rápido no contágio/infeção do que o coronavírus anterior (da “versão inglesa” passando-se para a “versão inglesa/indiana”) ─ comparando a vaga de março de 2020 (a 1ª) com a de janeiro de 2021 (a última) ─ a sua tradução em número de Óbitos é “imensamente” inferior, sendo pois (e no fim) menos mortal. Apesar de ter o inconveniente de sendo mais pessoas infetadas num menor espaço de tempo, sendo simultaneamente inevitável que o nº de internados hospitalares cresça rapidamente (não significando o seu transito para UCI, mas um caso de sobrelotação).

“Esta sexta-feira (09.07) registando-se a nível nacional +3.194 infetados (+323 no Algarve) e +7 óbitos (0 no Algarve), com vários concelhos algarvios na zona vermelha (taxa de incidência): Loulé (1016), Albufeira (997), Faro (714), Lagos (700), Olhão (627), Portimão (588) e Silves (516) ─ os concelhos acima dos 480."

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:49

A Pandemia no Mundo

Terça-feira, 11.05.21

A nível Global tendo-se ultrapassado os 160 milhões de infetados e os 3,3 milhões de óbitos (em cerca de 7,7 biliões de habitantes) e com as curvas de Infetados/dia e de óbitos/dia agora e de novo em tendência decrescente (depois de em fevereiro/março e seguindo até aí uma tendência de baixa, voltar de novo a subir), como se comprova a seguir:

Continente

Infetados

Óbitos

Europa

-17%

-17%

América N

-17%

-11%

Ásia

-1%

+8%

América S

-1%

-9%

África

-7%

0%

Oceânia

+54%

-42%

(Mundo)

(-5%)

(-4%)

Infetos/Óbitos Covid-19 por continente

(N: Norte S: Sul)

 

Com as responsabilidades das taxas positivas registadas na Ásia ─ no nº de Óbitos ─ e na Oceânia ─ no nº de Infetados ─ a ficarem a dever-se no caso do continente asiático à Índia ─ com mais de 250.000 mortos (ainda hoje quase +320 mil infetados e +3600 mortos) tornando-a de momento o centro desta Pandemia (de Covid-19) ─ e no caso da Oceânia à Papua Nova-Guiné com uma subida de 96% (passando de 427 para 824 de infetados, nas últimas duas semanas).

Imagem1.jpg

Evolução Covid-19

(abril/maio de 2021)

 

Com o trio EUA (1º/1º), Brasil (3º/2º) e Índia (2º/3º) a continuarem a registar o maior nº de infetados e o maior nº de óbitos, tendo agora a Índia (infelizmente até pela sua população, mais de 1,4 biliões de pessoas, cerca de 18% da população mundial) como a principal contribuidora. Felizmente devendo já ter ultrapassado o período de maior atividade do vírus SARS CoV-2 (uma das suas variantes, pelos vistos mais perigosa), tendo transposto o máximo de infetados e o pico máximo de óbitos e como tal, já estando em descida: tal como previsto antes devendo-se ver “livre” do coronavírus, lá para início/meados de junho

IMG_4102[1].jpg

Resultado de incêndios em concelhos vizinhos

(Albufeira 08.08.2018)

 

E com o exemplo de excelência até pela sua dimensão (no combate contra esta Pandemia de Covid-19 iniciada há mais de um ano) a vir de duas ilhas da Oceânia (talvez por isso, estando completamente isoladas pelo mar) localizadas em pleno oceano Índico/Pacífico, a Nova Zelândia (2.643 infetados/26 óbitos em 4,8 milhões de habitantes) e a Austrália (29.938 infetados/910 óbitos em 25,5 milhões de habitantes). Sendo territórios quanto ao Covid-19 extremamente rigorosos ─ nas “entradas” ─ e dirigidos um por um homem, o outro por uma mulher, podendo ambos invocar terem (em conjunto com a sua população) derrotado (para já) o vírus ─ na Nova Zelândia com duas mulheres no comando, Patsy Reddy com Governador-Geral e Jacinda Ardern como 1º Ministro (sob a direção da Rainha Elisabete II).

(imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:00

Índia ─ Outro Crime Contra a Humanidade

Sexta-feira, 30.04.21

No início desta Pandemia de Covid-19 com as primeiras notícias de contágios e de mortes a terem origem na China (Ásia), mais tarde focando-se na viagem do coronavírus para a Itália (Europa), dando ainda um salto até à Grã-Bretanha (a Ilha) antes de se virar para o Oceano Atlântico, ultrapassado este invadindo e infetando os EUA (América do Norte), descendo de seguida até ao Brasil (América do Sul),

434945e34213492fdda1f114083040bd.jpg

Piras funerárias num crematório de Nova Deli

(24 abril 2021)

Para depois de algumas voltas e de outras derivações ─ como a da sua passagem (ainda não perfeitamente esclarecida, ao nível da verdadeira incidência/óbitos, como aliás em toda o continente) pela África do Sul (África) ─ se dirigir de novo para as suas origens (deste surto pandémico) para a Ásia, mas com o centro agora a fixar-se na Índia (sé se tendo livrado desta enorme-teia-mortal, a Austrália e a Nova Zelândia, o continente da Oceânia), o Mundo no seu conjunto ainda se encontra infelizmente perante um “impasse pandémico”, numas regiões do globo com a atividade do coronavírus claramente estabilizada e estando em descida, enquanto noutras estando ainda a caminho do seu auge de atividade:

E se na Europa o vírus volta de novo a recuar (com descida de infetados/óbitos), se na América do Norte ainda prossegue a luta (com a intensa campanha de vacinação, em curso nos EUA) e se no Brasil ainda continua a passar-se “aquilo que todo o Mundo sabe” ─ o ”Genocídio Presidencial” ─ parece chegada agora a “Hora Covid-19 da Índia”, podendo destronar os recordistas-campeões em Infetados/Óbitos (maus-exemplos) como os EUA e o Brasil.

Um aviso para todos aqueles que já se pensam curados (vacinados ou não) ─ por exemplo para Portugal a partir de amanhã 1 de maio (fim do estado de emergência, muito perto do Desconfinamento total)  ─ e que na sua fatal-ignorância (do “deixa andar”), só depois concluem que afinal não, mas muitas vezes fazendo-o tarde demais.

im-331767.jpg

Evolução do número de Infetados na Índia desde 29/01/2020

Índia depois da China (1,44 biliões) o país mais populoso da Terra com os seus 1,38 biliões de pessoas ─ e com 2,4X a densidade populacional da China ─ e que segundo Arundhati Roy (escritora e ativista antiglobalização indiana) vive agora com esta nova vaga pandémica uma crise só comparável e semelhante nas suas consequências (havendo certamente responsáveis, ao não tomarem as medidas necessárias/obrigatórias, logo, sem olhar a custos e preventivamente) a um “Crime Contra a Humanidade”:

Depois de uma 1ª vaga ultrapassada (nem com 100K de infetados/dia, como máximo), levando com outra cerca de meio ano depois, agora numa nova vaga do coronavírus muito mais contagiosa/infeciosa, logo e dadas as circunstâncias gerais mais mortífera (entrando aqui e em cena novas estirpes/variantes), atingindo rapidamente os 350K de infetados/dia (3,5X superior à 1ª vaga, 3,5X pior) e novos registos históricos (localmente e cada dia que passa) de vítimas mortais ─ ainda ontem (27 de abril) andando perto dos 380K de Infetados/dia e dos 3.650 mortos/dia, mas dado o total descontrolo da situação e as incinerações de cadáveres (por Covid-19) bem visíveis um pouco por todo o lado, podendo ir só nas vítimas mortais a uns 7.000 mortos/num só dia.

98bd01eaf29a1aa414cd50ab104d1a16.jpg

Trabalhadores do crematório aguardando na sua ambulância

(24 abril 2021)

E se nos EUA se assistiu e ainda se assiste ao protagonista desta pandemia ser “não o Branco, mas o Negro”, “não o Rico, mas o Pobre, “não os Integrados, mas as minorias (os maginais)”, situação semelhante (equivalente, no fundo igual e com o mesmo tipo de responsáveis, os Governantes) se passando na Índia, aqui inserindo-se pela definição de hierarquias, os diferentes lugares de acesso ao poder conforme “as Castas”.

Entrando numa fase de descontrolo e dando prioridade à sua sobrevivência assim como a do seu círculo de influência (e de manutenção, através da utilização das suas forças de segurança), com os Governantes (a casta dirigente) deixando basicamente de existir (como Estado), permitindo a paralisação da sua economia e colocando os serviços médicos já colapsados completamente de rastos.

Sendo a Índia (convém lembrar) um dos países mais ligados às grandes farmacêuticas globais (indústria química), aos seus grandes investimentos de produção e de distribuição (de medicamentos, de vacinas) e um dos principais entrepostos industriais/comerciais dos EUA, da GB e da Europa (do Ocidente), tendo-se desde logo relaxado na sua campanha de vacinação (doses completas, 2% na Índia, contra 43% nos EUA) e apanhada desprevenida (nem sequer remediada, irresponsavelmente despreocupada) levando com a que veio a seguir:

Screenshot_2021-04-30 Ashish K Jha, MD, MPH ( ashi

Twitter do médico e investigador indiano Ashish K. Jha

E para além das consequências internas ainda muito longe de se calcular (estima-se que a Índia atinja o pico máximo, só lá para o mês de junho), tendo-se que obrigatoriamente de pensar nas consequências externas que este arrastar de situação (pandémica) poderá ter para o Mundo ─ para já não se falar (mas já havendo notícias relacionadas) nos países vizinhos e tão próximos (do Sul da Ásia).

Com tanta falta de recursos materiais (como máscaras e diferentes tipos testes) e com uma lenta campanha de vacinação ─ certamente por falta de mobilização de recursos humanos (tudo responsabilidade do seu 1º Ministro, Narendra Modi) ─ com a Índia a estar a percorrer um caminho cheio de perigos assim como de muitas incógnitas, podendo originar um tempo incerto de crise interna profunda, refletida logicamente e como efeito nas suas exportações: tendo como destinatário o Ocidente e a Europa, que obviamente se ressentirão (uns mais, outros menos) disso.

5b76237e5f5ffacdf084d19db6b9de19.jpg

Funeral na cidade de Gauhati de um individuo falecido com Covid-19

(25 abril 2021)

Restando-nos esperar para ver (o que se passará por cá) o que se passará pela Índia.

[No mapa global dos casos diários de infeções e de vítimas mortais por Covid-19, com a Índia a registar hoje novos recordes em nº de Infetados/dia ─ com +402.110 (dia anterior -15.122) ─ e em óbitos/dia ─ com +3.522 (dia anterior -21) ─ liderando nestes parâmetros (globais) à frente do Brasil e dos EUA. Um desastre em progresso.]

(imagens: Altaf Qadri/AP/LA Times/yahoo.com ─ Johns Hopkins University/marketwatch.com ─ Altaf Qadri/AP/LA Times/yahoo.com ─ @ashishkjha/marketwatch.com ─ USA TODAY)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:24

Covid-19 PT/22.04

Quinta-feira, 22.04.21

Evolução do nº de Infetados e do nº de Óbitos por 8 períodos de 14 dias/cada ─ desde 1 de janeiro de 2021 (incluindo 22.04.2021, 112 dias).

 

Imagem2.jpg

Ao contrário do Mundo e por períodos de 7 dias (comparando o penúltimo, c/ o último), c/ o nº de Infetados e o nº de Óbitos a crescerem (+11% e +6% respetivamente), pela Europa com estes números a descerem (-10% e -10% respetivamente). Por cá (Portugal) só sendo preocupante a evolução do nº de Infetados/dia.

 

Com a generalidade dos parâmetros Covid-19 em tendência decrescente (incluindo o R(t)), mas com o nº de Infetados em subida (em 3 dias consecutivos).

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:01

(Apatia) Covid-19 PT/16.04

Sexta-feira, 16.04.21

E como já não há nada a fazer,

(paralisado com o choque e devido aos argumentos)

 

Imagem1.png

Óbitos/Continente

(durante duas semanas)

 

─ Até pela declaração do 1º Ministro sugerindo pelas suas palavras que o Ministério da Educação é na sua ação uma secção independente do Governo não sendo obrigado a prestar-lhe contas e podendo pelos vistos (sendo este facto agora real) declarar o “Fim-da-Pandemia-no-Interior-das-Escolas”) ─

 

Face à “demissão” estratégica do Presidente e à passividade por “falta de competência” do Governo e do seu 1º Ministro (como já se viu antes no caso da Educação e desse modo desvalorizando a área, entregando a” concessão/exploração” e a resolução do problema nas mãos do 2º, o Ministro da Educação), restando-nos no presente sentar e aproveitar o pouco tempo livre de que ainda dispomos (de sacrifício físico e mental) para confirmar se iremos mesmo Desconfinar ou se continuaremos a Desconfiar.

 

o-que-nao-mata-engorda.jpg

Descubra quem é o Edibar e quem é a Edimunda

(um deles sendo nós, o outro o nosso 1º)

 

Por mim e dado este último pré-passo verificado a 15 de abril (ontem) e vindo a ser confirmado (como ontem referido) no início da próxima semana (2ª feira, 19), já não havendo mais forma de suspender ou de recuar (no andamento do processo de Desconfinamento) pelo que tudo já estando decido seja para o bem ou para o mal:

 

No início de maio e seja qual for o resultado, com o Governo no pior dos casos só tendo que usar uma venda maior e continuar a avançar,

 

Imagem2.jpg

R(t) no Algarve

(desde o início da Pandemia)

 

─ Declarando aí o fim do Estado de Emergência (já o poderia ter feito, não fosse a força-de-bloqueio chamada Marcelo), o Fim-do-Desconfinamento, o regresso ao Novo Normal e a derrota (terá que o afirmar, como o fazem os norte-americanos) do inimigo o vírus SARS CoV-2. O problema será se o vírus não estiver de acordo com esta nossa versão.

 

Façamos a nossa proteção e rezemos à nossa Santa (do nosso homem já não se esperando nada, à espera do seu colega espanhol), a Nossa Senhora de Fátima, estando na hora de Milagres.

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais e seujeca.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:17

Covid-19 Europa

Sexta-feira, 09.04.21

Neste contexto de Desconfinamento em Portugal, algo sobre o que se passa um pouco por toda a Europa, com o registo do nº de óbitos registados esta quinta-feira dia 8. De oeste a este do continente europeu com números como +954 óbitos na Polónia (22% do total mundial de mortes neste dia), +487 na Itália (11%) e +464 na Ucrânia (11%). Portugal ficando-se pelos 9 óbitos (0,2%).

 

Imagem2.jpg

Europa

Com a Polónia a registar só hoje (8 de abril) quase mil mortes

(aqui ao lado a Espanha com 142)

 

Pela amostra e pelos 4.384 óbitos registados em toda a Europa (neste dia), confirmando-se como o vírus SARS CoV-2 continua bem ativo por toda a Europa, desde a Rússia/Ucrânia, passando pela Polónia e chegando à Alemanha/Itália/França ─ e saltando esta “barreira” atingindo rapidamente a Península Ibérica começando por Espanha, encontrando de seguida em Portugal um índice R(t) > 1.

 

Quando a Europa se aproxima das 0,95 milhões de vítimas mortais (no Mundo dos 2,95 milhões).

 

(dados: worldometers.info ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 05:00

Infetados e Óbitos Covid-19 no Algarve

Domingo, 04.04.21

Dois gráficos revelando-nos a evolução da Pandemia de Covid-19 na Região do Algarve, no gráfico (1) a evolução do nº de Infetados/dia desde o início do ano 2021 e no gráfico (2) a distribuição do nº de Infetados e do nº de Óbitos por concelho (16 no total) desde o início desta Pandemia (já lá vai mais de um ano). De observar e usar o cérebro para pensar.

 

Imagem2.jpg

Gráfico 1

[Algarve ─ 2,5% do total nacional de Infetados]

(20.557 infetados em 823.142)

 

No gráfico (1) e depois de um prolongado e contínuo decrescimento do nº de Infetados/dia, com a sua evolução a demonstrar agora alguma instabilidade, descendo e subindo alternadamente e parecendo revelar uma (para já) muito ligeira tendência de subida. Um pouco preocupante (assistindo-se ao que se passa, um pouco por toda a Europa).

 

Imagem1.jpg

Gráfico 2

[Algarve ─ 2% do total nacional de Óbitos]

(347 óbitos em 16.875)

 

No gráfico (2) deparando-nos em números com os efeitos da passagem desta Pandemia por esta região do sul de Portugal ─ total de Infetados e de Óbitos, por concelho ─ com os concelhos mais castigados a serem os de Loulé (63 mortes/18% do total), Faro (51/15%) e Albufeira (44/13%) ─ seguido por Portimão (30/9%). Com o total de mortes Covid-19 nos 347.

 

Residindo em Albufeira (há 37 anos), sendo surpreendido como muitos pela introdução deste concelho entre os mais preocupantes (risco elevado) ─ 120 a 240 casos/100 mil habitantes ─ e procurando uma explicação (para o sucedido), deparando-me com o “Triângulo das Bermudas” (Covid-19): indo de Portimão (1º vértice) a Albufeira (2º vértice) ─ passando por Lagoa (num dos lados do triângulo) ─ tocando em Silves (3º vértice) e sendo suportado por “estaleiros” (da construção civil).

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:19

Covid-19 Global ─ Presença do coronavírus em todos os Continentes

Sábado, 03.04.21

“Nos países com mais mortos por total da sua população,

estando Portugal à frente (15º) até mesmo do Brasil (19º).”

 

Uma amostra COVID-19 apresentando os 20 países (em mais de 220) com o maior nº de óbitos por cada 1 milhão de habitantes: liderando um pequeno território como Gibraltar (fazendo parte do Reino Unido) e sendo de destacar (tendo maiores territórios/maior população) nessa amostra a presença de 16 países/territórios europeus (80%). Entre eles o Reino Unido (10º), a Itália (12º), PORTUGAL (15º) e a Espanha (16º). Do outro lado (e para o fim do Top 20) estando 4 países do continente americano, como não poderia deixar de ser um deles sendo os EUA (14º) e (espante-se, atrás de alguns países da Europa) o outro sendo o Brasil (19º) “melhor” que Portugal: o Brasil com 1537 óbitos/1M e Portugal 1658 óbitos/1M (+121O/1M).

 

Imagem1.jpg

 

Com os países não Europeus e não americanos só surgindo com (citando apenas os 8 primeiros, em ordem decrescente) o Líbano (Ásia/933), a África do Sul (África/884), Aruba (América Sul/803), Belize (América Central/787), a Tunísia (África/746), o Irão (Ásia/743), a Jordânia (Ásia/685) e finalmente Israel (Ásia/676). E com a Austrália a registar 35 óbitos/1M e a Nova Zelândia 5 óbitos/1M (na Oceânia sendo o pior, a Polinésia francesa ─ com 500 óbitos/1M) ─ ambos podendo ser o paraíso (na Terra) por “quase livre do coronavírus”. Dependendo toda esta evolução (da Pandemia) do que vier a seguir – nesta senda anti-Covid-19 ─ com um Mundo em desacerto (e desorientado) posto perante diferentes fases da doença (e falta de recursos): uns mais atrás outros mais à frente, mas não comunicando entre eles (devidamente) e nada aprendendo uns com os outros. Dando mais uns pontos de vantagem, ao hoje nosso adversário.

 

E se estiver aí à porta, outra Vaga Covid-19 (como parece estar a suceder, na América e na Europa)?

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:56

Brasil ─ Depois de Fogo nas Árvores, Fogo no Povo

Quarta-feira, 31.03.21

E enquanto os incidentes em MYANMAR (antiga Birmânia) se intensificam crescendo o número de vítimas mortais ─ numa luta envolvendo dos dois lados, militares e políticos golpistas e corruptos, um deles sendo mulher e ainda Nobel da Paz ─ sendo acompanhados pelas centenas de desaparecidos em Cabo Delgado (Moçambique) ─ tudo se resumindo a uma luta entre duas partes interessadas no mesmo, a exploração de gás na região (pela Total), de um lado tendo mercenários (da Total) e do outro terroristas (do ISIS) ─ no outro lado do Atlântico, tomando como referência o “país-irmão” (Portugal) e literalmente “A Morte Continua Na Rua”:

 

“Brazil on Tuesday reported 3.780 COVID-19 deaths, a new record.”

(Brasil/São Paulo/Reuters/yahoo.com/30.03.2021)

 

2021-03-30-bolsonaro-covid.jpg

Jair Bolsonaro

Conferência de Imprensa (sobre o Covid-19)

Palácio da Alvorada ─ Brasília ─ 24.03.2021

 

Com o coronavírus responsável (SARS CoV-2) pela Pandemia de Covid-19, causando no país de JAIR BOLSONARO o BRASIL num só dia 1/4 do total global de mortes registadas ─ um recorde mundial.

 

Tendo inicialmente lançado o Brasil numa grande crise socioeconómica (já vinda de trás, mas com a sua política agressiva e prepotente do presidente, sendo agravada) por falta de decisões concretas e eficazes cada vez mais próxima do limite (do suportável), vendo a situação a “embrulhar-se” perigosa e aceleradamente com a chegada do VÍRUS, deparando-nos aí com um JAIR BOLSONARO à deriva incapaz de reconhecer o que ele próprio via e optando pelo Negacionismo:

 

2021-03-29-brazil-graves.jpg

Campo da Esperança

Fila de sepulturas novas (Covid-19) ainda recentes

Cemitério Campo da Esperança ─ Brasília ─ 23.03.2021

 

E entre demissões e admissões sucessivas de vários “Ministro-Bolsonaro” tentando adiar o inevitável demitindo/admitindo mais meia-dúzia e manipulando números ─ dado o elevado nº de mortes e a situação incontrolável, os “Números Covid-19”.

 

Mas nunca podendo esconder os números conhecidos (devido à manipulação, facilmente podendo ser X2 ou X3) neste início de quarta-feira 31 de março pelas 23:00 TMG registando: um total de 12.664.058 Infetados (2º Ranking Mundial/RM), de 317.936 de mortes (2ºRM), de 1.271.639 ainda ativos (3ºRM), de 8.318 em estado grave/crítico (3ºRM) e de 1.488 mortes/1 Milhão (aqui e pela sua extensão ─ não vá Bolsonaro aproveitar ─ 19ºRM).

 

maxresdefault.jpg

Fórum Covid-19

Brasil ─ Crise e Pandemia de Coronavírus

Harvard ─ 30.03.2021

 

Faltando apenas conhecer o que acontecerá a Bolsonaro tendo já nas suas mãos mais de 300.000 mortos:

 

Sendo ele conhecido nacional e internacionalmente ─ até pelo que diz e pelo que faz (infelizmente de mal e muitas vezes criminoso ─ veja-se antes a Amazónia e depois a Covid-19) ─ como um dos maiores do mundo no combate contra o tratamento da doença Covid-19, apenas por segundo ele “tal doença não existir” (sendo uma Gripe).

 

Esperando-se brevemente uma resposta dos EUA ─ ou não fosse Bolsonaro, o “Trump Sul-Americano” ─ podendo até (e pela grande emergência) ser mesmo um ataque (dado os norte-americanos andarem por todo o lado).

 

[Entre árvores (da Amazónia) e povo (do Brasil) a grande obra-inimaginável e prima (ou outro familiar qualquer) de Jair Bolsonaro.]

 

(imagens: Eraldo Peres/AP/pri.org ─ i.ytimg.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:26