Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

27
Ago 19

“Numa aplicação da teoria da TERRA QUEIMADA – destruindo, arrasando e aproveitando para Algo e/ou Alguém ser beneficiado – podendo ter origem na China e consistindo na queima das colheitas (casas, transportes, comunicações, indústria, incluídas) para não deixar o inimigo alimentar-se, sobreviver: e com o inimigo a poder sermos nós.”

 

tumblr_ntcrlnnqN11tcav4fo1_1280.jpg

Albufeira nos anos 50/60

Pelas ruas da vila de pescadores

(arturpastor.tumblr.com)

 

Antes do mais e pela atualidade (nesta altura de férias e talvez devido à SILLY SEASON, promovendo os “fazedores-de-opinião e críticos” do Estado), sendo conveniente de salientar que o se passa nesta Região do ALGARVE − “ao longo de muitos anos, de uma forma irreversível, mas intervindo utilizando técnicas SOFT” e  afetando o HOMEM – é em tudo semelhante (apesar de Local) ao que se passa (enchendo de momento todos os órgãos de Comunicação Mundial) no Brasil mais especificamente na SELVA da AMAZÓNIA e afetando de uma forma HARD  (pelo curto espaço de tempo e extrema intensidade) a NATUREZA (a nível Global). No caso da proliferação dos incêndios na Amazónia (quase o dobro do ano passado) tratando-se de um problema sem solução, já que sendo o Brasil o perpetrador, sendo o financiador e o crítico (desse crime) o mesmo: os EUA e os seus parceiros da Europa. E no caso do Algarve terá o mesmo solução?

 

Substituindo-o radicalmente

(o DESÍGNIO PATRIÓTICO,

na fase anterior e dado o abandono desse território,

de facto, nunca tendo existido)

E “aplicando-o como um novo Filão-de-Ouro

 

− Em nome “do Progresso e do Desenvolvimento Turístico Algarvio” –

 

tumblr_pvxuhwrs391tcav4fo1_1280.jpg

Albufeira nos anos 50/70

Praia dos Pescadores

(arturpastor.tumblr.com)

 

Permitindo progressivamente o abate “da Cultura e da Memória das Gentes do Sul de Portugal” e logo na sua mudança de objetivos (feita a transição e introduzindo-se numa nova Fase) a sua substituição por uma “Nova Cultura Espetacularmente Intrusiva”, parasitária, irreversível e só podendo mesmo ser substituída (numa outra Fase) por “Algo Ainda Pior”: como por exemplo reconvertendo a Indústria Hoteleira da Região e aplicando-a agora como base (fundadora) dos futuros estaleiros e outras estruturas de apoio (servindo de alicerce) às plataformas marítimas e à “Indústria do Gás e Petrolífera”. Como se vê (para não criar ondas e rivalidades entre diferentes sectores de investimento) mantendo-se até sobre a jurisdição dos mesmos organismos, como o Ministério da Terra e do Mar.

 

E em cerca de duas Gerações (tomando como referência a descoberta do Algarve pelo Governo português, concretizado ainda durante o Antigo Regime) destruindo-se completamente o sector Agrícola e o sector das Pescas Algarvio (ficando um pequeno recanto, para o financiamento dessa exploração − agora especializada e com entrada no Mercado Turístico − por parte dos novos residentes-investidores estrangeiros), de lá retirando “o Agricultor e o Pescador” como imagem e HISTÓRIA de um Povo e de uma Região e lá colocando em sua vez (e marginalizando de diversas formas o Algarvio, se não já desterrado e desprovido das suas raízes, sendo ainda um sobrevivente, mas dito por especialistas como desadaptado, condenado), de um lado o TURISTA e do outro o seu CRIADO (mas agora especializado):

 

E desse modo em nome do “Progresso, da Economia e das Finanças (no fundo e só do “Dinheiro de Alguns”, esquecendo as suas Gentes, a sua Cultura e a sua Memória, os seus valores), substituindo (para nossos pecados como católico-romanos que dizem sermos) por exemplo (para desgraça da memória dos seus antepassados, aqui tendo trabalhado e vivido, ao mesmo tempo que  iam sofrendo sozinhos e sem apoio − dado o abandono desta faixa estreita e então longínqua do sul do país, pelo Estado)

 

− E não dando muitos exemplos (apenas 4) para “não ficarmos com água na boca, para logo de imediato e com receios de origem organoléticos, a mesma secar” –

 

BLUELIFE22 015.jpg

Albufeira nos anos 70

Vendo-se na baixa o jardim central

(algarve-old-images.blogspot.com)

 

Evolução Gastronómica no Algarve

(Entre o Antes e o Depois)

 

De Substituição

(mesmo na apresentação e no preço, substituindo não só a comida por uma sua redução e o prato de carne/peixe pelo prato de sobremesa, como tornando-o “gourmet” subindo-lhe o preço dessa “espuma dos dias”, injustificada e exponencialmente)

Antes

(da chegada dos camones)

Depois

(da chegada dos camones)

Uma amarguinha (como poderia ser em alternativa um medronho) e um doce fino (ou um arrepiado),

Por umas panquecas, um pudim, uma fatia de bolo ou uns scones, acompanhados por uma cerveja (ou um whisky);

Uma refeição de Polvo Assado com Batata Doce de Aljezur (como poderia ser uma Cataplana de Peixe e Marisco),

Por um prato de Fish & Chips;

 

Um prato de Caracóis com Orégãos,

Por umas salsichas, uma torta, uma tarte ou uma sandwich de carne (e acompanhamentos);

Ou ainda uns figos ou umas laranjas, umas azeitonas, umas alfarrobas ou a Flor de Sal Marinho, ou então até um Dom Rodrigo ou ainda as sardinhas algarvias,

Por (alargando o espectro a outras nacionalidades) e sendo holandês, um prato de arenque cru c/ cebolas e pickles, com um waffle como sobremesa; sendo alemão podendo-se optar pelo Wurst (salsicha), terminando com um folhado de maçã.

 

Na prática e implementação de um crime-perfeito (logo tornado e sendo legal) mas que mesmo que sendo feito (segundo as Autoridades) e concretizado em nome do desenvolvimento e do progresso (Económico-Financeiro) da Região (do Algarve), apenas tendo beneficiado (desde há mais de meio-século) uma minoria (ligado à Hotelaria & Restauração e à Construção Civil/Sector Imobiliário) nem sequer ligada à região (ingleses, nacionais/em fase de transição e agora asiáticos) e sem nenhum objetivo comum ligando o Passado-Presente-Futuro (desta comunidade regional), assim cumprindo (“Distorcendo-a”) uma linha sempre contínua ditada pela nossa presença neste tão curto Espaço-Tempo a todos nós (e sem exceção) disponibilizado (ou devendo ter sido obrigatoriamente distribuído), mas (e como se vê apenas olhando em nosso redor) não o tendo sido por estrangulamento cultural e adoção de uma monocultura exclusivamente direcionada (pegando aqui e ali nalguns dinossauros-ainda-vivos ou já fósseis) para o Turismo.

 

albufeira1-800x360.jpg

Cidade de Albufeira hoje

Completamente adaptada ao Turismo

(www.clickandgo.com)

 

Direcionando toda uma região (não será toda uma ou mais gerações e simultaneamente um País?) e os anseios dos nossos filhos, para serem “criados ou pedreiros”, no máximo prestadores de outros serviços correlacionados maioritariamente com a área e o seu sector de controlo e de manutenção (do Esquema/Sistema) − como economistas, advogados, médicos, professores, etc. todos eles importados alguns do estrangeiro (não sendo culpa destes, por ocuparem um lugar vago) dada a extinção da espécie, os ALGARVIOS. E depois da 1ª Espada sobre a Cabeça do Algarve e dos Algarvios − a “Muralha Imobiliária” colocada entre o Mar e a Serra, alienando um (o Litoral) do outro (do interior) – podendo-se seguir uma outra muito mais assertiva e definitiva:

 

Com a 2ª Espada sobre a Cabeça do Algarve/Algarvios (neste último caso e dada a extinção dos originais, os sucedâneos) aproveitando a experiência e as edificações anteriores a ser dirigido então para a Exploração do Mar (sugada a terra até ao tutano), servindo o já construído como Estaleiro e outras estruturas de apoio às Plataformas e Exploração de Gás e Petróleo (sendo pois uma profissão de futuro, até para os especialistas e fabricantes de doutores desempregados − oportunistas existindo em todos os lados, “sejam manuais/de mãos ou mentais/de cabeça” − um curso multidisciplinar e inserido nas áreas do Turismo e do Petróleo).

 

Portugal-Invasion-festival-in-Albufeira-sees-riot-

Albufeira em 2017

Violência e som de tiros na Av. Sá Carneiro Rua dos Bares na Oura

(J Ramos/Facebook.com/mirror.co.uk)

 

[Para no decurso destes ciclos infernais, olhando apenas para o lucro (OBJETOS) e desprezando as pessoas (SUJEITO) – e aí sendo nós corresponsáveis, por não nos prevenirmos e aos nossos filhos – surgirem tristezas tremendas e definitivas (trágicas pela idade e pela injustiça) como a da recente morte de um jovem de Paderne (Albufeira), ocupando os seus tempos-livres (entre outras atividades sociais como  na Banda Musical e Recreio Popular de Paderne) trabalhando num espaço em princípio aberto, público ou privado mas obrigatoriamente (por Lei, cumprindo-a, sendo fiscalizado) seguro: mas não o sendo e provocando − mais uma vez e certamente sem culpados (não se podendo acusar apenas o outro jovem envolvido, como se tudo o resto em torno dele nada valesse e tal como pretende a Extrema-Direita, sabendo-o de cor negra) − uma nova vítima mortal.]

 

(imagens: as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:04

03
Ago 19

[Albufeira no Mundo da Praia, do Sol e do Álcool − seguindo os critérios da moral e da conduta norte-americana/ocidental − cada vez mais próxima de se integrar na "New Silk Road", segundo a China "numa tentativa de melhorar a conectividade regional e abraçar um futuro mais brilhante" (wikipedia.org): migrando a sede da "Coisa", de Washington para Pequim.]

 

alkoholexzesse-albufeira-yutacar-1024x680.jpg

No respetivo Menu Turístico com a bebida (alcoólica) a estar incluída no pacote de viagem e com o consumo a iniciar-se logo ao embarque, até à chegada aos alojamentos (e aí prosseguindo em ritmo de cruzeiro)

 

Com o magazine alemão ALGARVE FÜR ENTDECKER (o “Algarve para Descobridores”) deste sábado (3 de agosto), a apresentar-nos ALBUFEIRA (a proclamada “Capital e Pérola Turística” da Região do Algarve) como a tipicamente portuguesa “Cidade da Bebedeira” de praia (obviamente com Sol & Mar): e referindo-se aos

 

BRITÂNICOS

(de longe o maior e mais contributivo contingente turístico)

 

“E à imagem pelos mesmos deixada, sem intervenção das autoridades e manchando a região”

 

Falando de menores de idade (menores de 16 anos) caídos de bêbados nas ruas, de garrafas de vidro e vómitos espalhados pelas mesmas (dando-lhes um aspeto sujo e impróprio) e do caos e ineficácia da intervenção das autoridades (para além da falta de preparação da GNR) na resolução destes casos (e problemas mais graves podendo envolver agressões e vítimas neles originados), com impacto Negativo e influência direta na variação do fluxo turístico, desta região turística (dita nacional e internacionalmente de TOP) do Sul de Portugal:

 

briten-albufeira-nackt-bar-facebook.jpg

Promovendo-se a venda do álcool de uma forma descontrolado e levada ao extremo (intoxicação por consumo excessivo, podendo mesmo levar ao coma alcoólico e à morte)

Chegando-se a imagens impróprias (como esta) registada em Albufeira

 

Neste ano de 2019 com o fluxo turístico no Algarve (e em Albufeira) a registar uma queda (em números de visitantes e receitas) bem visível, com as caraterísticas dos contingentes turísticos a mudarem na forma (organizando-se em grupos), no conteúdo (objetivo da viagem, “descansar ou explodir”), mas sobretudo na idade (mais novos) e na origem (com os ingleses a serem substituídos por espanhóis e franceses) − todos eles gastando na região menos dinheiro.

 

Tudo motivado pelo (o único responsável até agora detetado) consumo excessivo de ÁLCOOL. Sem controlo do vendedor, sem controlo do comprador e sem controlo (sendo pelos vistos, todos vítimas inocentes) de todos os intermediários, na organização (legal) desta grande Festa de Verão. E nada se fazendo até para não incomodar o Turista (o Cliente) − nem sequer existindo um código mínimo de conduta, por exemplo promovido pela CMA e pelo seu Presidente – tudo se mantendo mas (infelizmente) num ambiente (sucessivo de queixas) nada tranquilo. Nem sendo necessário sequer ser radical e como solução expulsar os Britânicos, até porque pelos vistos serão eles (com o BREXIT) a tomar a iniciativa. E então e aí se verá, o que será o futuro do Algarve − ainda hoje maioritariamente Britânico.

 

(imagens: yutacar − privada)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:24

01
Ago 19

[Meteorologicamente falando e para os próximos dias prevendo-se para Albufeira uma estabilização das temperaturas do ar, com as mínimas a andarem entre os 16°C/29°C e as máximas entre os 32°C/35°C − significando uma amplitude térmica podendo atingir um máximo (elevado) de 19°C (já esta sexta-feira). Geralmente com o céu limpo, mas com o decorrer dos dias podendo passar a nebulado e apresentando vento moderado N ou NW. E mantendo os índices ultravioletas elevados (UV9 para este fim-de-semana). A nível sismológico com o sismo mais relevante sentido em Albufeira nos últimos 15 dias, a registar-se a 27 de Julho, a SW de Albufeira, a 25Km de profundidade e com uma magnitude M1,1 (não sentido e pouco passando da 1 da madrugada).]

 

PIA23129.jpg

Galáxia NGC 5866

(de diâmetro 60 mil anos-luz − pouco mais de metade do diâmetro da Via Láctea − e distando da Terra 44 milhões de anos-luz)

 

Contrariando a maioria estando refugiado em casa (em vez de estar na praia), protegendo-me da luz intensa e das queimaduras solares (índice elevado de raios ultravioleta), vou deixando tranquilamente que as horas passem (na escuridão do quarto e entrando alguma luz pelas persianas), até que o Sol caia mais um pouco no horizonte (possibilitando o aparecimento de maiores sombras) e me possibilite sem risco de insolação ou de asfixia (por ação de algum choque ou golpe inesperado de temperatura), a transição para o meio ambiente exterior (essencialmente para a aquisição de alguns produtos necessários para o nosso dia-a-dia).

 

Meio Ambiente tornado mais agressivo (afastando-se da média climática, aqui sobretudo moderada) não só devido a condições meteorológicas mais extremas (difíceis de suportar) para muitos dos seres humanos (sobretudo jovens e velhos) – temperaturas e radiações elevadas − como simultaneamente tornado ainda mais impiedoso (irracional por termos “o cérebro a ferver”) e tecnicamente impossível de recurso (por exemplo de recuar), dada a avalanche de contingentes de humanos como nós (mais ou menos alienígenas) deslocando-se ao encontro do Mar: aumentando exponencial e dramaticamente (para os locais e suas infraestruturas) o número de seres por m².

 

1516610504@1564594821.jpg

Praia do Peneco em Albufeira

(localizada junto ao elevador e seguindo-se para a esquerda, surgindo a praia do Túnel, a praia dos Pescadores e a praia do INATEL … e lá bem ao fundo a praia da Oura)

 

Saindo-se do cubículo habitacional (hoje designada como zona de conforto) isolando-nos (e protegendo-nos) do exterior e deslocando-nos num veículo (mais ou menos ligeiro) com (ou sem) motor associado − vivendo-se a norte ou a sul da Avenida dos Descobrimentos − imediatamente sendo-se confrontado com a avenida e com uma epidemia sucessiva de rotundas, deixando-nos esmagados (e desprotegidos) entre grandes edifícios (hotéis, centros comerciais, restaurantes) e sem alternativa arrastados para o “fim-do-mundo (onde nunca pensaríamos estar) pelas infindáveis e superaquecidas filas de trânsito (importadas do Inferno de Lisboa e do Porto): e passada a fronteira (existente por lobotomia urbana), atravessando-se ruas e descendo (pelo Pau da Bandeira, funcionando, através das escadas rolantes), passando-se por muita comida e bebida até se atingir a parte mais baixa e mais antiga (da cidade) – infelizmente já parcialmente destruída (e nem se invocando os efeitos de anterior tsunami), sendo o jardim (e a sua “transformação”) um caso de péssimo exemplo (mais valendo deixar estar como estava – com água, peixinhos e até alguns camones lá caídos) − andando-se um pouco mais e atingindo-se o areal (a areia e a água do mar). Com areal, mar e Sol.

 

(imagens: SPITZER/2003 a 2009/NASA − pt.webcams.travel)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:46

19
Abr 19

[Turismo & Meteorologia]

 

Algo sobre Albufeira, sobre o Tempo e sobre o Sol,

nesta semana santa de Páscoa.

 

SCMA-_PROCISSÃO-2.jpg

Durante a Semana Santa em Albufeira

A tradicional procissão dos painéis da Misericórdia

(imagem: regiao-sul.pt)

 

Com as festividades da Semana Santa da Páscoa a intensificarem-se esta sexta-feira (dia 19 Sexta-Feira Santa) − para acelerarem amanhã com o Sábado de Aleluia (dia 20) e se concluírem domingo com a celebração da PÁSCOA (dia 21) – e ao mesmo tempo definitivamente afastada a preocupação da generalidade da população (residentes e turistas) face ao possível prolongamento da falta de Combustíveis (ontem com uma ou outra exceção com as bombas todas encerradas), eis que por outro lado e só para (nos) contrariar (deixando-nos chateados ou se preferirem marafados) a previsão da Meteorologia nos direciona (relativamente ao Tempo na Terra) para a manutenção de tempo chuvoso e moderadamente frio: para além da previsão do Tempo no Espaço, apontando igualmente para um agravamento − uma Tempestade Solar − para o mesmo período de tempo (aqui utilizando um Relógio) celebrando a ressurreição de Jesus.

 

201904191800_msg4_msg_ir_piber.jpeg

A Península Ibérica a Infravermelho

19.04.2019 18h UTC

(imagem: EUMESAT/IPMA)

 

Em Albufeira notando-se mesmo assim a invasão de nacionais e estrangeiros (entre várias nacionalidades, agora com muitos espanhóis), muitos deles portugueses (vindos em carros ou excursões, sejam crianças ou adultos) oriundos da capital (grande parte benfiquistas) ou de mais longe do Norte (grande parte portistas): maioritariamente fugidos (da monotonia da vida ou então da procissão) e à procura do Sol. Mantendo-se como sempre os ingleses (para já ainda sem Brexit) enchendo e dando vida (muitas vezes com derivações mais extremas) à rua e aos bares de Albufeira bem visíveis na Oura. Vendo-se gente a passear (na rua, em supermercados ou em shoppings), olhando das arribas o mar (como a do Pau da Bandeira, sobre a agora já sem Eles, Praia dos Pescadores), andando pela praia a sentir (a cor do céu e do mar, o cheiro do ar desse mar, a areia sob os pés ao andar) Num Momento tão Desejado como também Diferenciado − usufruindo num espaço de tempo posto à disposição da Preguiça (num elogio obrigatório à virtude da mesma) um pouco da tão necessária (como ausente) Qualidade de Vida − esmagando nem que por instantes a miserável (por doentia e mortal) monotonia urbana − mas pecando por curta e sem relevância no todo (como sentimos no corpo aquando do regresso provavelmente o Inferno).

 

8208a_science_news_1115998.jpg

Com a previsão do Tempo no Espaço a apontar para a chegada

De uma tempestade Solar no domingo dia de Páscoa

(imagem: newslanes.com)

 

Tendo a Terra como destino (da previsão) assim como a sua Meteorologia Interna (previsão do Tempo na Terra), com a previsão do tempo neste caso para Albufeira (Algarve/Portugal/Europa) − aqui e no presente em divulgação/promoção (obviamente turística e antes que chegue o Petróleo e passemos a estaleiros) – a apontar para os próximos 7 dias (de sábado/20 a sexta-feira/26) chuva e/ou aguaceiros (abrandando no domingo e para o próximo fim-de-semana) com céu geralmente pouco nublado, temperaturas oscilando entre os 9°C/12°C de mínima (média de 10°C) e os 17°C/23°C de máxima (média de 20°C) – observando-se um ligeiro arrefecimento durante os próximos 7 dias – e vento geralmente moderado. No fundo não fugindo muito ao cenário (bem satisfatório para Abril Águas Mil) dos últimos dias.

 

hmi1898.jpg

O Sol esta sexta-feira com duas manchas visíveis

AR2378 e AR2379 não apresentando perigo para a Terra

(imagem: SDO/HMI)

 

Já no que diz respeito ao Tempo (Previsto) no Espaço e podendo afetar direta como indiretamente o Tempo Terrestre previsto para os próximos dias, com os prognósticos a apontarem para a chegada à Terra neste fim-de-semana de Páscoa de mais uma Tempestade Solar: através da observação de um buraco (escuro) na coroa solar − devido à rotação do Sol deslocando-se e agora direcionando-se para a Terra – e após registo de uma explosão à sua superfície emitindo chamas solares (raios solares) na nossa direção, com os investigadores a anunciarem a sua chegada e impacto (com a atmosfera) até à Páscoa 22 de Abril. Felizmente com o Campo Magnético Terrestre a proteger-nos da barragem de radiações (cuidado com as viagens de avião a 22, devido ao aumento de radiações, sendo possível a evitar) − tanto as radiações solares como as outras radiações cósmicas – provocando, no entanto, auroras, espetáculos deslumbrantes, mas a altas latitudes (não sendo a de Albufeira ainda distante do Polo/Norte).

 

(imagens: as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:33

08
Abr 19

Contrastando com um fenómeno meteorológico como o denominado FUNIL de NUVEM

 

– Com toneladas de água do mar podendo ser sugados para a atmosfera e em casos extremos deslocar-se para terra e aí descarregar o seu por vezes enorme volume de água, ainda-por-cima acompanhado de fortes ventos –

 

5ca7adc8b417156821311_2403737042970190_50920516277

Funil de Nuvem/Funnel Cloud

(imagem: Diogo Alves)

 

Registo da Ocorrência

 

Registo

Alenquer (foto: Diogo Alves)

Observação

De uma funnel cloud que foi progredindo em direção ao solo, acabando por se dissipar antes do touch down

Local

Venda do Pinheiro, com linha de vista entre a Povoa de Santa Iria a Vila Franca de Xira

Distrito/Concelho

Lisboa/Alenquer

Data

2019-04-01 14:00 (09:35)

Rotação

Mais de 1 minuto

Danos/Vítimas

Não

 

O cenário com que no presente se depara Portugal (continental) atravessando um prolongado período de seca e sem grande precipitação (sobretudo nas regiões do interior e no sul do país) e agora sendo ainda acompanhado (nesta desgraça da falta de um bem essencial para Vida como a água) pela redução bem visível (em certos casos perto do extremo) do caudal dos nossos rios: como o agora relatado pelo sapo.pt afirmando “estar o rio Tejo por um fio (pelo menos em vários pontos do seu trajeto já em Portugal).

 

25973466-750x501-lt.jpg

A Seca no rio Tejo

Hoje

(imagem: impala.pt)

 

Algo já expetável e tendo vindo a ser noticiado, mas que fora os verdadeiramente interessados (Investigadores, Agricultura, Pesca, Navegação, Trânsito, Etc.) pouco espaço tem libertado para a sua maior e mais intensa divulgação pública: com os Organismos Públicos (e também os Privados por muitos deles serem financiados pelo Estado) como primeiros responsáveis (hierárquicos) por tais áreas a parecerem estar desligados da Realidade apesar do crescente clamor da população que deveriam servir (para isso sendo bem remunerados) e jamais (como eruditos face aos leigos) ignorar: e como consequência tendo o Tejo cada vez mais seco, em certos locais do seu percurso podendo-se até passar a pé de uma margem para a outra (dividindo a região do Alentejo da região do Ribatejo) – rio Tejo o mais extenso da Península Ibérica (e o maior em Portugal logo seguido pelo Rio Douro) nascendo na serra de Albarracin (Espanha) e após pouco mais de 1.000Km desaguando (caso não tenham reparado ainda) num estuário em Lisboa (Portugal). Em Lisboa (e como que coroando e consagrando a Glória do rio Tejo) ainda com a Reserva Natural do Estuário do Tejo e apesar de tudo isto (confluindo na seca extrema), seja passado ou presente, convindo aqui recordar mais um projeto da nossa Elite (quase que avançando na altura) para a mesma região mais rigorosamente em Lisboa: a construção (imaginem) de uma Central Nuclear na capital (do nosso único país/fora as ilhas) onde nela e nas redondezas residem mais de 3 milhões (no mínimo sendo loucura).

 

201904081600_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Satélite/Infravermelho

08.04.2019 16h UTC

(Eumesat/ipma.pt)

 

Relativamente à meteorologia em Portugal na região do Algarve – particularmente em Albufeira e para os próximos dias (9/17 Abril) − constatando-se a diminuição progressiva da precipitação (apesar da água caída ainda ser pouca) talvez com o retorno da mesma para o início da semana seguinte (que nos conduz à Páscoa); acompanhado de vento moderado (sobretudo de N) e céu geralmente pouco nublado/parcialmente nublado por vezes por nuvens altas; e com as temperaturas a variarem (de 9/17 deste mês) entre os 9°C/11°C de mínima (média de 10°C) e os 20°C/23°C de máxima (média de 21°C). E com o mar por vezes mais ou menos alteroso (mas nunca comparável, ao da costa ocidental Atlântica) a apresentar temperaturas (durante o dia) rondando os 15°C/16°C. E sismologicamente falando, nada havendo de relevante (a assinalar) na região do Algarve.

 

(dados meteorológicos: ipma.pt − imagens: as indicadas)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:30

11
Jan 19

Com tendência meteorológica para melhorar

(sem neve na Serra da Estrela/quanto mais na Fóia)

Agora que a Onda de Ar Frio proveniente do Ártico começa a recuar

 

vtn.gif

A Europa a 11 de Janeiro de 2019 pelas 08:47 TMG

(weatheronline.co.uk)

 

Com uma massa de ar vinda do Polo Norte (da região do Ártico) a transportar para toda a Europa um tempo seco e frio, têm-se registado nos últimos dias (prevendo-se que poderá estender-se por mais uma semana, mas com melhoria progressiva nas temperaturas) temperaturas mínimas bastante baixas, acompanhadas de céu limpo/a pouco nublado e vento fraco: com essas condições meteorológicas a afetarem igualmente Portugal (neste mesmo período de tempo), tendo como consequência a baixa nítida das temperaturas, com os últimos registos a apontarem para mínimas negativas entre -4⁰C/-2⁰C no interior norte/centro do país (e zonas do litoral com 0⁰C com o Alentejo a andar pelos 1⁰C). Apesar de tudo e segundo as previsões meteorológicas feitas anteriormente com as temperaturas a não baixarem tanto como o previsto e com o avanço dessa Onda de Ar Frio (Polar) a parecer ter sido detida em Espanha chegando a Portugal “ligeiramente mais quente”:

 

201901110900_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Portugal a infravermelho a 11 de Janeiro de 2019 pelas 09:00 UTC

(EUMESAT/IPMA)

 

Poupando-nos (os portugueses) a condições de tempo mais extremas – com a Onda de Ar Frio oriundo do Ártico a começar a recuar – não evitando no entanto uma descida nas temperaturas máximas (com o aumento do vento/nas terras-altas a transmitir a sensação de mais frio) e a colocação (como medida de prevenção) de todos os distritos (do continente) em Alerta Amarelo (pelo menos este fim-de-semana). Não se prevendo chuva e com as temperaturas mínimas a atingirem -4⁰C/+6⁰C e a máxima não passando os +18⁰C (certamente pelos lados do Algarve). No que diz respeito ao Algarve mais especificamente a Albufeira (com o frio a sentir-se bem, especialmente com o arrefecimento noturno, salvando-se não haver vento) com as previsões do IPMA a apontarem para os próximos 10 dias (11 a 20 de Janeiro) temperaturas mínimas na ordem dos 4⁰C/6⁰C e máximas na ordem dos 16⁰C/17⁰C (com a amplitude térmica diária a andar entre os 10⁰C/13⁰C), com céu geralmente limpo/a pouco nublado e vento fraco/a moderado (nos próximos dias c/ vento moderado acentuando a sensação de frio, sobretudo esta sexta-feira e sábado).

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:10

31
Out 18

 

Albufeira

31.10.2018

Estado do tempo

Períodos de chuva/aguaceiros

Precipitação

Probabilidade de 100%

Temperatura atual

16⁰C (15:15)

Temperatura Máxima

17⁰C

Temperatura Mínima

9⁰C

Vento

Moderado de SE

Humidade

86%

 

[Furacão OSCAR.]

 

084500_5day_cone_no_line_and_wind.jpg

Evolução da Tempestade Tropical/Furacão

OSCAR

(imagem: noaa.gov)

 

Com uma outra grande Tempestade – Meteorológica – a deslocar-se esta quarta-feira (dia 31 de Outubro) para o nordeste Atlântico a uma velocidade de cerca de 35Km/h – o Furacão OSCAR de momento de Categoria 1 e com rajadas de vento podendo atingir máximos de V = 120Km/h – é de considerar que com a sua aproximação às costas do Continente Europeu (terminando a sua viagem entre as Ilhas Britânicas/a norte e a Islândia/a sul) possa a vir a influenciar a meteorologia em Portugal (ilhas e continente): passando ao largo do Continente mas nas proximidades da Madeira e sobretudo dos Açores. Segundo as previsões da NOAA com esta Tempestade Tropical – de momento um Furacão – a deslocar-se para nordeste até ao fim do próximo fim-de-semana (domingo 4 de Novembro) com ventos que poderão atingir mais de 170Km/h (sobretudo quarta e quinta-feira) descendo depois para os 60/120Km/h (diminuindo à medida que nos aproximamos de domingo). Dado o tempo que atualmente nos rodeia prevendo-se naturalmente a manutenção do mesmo, com chuva, vento e frio.

 

[Por Cá e mais a Sul.]Por Cá e mais a Sul.]

 

201810311200_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Imagem a infravermelho

31.10.2018 – 12:00

(EUMESAT/IPMA)

 

Já para o caso de Portugal e apesar da passagem da Tempestade Tropical/Furacão OSCAR pelas proximidades (sobretudo insulares) não tendo sido declarado nenhum Aviso Meteorológico (importante) para os próximos 3 dias: mantendo-se o tempo de chuva mas com diminuição na precipitação (alternando com céu parcialmente nublado), registando-se uma subida generalizada nas temperaturas (mínimas e máximas), com vento fraco a moderado (mais fraco que moderado) e temperaturas da água-do-mar variando entre os 14⁰C (a norte) e os 20⁰C (a sul). E no que diz respeito ao Algarve e à cidade de Albufeira (e seu concelho e zonas adjacentes) compreendendo os 5 próximos dias (desta quarta-feira a domingo), com o tempo a passar de períodos de chuva/aguaceiros para céu pouco nublado (com pouca precipitação), apresentando vento moderado (a fraco) e temperaturas do ar a subirem ligeiramente (3⁰C/5⁰C) – colocando nesses 5 dias as mínimas nos 9⁰C (hoje e amanhã) e as máximas nos 22⁰C (sexta-feira 2 de Novembro). E com a temperatura da água-do-mar a andar pelos 20⁰C.

 

(fontes e imagens: NOAA/IPMA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:22

22
Set 18

Mesmo terminado o Verão e com as boas condições meteorológicas a manterem-se (neste início do Outono) – convidando ao usufruto da praia e a um banho com excelentes temperaturas (da água) – sendo conveniente recordar as consequências do prolongamento da estação (quente e seca): na % de água nos solos, no Algarve (mas não só) muito em baixo.

 

mrrpe_agro.jpg

Percentagem de água no solo

(17 Setembro 2018)

 

Regressando ao IPMA e às suas previsões meteorológicas, constatamos que esta sexta-feira (21 de Setembro) e a poucos dias (ou horas) do fim do Verão (com o início do Outono marcado para as 02:54 de 23 de Setembro), o bom tempo se mantem com céu limpo (a sul) a parcialmente nublado (restante território continental) e temperaturas (do ar) oscilando entre os 12⁰C (mínima a norte) e os 34⁰C (máxima a sul): com vento fraco a moderado (este último mais a norte) e temperatura da água (do mar) entre os 17⁰C (na costa do Porto) e os 23⁰C (na costa de Faro). E com os índices ultravioletas sendo intensos (numa escala de 1 a 11) oscilando entre Elevado/6UV e Muito Elevado/8UV (valores típicos desta época do ano mas ainda mais perigosos devido à nossa maior exposição solar).

 

Com o último sismo registado em Portugal Continental (até 22 de Setembro) a verificar-se na passada quarta-feira (20 Setembro) com M0.6 de intensidade a NE de Monchique (na sequência de outros cinco de M0.9, M0.9, M0.7, M0.4 e M0.3 – todos irrelevantes – ocorridos desde 15 de setembro na mesma zona). Tudo normal (para a região do Algarve).

 

201809212300_msg4_msg_ir_atlan.jpeg

Atlântico a infravermelho

(21.09.2018 – 23:00)

 

Quanto à previsão meteorológica para os próximos dias agora que estamos apenas a dois (dias) do Equinócio de Outono (no Hemisfério Norte) – e no que diz respeito essencialmente à cidade de Albufeira – com o céu limpo e o vento moderado (a fraco) a manter-se e com as temperaturas (do ar) a subirem ligeiramente (uns 2⁰C/3⁰C estes próximos três dias/sábado, domingo e segunda-feira) para voltarem a descer (uns 3⁰C/4⁰C a partir de terça-feira). Com as mesmas a oscilarem (temperaturas do ar) entre os 18⁰C (mínima) e os 34⁰C (máxima) e com a temperatura da água entre os 21⁰C/33⁰C (quase transformando a baía num grande consomê). No fundo com todos os sinais a apontarem para uma extensão do Verão, para lá dos seus próprios limites (temporais) ultrapassando o Equinócio.

 

(imagens: ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:12

10
Ago 18

[Urgente para todo o Turismo Algarvio e sem necessidade de tradução]

 

Duas imagens registadas a norte da Avenida dos Descobrimentos (uma à esquerda da CGD outra à esquerda do KFC),

 

– Ambas apontando para o mar (uma para o Albufeira Shopping outra para o Hotel Brisa Sol)

 

IMG_3911.jpg   IMG_4100.jpg

Albufeira antes e a 8 de Agosto

(2018)

 

Onde é bem visível o contraste entre o cenário atmosférico de um dia habitual apresentando o céu bem claro e limpo,

 

E um outro registado (posteriormente) a 8 de Agosto com o céu de Albufeira encontrando-se agora parcialmente escurecido por espessas camadas de nuvens (de cor laranja-escuro e poluentes),

 

Oriundas do Incêndio de Monchique (num total ultrapassando os 20.000 hectares de floresta ardida).

 

(imagens: Produções Anormais)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:00

08
Ago 18

[Cartão Turístico do Algarve – Verão 2018]

 

iss056e127068.jpg

Com o incêndio de Monchique – a 6 de Agosto – ao centro da imagem

Wildfires near the southern coast of Portugal and the Strait of Gibraltar

(nasa.gov)

 

Como o comprova a imagem da última segunda-feira (6 Agosto) registada a partir da Estação Espacial Internacional (ISS) incidindo (entre outras regiões) sobre a Península Ibérica (ao centro deste registo da ISS),

 

– E quando a ISS orbitava (a uns 400Km de altitude) ao longo da costa portuguesa –

 

IMG_4098.jpg

 

Pode-se observar claramente as densas nuvens de fumo espalhando-se pela atmosfera e dirigindo-se para o oceano Atlântico (uma oriunda das proximidades do Estreito de Gibraltar, outra tendo o seu foco na região do Algarve),

 

Originadas pelos violentos incêndios ocorridos nestes últimos dias no sul de Espanha assim como no de Portugal (neste último caso com o único foco – para já – a incidir em Monchique, mas atingindo desde já Portimão e sobretudo Silves):

 

IMG_4102.jpg

 

Um incêndio iniciando-se sexta-feira (3 Agosto) e logo sendo declarado controlado, para logo no dia seguinte (4 Agosto) se iniciar o Inferno (que se viu até hoje) atingindo o concelho de Monchique, de Portimão e agora de Silves. Já lá vão seis dias e com o incêndio aparentemente a alastrar.

 

Esta quarta-feira (8 Agosto) com os sinais do incêndio a chegarem aos céus da cidade de Albufeira, como sintoma da continuação do incêndio no concelho de Monchique e agora (como se já não bastasse) com o mesmo a projetar-se para um concelho adjacente (devido à ação dos fortes ventos e projeções) colocando-se a caminho da cidade de Silves.

 

IMG_4107.jpg

 

E ao fim da tarde de hoje dado o rápido avanço do fogo procedendo-se já ao abandono (obrigatório) da localidade de Enxerim (numa das entradas de Silves), num fogo cada vez mais parecendo incontrolável apesar dos 6 dias de luta, quase 1500 operacionais no terreno, cerca de 500 viaturas e uns 15 meios aéreos: pelos vistos insuficientes ou então mal comandados.

 

Para já com pouco mais de três dezenas de feridos, umas 200 pessoas deslocadas, já mais 20.000ha ardidos (o máximo nesta zona já atingido ultrapassando os 40.000ha); mas certamente com um espólio Natural destruído, dezenas de habitações queimadas e certamente (tendo-se iniciado já o prazo), centenas e centenas de pessoas direta ou indiretamente afetadas (algumas vezes para toda a vida) e com a vida interrompida.

 

(imagens: nasa.gov – Albufeira/08.08.2018/Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:10

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO