Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

02
Mai 19

[Agora que estamos na época (em Portugal) da caça ao (bolso do) Contribuinte: mas apesar de tudo e por aqui (a nossa tão querida terrinha) ainda com algum retorno (mesmo que mínimo) para os bolsos (já tão explorados/esburacados) dos referidos como pobres.]

 

0d6a567e-788e-11e7-a1a9-4f8ddd191a99-640x476.jpg

Microsoft nesta altura

Com muitas empresas apesar de apresentarem lucros na ordem dos biliões

Recebendo a devolução (em biliões) em retorno de impostos (em dólares)

 

Afinal de contas o teste levado a cabo no passado sábado (26 Maio) pela SPACE X − tendo como objetivo desse ensaio a cápsula espacial DRAGON – não terá sido vítima como inicialmente noticiado de uma simples “anomalia” (dada a dimensão e visibilidade do respetivo incêndio e fumo produzidos) mas de um problema muito mais grave (estando-se pelos vistos a testar os motores da DRAGON) levando à explosão e destruição da mesma.

 

Só mais tarde tendo aparecido oficialmente o reconhecimento do fracasso de mais este teste levado a cabo pela SPACE X − tendo como fim pretendido a preparação final da cápsula espacial DRAGON − em princípio prevista para inicialmente se tornar num veículo de transporte de carga no Espaço (desde logo abastecendo a Estação Espacial Internacional ou ISS) para a curto-prazo começar finalmente a transportar tripulação (o verdadeiro objetivo).

 

Falhanço acabando por ser reconhecido (pelo menos aparentemente) mais pela NASA do que pela SPACE X e parecendo mais um partilhar de culpas (neste caso pela NASA) para desculpar uma das partes (neste caso a SPACE X): partilhando a “MISSÃO” tornando-se ambas responsáveis pelo sucesso ou fracasso de uma ou da outra, apesar da construção ser da responsabilidade da SPACE X ficando apenas a colaboração/apoio para a outra parte a NASA.

 

Uma forma peculiar de se investir num Negócio (neste caso um caso típico nos EUA) pedindo financiamento ao Estado e com ele partilhando os possíveis fracassos dos Privados: tal como numa PPP (Participações Público-Privadas) tendo lucro ficando para o Privado e tendo prejuízo com as contas a serem enviadas para o Estado. Mesmo sendo Milionário uma forma de se investir mesmo com pouco dinheiro (próprio), tal como o terão feito muitos outros (investidores norte-americanos) entre eles ELON MUSK (o patrão da SPACE X).

 

snapshot.jpgsnapshot 2.jpg

Cápsula Espacial DRAGON

Teste de motores c/1 versão DRAGON (num processo ≈ ao sistema de emergência utilizada pela SOYUZ correndo mal o lançamento) sofrendo uma “anomalia” e explodindo

 

“NASA has been notified about the results of the @SpaceX Static Fire Test and the anomaly that occurred during the final test. We will work closely to ensure we safely move forward with our Commercial Crew Program.”

(Jim Bridenstine/administrador da NASA)

 

“The NASA and SPACE X teams are assessing the anomaly that occurred today during a part of the DRAGON SUPER DRACOSTATIC FIRE TEST at SPACE X Landing Zone 1 in Florida. This is why we test. We will learn, make the necessary adjustments and safely move forward with our commercial Crew Program.

(Jim Bridenstine/@JimBridenstine/Twitter.com)

 

Tudo se passando numa altura em que nos EUA muitas das suas grandes empresas de referência (entre outras AMAZON, APPLE e MICROSOFT) apontam para ganhos na ordem dos biliões de dólares (11,2/15,8/20,1 biliões de dólares em 2018) e no entanto e em sentido contrário (da lógica pretensamente do poder: “Se ganhas tens que pagar Impostos”, ou traduzindo literalmente “Se és Rico deves ajudar os Pobres”) – num insulto e numa provocação para quem trabalha, mesmo ganhando pouco dinheiro (lógica do poder para os pobres: “se recebes tens lucro, deves pagar um retorno”), num pagamento muitas vezes insuficiente (para a sua simples sobrevivência) e tendo obrigatoriamente de pagar impostos pagando todas taxas iguais a ZERO. Passando instantaneamente e conforme a Ocasião (por vezes o ACASO) e a Necessidade (ocasião/necessidade coincidentes), de lucro a prejuízo e vice-versa: virtudes exclusivas dos Estados Unidos da América, dos Dólares e das suas incansáveis rotativas (Impressoras) − como diriam (e já afirmaram) certos prémios Nobel (divertindo-se com a situação para eles IMPOSSÍVEL da falta de dinheiro) da Economia e Norte-Americanos.

 

MW-GB586_Income_20180111103344_ZH.jpg

De acordo com o Tax Policy Center

Com mais de 44% dos trabalhadores norte-americanos a não pagarem imposto

Apenas por nem sequer ganharem o suficiente para sobreviver

 

Segundo a TAX POLICY CENTER (uma organização não-partidária com sede em Washington) com mais de 44% dos norte-americanos a não pagarem imposto (Federal) no ano de 2018 (cerca de 76,5 milhões), significando apenas que a esmagadora maioria deles não ganha o dinheiro necessário e suficiente (ao contrário das grandes Empresas, na mesma situação de não pagarem, apesar do aumento dos seus lucros) para sobreviver. E pagando (pelos vistos por todos) os outros 56% (de trabalhadores). Num país considerado a Maior Potência Global (os EUA) e em que Portugal (que se saiba não uma grande potência mundial e ainda recentemente sob intervenção do FMI), poderia ser um (bom) exemplo de sucesso tanto na área da Educação como no da Saúde (quem diria).

 

Por cá com os nossos “Espertalhões” virando as costas aos seus (aos seus compatriotas portugueses e mesmo assim dando-lhes lições de Moral) e escolhendo outros (países) como “seu” domicílio fiscal: tendo como um dos exemplos mais divulgado o “Patrão” de um conhecido XXXX, com domicílio fiscal que não cá, mas situado no estrangeiro (e é certo que inteligente – no meio de tanto asno e com tantos de nós incluídos − protegendo-se e à sua prole). Enquanto Costa nos governa (a nível interno/nacional) e Marcelo (este só com um “L” não como o seu padrinho Marcello) nos exibe (a nível externo/internacional): este último ainda agora na China escutando os chineses e a sua “ROTA da SEDA”.

 

(imagens:  Swayne B. Hall/AP Photo/seattletimes.com − Engineering Today/youtube.com – Joe Raedle/Getty Images/marketwatch.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:05

03
Jul 18

'Sonar Anomaly' Isn't a Shipwreck, and It's Definitely Not Aliens, NOAA Says. Turned out to be a Rocky feature.

(livescience.com)

 

DgteTRwU8AELH1K.jpg

Anomalia desvendada

Nem um barco naufragado, nem uma nave alienígena, apenas um recife rochoso

(talvez com alguns destroços metálicos resultantes de acidentes c/ barcos e c/ aviões)

 

Numa viagem (em princípio de 11 dias) iniciada em 22 de Maio e planeada para terminar a 2 de Julho (deste ano), o navio de exploração oceânica (sob responsabilidade da NOAA) OKEANOS EXPLORER (levando a cabo mais uma das suas expedições) deslocou-se recentemente para uma zona marítima localizada na costa sudoeste dos EUA (norte do oceano Pacífico), com o objetivo de aí investigar, analisar e tentar descobrir a origem de um Anomalia Sonora (desconhecida) anteriormente detetada por um Robot Submarino: como sempre deixando (desde logo e como se não suspeitássemos de tudo o que seja oficial) a dúvida pairando no ar sobre o verdadeiro motivo da organização desta nova expedição (sob a direção da Administração Nacional Atmosférica e Oceânica do Governo dos EUA) às já tão conturbadas regiões terrestres como marítimas do oeste deste país e continente (Estados Unidos e América), levantando-se no decorrer do processo (iniciado no registo do tal Robot Aquático) hipóteses das mais variadas para este tipo de manifestação (eco sonoro) desde poder ser o reflexo de um Barco (já antigo) afundado, à presença de alguma nave Extraterrestre (ou qualquer outro tipo de artefacto alienígena) ou então e muito simplesmente (o mais certo para esta zona observada) de um fenómeno Geológico (com algum ou nenhum impacto ambiental, alterando minimamente o nosso Ecossistema):

 

MTUzMDI5MTI4Mg==.jpg

Vista da marca profunda provocada no leito rochoso do oceano

Como registado pela NOAA e pelo seu barco Okeanos explorer

(com a cor branca a indicar uma grande reflexão e uma superfície dura)

 

Ocorrido e localizado numa região do Globo terrestre (a nível de sismos e de vulcões) das mais ativas (geologicamente falando) ‒ o Anel de Fofo do Pacífico ‒ consideravelmente suscetíveis e vulneráveis a este tipo de fenómenos (até pela sua frequência e presença próxima de fatores intensificadores) ou não tivesse essa mesma região a presença da zona de subdução de Cascadia (podendo provocar um grande terramoto e um mega tsunami devastando toda a costa), a presença da famosa linha de falhas de San Andreas (há muito prometendo o Big One) e até mais para leste e para o interior dos EUA a presença de um dos maiores vulcões existentes na Terra o Super Vulcão de Yellowstone (adormecido mas sempre presente e demonstrando um crescente de atividade nos últimos meses ‒ provavelmente no cumprimento normal de mais um dos seus ciclos de atividade, ou não). Inicialmente com os investigadores a inclinarem-se para os restos de algum navio aí afundado (sendo esta uma rota de considerável tráfego marítimo muito utilizada comercialmente e até durante a II Guerra Mundial), pelo meio e dada as dúvidas levantadas (e pelos vistos para alguns não respondidas) com os (sempre presentes e apesar de tudo felizmente) teóricos da conspiração a falarem em Ovnis (ou não se sugerisse o acontecimento sonoro poder refletir a presença de algum tipo de metal) para finalmente se verificar ser apenas o reflexo sonoro de uma simples pedra, calhau ou rochedo (facto confirmado presencialmente pelo ROV ‒ veículo submarino de exploração operado por controlo remoto):

 

DguWmkqUcAAKy0S.jpg large.jpg

Não sendo uma anomalia provocada por terrestres ou extraterrestre

Limitando-se essa anomalia a um fenómeno inequivocamente geológico

(e desse modo aproveitando-se para o estudo da flora e da fauna aí residente)

 

“The Okeanos sonar anomaly appears to be geologic in origins. The team will continue to circumnavigate this rocky feature. This rocky feature is great habitat for many species including the many fish already seen.”

(NOAA Ocean Explorer ‒ @oceanexplorer/twitter.com)

 

Pelo que todo este alarido apenas devido a um reflexo sonar (oriundo de um Robot) obtido a partir de um objeto situado no interior do oceano Pacífico (e a grande profundidade), poderá ter tido a virtude de (considerada esta ação como não isolada) se partir para um melhor conhecimento de toda a fauna e flora habitando e reproduzindo-se neste mundo submarino (e oceânico), ainda tão desconhecido e misterioso apesar de estar numa parte importante da costa da Carolina do Norte: com os seus corais e esponjas, com os seus desfiladeiros profundos, com possíveis depósitos de gás, com placas tectónicas e falhas … dando a essa região boas oportunidades de uma profícua evolução futura (económica), mas tomando sempre em consideração (por extremamente relevante e jamais podendo ser esquecida) a seção geológica do Globo terrestre entretanto aqui focada. E para já sem barcos e tesouros nem ovnis e extraterrestres, mas continuando a investigação nada sendo de ignorar e tudo de esperar.

 

“Okeanos is headed back to the surface after investigating the "Big Dipper" Anomaly. While the anomaly was geologic in origins it yielded many fish species and other fauna.”

(NOAA Ocean Explorer ‒ @oceanexplorer/twitter.com)

 

Encerrado este episódio e dada a grande atividade sociológica e geológica registada neste Hemisfério Terrestre (Norte) ‒ onde a nossa Civilização se mistura e concentra (das maiores áreas tendo a Rússia/1º e a China/3º, com maior população a China/1º e a Índia/2º) e a grande proximidade ou partilha com a Ferradura se torna bem evidente (o Anel de Fogo do Pacífico) ‒ ficando-se à espera dos Novos Episódios desta única e Grande Aventura (tendo como protagonista o Homem), desejando-se (desde que colocados perante a nossa Morte física) que se transforme e evolua Sem Fim: encontrando-se o verdadeiro centro (do nosso Mundo entre Mundos) onde a nossa construção se mostrou (e se disseminou) e só a partir daí se descobrindo a Alma (o seu significado e presença).

 

n0vljqs5mznndxy7j9wz.jpg

Once upon a time it was quite popular to depict the human body in terms of machinery. The idea was that all of the functions and organs of the body could be equated on a one-to-one basis with machinery and technology.

(Ron Miller/Your Body, the Machine … Literally/gizmodo-com)

 

Talvez algo de inexistente (a Alma) traduzida a Evolução (produzindo Inteligência) em mais um (de muitos) processo Mecânico: “No qual fenómenos eletromagnéticos dispersos mas reativos se juntam (formando um bolo composto por Matéria e Energia em constante Movimento), formando uma unidade artificial, organizada e temporária, antes de se diluir e incorporar a Estrutura (evoluir) ‒ tal como constataríamos numa Máquina (à nossa Imagem e Perfeita).

 

E como tudo tendo o seu contrário sendo a frase seguinte um elemento de prova (no mínimo da relação inequívoca Homem/Máquina):

 

The Danger is not Machines Becoming Humans, but Humans Becoming Machines.”

(David Gelernter/bigthink.com)

 

(alguns dados: Laura Gegge/livescience.com ‒ imagens: @oceanexplorer/twitter.com e gizmodo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:17

25
Set 17

Olhando para a Terra tal como ela seria se não estivesse (como hoje) recoberta por Atmosfera, Água e Vida (menos redondinha mas completamente careca como Marte), seria esta a sua forma (aqui apresentada) não muito parecida à dos seus semelhantes mais próximos (os Planetas Interiores): para cá da Cintura de Asteroides e excluindo os Planetas Exteriores/Gasosos (Júpiter, Saturno, Úrano e Neptuno) tomando como termo de comparação os vizinhos Mercúrio, Vénus e Marte (e já agora a Lua por apêndice ligada à Terra).

 

geoid2005_champgrace_2362.jpg

 Terra

(imagem: CHAMP, GRACE, GFZ, NASA, DLR)

 

Uma forma no entanto habitual para muitos dos objetos (se não todos) movimentando-se no interior do Sistema Solar, na sua circulação no interior desse Sistema Planetário tendo como centro o Sol, sofrendo os efeitos provocados pela sua deslocação através do mesmo, exercida por nuvens de material de pouca densidade (deslocando-se no Espaço), por partículas extremamente radioativas e penetrantes (como as solares e cósmicas), por campos eletromagnéticos espalhados um pouco por todo o lado (ligando o vazio à matéria como numa ligação elétrica) e até por previsíveis impactos de outros objetos na sua rota intersetando a Terra ‒ como efeito da Erosão (da Matéria), da passagem do Tempo (inevitável para o Homem mas não para a Matéria) e da componente associada (a Energia). Mas talvez que a Alma seja uma forma de Energia (formando o Trio Energia/Massa/Velocidade) podendo ser transformada até mesmo ao Infinito (ou não fosse E = MC²).

 

The-anomaly-in-the-Earths-magnetic-field-which-has

Anomalia Magnética do Atlântico sul

(imagem: ROSAT/SAAD/NASA)

 

Tudo isto e por associação (mental por necessariamente sugerida) por se falar agora com alguma insistência (e estranheza por há muito conhecida) numa Anomalia Magnética localizada no sul do oceano Atlântico, agora de novo elevada a notícia através de novos estudos incidindo sobre amostras de lavas da ilha de Tristão da Cunha (bem no meio da Anomalia do Atlântico Sul, entre a América do Sul e a ponta sul de África) ‒ tendo como investigadora Laura Roberts (do EGU/European Geosciences Union): tal como acontece em toda esta grande área estendendo-se de África (África do Sul) até à América (Brasil) ‒ atravessando todo o oceano Atlântico (sul) e aqui denominada como SAA (Soutn Atlantic Anomaly) ‒ com a baixa intensidade do campo magnético terrestre (e local) a refletir-se nas amostras geológicas, tanto nas de hoje (verificando-se que o fenómeno persiste) como nas do passado (sempre com baixa intensidade magnética).

 

iStock-657653834-1.jpg

 Amazónia

(imagem: ciclovivo.com.br)

 

Persistindo o fenómeno no mínimo há uns 400 anos mas podendo ser um remanescente (parcial ou ainda intacto) de um passado distando de uns 45/90 mil anos. E como todos nós sabemos dados os fenómenos semelhantes que ocorrem nos polos terrestres (Polo Norte/Ártico e Polo Sul/Antártida) com a proteção oferecida pelo campo magnético terrestre a diminuir drasticamente podendo ser mesmo nula: nos polos como extraordinariamente noutras regiões como será atualmente o caso do Brasil (e a Argentina), com o Cinturão de Van Allen a não cumprir a função (de nos proteger das radiações mortais) abrindo um buraco no céu (as portas e as janelas de casa e logo sobre a Amazónia) e expondo-nos ao exterior (e aos seus perigos já conhecidos). Deixando-nos a pensar se na continuação do fenómeno e com a mancha (da anomalia magnética) a alastrar, algo de mais preocupante (ou drástico) se passará, podendo acarretar consequências muito mais graves (para o planeta e) para nós: deixando-nos sem proteção exterior (campo magnético terrestre) e até podendo afetar o dínamo que alimenta a Terra (ameaça interior e entre outros aspetos responsável pelo seus movimentos como rotação e translação) e a (nos) faz mexer.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:16

02
Jul 12

“A realidade é aquilo que, quando você para de acreditar, não desaparece”

(Philip k. Dick)

 

1. O Primeiro Líder Americano e Extraterrestre após Abraham Lincoln?

 

    

E.T. Obama (o amigo hibrido) e E.T. (o amigo original)

 

Dois terços dos americanos acreditam mais nas capacidades do seu presidente democrata Barak Obama em lidar com uma invasão alienígena, do que no seu adversário às próximas eleições presidenciais, o republicano Mitt Romney.

 

(prmewswire.com)

 

2. Provas da Existência de Vida Extraterrestre no Fundo do Mar Báltico?

 

Localização do objeto não identificado no Mar Báltico

 

    

O objeto tem um aspeto maciço e cilíndrico com cerca de 60 metros de diâmetro e 400 metros de extensão. Muito semelhante a uma das naves espaciais da “Guerra das Estrelas”

 

Mergulhadores afirmam ter descoberto no fundo do Mar Báltico – num local situado entre a Suécia e a Finlândia – a presença de uma estranha anomalia que faz supor a existência nesse local de vestígios de um objeto muito semelhante à forma de um objeto voador não identificado. Pretendem ainda que todos os equipamentos elétricos situados sobre o objeto e a uma distância inferior a duzentos metros, simplesmente deixam de funcionar, impedindo entre outros o funcionamento de câmaras e telefones por satélite.

 

(dailymail.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:34

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO