Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

21
Mar 18

Como consequência do Aquecimento Global e das Alterações Climáticas (registadas um pouco por todo o Mundo) com Portugal a ser uma das suas muitas vítimas ‒ e com o fenómeno a revelar-se mais intensamente a sul (no nosso país), com a progressão imparável da desertificação, ultrapassado que foi (pelas areias do deserto do norte de África) o mar (a muralha virtual do) Mediterrânico.

 

No dia em que se inicia a estação da Primavera (21 de Março) a chuva parece ter abandonado temporariamente o território português, com o céu a apresentar-se geralmente limpo (à exceção dos Açores e da Madeira com céu nublado) mas por outro lado (como acontece nesta época sempre que o nível de precipitação diminui) com as temperaturas mínimas a descerem: com o fim da chuva regressando o frio particularmente no interior e no norte, no caso dos distritos da Guarda e de Bragança (segundo as previsões podendo ser os mais afetados) com as temperaturas atingindo valores negativos (- 3⁰C) e sendo colocados em Alerta (meteorológico) Laranja (com formação de geadas). E pelas 13:50 desta quarta-feira com a temperatura (em Albufeira) nos 15⁰C.

 

tag.gif

O tempo na Europa

 

Com a previsão a apontar para o dia de hoje períodos de chuva disseminados um pouco por toda a Europa ‒ do qual parece querer-se excluir (entre outras regiões) a Península Ibérica ‒ e com as temperaturas mais elevadas a sul (no Mediterrânico com Nicósia/Chipre com 24⁰C) registando-se a norte temperaturas de 0⁰C ou negativas (como os 0⁰C em Kiev/Ucrânia e os - 7⁰C em Arcangel/Rússia). Com os 15⁰C previstos para o Algarve (e logicamente para Albufeira) a serem uma indicação da razão porque muita gente (nacional e internacional) procura cada vez mais esta região (da Europa) na sua época dita Baixa, no tempo de frio no seu país (sobretudo da Europa do Norte e Central) procurando o Sol (o calor dos raios solares) e já agora a praia (e o mar) e a boa comida (na gastronomia algarvia com o peixinho à cabeça).

 

getpicture.jpg

Imagem de satélite/infravermelho

 

Quanto ao problema da água (e do seu aproveitamento) continuando o tema em discussão (como o da hipótese de construção de mais barragens) apesar deste (curto) período agora passado de precipitação, com muitas bacias hidrográficas a continuarem a apresentar valores abaixo dos níveis normais anteriormente registados (neste mês de Março): com a bacia do rio Ave a ser a mais beneficiada (passando de mais de 50% para 100%) e com a bacia do rio Sado a registar também aumentos significativos (aproximando-se dos 50%). Já quanto à situação no Algarve (e já agora Alentejo) ‒ recordando o período de seca extrema/severa que o território de Portugal continental atravessa ‒ e apesar da quantidade de chuva caída (nestes últimos tempos), com as barragens a Sul a continuarem bem abaixo dos seus níveis normais (este mês): no caso do Algarve sendo esse o caso das bacias do rio Arade e do Barlavento Algarvio, com a região envolvendo o rio Guadiana (mesmo aqui ao lado e fazendo fronteira com Espanha) a estender o problema ao vizinho Alentejo.

 

E já agora aproveitando para informar que iniciada a estação da Primavera, a Hora mudará no próximo fim-de-semana na passagem de sábado para domingo (de madrugada), com a hora a adiantar e a passar de 01:00 para 02:00 (menos uma hora para dormir).

 

(imagens: weatheronline.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:37

08
Mar 18

A caminho do fim da estação do Inverno (20 de Março) e com a grande maioria do território do continente a atravessar um período de seca severa/extrema, eis que finalmente chega a chuva (diminuindo mesmo que ligeiramente os efeitos da seca) mas infelizmente (no que toca à região do Algarve e ao Sotavento Algarvio uma das zonas mais afetadas pela seca) acompanhada por fenómenos (outros) atmosféricos extremos ‒ como os Tornados.

 

Um fenómeno para o Futuro (e como se vê para o Presente) já falado há anos atrás (até no Algarve como uma das zonas a poder ser atingida) ou já não tivéssemos tido outros fenómenos semelhantes como resultado do Aquecimento Global e das Alterações Climáticas (que se vão registando um pouco por todo o Mundo): como o de 2012 entrando por Lagoa (Carvoeiro), derivando de seguida para o interior (atravessando Lagoa e prosseguindo) e atingindo ainda e violentamente a cidade de Silves (já no interior algarvio).

 

Para já com as Entidades Locais (públicas e privadas e como numa grande parceria) parecendo mais preocupadas com o impacto turístico ‒ dirigindo desde logo a sua atenção (para eles Obrigatória) para a recuperação das estruturas de praia (veremos o que acontece aqui na Praia do Peneco) ‒ mas agora com outras (só porque algo de óbvio já se passou na Praia do Vau/Portimão) como a de Queda das Falésias.

 

image 1.jpg image 2.jpg

Evolução meteorológica prevista

Este mês entre as 18:00 do dia 8 (5ªf) e as 18:00 do dia 9 (6ªf)

Nos dias 8/9 apresentando piores condições do tempo em Portugal

(fonte: sat24.com)

 

Depois de Ana, Bruno, Carmen, David e finalmente Emma ‒ isto para só falarmos de tempestades batizadas pelos serviços meteorológicos Portugueses (IPMA), Espanhóis (AEMET) e Franceses (METÉOFRANCE), já que outras tempestades também nos acabaram por atingir (mesmo que em menor grau) como Eleanor (oriunda do norte/Reino Unido) e mais recentemente a Besta de Leste (oriunda do Ártico/Síbéria) ‒ eis que o Oráculo Coletivo da Nova Tríade Meteorológica acaba de nos anunciar a chegada de uma nova tempestade (respeitando religiosamente a ordem alfabética): equiparando as tempestades quanto ao género (masculino/feminino), depois de 2 nomes masculinos e de 3 nomes femininos surgindo agora a Tempestade FÉLIX (e logo no Dia da Mulher/8 de Março aproveitando o género masculino a oportunidade ‒ ou não estivesse já em desvantagem de género por 2-3 ‒ de forma a não deixar distanciar ainda mais o feminino).

 

img_797x448$2018_03_06_17_25_20_288675.jpg

É difícil prever ocorrência de tornados em Portugal

Previstas (5ª/6ª feira) rajadas de vento superiores a 100Km/h no nosso país

Com o IPMA em alerta e anunciando uma situação mais crítica para o fim-de-semana

(fonte: sabado.pt)

 

E assim com a palavra Meteorologia por tantas vezes repetida e introduzida na nossa cabeça (como se algo de extraordinário e de inesperado se passasse a nível do clima e do tempo ‒ ou não se constatasse já há muito tempo o aparecimento de fenómenos contribuindo para o Aquecimento Global e para as Alterações Climáticas), chegando-se ao ponto (por vezes ao seu cúmulo) de transformar o que seria no passado um período de mero Meu Tempo (muitas vezes suportando-se condições meteorológicas mais extremas e sem grandes condições económicas para as combater prevenindo-se) ‒ ainda-por-cima ocorrendo na estação de Inverno (em geral fria e com muita precipitação sobre a forma de chuva ou de gelo) ‒ numa ocorrência quase extrema (ou com grandes probabilidades de em determinadas condições de evolução puder vir a ser) e sendo equiparada (adjetivada) a uma Tempestade: apesar de aqui adjetivada (como tempestade) sendo apenas mais um período temporal e banal apresentando condições de mau tempo (chuva, vento e agitação marítima) que ainda há poucos anos atrás nos levaria (normalmente e sem grandes avisos e olhando apenas para o céu) a prevenir nos agasalhos, nos transportes, nas habitações e na especial proteção a crianças e idosos - como hoje mas sem alvoroço mediático.

 

attachment_more_big.jpg

Chuva com congelação ocorrida a 27 de Fevereiro de 2018 ‒ 10:00 ‒ Lamego/Viseu

Quando a chuva com temperaturas acima de 0⁰C atinge superfícies com temperaturas negativas

(fonte: IPMA)

 

Com a chegada da depressão FÉLIX em formação em torno do arquipélago dos Açores (recordando-nos no passado como referência para a previsão meteorológica em Portugal e na Europa, da importância do Anticiclone dos Açores) prevendo-se para os próximos dias o agravamento do estado do tempo (mas com subida das temperaturas), com mais chuva e mais vento (o parâmetro mais intenso em terra) e agitação marítima. Mantendo-se assim as condições atmosféricas atuais, por vezes com mais chuva e tendo-se que dar particular atenção ao vento: podendo ser forte e sob a forma de rajadas e suscitando a preocupação sobre o possível aparecimento de outros fenómenos atmosféricos extremos ‒ como os ocorridos no Algarve (de novo exposto a condições semelhantes) com 2 tornados entre 1 e 5 de Março (deste ano) e rajadas de vento chegando a atingir os 180Km/h.

 

(imagens: sat24.pt ‒ sábado.pt ‒ João Canelas/ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:11

05
Mar 18

Não há duas sem três: o melhor é irmo-nos habituando (já que não ligamos nada aos avisos) pois contra a força (suprema) da Natureza não há mesmo nada a fazer ‒ ainda-por-cima quando todos nós ajudamos (nem que seja nada fazendo) à construção deste cenário (expectável e perigoso).

 

cmxfF.jpg

Para quem ainda se lembra da passagem do tornado de 16.11.2012

Vindo do mar e entrando pelo Carvoeiro

(e atravessando o concelho de Lagoa indo atingir com violência a cidade de Silves)

 

“Entre as 16 e as 17 horas de dia 4 de março de 2018 a região litoral do Sotavento Algarvio registou episódios de chuva e vento forte, que causaram impactos em estruturas e derrube de árvores, em particular nos concelhos de Faro, Olhão, Tavira, Castro Marim e Vila Real de Santo António. Estes eventos estiveram associados a uma perturbação convectiva em deslocamento para este-nordeste, vinda do mar e que entrou em terra a noroeste de Faro próximo das 16 horas e atingiu a fronteira com Espanha próximo das 17h. Tendo em consideração os relatos, incluindo imagens disponíveis, uma análise preliminar sugere ter-se tratado de um tornado, à semelhança do que aconteceu no passado dia 28 de fevereiro de 2018, também na região de Faro. Neste momento, os impactos identificados são compatíveis, pelo menos, com danos de tornado de classe F1, na escala de Fujita clássica. Uma classificação mais precisa desta ocorrência só poderá ser efetuada após uma análise mais detalhada dos impactos em combinação com os meios de observação, em particular do radar meteorológico.” (4 Março 2018 ‒ ipma.pt)

 

image.aspx.jpg

Em Moncarapacho com o tornado a abater parcialmente o muro do estádio Dr. António João Eusébio onde decorria um jogo do Campeonato Nacional de Seniores

(com a força do vento a fazer cair os muros, danificando várias viaturas estacionadas no local)

 

Com o Algarve a continuar a ser submetido a uma onda de mau tempo (desde a chegada da tempestade Emma)

 

‒ Com chuva moderada/aguaceiros e sobretudo períodos de vento moderado/a intenso ‒

 

Tornado de 28.02.2018 em Faro

 

mw-680.jpg

Entrando pela Ilha de Faro

 

Tornado-em-Faro_Foto-Ricardo-Soares_1.jpg

E indo atingir a doca de Faro e o Jardim Manuel Bívar

 

A região sul de Portugal prioritariamente dedicada à atividade turística (aproveitando o seu bom tempo, o seu sol e a sua praia) viu-se inesperadamente (apesar dos avisos da influência das mudanças climáticas globais nesta região podendo num futuro próximo dar origem ao aparecimento de fenómenos meteorológicos como os Tornados) e num curto espaço de dias (entre o dia 28/02 e o dia 4/03) sob condições meteorológicas extremas aqui concretizadas sob a forma de Tornados:

 

O 1º ocorrendo na passada quarta-feira (dia 28), iniciando-se a sua visualização no mar mesmo em frente à Ilha de Faro, deslocando-se em direção à capital do Algarve, entrando pela zona da doca e atingindo intensamente a zona do jardim Manuel Bívar (destruindo aí um bar/esplanada) e daí prosseguindo finalmente para o interior (com mais destruição);

 

img_797x448$2018_03_04_16_46_58_288068.jpg

No espaço de 5 dias com 2 tornados a atingirem a cidade de Faro e com uma das vítimas materiais da passagem do 2º tornado a ser o Shopping Algarve em Faro

(a essa hora e sendo um domingo, com o centro comercial cheio de gente)

 

E o 2º tendo ocorrido este passado domingo (dia 4), surgindo na mesma zona do 1º (no mar em frente à ilha de Faro) mas agora deslocando-se em direção à EN125 (entrada de Faro para quem vem de Portimão), atravessando a estrada (e na mesma e à sua volta provocando muitos danos materiais entre outros destruindo parcialmente um stand de automóveis) e atingindo na sua passagem (e com algum impacto) o Shopping Algarve ‒ e daí prosseguindo no seu rasto de destruição (superior ao do 1º tornado) em direção a Olhão (atingindo e danificando entre muitas outras estruturas como casas e estufas, o muro do estádio e alguns automóveis estacionados próximos do mesmo em Moncarapacho) chegando os seus efeitos até à ponta leste do Algarve (ao concelho de V. R. Santo António) mas felizmente não provocando vítimas (num e no outro tornado).

 

mw-680 B.jpg

Comunidade cigana do Cerro do Bruxo em Faro

A mais afetada tendo as suas casas completamente destruídas

(integrando cerca de 100 pessoas)

 

[Com as consequências da passagem deste tornado pela cidade de Faro (posteriormente atravessando todo o litoral algarvio de Faro a V. R. S. António) ‒ e ocorrido domingo 4 de Março ‒ a serem esmagadoramente danos materiais, apesar da existência de algumas pessoas desalojadas devido à força por vezes extrema do vento: provocando muitos danos nas suas habitações com rajadas de vento (registadas) chegando a atingir os 180Km/k. Destacando-se entre esses uma comunidade de cerca de uma centena de pessoas (de etnia cigana) residente numas das entradas da cidade (Cerro do Bruxo) e que com a passagem do tornado viu todas as suas habitações destruídas ficando desalojadas.]

 

[E tendo-se ainda como notícia (de hoje segunda-feira 5) proveniente da cidade de Albufeira, a indicação de que nas proximidades do edifício do Tribunal (mesmo ao lado da Câmara Municipal de Albufeira) uma árvore terá caído (na parte da manhã) ferindo algumas pessoas: não se sabendo ainda o estado dos feridos mas em princípio não sendo de grande gravidade.]

 

(imagens: meteopt.com ‒ André Vidigal/global Imagens/jn.pt ‒ sicnoticias.sapo.pt ‒ sabado.pt/redes sociais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:52

02
Mar 18

[Na Europa sendo pior dada a presença da Besta de Leste]

 

Neste momento (19:00) com a temperatura em Albufeira a registar 15⁰C, com vento (moderado) de SW e céu encoberto com alguns (curtos) períodos de chuva.

 

praia-de-faro-mau-tempo-marco-2018-770x410.jpg

Com o mar a galgar ao muro de proteção na Ilha de Faro

(imagem: região-sul.pt)

 

Com o mau tempo no Algarve a transportar consigo chuva intensa, rajadas de vento e grande agitação marítima ‒ ainda como consequência da passagem da tempestade EMMA ‒ os principais focos de preocupação para as populações locais têm-se centrado sobretudo no litoral devido as Estado do Mar: com Faro (Praia de Faro), Quarteira (Marginal) e Portimão (entrada da barra) a serem os locais mais afetados, mas com outras localidades do litoral a sofrerem igualmente as várias investidas do mar ‒ como na Praia do Carvoeiro e na Praia dos Pescadores (com o mar a entrar em terra). No caso de Albufeira com o mar a aproveitar a passadeira estendida entre o mar (Praia dos Pescadores) e a terra (indo dar ao Largo 25 de Abril) para invadir a parte mais baixa da cidade (onde se costumam encontrar principalmente no Verão muitas das suas atrações turísticas) deixando-nos mais uma vez a pensar (senão mesmo perplexos) sobre o critério utilizado para a autorização de mais uma estrutura de praia (em cima do seu areal, onde antes punham barracas e a um passo da água): e depois do Elevador um Restaurante mesmo ao lado do grande calhau vertical que dá o nome à praia ‒ Praia do Peneco.

 

Praia-de-Benagil.jpg

A fúria do mar na praia de Benagil em Lagoa

(imagem: postal.pt)

 

Condições climatéricas que se manterão nos próximos dias (com chuva, vento e agitação marítima) segundo os especialistas acalmando durante este fim-de-semana mas de qualquer das formas mantendo-se o alerta meteorológico (anteriormente amarelo a norte, laranja a sul e vermelho na Madeira) e naturalmente muitas das barras fechadas (devido ao estado do mar e à ondulação elevada). De qualquer maneira com as condições meteorológicas no Algarve a manterem-se em níveis bem aceitáveis, se comparadas com o frio e a neve registados a norte (acima do Tejo e com maior incidência no interior) e ainda com a maior amplitude (de variação das condições do tempo) se pensarmos no que se vai passando um pouco por toda a Europa (de norte a sul e de este a oeste): desde o Reino Unido apanhando com o duplo impacto das duas tempestades EMMA/BESTA DE LESTE (porque será que os ingleses a denominaram assim?), atravessando toda a Europa Central (a tremer) ao levar em cima com toda a força da BESTA (temperaturas negativas, queda de neve e formação de gelo) e terminando este roteiro na Rússia com a mesma congelada (até a sua capital Moscovo) ‒ ou não fosse ela a origem da tempestade (oriunda do Ártico mais propriamente da Sibéria).

 

Com as previsões do IPMA para os próximos dias em Albufeira (3 a 11 de março) a apontarem para mais uma semana de chuva (ao longo da semana tendendo em diminuir), com o céu encoberto e o Sol por vezes a tentar intrometer-se entre as nuvens e com as temperaturas do ar oscilarem entre os 7⁰C e os 17⁰C (mínima/máxima).

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:40

09
Dez 17

[Domingo e Segunda-Feira]

 

Com as previsões meteorológicas (sat24.com) a referenciarem o próximo dia 11 de Dezembro (2ªfeira pelas 00:00) como a data da chegada de mais uma onda de frio ao Algarve, os algarvios de momento com a temperatura do ar na ordem dos 20,8⁰C (sábado dia 9 às 15 horas em Albufeira) têm que se começar a preparar (este fim-de-semana) para uma nova descida das temperaturas (mínimas e máximas na ordem dos 6⁰C) e para o regresso da chuva (nas previsões com o pico de precipitação a ser indicado para amanhã e depois de amanhã). Desse modo e para domingo e 2ªfeira colocando Portugal Continental em Alerta Laranja: em descanso ou a trabalhar aconselhando-se a utilização de roupa mais quente (luvas opcional) e para prevenir guarda-chuva.

 

image 1.jpg

A Europa a 11 de Dezembro

(pelas 00:00 de Portugal)

 

E assim com a chegada do mau tempo ao nosso país (sobretudo no dia 10 e 11) regressando os períodos de chuva, nevando nos pontos mais altos e tendo-se o mar a agitado. Numa tempestade de nome ANA e assim batizada por (apenas) 3 países: Portugal, Espanha e França. Talvez porque na maioria deste basto território localizado numa das pontas (ocidental) da Europa, um dos motes (climáticos) seja a seca afetando partes da França, toda a Península (Ibérica) e incluindo Portugal ‒ este último (e o que mais nos interessa) em seca extrema ou severa. Em conclusão com o mau tempo a chegar em força amanhã de manhã ao Norte (dia 10), ao longo do dia estendendo-se ao centro, para no final do dia atingir finalmente o Algarve (e Albufeira).

 

[No final de sábado com a temperatura em Albufeira a registar os 13⁰C (pelas 23:30) com previsão de chuva para Domingo e com o IPMA a colocar 8 distritos (de Portugal Continental) em Alerta Vermelho (com rajadas de vento podendo atingir os 130Km/h, ondas até 10 metros e queda de neve acima dos 800 metros) ‒ e no Algarve mantendo-se o Alerta Laranja: Céu em geral muito nublado com períodos de chuva, o vento deverá soprar fraco a moderado aumentando gradualmente para forte com rajadas até 100 quilómetros por hora.” (IPMA)]

 

(imagem: sat24.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:30

17
Nov 17

O Tubarão-Cobra

 

Dinosaur-Age Shark with 300 'Frilled' Teeth Caught in Deep Sea

(By Laura Geggel, Senior Writer | November 13, 2017 02:28pm ET)

Live Science

 

aHR0cDovL3d3dy5saXZlc2NpZW5jZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMD

The frilled shark (Chlamydoselachus anguineus) is a rare, deep-water shark that sports rows of three-pointed holding teeth. (The above frilled shark was photographed in October 2004; it isn't the same one that was caught near Portugal.)

 

Forget about the minuscule odds of spotting Ahab's white whale: Sightings of the frilled shark, a so-called "living fossil" that has elusively swum around Earth's deep waters since the age of the dinosaurs, may been an even rarer find.

 

Deep-sea fishermen recently spotted the snake-like shark (Chlamydoselachus anguineus) in a pile of fish they unintentionally caught, known as bycatch, while they were fishing off the coast of Portugal. The shark died, but the fishermen handed it over to a research vessel, where scientists could study it, according to Boy Genius Report (BGR), a news site.

 

The examination gave scientists a close-up look at the shark's roughly 300 three-pointed teeth, which it uses to grab and kill prey, including fish, squid and other sharks.

 

Margarida Castro, a fishery science researcher at the University of the Algarve, in Portugal, told Sic Noticias, a Portuguese news outlet, said that these strange teeth, arranged in a frill-like pattern, inspired the shark's name. The teeth look like backward needles, and its jaw can snatch prey more than half its size.

 

DwvCK6lK_400x400.jpg

Sara Laughter @GreenAwakening

#Portugal—rare #FrilledShark (Chlamydoselachus anguineus) netted at depth of 700m (2.3k ft)—1.5m (5 ft) snake-like #shark w/300 teeth—“living fossil” from 80 million years ago http://www.bbc.com/news/blogs-news-from-elsewhere-41928537 

1:13 PM - Nov 13, 2017

 

_98680640_shark.png.jpg

'Living fossil' netted off Portugal

Portuguese scientists have caught a rare example of the ancient frilled shark.

bbc.com

 

The roughly 5-foot-long (1.5 meters) shark has barely changed in the past 80 million years, earning it a "living fossil" title. The fishermen reported catching the C. anguineus at 2,300 feet (700 m) under water — about half as deep as it can swim, as the species is known to range from about 65 feet to 4,900 feet (20 to 1,500 m) underwater, according to the International Union for Conservation of Nature (IUCN).

 

These sharks have an incredibly long gestation period lasting between one and two years — a period almost on a par with that of an elephant, according to the IUCN. Moreover, like an elephant calf, these shark pups aren't small. The pups are born live (as opposed to being laid as eggs) and can measure up to 2 feet (60 centimeters) long, the IUCN said. They are usually born in litters of two to 15 pups, the organization added.

 

In December 2003, a single trawl caught 34 frilled sharks — 15 males and 19 females — just north of the Azores Islands in the mid-Atlantic Ocean, about 900 miles (1,400 km) west of Portugal. Given that it's rare to catch C. anguineus, it's likely that the trawl captured the sharks during a mating event, according to a 2008 study in the Journal of Ichthyology.

 

Even though both the 2003 catch and the most recent one were near Portugal, these toothy sharks live in both the Atlantic and Pacific oceans, usually near outer continental shelves and the bases of islands, the IUCN said. As an "animal of least concern," it's far from endangered, likely, in part, because it's rarely caught as bycatch. However, when fishermen do catch it, C. anguineus is typically discarded, used as fishmeal or kept for its meat, the IUCN said.

 

Even though it's not endangered, there are still safeguards in place to protect the shark. In 2007, the European Union Fisheries Council established a "zero total allowable catch limitation" for vulnerable sharks, the IUCN said. The frilled shark was added to this list in 2010, and the measure was enforced starting in 2012. Parts of Australia also prohibit trawling in areas below 2,300 feet (700 m), the IUCN reported.

 

Even so, a fisherman in Australia caught one of these weird beasts in 2015, Live Science previously reported.

 

(texto: Laura Geggel/livesciense.com ‒ imagens: Kelvin Aitken/VWPics/AP - Sara Laughter/@GreenAwakening - bbc.com/SIC Notícias)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:56

20
Out 17

[E há mais de 100 horas atrás]

 

Hoje sexta-feira (20) e prestes a entrarmos em mais um fim-de-semana, com o tempo ‒ em Albufeira ‒ a continuar a prometer chuva (às 15 horas com 24⁰C de temperatura e céu parcialmente nebulado) mas com as previsões a apontarem para os próximos 7 dias (segundo o IPMA) temperaturas entre 12⁰C/16⁰C (mínimas) e 25⁰C/27⁰C (máximas) com céu pouco nublado e provavelmente sem precipitação (0 A 2%).

 

1.jpg

O Céu sobre Faro

Prometendo chuva para esta semana

 

Neste início de semana de um mês de Outubro sem chuva de tempo ameno e seco ‒ e deslocando-me de Albufeira (de carro) em direção ao centro de Faro ‒ pude facilmente constatar o trânsito moderado na estrada (EN 125 por volta das 15 horas) e o céu um pouco encoberto (com nuvens cinzentas tapando o Sol), no meu trajeto a cumprir até chegar ao destino (de ida) e então aí aguardar: durante cerca de meia hora (ou mais) ficando a olhar para o céu (a mexer-se), a contar passarinhos (não vi nenhum), a ver se entretanto chovia (e o tempo mudava) e no meio (sem saber como) enrolando papeis (e metendo-os numa garrafa): então o telemóvel tocou, estabeleci logo ligação e aí uma voz disse (vinda do outro lado) “OK já podes arrancar”. Dei a volta ao Hospital (de Faro), recolhi o utente (feminino) e arranquei para o exterior: por volta das 16:00 já circulava na estrada a caminho do Patacão. O céu lá continuava cinzento, não deixando ver o Sol (por vezes ele espreitava), em terra com estufas à direita (não se percebendo de quê) e à esquerda aves metálicas (em redor do aeroporto para lá de Montenegro).

 

2.jpg

A Cidade de Faro

Prometendo um refúgio limitado

 

Durante a meia hora de permanência em Faro no interior do automóvel e aguardando pela chamada, observando os prenúncios da chegada (em breve) da chuva, a cor cada vez mais cinzenta do dia (devido à cobertura crescente de nuvens) e a tristeza de um sistema cada vez mais despido de vegetação (urbano e entendido basicamente como um dormitório) ‒ anteriormente solo agrícola e fértil agora asfixiado sob toneladas de asfalto e de betão, o fruto dourado/proibido ‒ e com cogumelos artificiais erguendo-se por todo o lado e sempre em direção ao Céu: à volta deles vivendo as pessoas (com mais sorte e ligadas aos Serviços) sem liberdade mas talvez protegidas (rezando aos céus mas protegidas dos fogos/pelo menos exteriores) e mesmo que estáticas ou pelo contrário dinâmicas, cumprindo todos os dias o pré-estabelecido. Basicamente com toda a população da Região Algarvia ‒ menos de 500.000 residentes (e servindo de isco ou de chamariz para todos aqueles que foram empurrados para a Hotelaria/Restauração transformando este país num enorme RESORT ‒  como se não existisse futuro noutras áreas como as das ciências e das tecnologia seja no sector intelectual como manual ‒ e assim condicionando as opções dos mais jovens) ‒ a ter como única perspetiva Futura (de vida e de profissão para si e seus descendentes) ser um TURISTA ou então (à falta de outra opção) trabalhar apenas para eles. Nada que nos espante já que uma das permissas para a entrada de Portugal na CEE (no ano de 1986) ‒ pelo qual o PS lutou (Mário Soares), o CDS esteve contra e o PSD disse sim logo seguido de “Venha a Nós o Dinheirinho” (com o Homem do Leme a ser Cavaco Silva) ‒ seria o de se transformar numa grande Pousada (turística e também para idosos/reformados), carregadinha de árvores (para a produção da pasta de papel) e tendo ainda a opção da criação de cabeças de gado (e de outros animais como os de aviário ou de viveiro) ‒ tudo sendo dirigido para na concretização efetiva do nosso Grande Desígnio (Português e Europeu), trabalharmos para um TRUMP mas aqui sendo Europeu. E no caso do Algarve sendo mais preocupante (uma possível mudança de Desígnio), face ao perigo vindo do Mar e das suas Plataformas (de petróleo e de gás natural).

 

IMG ALB.jpg

Albufeira

No centro da Região do Algarve

 

De regresso à cidade de Albufeira e aí chegado pelas 17 horas, o resto do dia decorreu normalmente (de acordo com um quotidiano repetitivo e sem grandes percalços), com a execução das tarefas habituais (e mais comuns) para esse período (final) do dia ‒ e seguindo-se a noite e o seu precioso (e delicado) silêncio: onde isolados do ruído do dia e sendo capazes de nos abstrair de todas as interferências subliminares oriundas do exterior (como as saídas, por vezes ininterruptamente, da nossa TV) ‒ um ruído de menor frequência no entanto mais intrusivo e ensurdecedor dada a sua intensidade/característica manipuladora ‒ nos possamos libertar de todos os limites (entrando sem pressões indevidas, no nosso Imaginário), tentando descobrir quais as nossas verdadeiras fronteiras tanto físicas como mentais. Nesta sexta-feira (já dia 20 sexta-feira e com a noite a caminho) por aqui como por perto, com uma reunião do Governo português (extraordinária) a estar marcada para sábado e tendo como pano de fundo um cortejo (trágico) de mais de 100 mortos ‒ com uns estando contra, outos a favor, outros nem se pronunciando e no entanto sendo todos culpados (incluindo nós e tendo no topo a hipocrisia todos os nossos políticos, tendo já tido responsabilidades governamentais e no entanto nada tendo feito) ‒ esperando-se que daí saia uma resposta IMEDIATA e um pagamento de Indeminizações como a concretizada em Espanha devido aos incêndios na Galiza (também com vítimas mortais e grandes danos materiais), comparando estas vítimas às vítimas do terrorismo; e na Península Ibérica com o agravamento da crise entre o Governo de Espanha e a Região Autónoma da Catalunha ‒ arriscando-se esta à perda do seu Estatuto (pelo menos temporariamente), a algumas prisões inevitáveis (de independentistas incluindo membros do Governo Regional) e a convocação de novas eleições ‒ prevendo-se a ocorrência de mais incidentes entre as várias fações em luta, tanto na Catalunha como em todo o resto de Espanha (e em todas as suas regiões autónomas conforme a sua posição e interesse). Certamente mau para Espanha e no caso de Barcelona podendo beneficiar (turisticamente) indiretamente o Algarve (e a sua taxa de ocupação) ‒ já que “O Mal para Uns pode ser o Bem para Outros”.

 

(imagens: PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:52

23
Mai 17

Segundo o IPMA de amanhã (24) até Domingo com as temperaturas do ar a manterem-se pelos valores atuais (16⁰C/21⁰C de mínima e 26⁰C/31⁰C de máxima) e com os valores na água do mar a andar pelos 21⁰C.

 

Agora que o bom tempo parece ter regressado de vez com a subida generalizada das temperaturas (mínimas e máximas) estão criadas todas as condições para o verdadeiro arranque da época balnear na Região do Algarve:

 

Sem chuva, com temperaturas bastante agradáveis, com o areal e o mar calmos e com bom aspeto, com boa comida à espera e sobretudo com relativamente poucas pessoas e alguma tranquilidade de espirito.

 

snapshot xxx.jpg

 

Pelo que se os responsáveis pela divulgação do turismo na região (públicos como privados) tiverem cumprido (mesmo que no mínimo) a sua obrigação de representantes, divulgadores e promotores deste sector prioritário e fundamental desta região do sul de Portugal (desprezadas como foram pelos mesmos a Agricultura e as Pescas e dando unicamente relevo à Industria Hoteleira e à Restauração),

 

Este Verão será um sucesso: com muita gente e calor.

 

Com a bolsa dos Europeus e até dos portugueses temporariamente aliviadas nestes últimos tempos (para nós desde que o Governo PS tomou posse),

 

Com todos os conflitos espalhados um pouco por todo o mundo (desde a Turquia ao Egito, passando pelo norte de África e terminando na crise sul-americana ‒ só para falar em destinos turísticos),

 

E até com alguns países europeus completamente absorvidos nas suas batalhas não só externas como internas contra o terrorismo (como a Inglaterra e a França por estarem mais envolvidas nas operações militares a sofrerem vários atentados),

 

Criando-se a oportunidade face ao problema dos outros de encher todo o sul da Península de Espanha até Portugal.

 

Destacando desde já 2 fatores que não devem ser desprezados mesmo nesta época do ano (início em breve do Verão), por um lado com os índices de raios ultravioleta a revelarem-se bastante elevados por estes dias (UV9 numa escala de 11) e por outro com a manutenção da presença de taxas também elevadas de CO2 na atmosfera como justifica o alerta de hoje (23) para a Ilha Terceira (401ppm/crítico).

 

E assim a menos de um mês do início da estação do Verão (21 de Junho) e com o tempo já com estas tão agradáveis condições ambientais,

 

Com toda a máquina aqui implantada e alicerçada a estar já plenamente preparada para a única coisa que ela sabe verdadeiramente fazer (que será infelizmente o Futuro reservado para todos os Algarvios e demais residentes) ‒ e para a qual temos vindo a ser todos forçados, condicionados e especializados:

 

Enchendo hotéis, servindo refeições, executando limpezas, preparando instalações, servindo bebidas, fazendo de guia, aconselhando negócios, promovendo intercâmbios, trocando moeda, disponibilizando cuidados, possibilitando passeios e outros apoios,

 

Em suma satisfazendo o cliente à custa de diversa mão-de-obra toda afeta aos mesmos Serviços (de Restauração e Hoteleiro) mas com diferentes escalões (retribuições) apesar das mesmas ambições (limitadas em exclusivo à contrapartida monetária).

 

Num percurso monocórdico e sem futuro visível, de mera retribuição de apatia e subordinação ‒ recriando-se o papel de criada (para a generalidade) e para os mais ofendidos o cargo de governanta.

 

(imagem: Sport Mídia II/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:38

19
Mai 17

Com um jacto de material gasoso (vento solar) oriundo do interior de um buraco na coroa solar (a 150 milhões de Km de distância) a chegar hoje ao planeta Terra (sexta-feira, 19) ‒ podendo atingir uma V=700Km/s e de momento nos 470Km/s) ‒ prevêem-se novas tempestades geomagnéticas especialmente a latitudes elevadas (originando tempestades da classe G2/Moderada e o aparecimento de auroras).

 

201705191200_msg3_msg_ir_piber.jpeg

Imagem de satélite ‒ Infravermelho

(EUMETSAT/IPMA)

 

Com a esperada subida das temperaturas mínimas, iniciasse amanhã uma nova semana de tempo quente e sem registos de precipitação: com as mínimas a andarem entre os 16⁰C/19⁰C e as máximas entre os 26⁰C/31⁰C (hoje pelas 14:00 com a temperatura nos 23⁰C). E com a temperatura da água do mar a andar em torno dos 17⁰C/18.5⁰C.

 

iuv_prev12.jpg

Índice Ultravioleta - 19/12/2017

(Mapa estático)

 

Hoje e amanhã com os índices de raios ultravioleta na região do Algarve andando pelos UV9 (muito elevado numa escala de 1/Baixo a 11/Extremo) mas segundo as previsões a baixar para UV4 já no próximo domingo (o dia deste fim-de-semana para levar crianças para a praia ‒ com óculos de sol e protetor solar).

 

Sismologicamente nada se tendo verificado de relevante nestes últimos dias na Região do Algarve e com o sismo de maior intensidade a ser registado no passado dia 16 de Maio (terça-feira) a NW Loulé (profundidade: 14Km) e com intensidade M1.0 ‒ como tal sendo impercetível. Com uma forte probabilidade de este Verão e na continuação a nível global do aumento generalizado das temperaturas (mês após mês, ano após ano) um Verão bem quente.

 

(imagens e alguns dados: ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:17

03
Fev 17

Ainda bem: significa que a Terra está Viva!

(só esperamos que não abane muito)

 

GorringeAmpereLabels.jpg

Montanhas Gorringe (àdireita) e Ampere (à esquerda)

 

Reportando-nos aos últimos 7 dias (27 de Janeiro a 2 de Fevereiro) pode-se dizer que dentro da normalidade, Portugal Continental (e respetivas áreas marítimo-territoriais) tem estado de algum modo ativo a nível sismológico – tal como seria de prever num território como este (situado tão perto de uma falha tectónica), já com alguma tradição (veja-se o terramoto de 1755) e todos os dias abalado por sismos impercetíveis (a esmagadora maioria). Dos 24 registos de atividade sísmica em Portugal Continental, com 6 localizados na área terrestre/marítima associada à região do Algarve (Albufeira, Faro e Cabo de S. Vicente) e outros 4 nas suas proximidades (com epicentro referido a Almodôvar, Banco do Gorringe, Sines e Mar de Marrocos).

 

Data

Local

Profundidade

(Km)

Magnitude

01.02

SE

Faro

20

1.6

01.02

Mar de

Marrocos

31

2.6

01.02

SE

Faro

31

3.7

31.01

SE

Cabo S. Vicente

31

1.6

31.01

SE

Almodôvar

11

0.5

30.01

SE

Albufeira

13

1.8

28.01

W

Cabo S. Vicente

-

1.3

28.01

Gorringe

 

31

2.4

28.01

NW

Sines

12

2.6

27.01

SE

Cabo S. Vicente

-

1.4

(fonte: IPMA)

 

Como se pode constatar com um sismo de epicentro a SE Faro a atingir a M3.7 (neste caso de intensidade fraca/moderada e provocando nalguns locais da cidade apenas uma ligeira trepidação) – e com outro de menor intensidade mais de cinco horas depois – sendo um dos mais intensos registados nos últimos tempos no Algarve (pelo menos este ano). Anteontem e ontem (1 e 2 de Fevereiro) sendo já acompanhado em Portugal Continental por outros dois sismos (numa sequência algo semelhante de dois sismos, sendo o primeiro o mais forte), mas agora registados fora da região, numa sequência de M3.7 e M2.6 e com epicentro a NW Porto de Mós – com uma particularidade importante da sua profundidade ser menor (8/7 Km contra os 31/20Km de Faro).

 

(imagem: oceana.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:40

Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

13
15
16
18

20
22
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO