Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

26
Fev 21

Com todos os parâmetros COVID-19 tendencialmente em rota decrescente (infetados, internados, UCI e óbitos) e decidido o prolongamento por mais 2 semanas do ESTADO de EMERGÊNCIA (confinamento até meados de março), de acordo com as ideias do Presidente (adepto do 1/fechar) agora parecendo ser apoiadas pelo 1º Ministro (antes adepto do 2/abrir, agora sendo do 1),

 

Imagem1.jpg

Esta quinta-feira, 25 de fevereiro

 

Esperando-se (da parte do Governo) um período cauteloso de preparação para uma abertura o mais segura possível do país (ou seja um plano, que todos entendam e possam executar) e como todos desejamos, eficaz (100%): e seguindo o roteiro do Presidente ─ para abrir com mais certezas, sem se correr o risco de se assistir, a uma nova regressão (no combate à Pandemia) ─ podendo-se iniciar já na segunda quinzena de março uma abertura parcial (mesmo entre os mais novos, na escola), para passada a Páscoa e recordando o Natal (pontos negativos do passado) se completar (finalmente) a obrigatória (para a nossa saúde mental) abertura (nas escolas estendendo-se ao secundário) da sociedade portuguesa ─ arrancando a Economia (já no início do mês de abril) e turisticamente, salvando-se o Verão (agora que da GB vêm boas notícias para o turismo, regressando e dando prioridade a Portugal, os pedidos de reservas).

 

E sendo a esperança a última a morrer e tendo o Presidente razão ─ “aprendendo com o Natal, só reabrindo depois da Páscoa” ─ sendo-se cauteloso e aproveitando-se este interregno (15 dias a um mês) e respeitando-se as regras (básicas na luta Covid-19), podendo-se vencer o vírus ou no mínimo derrotá-lo: pelo menos nesta vaga, podendo ser um evento (como na gripe) crónico e nesse caso (periodicamente) regressando. Nestes 55 primeiros dias do ano de 2021 e falando da região do ALGARVE, com o nº máximo de vítimas mortais a ocorrer por meados deste mês de fevereiro, com a maior turbulência (subida/descida de mortes) a acompanhar o período do pico máximo e o imediatamente seguinte (por finais de janeiro) e, após este registo, com a tendência sendo claramente decrescente: em 2 de janeiro com zero óbitos no Algarve por Covid-19, assim como esta quarta-feira, 23 de fevereiro. Podendo-se pensar naturalmente e seguindo uma análise imparcial (não se pondo do lado do Homem, nem do lado do Bicho), ter-se Verão no Algarve (neste ano de 2021).

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:09

25
Fev 21

[Não nas mortes (diretas) mas no desemprego (consequência).]

 

img5f84627bbab422001979ac11.jpg

Políticos (nas suas decisões) piores (nas consequências) que o Covid-19

 

Questão:

Qual o NOME DO 1º MINISTRO de Portugal (entre 9 candidatos) que nestes últimos 38 anos foi responsável pela MAIS ELEVADA TAXA nacional DE DESEMPREGO registada (nesse período indo de 1983 a 2020) ─ INCLUINDO nesse período, nesse máximo e nessas vítimas, a região do ALGARVE (e por tabela Albufeira)?

 

1º Ministro

Partido

Início e Fim do Mandato

Duração do Mandato

Pinto Balsemão

PSD

1981/1983

> 2 anos

Mário Soares

PS

1983/1985

> 2 anos

Cavaco Silva

PSD

1985/1995

≈ 10 anos

António Guterres

PS

1995/2002

> 6,5 anos

Durão Barroso

PSD

2002/2004

< 2 anos

Santana Lopes

PSD

2004/2005

< 1 ano

José Sócrates

PS

2005/2011

> 6 anos

Passos Coelho

PSD

2011/2015

> 3,5 anos

António Costa

PS

2015/Presente

> 5 anos

 

Informação/comentário adicional:

BATENDO mesmo a Pandemia do vírus SARS CoV-2 e com ela o nº de desempregados, registados nos Tempos (tão recentes, do início de 2020) COVID-19. Diga-se o, que se disser e à primeira vista (por vezes a forma mais fiel, por menos distorcida), achando-se inacreditável.

 

Ajuda:

Maior taxa de desemprego nacional registada entre 1983/2020, sendo de 16,2% em 2013 (em 2020 nos 6,8%).

Maior taxa de desemprego na região do Algarve registada entre 1983/2020, tendo atingindo quase os 40.000 desempregados em 2013 (em 2020 um pouco acima dos 30.000).

 

[E (não se iludam) seja qual for o candidato escolhido ─ oriundo do “Arco da Governação” (PSD/PS) ─ com o mesmo (achando-se pelo cargo inimputável) a poder invocar para sua defesa e como origem (nunca falando da importância do seu papel no argumento, para o qual foi então selecionado, para ser o protagonista) uma crise qualquer.]

 

(imagem: Getty/businessinsider.in)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:32

22
Fev 21

[Não havendo mais nada a fazer (senão esconder-se em casa/desaparecer) e olhando para o IEFP (devendo-se preocupar mais com os formandos/desempregados e não com os formadores/empregados) Portugal/Algarve para quem não quer ver (tal como acontece como as chefias atarefadas, mas sempre ausentes) tendo tanto para pensar/fazer.]

 

Número de desempregados registados cresce 32% em janeiro.

Por regiões, o maior aumento homólogo foi registado na região do Algarve (61%).

 

foto-5.jpg

Centro de Emprego e Formação Profissional de São Vicente

Monte Sossego – Mindelo

 

Face ao mês de dezembro de 2020, o número de pedidos subiu 5,5%.

 

“Contribuíram (para o aumento do desemprego) todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para as mulheres, adultos com idade igual ou superior a 25 anos, os inscritos há menos de um ano, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o secundário.”

 

Por grupos profissionais, o maior aumento (47%) teve lugar entre os “trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores.”

 

[Sabendo-se da situação dramática e de pré-catástrofe que se vive atualmente na região do Algarve ─ com a pandemia, o desemprego, a fome e no final a fuga ─ como resultado (expetável por lógico) da aplicação das opiniões das nossas “mentes que brilham”: durante décadas e décadas e contra todas as indicações (técnicas/científicas) optando (já que corria por certas mãos tanto dinheiro) por uma monocultura (investindo só nessa área) ─ liquidando a já tão reduzida proteção à Agricultura e às Pescas (em decadência visível) e restringindo-se unicamente ao Turismo. E morrendo esta (área do Turismo) morrendo tudo à sua volta.]

 

(texto/excertos: André Cabrita-Mendes/jornaleconomico.sapo.pt/22.02.2021

─ imagem: iefp.cv)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:38

20
Fev 21

Encerrado o 51ª dia do ano de 2021 (20 de fevereiro) e ainda inseridos num ambiente (asfixiante e sem fim definido) de Pandemia Covid-19 ─ com um total nacional acumulado de 15.897 óbitos ─ continua (apesar de algumas pequenas oscilações) a tendência de descida dos parâmetros associados à doença: como se verifica no nº de óbitos (máximo +303, hoje +76) e de internados em UCI (máximo+ 904, hoje +656) indicados na fig. 1 (num período de 27 dias). Pela evolução da Pandemia (de SARS CoV-2) podendo-se prever no dia de hoje (se não existir qualquer percalço/inversão) um possível início de desconfinamento (parcial/progressivo/cauteloso) por meados de março: no caso das escolas podendo-se retomar algumas aulas presenciais (mais novos), em pleno (todo o cuidado é pouco, até pela periocidade e pelas mutações do vírus) talvez só depois da Páscoa.

 

Imagem2.jpg

Fig. 1

 

Imagem1.jpg

Fig. 2

 

Na região do Algarve (como indicado na fig. 2) e referindo-se a um período de 51 dias (desde 1 de janeiro de 2021) ─ com o Algarve neste dia (sábado, 20) a registar +84 infetados e +3 +óbitos (total acumulado de 325) e mais de 6.000 pessoas vacinadas (completa) e mais de 12.000 só com a 1ª dose ─ no que diz respeito ao concelho de Albufeira (dados de sexta-feira, 19) registando-se a existência de 134 infetados e um total (acumulado) de 40 óbitos. Exceção feita às ilhas (Açores c/ 28 mortos e Madeira c/ 59 mortos) com o Algarve (325 mortes) a ser a 1ª zona de Portugal continental a registar menos mortes (acumuladas) depois do Alentejo (921 mortes) ─ nesta nova vaga e nesta fase destacando-se (a zona do Alentejo), como aquela tendo menos novos casos de Covid-19 (hoje com +31 casos de infeção, Albufeira +84). Continuando tubo bem encaminhado para reabertura do Turismo do Algarve.

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:58

Nestes últimos dias (em Portugal) com os números desta Pandemia (originada no vírus SARS CoV-2) a persistirem na descida, atingindo parâmetros máximos em janeiro (304 óbitos/dia e 904 UCI/dia) e agora estando naturalmente em queda (67 óbitos/dia e 669 UCI/ dia como mínimos). Esperando-se que num processo de acalmia progressiva.

 

Imagem1.jpg

 

No que diz respeito ao Algarve e focando-se no número de óbitos/dia, com o gráfico demonstrando bastante instabilidade (se comparado com o nacional), apresentando (ultimamente) subidas e descidas sucessivas: variando entre um máximo de 11 e um mínimo de 0 a 2 óbitos/dia. Mas (e igualmente) com tendência de descida.

 

Imagem2.jpg

 

Estando-se a viver (por quinze dias) um novo período de confinamento (este geral) terminando a 1 de março, face às previsões iniciais apontando a reabertura do país pelos meados do mês de março e ainda à desaceleração visível dos efeitos desta nova vaga (Covid-19), podendo-se pensar que lá para 15 de março se poderá iniciar o desconfinamento.

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:55

16
Fev 21

"Covid-19:

Algarve com 2 óbitos e 74 novos casos,

internamentos voltam a descer.”

(Hugo Rodrigues/sulinformacao.pt)

 

Imagem1.jpg

Infeções no Algarve

Janeiro/fevereiro 2021

 

Esta terça-feira (dia 16) registando-se no Algarve +74 casos de infeções (a nível nacional +1.502) e +2 óbitos (a nível nacional +111): totalizando a região 19.472 infetados (a nível nacional 788.561) e 308 óbitos (a nível nacional 15.522). De assinalar ainda a nível nacional a diminuição do nº de internados (-350 estando agora nos 4.482) e do nº de doentes em UCI (-32 estando agora nos 752): sendo as mulheres as mais atingidas a nível de contágios (55%) e os homens a nível de óbitos (52%) ─ assim como os mais idosos nas diferentes faixas etárias (nos mais de 15.000 mortos, mortalidade de 85% com idade igual/superior a 70 anos). Talvez se abrindo as portas (antes do previsto) para o tão ansiado desconfinamento: tendo-se felizmente (no Algarve) o Verão e o Turismo.

 

Imagem2.jpg

Óbitos no Algarve

Janeiro/fevereiro 2021

 

E com a generalidade dos parâmetros a descer (tal como anteriormente subiu) abruptamente (se pensarmos nos números registados na 1ª Vaga), c/ esse decrescimento a ser bem recebido a nível nacional particularmente no Algarve (podendo-se salvar ainda o ano turístico), certamente que não apenas pelo respeito das regras e dos deveres (mãos, máscaras, distanciamento, testes, vacinas) mas também pela baixa concentração demográfica (desta região do país) com menos pontos (disponíveis) de concentração (desde casas a cidades). Depois de se provar o Purgatório e chegando-se ao Inferno (nunca nos precipitando) podendo-se no mínimo saborear o (normal/anormal) Paraíso ─ mesmo que só se faça em parte, tão grande é o nosso desejo.

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:42

15
Fev 21

Nas vésperas do Carnaval (este ano virtual), assinalando-se o menor nº de infeções/dia desde 26 de dezembro (então com 1.214) ─ hoje com 1.303 casos (passados 51 dias), sendo o máximo neste período de 16.432 infetados ─ assim como o dia com o menor nº de óbitos desde 5 de janeiro (então com 90) ─ hoje igualmente com 90 caos (passados 41 dias), sendo o máximo neste período de 303 óbitos (16º país europeu em novas infeções, 7º no número de óbitos).

 

Imagem1.jpg

 

 

Com todos os indicadores em tendência decrescente, totalizando-se hoje um total (acumulado) de 787.059 infetados e de 15.411 óbitos (desde fevereiro/março de 2020) ─ e ainda 4.832 internados (+6) e 784 em UCI (-11). Na região do Algarve com +30 infetados e +6 óbitos (total acumulado de 306, 2% do total nacional). Com a população na generalidade a cumprir, vendo-se poucas pessoas e automóveis (a circular).

 

Imagem2.jpg

 

 

Na evolução do nº de Internados e desses do nº de doentes em UCI (Unidade de Cuidados Intensivos, tratando dos casos mais críticos) ─ últimos 22 dias ─ com os primeiros (internados) a regressarem a níveis de meados de janeiro e os segundos (UCI) a níveis do início da última semana do mesmo mês. Quando nos momentos mais tranquilos do Verão os números assinalavam pouco mais de 300 internados e desses estando em torno de 40 em UCI.

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:33

14
Fev 21

Acabados de sair os dados da DGS (dgs.pt), confirmando-se a tendência de descida (em Portugal) do impacto (e seus efeitos) desta nova vaga de Covid-19, atingindo o seu pico máximo (de atividade) em finais do passado mês de janeiro (há pouco mais de quinze dias): diminuindo os valores em todos os parâmetros relativamente ao dia anterior (ontem), como no nº de infeções (-1179, o menor este ano) no nº de óbitos (-11, o menor há mais de um mês) ─ no nº de internados (-24) e desses no nº de internados em UCI (-8). De momento tudo bem para concretizarmos (em torno da Páscoa) o nosso maior desejo: desconfinar.

 

Imagem1.jpg

 

No que diz respeito à região do Algarve registando-se hoje +49 infetados (total acumulado de 19368) e +5 óbitos (total acumulado de 300). Com os três concelhos com maior taxa de incidência da doença Covid-19 (transmitida pelo vírus SARS CoV-2) a serem (por ordem decrescente) Castro Marim, V. R. S. António (estes dois bem destacados) e Loulé (Albufeira numa boa tendência, 9ª em 16 concelhos), tendo do lado oposto (concelhos mais limpos do “bicho”) Vila do Bispo e Aljezur. E infelizmente com a região de Lisboa e Vale do Tejo a registar os valores mais altos (ainda hoje registando mais de 50% do total de óbitos).

 

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:21

12
Fev 21

Nesta amostra de Portugal de 12.02.2021,

dos 781.223 portugueses infetados

tendo-se já 652.739 recuperados ─ perto de 84%."

(taxa de mortalidade na amostra menor que 2%)

 

coronavirus-covid-6.jpg

 

Com os primeiros dados animadores (desde dezembro de 2020), sobre esta nova vaga da Pandemia (Covid-19), a surgirem esta sexta-feira (12 de fevereiro de 2021)

 

─ Diminuição da média diária de novos casos (a mais baixa desde dezembro de 2020) e como consequência (em parte e em simultâneo pelo início da vacinação), deixando as autoridades da região do Algarve otimistas (pela possível reabertura do Turismo no Algarve)

 

Abrindo-se uma porta de esperança para o início da nossa recuperação (individual e coletiva) e para a retoma (progressiva e cautelosa) da nossa vida social e económica (dentro do possível, regressando à normalidade de 2019).

 

Média diária de novos casos

atinge o valor mais baixo desde dezembro de 2020.

(Simone Silva/executivedigest.sapo.pt/12.02.2021)

 

Tão imprescindível como obrigatória (a retoma), estando a nossa sociedade a caminho do caos (cada vez mais próxima do precipício), com “a nossa vida de pernas para o ar” (desempregados, cheios de dívidas) e “connosco em casa a fazer o pino” (para ver se ainda sai algo dos nossos bolsos).

 

Screenshot_2021-02-12 COVID-19 Redução do númer

 

Especialmente no que diz respeito ao Algarve maioritariamente vocacionado para o Turismo (praticamente uma “monocultura”) no entanto há muito tempo (desde março de 2020), com a esmagadora das suas estruturas encerradas ─ com as pessoas (escondidas) em casa completamente desnorteadas (nada de orientações, nem de apoios significativos) e sem saberem minimamente onde ir e o que fazer (para sobreviver).

 

Redução do número de casos e vacinação

deixam otimistas entidades no Algarve.

(Lusa/lifestyle.sapo.pt/12.02.2021)

 

Ainda hoje e divulgado o último relatório da DGS sobre a situação da pandemia Covid-19 em Portugal, registando-se +2.854 infetados e +149 vítimas mortais (ultrapassando as 15.000 mortes, 15.034) ─ com 5.230 doentes internados (-340) destes 846 em UCI (+10).

 

Na região do Algarve com +284 infetados (10% do total/dia) e +7 vítimas mortais (menos de 5% do total/dia e totalizando nas diferentes vagas, 284 mortes).

 

(imagens: executivedigest.sapo.pt ─ Carlos Barroso/Lusa/lifestyle.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:40

07
Fev 21

“Cafés e restaurantes vão manter-se fechados

até fim de abril devido à pandemia.”

(cmjornal.pt)

 

img_298x168$2021_01_15_22_21_16_1005749.jpg

Restaurante que recusou fechar portas

(devido ao Estado de Emergência que vigora desde 14 de janeiro)

terá de pagar multa que pode ir até aos 20 mil euros

(cmjornal.pt)

 

Neste domingo cinzento de 7 de fevereiro (em Albufeira) com a nova vaga de Covid-19 ainda em curso (para uns a 2ª para outros a 3ª, mas já e aparentemente na sua curva descendente) ─ hoje registando +3.508 casos de infeção (máximo de novos casos de 16.432 em 28 de janeiro) e +204 óbitos (máximo de óbitos de 303 em 28/31 de janeiro) ─ questionando-nos ansiosamente face à evolução desta Pandemia (do vírus ARS CoV-2) agora que atravessamos uma sua nova fase (nova vaga), se frente ao aparecimento de novas variantes/estirpes (tornando mais difícil o seu combate) e a um possível prolongamento desta última vaga (conjugado com a vacinação e sua maior/menor eficácia), resistiremos (tal como toda a sociedade) a todas as subsequentes e sucessivas privações: aproximadamente (em datas) e numa 1ª vaga atingidos pela pandemia em 2020 (fevereiro/março) ─ durante 4 meses com o país fechado (março a junho), durante outros 4 com o mesmo aberto/meio-aberto (julho a outubro) ─ para numa 2ª vaga nestes últimos 4 meses (outubro a janeiro) se atingir aparentemente um pico máximo (de atividade do vírus) e se entrar na curva descendente (de casos de infeção/óbitos). Obrigando a um novo encerramento do país ─ colocando-o em suspensão com um novo confinamento geral ─ se no que diz respeito à Saúde com o caos geral já instalado (hospitais) podendo deixar todo o SNS em causa (como consultas e cirurgias), já no caso do setor da Economia e no sector do Turismo (um dos com maior receita/empregabilidade em Portugal) ─ Hotelaria/Restauração e múltiplas áreas associadas ─ podendo originar (já visível pelos sinais) uma enorme tragédia social, um encerramento geral e definitivo de Portugal (de muitos dos órgãos vitais deste corpo, levando-o ao colapso), incluindo a região do Algarve e integrando-a de Albufeira. Com todas as previsões a apontarem para uma possível (ainda não confirmada, talvez para já desejada) abertura do país nunca antes do mês de maio, podendo colocar em risco (tal como o ano passado, numa situação semelhante) no país e na região do Algarve, mais um ano turístico: sendo o 2º sucessivo (depois de 2020) ─ e depois de cerca de 80% de hotéis já estarem encerrados ─ neste ano de 2021 e repetindo-se a receita, podendo ser o ponto final.

 

mapa_concess_es_Licencas4_p.jpg

Several companies are planning to explore for gas and oil in the Algarve (Gulf of Algarve) and contracts (explore/drill/produce petroleum) were already granted. All the companies are currently in the exploration phase, some preparing the firsts perforations.

(ejatlas.org)

 

“E aí consumado o desastre (social e económico) e colocados sem outra alternativa (dado o Turismo no Algarve ser uma monocultura, um verdadeiro eucalipto), podendo-se sempre aproveitar todo o imobiliário antes turístico como base estratégica (estaleiros de material, de máquinas e de mão-de-obra) ─ reconvertendo-se igualmente os trabalhadores ─ para as futuras plataformas (exploração de gás): apenas deslocando os investimentos, da terra para o mar. Cá como pelo resto do país.”

 

(imagens: cmjornal.pt e ejatlas.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:55

Fevereiro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO