Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

31
Out 18

 

Albufeira

31.10.2018

Estado do tempo

Períodos de chuva/aguaceiros

Precipitação

Probabilidade de 100%

Temperatura atual

16⁰C (15:15)

Temperatura Máxima

17⁰C

Temperatura Mínima

9⁰C

Vento

Moderado de SE

Humidade

86%

 

[Furacão OSCAR.]

 

084500_5day_cone_no_line_and_wind.jpg

Evolução da Tempestade Tropical/Furacão

OSCAR

(imagem: noaa.gov)

 

Com uma outra grande Tempestade – Meteorológica – a deslocar-se esta quarta-feira (dia 31 de Outubro) para o nordeste Atlântico a uma velocidade de cerca de 35Km/h – o Furacão OSCAR de momento de Categoria 1 e com rajadas de vento podendo atingir máximos de V = 120Km/h – é de considerar que com a sua aproximação às costas do Continente Europeu (terminando a sua viagem entre as Ilhas Britânicas/a norte e a Islândia/a sul) possa a vir a influenciar a meteorologia em Portugal (ilhas e continente): passando ao largo do Continente mas nas proximidades da Madeira e sobretudo dos Açores. Segundo as previsões da NOAA com esta Tempestade Tropical – de momento um Furacão – a deslocar-se para nordeste até ao fim do próximo fim-de-semana (domingo 4 de Novembro) com ventos que poderão atingir mais de 170Km/h (sobretudo quarta e quinta-feira) descendo depois para os 60/120Km/h (diminuindo à medida que nos aproximamos de domingo). Dado o tempo que atualmente nos rodeia prevendo-se naturalmente a manutenção do mesmo, com chuva, vento e frio.

 

[Por Cá e mais a Sul.]Por Cá e mais a Sul.]

 

201810311200_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Imagem a infravermelho

31.10.2018 – 12:00

(EUMESAT/IPMA)

 

Já para o caso de Portugal e apesar da passagem da Tempestade Tropical/Furacão OSCAR pelas proximidades (sobretudo insulares) não tendo sido declarado nenhum Aviso Meteorológico (importante) para os próximos 3 dias: mantendo-se o tempo de chuva mas com diminuição na precipitação (alternando com céu parcialmente nublado), registando-se uma subida generalizada nas temperaturas (mínimas e máximas), com vento fraco a moderado (mais fraco que moderado) e temperaturas da água-do-mar variando entre os 14⁰C (a norte) e os 20⁰C (a sul). E no que diz respeito ao Algarve e à cidade de Albufeira (e seu concelho e zonas adjacentes) compreendendo os 5 próximos dias (desta quarta-feira a domingo), com o tempo a passar de períodos de chuva/aguaceiros para céu pouco nublado (com pouca precipitação), apresentando vento moderado (a fraco) e temperaturas do ar a subirem ligeiramente (3⁰C/5⁰C) – colocando nesses 5 dias as mínimas nos 9⁰C (hoje e amanhã) e as máximas nos 22⁰C (sexta-feira 2 de Novembro). E com a temperatura da água-do-mar a andar pelos 20⁰C.

 

(fontes e imagens: NOAA/IPMA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:22

22
Set 18

Mesmo terminado o Verão e com as boas condições meteorológicas a manterem-se (neste início do Outono) – convidando ao usufruto da praia e a um banho com excelentes temperaturas (da água) – sendo conveniente recordar as consequências do prolongamento da estação (quente e seca): na % de água nos solos, no Algarve (mas não só) muito em baixo.

 

mrrpe_agro.jpg

Percentagem de água no solo

(17 Setembro 2018)

 

Regressando ao IPMA e às suas previsões meteorológicas, constatamos que esta sexta-feira (21 de Setembro) e a poucos dias (ou horas) do fim do Verão (com o início do Outono marcado para as 02:54 de 23 de Setembro), o bom tempo se mantem com céu limpo (a sul) a parcialmente nublado (restante território continental) e temperaturas (do ar) oscilando entre os 12⁰C (mínima a norte) e os 34⁰C (máxima a sul): com vento fraco a moderado (este último mais a norte) e temperatura da água (do mar) entre os 17⁰C (na costa do Porto) e os 23⁰C (na costa de Faro). E com os índices ultravioletas sendo intensos (numa escala de 1 a 11) oscilando entre Elevado/6UV e Muito Elevado/8UV (valores típicos desta época do ano mas ainda mais perigosos devido à nossa maior exposição solar).

 

Com o último sismo registado em Portugal Continental (até 22 de Setembro) a verificar-se na passada quarta-feira (20 Setembro) com M0.6 de intensidade a NE de Monchique (na sequência de outros cinco de M0.9, M0.9, M0.7, M0.4 e M0.3 – todos irrelevantes – ocorridos desde 15 de setembro na mesma zona). Tudo normal (para a região do Algarve).

 

201809212300_msg4_msg_ir_atlan.jpeg

Atlântico a infravermelho

(21.09.2018 – 23:00)

 

Quanto à previsão meteorológica para os próximos dias agora que estamos apenas a dois (dias) do Equinócio de Outono (no Hemisfério Norte) – e no que diz respeito essencialmente à cidade de Albufeira – com o céu limpo e o vento moderado (a fraco) a manter-se e com as temperaturas (do ar) a subirem ligeiramente (uns 2⁰C/3⁰C estes próximos três dias/sábado, domingo e segunda-feira) para voltarem a descer (uns 3⁰C/4⁰C a partir de terça-feira). Com as mesmas a oscilarem (temperaturas do ar) entre os 18⁰C (mínima) e os 34⁰C (máxima) e com a temperatura da água entre os 21⁰C/33⁰C (quase transformando a baía num grande consomê). No fundo com todos os sinais a apontarem para uma extensão do Verão, para lá dos seus próprios limites (temporais) ultrapassando o Equinócio.

 

(imagens: ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:12

10
Ago 18

[Urgente para todo o Turismo Algarvio e sem necessidade de tradução]

 

Duas imagens registadas a norte da Avenida dos Descobrimentos (uma à esquerda da CGD outra à esquerda do KFC),

 

– Ambas apontando para o mar (uma para o Albufeira Shopping outra para o Hotel Brisa Sol)

 

IMG_3911.jpg   IMG_4100.jpg

Albufeira antes e a 8 de Agosto

(2018)

 

Onde é bem visível o contraste entre o cenário atmosférico de um dia habitual apresentando o céu bem claro e limpo,

 

E um outro registado (posteriormente) a 8 de Agosto com o céu de Albufeira encontrando-se agora parcialmente escurecido por espessas camadas de nuvens (de cor laranja-escuro e poluentes),

 

Oriundas do Incêndio de Monchique (num total ultrapassando os 20.000 hectares de floresta ardida).

 

(imagens: Produções Anormais)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:00

08
Ago 18

[Cartão Turístico do Algarve – Verão 2018]

 

iss056e127068.jpg

Com o incêndio de Monchique – a 6 de Agosto – ao centro da imagem

Wildfires near the southern coast of Portugal and the Strait of Gibraltar

(nasa.gov)

 

Como o comprova a imagem da última segunda-feira (6 Agosto) registada a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) incidindo (entre outras regiões) sobre a Península Ibérica (ao centro deste registo da ISS),

 

– E quando a ISS orbitava (a uns 400Km de altitude) ao longo da costa portuguesa –

 

IMG_4098.jpg

 

Pode-se observar claramente as densas nuvens de fumo espalhando-se pela atmosfera e dirigindo-se para o oceano Atlântico (uma oriunda das proximidades do Estreito de Gibraltar, outra tendo o seu foco na região do Algarve),

 

Originadas pelos violentos incêndios ocorridos nestes últimos dias no sul de Espanha assim como no de Portugal (neste último caso com o único foco – para já – a incidir em Monchique, mas atingindo desde já Portimão e sobretudo Silves):

 

IMG_4102.jpg

 

Um incêndio iniciando-se sexta-feira (3 Agosto) e logo sendo declarado controlado, para logo no dia seguinte (4 Agosto) se iniciar o Inferno (que se viu até hoje) atingindo o concelho de Monchique, de Portimão e agora de Silves. Já lá vão seis dias e com o incêndio aparentemente a alastrar.

 

Esta quarta-feira (8 Agosto) com os sinais do incêndio a chegarem aos céus da cidade de Albufeira, como sintoma da continuação do incêndio no concelho de Monchique e agora (como se já não bastasse) com o mesmo a projetar-se para um concelho adjacente (devido à ação dos fortes ventos e projeções) colocando-se a caminho da cidade de Silves.

 

IMG_4107.jpg

 

E ao fim da tarde de hoje dado o rápido avanço do fogo procedendo-se já ao abandono (obrigatório) da localidade de Enxerim (numa das entradas de Silves), num fogo cada vez mais parecendo incontrolável apesar dos 6 dias de luta, quase 1500 operacionais no terreno, cerca de 500 viaturas e uns 15 meios aéreos: pelos vistos insuficientes ou então mal comandados.

 

Para já com pouco mais de três dezenas de feridos, umas 200 pessoas deslocadas, já mais 20.000ha ardidos (o máximo nesta zona já atingido ultrapassando os 40.000ha); mas certamente com um espólio Natural destruído, dezenas de habitações queimadas e certamente (tendo-se iniciado já o prazo), centenas e centenas de pessoas direta ou indiretamente afetadas (algumas vezes para toda a vida) e com a vida interrompida.

 

(imagens: nasa.gov – Albufeira/08.08.2018/Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:10

02
Ago 18

“Graças à Volta a Portugal (em bicicleta) ganhamos finalmente um pequeno tapete novo (para carros), mas como contraponto perdendo quase um dia inteiro de vida (das férias sagradas de Verão).”

 

38191991_2048752988471236_5229551831717249024_n.jp

Volta a Portugal em Bicicleta

(1ª etapa/2 Agosto: Alcácer do Sal/Albufeira)

 

Com a madrugada desta quinta-feira (2 de Agosto de 2018) a registar temperaturas do ar na ordem dos 28⁰C e ao meio-dia atingindo já os 36⁰C (máxima prevista para hoje 38⁰C), pode-se dizer que o dia na cidade de Albufeira (pelo menos a partir das 10:00 quando saí para o Mercado Municipal) começou desde logo um pouco torto (para residentes e visitantes), com as vias de comunicação (virtuais e reais) em completo sobressalto e o subsequente caos instalado (nessas mesmas vias) um pouco por todo o centro (novo) da cidade.

 

Para além das temperaturas elevadas esperadas para estes dias do início do mês de Agosto (que se poderão estender mesmo para além deste fim-de-semana) na cidade de Albufeira (colocando toda a Península Ibérica em Alerta Vermelho sobretudo a sul), com a chegada da Volta a Portugal em Bicicleta (1ª etapa Alcácer do Sal/Albufeira num trajeto de quase 192Km) e a transmissão do programa (de entretenimento/de Verão) da RTP “Há Volta” a contribuírem ainda mais para a instalação da confusão (não só pelo repentino, explosivo e temporário aumento demográfico) e perda de paciência de alguns (como devido às temperaturas do ar por vezes excessivas por vezes insuportáveis).

 

201808021200_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Satélite/Infravermelho

(2 Agosto 2018 – 12:00)

 

E como se já não bastasse a grande confusão (nesta época do ano e talvez por tradição turística considerada normal) por aqui instalada – bem retratada na contínua e extrema confusão reinante (todos os dias de Verão) entre o Modelo-Continente e o seu adversário Pingo Doce (pelo grande número de visitantes dois dos Monumentos de referência da História da cidade) – e rodeando estrategicamente a Avenida dos Descobrimentos, com a cidade agora parcialmente partida ao meio (por uma das suas vias fundamentais e numa das suas principais zonas comerciais) por um período de 16 horas (06:00/22:00): apenas porque os Ciclistas têm a chegada marcada para pouco antes das 17:30 (hora do lanche) – isto ao Nível do Mundo Real. Já ao nível do (Mundo) Virtual sucedendo algo de semelhante nas suas Vias de Comunicação (pelo menos no MEO), com problemas de transmissão (lentidão e encravando) na sua rede por cabo: certamente não pelo calor nem por causa dos ciclistas.

 

Reconhecendo no entanto a importância da passagem da Volta a Portugal em Bicicleta pela cidade de Albufeira (pelo menos no que toca aos buracos e afins), com a aplicação de um novo tapete (de asfalto) precisamente entre os dois Monumentos ícones da cidade Capital (do Comércio e) do Turismo: faltando apenas (como em muitos outros locais, nesta altura ainda por pintar) as passadeiras. E já agora para os amantes do Ciclismo (as bicicletas não têm culpa, devendo-se preferir aos Tuk-Tuk) com a partida desta 1ª etapa (ontem tendo-se realizado o prólogo) a ser dada pouco depois das 12:30, já perto de Albufeira e descendo em direção ao sul (para quem quiser ver ao vivo) passando por Paderne (pouco depois das 17:00), pelas Ferreiras e finalmente entrando em Albufeira uns quinze minutos depois (pela Rotunda dos Descobrimentos vindo do Parque de Campismo).

 

E às 13:30 com Albufeira já nos 38⁰C.

(e menos de duas horas depois – 15:15 – felizmente já tendo descido para os 35⁰C)

 

(imagens: albufeira.pt e EUMESAT/IPMA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:05

01
Ago 18

“Dias de 40 graus e noites tropicais põem país em alerta”

(R. M. Costa/publico.pt/30.07.2018)

 

thumbs.web.sapo.io.jpg

 

Com o IPMA a apontar para amanhã (quinta-feira 2 de Agosto) temperaturas máximas na ordem dos 46⁰C (em Évora e com os UV nos 10 ou seja muito elevado) – em Albufeira um pouco mais fresco com a máxima nos 38⁰C (e UV nos 9 ainda muito elevado) – e no momento em que por aqui (cidade de Albufeira) a temperatura marca 31⁰C (15:15), os conselhos para a população (portuguesa) apontam para uma sua maior proteção (especialmente crianças e idosos), dado às elevadas temperaturas previstas (subindo repentinamente uns 5⁰C/10⁰C) – levando à desidratação – e o elevado índice de UV (raios ultravioleta) levando à excessiva exposição ao Sol (e aos perigos para a nossa saúde daí resultantes).

 

Prevendo-se para os próximos dias a manutenção das atuais condições meteorológicos – Céu limpo a pouco nublado, com temperaturas do ar entre os 17⁰C (Leiria/mínima) e os 46⁰C (Évora/máxima) e do mar entre os 16⁰C (a norte) /19⁰C (a sul) – assim como o nível de UV elevado (UV9/UV10) aconselhando a ir para a praia vestido, ao mesmo tempo que se verificará (estendendo-se progressivamente a todo o país) um aumento generalizado do risco de incêndio (evoluindo do interior para o litoral), dado o tempo seco registado, a possibilidade de ventos com maior intensidade e a reduzida percentagem de água nos solos: agora que se atravessa um período crítico (de incêndio) que se estenderá até ao fim de Setembro (segundo o IPMA).

 

1158570.jpg

 

“No distrito de Évora, os termómetros devem chegar nesta quinta-feira aos 45 graus. À noite, não devem baixar dos 21. Também a escaldar, estarão Vila Real, Coimbra, Castelo Branco, Santarém, Lisboa, Portalegre, Setúbal e Beja. Todos com mais de 40 graus de temperatura máxima o que explica o alerta laranja — situação meteorológica de risco moderado a elevado — lançado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).”

(R. M. Costa/publico.pt/30.07.2018)

 

Debruçando-nos sobre Albufeira e olhando (segundo as previsões do IPMA) para os dias que aí vêm, projetando-se 7 dias (de 2 a 8 de Agosto) com Céu bem limpo e vento moderado (de S ou de SE), subida (durante 3 dias) seguida de descida (durante 4 dias) das temperaturas mínimas – até se ficar pelos 23⁰C – e com as máximas a atingirem um pico (38⁰C) descendo nos dias seguintes (até 34⁰C/33⁰C) em cerca de 4⁰C/5⁰C: passando assim a acompanhar o cenário da Onda de Calor Europeia (estendendo-se a todo o Hemisfério Norte) e tal com estes suando (“como um porco”) e asfixiando. Pelo que se deve beber mesmo muito (nada de Álcool ou Refrigerantes) e evitar longas exposições ao Sol (secando-nos e mumificando-nos).

 

Pelas 20:00 com o ar atmosférico rondando os 28⁰C (menos 3⁰C passadas menos que cinco horas) preparando-nos certamente para a quinta-feira (de calor intenso) que aí vem.

 

(imagens: sapo.pt – publico.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:01

20
Jul 18

Enquanto pela região do Algarve o calor aperta cada vez mais (no período diurno mas arrefecendo no noturno) apesar da água do mar (segundo os banhistas) continuar um pouco fria (frio seria se estivessem numa praia a norte ou então numa praia fluvial),

 

heat-wave.jpg

Depois das inundações e desabamentos de terras provocadas pela elevada precipitação e originando mais de 200 mortos/desaparecidos (e enquanto ainda decorrem os trabalhos de recuperação no terreno), uma grande onda de calor envolve no presente o arquipélago do Japão (tendo para já provocado mais de trinta vítimas mortais)

 

‒ Confirmando que a estação do Verão já chegou mas que quanto a condições meteorológicas ainda não se consolidou (depois da nova ascensão de destinos turísticos tradicionais ‒ como o Egito, a Turquia e a Tunísia ‒ sendo as condições de tempo um pouco instáveis, a justificação para uma queda de cerca de 10% na ocupação turística na região)

 

[Mas mesmo assim proporcionando a ida à praia (e a um banho no mar)

E a um dia de férias (de Verão) bem passado]

 

Noutras partes do Globo terrestre, ainda localizadas no Hemisfério Norte,

 

Onde igualmente se atravessa a estação do Verão e onde simultaneamente reside a esmagadora maioria dos mais de 7,5 biliões de indivíduos, integrando a Sociedade e a Civilização (centrado no Sol e dita única) dominando o planeta Terra

 

As condições meteorológicas parecem estar invertidas (ou deslocadas no tempo e/ou no espaço) ou então caoticamente instaladas (sendo o caos um dos mais ativos complementos da ordem):

 

Como na Suécia e no Japão (respetivamente).

 

Dois mercados a serem explorados devido ao seu forte potencial turístico (países ricos e com muitos dos seus nacionais ‒ devido à Globalização de mercados ‒ a movimentarem-se e ao mesmo tempo a investirem),

 

[Com Portugal se não quiser optar e prosseguir com a sua Monocultura Turística (baseada numa Válvula de Segurança incompreensível e exclusivamente de origem Inglesa e por muitos países do sul utilizada alguns deles já com trágicas consequências) ‒ e desse modo deixando de ser uno dependente não arriscando o Suicido certo do Setor (e de muitos outros associados como o do Imobiliário e o da Construção Civil) ‒ a ter que se decidir rapidamente ficando na Europa e a Grã-Bretanha fora dela.]

 

‒ De momento com um registando temperaturas elevadas e com Incêndios (Suécia) e com o outro vendo-se perante Extremos Meteorológicos (Japão):

 

20-arctic-circle-fire-sweden.w710.h473.jpg

Com uma onda de calor fora do normal afetando não só o Japão como a Suécia e neste último território (do continente Europeu) e apesar da sua proximidade com o Círculo Polar Ártico (e com o Polo Norte), com cerca de cinquenta fogos declarados e com as temperaturas (máximas) perto dos 40⁰C; e atingindo igualmente toda a Escandinávia

 

Na Suécia com as temperaturas registadas a serem superiores em mais de 10⁰C às normalmente observadas por esta época do ano (meados de Julho),

 

‒ Nesta região do Círculo Polar Ártico chegando a ultrapassar os 30⁰C ‒

 

E conjuntamente com outros fenómenos (interligados) como a seca, os relâmpagos e até a neglicência humana, proporcionando um espetáculo não muito usual de se ver (e nada agradável) quando a caminho (e cada vez mais perto) do Polo Norte;

 

Já no Japão um arquipélago situado no sul do continente Asiático (Ásia Insular), sobre a parte norte da ferradura constituindo o Anel de Fogo do Pacífico (a região geologicamente mais ativa da Terra com os seus sucessivos e inúmeros sismos/tsunamis e vulcões/e respetivas erupções) e visivelmente exposto (como pedaço de terra no meio de um imenso oceano) a todo o tipo de condições meteorológicas oriundas do mar,

 

‒ E com o seu território a sudoeste a ser o mais violentamente atingido (depois de sismos intensos, seguindo-se grandes inundações e desabamentos de terra)

 

Agora a ser submetido,

 

‒ Depois de um período de grande precipitação/inundações provocando mais de 200 mortos/desaparecidos e um prejuízo na ordem dos 2,4 biliões de dólares ‒

 

A uma Onda de Calor bastante intensa (ainda com o Ecossistema num caos, com vítimas por encontrar e com as doenças a alastrarem) reclamando já mais de três dezenas de vítimas mortais (e hospitalizando mais quase centena e meia) e registando temperaturas superiores a 35⁰C (em Tóquio com uma máxima nos 40⁰C).

 

Na sequência (como noticiado antes) de um Evento Atmosférico ‒ tornado normal (Banal) pelas coordenadas:

 

“The heatwave is a setback for communities trying to recover from flooding and landslides caused by record rainfall in western Japan this month. At least 218 people died in that disaster and 12 remain missing.”

(Daniel Hurst/theguardian.com/20.07.2018)

 

cataplana2.jpg

Em Portugal particularmente na região do Algarve e mais concretamente em Albufeira (a autoproclamada Capital do Turismo Algarvio), com a serra, o mar e a praia a unirem-se ao Sol e à Gastronomia (e á Cataplana de Peixe) promovendo a região (se possível) em todos os campos organoléticos (impressionando agradavelmente os sentidos)

 

Em Albufeira pelas 18:45 (locais),

 

De sexta-feira dia 20 de Julho de 2018 ‒

 

Com a temperatura do ar a apontar os 24⁰C (mínima 18⁰C/ máxima 31⁰C), com céu limpo e vento moderado (UV 9/muito elevado) e com a previsão meteorológica a indicar para os próximos dias (9 dias) céu geralmente limpo por vezes (não muitas) pouco nublado, sem previsões de precipitação (nos 0%) e com as temperaturas a oscilarem entre os 16⁰C (de mínima) e os 33⁰C (de máxima) ‒ com ambas a descerem muito ligeiramente (1⁰C, máximo menos de 2⁰C).

 

Sismologicamente falando com a última ocorrência na região (do Algarve) a dar-se a 19 de Julho (com um sismo de M1.3 registado a SE de Albufeira e com epicentro a 18Km de profundidade),

 

‒ Ontem à noite (quinta-feira), não sentido e sendo irrelevante

 

E com o último (sismo) em Portugal continental a ocorrer hoje (sexta-feira início de mais um fim-de-semana) com um sismo ainda menos relevante (M0.7) mas ocorrido do outro lado do Tejo que não Lisboa: a sul do mesmo em Almada.

 

(imagens: naijaheadlines.com ‒ Mats Andersson/AFP/Getty Images/nymag.com ‒ barlavento.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:54

06
Jul 18

Enquanto em Albufeira se ia para a praia e se tomava banho no mar (já com o tempo bom para pôr umas sardinhas a assar), no sudoeste de França sob a iluminação de sucessivos relâmpagos, sob rajadas de vento e intensa precipitação (mesmo sob a forma de bolas de granizo, tal e qual como fossem bolas de golfe) o que se procurava era refúgio e um pouco de proteção: dado o estado do tempo (extremo como se fosse Inverno) já em pleno Verão.

 

36682084_2267789473444141_8483267386986725376_n.jpDhU8GnPXUAA0uKZ.jpg

Bola de granizo (d = 7cm) a 4 de Julho ‒ Departamento de Charente

E nuvens formando ondas (em movimento e em forma de arco) a 5 de Julho ‒ Limoges

 

Na sequência da Tempestade Meteorológica que esta quarta-feira (dia 4 de Julho) atravessou o sudoeste da França (oriunda da cordilheira dos Pirenéus), o território francês alcançou (nesse dia) um novo record no que toca à ocorrência de Fenómenos Atmosféricos Extremos ‒ neste caso envolvendo descargas elétricas (relâmpagos acompanhados dos respetivos efeitos sonoros os trovões):

 

Em 24 horas produzindo-se 36 605 relâmpagos (mais de 25 por minuto), batendo o anterior record estabelecido (curiosamente e na altura já sendo um indicativo do que poderia ainda aí vir) há pouco mais de um mês (em 28 de Maio) com 33 841 descargas elétricas.

 

Quando num período de 4 dias (1 a 4 de Julho) o território francês se viu submetido a um total de cerca de 87 000 descargas (elétricas): no dia 4 (de Julho) e só no sudoeste (de França) ‒ ou seja num único dia ‒ dando-se mais de 42% dos relâmpagos.

 

DhVC-r_X4AAQdJM.jpg large.jpg

Com mais de 87 000 relâmpagos em território francês e em apenas 4 dias (1/4 Julho)

E num só dia (4 Julho) no sudoeste de França com mais de 42% dessas descargas (elétricas)

 

E com as 87 000 descargas (em apenas 4 dias) a serem mais de metade do habitualmente registado durante todo o mês de Julho (Verão).

 

Na avaliação da passagem pelo sudoeste de França desta Tempestade de Verão (felizmente dirigindo-se para leste no sentido contrário ao da Península Ibérica) para além das inúmeras descargas salientando-se o vento forte (com rajadas súbitas de 80Km/h a 130Km/h) e a chuva intensa (com queda abundante de bolas de granizo), provocando a destruição de casas (e outras infraestruturas), de carros e de colheitas (em certos casos na altura de colher/plantar):

 

Uma situação cada vez mais vulgar de se observar (um pouco por toda a Europa), com casos muito semelhantes a estes (meteorologicamente repentinos, temporários e extremos) a ocorrer em Portugal (numa dimensão mais reduzida e afetando espaços de menor dimensão, mas inevitavelmente ‒ mais um sinal agora local ‒ com consequências mais limitadas mas em tudo idênticas).

 

36613345_2267193516837070_4503850350381367296_n.jp

Danos provocados pela queda de granizo (dimensão bola de golfe)

Ocorrida a 4 de Julho no departamento de Charente (França)

 

Algo que poderá ocorrer de repente e em qualquer local aqui por perto (mesmo na região do Algarve), durante dias com temperaturas elevadas (30⁰C/35⁰C) e tempo algo húmido ‒ convidando-nos para uma ida até à praia ‒ e subitamente vendo-se sob uma intensa Tempestade (típica de Verão) com relâmpagos e forte precipitação (líquida os sólida sob a forma de granizo).

 

Para já e para o Algarve (e obviamente para Albufeira a Capital Turística da região) não existindo ainda sinais (pelo menos que sejam evidentes para os leigos) de tal comportamento climático, prevendo-se mesmo para a semana (iniciando-se a 9 de Julho) a subida das temperaturas máximas.

 

(imagens: Météo-France/watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:37

04
Jul 18

Com a França de momento (dia 4 de Julho de 2018 e já na estação do Verão) em Estado de Alerta e já sob uma grande tempestade meteorológica,

 

‒ Segundo as previsões (e atuais constatações) afetando sobretudo o sudoeste francês ‒

 

title-1530722123.jpg

Com a região mais afetada situando-se no sudoeste francês,

(mesmo colada aos Pirenéus)

 

Colocando 28 dos seus 96 departamentos continentais (e europeus) no Nível Laranja/3 (nível intermédio entre o amarelo/2 e o vermelho/4, partindo do nível sem nenhuma previsão meteorológica de risco o verde/1),

 

‒ Ou seja quase 30% do seu continente europeu ‒

 

A Meteorologia francesa prevê (para o seu território) depois de um longo período de grande humidade e de intenso calor tendo assolado anteriormente o país (ainda na Primavera),

 

‒ Com temperaturas a ultrapassarem os 30⁰C ‒

 

A passagem de uma grande tempestade (podendo-se estender mais ou menos no tempo) com descida de temperatura, vento forte e trovoadas (e queda de granizo):

 

Tendo como origem os Pirenéus, deslocando-se para nordeste e atingindo a França (a sudoeste),

 

860_grele.jpg

Queda de Granizo na comuna de Soumulou/Pirenéus

(Laurent Etchamendy/4 Julho 2018)

 

E deixando para as outras (a oeste) as margens e os seus (da tempestade) pequenos (e colaterais) efeitos.

 

(sendo o caso da Ibéria e da sua ponta em Portugal ‒ e sendo assim no Algarve)

 

- Em França já depois da chegada da tempestade e da colocação de mais 3 departamentos em Alerta Laranja (e já em pleno Verão continental),

 

Com chuva intensa caindo sobre todo o sudoeste do seu território acrescido de forte queda (em certas regiões) de granizo (um fenómeno mais típico de outra estação que não o Verão).

 

Levando as autoridades francesas a manterem o alerta anteriormente declarado,

 

Podendo a mesma tempestade ser acompanhadas por fortes ventos e trovoadas (precedidas das respetivas descargas elétricas, os relâmpagos) e a outros contratempos (entre eles sociais como os de proteção/segurança) a estas condições climatéricas associados.

 

870x489_20180703_1510170.jpg

Inundações devidas a intensa precipitação na comuna de Quetinhy/Dijon

(Stéphanie Perenon/Radio France/4 Julho 2016)

 

- Já em Portugal e no Algarve particularmente em Albufeira (baseando-nos em dados fornecidos pelo IPMA),

 

‒ Às 17:00 do dia 4 de Julho de 2018 (quarta-feira), com o céu apresentando-se parcialmente nublado e com a temperatura do ar a registar 25⁰C

(sem precipitação, com vento moderado e com humidade nos 43%)

 

Com a previsão a apontar para os próximos dias (5/6/7/8 de Julho a caminho e incluindo o próximo fim-de-semana),

 

Céu pouco/parcialmente nublado (por vezes por nuvens altas) e sem previsões de precipitação (0%),

 

Acompanhado de vento moderado (sobretudo de Norte) e temperaturas do ar oscilando entre um mínimo de 16⁰C e um máximo de 32⁰C (mantendo-se as mínimas e subindo as máximas).

 

Diferente (a previsão da meteorologia francesa/sudoeste de França, comparando-a com a portuguesa/sul de Portugal) como do Dia para a Noite.

 

(imagens: lalsace.fr ‒ francebleu.fr)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:52

26
Jun 18

“Pelas 18:00 em Albufeira com a temperatura a indicar 24⁰C, com céu limpo e vento moderado, mas com índice ultravioleta muito elevado (UV10):

“Aconselhando a ir-se vestido para a praia”.

 

IMG_3122.jpg

 

Com a meteorologia nos últimos dias e pela região do Algarve a proporcionar-nos uma entrada de Verão um tanto ou quanto fora do habitual para esta altura do ano (no Hemisfério Norte),

 

‒ De dia com calor apesar do céu estar por vezes um pouco encoberto, de noite arrefecendo um pouco mais do que o normalmente esperado e no geral com o estado do tempo sendo acompanhado por uma ligeira descida nas temperaturas (segundo as previsões a acentuar-se nos próximos dias)

 

Mas apesar de tudo podendo-se desde já afirmar ter-se iniciado a Época Alta (pelo menos a Sul do rio Tejo),

 

‒ Ou não fosse o crescimento turístico (em números), os passeios e as idas à praia (apesar da água ainda fria), os caracóis e as sardinhas assadas (infelizmente não tão saborosas como no passado) e o caos orgânico e muitas vezes tornado tóxico (devido aos vapores inebriantes) da vida noturna

 

Em certas regiões do Continente Europeu (focando-nos essencialmente no seu lado Ocidental) integrando igualmente o Hemisfério Norte,

 

‒ E tendo recentemente (e igualmente) entrado na estação de Verão ‒

 

Em vez de se pensar estar nessa mesma estação (a mais quente do ano e por esse facto utilizada pela maioria das pessoas para fazer férias) e face à Meteorologia nesses locais apresentada (com frio, vento e até queda de neve),

 

Podendo-se imaginar estar noutro Tempo ou noutro Espaço que não aquele onde atual e efetivamente vivem:

 

Neste caso com uma inesperada onda de frio a invadir a Europa oriunda da Escandinávia (Europa Setentrional ‒ Dinamarca/Suécia/Dinamarca) atravessando o Centro-Este da Europa e a região dos Balcãs.

 

IMG_3123.jpg

 

Ainda ontem (segunda-feira, 25 de Junho) com uma onda de ar frio a atravessar partes da Europa (sentindo-se sobretudo ao anoitecer e ao amanhecer),

 

Atingindo a região dos Alpes com queda de 20cm de neve (já tendo a 21 entrado no Verão), provocando a descida das temperaturas em relação às normais (para esta Estação do ano) e posteriormente deslocando-se (no seu movimento) para leste: atingindo países como a Áustria, a Eslovénia, a Itália, a Polónia e muitos outros do Centro-Este da Europa (sobretudo com frio, neve e até com uma tromba de água).

 

Quando pelo Algarve e certamente por estarmos numa das pontas mais ocidentais do continente Europeu,

 

‒ O Cabo de São Vicente ‒

 

E tão próximos do estreito ligando a África à Europa,

 

‒ O Estreito de Gibraltar em tempos remotos sendo um Arco separando o Mediterrânico do Atlântico

 

Usufruindo-se já de tudo, o que a Natureza e o Dinheiro podem oferecer (turisticamente falando).

 

Com o IPMA a prever para os próximos dias na cidade de Albufeira (até sexta-feira dia 29) céu limpo a pouco nublado, temperaturas variando entre os 15⁰C de mínima e os 31⁰C de máxima (com ligeira descida nas máximas) e vento moderado.

 

E só para nos deixar Marafados talvez chovendo no fim-de-semana (sábado 30 de Junho com probabilidade de 75%).

 

(imagens: Produções Anormais)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:40

Novembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO