Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Jan 19

Com tudo o que se passa na América (incluindo a luta Milionários/seus representantes, com estes últimos a lutarem pela sua sobrevivência podendo entretanto ser dispensados) contagiando de imediato todo o Mundo (num menu superlativo e com as tradicionais Fake News): numa altura em que a mesma (a Economia Norte-Americana) caminha para uma nova Bolha, exportando para o lado de lá do Atlântico, fazendo explodir a Europa (até à fronteira russa) e deslocando o Eixo da Terra (longitudinalmente) de Washington para Pequim: passando então a estar este (eixo-da-terra) nas mãos do Eixo do Mal.

 

Screen-Shot-2019-01-09-at-11.54.59-AM.jpg

 

Como se o Mundo estivesse (minimamente) interessado no cenário há muito (desde a sua tomada de posse em Janeiro de 2017) tendo vindo a ser montado (pela generalidade dos políticos e dos média) em torno do 45º presidente dos EUA o republicano Donald Trump

 

Sabendo-se como se sabe ser apenas uma questão interna (dos EUA) envolvendo Republicanos e Democratas (as duas únicas faces da mesma moeda o Dólar) mas tendo superlativamente como pano de fundo (o ponto fulcral de toda esta virtual mas aparentemente intensa convulsão) toda a Classe Política Oficial Norte-Americana (e a manutenção da sua representatividade e privilégios)

 

Apesar de tudo continuar a apontar no sentido contrário (“Não Estou Interessado, Muito Obrigado!”), do início do Ano Novo de 2019 ter ocorrido sem grandes incidentes (até se alcançando Ultima Thule) e até do esquecimento começar (feliz e finalmente) a apagar da nossa memória (curta) os últimos traços da campanha (vista como cultura) esquizofrénica (por intoxicante) até aí incessante e enjoativamente levada a cabo (causando vítimas muitas delas inocentes por todo o lado),

 

Eis que a Onda-Psicótica parece de regresso (mas agora com os Democratas em maioria nos Representantes) tentando ainda e mais uma vez (à 3ª será de vez) reerguer Hillary à custa de Trump.

 

Jamais lhe dando descanso faça ele (Trump) o que fizer, esperando que até lá (próximas Presidenciais em finais de 2020) os outros (os DEM) não se autodestruam (por dentro) e se transformem (literal e) igualmente num vómito (em tudo igual ao dos REP): podendo então Trump vencer no ano de 2020, aí sendo e como muitos outros (o foram antes) reeleito Presidente (e nomeado como tal em Janeiro de 2021).

 

ss4pseqccjh9cyp13stk.jpg

 

Neste início de 2019 (quarta-feira, dia 9 de Janeiro) e para além do Muro (separando EUA e México), do Médio-Oriente (sobretudo do Irão) e da China (como Império em ascensão) não havendo mais nada do que falar (com a agência mediática/e global estando domiciliada nos EUA),

 

De novo com a Fava a sobrar para Trump (logo ele sendo o Rei) agora debruçando-se interessadamente (talvez para ver se o peixe-morre-mesmo-pela-boca) sobre a sua respiração (pelos vistos e segundo um seu atento observador lutando por respirar durante uns agonizantes 36 segundos):

 

“Do you like the idea of listening to Trump "struggling to breathe"? Splinter's Jon Eiseman has the video for you.”

(boingboing.net)

 

Entendendo-se que apesar das razões (patenteadas pelos DEM) estando por detrás de mais esta modesta e nada original Intrusão Mediática (oriundo do Bloco Não Trumpista) poderem ser na prática bastante válidas (na defesa da generalidade dos cidadãos norte-americanos e outros aí residentes),

 

A forma como tais são apresentadas (e embrulhadas) em nada as dignificam ou promovem, recorrendo os e seus autores por sua vez (os defensores da liberdade, das mulheres e das minorias) às tão atacadas armas e estratégias (conservadoras, de direita, por vezes extremista) adotadas pelo diabólico adversário (os REP):

 

Respondendo ao adversário baixando ainda mais de nível no debate e no discurso e com tal procedimento e espetáculo, traindo os poucos que ainda acreditavam nalguns deles.

 

Tudo se passando num país ainda sendo considerado (de longe) como a Maior Potência Global – Económica, Financeira, Cientifica, Tecnologicamente – no entanto e ao contrário do que se pensava (e ainda muitos acreditam),

 

Dispondo internamente e disponibilizando externamente os piores indicadores económico-sociais (Trabalho, educação, Saúde) algumas vezes imaginados para um país dizendo-se Desenvolvido como os Estados Unidos da América. Hoje sendo apenas suportado por Impressoras (imprimindo notas de Dólares) e por Militares (os detentores das Armas).

 

E ficando para quem a Europa (e o nosso querido Portugal)?

 

(imagens: boingboing.net e splinternews.com/AP)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:45

26
Set 17

[Furacões, Sismos e Vulcões]

 

A Terra terá sempre a última palavra sobre o Futuro da Humanidade

Podendo no entanto o Homem provocar a sua autoextinção

(se o nosso Webmaster o permitir)

 

América

(mas para ir dar à Ásia)

 

Vivendo no presente um período de relativa tranquilidade após a passagem de vários Furacões, de dois fortes Sismos e até de uma Erupção, a América do Norte e Central aproveita este interregno de paz e de calma meteorológica (talvez temporário), para tentar recuperar das catástrofes (climáticas) nos últimos tempos afetando (e destruindo) muitas estruturas e vidas:

 

Bali 2.jpgBali 1.jpg

 Bali ‒ Monte Agung

Vulcão Agung ameaçando entrar em atividade e colocando residentes em fuga

 

Com os territórios localizados no Atlântico na região das Caraíbas a serem os mais afetados pelos furacões criados a meio do Atlântico (e nas proximidades de África/Cabo Verde) ‒ desde as Ilhas Virgens, passando por Porto Rico, Cuba e Bahamas e deslocando-se para o golfo do México ou para o litoral este da América do Norte ‒ destacando-se entre eles o furacão Harvey (atingindo o estado do Texas) e o furacão Irma (atingindo o estado da Flórida) por serem os mais violentos assim como os mais destrutivos (em vidas e infraestruturas); aí se confirmando a fragilidade de todas as infraestruturas básicas existentes nestes pequenos territórios/ilhas (como por exemplo a tão solicitada por portugueses republica Dominicana ‒ uma ilha compartilhada com o destruído Haiti), maioritariamente dedicadas à indústria do turismo, com eventuais paraísos para o visitante usufruir, mas rodeados por zonas de brutal exploração humana onde os locais apenas servem unicamente para sobreviver (como antes se fazia aos escravos) ‒ em casas inundadas pela chuva e posteriormente levadas pelo vento;

 

Com o México entre furacões, sismos e erupções a ser o mais sofredor (simultaneamente em destruição e vítimas mortais) no meio dos vários países atingidos (por estes fenómenos atmosféricos e geológicos), levando com dois fortes sismos (M8.1 e M7.1) no espaço de poucos dias (11 dias) e ultrapassando (ou andando perto, abaixo ou acima) de umas 400 vítimas mortais (no total): com o segundo sismo atingindo a Cidade do México e apesar de menor magnitude a ser o mais devastador (se comparado com o primeiro que atingiu com maior intensidade as províncias mexicanas de Oaxaca e de Chiapas na costa do Pacífico) dada a menor profundidade do seu epicentro; um país tal como os EUA (e como todos os outros países acompanhando a costa ocidental do Pacífico, da América do Norte à do Sul passando pela Central) localizado mesmo ao lado da região do Globo Terrestre mais ativa sismologicamente e a nível vulcânico ‒ o Círculo de Fogo do Pacífico ‒ numa zona em contínua convulsão e grande agitação, tal e qual como se fosse uma panela de pressão, mas para já com a válvula de descompressão (e segurança) ainda a funcionar e sem perigo de explodir/ rebentar (saltando-lhe o anel/a tampa da panela).

 

Tudo porque a Terra está bem Viva (internamente), manifestando o seu estado (externamente) através da manifestação pública das suas movimentações (Tectónicas) e na crosta terrestre suscitando choques, sismos e erupções. No caso específico do México de entre estes três fenómenos (furacão/sismo/erupção) sem dúvida a ser o território mais atingido, como se já não lhes chegasse o seu Governo Criminoso e Corrupto (uma Marca Mexicana), os assassinatos em grupo e em cadeia (até de estudantes), o tráfico humano (e até de órgãos), de armas e de drogas e agora até o MURO ‒ contando e como sempre com a indiferença das autoridades (mexicanas que não de Trump) e de todas as Administrações anteriores (Republicana ou Democrata) na sua construção.

 

Ásia

(vindo da América)

 

O continente Asiático na sua região sul (em territórios sobre o oceano) tem a particularidade de ser povoado por ilhas e arquipélagos distribuídos pelo Pacífico (e parcialmente com a região fronteiriça do Índico) por coincidência com todos eles rodeando um dos braços do Círculo de Fogo do Pacífico. A zona geologicamente mais ativa no nosso planeta (se fosse a nível de florestas a Amazónia da Terra) e constantemente sujeita a fenómenos como sismos e erupções:

 

Bali 4.jpgBali 3.jpg

 Bali ‒ Vulcão Agung

Evacuando os animais da zona de perigo e centro de evacuação de Klungkung

 

Voltando-nos para o Continente Asiático (agora que se mantem ainda ativos os furacões Maria e Lee e o vulcão Popocatépetl no Continente Americano) e sem perspetivas (felizmente) de aparecimento de nenhum ciclone tropical nas próximas 48 horas (segundo a NOAA), com os Asiáticos neste caso os habitantes de BALI localizada a NW de Dili (a primeira uma ilha e um das províncias da Indonésia com cerca de 4 milhões de habitantes) numa distância cumprida em cerca de 1h 45mn de avião ‒ a depararem-se agora com um vulcão de novo em atividade, podendo entrar em erupção e colocar em grande risco as comunidades adjacentes (locais) como até regionais (afetando em maior ou menor grau toda esta ilha fazendo parte da Indonésia): um vulcão localizado no Monte Agung (com o mesmo nome) em linha reta distando em torno de uns 50Km (+/-) da capital da província Bali e como consequência podendo vir a afetar toda a ilha (com uma área de pouco mais de 5600Km² e correspondendo em termos comparativos a um quadrado de 75Km de lado).

 

Com os avisos sobre uma possível erupção no vulcão do Monte Agung a levar ao êxodo maciço de 75.000 pessoas (entre residentes e turistas), obrigando ao abandono de muitas localidades nas proximidades do mesmo (vulcão), numa 1ª fase da zona mais exposta (a menos de 12Km da cratera do vulcão) mas com todos os outros residentes habitando um pouco mais afastados e face a todo o alarme instalado (e constantes indicações e avisos das autoridades) a fazerem desde logo o mesmo e a fugirem para lugares mais distantes (numa das suas ultimas erupções há mais de meio século com o vulcão do Monte Agung a provocar mais de 1000 mortos). E com os habitantes da ilha sobretudo vivendo mais perto do vulcão a desejarem que o mesmo não entre em erupção (violenta) e se fique pelos pequenos espasmos (por ex. sísmicos) até agora produzidos. Uma ilha turística famosa pelas suas praias (propícias para o Surf) e pela promoção da sua elegante e bela Cultura Hindu, com cerca de 5 milhões de visitas em 2016 e com um Aeroporto Internacional servindo a capital, agora posta perante uma possível erupção e todas as suas consequências (para já com centenas de sismos, proporcionando um cenário de uma possível erupção, mas para já sem data marcada nem se sabendo se acontecerá).

 

Mais uma vez nunca se podendo esquecer que na beleza de determinados cenários (como no caso das Caraíbas agora varrida por furacões), por vezes se escondem outras coisas já não tão agradáveis: no caso das belas e paradisíacas praias da ilha indonésia de Bali, com as mesmas ocupando uma ilha detentora de um vulcão (Agung) integrando um extenso arquipélago (também pejado de outros vulcões), localizado numa região de alta sismicidade e erupções vulcânicas, em pleno oceano Pacífico e constituindo o Anel de Fogo do Pacífico.

 

(imagens: gettyimages/reuters/shutterstock/gettyimages)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:02

24
Fev 17

Hoje dia 24 de Fevereiro de 2017 e aproveitando o início de mais um fim-de-semana (pelos vistos mais propícios à pratica de rituais), inicia-se mais uma campanha contra o 45ºPresidente dos EUA – Donald Trump: aqui podendo-se invocar bruxas, feiticeiros, mágicos, duendes e tudo o mais que nos lembrarmos dos nossos tempos de infância, mas agora não para contrapor (ao mundo dos adultos) mas apenas para informar que continuamos simplesmente a obedecer (a quem nos tem sempre negado a Esperança). É que o Mal existe e está onde eles nos indicam!”

 

Para se ver até onde pode chegar a histeria-animal instigada pelos (seus) predadores – com as próprias presas no altar oferecendo-se em sacrifício. Lembrando-nos de tempos ainda tão próximos e da psicologia de massas do fascismo (antes de aplicação direta agora subliminar).

 

A Spell to Bind Donald Trump and All Those Who Abet Him:

February 24th Mass Ritual

 

16903271_883777908430615_8898892083045838516_o.jpg

 

To be performed at midnight on every waning crescent moon until he is removed from office

 

The first ritual takes place Friday evening, February 24th, at the stroke of midnight

 

Com o promotor publicitário (com uma página própria no Facebook só destinada a Trump) divulgando esta ação, a colocar-nos logo a par de tudo o for necessário: desde adereços e artefactos que deveremos necessariamente levar (uma foto de Trump, uma carta de Tarot, velas e o que mais nos for permitido – aqui referido como opção), passando por conselhos (úteis) de modo a sabermos como nos preparar e apresentar (por exemplo rezando e invocando o nosso santo protetor) e até como cumprir o ritual ou as suas diversas variantes (permitindo a presença de mágicos de modo a esconjurar o Diabo). E tendo já algo para dizer (mundo psíquico) para acompanhar o Ritual (mundo físico) – uma letra e sendo de câmbio (trocando algo por outra coisa, mesmo que não se saiba o quê):

 

 

Hear me, oh spirits

Of Water, Earth, Fire, and Air

Heavenly hosts

Demons of the infernal realms

And spirits of the ancestors

 

I call upon you

To bind

Donald J. Trump

So that he may fail utterly

That he may do no harm

To any human soul

Nor any tree

Animal
Rock
Stream
or Sea

 

[Parte do Ritual (v.2.1)]

 

 

1 6O5ulWUIGqx6gVtkEz57WQ.jpeg

 

Tower tarot card

 

 

Pelo que se não puder hoje dar um saltinho até à América (pode conhecer alguém que o possa e que como que por magia o leve) e viver meio perdido num outro buraco do Mundo (sem acesso a estas coisas), o que terá de fazer sem receio do que (poderá) acontecer (inebriados como estaremos no Mundo do Imaginário), será sentar-se num cantinho, beber um copinho de vinho e deixar-nos aí a sonhar: também com Bruxas mas das Boas.

 

Enquanto isso nos EUA continua a Guerra Civil não declarada entre “os trampa e os contra-esta-trampa” mas com todos trabalhando para o mesmo tipo de trampa. Todos dentro da sanita e com alguém no autoclismo.

 

(textos/inglês e imagens: extranewsfeed.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:36

18
Dez 16

O Mundo tem destas coisas:

Quando menos esperamos (e mais hesitamos) levamos logo com uma cacetada!

(e quem paga é o mexilhão)

 

Enquanto nos EUA o presidente eleito DONALD TRUMP vai preparando o seu GOVERNO até à sua tomada de posse a 20 de Janeiro de 2017 (daqui a menos de 6 semanas), no Resto do Mundo muitos daqueles que acreditavam piamente na continuação do Reinado daqueles que já lá estavam (Status Quo), ainda não recuperaram do surpreendente impacto que os atingiu significativamente (como muitos pretendem induzir só mesmo comparável ao Impacto de um Asteroide), continuando religiosamente a crer (como assim Jesus também ressuscitou) que ainda lhes é possível (à Elite) retornar mais uma vez ao seu passado glorioso:

 

trump-girls.jpg

Eleito em Novembro e com posse marcada para Janeiro

Donald Trump

(Republicano)

Previsivelmente o 45º Presidente dos EUA

(2017/2021)

 

Nesse contingente de zombies habituados apenas a comer e alimentando-se preferencialmente da sua própria espécie (consequência da aceleração da disfunção cerebral dessa pretensa elite), integrando-se sem surpresa a Europa habituada a nada fazer (como um senhorio) e especializada em receber (a renda) – como se alguma sociedade se sustentasse recorrendo apenas a serviços.

 

O problema é que os EUA continuarão a ser o que sempre foram (como qualquer outro grande Império, terminando sempre por dentro e só no momento da implosão) e por esse motivo confirmada a necessidade de deslocação do seu Eixo Estratégico para Oriente, a hierarquia das várias regiões integrando o nosso planeta alterar-se-á radicalmente com umas a subir (por ex. o entreposto UK), outras a descer (muitas zonas de África por já nada terem a oferecer) e ainda outras readaptando-se apenas com pequenos ajustes (unicamente porque já lá estavam precisamente à espera da vez – como a China e a Rússia):

 

Infelizmente e a continuar como sempre, não pertencendo a nenhuma delas a Opção Europeia (talhada na indiferença, na hipocrisia e sobretudo na total falta de vergonha e de valores – que já nos tinha atirado para duas Guerras Mundiais destruidoras e mortais, mesmo assim não aprendendo e replicando conscientemente crueldades e vícios anteriores) mas sendo ela certamente uma outra, mas sem saída que se veja senão a de cair no buraco (do derradeiro esquecimento e fim de protagonismo).

 

Ora isso não quer a América, a China e a Rússia (e já agora a Índia).

 

President-Reagan.jpg

Tentativa de assassinato de 30 de Março de 1981

Ronald Reagan

(Republicano)

Efetivamente o 40º Presidente dos EUA

(1981/1989)

 

Neste esquema repetitivo de crescimento e desenvolvimento humano com a nossa espécie continuando talvez por questões de sobrevivência (há milhares de anos inculcadas no nosso ADN) mas certamente por necessidades alimentares (a que a terra por vezes acede e outras vezes não) e de comunicação evolutiva (nos humanos mais produtiva em circuitos fechados – e posteriormente sendo eficazes podendo tornar-se interativas com grupos semelhantes), replicando sucessivamente cenários desde há muito tempo reproduzidos e sempre apresentados a sucessivas gerações (após lobotomia seletiva afetando a memória) como cópias fiéis do verdadeiro molde original:

 

Mudando-se apenas o aspeto (o Espaço) mantendo-se no entanto a Ideia (a Fantasia) e esperando que resulte (como se o Tempo se repetisse).

 

Levando-nos a aceitar que sendo o Homem de base nómada e essencialmente mercador (de Mercadoria e de Cultura, de Memória e de Ciência) jamais se restringirá a um único espaço fechado, castrador de liberdade, aventura e reconquista:

 

Sendo normal que da mesma forma que entendemos e aceitamos que o Eixo da Terra se desloca, aconteça o mesmo com o Eixo do Homem e que de uma forma natural e até compreensiva (já que nunca acreditamos que tal viesse a acontecer) deixemos que a migração se faça e partamos logo atrás dela.

 

donald-trump-person-of-year.jpg

De Palhaço a Alvo a Abater

Passando entretanto por ser eleito

Personagem do Ano

2016

(revista TIME)

 

Restando-nos agora tentar entender qual será a atitude global de DONALD TRUMP sobre o exercício do seu futuro mandato político como Presidente dos EUA, conhecendo-se as diferentes etiquetas que lhe foram sendo coladas (algumas delas autoinfligidas) ao longo da sua caminhada presidencial:

 

Desde ser um candidato antissistema (o outro era o Democrata BERNIE SANDERS, mal digerido por HILLARY CLINTON nas primárias), passando por sexista e racista (apalpava o rabo de mulheres e odiava mexicanos) e acabando por ser no fim um Boneco de PUTIN (que o terá ajudado a tornar-se Presidente).

 

Colocando-o desde logo num roteiro de trajetória incerta, entalado entre os derrotados (Democratas) e os agora também vencedores (a fação da Elite Republicana que nunca o apoiou) – e talvez como efeito (ação/reação) nomeando noutros campos (e noutros termos), muitas vezes mal vistos e claramente mal aceites (alguns deles milionários).

 

Um Presidente que de uma forma infantil e fantasiosa (talvez deliberada) prometeu aos seus cidadãos e ao seu país relançar e reerguer os EUA recolocando-o no topo (tornando-o Grande outra vez), mas que terminados os tempos iniciais de campanha (de namoro), como vencedor comprometido (no casamento) e com o mesmo já marcado (apenas a 40 dias), terá forçosamente que optar ou então será trucidado.

 

Mesmo que retalhado aos poucos por Representantes ou Senado (e com maioria Republicana em ambas as câmaras).

 

Pelo que e em começo de remate final (sabendo-se como a Rússia, a China, o Médio Oriente e muitos outros casos o irão propositadamente envolver) o principal problema que Donald Trump (e a sua equipa) terá necessariamente de resolver até ao dia 20 de Janeiro de 2017 (incluindo mesmo esse dia), será o de tentar evitar que algo lhe aconteça de semelhante a RONALD REAGAN: mantendo-se vivo até lá!

 

Infelizmente os Democratas ainda não compreenderam que foram eles a levar com a primeira cacetada e em vez de o interiorizarem e nos prepararem para novos e talvez muito mais violentos impactos (afetando todo o espectro político), persistem no seu estado de negação parecendo ainda não acreditar no que na realidade aí vem e que já os pôs KO.

 

(imagens: retiradas da WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:17

07
Fev 16

Na ingenuidade capitalista dos anos sessenta muitos ainda acreditavam que o poder do cidadão nunca seria ultrapassado por outro poder qualquer que dele dependesse. No entanto a verdadeira realidade (já nessa altura) não era essa, com a emergência em flecha do novo e indiscutível poder – a Indústria Militar: desde o fim da II Guerra Mundial considerado o protagonista da vitória dos Aliados sobre a Alemanha Nazi e posteriormente consolidando a sua posição com a dispersão de várias guerras (em que foi sempre uma das partes envolvidas) um pouco por todo o globo terrestre. Os Presidentes dos US foram a partir daí apenas os porteiros (demitindo-se da sua função e como traidores abrindo a porta do Castelo) para o assalto final ao Estado (que em princípio somos nós). Agora temos um Circo só que as feras são outras (e estando soltas cá fora).

 

“America's leadership and prestige depend, not merely upon our unmatched material progress, riches and military strength, but on how we use our power in the interests of world peace and human betterment.” (Military-Industrial Complex Speech, Dwight D. Eisenhower, 1961)

 

hqdefault.jpg

IKE
Dwight D. Eisenhower
No seu discurso de despedida como Presidente dos EUA tendo como tema por si escolhido o perigo que poderia advir para os próprios EUA (e para o Mundo) como consequência do poder crescente e hegemónico do Complexo Militar-Industrial

 

Candidato DEM Sondagem
Bernie Sanders 53.6
Hillary Clinton 40.4
Candidato REP Sondagem
Donald Trump 31.3
Marco Rubio 15.1
John Kasich 12.0
Ted Cruz 11.9
Jeb Bush 9.7
Chris Christie 5.0

(realclearpolitics.com – RCP Average – New Hampshire – Sondagens: 07.02.2016 – Eleição: 09.02.2016/com todas as sondagens a apontarem para a vitória de Sanders e Trump)

 

Com o início da fase decisiva das Eleições presidenciais norte-americanas (correspondente à nomeação dos respetivos candidatos DEM e REP), o espetáculo mediático (e porque não circense) montado por todos os candidatos (com os efeitos especiais disponibilizados a cada candidato a dependerem do dinheiro investido por cada um) começa verdadeiramente a aquecer. De um lado apenas com dois candidatos (DEM) do outro ainda com quase duas mãos cheias deles (REP) – mas só com Hillary Clinton (D), Bernie Sanders (D), Ted Cruz (R), Donald Trump (R) e Marco Rubio (R) a terem hipóteses de vencer na sua respetiva Convenção.

 

Para já apenas se realizaram as primárias norte-americanas num dos seus estados (no Ohio). E sendo este um indicativo do que poderá vir a acontecer nas votações seguintes, este estado poderá no entanto dar uma imagem errada do que na realidade espera cada um dos candidatos (especialmente no que diz respeito aos primeiros vencedores): isto porque se do lado Democrático todas as previsões apontam para uma vantagem folgada para Bernie Sanders (ao contrário do sucedido no Ohio) nas próximas votações que irão decorrer em New Hampshire no dia 9 (precisamente o que aconteceu em 2008 quando Barack Obama começou a despachar da corrida Hillary Clinton), do lado Republicano o vencedor do Ohio só o foi (Ted Cruz) devido ao forte apoio evangélico nesse estado ao (sendo assim que ele se retrata) “único candidato conservador e religioso” (o que não acontecerá agora, com Donald Trump bem à frente – maior preferência que a soma dos 2 que se seguem – e Ted Cruz aparecendo logo atrás de Marco Rubio). Mas como toda a gente sabe, iniciada a novela a escolha do final pode ser sempre alterado.

 

“In the councils of government, we must guard against the acquisition of unwarranted influence by the military industrial complex. The potential for the disastrous rise of misplaced power exists and will persist.” (Military-Industrial Complex Speech, Dwight D. Eisenhower, 1961)

 

barack-obama-mosque.jpg

Barack Obama – 44º Presidente dos Estados Unidos da América
O 1º Presidente Negro eleito e reeleito
Esquecendo tudo o que dizem, ignorando as corporações e reinventando de novo a esperança, nem mesmo os Democratas com um Presidente Negro ou sob a forma de Mulher, conseguirão alguma vez destruir o poder que (de mãos dadas com os Republicanos) ajudaram a montar.

 


Vejamos o que sucedeu no Ohio neste primeiro embate:

 

DEM Convenção Hillary
Clinton

Bernie

Sanders

Voto
Popular
(A) 49.9% 49.6%
Delegados
Eleitos
A 23 21

Super

Delegados

(B) 50% 2%

Super

Delegados

B 357 (362*) 14 (8*)
Total
(atual)
A+B 380 (385*)
(91.6%)
35 (29*)
(8.4%)

(Para ser nomeado: 2.382 – Super Delegados ainda indecisos: 340 – Dados*: NYT)

 

- Como se pode verificar pelo (anterior) quadro DEM com Hillary Clinton no seu primeiro embate (contra Bernie Sanders) a vencer por umas miseras três centésimas. Mas com a adição dos Super Delegados (já previamente escolhidos e esmagadoramente apoiando Hillary Clinton) transformando um cenário atual de empate técnico numa aparente tareia a longo prazo (terminando na Convenção) – e nunca esquecendo que ainda existem uns 340 indecisos (entre os Super Delegados). Coisas dos Democratas – e da sua necessidade de se proteger dos cidadãos e de se integrar nas Corporações (o que os Republicanos há muito fizeram daí o seu triste espetáculo – “quem manda, são eles ou elas?”). E para Bernie Sanders ganhar “ou fica preto (como Barack Obama em 2008) …ou sai queimado (como Hillary Clinton no mesmo ano) ”;

 

REP Convenção

Ted

Cruz

Donald

Trump

Marco

Rubio

Ben

Carson

Jeb

Bush

Voto

Popular

(A) 27.6% 24.3% 23.1% 9.3% 2.8%

Delegados

Eleitos

A 8 7 7 3 1

Super

Delegados

(B) 0 0 0 0 0

Super

Delegados

B 0 0 0 0 0

Total

(atual)

A+B 8 7 7 3 1

(Para ser nomeado: 1.237 – Candidatos: 5 mais votados)

 

- No caso dos REP com o panorama a apresentar-se muito mais confuso, com três candidatos a lutar pela nomeação e um quarto a ver como param as coisas (o candidato que em sondagens iniciais se apresentou como um dos três principais candidatos e com o decorrer da campanha foi desparecendo): com o favorito na esmagadora maioria das sondagens (estaduais e nacionais) a ser o milionário Donald Trump e com os outros dois candidatos mais bem colocados à mesma nomeação (ambos de ascendência cubana) a serem os conservadores Marco Rubio e o seu colega (e crente) Ted Cruz. Para já (e sem a adição de qualquer tipo de Super Delegados) com Ted Cruz à frente mas adivinhando-se no horizonte (próximo) um duelo a dois: Donald Trump vs. Marco Rubio.

 

“Only an alert and knowledgeable citizenry can compel the proper meshing of the huge industrial and military machinery of defense with our peaceful methods and goals, so that security and liberty may prosper together.“ (Military-Industrial Complex Speech, Dwight D. Eisenhower, 1961)

 

brands-of-us.jpg

EUA 2016 – A Verdadeira Campanha
Estado vs. Corporações
Maiores Corporações nos EUA por Estado
(segundo estudo de steve-lovelace.com)

 

Na próxima terça-feira (dia 9) seguem-se as primárias de New Hampshire com os candidatos à nomeação Democrata a disputarem mais 32 delegados e os Republicanos 23. Numa campanha eleitoral que põe claramente à vista a cobardia, a hipocrisia e a incompetência da atual elite política norte-americana, incapaz de deter o poder avassalador e hegemónico das grandes Corporações mundiais e trocando o seu silêncio com festas e mordomias: mordomias como as proporcionadas por pertencer ao Senado, ao Congresso e ao Governo (e a muitas outras instituições públicas) e sendo sempre acompanhadas por festas periódicas, insinuantes e estritamente privadas (fechadas aos cidadãos em geral) em que a mesma Elite se reabilita, se reproduz e persiste no seu desígnio considerado patriótico (até porque sem chefes nada mais funciona): sobreviver o maior número de dias que for humanamente possível. E é aqui que nos lembramos dos grandes presidentes dos Estados Unidos da América como o foi Dwight Eisenhower, em contraponto total com a pobreza intelectual e até mesmo miserável de alguns dos últimos presidentes (que no fundo nunca o foram) – de que o clã Bush foi apenas um dos últimos exemplos, liquidando definitivamente o Estado (e entregando-o noutras mãos). Numa campanha ridícula de milhares de milhões de dólares (ou seja biliões) e ofensiva para muitos (norte-americanos) sem um único tostão.

 

(imagens: youtube.com/thegrio.com/osoti.net)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:42

30
Nov 13

Os norte-americanos orientam-se mais uma vez e definitivamente em direcção ao mercado asiático, território garantido de mão-de-obra barata e de contingentes sucessivos de substitutos para estes seres subhumanos aqui considerados de desgaste rápido e permanentemente descartáveis, ainda por cima apoiados numa forte plataforma económica envolvendo os países mais importantes da região – como a Índia, a Indonésia, o Japão e a Coreia do Sul, entre outros – prontos a oporem-se ao super e avassalador poderio da Republica Popular da China.

 

Depois de:

Bom Dia Vietname

 

Robin Williams

 

Com a Rússia a olhar de perto os Estados Unidos da América apostam no continente e no mercado asiático, numa tentativa de controlarem de perto os cada vez mais poderosos interesses chineses nesta região do globo, como fronteira leste do continente americano e sector prioritário do governo e poder a defender, consolidar e impor.

 

Eis a sequela:

Bom Dia Ásia

 

Joe Biden Pivots to Asia

 

Do lado do Atlântico a Europa estará morta e manietada por agentes alemães controlados por dinheiro chinês ou proveniente de outros submundos financeiros, pelo que não provocaria grande inquietação. A Rússia encarregar-se-ia tacitamente da missão de controlar a Europa de leste, sob garantia de compensação económica e financeira futura.

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:02

22
Out 11

“Mesmo para o poder, não vale tudo!”

 

O presidente Barack Obama

 

 

disse que a morte  do antigo líder líbio Muammar Khadafi

 

 

e a retirada militar total das tropas  americanas do Iraque até ao final do ano

 

 

evidenciam a renovada liderança  da América no mundo.

 

 

Só pode estar a gozar connosco – depois da cena familiar recente, da morte do terrorista que já estava morto há muitos anos e do lançamento da Europa às feras, para esconder a sua desgraça económica e os seus agentes gurus neoliberais infiltrados, só faltava mesmo lançar a ideia de que um morto pode ressuscitar: Obama não é o Super-Homem e nem sei como é que o pode invocar – o outro era branco e só temia a kryptonite!

 

 

O Fim 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:21

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO