Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

03
Abr 20

No dia em que o número de óbitos

− De um dia para o outro

Duplicar,

Entraremos definitivamente na

Zona Vermelha”.

tvi-direto-boliqueime-loule.jpg

 

O dia em que o Covid-19 chegou a um Lar de Idosos de Boliqueime

(Algarve, concelho de Loulé e terra natal do ex-1º Ministro Cavaco Silva)

 

Mapa indicativo do número de “óbitos + casos críticos ou graves” registados diariamente em Portugal, desde 2 de março até 3 de abril de 2020.

x.jpg

 

Numa contagem iniciada a 16 de março − 1º óbito registado – e registando o primeiro valor de casos graves/críticos a 20 de março. Hoje (abril, 3) indicando um total acumulado de 246 óbitos e 245 em estado grave/crítico.

 

Num Universo de mais de 10.000.000 pessoas (10.276.617) e numa amostra de quase 10.000 contaminados (9.886) – 0,01% da população de Portugal − com 246 óbitos (taxa de mortalidade = 2,5%) e com 245 em estado grave/crítico (2,5%).

 

Ou seja, amanhã (abril, 4) até se podendo atingir (um cenário trágico) as 491 vítimas mortais, praticamente duplicando o número de óbitos e aí sim, tornando-se uma verdadeira preocupação lançados como estaremos a caminho do tão falado Pico Máximo.

 

(dados: wikipedia.org − imagem: regiao-sul.pt/TVI)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:02

29
Mar 20

Como se já não bastasse o surto epidémico de Covid-19 (definido como uma Pandemia) atravessando todo o nosso planeta e igualmente atingindo Portugal (e a Região do Algarve),

 

acesso-praias-albufeira-scaled.jpg

COVID-19: Albufeira fecha estacionamentos e acessos às praias

(Praia da Galé)

 

Sendo agora acompanhado na região algarvia pelo assassinato “macabro” de um jovem (de 21 anos de idade, técnico de informática trabalhando em Porches e antigo aluno da Escola Secundária de Albufeira), há cerca de uma semana dado como desaparecido e agora parcialmente encontrado – assassinado e esquartejado e ainda com partes do seu corpo por encontrar – tendo agora de nos socorrer pretendendo-se saber algo sobre a evolução deste vírus mortal na região, dos poucos órgãos de comunicação social escrita existente no Algarve (como por exemplo o real relatório da situação epidemiológica em Portugal, como é o caso da Região do Algarve, onde resido há mais de 35 anos) − já que pelos vistos os “matemáticos da DGS” não serão assim tão matemáticos como isso (pelo menos na recolha, tratamento e compreensão de dados) – depois da consulta de vários jornais algarvios e sabendo estes de antemão os números não estarem corretos, ficando-se a conhecer finalmente (em números sempre em evolução, podendo neste momento já estar alterados),

 

Região

Confirmados

Vítimas Mortais

%

%

Norte

3550

59,5

61

51,3

Centro

709

11,9

28

23,5

Lisboa/V.Tejo

1478

24,8

28

23,5

Alentejo

41

0,7

0

0,0

Algarve

108

1,8

2

1,7

Madeira

43

0,7

0

0,0

Açores

33

0,6

0

0,0

Total

5962

100,0

119

100,0

Portugal Continental e Ilhas

Confirmados/Vítimas Mortais

(Dados: DGS/29.03.2020/11:00)

 

Que o número de vítimas mortais registadas até ao momento na região, não serão nem os números apresentados pela DGS e pela ARS Algarve de apenas 1 indíviduo falecido, nem os números divulgados pelas Redes Sociais apresentando (acreditando neles, desde o início de março) uma lista já extensa de mortes em toda esta região (mais a Sul de Portugal) – só em Albufeira talvez a caminho de uma dezena e até com alguns deles identificados (provavelmente um dia destes, tendo que forçosamente de sair de casa e aparecer, provando estarem vivos), já que “para estas fontes adorando o impacto do sensacionalismo (de preferência trágico) todas as mortes serem Covid” – a notícia de que esse número (pelo menos no início deste domingo 29 de março) seria de 3: depois do idoso de 77 anos residente e falecido em Albufeira, sendo seguido dias depois pelo professor da Escola Manuel Teixeira Gomes (de Portimão) residindo em Carvoeiro (Concelho de Lagoa), surgindo hoje o caso do idoso de nacionalidade britânica de 77 anos residente em Benagil (o primeiro estrangeiro residindo na região vítima do Covid-19, segundo registado em Lagoa). E com todas as outras mortes sendo associadas ao novo coronavírus − pelas inúteis e por vezes (já agora recorrendo ao nosso 1º Ministro)repugnantes” Redes Sociais − nada tendo a ver com o mesmo.

 

Concelho

Confirmados

Vítimas Mortais

Recuperados

%

%

%

Portimão

20

17,7

0

0,0

1

100,0

Lagoa

4

3,5

2

66,7

0

0,0

Silves

3

2,7

0

0,0

0

0,0

Albufeira

25

22,1

1

33.3

0

0,0

Loulé

18

15,9

0

0,0

0

0,0

Faro

30

26,5

0

0,0

0

0,0

SB Alportel

1

0,9

0

0,0

0

0,0

Olhão

2

1,8

0

0,0

0

0,0

Tavira

3

2,7

0

0,0

0

0,0

VRSA

7

6,2

0

0,0

0

0,0

Restantes

0

0,0

0

0,0

0

0,0

Total

113

100,0

3

100,0

1

100,0

Concelhos da Região do Algarve

Confirmados/Vítimas Mortais/Recuperados

(Dados/já corrigidos: ARS Algarve/29.03.2020/14:00)

 

Segundo dados recolhidos consultando os jornais de hoje (domingo, 29 de março) da Região do Algarve, registando-se até agora 113 casos (DGS/108) confirmados de Covid-19 e 3 vítimas mortais (DGS/1), numa taxa de mortalidade (calculada sobre  amostra) de 2,7% (Portugal Continental/Ilhas/Estrangeiro de 2,0%) − ambos números aceitáveis sabendo-se que anteriores coronavírus (nas amostras consultadas muito longe do impacto deste, sendo este e em princípio muito mais violento) andaram por uma taxa de mortalidade de cerca de 2% (pelo menos não superiores) e que no caso do Covid-19 a taxa de mortalidade (até ontem/hoje) andava nos 4,7%. Itália nos 11%!

 

(legenda/imagem: jornaldoalgarve.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:34

25
Mar 20

Com todos a ansiarem que o Pico Máximo, esteja quase aí a chegar.

E esperando que a Itália e a Espanha (até como um sinal),

sejam exemplos imediatos disso.

 

Screenshot_2020-03-25 Covid-19 43 mortos, 2 995 in

 

Esta quarta-feira (25:03.2020) com a wordometers.info a indicar para Portugal 2.995 infetados (+633), 43 vítimas mortais (+10) e 22 doentes recuperados; para além de entre os 2.930 casos ainda ativos, 48 estarem em estado grave ou crítico. Segundo os dados do min-saude.pt sendo este o ponto da situação em Portugal (estando os dados conhecidos corretos):

 

Portugal

População/Casos Suspeitos

 

%

Observações

População

10.134.663

100,0

População: dados countrymeters.info

Casos Suspeitos

21.155

0,2

Covid-19/25.03.2020

 

%

Região/Nº

Algarve

Casos Confirmados

2.995

100,0

Norte

1.517

Portimão 11

Silves 3

Albufeira 16

Faro 17

Lagoa 4

Loulé 7

Tavira 1

V.R.S. António 3

 

Centro

365

Lisboa e Vale do Tejo

992

Alentejo

12

Algarve

62

Madeira

16

Açores

17

Estrangeiro

14

Vítimas Mortais

43

1,45

Vítimas Mortais:

 

Albufeira 1

Recuperados

22

0,75

Doentes Ativos

2.930

97,8

 

E entrados numa fase de mitigação − não passando mais do que uma tentativa de suavizar (o processo) e acalmar (o povo), à medida que se caminha cada vez com maior velocidade e com um maior nº de vítimas mortais em direção ao Topo da Curva, ou seja, o Pico Máximo de Atividade do Vírus na qual a única e principal expetativa (e esperança) de todos nós reside na forma que apresentará o Topo da Curva (no pior cenário com um pico mais acentuado e para o vertical ou no melhor cenário, um outro menos acentuado por mais espalhado no tempo, logo permitindo ter o equipamento e os recursos humanos necessários), restando-nos esperar bem sossegadinhos e sentadinhos em casa (muitos já trabalhando por nós na saúde, nos transportes e na produção, sacrificando-se para que aos outros nada aconteça de mal) pelo fim deste processo:

 

Screenshot_2020-03-25 ReporDiario_COVID_19_25mar20

 

Podendo durar meses ou semanas e ainda (descuidando-nos, pensando já estarmos safos) retornar, seja logo a seguir ou sendo como o vírus Influenza (Gripe), na próxima temporada (ano) – tendo-se pois de resistir e (saber) esperar (e desejar, talvez rezar) que no mais curto espaço de tempo se encontre algum tipo de cura, para este Agente Mortal (Infiltrado) e ainda-por-cima invisível. Invocando se necessário “Deus e até mesmo o Diabo” para que em 2021 este vírus mortal não tenha, entretanto, sofrido mutações (reiniciando-se de novo o processo). Talvez em abril chegue o PICO e lá para maio (se não mesmo junho, num cenário mais adverso) e finalmente (sempre com extremos cuidados) a estabilização, e a restituição da nossa Liberdade (após atingido o pico da curva − ainda não lá se tendo chegado − nunca menos de um mês).

 

(imagens: lifestyle.sapo.pt  − arsalgarve.min-saude.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:36

24
Mar 20

[Cenário Covid-19 a 23 de março de 2020.]

 

covid-19-4908692_1280-e1584744099444.jpg

 

Com a Região do Algarve e a Região da Andaluzia podendo-se dar como sortudas e bem felizes por não terem pelo menos até hoje levado com toda a pesada carga de Covid-19 em cima: num total de (2.696+23=) 2.719 vítimas mortais entre o Algarve e a Andaluzia registando-se (58+1=) 59 vítimas mortais, ou seja, 2,2% (e se juntarmos o Algarve e Huelva ficando-se pelas 2 vítimas mortais).

 

Com a pandemia de COVID-19 parecendo até ao dia de hoje (23 de março) e por qualquer razão ainda não compreendida protegido os PAÍSES ANDALUZES – englobando a Andaluzia, o Alentejo, o Algarve e até o Rift Marroquino (uma iniciativa de finais de 2017 oriunda da Assembleia Nacional da Andaluzia, quando em Espanha já decorria o processo Independentista da Catalunha)  − com os seus mais de 13 milhões de habitantes,

 

DLdCXrKW4AAgRUz.jpg

 

Sendo importante até para confirmação de notícias chegadas e divulgadas pelo público em geral, verificar o comportamento destas 6 regiões “Andaluzes (4 regiões de Espanha e 2 regiões de Portugal) perante esta Pandemia, sobretudo (e pensando em nós portugueses) no que diz respeito às zonas fronteiriças e aos possíveis contactos entre os dois lados: e para os residentes na Região do Algarve (como é o caso de Albufeira) o que se passa na Região Autónoma da Andaluzia.

 

paises_andaluces.jpg

 

Assim e como se constata até ao dia de hoje (23 de março) em Portugal (continental) com o número de infetados/mortes no Alentejo e no Algarve a serem dos mais baixos registados em todo o país – Alentejo com 5 casos confirmados e nenhuma vítima mortal e Algarve com 42 infetados e 1 vítima mortal (num panorama global de Portugal com 2.060 infetados e 23 vítimas mortais) – coincidindo de uma forma interessante e curiosa (e sobretudo Feliz) com o que se passa na Andaluzia (se comparada com as outras províncias de Espanha).

 

Iberia_regions_map(pt).png

 

Preocupação que tanto atingirá os nossos vizinhos Andaluzes (com maior intensidade dada a sua maior proximidade com os focos infeciosos já detetados em Espanha) − a 23 de março já a caminho dos 40.000 infetados, com 2.696 mortos e 2.355 em estado grave ou crítico − como os seus vizinhos Algarvios apenas separados destes por um rio (Guadiana) e por uma ponte (em Castro Marim). E assim olhando para os dados oriundos da Andaluzia referentes a 23 de março, verificando-se na realidade e até ao momento ser uma das regiões menos atingidasapesar de já estar ao nível global de Portugal (que até nem está nada mal), isto até para se ver o Inferno que se está a viver no país nosso vizinho (só sendo ultrapassada pela região onde o Inferno já chegou há muito, criando um cenário Apocalítico, a Itália).

 

Província de Espanha − Covid-19

23.03.2020

Região

Andaluzia

Infetados

Vítimas Mortais

As 2 mais próximas do Algarve

Huelva

58

1

Sevilha

351

5

As 6 mais afastadas do Algarve

Cádis

178

3

Córdova

191

4

Málaga

520

21

Granada

374

17

Jaen

215

5

Almeria

74

2

Total

1.961

58

 

Com as duas províncias mais próximas do Algarve − Huelva e depois Sevilha – a registarem mais de 400 infetados e 6 vítimas mortais, integrando-se numa zona de Espanha onde este novo coronavírus tem atingido com menos intensidade a sua população, numa situação semelhante `sendo registado felizmente (e indo por aí acima) na fonteira com o Alentejo, algo contrário (e aqui infelizmente) ao que se parece estar a passar sobretudo do lado de lá (em Espanha) na fronteira de Vilar Formoso e Bragança.

 

Sinal VERMELHO para a Região CENTRO, de ontem para hoje (23/24) com o número de vítimas mortais devido ao COVID-19 a duplicar (agora na liderança do ranking, onde ninguém pretende estar), passando de 5 para 11!

 

28442079.jpg

 

[Saídos os novos dados sobre a pandemia de Covid-19 em Portugal – hoje 24 de março pelas 11:00 e segundo a DCS – com o nº de infetados a passarem para 2.362 e o número de vítimas mortais a atingir as 29/taxa de mortalidade = 0,9% (recuperados 22). E com estes novos dados a confirmarem a zona do nosso país mais exposta à contaminação deste novo coronavírus, com  zona CENTRO (com o posto fronteiriço de Vilar Formoso a ser provavelmente o mais exposto à entrada de contaminados) tomando a dianteira de nº de vítimas mortais ultrapassando o Norte e Lisboa e Vale do Tejo: das 29 mortes até agora registadas com o Centro com 11 (+6) – o único de 23 para 24 de março registando um aumento de vítimas mortais num crescimento de 120% − o Norte com 9, Lisboa e Vale do Tejo com 8 e o Algarve com 1.]

 

(imagens: yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:29

23
Mar 20

MUNDO:

“366.956 Infetados, 16.100 Vítimas Mortais, 101.065 Recuperados.”

(23.03.2020 pelas 17:38 TMG)

 

Segundo dados de hoje (23.03.21020) registados pela DGS e reportados às 11:00 locais (de Portugal):

 

siga-a-confer-ncia-de-imprensa-da-dgs-em-direto-12

Conferência de Imprensa da DGS de 23.03.2020

 

Pandemia Covid-19

Casos

Condições

%

Suspeitos

13.674

Vigilância

11.482

Infetados

2.060

Não Internados

1.789

86,8

Internados

201

9,8

Grave/Crítico

47

2,3

Vítimas Mortais

23

1,1

Recuperados

14

 

Com 2.060 infetados e 23 vítimas mortais − taxa de mortalidade = 1,1% − e dos casos ativos com 47 em estado grave/crítico – 2,3% (dos 2.060) – estando Portugal ainda afastado dos cenários Europeus mais explosivos como (a nível do nº de vítimas mortais, superior a 100) a Itália (5,476), a Espanha (2.206),  a França (674), o Reino Unido (289), a Holanda (213), a Suíça (118) e a Alemanha (115) – e abaixo da centena de mortos surgindo a Bélgica (88): ou seja e sendo uma evidência, com a Europa claramente dividida entre a tragédia em curso na Europa Ocidental e o ambiente bem mais desanuviado da Europa de Leste. Justificação?

 

Com a seguinte curva epidémica (relativa a 21 dias) e distribuição por região (8):

 

curva-epidmica-de-covid.jpeg

↑Casos Confirmados por dia de 2 a 22 de março

 

Dia

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

2

2

2

3

4

8

9

9

2

18

19

Dia

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

34

57

76

86

117

194

143

235

260

320

?

 

Relativamente á evolução dos casos confirmados (neste momento com 2.060 casos e 23 mortos) diariamente (num registo de 21 dias consecutivos), com o seu número continuando ainda a aumentar (nos últimos três dias registando-se +235, +260 e +320 novos casos respetivamente) moderadamente, deixando-nos ainda pensar (e a desejar) que  a exponencial e o topo da curva (de atividade do Covid-19) poderão ter ainda um comportamento aceitável (achatando a Curva e espalhando-a no tempo para dar possibilidade aos equipamentos e descanso aos recursos humanos), no que diz respeito à evolução da nossa saúde e das restantes pessoas: afastando-nos da previsão de Curvas de impacto muito mais violento, tal como acontece (para já e sobretudo) na Itália e na nossa vizinha Espanha (no caso do Algarve e felizmente, com a nossa vizinha Andaluzia sendo das regiões menos atingidas de Espanha) e por outro lado aproximando-nos mais do exemplo da China, Coreia do Sul e Macau (tendo já controlado os efeitos desta Pandemia, estabilizado e preparando-se para o retorno à atividade económica). Um mau sinal seria repentinamente o número de casos confirmados disparar, sendo acompanhado simultaneamente pela subida em flecha (a tal exponencial) do nº de vítimas mortais (na Itália num só dia e batendo todos os recordes globais registando-se quase 800 mortos, o dobro dos dias mais críticos registados no início da epidemia, então com epicentro na China).

 

Pandemia Covid-19

Região

Infetados

Vítimas Mortais

%

%

Norte

1.007

48,9

9

39,1

Centro

238

11,6

5

21,7

Lisboa e V.T.

737

35,8

8

34,8

Alentejo

5

0,3

0

0

Algarve

42

2,0

1

4,4

Madeira

9

0,4

0

0

Açores

11

0,5

0

0

Estrangeiro

11

0,5

0

0

Total

2.060

100,0

23

100,0

 

No que diz respeito à passagem do Covid-19 pelo nosso país e seus efeitos e consequências nas diversas regiões (continente e ilhas), com a grande concentração de casos (confirmados) a localizarem-se − não só no nº de infetados como o nº de mortes − na região Norte (1.007/9)  e na região de Lisboa e Vale do Tejo (737/8), mas igualmente com a região Centro (238/5) a preocupar. Com a outra vítima mortal a ser registada no Algarve (Albufeira) e com o Alentejo e as ilhas ainda sem vítimas mortais. Esperando-se, desejando-se e rezando-se, para que tudo continue assim (ou melhor) − pelo menos com os chineses, a ajudarem-nos.

 

Screenshot_2020-03-23 Covid-19 Mais de 460 mortos

Espanha − de 22 p/ 23 de março c/ +4.500 infetados e +460 mortos

 

Já a nível Global – com mais de 350.000 infetados e mais de 15.000 mortos (taxa de mortalidade = 4,4%) − envolvendo todos os Continentes e pondo de lado a Europa − agora a receber ajuda chinesa, cubana e russa, numa tentativa de evitar o colapso e o caos social, nada interessante devido à suas trocas comerciais, especialmente para os asiáticos – com o panorama geral a não ser nada um bom sinal, com o coronavírus depois de atacar a Ásia e a Europa, a dirigir-se em força para o continente Americano (mais intenso para já a norte) − veja-se o caso dos EUA (já perto dos 500 mortos) podendo imitar a Espanha ou a Itália − estando já a infiltrar-se em África (para já com a África do Sul a ter o maior nº de infetados/402, sem vítimas mortais e o Egito o maior nº de mortos/14 e 327 infetados). Estando “com o credo na boca” a ITÁLIA (5.476 I/3.000 Graves-Críticos), a ESPANHA (2.206 I/2.355 G-C), o IRÃO (1.812 I/sem dados de G-C), a FRANÇA (674 I/1.746 G-C), os EUA (483I /1.040 G-C) e o REINO UNIDO (3.35 I/20 G-C) − e preparados como suplentes na Europa a HOLANDA (213 I/435 G-C) e na América do Sul o BRASIL (25 I/18 G-C), este último (é certo que eleito pelos brasileiros, mas graças ao louco/criminoso Presidente Bolsonaro) com números superiores ao de Portugal.

 

(imagens: Dgs-Covid-19-Coronavírus/headtopics.com

− anmsp.pt − EPA/MARISCAL/24.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:47

22
Mar 20

Será o Topo da Curva em meados de abril, tal como o diz (sugere) a Ministra?

(e assim ocupando o tempo, com um bom passatempo)

 

corona_virus_recomendacoes_TV.jpg

Tape a boca ao tossir, lave frequentemente as mãos

e evite o mais possível os contactos

 

  1. Esperando pelos novos dados sobre a Evolução do Covid-19

(de 21 para 22 de março)

 

Olhando para o nosso planeta Terra e estendendo o nosso órgão da visão em direção à linha do horizonte e com mais um pouco de esforço indo para além do seu limite – dando a volta ao nosso planeta e percorrendo toda as suas coordenadas geográficas – face ao cenário agora criado colocando aparentemente em perigo “a nossa própria espécie”, toda a sua organização social e económica e num extremo possível a própria Civilização Humana – a nível Global e pelas 10:45 TMG  com o nº de Infetados a ultrapassar os 300.000 indivíduos (308.720), o nº de Vítimas Mortais (VM) a ultrapassar os 13.000/taxa de mortalidade = 4% (13.071) e o nº de doentes entretanto Recuperados (R) de mais de 95.000/taxa de recuperação = 31% (95.838) – de momento afetando direta e aproximadamente 0,004% da População Mundial (7.500.000.000 de indivíduos), mudado o epicentro deste surto epidémico (inicialmente localizado na China, agora centrado na Itália) agora sendo denominado como uma Pandemia dado ter alastrado a todo o Globo Terrestre, pela sua aproximação e face à falta evidente de equipamentos e recursos humanos para o combater com algum tipo de eficácia de preferência rápida e incisiva (mesmo tendo visto o vírus a arrancar na China em janeiro, com a Europa tal como o Resto do Mundo a não se terem prevenido e agora face à brutalidade do mesmo não conseguindo sequer remediar), proporcionando-nos cenas trágicas e impensáveis de milhares morrendo por lares, casas e hospitais e ruas, com caixões sendo agrupados como que em filas de espera, aguardando o seu funeral anónimo a sua vez, ainda sendo mais doloroso e mortal (por letal) olhar para o centro da UE e ver o que se passa (quase em linha reta e avisando-nos, apontando em direção de Portugal) bastando para tal referir-nos a 8 países exemplares e exemplos, desta nossa Comunidade − e da presença efetiva do novo coronavírus Covid-19 entre nós: Itália (4.825 VM), Suíça (80 VM), Alemanha (84 VM), Bélgica (67 VM), Holanda (136 VM), França (562 VM), Reino Unido (233 VM) e Espanha (1.381 VM), totalizando 7.468 Vítimas Mortais (57% do Total Global das VM). Deixando-nos aqui a pensar o que sucederá connosco estando no processo (de contágio/infeção) um pouco atrasados em relação aos outros e ainda a caminho do maldito Topo da Curva onde se atingirá o Pico Máximo de Atividade do Covid-19 (com a DGS talvez para nos animar e sendo otimista, a apontar para os meados do mês de abril) e a partir daí começando a descer até se regressar a um período aparente normal semelhante àquele que a China agora parece começar a atravessar, tal como (entre outros países Asiáticos então próximos do Epicentro original do vírus) Singapura, Macau e a Coreia do Sul. E sabendo-se já o que se passa perto de nós e o que devemos fazer para nos proteger e aos outros, faltando-se apenas conhecer e sendo esta a nossa preocupação prioritária − Obviamente depois de matarmos “o bicho”, Depois de nos Curarmos e até para tendo um prazo nos libertarmos do nosso stress acumulado (individual por falta do coletivo) – estabelecer desde já o Dia Exato da Inversão (Dia da Nossa Ressurreição e se o Mundo aí o permitir e se quisermos sobreviver de uma nova Incorporação): esperando-se que tal como investigadores já afirmam e desaparecendo do cenário (Mundial) a presença do vírus Covid-19, este não reapareça (no Hemisfério Norte) no próximo Inverno (tal como acontece com a Gripe) numa 2ª Vaga ainda mais poderosa e mortífera. Então aproveitemos a ocasião de estarmos em casa tentendo por comparação e entretendo-nos encontrar o ponto inicial de restauro da nossa felicidade (consultando por exemplo a evolução da China/Coreia do Sul/Macau, comparando-as com as da Itália/Espanha/Alemanha e tentando extrapolar para Portugal), aí saindo de casa e encarando de novo e talvez de uma maneira certamente que diferente (algo que nos acontece colocados numa situação extrema sendo a morte uma delas) tudo o que nos rodeia.

 

Screenshot_2020-03-22 Covid-19 80% dos casos são

Conferência de Imprensa de 22 de março

com Graça Freitas (DGS) e Marta Temido (MS)

 

  1. Saídos os Dados sobre a Evolução do Covid-19

(de 22 de março)

 

No Mundo e segundo dados da WORLDOMETER (20:03.2020 pelas 14:05):

 

Condição

Condição

%

Infetados

318.229

Ativos

Médio

198.406

62,3

Crítico/Grave

10.142

3,2

Fechados

Recuperados

96.010

30,2

Mortos

13.671

4,3

 

Reportando-nos para dados pouco animadores − exceção feita à Ásia na generalidade e aparentemente. ultrapassado o topo da curva, em decrescimento da atividade do Covid-19 − com o Resto do Mundo ainda em crescimento no nº de infetados/nº de mortos (mesmo no Hemisfério Sul vindo do Verão/do calor e entrando já no Outono/no frio) e a caminho do Pico Máximo de Atividade do Vírus a apresentar números preocupantes se não mesmo (podendo haver pior, talvez pela sua visibilidade por exposição direta e ao vivo) aterradores − com países antes exemplos de liderança da Europa Ocidental, no Top deste Evento no que diz respeito à tragédia (Covid-19), para já (felizmente e que seja para sempre) sem sinais a curto-prazo (dia-a-dia se vendo) da presença de Portugal. Destacando-se neste cenário (worldometer):

 

Nº por VM

País

Infetados

Mortos

Grave/Crítico

Casos/1M

Itália

53.578

4.825

2.857

886

China

81.054

3.261

1.845

56

Espanha

28.572

1.753

1.785

611

Irão

21.638

1.685

SD

258

França

14.459

562

1.525

222

EUA

26.609

349

708

81

Reino Unido

5.018

240

20

74

Holanda

4.204

179

354

245

Coreia do Sul

8.897

104

59

174

10º

Alemanha

23.937

93

2

286

11º

Suíça

7.225

80

141

835

12º

Bélgica

3.401

75

288

293

Brasil

1.201

18

18

6

Portugal

1.600

14

26

157

Total

318.229

13.671

10.142

(40,8)

(VM: Vítimas Mortais)

 

Screenshot_2020-03-22 Apresentação do PowerPoint

Na procura do Topo da Curva

A Evolução do nº de casos de infetados de 20.02 a 22.03

 

Já no caso de Portugal (continente e ilhas) consultando os dados da DGS publicados em 22.03.2020 pelas 11:00 (deste domingo), com os valores a apontarem:

 

Casos

Localização

Observações

Infetados

1.600

Norte/825, Centro/180, Lisboa e V.T. (534), Alentejo/5, Algarve/35, Madeira/7, Açores/4, Estrangeiro/10

No Algarve com 35 casos confirmados e com a única vítima mortal até ao momento registada (na região), a ser um idoso de 77 anos já com problemas anteriores de saúde e sendo residente no concelho de Albufeira.

Mortos

14

Norte/5, Centro/4, Lisboa e V.T./4, Algarve/1

Grave/Crítico

169 internados e 41 internados em UCI

Recuperados

5

 

Olhando assim para o Mundo − já com 169 países/regiões infetadas por este novo coronavírus (uns 85%) − para um dos 193 países integrando a ONU (UN), no nosso caso Portugal e no entanto nem sequer nos debruçando muito sobre o que se passa no “abandonado à sua sorte” Irão (asfixiado pelas sansões agora tendo sido ainda mais apertadas pelos norte-americanas), sendo devastadora a situação vivida na Itália (perto das 5.000 VM), parecendo estar no mesmo trilho a nossa vizinha Espanha (perto das 2.000 VM) e com a França (mais de 500 VM), o Reino Unido (perto das 250 VM) e a Holanda (a caminho das 200 VM e com a Suíça e a Bélgica a caminho das 100 VM candidatando-se) a correrem o risco de nada fazendo (de efetivo contra o Covid-19) serem levadas pela mesma corrente (mortal). Mas não deixando de notar o que se passa nos países dirigidos pelo Trump Original (Donald Trump o TRUMP NORTE-AMERICANO) e pelo Trump Réplica ou Clone (Jair Bolsonaro o TRUMP SUL-AMERICANO):

 

Screenshot_2020-03-22 ReporDiario_COVID_19_22mar20

Presença do vírus Covid-19 na região do Algarve

Atingindo 7 concelhos mais acentuadamente o Algarve Central

 

E se o primeiro ainda que atrasado já reparou no que está metido (tal como a outra sua réplica ou clone Boris Johnson, o TRUMP EUROPEU) no caso do Brasil com a situação a poder ser muito mais grave (já com mais mortes que em Portugal), não só por entrar agora no período que o levará até à estação mais fria (Outono seguido do Inverno, segundo dizem o tempo que a Gripe e o Covid-19 parecem e gostam de partilhar) e húmida, como (e isto sendo muito mais grave por criminoso, podendo conduzir as pessoas inconscientemente e acreditando nos seus representantes, à morte) por o seu Presidente comparar a ação deste vírus a uma mera gripe ou simples constipação logo, não precisando de proteção e de nenhum tipo especial de ação. Já no caso do outro país da ONU integrando a Península Ibérica (tendo a sua única fronteira terrestre com a Espanha) e localizado no ponto mais periférico e ocidental da Europa, com o “Inferno Covid-19” no presente a parecer ter sido “contido na fronteira” (em Espanha perto dos 30.000 infetados, 4º lugar no Ranking Mundial Covid-19) com a nossa Curva Covid-19 (a caminho do nosso Pico Máximo) a evoluir moderadamente podendo-nos conduzir a uma curva e a um pico satisfatoriamente (esperemos que bem) aceitável – mas (por azar ou por descuido ou mesmo por habituação negativa) podendo tudo mudar radicalmente de um dia para o outro. Neste domingo (22 de março) com 14 vítimas mortais registadas (1 no Algarve/Albufeira, ou seja 7%) num universo de 1.600 infetados, numa taxa de mortalidade perto dos 1% − mas entre os doentes ainda ativos com 26 em estado grave ou crítico.

 

(dados: worldometer.com − imagens: arsalgarve.min-saude.pt e 24.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:43

21
Mar 20

Pela manhã deste sábado (março, 21) a nível de Portugal (Continente e Ilhas) já com 1.280 infetados e 12 vítimas mortais, na Região (Turística) do Algarve com os números a apontarem pelas 11:00 e segundo a DGS para 31 infetados e 1 vítima mortal: segundo o presidente do Município de Albufeira (José Carlos Rolo) tratando-se de um idoso  de 77 anos residindo “nas proximidades de Albufeira” já com problemas (anteriores) de saúde associados.

 

Screenshot_2020-03-21 ReporDiario_COVID_19_21mar20

DGS

Algarve

(21.03.2020)

 

Pandemia de Covid-19

País

Região

I

VM

A

R

%

%

%

%

Portugal

Total

1.280

100,0

12

100,0

1.263

98,7

5

0,4

Norte

644

50,2

4

33,3

Algarve:

(em vigilância mais de 600 casos)

 

7 concelhos com 31 casos de coronavírus (Covid-19) confirmados:

 

Portimão/8, Lagoa/2, Silves/3, Albufeira/5, Loulé/2, Faro/10 e Tavira/1; e 1 vítima mortal de Albufeira.

Centro

137

10,7

4

33,3

Lisboa/VT

448

35,0

3

25,0

Alentejo

3

0,3

0

0,0

Algarve

31

2,4

1

8,4

Madeira

5

0,4

0

0,0

Açores

3

0,3

0

0,0

Estrangeiro

9

0,7

0

0,0

DGS

21.03.2020 − 11:00

(I: Infetados VM: Vítimas Mortais A: Ativos R: Recuperados)

 

Olhando para os dados da tabela acima e para o gráfico abaixo indicado verificando-se que Portugal já iniciou a sua subida em direção ao PICO MÁXIMO de ATIVIDDE do VÍRUS COVID-19, para já e aparentemente podendo ter esperança de poder controlar “A CURVA” evitando males maiores ou mesmo uma tragédia, tal como parecem estar a levar avante alguns países como a ALEMANHA (73 vítimas mortais/VM) − com a melhor performance entre os países “líderes”, mais desenvolvidos e maiores da EU −  a ÁUSTRIA (8/VM), a NORUEGA (7/VM), a DINAMARCA (13/VM) e PORTUGAL (12/VM). No lado oposto estando e ainda “A CAMINHO DO TOPO DA CURVA− um TRIO podendo passar a QUARTETO − a ITÁLIA (já tendo implodido com os seus mais de 4.000 mortos), a ESPANHA (podendo estar prestes a implodir, parecendo seguir o mesmo caminho da Itália, com os seus mais de 1.300 mortos) e a FRANÇA (para já a caminho dos 500 mortos) mantendo o rumo (grande nº de doentes em estado grave/crítico, o 2ª depois da Itália) podendo rapidamente juntar-se ao Mortal Clube Covid-19,

 

Covid-19

Algo sobre o omnipresente entre nós,

acompanhando-nos nas próximas semanas.

futurist-keynote-speaking-during-a-pandemic-covid-

O que fazer durante uma Pandemia?

Talvez falar, escrever, comunicar.

(as experiências)

Entre algumas curiosidades sobre este surto epidémico iniciado na China e agora com centro na Itália do novo coronavírus Covid-19 agora transformada numa PANDEMIA, com os grupos etários mais afetados em Itália a serem um pouco diferentes dos da grande maioria, aí infetando e vitimando esmagadoramente os mais idosos e nos restantes (como é para já o caso português) infetando e matando na maioria dos casos indivíduos na faixa etária dos 30 aos 59 anos de idade − e se em Portugal os géneros se equiparam (no nº de infetados) em Itália com o masculino a ser o mais afetado.

E com a vacina à distância mínima de um ano (até podendo ser dois e quando a mesma surgir já se tendo verificado outra mutação no vírus) com os estudos a dirigirem-se igualmente para a observação do comportamento do vírus sob diferentes condições de calor e de humidade: sabendo-se que no Hemisfério Norte (finalizado o Inverno) iniciada a Primavera seguindo-se o Verão e que (diz-se entre leigos e eruditos) com o aumento da temperatura (comportando-se como os seus familiares corona/gripe) o “bicho” se poderá dar mal e até morrer (ou então adormecer).

Ultrapassada a Crise Sanitária consequência desta Pandemia − com o Mundo todo parado, as ruas completamente vazias, fazendo-nos imaginar integrarmos um cenário APOCALÍTICO ainda-por-cima com os ZOMBIES sendo invisíveis − podendo não ser definitiva e com todos a desejando temporário, sucedendo-se inevitavelmente a Crise Económica com o regresso na defesa dos seus direitos adquiridos dos Ricos (e das suas opções pelo objeto, pelo lucro) e dos seus intermediários (subordinando-nos ao poder crescente do objeto − ao contrário do sujeito dispendioso e de desgaste rápido −  como produtor de mais-valia), os nossos bem conhecidos Políticos: não a uma crise como a que nos levou ao Reinado de PPC (numa coligação PSD/CDS) mas a uma outra muito mais parecida com a Grande Crise Económica (e Global) de 1929. Pelo que no presente se observa, com o caos instalado nos EUA (ainda-por-cima em processo eleitoral, obcecando toda a oposição em torno de Trump e nada fazendo de útil num período e numa campanha durando já há 4 anos), a Europa à beira-do-abismo e a Ásia com a China no comando (Rússia e Índia) a poder assumir o controlo do EIXO ECONÓMICO-FINANCEIRO GLOBAL: como já está a acontecer no dia de hoje com a CHINA, aparentemente com a Crise Covid-19 ultrapassada e a sua Vida Económica de regresso, a enviar aviões em direção à EUROPA carregada de equipamentos e recursos humanos tentando combater e parar (tal como o fizeram no seu país) esta nova Pandemia.

 

– Mas nunca esquecendo o Reino Unido (do Trio, formando o Quarteto) só por agora tendo decidido mudar de opinião, preocupando-se um pouco mais com os seus cidadãos (mas não muito convencidos) e abandonando as ideias norte-americanas (com Trump finalmente a começar igualmente a mexer-se) e brasileiras (sendo mais uma epidemia nada comparável com as consequências da Gripe, “deixando-se andar o bicho, logo se vendo o que daí sairá”): estes últimos não “Impedindo Bolsonaro” tendo-se mesmo que preparar, pois segundo o seu Presidente, líder Espiritual e Trump Sul-Americano, o Brasil não precisa dos conselhos nem da ajuda dos outros (tendo-o a ele e ao seu regimento de criminosos) para se salvar – “Paz às suas Almas”.

 

Missão

Com ela já em subida

Abater e Alongar o Topo da Curva

 

Screenshot_2020-03-21 Ponto de Situação Atual em

Evolução dos casos confirmados de Covid-19 em Portugal

De março/2 a março/21, de 0 a 1.280 infetados

E ao 20º dia de contagem com 12 vítimas mortais

(gráfico: DGS)

 

E com os indicadores de Portugal (continente e ilhas) − dados da DGS − a apontarem como principais indicadores suspeitos (Sinais de Alerta, de Perigo) a FEBRE (27%), as DORES MUSCULARES (21%) e as CEFALEIAS (17%) − a TOSSE só aparecendo em 4º lugar (12%); dos 1.280 casos de infetados pouco mais de 8% sendo importados; e com a faixa etária mais atingida a estar compreendida entre os 30/59 anos de idade (54%) quase que se equiparando quanto ao género – feminino com 51% e masculino com 49%. Com os mais jovens (0/9 anos de idade) a serem os menos atingidos (1 a 2%).

 

(imagens: DGS – nikolasbadminton.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:28

08
Out 19

[Legislativas de 6 de outubro de 2019 Eleição da nova AR Faro/Albufeira]

 

Logo_do_Partido_Socialista(Portugal).png

 

Venceu o PS

(tal como se esperava)

 

E no ALGARVE com 19 Partidos ou Coligações concorrendo às Legislativas de 2019 (em 2015 com 14), com a abstenção no distrito de FARO a crescer de 48,6% para 54,2% (acompanhando de uma forma mais acentuada a descida nacional, esta última com uns 2,5% cerca de metade da primeira) e com o PS a voltar a vencer tal como em 2015: roubando o único deputado do PCP/PEV no distrito de Faro (para além de eliminar o CDS antes concorrendo com o PSD, agora fazendo-o isolado e não elegendo qualquer deputado) e deixando as outras formações (tendo eleito deputados em 2015) – como o PSD e o BE incólumes. E graças à votação de 172.699 dos seus residentes (de um total de 376.801 de inscritos) numa população estimada em menos de 450.000 (nem sequer 30% do total) com o PS a eleger 5 deputados, o PSD 3 e o BE 1 (em 9 deputados podendo ser ou não “originalmente algarvios”).

 

Partido_Social_Democrata_Logo.svg.png  800px-LeftBloc.svg.png

 

Salvou-se o PSD (apesar de tudo)

e o BE (mantendo-se)

 

Já no caso de Albufeira um dos 16 concelhos do Algarve com o PS a vencer (subindo de 29,6% para 33,6% uns 4%), destronando (a nível de legislativas) o anterior vencedor a coligação PSD/CDS (concorrendo isolados e somando-se, descendo de 35,2% para 29,9% mais de 5%) − com o PSD ainda controlando a Câmara. Com os outros partidos mais votados (na Região do Algarve) a acompanharem sensivelmente na mesma proporção a distribuição nacional partidária: e a seguir ao PS (33,6%/subindo) e ao PSD (25,4%/descendo) seguindo-se − todos com mais de 1% − o BE (11,2%/descendo), o PCP-PEV (5,7%/descendo), o PAN (5,5%/subindo), o CDS  (4,5%/descendo), o CHEGA (2,8%/1ªvez), o LIVRE (1,0%/subindo) e a IL (1,0%/1ªvez).

 

Coligação_Democrática_Unitária_logo.png  Cds_simbolo_2.png

 

E desapareceram o PCP/PEV (mantendo o vem-e-vai)

e o CDS (este último talvez de vez)

 

Para no final e como todos infelizmente preveem − como sempre, adiando o inevitável e podendo conduzir por omissão, à Catástrofe − se manter (na região algarvia) tudo na mesma: quanto muito ficando futuramente entalada entre “a construção de estaleiros para o Turismo Imobiliário” ou em alternativa reconvertendo-o e ampliando-o (posteriormente e caso se confirme o Filão) para o que poderá ser o “Negócio do Século” com “a reconversão e deslocação progressiva do investimento regional” do “Turismo (podendo correr se o desejar em paralelo) para as Plataformas”. Num combate assumido pelo anterior Presidente da Câmara de Albufeira (Carlos Silva e Sousa, de 2013 a 2018) e pelos “Vivos” (até por respeito e como homenagem) ainda não esquecido.

 

(imagens: wikipedia.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:59

“Já falta água nas torneiras do Algarve”

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

seca.jpg

No Nordeste do Algarve há populações a ser abastecidas com autotanques

(imagem e legenda: Executive Digest/sapo.pt)

 

Na agricultura, as árvores secam e o gado não tem alimento,

e que as barragens veem diminuir

o caudal de dia para dia.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

E passado o Verão (20 setembro), já entrados no Outono (21 setembro) e concretizadas as Legislativas (6 outubro), eis que os nossos “fazedores-diários-de-opinião (que não Jornalistas) autorizados pelas suas respetivas “Chefias-Público-Privadas (num país onde os interesses de Estado se confundem com os Privados), recebem finalmente − mais interessadas em apresentar lucros contabilísticos (podendo tirar proveito direto e individual dos mesmos) do que benefícios sociais (nade deles beneficiando diretamente, exceto no sentido coletivo) – o seu “Cartão-Dourado” e a confirmação pela sua respetiva hierarquia (dependendo do sector, aqui falando-se das “Águas”) da possibilidade da utilização do mesmo (um cartão sem qualquer tipo de restrição de acesso a todas as Instituições como aos Média) a partir desta 2ª semana do corrente mês (iniciada a 7 outubro):

 

A barragem de Odeleite, uma das principais albufeiras do Algarve

para abastecimento da população e para a agricultura,

está com 27% da sua capacidade máxima.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

“Por acaso ou por coincidência (certamente que não por desconhecimento/irresponsabilidade/incompetência/crime, conforme a graduação que pretendam atribuir a estes factos, aqui ligados à Água) coincidindo com o fim das eleições Legislativas, a declaração dos seus resultados e como consequência (conjugando estrategicamente os dois aspetos anteriores) com o arquivamento definitivo de tudo o que provavelmente − negativo ou mesmo extremamente negativo, a este nível podendo ter efeitos Catastróficos − pudesse estar para trás (como se lavando aí as mãos, se ficasse então esterilizado, sendo de novo certificado e posteriormente e de novo colocado).

 

Já estão em stress hídrico porque há dois anos que não chove.

A azeitona é só a pelinha e o caroço.

Isto é uma miséria.

O Governo tem de pensar em construir pequenas barragens.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

22778841_770x433_acf_cropped.jpg

Ministro do Ambiente garante que Espanha

está a cumprir Convenção de Albufeira

(imagem e legenda: 28.11.2017/observador.pt)

 

Hoje dia 8 de outubro de 2019 e depois de uma seca visível e prolongada (atravessando e sendo oculta todo o Verão) surgindo os primeiros eruditos (do sistema e apoiantes da lobotomia) com as primeiras notícias alarmistas (agora?) − só assim sendo notícia, entrando nos “nossos Ecrãs” − sobre a Seca que já aí está (e como se já e há muito, cá não estivesse e a sentíssemos) e que toda a gente (pelos vistos) conhecia (claro que não incluindo aqueles alguns deles autoridades e com formação superior, que não sabiam e nada fizeram apenas porque que ninguém lhes disse):

 

Mas Odeleite não é o pior caso.

A barragem de Odelouca, que também abastece a região,

está apenas com 22% do seu volume máximo.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

E como se não bastasse a notícia “Já falta água nas torneiras do Algarve” vendo logo ali ao lado uma outra aina pior “Espanhóis cortam Água do Tejo”. E só agora é que avisam?

 

A Águas do Algarve só garante água para abastecer a população

até ao final do ano.

(Executive Digest/08.10.2019/sapo.pt)

 

E isto para não se falar do Tejo e do corte feito (no volume do caudal das Águas do Tejo) – hoje “preocupações” já começadas a ser expressas nos nossos noticiários televisivos − pelos nossos vizinhos espanhóis (lembram-se da Convenção de Albufeira?).

 

(imagem: Executive Digest/sapo.pt – observador.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:19

26
Set 19

“Thomas Cook travel collapsed and stranded 150,000 passengers,

but still had millions for the execs who tanked it.”

(Cory Doctorow/25.09.2019/boingboing.net)

 

Por casos como este se compreende “o entusiasmo” com que muitos dos nossos políticos regressam após uma “Visita de Estado à América (entendendo-se aqui “Estado como Estudo ou Excursão” e “América como EUA”), concluindo nessa sua viagem (ao interior da Maior Potência Global, “Terra de Excecionais” e onde “tudo é possível”) ser sempre concretizáveis elevados retornos financeiros, mesmo sendo-se posto perante um brutal e definitivo colapso financeiro – por um lado levando à inevitável falência, ao desmantelamento da empresa e ao despedimento coletivo (dos trabalhadores, a parte baixa da hierarquia), mas por outro lado protegendo os acionistas (pegando no dinheiro pedido emprestado e indemnizando os investidores) e os seus cargos superiores (levando consigo uns milhões, a parte alta da hierarquia).

 

Airbus_A321-211_‘G-DHJHu2019_Thomas_Cook_2280296

O Fim da Thomas Cook

em 2019

 

E sempre com o mesmo tipo de “Coveiro” a dirigir este género de operações (como faria qualquer talhante de carne, “cortando o nosso corpo aos pedaços, aproveitando o pouco retirado dele e atirando o resto aos cães”) tal como cá já aconteceu em Portugal na área da Saúde (destruindo deliberadamente o SNS e colocando todo e não parte do sector − tal como sucede nos EUA e veja-se “a desgraça para os mais desprotegidos” que isso é − nas mãos dos Privados) e como parece estar a repetir-se agora na CGD (curiosamente sempre com o mesmo, por considerado pela elite-política, Guru).

 

Neste caso e afetando direta e negativamente a Indústria Turística Portuguesa (e os resultados económico-financeiros desta área tornada agora estratégica para o desenvolvimento do nosso país, para além dos serviços e como sempre o indicou a EU, uma das prioridade conjuntamente com a exploração da floresta e rural e a criação de gado) com a inglesa THOMAS COOK a falir de um dia para o outro, deixando cerca de 150.000 turistas e passageiros pendurados e sem transporte de regresso (a casa) em vários aeroportos, espalhados um pouco por todo o Mundo (incluindo Portugal e afetando entre outros destinos turísticos Porto, Lisboa, Madeira e Algarve):

 

Afetando de imediato 150.000 pessoas (presas nos aeroportos) e implicando ainda o cancelamento de cerca de 600.000 reservas de viagens de férias já pagas (ou em pagamento).

 

24707a78d379dd32080ff8262624d4a6-Thomas-Cook-p-ori

O Início da Thomas Cook

em 1841

 

Para além da dívida contraída (para o que seria mais uma tentativa de consolidação da empresa) não paga e entretanto, já feita desparecer pelos seus credores (mais de 2 biliões de dólares) – entre eles acionistas e quadros superiores (como responsáveis pelo “Caos” sendo pelos vistos graciosamente “Recompensados”) – com o governo do Reino Unido a ver-se repentinamente e sem aviso (ainda-por-cima agora com outra cena extremamente caótica no ar, o BREXIT) com centenas de milhares dos seus cidadãos (ou residentes) a necessitarem de urgente expatriação, perdidos e abandonados um pouco por todo o lado (um drama para além dos custos) − tendo já feito regressar (e pago) quase 17.000 pessoas:

 

E enquanto a empresa dava o estouro (uma das agências de viagem mais antiga e conhecida, tendo os seus próprios aviões, barcos, hotéis, etc.), os empregados iam para a rua (fim da empresa = despedimento coletivo) e os passageiros eram abandonados à sua sorte (em hotéis, barcos e aeroportos), do Outro Lado, Não do Mundo mas da Empresa” só um dos seus chefes executivos arrecadava (mesmo à saída e ao fechar a porta pela última vez) mais um Extra de 8 milhões de dólares certamente e como replica o nosso “Coveiro português (do SNS, da CGD) e todos os seus amigos-contratantes “sem custos para o Estado e para os seus Cidadãos, mas evidentemente e como sempre (por histórico e indesmentível) com elevados custos para os contribuintes, para os trabalhadores e para os consumidores.

 

Mas onde andam os Políticos, as Chefias, os Governos (essa Elitezinha que um dia, em nome da Ditadura ou da Democracia e sem qualquer tipo de autorização, sem pedir licença e em nome do seu deus, se apropriou de Todos Nós)?

 

image.jpg

Falência da Thomas Cook

notada no aeroporto de Faro

 

“It's a story that's familiar to anyone who followed the looting and destruction of Toys R Us, right down to the employees being turfed out with nothing while the sociopaths who engineered the destruction took home millions.”

(Cory Doctorow/25.09.2019/boingboing.net)

 

No caso de Portugal e particularmente da Região de Turismo do Algarve (agora que João Fernandes é Presidente sucedendo − desde 11 de Maio de 2018 – ao “dinossauro-aí-extinto” Desidério Silva) com o novo presidente da RTA a informar da medida preventiva tomada (para além da redução das operações da agência turística na região) desviando os passageiros (à responsabilidade da mesma agência) para outras linhas aéreas, segundo o mesmo com apenas 0,2% desses turistas (uns 20.000 viajando pela Thomas Cook) viajando pelo Algarve (cumprindo diversos planos de férias) a terem sido diretamente afetados (pelas contas do presidente da RTA, de um total de 10.000.000 de turistas), utilizando o aeroporto de Faro.

 

E assim para a Região do Turismo do Algarve juntando-se uma outra preocupação para além da provocada pelo BREXIT (sabendo-se a fortíssima componente de originários do Reino Unido no Turismo Algarvio, mais de 50% e pelo impacto ao longo do tempo, quase uma “monocultura”), com o “estouro” da Thomas Cook e o fim do seu forte investimento na região obrigando os nossos investidores e empresários a procurarem “finalmente” outras soluções e outros caminhos (que tragam novos personagens, a este ainda belo cenário):

 

Com os Hoteleiros a terem de optar por outas agências (que não as tradicionais, as do costume), a terem que optar por estratégias mais agressivas (em vez de ficarem à espera que os outros o façam e os promovam e fazendo-o mesmo com os britânicos) e num esforço adicional até para mostrar para além das belezas de Portugal o quanto o cidadão português pode ser tão bom e acolhedor − para com qualquer estrangeiro, sobretudo “INGLÊS– lembrando-lhes que mesmo que abandonados (saindo dela, pela Europa) aqui terão sempre um amigo para lhes dar as boas-vindas e sendo necessário os acolher.

 

Deixando uns mais preocupados (“Albufeira mayor José Carlos Rolo says that Thomas Cook’s collapse is “very worrying” and “incredibly negative” for a region that depends on the tourism sector”/portugalresident.com) do que outros (“Thus, we cannot say that the impact will be very significant” Fernandes said/Presidente da RTA/portugalresident.com).

 

(imagens: boingboing.net − missedinhistory.com − portugalresident.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:37

Abril 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO