Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

12
Jan 18

Um Território (Portugal) para Turistas assim como para Reformados

 

480492B600000578-5258303-image-a-2_1515672935695.j

Praia em Barcelona

 

Nesta quinta-feira dia 11 de Janeiro quando por volta das 20:30 via pela televisão por cabo a estação de TV Galícia (localizada no noroeste de Espanha a norte de Portugal), fui desde logo informado que os nossos irmãos da Península eram agora detentores de mais dois assinaláveis (caso contrário não sendo obviamente notícia) Troféus: a nível do Turismo e da Doação de Órgãos sendo a Espanha o novo Vice Recordista Mundial (título referido ao ano de 2017).

 

No caso do Recorde registado na Área do Turismo e depois de no ano anterior (2016) a Espanha ter igualado os EUA (ambos perto dos 76 milhões), eis que no ano seguinte (2017) com os seus 82 milhões de turistas ultrapassando os EUA e colocando-se desde logo (em 2º) em perseguição do 1º lugar − a França − com perto de 90 milhões. E indo em busca de Portugal companheiro Ibérico com Espanha com para lá de 20 milhões e integrando o Top 20 (Mundial).

 

Já no sector da Saúde na seção da Doação de Órgãos não sendo apenas o Vice (como para já no Turismo) mas definitiva e claramente o Líder Mundial (em transplante de órgãos): no ano passado (2017) atingindo os 5259 transplantes (a maioria aos rins) ultrapassando o (seu) recorde anterior de 4818 (registado em 2016).

 

Com a percentagem de dadores sendo em Espanha de 47/milhão, bastante superior à norte-americana (27/milhão mais de metade) para já não falar na (média) europeia (20/milhão menos de metade). Em Portugal e tal como em Espanha (talvez uma virtude dos Ibéricos) com o número de dadores/transplantes a ser elevado (ainda há seis anos) com Portugal em terceiro com mais de 25/milhão (logo atrás da Croácia e atrás dos EUA).

 

E com a entrada de Portugal na Comunidade toda a gente sabendo ao que vinha a Europa: por um lado Hotelaria, Restauração e Serviços (mais para o Litoral sobrepovoado) e por outro, criação (de animais) e plantação de eucalipto (sobretudo).

 

2e75819a115f93f8663bb2d283085959_XL.jpg

Espanha ‒ Recorde em transplantes/doações de órgãos

 

E finalmente conjugando Turismo/Ocupação e Doações/Transplantes (duas áreas interessantes e em tudo compatíveis em edifícios e recursos) transformando-se esta ponta desta Península perfeita − com tudo para negociar e até o corpo a ceder (soando melhor doar) – no Paraíso do Rico (no fundo dos extraterrestre vindos das terras de fora) e ao invés (para nosso exclusivo usufruto) no Inferno dos Pobres (os pobres indígenas terrestres para sempre fixos no espaço e no tempo):

 

Transformando Portugal num chouriço à beira-mar (na verdadeira ação da palavra) plantado apenas por alguns (tal como em portas/janelas servindo para separar) para isolar/proteger a base do negócio (os clientes e o dinheiro) dos olhos e da inveja dos perigosos selvagens locais – com uma muralha correndo do extremo Norte ao Sul (de Caminha a V. R. St. António) de um lado tendo a Praia e do outro lado a Selva.

 

Pelo meio com uns interstícios um no Porto (capital do norte) outro em Lisboa (capital do sul) em guerra e imitando-se − subindo-se (o rio) indo dar-se a Espanha, descendo-se ao oceano e ficando mesmo sem querer (vejamos o Porto onde nasci) sendo submerso imediatamente por duas ondas (duplo impacto) e logo Gigantes: uma vinda do Porto outra vinda de Gaia e escorrendo violentamente pelas encostas cercando o Douro (como um Monstro desgovernado levando tudo à frente) caindo no leito do rio esmagando e destruindo (as Margens) enquanto pretensamente comemos e (sobretudo) bebemos.

 

E assim destruindo a Invicta e Vila Nova de Gaia (e o seu Coração e Motor, o Douro das vinhas e do Porto) para tal preferindo então (e recordando) o Palácio de Cristal (ou então em Lisboa a Feira Popular): no Verão nas férias grandes com muitas barraquinhas (de jogos, bonecos, surpresas), comida e farturas (ainda não conhecendo os churros com as sardinhas e as febras/frango à cabeça) e até carrinhos de choque, um lago (com barcos e patos) e mesmo um (mini) zoológico (até tendo um Leão) – ao fundo e lá em baixo com o rio e o casario (postal-retrato do Porto a mais bela janelinha para o Douro).

 

Na região do Algarve e com um único desígnio (proposto aos algarvios pelas auto denominadas Forças Vivas da Terra) a ser a Hotelaria/Restauração e o Imobiliário/Construção, com a maior esperança/ambição para as novas gerações, um dia ser Empregado/Rececionista/Diretor ou então Pedreiro /Pintor/Mestre-de-Obras (e áreas correlacionadas tradicionalmente muito mal pagas).

 

ALB.jpg

Marina de Albufeira

 

Transformando o nosso país num categorizado Hotel (de 6 ou mais Estrelinhas) com a capacidade extraordinária (nem todos se podendo gabar disso) de nele se poder doar (vender/comprar), aceitar (trocar, ficando um a ganhar e outro a perder) e transplantar (no fundo e legalmente tirar): isto porque neste país quem doa só mesmo estando (mal e) a delirar. O que interessa é sacar sendo solidário (somente) a roubar. E com os rins em geral a serem os mais procurados.

 

(imagens: SHUTTERSTOCK/GETTY/PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:03

09
Nov 11

Luminosidade e Vida

 

Tal como a luz pode indicar a presença de vida num determinado planeta, a sua ausência leva-nos muitas vezes a outros estados alternativos de pensamento e de reflexão, em que idealizamos um novo mundo mergulhado em mistérios e segredos, sempre pronto a proporcionar-nos uma nova aventura, num espaço novo de exploração.

 

Nesse sentido a passagem no próximo dia 8 de Outubro do asteróide 2005 YU55 perto do nosso planeta – passa mais perto de nós, comparando com a distância da Terra à Lua – representa um acontecimento difícil de repetir durante a nossa vida (e que emana muitas incertezas e expectativas no nosso percurso neste mundo estático e sedentário) o que pelo menos durante um momento, nos leva a sonhar e idealizar novos sistemas sustentados de vida, em que o Homem tenha um papel mais importante a desempenhar, do que simplesmente sobreviver e reproduzir-se.

 

Mas o que é um ET?

 

São todos aqueles seres que como nós partilham um Universo, percorrendo o espaço sem parar e deslocando-se de um lado para o outro, muitas vezes e como nós, sem reparar deliberadamente no seu vizinho. No entanto o espaço que ocupa continua a ser o mesmo, espaço esse que tem que ser visto como uma entidade superior, em que diversos órgãos complementares se sustentam em infinidade de células que se replicam.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:57

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18

23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Desígnio Ibérico

ET

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO