Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Algarve ─ Segunda Quinzena de Maio 2021

Terça-feira, 18.05.21

Iniciada ontem a “invasão” britânica com os seus 5.500 turistas a chegarem a Portugal (+2.000 vindos de outras origens) e destes com a maioria dos aviões a aterrarem no aeroporto de Faro, podendo-se afirmar que já começou a nova época balnear do Verão de 2021 em Portugal, nela se incluindo a maior região turística nacional o ALGARVE (e a sua capital turística ─ para além da capital da região, Faro ─ Albufeira): onde trabalha a maioria dos trabalhadores da Hotelaria/Restauração, onde é feito o maior investimento em todo o Algarve e onde como consequência da Pandemia (agravando ainda mais a crise que se fazia sentir, antes do início deste surto pandémico) é maior a taxa de desemprego.

Imagem1.jpg

Observando a evolução da Pandemia Covid-19 em Portugal nas últimas duas semanas, persistindo a instabilidade do nº de infetados/dia (apesar do seu baixo valor) e a subida do índice de transmissibilidade R(t), já igual a 1.

 

Mas tudo parecendo ir-se resolver a partir do início desta semana, com muitos hotéis a encherem-se, outros iniciando-se na sua atividade e os restantes, preparando-se com o mesmo objetivos (outros mesmos e tendo “maior poder de encaixe” ─ ligados a cadeias internacionais ─ não baixando e mantendo os preços anteriores): para tal chamando de novo os trabalhadores (e ainda outros como reforço) para os seus locais de trabalho, diminuindo de imediato e rapidamente a taxa de desemprego e como efeito, melhorando as condições de vida dos mesmos, há meses inativos e com os seus rendimentos muito reduzidos.

Imagem2.jpg

E se os números nacionais de infetados/dia e índice de transmissibilidade preocupa ─ sobretudo a subida do índice R(t), subindo numa semana de 0,92 para 1,0 (quase 9%) ─ os números da região do Algarve também o fazem, com o seu R(t) a ser o maior de Portugal.

 

Cumprindo as regras sanitárias básicas a que todos estamos obrigados (afastamento, máscara, higiene, etc.), cumprindo o Estado a sua obrigação de defender e proteger os seus cidadãos (com testagens frequentes e rápido processo de vacinação) e cumprindo as autoridades inglesa e portuguesa responsáveis por tal processo (de abertura do espaço aéreo) com normalidade e eficácia este período de “viagens de férias”, desde que o coronavírus colabore e nos dê tréguas nestes meses de calor que aí vem (o Verão), podendo-se atingir este ano e na área do turismo uma boa resposta por parte dos turistas (em quantidade e qualidade, com dinheiro) e um bom retorno financeiro.

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:01

O Regresso dos Turistas Britânicos (amanhã)

Domingo, 16.05.21

“Este domingo em Portugal e no Algarve/ALG registando-se +334 Infetados (ALG/+22) e +1 Óbito (ALG/0), num total de 17.007 Óbitos (ALG/362) desde o início desta Pandemia.”

Imagem1.jpg

Segundo dados do INSA (de 14.05) com o índice de transmissibilidade R(t) em Portugal a subir na última semana (de 0,91 para 0,99) ─ na região do Algarve atingindo o seu valor mais elevado de R(t)=1,08 ─ com o nº de casos ativos na região a aumentarem (sendo Albufeira o concelho com maior taxa de incidência, superior a 120 casos/100.000 habitantes),

Assim como com alguns surtos de Covid-19 a surgirem um pouco pelo Barlavento e Sotavento Algarvio (Lagoa, Silves, Albufeira, Loulé e Tavira) ─ envolvendo explorações agrícolas (Albufeira/Tavira) e a ligação Família/Escola (Lagoa/Silves/Loulé) ─ arranca amanhã a campanha de férias dos Britânicos em Portugal, maioritariamente no Algarve e chegando via aérea ao aeroporto de Faro:

E se as condições sanitárias nomeada e relativamente ao Covid-19 parecem apesar de tudo estar bem controladas, com a primeira preocupação (talvez a única, sendo a outra a capacidade de resposta com qualidade das unidades hoteleiras, muitas delas com as atividades suspensas há vários meses/há um ano) a centrar-se na chegada desta “1ª fornada” de turistas sabendo-se do que se passa no SEF (em processo de transformação/extinção) e na Groundforce (solicitada a sua falência).

Adivinhando-se o que sucederia amanhã nos aeroportos portugueses ─ no caso que nos importa sendo o mais próximo e estando ele localizado na região, o de Faro (o único) ─ caso algo se passasse envolvendo um ou outro (SEF ou Groundforce):

O caos, com os britânicos a questionarem-se repetidamente (depois de tantos esforços), o que estariam eles na realidade a fazer por aqui.

IMG_20210515_164743.jpg

Mas dadas as últimas informações (no fundo não se conhecendo nada contra ou a favor, até para nos tranquilizar) amanhã indo tudo correr bem e se o tempo se mantiver assim (até melhorando, proporcionando bons dias de Sol, de praia, de mar, de gastronomia regional, de vida noturna local) podendo-se prever uma boa estadia.

Amanhã (na 1ª leva) com cerca de 17 aviões e 5.500 britânicos a chegarem ao aeroporto de Faro, saindo do frio da sua ilha e chegando logo ao calor (continental/mediterrânico) que se faz sentir na região mais a sul de Portugal ─ este ano e no Verão podendo atingir segundo as previsões temperaturas na ordem dos 40°C ─ em viagens desde já esgotadas segundo algumas unidades hoteleiras do Algarve (já completas) até ao fim de maio.

Sendo Portugal o primeiro país da Europa a abrir completamente (se comparados com os outros, especialmente os seus concorrentes) as suas portas ao turismo (via aérea), para já iniciando-se pela Grã-Bretanha, mas posteriormente podendo abrir as portas a outras nacionalidades (dependendo da sua situação Covid-19) e já por cá andando (via fronteira terrestre) os espanhóis.

Para muitos portugueses trabalhando no ramo da Hotelaria e do Turismo (e todos os outros Serviços associados, uma “multidão) e neles incluindo os residindo e trabalhando no Algarve, perspetivando-se finalmente o fim deste longo e extremamente doloroso (doença, desemprego, isolamento, solidão) período de “Inferno”.

Faltando menos de 24 horas para mostrarmos do que somos capazes.

(imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:31

Reviver o Passado em Albufeira (c/ Ingrediente Britânico)

Sábado, 15.05.21

E já em cima do arranque dos motores dos aviões (ingleses), com o Governo português a dar finalmente (ter-se-á esquecido?) o seu OK aos britânicos. Aqui sendo bem descrita a situação criada (aos britânicos, esperando pelos portugueses): The Portuguese announcement followed days of uncertainty and confusion over whether thousands of holidays booked by UK travellers from Monday would in fact go ahead. On Thursday, it looked as though many holidaymakers' hopes would be dashed when Portugal extended its Covid emergency measures. But to widespread relief, the Lisbon government has now given its approval to UK tourists. (14.05.2021/BBC News)

a042760ebb70a8d1b35973d2a2fa737d.jpg

Com a aproximação do dia 17 de maio (segunda-feira) ─ 1º dia em que os Britânicos partem de férias em direção ao Algarve ─ e já com diversas companhias aéreas preparadas para o restabelecimento das ligações aéreas UK/Faro (como a EasyJet e a Tui, esta última já com 28 dos seus 44 voos ─ mais de 63% ─ reservados para o Algarve, até ao final deste mês), sendo conveniente relembrar que se este “canal de comunicação turístico se encontra atualmente aberto”, tal processo obedece ainda a algumas regras  básicas/mínimas (podendo ser efetivamente consideradas como restrições, dado o incómodo e as despesas provocadas) para tal se poder concretizar: e não existindo ainda um passaporte Covid-19 ou um outro tipo de documento qualquer que confirme a nossa vacinação (provando estarmos livres da doença), tendo-se forçosamente e para evitar o período de Quarentena (o que impede a realização da esmagadora maioria das viagens) que apresentar diversos testes PCR negativos ─ para um cidadão britânico podendo envolver vários testes (três) e um gasto de cerca de 400£ (mais de 464 Euros), em muitos casos mais do que o custo do pacote de férias incluindo Viagem + Estadia.

Albufeira-tunnel-2.jpg

Mesmo assim (com as despesas a poderem em certos casos duplicar) e face à ânsia e ao desejo (incontido, prontos a pagar o necessário para tal) de muitos dos seus cidadãos em mudarem o seu quotidiano de trabalho, monótono, contínuo, de isolamento forçado e podendo ser de mais de um ano (de duração ─ de março/2020 a maio/2021 ─ uns 16 meses), fazendo de imediato a sua reserva, preparando-se (munindo-se dos seus respetivos testes) e estando prontos a partir, tendo à sua disposição mais de 20 aeroportos (britânicos): e superada alguma confusão face ao dito pelas autoridades britânicas e ao não dito (apenas festejado) pelas autoridades portuguesas (esquecendo-se da sua parte para dar seguimento ao processo, oficializando a abertura das ligações aéreas) ─ emergência, calamidade, qual a diferença de facto (e como tal, permissão de viagem a 17/finda a emergência ou a 31 de maio/final da calamidade?) ─ e com os turistas respirando finalmente de alívio (confirmada a porta aberta dos dois lados, com o sim atrasado/esquecido do nosso Governo), segunda-feira chegando a 1ª grande fornada de turistas britânicos (de muitas outras já confirmadas, até ao fim do mês e por diante) ao ainda único aeroporto da região.

fdf1184644f0a46fae0e6b90282d530c.jpg

Tal como o afirmam os britânicos com as viagens de férias dos seus cidadãos para Portugal a refletirem-se fortemente na economia e balança comercial do nosso país, só com estes turistas (oriundos da “Ilha”) a contribuírem com cerca de meio biliões de libras de receita: e prevendo-se nas próximas semanas a continuação de restrições (devido à Covid-19) noutros países concorrentes de Portugal (afetando todo o Mediterrâneo), sendo talvez esta a maior oportunidade que Portugal e o Algarve alguma vez tiveram para promover o país/a região Turística, ainda-por-cima sendo uma oferta, fazendo-o de graça.  Faltando nem dois dias, para se ficar a saber.

539578d9f70cc54e794ef2e669b68a06 - Cópia.jpg

E sabendo-se do atraso de Portugal no seu OK aos voos da Grã-Bretanha (para Portugal/Algarve), não devendo ter deixado os britânicos nada satisfeitos, estando ansiosos até ontem, até à última da hora (pela confirmação ou não da viagem, do seu investimento de férias), esperando-se que algo de muito pior não se passe à chegada dos turistas, seja “por culpa” do SEF, da Groundforce ou de outra entidade pública ou privada qualquer (podendo até ser mista, que importa): no dia 17 de maio podendo dar-se (até pelo estado em que se encontram estas duas instituições, aparentemente sem Ministro do setor) o caos aeroportuário.

(imagens: pinterest.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:10

Atravessando o Estado de Calamidade (em Albufeira)

Sexta-feira, 14.05.21

Iniciada esta sexta-feira a “Semana Europeia do Teste da Primavera” (uma iniciativa indo de 14/21 de maio) tendo como objetivo a deteção de infeções por VHI (SIDA), HEPATITES (Virais) e INFECÕES SEXUAIS (sexualmente transmissíveis),

i033971.jpg

Teste ao HIV, Hepatites e outras infeções

(como doenças sexualmente transmissíveis)

 

─ Relevando a importância (para a sua cura e eliminação) da deteção precoce dessas doenças e contribuindo com esta Pandemia (Covid-19) e para a generalidade das pessoas, para uma maior vulnerabilidade e proliferação dessas mesmas infeções (dado o enfraquecimento do sistema imunológico do doente)

Mais importante se torna ainda o reforço de todas as ações tendo como objetivo combater e eliminar este coronavírus, desde as ações das autoridades responsáveis até ao simples cidadão (e passando claro está pela Comunidade internacional, no nosso caso pelo trabalho desenvolvido pela EU e pela sua agência do setor da Saúde ─ como vemos nos caixotes de material acumulados nos corredores dos hospitais ─ a EMA):

O cidadão cumprindo as regras básicas de proteção, as autoridades persistindo nas suas campanhas maciças de testagem, e vacinando toda a sua população o mais rapidamente possível ─ antes que ocorra algo de semelhante ao sucedido na Índia, aproveitando um período de relaxamento até na sua campanha de vacinação (sendo este país o maior produtor mundial de vacinas), com o vírus a contra-atacar apanhando todos de surpresa e provocando esta catástrofe (centenas de milhares de infetados e milhares de mortos por dia) ainda em curso.

Imagem1.jpg

Evolução indicando mais uma vez uma certa instabilidade

(apesar de baixos, destes importantes parâmetros Covid-19)

 

No caso de Portugal registando-se esta sexta-feira (14 maio) +450 infetados, mas sem nenhum óbito a registar, com 236 doentes internados (-8), 72 em UCI (+2) e R(t)=0,95. Com a região do Algarve a registar 7% dos infetados (32 em 450).

Na tabela do nº de Infetados/100.000 habitantes com o concelho de Albufeira a colocar-se entre aqueles estando no limite ─ na última escala “permitida” (120-239,9) ─ atingindo os 152 (e tendo como tal de ter muito cuidado, agora que se aproxima o dia 17 e o regresso em força dos britânicos):

Acompanhando cerca de uma vintena de outros concelhos, os (oito) piores sendo Arganil (826), Lajes das Flores (410), Ribeira Grande (375), Nordeste (329), Castelo de Paiva (298), Montalegre (289), Odemira (271) e Lamego (261).

IMG_3256[1].jpg

Albufeira ─ Praia dos Pescadores

(em 30 de agosto de 2017)

 

Relativamente ao relatório do INSA (referindo-se à semana anterior) atualizado (de 7 em 7 dias) esta sexta-feira (dia 14) ─ e como mais uma chamada de atenção para esta região sul de Portugal ─ com o índice de transmissibilidade mais elevado a registar-se no Algarve com R(t) médio = 1,08 (1,02/1,15) e com a taxa a 14 dias na região a ser de 68,4 (a 3ª mais alta nas 7 regiões de Portugal).

A nível nacional com o índice R(t) a revelar uma ligeira subida (aproximando-se de novo de 1) ─ justificando até uma certa instabilidade diária (apesar de baixa) no nº de novos infetados ─ sendo acompanhado a nível de quase todas as regiões e esta última semana (acabando a 14), esperando-se ter estabilizado: mas tendo-se que prestar sempre atenção à evolução do R(t).

Globalmente e nos últimos 7 dias a nível Mundial com o nº de Infetados/dia (-8%) e o nº de Óbitos/dia (-2%) a continuarem em descida, sendo acompanhados pela Europa (-13%/-9%), pela América do Norte (-17%/-8%) e pela África (-6%/-11%). Evoluindo no sentido contrário (ou não evoluindo), surgindo a Ásia (-8%/+7%) por causa da Índia, a América do Sul (+3%/-8%) por causa do Brasil e até a Oceânia (+143%/-13%) por causa da Papua Nova Guiné: e com o epicentro Covid-19 (no presente) mantendo-se na Índia hoje (pelas 17:00 de Lisboa) a caminho das 2000 mortes.

(imagens: dgs.pt ─ Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:07

Depois do 17 de maio (c/ os britânicos), o 20 de junho (c/ o Verão)

Quarta-feira, 12.05.21

Mas sendo Portugal um país Católico (estando o vírus ainda por aí e reconhecendo a influência de Nossa Senhora de Fátima, nestas questões de saúde) e por respeito a todas as religiões (incluindo agnósticos, ateus), não esquecendo o 13 de maio (e todos os que até lá se deslocam).

Demonstrando a incerteza das previsões atribuídas a este vírus (em alternativa, umas vezes estando a crescer na sua atividade, outras a decrescer)

Imagem1.jpg

Portugal

(Infetados e R(t) 2021)

 

De facto, estando sempre presente deste o início desta Pandemia, mesmo durante a estação do Verão (basta ver os números do ano passado) ─ e das cautelas que necessariamente todos teremos que ter (autoridades e cidadãos) para evitar o regresso do vírus SARS CoV-2 e de uma nova infeção Covid-19 agora entrando em ação novas estirpes/variantes ainda mais infeciosas ─ tendo-se que evitar necessariamente incidentes como o de Odemira e ajuntamentos como o da comemoração do título por parte do SCP (envolvendo essas autoridades e esses cidadãos)

IMG_4284[1].jpg

Marina

(Cidade de Albufeira/12 maio 2021)

 

Os números saídos hoje em Portugal (12 de maio) continuando a indicar uma certa instabilidade no nº de infeções/dia (de 268 ontem, para 485 hoje) e no índice de transmissibilidade R(t), refletindo-se essa situação igualmente na região do Algarve com um novo crescimento do nº de infetados (de 15 para 46, já há quatro dias atrás sendo de 16 para 61) e ainda 2 óbitos (50% dos óbitos registados hoje em Portugal, há cinco dias atrás tendo sido o único, ou seja, 1 em 1).

Imagem2.jpg

Algarve

(Infetados e Óbitos 2021)

 

A cinco dias da abertura do tráfego aéreo entre a Grã-Bretanha e Portugal (17 de maio, segunda-feira) e esperando-se o início de uma invasão turística de britânicos podendo ser para Portugal e dada a situação do restante mercado europeu (sul da Europa, mediterrânico), considerada como memorável (assim tudo e todos o permitam, incluindo a meteorologia e o vírus) ─ disparando o número de reservas oriundas da “Ilha” e até (para já não falar do regresso dos nossos vizinhos espanhóis) com os alemães a aconselharem igualmente Portugal como destino de férias seguro e protegido (de Covid-19) ─ com as expetativas a continuarem ainda em alta, apesar do indicador nº de infeções, talvez relacionado (tal como no Alentejo) por trabalhadores migrantes deslocando-se (em trabalho) entre regiões.

IMG_4288[1].jpg

Praia de São Rafael

(Concelho de Albufeira/12 maio 2021)

 

Querendo-se, um caso de fácil e correta (para todas as partes) resolução, desde que haja respeito de direitos e deveres. E neste período de um mês (17 de maio/17 de junho) com os responsáveis do Turismo da Região do Algarve a serem verdadeiramente testados ─ seguindo-se (a partir das 03:32 de 21 de junho) a época alta do Verão ─ podendo colocar em prática (agora sendo tão necessária, quase que obrigatória) toda a sua capacidade e qualidade de planeamento, intervenção, aplicação e execução ─ e no fim fazendo a sua respetiva avaliação (sendo sim, ou sendo não).

(imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:44

Covid-19 ─ Algarve e Turismo

Segunda-feira, 10.05.21

Num ambiente de otimismo provocado pela descida dos parâmetros Covid-19 e pelo regresso dos voos com a Grã-Bretanha, prossegue aparentemente com tranquilidade (exceção feita ao caso de Odemira) ─ em Portugal, assim como no Algarve ─ esta derradeira etapa de Desconfinamento:

IMG_3804[1].jpg

Albufeira

(26.12.2017)

 

Relativamente à Região de Turismo do Algarve e depois de reabertas as fronteiras terrestres com Espanha (registando-se já este fim-de-semana, a chegada dos espanhóis), chegando a 17 de maio e depois do regresso das ligações aéreas GB/Portugal, a vez dos britânicos ─ pelas reservas já efetuadas e com os outros destinos suspensos, esperando-se uma “invasão”.

Desde que se faça o que se tem a fazer ─ envolvendo os cidadãos e as autoridades, a Saúde e a Pandemia ─ e se evitem problemas inúteis e contraproducentes, como os sucedidos nos aeroportos do país com a greve do SEF (provocando o caos entre os passageiros e desrespeitando-se as regras mínimas de segurança sanitária).

E aí se verá a competência das autoridades, incluídas as afirmando-se representantes da região (neste ano de Autárquicas).

Imagem1.jpg

Covid-19 Algarve

(Abril/Maio 2021)

 

Não nos podendo deixar enredar por encenações inúteis de pretensa vitória sobre o coronavírus apenas com objetivos eleitorais (seja por parte do Governo ou da oposição, muitas vezes meros assistentes sem saberem muito bem o que fazer, aguardando unicamente instruções vindas de fora) como se viu infelizmente este fim-de-semana, mas a nível Global, com a EU e os EUA a nem sequer se entenderem sobre o problema das vacinas (contra/favor) e das suas patentes,

E com a própria EU muita preocupada com a grave crise socioeconómica europeia ainda mais agravada pela Pandemia (falências e desemprego), enquanto vai prometendo nestes encontros parecendo solidários (mas daí não saindo efeitos/consequências), vai retirando ainda mais às duas partes em causa, as empresas e os trabalhadores (ainda e sempre em favor dos bancos, do Banco Central, das políticas do Banco Mundial).

26122017.jpg

Albufeira

(26.12.2017)

 

E estando Portugal no elenco desse roteiro financeiro e financiador Global, qualquer chance extra que lhe seja dado dever ser imediata e eficazmente aproveitada, como uma das melhores ferramentas de promoção daquilo que pretendemos vender.

No dia de hoje e depois de no passado dia 8 de maio se terem registado no Algarve +61 novos Infetados (no dia anterior tendo-se registado na região, o único morto registado a nível nacional) ─ pelos vistos devido a um surto epidémico detetado numas estufas localizadas em Albufeira/Guia (envolvendo igualmente trabalhadores do Nepal) ─ com apenas +8 infetados verificados (e zero óbitos), esperando-se que tais situações (como o das estufas, ou até do SEF) não se repitam para bem do Turismo:

Agora que as reservas dispararam, falando-se em mais de 1,5 milhões e sabendo-se os efeitos de uma “má notícia”.

(imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:25

E os Britânicos Disseram …

Sexta-feira, 07.05.21

A 17 de maio (ultrapassado o 13 de maio), BOJO coloca finalmente o seu indicador no botão do semáforo ─ na direção de PORTUGAL: então e milagrosamente (terá Fátima algo a ver com isto?), passando a VERDE. E já com reservas, bastando arranjar-lhes um AVIÃO.

IMG_3631[1].jpg

Túnel de Albufeira dando acesso à praia

(em 30.09.2017)

 

Esta sexta-feira dia 7 de maio de 2021 (por volta das 17:00 horas de Lisboa) com a região do Algarve a receber a notícia que há tanto tempo desejava (desde o início da Pandemia), ficando-se aí a saber através de afirmações feitas pelo Secretário dos Transportes da Grã-Bretanha, que os nossos principais clientes desta nossa monocultura turística algarvia (oriundos da Ilha de sua Majestade), tinham colocado relativamente a Portugal e às visitas turísticas dos seus nacionais (britânicos) ao nosso país, os “semáforos” no VERDE. A partir de 17 de maio abrindo-se as portas do mercado britânico para toda a (extensa, abrangendo múltiplos serviços) área do Turismo de Portugal, incluindo logicamente o seu maior centro (maior investimento) o ALGARVE, uma vantagem que Portugal terá forçosamente de aproveitar (tomando desde logo a dianteira), sabendo-se os nossos concorrentes turísticos manterem-se fora da lista (como a Espanha, a Itália, a França e a Grécia) e muitos dos britânicos (principalmente classe média e alta) virem (devido a poupanças por inatividade forçada) bem recheados: de dinheiro e de desejos.

Imagem1.jpg

Evolução relativa aos primeiros 126 dias de 2021

(de 01.01.2021 a 06.05.2021)

 

Pelo menos afastando-nos um pouco deste momento vergonhoso e asfixiante proporcionado pelo espetáculo de trabalhadores agrícolas estrangeiros trabalhando e vivendo um pouco por todo o Alentejo, sendo para além do seu sofrimento (explorados na colocação, no trabalho, na remuneração, na casa, na alimentação, em tudo o que der retorno) sujeitos a imundas campanhas políticas socorrendo-se da Pandemia para dentro em breve se poderem ganhar eleições (estamos em anos de Autárquicas, ainda com um Governo minoritário e um Presidente esperando a sua oportunidade): como se acontecimentos como este não se passassem no presente um pouco por todo o Alentejo, não desde ontem, não desde o início da Pandemia, não desde há poucos anos, mas replicando-se e evoluindo há mais de uma década, talvez a caminho de duas. E tendo à frente de um Ministério alguém que tendo que ter todo um currículo, aqui só revela e como porção visível, a sua parte (um “grande naco” e reforçado) de prepotência e incompetência. Retornando-se ao Algarve com as perspetivas turísticas a serem ótimas, podendo-se desde já preparar c/ tempo e c/ segurança (não existindo tanto o ano passado) a chegada do Verão.

Lamentando-se apenas no dia de hoje (sexta-feira, 6) a única vítima mortal registada em Portugal, ter-se registado na região do Algarve (1 em 1).

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:14

Covid-19 no dia 1 de Maio

Domingo, 02.05.21

Olhando para a evolução do índice R(t) no Algarve desde o início da Pandemia, assim como para a evolução do nº de Infetados/dia, Internados, UCI e R(t) em Portugal nas últimas duas semanas, continuando-se a registar uma tendência de descida nos diversos parâmetros Covid-19, por vezes com ligeiras oscilações (daí devendo-se manter, sempre atento) sobretudo no nº de Infetados/dia. Condições para se prossiga na abertura e no caminho do fim deste já longo período de Desconfinamento: até porque no próximo mês (21 de junho) começa o Verão.

Imagem1.jpg

Neste primeiro sábado deste início de mês para além da Comemoração do Dia Mundial do Trabalhador o 1º de maio, festejando-se igualmente outra abertura de um outro caminho dirigindo-nos para a Liberdade, o 1º Dia da Grande Abertura e logo num fim-de-semana: abrindo-se de novo a grande maioria das portas, dos passeios e das estradas, como no Algarve se viu nos passeios, nos centros comerciais e como seria óbvio nos cafés e nos restaurantes. Muitas lojas só reabrindo a partir de segunda-feira (espera-se, aguarda-se devido à crise).

Imagem2.jpg

Com a abertura desde já das fronteiras terrestres com a Espanha, reiniciando-se de imediato o tão importante trânsito fronteiriço, tanto a nível de mercadorias como de fluxo turístico (entre a região portuguesa do Algarve e a região espanhola da Andaluzia), um fator necessário e fundamental para a recuperação da Indústria Turística do Algarve, sabendo-se da importância dos turistas britânicos e portugueses, mas nunca esquecendo a força dos nossos únicos vizinhos e bom clientes, os espanhóis. Faltando apenas os aviões, nunca antes do meio do mês de maio (mais por “dentro”) e quanto a britânicos, nunca antes do início de junho.

(dados: DGS/INSA ─ imagens: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:17

Algarve e Covid-19

Domingo, 25.04.21

Restando-nos esperar pela próxima sexta-feira para se ver o que sucede, esperando-se que entre as autoridades políticas e a estratégia do vírus, alcancemos de novo e de vez o nosso objetivo: para tal e estando entre ambos devendo-nos prevenir, cumprindo as regras básicas e ainda testar/testar/testar e não se esquecer de se vacinar.

 

Imagem1.jpg

Evolução Infetados e R(t)

Algarve 2021

(incluindo 17 de abril)

 

À medida que o nº de Infetados se estabilizava (num máximo) ─ atingido a 27 de janeiro de 2021 com 500 Infetados ─ iniciando então a sua tendência de descida, simultaneamente sendo acompanhado no mesmo sentido e decisivamente pelo índice de transmissibilidade R(t) ─ arrancando um pouco antes e de uma forma contínua de descida, lá por 18 de janeiro de 2021 ─ criando-se a convicção (cada vez mais forte) de que dados estes números (aqui apresentados) e no caso da Região do Algarve (logo, de Albufeira), o prolongamento do Estado de Emergência estará por dias (talvez tenha sido o anterior, o último) assim como o período de Desconfinamento (se não terminar no fim da próxima semana, sendo-o provavelmente a meio do mês de maio): no que nos diz respeito (habitando-se no concelho) tendo-se apenas de melhorar os números (Covid-19) ─ respeitando as regras, testando, vacinando ─ de Albufeira (hoje ainda acima dos 120 casos/100.000 habitantes). Nos últimos 8 dias (18 de abril a 25 de abril) no Algarve, com a média do nº infetados/dia a fixar-se nos 27/dia e registando-se “apenas” 1 Óbito (há mais de 5 semanas registando-se maioritariamente zero óbitos, ou 1/2 óbitos por semana). Pelo que se tudo correr bem e os espanhóis e os ingleses o quiserem (cumprirem o prometido), em meados de maio e abrindo as suas fronteiras terrestres podendo começar a chegar (além dos portugueses, estando já por cá) os espanhóis (entre outros, à “boleia”) ─ caso abram as suas fronteiras terrestres (com Portugal) ─ e no início de junho e abrindo as suas fronteiras aéreas (já com os voos, de regresso) os ingleses (e com eles, outros): desde já e certamente, refletindo-se (com um aumento) nas reservas.

 

(dados: DGS/INSA ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:31

O 25 de Abril de 1974 e as Mulheres do Algarve

Domingo, 25.04.21

Tendo-se vivido no período da DITADURA,

 

─ Indo do período da Ditadura Militar que se seguiu à Revolução de 28 de maio de 1926 (1926/1928), passando pela eleição de Óscar Carmona em 25 de março de 1928 (1928/1933), prosseguindo com o regime ditatorial instituído com a aprovação da CONSTITUIÇÃO DE 1933 introduzindo o ESTADO NOVO (1933/1974) e aí apresentando o seu símbolo máximo de Estado e de Regime antidemocrático, o durante 37 anos consecutivos (1932/1968) Chefe de Governo ANTÓNIO DE OLIVEIRA SALAZAR, só sendo substituído por Marcello Caetano (1968/1974) depois do célebre incidente da “queda da cadeira” ─

 

image15555158275119.jpeg

Margarida Tengarrinha

 

Durante praticamente MEIO-SÉCULO (48 anos) e com a REVOLUÇÃO DO 25 DE ABRIL a ter já ocorrido há quase tanto tempo, com os nascidos nesse ano, os seus filhos e até mesmo os seus netos podendo ter agora (por exemplo, c/ intervalo de 20 anos), o pai 47/o filho 27/o neto 7 anos de idade, mesmo que não o tendo vivido (esse período de escuridão e de falta de liberdade) e que nunca lhe tendo sido dada a verdadeira RELEVÂNCIA HISTÓRICA (para PORTUGAL),

 

Devendo ser sempre e obrigatoriamente recordados até para um certo dia não se distraírem ─ acomodados á tão declarada “zona de conforto” ─ e caírem de novo sob os efeitos tóxicos (subliminares, atuando lentamente como uma droga extremamente viciante) de uma forte e incontrolada (por nós, não por eles) tentação.

 

Uma obrigação da nossa MEMÓRIA querendo preservar a nossa CULTURA, a nossa IDENTIDADE e a nossa SOBERANIA e respeitando aí e ainda, os nossos ascendentes e descendentes, no fundo nós próprios.

 

Estando na Região do Algarve e conhecendo o trabalho e o sacrifício dessa “minoria” sempre presente ─ em todo o lado e sob todas as circunstâncias, do nascimento até à morte ─ escolhendo uma mulher do 25 de abril (antes, durante e depois), algarvia e daqui perto (vivendo eu em Albufeira), nascida e vivendo hoje (regressando à sua terra) em Portimão ─ para a recordarem e através dela todas as grandes minorias que desde sempre e tantas vezes (mesmo incógnitas, a esmagadora maioria) tem salvo o Mundo:

 

Margarida Tengarrinha (política, professora e escritora) nascida em 7 de maio de 1928 (ainda bem vivinha nos seus 92 anos de idade) em Portimão (hoje vivendo na Praia da Rocha).

 

Analisando de longe a sua vida e sabendo-a oriunda da classe média/alta do Algarve como tal, podendo seguir o caminho (certamente mais agradável) que lhe estava (em princípio) destinado (numa província algarvia periférica, salvo o recurso á agricultura/pescas e então votada ao abandono),

 

Reorganizaçãodopcp2.jpeg

Tipografias Clandestinas do PCP

 

Optando pela luta contra a ditadura e obrigando-se (até pela ação da PIDE) à clandestinidade ─ tal como o seu companheiro o pintor/artista plástico e dirigente do PCP José Dias Coelho, assassinado pela PIDE em dezembro de 1961 e posteriormente imortalizado por Zeca Afonso, na sua música “A Morte Saiu à Rua” ─ e certamente nunca se esquecendo das memórias da sua juventude, entre elas as das manifestações locais e ocorridas na sua juventude (em Portimão) dos operários em protesto das conserveiras e da agricultura algarvia.

 

E na sua história político/partidária como militante (clandestina) do PCP juntando-se ainda a Maria Lamas e Maria Palla (mãe do nosso 1º Ministro António Costa) no comité (feminista) do partido, para se exilar em 1955 com o seu companheiro acabando apoiada (após o assassinato de J. D. Coelho) por Álvaro Cunhal e por dirigir o Jornal Avante.

 

Regressando em 1975 a Portugal e sendo uma das propulsionadoras da recordado por nunca concretizada “Reforma Agrária”, podendo ter sido uma das vias de desenvolvimento da nossa então tão atrasada agricultura (com muitos campos deixados ao abandono, pela guerra, pela emigração) mas perdendo-se no seu caminho (cruzamentos/interseções ideológicas) sob múltiplos ataques e indecisões levando à sua liquidação total pelo então Ministro da Agricultura (teórico e intelectual) António Barreto (PS). 

 

Como escritora e até revivendo e dando-nos a usufruir uma “Vida-Rica” editando há três anos (em 2018) a sua obra (uma autobiografia) “Memórias de uma falsificadora”.

 

Em 2019 por altura do 25 de abril e como “uma mulher antifascista e uma combatente pela liberdade”, tendo passado por Albufeira.

 

(imagens: e-cultura.pt ─ wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:59