Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

23
Nov 16

O Universo não se pode limitar apenas a uma componente meramente física para se o tentar compreender (e absorver): não só porque tal seria uma contradição face à noção de Infinito (negando o impossível e até mesmo a utopia) mas até porque existindo fenómenos que ainda a desafiam (a física), estes apenas nos indicam (e não apenas sugerem) a presença de algo mais que uma mera Presença (sinalizada por nós em perceções e sensações) talvez primando pela sua Ausência – assim não se refletindo e propiciando cópias (sem nada terem a ver com o molde Original).

 

universe _a_matrix_computer_game_designed_by_alien

O Universo não se pode limitar (por definição ilimitado) a uma componente meramente física

Condicionado na sua (nossa) conceção pelos nossos órgãos dos sentidos (e suas perceções)

Podendo-se conceber o Homem como mais uma projeção condicionando o seu movimento às (suas) barreiras sensoriais – como um muro de uma prisão

 

A bold claim has been made by two leading scientists – they say that our brain is in fact a “biological computer”. What does it mean? It means that our consciousness is actually a program, which is driven by the main computer – our brain and it exists even when we die. So, how does this relate to the concept of the soul and its immortality? The two scientists say that when a human dies, his soul goes back to the universe. (explorerscode.com)

 

No guião do filme que repetidamente nestas últimas temporadas tem formatado as sucessivas gerações de seres humanos, constata-se que numa primeira fase do desenvolvimento desta espécie caracterizada por viver comodamente instalada num ambiente de circuito fechado, esta se revolta como se fosse induzida não como seria de pensar contra os limites externos impostos (para esta inexistentes por ainda misteriosos e incompreensíveis), mas ingenuamente ou como deliberado defeito de produção estrategicamente introduzido, contra os seus companheiros coabitando o mesmo espaço de vida: apesar de ser aí e com estes amigos comuns que mantem o metabolismo, reproduzindo-se e evoluindo (ou seja sobrevivendo). Uma atitude rebelde contra o obstáculo mais próximo, mais fácil de ser derrubado até pela curta distância: desenrolando-se num viveiro com regras e objetivos, antes mesmo da montagem e do início de produção. Numa atitude comportamental incorreta, posteriormente superada (por condicionamento e aceitação), mas mais tarde ressurgindo (como JC ressuscitando) e tornando-nos definitivamente senis (até pela nossa idade e desgaste irrecuperável) e mesmo religiosos – não aceitando a morte mas a nossa transformação: ou não fosse de uma forma inconsciente e com algo de verdade (até a Imaginação e o Sonho fazem parte da Realidade) que ansiamos por um filho para continuarmos presentes. Nas profundezas secretas da incrível memória humana talvez mais uma prova da existência da Alma: apresentando-nos este Universo infinito (Matéria + Antimatéria) e a sua Máquina interativa (numa conjunção de fenómenos eletromagnéticos) transportando-nos numa viagem para além dos limites físicos.

 

simulated_universe.jpg

A regulação, construção, manutenção e desconstrução das nossas células cerebrais (particularmente os neurónios) poderão ser da responsabilidade de microtúbulos

Respondendo instantaneamente a acontecimentos mentais para uma rápida mudança (e readaptação) da estrutura (envolvendo axônios, dendrites e sinapses)

 

The Quantum Theory of Consciousness is a concept developed by Dr. Stuart Hameroff and Sir Roger Penrose. This theory basically says that our soul is contained in the microtubules in our brain cells. A concept known as “Orchestrated Objective Reduction” is a process developed by the two scientists, in which they say that what is perceived as consciousness by us is actually a consequence of the effects of “quantum gravity” in our microtubules. According to this theory, when death happen the quantum state of the microtubules in the brain is lost, but the information is kept within them. (explorerscode.com)

 

Nenhuma Máquina por mais perfeita que a possamos imaginar (já nesse aspeto a limitando) poderá aplicar e concretizar o seu destino (físico), sem que num outro plano (de intervenção) ainda por nós não detetado (apesar dos sinais da existência de algo mais e já que tudo o resto continua depois de desparecermos) se introduza um outro parâmetro completamente alheio aos anteriores: que sendo-lhe interior também a envolva e ultrapassadas as suas inimagináveis dimensões (físicas) forme um todo e o pense em conjunto (como faz a mente/alma com o nosso corpo).

 

(imagens: theghostdiaries.com e ufo-blogger.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:26

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

Alma

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO