Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

29
Nov 19

Amazon fires are causing glaciers in the Andes

to melt even faster

(Matthew Harris/theconversation.com/28.11.2019)

 

file-20191128-178089-1dwq01a.jpg

 

Tal como o menciona Matthew Harris (em The Conversation) focando todas as notícias centradas no tema dos Incêndios Florestais na Amazónia sendo nos últimos tempos amplamente divulgas um pouco por todo o Mundo com uns a afirmarem o aumento de número de incêndios e áreas devastadas (os eruditos, em princípio os mais certos) e com outros afirmando precisamente o contrário (os leigos-iluminados da sociedade Bolsonaro & Associados) – com o número de Fogos Florestais na Floresta da Amazónia a registarem no ano passado (de 2018) um aumento “bem significativo” de 70%, tendo como consequência (imediata) para além dal intervenção (Artificial e Antinatural) do Homem nesta região − “intervencionando-a, limpando-a e readaptando-a” (para a agricultura, criação e mineração) − o lançamento de espessas camadas de fumo para a atmosfera (bem visíveis da ISS) escurecendo-o o céu e afetando o normal funcionamento (até pela elevada poluição, por libertação excessiva de carbono) de diversas comunidades, assim como e com consequências podendo ser igualmente graves (ou mais) mas sentidas mais longe e num espaço tempo mais alargado, o “derretimento dos glaciares dos Andes”.

 

O que seria uma grande tragédia atingindo todo o sul do continente americano − até pela presença fundamental de água nestas regiões, para abastecerem as populações (de diversas nacionalidades) aí residentes – sabendo-se desde já que por ano esta parte da América (o sul) emite cerca de 800.000.000Kg de carbono (carbono-negro) para a atmosfera. Acrescentando (e concluindo) Matthew Harris:

 

This truly astounding amount is almost double the black carbon produced by all combined energy use in Europe over 12 months. Not only does this absurd amount of smoke cause health issues and contribute to global warming but, as a growing number of scientific studies are showing, it also more directly contributes to the melting of glaciers.” 

       

andes-map.jpgCAM919.gif

 

E se por acaso e como o artigo informa o efeito causado pela presença do carbono-negro (resultante dos incêndios florestais e formando as espessas camadas de nuvens) ainda não está incluído nos estudos sobre os temas (tão atuais e impactantes) do Aquecimento Global e das Alterações Climáticas, então o perigo poderá ser ainda muito maior do que o até ao presente previsto com todo o litoral-ocidental da América do Sul a sofrer na pele os efeitos do aquecimento global (subida das temperaturas do ar, derivado dos incêndios), com o degelo dos glaciares a acelerar-se incorporando “água e carbono-negro”, para finalmente a água escassear, faltar, tornando os terrenos áridos (sem flora, sem fauna, sem população humana). Como o dá a entender Matthew (The Conversation):

 

The tropical belt of South America is predicted to become more dry and arid as the climate changes. A drier climate means more dust, and more fires. It also means more droughts, which make towns more reliant on glaciers for water.

 

Cordilheira dos Andes englobando seis países – Chile, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia e Venezuela, a “América Andina” − mais um fazendo-lhe fronteira e companhia − a Argentinatal como a [Wikipédia] informa berço e palco de grandes Civilizações Antigas (como a dos Incas) mas por outro lado cenário conjuntamente com todos os países da América Latina (quase toda a América do Sul e Central) de intervenções externas desestabilizadoras (começando logo com a invasão espanhola dizimando as civilizações aí existentes) − destruindo, matando e tratando comunidades inteiras (e interligadas) como subespécies unicamente destinadas ao sacrifício (no palco global capitalista) em favor das matérias-primas, sua exploração e obtenção máxima de lucro para as suas elites – com sucessivos golpes militares, governos ditatoriais, corrupção e mudanças pretensamente legais de poder (desrespeitando de uma maneira ou de outra as constituições e leis dos países “intervencionados” em nome de interesses superiores, terminando sempre nos norte-americanos)

 

z_p11-Brazi.jpg

 

Tendo como exemplos uma das mais antigas (no entanto recente), sangrentas e icónicas intervenções da CIA e dos norte-americanas na América do Sul, o Golpe de Estado Militar do Chile (Setembro de 1973, antecedendo o 25 de abril) liderado pelo ditador fascista Augusto Pinochet, derrubando e executando o presidente eleito Salvador Allende e prosseguindo com uma perseguição sanguinária aos seus apoiantes (como a todos os suspeitos de simpatia e demais do costume) e ainda para os com os dotados de menos memória (ou desejo dela, seletiva), os recentes acontecimentos ocorridos na Bolívia com os golpistas apesar de minoritários mas contando com a colaboração dos militares (e mais uma vez apoiados pela CIA) a colocarem em fuga ameaçando de morte o Presidente do seu país (o índio Evo Morales) e apoderando-se (sob a revolta popular imediata e já com vítimas mortais) ilegalmente do poder

 

No presente voltando de novo a estar na sua quase totalidade (dos países sul-americanos)  na ribalta, agora não apenas pelo brutal estrangulamento (direto, violento e imediato) socioeconómico do seu povo e pelo apoderamento das matérias-primas do seu país escravizando-o o povo na sua exploração, mas tal e qual como faria qualquer fanático-terrorista (Efeito Bolsonaro) deitando fogo a um bem comum (de todos ) e devendo ser dado a usufruto da totalidade, pegando num fósforo e deitando fogo à floresta prometendo a partir daí o Novo Mundo: numa Segunda Fundação aplicando a teoria da Terra Queimada. Criando à sua imagem o seu Mundo e pouco se importando com a situação os outros: mas o que dirão (para além dos brasileiros) todos os outros, entre eles os últimos Guardiões da Cordilheira dos Andes.

 

(imagens: 3523studio/shutterstock/theconversation.com − adventurealternative.com − economista.com − dailynews.lk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:53

25
Set 19

E Nós, do que é que estamos à espera?

 

“The planet of the trees has given way to the planet of the apes”

(Steve Conner/independent.co.uk)

 

5150.jpg

Com o “Refúgio Nacional de Vida Selvagem do Ártico” a ter como dois produtos visíveis, únicos e de excelência, “as Árvores e os Ursos”, mas simultaneamente (e infelizmente), de uma forma previsível, invisível e segundo Donald Trump tendo no seu subsolo, “Petróleo e Gás”.

 

A partir de uma investigação (integrando 40 cientistas de 15 países) tendo como tema de estudo as ÁRVORES, particularmente o cálculo da sua quantidade (existente) sobre a superfície da TERRA – atualmente e segundo os cientistas na ordem dos 3 TRILIÕES (isto apesar de todos os esforços entre outros de BOLSONARO e de TRUMP) – e já depois de termos tomado conhecimento da notícia no mínimo alarmante do abandono (desde 1970) de cerca de 3 biliões de pássaros registados na América do Norte (EUA e Canadá) − para já não falarmos neste “Portugal dos Pequeninos” da perseguição (nada científica, em tudo religiosa e como se falássemos de algum Culto ou Seita) de um Reitor Universitário ao gado bovino, citando desde logo e de uma forma machista-racista a fêmea a Vaca – a informação de que apesar do número aparentemente elevado desta espécie do Mundo Vegetal ainda cobrindo grandes extensões da superfície terrestre, desde que o “Mundo das Árvores” foi substituído pelo “Mundo dos Primatas (particularmente desde o aparecimento do seu expoente máximo o HOMEM) esta tão importante espécie vegetal se terá reduzido a menos de metade: com estes 3 TRILIÕES de árvores a serem os restantes das quase 7 triliões de árvores então existentes, depois dos DINOSSAUROS e antes de NÓS.

 

web-trees-pa.jpg

Human settlement

has cost Europe

most of its forest cover

 

E mantendo-se o nível de abate de árvores registados nos últimos anos − uns 15 biliões/ano, logo nos TRÓPICOS e com as árvores mais velhas e maiores aí localizadas – e conhecendo-se o crescimento (aproximado e de árvores novas) do número das mesmas para além de nos Trópicos/1,4 triliões (florestas subtropicais), em regiões Temperadas/0,6 triliões (EUA e Europa) e nas regiões Boreais/0,8 triliões (Canadá e Sibéria) – não sendo (“apenas”) daqui a uns 200 anos (apenas fazendo os cálculos, neste único parâmetro) a termos o “PLANETA-CARECA, mas com tal cenário a suceder muito antes do que alguma vez previsto.

 

“Trees are among the most prominent and critical organisms on Earth, yet we are only recently beginning to comprehend their global extent and distribution. They store huge amounts of carbon, are essential for the cycling of nutrients, for water and air quality, and for countless human services. Yet you ask people to estimate, within an order of magnitude, how many trees there are and they don’t know where to begin. I don’t know what I would have guessed, but I was certainly surprised to find that we were talking about trillions”. (Thomas Crowter/Yale University-New Haven-Connecticut/Nature)

 

An area of the Amazon devastated by deforestation,

An area of the Amazon

devastated by deforestation,

in northern Brazil

 

Sabendo-se que a maior densidade de árvores (mais novas) se situa na América do Norte (Canadá e EUA), Escandinávia (Dinamarca/Suécia/Noruega podendo-se estender a Finlândia/Ilhas Faroe/Islândia) e Rússia – como será a região do Ártico apanhando os EUA, integrado numa região englobando 24% das árvores da Terra − e que as Grandes Florestas (árvores mais velhas, maiores) se localizam nas regiões Tropicais – como será o caso da AMAZÓNIA lar de mais de (o máximo regional no global) 43% do total das árvores existentesobservando-se com extrema preocupação e num momento em que se discutem (mais uma vez, mas ainda e somente, entre elite e privilegiados) as ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS (servindo-nos e utilizando-nos já, de uma criança), o avanço “à sua maneira” dos dois pretensos líderes do Continente Americano na sua “SENDA PATRIÓTICA e NACIONALISTA do ABATE de ÁRVORES: fazendo-o TRUMP a norte numa reserva (terraplanando-a) e BOLSONARO a sul na Amazónia (incendiando-a) – enquanto MACRON para se fazer notar e tal como muitos outros (“a ocasião coloca lá outro ladrão”), se põe “em bicos de-pé(depois destes “Coletes” serem pisados, espetando-lhes agora a “biqueira dos sapatos”).

 

(imagem: Steven Kazlowski/Barcroft Medi/theguardian.com – imagens/legendas: PA/GETTY/humansarefree.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:34

03
Set 19

Um cartoon de ADAM ZYGLIS publicado em CAGLE (29.08.2019/cagle.com), suportando e defendendo os Cartoons Políticos. E expondo BOLSONARO como o fósforo (de símbolo P de prisão) no stick.

 

Um cartoon do Brasil de Bolsonaro,

debruçando-se sobre o Incêndio,

da Floresta da Amazónia.

 

229144.jpg

O Promotor J Messias B

 

Apresentando-nos o primeiro representante dos Fazendeiros (Madeira, Agropecuária, Criação de Gado) assim como dos Garimpeiros (explorando o minério do subsolo com ligação com a Indústria Mineira) – os representantes do Novo Mundo Rural-Industrial Brasileiro.

 

Espetado na ponta de um fósforo (curiosamente e tradicionalmente de Madeira) suportado numa folha de cartão (um derivado da madeira) e tendo na sua extremidade (maioritariamente a vermelho) o ponto de ignição (para outros de ejaculação).

 

(imagem: Adam Zyglis/cagle.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:48

01
Set 19

Uma imagem que poderia ser dirigida a muitos (entre 0 e 7,5 biliões) − especialmente àqueles que estando aparentemente descomprometidos (sendo políticos, duvidoso), se afirmam como os primeiros Salvadores do Mundo (sem nunca terem apresentado um comprovativo) – demonstrando como apesar da enorme tragédia em curso (assim o afirmando todos os média globais) podendo originar graves consequências a curto-prazo (mesmo que não nos faltando oxigénio para respirar, podendo causar outros desequilíbrios ambientais), ainda se pode nesta Sociedade do Espetáculo tirar algum lucro & algum proveito montando uma simples barraca (e uma ou outra tendinha) com carrinhos-de-choque & farturas. Fazendo negócio (dinheiro) e sorrindo (só podendo ser de gozo) face a um país − e PESSOAS − em chamas.

 

Hambúrguer à Bolsonaro Vs. Hambúrguer à Macron

 

drop_that_burger_amazon_burnin.jpg

Aproveitando o Fogo da Amazónia para lá colocar umas Vacas

Delas fazendo um "hambúrguer-típico-brasileiro"

 

Nesta Nova Temporada (de 2019) da Saga dos “Fogos na Floresta da Amazónia” e quando se pensava desenrolados já alguns dos seus episódios que tudo iria correr (e tal como esperado e desejado) dentro da total normalidade (aqui ou ali com um crescimento mais acentuado do nº de incêndios, do número da casas incendiadas/destruídas e até registando-se uma ou outra vítima mortal), eis que subitamente todo o Mundo exclama (e explode) estar o seu “Pulmão a Arder”, sem que se veja Bolsonaro sequer a tentar ver, ou o Resto do Mundo (dito político) mesmo um pouquinho a mexer. E inesperadamente (ou talvez não, dado os episódios seguintes) e face à crescente pressão da opinião pública (ou seja, e subliminarmente do seu mestre os Média) entrando em cena MACRON logo seguido de BOLSON.

 

PIA23356 1.jpgPIA23356 3.jpg

Produção e distribuição de CO "de 6 a 20 de Agosto de 2019"

por ação dos Fogos na Selva Amazónica

 

Montando-se um Círculo de Promoção Mediática (envolvendo muitos interesses) na realidade nada tendo a ver (diretamente) com a Sobrevivência da AMAZÓNIA (perdida há muito a salvaguarda) e servindo-se apenas dela para ajustes/desajustes ou desequilíbrios/equilíbrios geopolíticos e estratégicos, no fundo estritamente ECONÓMICOS (vindos de todos os lados, a favor, contra, ou até neutros): na área da produção florestal, animal e até mineral. Pelo que hoje e estando a Amazónia já a arder (o PULMÃO), nos reste aproveitar para amanhã, arrancada a pele e comida a carne (e mesmo não se sabendo o sucedido com o outro Pulmão) − tanto pela corte “empreendedora(fazendeiros/garimpeiros/incendiários/etc.) de Bolsonaro como pela corte “investidora(multinacionais da agropecuária, da produção animal, das madeiras, dos minérios, etc.) de Macron − atirarmo-nos definitivamente aos ossos (o que sobra para nós) e aí rezando por mais.

 

(imagens: Objective Health/youtube.com/sott.net nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:53

29
Ago 19

 

hJ5XA7idAa8ttIw1pp1SRJbQzoC.jpg

Preparando

Uma Aventura de TRUMP

No Alasca

 

Enquanto o Mundo assiste à SELVA da AMAZÓNIA a ARDER sem nada se fazer − Bolsonaro de mãos-abertas apoiando os INCENDIÁRIOS (fazendeiros e garimpeiros), seguindo as suas perspetivas e ideias de desenvolvimento e EUA/EUROPA de mãos-fechadas dado serem os INVESTIDORES (nas madeiras, na produção agropecuária, na criação de gado e posteriormente na exploração do subsolo), seguindo um liberalismo selvagem cada vez menos democrático e evoluindo para uma espécie de CAPITALISMO DE ESTADO ESTALINISTA (cada vez sendo em menor número os Milionários e as Corporações) – eis que “para borrar ainda mais a pintura”, quando se pensava que a atitude fosse outra (ingénuos ou estúpidos, tratando-se de Trump) e esquecendo rapidamente a tragédia (e algumas das suas implicações e consequências) – por sinal (e alarme) ainda em curso – num caso com estreitas ligações com o registado no Brasil o presidente dos EUA dá instruções para terminar com uma lei (com mais de duas décadas) impedindo o abate de árvores na maior e mais preservada  Floresta Tropical à face da Terra, localizada no Alasca: aqui e substituindo Bolsonaro com Trump a pôr em causa (em risco de vida) quase 40.000Km² dessa floresta (para já ainda intacta). Só faltando mesmo alguma de Boris Johnson (ou não tivesse ele, mesmo não eleito para PM – e no que se diria um GOLPE − suspenso o Parlamento Britânico, esse tendo sido eleito).

 

Bart-van-Leeuwen-PoliticalCartoons.com_-1.jpg

Apresentando

Uma Aventura de BOLSONARO

Na Amazónia

 

E desde que políticos como DONALD TRUMP (um Milionário da Hotelaria & Imobiliário e do Jogo & Espetáculo) – 45º Presidente dos Estados Unidos tomaram em suas mãos e como seu Líder Supremo (Ocidental, seja Republicano ou Monárquico) o controlo e o destino de Territórios & Populações (pelo menos sendo já dois, o Original a norte e a 1ª Cópia a sul) − ainda-por-cima um Topo de Gama como os EUA, considerada a Maior Potência Global e o Império dominante – tornando-se natural que face ao primeiro impacto (de inevitável mudança, face ao cansaço e revolta dos eleitores) e ao que os mesmos representam (ou não propagandeassem estes desde logo, o corte total com o passado), outros políticos (se não sendo milionários e como sucedâneos, pelo menos sendo ambiciosos) se lhe sigam tentando fazer precisamente o mesmo − enquanto puderem: como será já o caso (1º) do presidente do Brasil  JAIR BOLSONARO (este eleito e já sendo reconhecido como o TRUMP SUL-AMERICANO) e como potencialmente poderá vir a ser o caso do 1º Ministro do Reino Unido BORIS JOHNSON (este não eleito e podendo vir a ser reconhecido, se por acaso já não o é, como o TRUMP EUROPEU).

 

p9-Dyer-a-20160713-870x578.jpg

Perspetivando

Uma Aventura de BORIS

Em Londres

 

Pelo que depois de mais de dois anos e meio de TRUMP (desde Janeiro de 2017) e tendo-o acompanhado desde o início (da sua Aventura nas presidenciais norte-americanas de 2016, ganhando-a surpreendentemente e surpreendendo-se a si próprio − muito tendo que agradecer aos Democratas pelo seu candidato presidencial escolhido, mas não desejado, HILLARY CLINTON), constatando-se que apesar de todos os ataques dos Média (por vezes chegando a ser asfixiante) mas posto perante o aparente crescimento económico registado (o que realmente interessa ao cidadão-comum, já que sem emprego e sem dinheiro nada se faz), o balanço (entre o crédito e o débito) tem sido claramente positivo (nas consideradas generalidades, mas sendo aqui as mais importantes) para o agora Protagonista Global (Donald Trump), obviamente levando outros a segui-lo: tentando à sua maneira imitar o Original, de modo a estar cada vez mais próximo do Molde, talvez um dia superando ambos e pondo-se ao lado do CRIADOR − dando-lhe de seguida “um banho” e ocupando então o seu lugar (nesta HISTÓRIA, que não de ingénuas-inocentes-crianças).

 

(imagens: 123movies.bar − Bart van Leeuwen/PoliticalCartoons.com/mercurynews.com − japantimes.co.jp)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:03

28
Ago 19

[Esclarecimento importante para aqueles que ouviram Emmanuel Macron a dizer que a Amazónia produz 20% do oxigénio que respiramos − logo ardendo toda, podendo-se ficar com falta de ar, asfixiar e até morrer – quando na realidade a esmagadora maioria do oxigénio que respiramos tem origem não em terra mas nos oceanos, com as suas reservas estando previstas para perdurar ainda por mais alguns milhões de anos. Não sendo, portanto, necessário suster a respiração para se poupar.]

 

Amazon Wildfires Are Horrifying

But They're Not Destroying Earth's Oxygen Supply

(Scott Denning/livescience.com)

 

kgCaqR3zRpGkYSUjR5BxgM-650-80.jpg

 

Even if the entire Amazon rainforest burned down,

we'd be okay

 

Fires in the Amazon rainforest have captured attention worldwide in recent days. Brazilian President Jair Bolsonaro, who took office in 2019, pledged in his campaign to reduce environmental protection and increase agricultural development in the Amazon, and he appears to have followed through on that promise.

 

The resurgence of forest clearing in the Amazon, which had decreased more than 80% following a peak in 2004, is alarming for many reasons. Tropical forests harbor many species of plants and animals found nowhere else. They are important refuges for indigenous people, and contain enormous stores of carbon as wood and other organic matter that would otherwise contribute to the climate crisis.

 

Some media accounts have suggested that fires in the Amazon also threaten the atmospheric oxygen that we breathe. French President Emmanuel Macron tweeted on Aug. 22 that "the Amazon rain forest — the lungs which produces 20% of our planet's oxygen — is on fire."

 

The oft-repeated claim that the Amazon rainforest produces 20% of our planet's oxygen is based on a misunderstanding. In fact nearly all of Earth's breathable oxygen originated in the oceans, and there is enough of it to last for millions of years. There are many reasons to be appalled by this year's Amazon fires, but depleting Earth's oxygen supply is not one of them.

 

[Artigo inicial de Scott Denningm − seguido de Oxygen from plants, Oxygen production in the oceans e Don’t hold your breath – publicado originalmente em The Conversation/ theconversation.com/amazon-fires-are-destructive-but-they-arent-depleting-earths-oxygen-supply-122369]

 

[Numa inocente e bem intencionada calinada saída da boca do Presidente francês Emmanuel Macron − referindo-se às consequências dos Fogos na Selva Amazónica na produção do oxigénio que respiramos − alarmando-nos (caso a destruição continuasse, tornando-se total) com uma queda de 20% na sua produção, podendo até levar-nos à concretização de efeitos perigosos como “a falta de ar” − uma afirmação ERRADA quando a grande maioria tem origem nos oceanos a opção CORRETA – um momento de recordação e de associação a um caso extremamente semelhante e interessante (mesmo persistindo no erro, pois com o mesmo e sendo repetido se aprende) nele intervindo um outro posto da mesma hierarquia social mas a outro nível da estrutura, com uma professora a justificar o tempo quente que se fazia sentir na sua terra e no Verão, com a presença da TERRA (no cumprimento da sua órbita elíptica em torno da sua estrela)  mais perto do SOL: quando no outro hemisfério era Inverno. Erros mesmo que divulgados se tentados no mínimo ser esclarecidos, podendo no futuro (como método pedagógico de instrução recorrendo frequentemente ao erro para impulsionar ainda mais a dúvida e a questão) ser deveras instrutivos.]

 

(texto/inglês: Scott Denning/livescience.com − imagem: iStock/Getty Images Plus/livescience.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:25

24
Ago 19

[Numa Ideia de JB.]

 

Já que Prevenir (sendo de Velhos) está DÉMODÉ e para além do mais,

manter a Natureza (ainda com alguma carne, pele e osso) saindo caro (para os Novos).

 

Evoluindo [Árvores → Vacas]

e transformando um Sujeito numa Coisa,

ou seja, [Amazónia → Estaleiro].

 

Como felizmente pelo exercício repetido da experimentação – ao longo de tempo e do espaço, que nos é atribuído – acabamos por adquirir conhecimentos (não só sobre o objeto da mesma, como sobre as suas interações com o meio exterior), teorizando-os, aplicando-os e no processo corrigindo-os (a isso se chamando evolução) – e nessa prática sendo bem-sucedidos − mesmo que alguns persistentemente (e pelas mais diversas razões) não o queiram ver, nesses sempre integrando (pelo menos inicialmente) as Entidades Oficiais – sejam eles (autodidatas ou não) mais ou menos leigos ou eruditos e tendo mais ou menos conhecimentos práticos e/ou teóricos, nunca os mesmos poderão desmentir o que percecionaram, sentiram e compreenderam, e integrando-se no seu Ecossistema (respeitando-o) usufruíram:

 

Com dor ou com prazer, não só físico como mental e a partir dessa análise (da sua forma, conteúdo e local de inserção) retirando conclusões, arquivando-as e sempre que necessário, tornando-as relevantes e aplicando-as.

 

21cb5141ff0e28eec0ce1e069ba0422a.jpg

Brasil

(remediando)

 

E se certos Fenómenos podem ainda ser justificados (mesmo que recorrendo, de ambos os Lados, aos lobbies e aos políticos) pela ação da Natureza ou sendo artificial pela ação do Homem (a Espécie Dominante Inteligente/Organizada/Racional e a única capaz de o fazer) − sendo decididos maioritariamente, conforme o interesse de alguns (como sempre, do Topo da Hierarquia Social) – nalguns desses casos até que poderemos “engolir” (apesar de azia certa) a explicação apresentada (pelas Autoridades Certificadas e ditas Competentes), enquanto que noutras (não se encontrando justificação, para nuns casos ser sim e noutros ser não, talvez aleatoriamente) definitivamente que não:

 

Podendo-se apresentar como exemplo de um e do outro caso, o Incêndio em curso na “Floresta da Amazónia” – com o presidente do Brasil JAIR BOLSONARO a ignorar o problema do aumento dos Fogos na Selva Amazónica (secundarizando-o e reclamando nada poder fazer, quando a Bolívia o faz), virando-se antes para os fazendeiros e criadores de gado (o seu sector prioritário) e invocando para sua defesa o progresso do seu país, segundo ele no futuro baseando-se na grande riqueza de matérias-primas (a explorar) de que a Amazónia é portadora −  e o Alerta da chegada de um raro Fenómeno Meteorológico (mais comum de ocorrer no Hemisfério Norte) ao Hemisfério Sul (afetando as temperaturas na Estratosfera e podendo afetar a meteorologia atmosférica e o estado do tempo) podendo afetar regiões do Globo Terrestre localizadas agora a sul (atravessando ainda o Inverno e a caminho da Primavera) como por exemplo (e entre outras, já tendo vivido períodos semelhantes e consequências desse fenómeno meteorológico) a Nova Zelândia − aqui sem necessidade de ignorar (Politicamente e por Lobby, contrapondo falsamente e de uma forma mentalmente enviesada, a nossa única possibilidade de Salvação, à utilização e destruição da Natureza) mas (como exercício dos nossos direitos e deveres) unicamente de conhecer, prevenir e proteger (simplesmente as pessoas, o lugar onde vivem e a partir daí surgindo tudo o resto).

 

E assim enquanto no Brasil e no presente nada se faz deixando andar, na Nova Zelândia tentando preservar o seu futuro e o dos seus cidadãos, dá-se importância aos CIENTISTAS em vez de os DEMITIR (como aconteceu ao Diretor da NASA no Brasil, demitido não por não dizer a Verdade, mas por contrariar o Presidente − dizendo mentiras − e tentando arranjar desde logo, Bodes Expiatórios, que não ele):

 

No nosso país irmão com o novo líder das massas (amplamente promovido pelos Média, estando contra ele ou a favor) Jair  Bolsonaro queixando-se dos ataques a ele lançados − tentando-o associar (negativamente) aos Fogos lançados sobre a Amazónia – quando o que ele pretende é simplesmente Reflorestar a Amazónia substituindo numa 1ª fase “Árvores por Vacas” (Arrancar a Pele à Amazónia), correndo simultaneamente uma 2ªfase, agora com esta dirigida ao subsolo (Arrancando a Carne da Amazónia).

 

E sugado bem o tutano (dos Ossos da Amazónia) ficando o resto para os Sobreviventes (se ainda existirem lá indígenas), caso contrário seguindo para farinha.

 

ssw-ss-f.jpg

Nova Zelândia

(prevenindo)

 

Não sendo assim noutros lados (felizmente).

 

Com um Fenómeno Atmosférico raro podendo à sua passagem ter efeitos anormais (e até com possíveis consequências perigosas, para estruturas e pessoas) na meteorologia de uma determinada região (podendo afetar zonas terrestres habitadas) neste caso do Hemisfério Sul (potencialmente a Nova Zelândia, mas podendo atingir igualmente a Austrália e outras ilhas nas suas proximidades, a menor latitude) – com as autoridades responsáveis prevenindo-se em vez de se remediar, escutando os Cientistas e (como é tão simples e eficaz) seguindo os seis conselhos (em vez da dos políticos), num Governo Trabalhista (Centro-esquerda) – tal como certamente o seria em qualquer país desenvolvido de Direita-Democrática.

 

E a nível do raro fenómeno atmosférico podendo cair sobre parte do Hemisfério Sul e atingir (instalada na 1ª linha terrestre) a Nova Zelândia − provocando uma súbita subida das temperaturas na Estratosfera (20/50Km de altitude), a camada sobrepondo-se à Troposfera (0/20Km de altitude) e por reflexo alterando aí as condições meteorológicas previstas (e habituais por esta época do ano) ao nível da superfície terrestre (e oceânica) – com as consequências a poderem ser CLIMATICAMENTE EXTREMAS e com o mau tempo a poder afetar partes do Hemisfério Sul (e por mais próximos territórios de maior latitude como a Nova Zelândia), transportando consigo um maior e bem notório arrefecimento (com o solo a congelar) e até em certas zonas mesmo com o Sol a brilhar precipitação elevadas (extremas e tal como na descida de temperaturas batendo recordes).

 

E com esse pico máximo de atividade a estar previsto para o período entre o final deste mês e o início do seguinte (29.08 a 02.09):

 

Com todo este fenómeno meteorológico raro – SUDDEN STRATOSPHERIC WARMING (SSW) − a estar relacionado com uma súbita e elevada subida da temperatura na estratosfera na ordem dos 25°C, o que está a ocorrer na data presente e daí o aviso (a seguir, a finalizar).

 

For up to about a month after the SSW, polar air masses, known as streamers, can break off from the weakened vortex and move towards New Zealand. It doesn’t guarantee unusual or extreme weather, but it can happen.

(Ben Noll/Meteorologista em Teo Blašković/watchers.news)

 

[Com o nosso PRIMEIRO COSTA posto perante o problema de estarem a matar o “PULMÃO da TERRA” e nem se quer se preocupando com a situação do outro (nem mesmo estando curioso em saber se o mesmo ainda existe), aparentemente demonstrando alguma preocupação (com a sua cara de sempre, não se sabendo se com ele ou com os outros) e afirmando ir fazer queixa, acabando por se demitir da sua intervenção, obrigação e responsabilidade, pois afinal o “PULMÃO da TERRA” era uma das coisas de JAIR BOLSONARO − e já que nos vinha visitar, sendo inconveniente não o incomodar (veja-se o que TRUMP fez − um exemplo para BOLSONARO − com a Rainha da Dinamarca).]

 

(imagens: watchers.news − yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:06

22
Ago 19

Com a Amazónia continuando a arder (para alegria dos fazendeiros) e com os fogos (e as suas consequências) a serem vistos do Espaço e de São Paulo (a cerca de 3.000Km de distância). E com o Presidente a ver, a pensar (uma árvore por uma vaca), deixando arder.

 

Reflorestação da Amazónia:

(segundo Jair Bolsonaro)

"Por cada Árvore ardida,

Colocando no seu lugar uma Vaca."

 

snapshot 2.jpg

E depois de ardida a Amazónia feita a reflorestação

substituindo cada árvore por uma vaca

 

Vivendo com o único objetivo da Sobrevivência e não tendo muito mais tempo do que para isso, nem nos poucos instantes que por vezes sobram, somos capazes de parar um pouco para pensar: e mesmo se o incidente for logo ali, antes de aqui chegar passará por aí.

 

E nesta nossa extrema indiferença (mental) em que o nosso corpo (físico) é que paga (reduzindo drasticamente o nosso tempo média de Vida), não nos preocupando com a nossa extinção (do Homem), pouco significado daremos ao restante (Ecossistema Terrestre).

 

Aceitando a Doença e a Guerra (a Morte) como algo de banal (individualizando-o à espécie), simultaneamente autorizando e declarando a destruição (inevitável e) natural (alargando-o ao planeta e além): seja do Mundo Animal ou do Mundo Vegetal (exemplo Amazónia).

 

snapshot 4.jpg

Certamente parecendo, mas não o sendo

São Paulo durante a tarde

 

Ainda-por-cima e como sinal evidente da doença (de que há muito padecemos) negando-se a Realidade e recusando-se intervir (de modo a não criar sobressaltos, no normal funcionamento da Máquina), deixando que o Tempo passe e o Espaço se Transforme.

 

Na floresta da Amazónia com a mesma desde há três semanas (desde o início do mês) a continuar a arder (sem parar), deixando o Mundo perplexo face a toda a passividade dada a destruição do “PULMÃO”: fornecendo mais de 20% do oxigénio que respiramos.

 

Uma imagem do planeta Terra bem visível a partir do Espaço, mostrando-nos a progressão (incontrolável) de um grande incêndio no seio da selva amazónica, lançando grandes nuvens cinzentas de fumo (para a atmosfera), observadas lá de cima (exemplo ISS) e chegando a São Paulo.

 

"The smoke did not come from fires from the state of São Paulo, but from very dense and wide fires that have been going on for several days in Rondônia and Bolivia. The cold front changed the direction of the winds and transported this smoke to São Paulo."

(Josélia Pegorim/meteorologista/Globo/humansarefree.com)

 

snapshot 1.jpg

Com as nuvens de cinza dos incêndios

espalhando-se por milhares de quilómetros

 

Numa herança claramente associada (por fortificada) à eleição (presidencial) de Bolsonaro – desprezando o Mundo Rural (subdesenvolvido e antiquado) e associando-o ao flagelo da pobreza (ao desemprego e à violência) e sobrevalorizando o Mundo Urbano (desenvolvido e progressista) e associando-o ao sonho dos Ricos – apoiando fazendeiros (dando-lhes autorização de autoridade) e atacando trabalhadores (pondo-os na ordem e no seu lugar) e assim promovendo as cidades.

 

Hoje e sendo impossível de o negar com os incêndios a continuarem a grassar com intensidade e sem se ver fim â vista na Amazónia, desde o início do ano já tendo sido registados mais de 72.000 fogos num aumento de mais de 80% para o mesmo período do ano passado (de 2018): com Jair Bolsonaro (aqui o leigo) mais uma vez a negar a Realidade (a Verdade) despedindo (“por manipulação deliberada de dados”) mesmo o Diretor da Agência Espacial brasileira (aqui o erudito), por sem respeito pelo Presidente e de uma forma alarmante, o contrariar.

 

Mantendo-se o rumo traçado pelo Presidente do Brasil para com a Amazónia, não só se mantendo o eclipse parcial de luz causada pela densa nuvem de fumo escuro e espesso cobrindo atualmente São Paulo, como mais cedo do que se pensa e olhando do ar para terra, julgando-se divisar árvores cobrindo a superfície da Amazónia, estando-se na realidade a divisar uma (substituta) cabeça de gado: e por cada árvore abatida, colocando-se lá uma vaca.

 

(imagens: euronews.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:34

13
Set 17

“Indigenous and environmental rights under attack in Brazil, UN rights experts warn”

(08.06.2017/un.org)

 

3500.jpg

 Manifestação do povo indígena brasileiro

Contra a violação sistemática dos seus direitos

(Brasília/Gregg Newton/Reuters)

 

Depois do processo aberto contra o ex-Presidente LULA e da perseguição eficaz levada a cabo contra o último Presidente eleito (em Eleições) DILMA, o Brasil agora nas mãos do ex-vice-de Dilma (após a declaração de impeachment) TEMER, encontra-se neste momento verdadeiramente entregue aos Bichos: com a selva da Amazónia a ser de novo uma das maiores vítimas deste abandono (deliberado e criminoso) da concretização do objetivo de preservação desta grande Reserva Ecológica e Pulmão do Mundo (devendo ser considerado Património da Humanidade), com os políticos a oferecerem-na com contrapartidas aos Bichos (pega lá/dá cá) e com estes como consequência a darem cabo da madeira (como o faz o caruncho, o gorgulho e a broca), a desflorestarem a Amazónia (fazendo desaparecer de uma forma completa e definitiva a floresta) e a substituírem a anterior Selva por terrenos agrícolas (exploração intensiva e com recurso a pesticidas) ou de prospeção mineira (ainda pior dados os produtos químicos perigosos e extremamente tóxicos envolvidos como o mercúrio).

 

1280.jpg

 Tribo de índios de uma remota região da Amazónia

Descoberta há anos e preferindo manter-se isolada

(Gleison Miranda/Funai/EPA)

 

Um processo fazendo-nos de novo recuar ao tempo antigo das ditaduras militares instaladas no Brasil (como em toda a América Latina) em que tudo era possível (para o poder) ‒ até fazer desaparecer pessoas incluindo as residindo fora das cidades, como era o caso de certos aglomerados populacionais como os das tribos da Amazónia ‒ com grandes extensões de terrenos a serem controlados por fazendeiros (os tais coronéis) reduzindo os trabalhadores agrícolas ao estatuto de escravos, ou então face à riqueza mineral do subsolo desta região do Brasil (por exemplo em ouro e estendendo-se por países limítrofes e tendo a selva em comum como o Perú) com garimpeiros e outros exploradores (acompanhados por mercenários bem armados) a lançarem-se pela selva Amazónia dentro e a destruírem (abatendo as árvores), a matarem (abatendo os residentes e indígenas) e a poluírem (todo o ecossistema suporte de vida local, regional mas também Global).

 

“The Brazilian agency charged with protecting nearly a million indigenous people and their extensive reserves is barely functioning after a debilitating assault from a powerful group of conservative politicians and a cost-cutting government.”

(10.07.2017/theguardian.com)

 

960.png.jpg

 Possíveis sinais de mais um ataque de garimpeiros contra os indígenas

Com casas destruídas e queimadas

(Funai)

 

Um sintoma significando o aprofundamento da doença que toda a sociedade brasileira atualmente atravessa, num país desgovernado (e sem Presidente eleito), com a Justiça sem poder (real) para alterar o processo (dada a generalização e banalização da corrupção bem estampada no topo da pirâmide do poder brasileiro), com um mercado sempre perto da bancarrota apesar de toda a sua formidável riqueza (até em petróleo), com os preços a subirem, o desemprego a aumentar e com muitas infraestruturas básicas (saúde, educação, transportes) cada vez mais próximas do colapso (financeiro) ‒ e com todo este conjunto a formar um determinado padrão convidando cada vez mais à prepotência e ao crime (como arma).

 

nintchdbpict000347958273.jpg

 Vale Javari onde terá ocorrido o massacre (de pelo menos 10 índios)

‒ Dos mais de 50 já mortos já registados na primeira metade de 2017

(AFP)

 

Segundo notícias recentes com os crimes a voltarem de novo e em força à região da selva Amazónica (neste caso envolvendo tribos habitando perto de regiões fronteiriças localizadas entre o Brasil e o Perú) com prospetores de ouro no seu caminho através da floresta (na procura do tão precioso metal) a depararem-se com tribos de indígenas opondo-se a esta invasão e ocupação dos seus territórios e simplesmente a matarem (como animais) e a prosseguirem no seu objetivo. Com as vítimas a serem provavelmente elementos integrando uma tribo local (aparentemente incontactável) observada por uma das primeiras vezes em 2014 por um grupo de investigadores: apenas graças à Fundação Nacional do Índio do Brasil conseguindo pôr este caso (do assassinato de membros de uma tribo do Brasil por prospetores de ouro em ação ilegal e clandestina na Amazónia) na agenda dos promotores da Justiça brasileira, dado o desinteresse das autoridades governamentais por tudo o que se passa nessa região (deixando o tempo correr, as vítimas aumentar e a floresta desaparecer). Uma tribo de índios, descoberto há poucos anos por uma equipa de investigadores/estudiosos, preferindo o isolamento, vivendo na região da Amazónia entre o Brasil e o Perú (Vale Javari) e muito provavelmente em conjunto com outros elementos/tribos (fala-se em mais de uma dúzia de tribos) dos dois lados da fronteira (até com possíveis ligações de sangue) sendo atualmente e no seu próprio território (muito dele ainda virgem) invadido, atacado e finalmente assassinado. Com todo o Mundo em silêncio.

 

(imagens: as indicadas em legenda)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:37

24
Jun 16

“Today we live in a society in which spurious realities are manufactured by the media, by governments, by big corporations, by religious groups, political groups... So I ask, in my writing, What is real? Because unceasingly we are bombarded with pseudo-realities manufactured by very sophisticated people using very sophisticated electronic mechanisms. I do not distrust their motives; I distrust their power. They have a lot of it. And it is an astonishing power: that of creating whole universes, universes of the mind. I ought to know. I do the same thing.” (Philip K. Dick – goodreads.com)

 

Menos Verde

 

Isídio.jpg

António Isídio Pereira da Silva

Assassinado em 2015 no Brasil

Apenas por defender a sua pequena comunidade (como o são a esmagadora maioria das restantes comunidades espalhadas um pouco por toda a região da Amazónia/algumas delas ainda desconhecidas) na difícil e quase impossível luta contra as grandes e poderosas empresas de exploração ilegal de madeira (e sua posterior substituição por explorações agrícolas e de produção animal), instaladas num terreno sem lei e apoiadas em mercenários bem armados

 

Para quem ainda tinha dúvidas de que atividades fundamentais (para o acelerar do nosso desenvolvimento cognitivo e criativo) como pensar, questionar, propor e proteger, não eram por si próprias (e como fator decisivo de sobrevivência da nossa espécie) vistas como respostas válidas e credíveis às modificações do meio ambiente exterior (como se a adaptação não fizesse parte de todo o processo de transformação e evolução), basta refletir um pouco mais e concluir rapidamente, que todos aqueles que apresentam algo de novo mas que no entanto não possa ser logo no momento absorvido (aceite e certificado pela estrutura dominante), ou são progressivamente esquecidos ou então acabam mortos (no fundo a mesma coisa). Como se constata no Brasil e se confirma no Mundo.

 

185 Environmental Activists Across 16 Countries Were Killed in 2015

(Brazil – 50 confirmed murders of environmental activists – ecowatch.com)

 

Como infelizmente o confirma a organização ambiental (e de defesa dos direitos do homem) Global Witness, ao afirmar que no ano passado foram mortas 185 pessoas em todo o mundo apenas por tentarem defender as suas próprias comunidades de projetos declaradamente ilegais mas contando com poderosos apoios vindo do exterior (por omissão política deliberada). Destacando-se entre os dezasseis países (e águas internacionais) pertencentes aos cinco continentes da Terra – e nos quais a pratica de assassinatos de ativistas políticos é já há uma pratica comum – o maior (e mais rico) território da América do Sul o Brasil, de novo alvo da cobiça (internacional), da corrupção generalizada (nacional) e do apoio do crime organizado (suportado pelas estruturas paralelas atuando no interior do próprio Estado): só no Brasil com 50 assassinatos de ativistas políticos conhecidos (27% do total).

 

As demand for products like minerals, timber and palm oil continues, governments, companies and criminal gangs are seizing land in defiance of the people who live on it. Communities that take a stand are increasingly finding themselves in the firing line of companies’ private security, state forces and a thriving market for contract killers. For every killing we document, many others go unreported. Governments must urgently intervene to stop this spiralling violence.” (Global Witness campaign leader Billy Kyte)

 

In Brazil meanwhile, the fight to save the Amazon is increasingly a fight against criminal gangs who terrorise local populations at the behest of timber companies and the officials they have corrupted. Isídio Antonio was one of the latest victims. The leader of a smallholder farming community in the state of Maranhão, Isídio had suffered years of death threats for denouncing illegal logging on his land. Police have never investigated his murder. Thousands of illegal logging camps have sprung up across Brazil’s Amazon, where men armed with machetes and chainsaws cut down valuable Brazilian hardwoods like mahogany, ebony and teak. It’s estimated that 80 % of timber from Brazil is illegal, and accounts for 25% of illegal wood on global markets. Much of this is being sold on to buyers in the UK, US, Europe and China, and is contributing to one of the world's highest rates of forest loss.” (globalwitness.org)

 

Mais Cinzento

 

crimes.png

A força da Economia como justificação para tanta limpeza e assassinato

E mesmo assim não incluindo a China e grandes zonas da Ásia Central e do continente Africano

Numa revelação extremamente dramática mas para muitos já não surpreendente, face à realidade e ao quotidiano repetitivo e banalizado do mundo onde hoje infelizmente vivemos, no qual e definitivamente o Homem (o Sujeito) se transformou numa mera Coisa (um Objeto) – como tal de valor variável e ainda por cima de desgaste rápido e de manutenção dispendiosa

 

Para quem ainda tinha dúvidas sobre o percurso que o BRASIL tem vindo a percorrer nestes últimos anos (mais claramente a partir de 1 de Janeiro de 2015 data em que DILMA ROUSSEFF foi empossada para o seu segundo mandato como Presidente do Brasil):

 

- Basta relembrar quando verdadeiramente começou o processo de Impedimento da presidente Dilma (no ano anterior ao Mundial de Futebol Brasil 2014 e relacionado com denúncias sobre o envolvimento ilegal e criminoso de políticos e empreiteiros no caso Petrobras/Operação Lava Jacto);

 

- A quem o mesmo se dirigia (na realidade envolvendo individualidades de todos os quadrantes políticos brasileiros desde o Governo à Oposição e formando no seu conjunto uma enorme e intrincada teia de corrupção);

 

- E qual a parte instigadora (por acaso e aparentemente agora a vencedora) indicando o motivo real para tal comportamento (antes aliados, depois delatores) – obviamente mantendo os seus importantes cargos políticos e assim se furtando à ação dos tribunais. Podendo até (se assim o desejarem) servir-se indevidamente das Instituições do Estado para se sobreporem ao mesmo e desse modo imporem sem problemas e por inação, critérios ilegais de aplicação da lei (que os beneficiem e perdurem no tempo).

 

E já agora, qual a razão por nesse processo ter sida envolvida Dilma Rousseff (mesmo não tendo nenhum processo-crime conhecido e levantado contra ela):

 

- Sendo a mesma apenas acusada como justificação para o seu Impedimento, pela sua má condução da política económica brasileira (o que em qualquer país europeu seria certamente motivo de risota tantos os casos semelhantes que conhecemos nesta grande e já longa crise global) e ainda por ao saber de tudo o que se passava não ter dito ou feito nada – ou seja sabendo dos esquemas de corrupção (daqueles que agora a acusam) nada ter feito para os evitar (prendendo-os de imediato e não os deixando mais à solta). Nessa parte podendo ter razão (os seus críticos mesmo que também envolvidos) ou então sendo a outra (Dilma) parvinha ou mesmo ingénua – o que quando muito poderíamos aceitar se entretanto não houvesse dinheiro envolvido. Só se ela fosse Santa e a caixa fosse apenas de esmolas (e porque não…)!

 

Uma panela de pressão cada vez mais fervilhante e ameaçando eminente explosão:

 

- Com a Presidente Suspensa (desde 12 de Maio);

 

- E com o Estado completamente entregue nas mãos de políticos e empresários dos mais corruptos, que apenas se têm servido desse grande e rico país que é o Brasil para o roubarem e se enriquecerem, lançando o Brasil numa grande crise social, económica e financeira – que muito provavelmente e se nada se fizer antes (será que os EUA deixam?) lançara o Brasil no caminho da Venezuela. Com o único facto político de impacto global a tirar-se de mais esta grande crise (por acaso incluindo um pais pertencente ao grupo político e económico conhecido como os BRICS e integrando a Índia, Rússia, China, África do Sul e Brasil) a ser por um lado, mais um ataque profundo (e estratégico) dos EUA a mais um Estado aliado economicamente ao bloco de cooperação China/Rússia e integrado nos BRICS (um bloco tentando pôr em causa a supremacia económica e financeira norte-americana em todo o mundo) – neste caso o Brasil e apoiando na sombra um caricato Impedimento Presidencial – por outro lado o direcionamento (mais uma vez) da intervenção política internacional dos EUA para os mercados da América do Sul (com os casos mais mediáticos a serem antes a Venezuela e agora o Brasil) e finalmente como fator mais importante e sobressaindo de tudo o resto, a manutenção de todos os métodos, processos e objetivos a atingir, por parte da potência militar com maior capacidade de morte e destruição a nível do nosso planeta os EUA. Parecendo querer continuar a implantar a sua teoria da Terra Queimada da qual sairá aparentemente um novo mundo e uma Nova (e mais Perfeita) Ordem Mundial.

 

(imagens: globalwitness.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:17

Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO