Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Mulheres Assassinadas por Homens

Quarta-feira, 17.02.21

[Em penhascos/falésias sendo cometido o crime.]

 

768329.jpg

Feito o seguro de vida para a mulher (milhares de dólares),

convidando-a para um ponto alto (c/ precipício)

e empurrando-a para a morte (depois deste registo)

 

Hoje (quarta-feira, 17), ao dar uma primeira vista-de-olhos pelos jornais (online) e confrontando-me com a primeira página do CM ─ como o faço todos os dias com outras publicações semelhantes como (por exemplo) o Público, o JN, o Expresso e o Sul Informação (do Alentejo/Algarve) reparando desde logo na notícia informando sobre a aplicação de violência sobre mais um grupo minoritário (aqui não sendo pelo seu reduzido número, mas pela sua fraca expressão nos lugares de poder e tomada de posições importantes/decisivas), neste caso aqui divulgado de um homem sobre uma mulher:

 

“Homem empurra mulher grávida de penhasco após tirar fotografia.

Semra de 32 anos caiu de uma altura de mais de 300 metros

num miradouro na província de Mugla na Turquia em junho de 2018.”

(cm.pt/17.02.2021)

 

Não tanto pela curiosidade despertada pela notícia envolvendo uma agressão injustificada/desproporcionada de “um forte sobre um fraco─ desse ato irresponsável/criminoso (inqualificável) resultando uma vítima mortal e estando a mulher ainda-por-cima grávida (outra agravante), adicionando ao mesmo, o assassinato de mais um ser humano (já em avançado estado de formação) ao mesmo crime ─ mas por um comentário adicionado por um determinado leitor (por acaso encontrado noutra publicação, o SOL), pelos vistos não tanto incomodado com o cenário/guião de terror introduzido neste crime, mas sim extremamente indignado com a apresentação da referida notícia (pelo Sol): fornecendo diversas informações (pelos vistos não relevantes) mas não indicando se a mulher tinha morrido ou não ─ tendo caído num precipício com uma altura de 300 metros!

 

“O caso remonta a junho de 2018 quando Hakan Aysal de 40 anos

levou a mulher grávida de sete meses até uma encosta

sob o pretexto de lhe tirar uma fotografia

coisa que aliás fez antes de a empurrar.

A mulher caiu de uma altura de mais de 300 metros.”

(sol.sapo.pt/17.02.2021)

 

naom_5d0b50d4e938a.jpg

Tentativa de assassinato frustrada (em mais um penhasco)

de mais uma mulher (e herdeira) pelo seu marido,

inundado de dívidas e sabendo da existência de milhões

 

Derivando de seguida ─ até pelo tema (violência sobre mulheres) e pelas diferentes informações associadas ao mesmo e logo surgidas (ao introduzir na busca a frase, “homem empurra mulher de penhasco”) ─ para os lados da “mulher agredida pelo homem em encostas/falésias”, ficando-se a saber ser um evento mais habitual do que eu pensava e apresentando-se atualmente em diferentes modalidades: desde mulheres assassinadas por homens (o caso mais comum), passando por mulheres pensadas mortas pelo seu assassino-homem e na realidade não o estando (fazendo-se de mortas para se protegerem e depois regressando para ajustar contas e aí fazendo queixa) e chegando a outros FAKES com pretensas agressões (em geral com/feita por jovens) envolvendo homens/mulheres mas nunca tendo ocorrido. Caso de umas e de outras abaixo expostas ─ desde a aqui exposta passada na Turquia (com a morte de uma mulher, antes referida), passando por uma outra ocorrida na Tailândia (com a mulher a ficar gravemente ferida), ainda uma outra assinalada no Brasil (julgada morta pelo seu assassino, mas não estando) e finalmente concluindo com uma outra (revelação) mas sendo FAKE:

 

“Mulher grávida empurrada por marido de penhasco sobrevive a queda.

Inundado em dívidas,

homem queria receber indenização pela morte da mulher.”

(globo.com/20.06.2019)

 

“Mulher denuncia Ex após ser empurrada de penhasco no Paraná.

Uma moradora de Curitiba (51 anos) decidiu procurar a polícia p/ denunciar uma tentativa de assassinato ocorrida há cinco meses. A vítima revelou que foi empurrada de um penhasco (altura de 4m); o suspeito (entretanto preso) tem 41 anos, é casado e a esposa está grávida.”

(uol.com.br/30.11.2017)

 

“Homem empurra namorada de penhasco em "pegadinha" e revolta a internet.

Filmou o momento em que "engana" a sua namorada e a leva até um rochedo.

Ela pensa que se trata de um momento romântico

mas na verdade acaba sendo empurrada e leva um tombo:

fica caída no chão enquanto o homem ainda manda um "joinha" para a câmera.”

(arede.info/14.01.2017)

 

video_00141236_00.jpg

Numa brincadeira de mau gosto (revoltando a internet)

com uma rapariga simulando ser empurrada

e sofrendo uma queda de um rochedo

 

Como se vê com este fenómeno a ser mais comum do que se pensa (seja ele verdadeiro ou falso) com os homens a agredirem e com as mulheres a serem por estes agredidas ─ mas da mesma forma que existindo casos destes em Portugal, havendo igualmente exceções (da relação homem/mulher, na queda de mulheres de penhascos/falésias). Como a ocorrida na Guarda e outra (novamente sendo apenas coincidência) na Turquia (esta sem a presença de um homem, mas com a mulher num acidente a escorregar e a cair):

 

“Empurra ex-mulher de penhasco.

Empurrou a vítima por penhasco e agrediu-a com uma pedra.

A mulher conseguiu fugir e escondeu-se num rio,

o homem ligou para o 112 e à GNR disse

que ela teria caído e desaparecido na serra.”

(cmjornal.pt/17.10.2015)

 

“Mulher morre ao cair de penhasco após tirar foto para comemorar fim da quarentena.

Uma mulher turca de 31 anos chamada Olesya

morreu após cair de um penhasco na cidade de Antalya, na Turquia.

Ela fazia uma trilha com uma amiga

quando decidiu celebrar o fim da quarentena

tirando uma foto arriscada, na beira de um precipício.”

(amargosanews.com.br)

 

Um acontecimento a juntar a tantas outras agressões a mulheres (como a outras minorias ─ ou maiorias ─ desprovidas de poder), em que um leitor em princípio sendo homem promoveu a protagonista não o agredido ou até mesmo o agressor, mas o conteúdo (prelos vistos para o mesmo incompleto e logo no para ele fundamental) da notícia: mais uma vez (???) não esclarecendo (o dito leitor) se a mulher caída de um penhasco de uma altura de 300m ─ tendo o seu companheiro sido julgado por homicídio e condenado ─ morreu mesmo ou não.

 

Mas chegando de encher pneus, pois por mais que o tentemos, estando estes furados (tanta a nossa cegueira). Para como sempre e no fim (para muitas delas e ainda outras/ditas minorias), quem se lixa serem as mulheres.

 

(imagens: imprensadehoje.com ─ noticiasaominuto.com.br ─ arede.info)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:01

Depois da Venezuela a vez do Brasil

Sexta-feira, 24.06.16

“Today we live in a society in which spurious realities are manufactured by the media, by governments, by big corporations, by religious groups, political groups... So I ask, in my writing, What is real? Because unceasingly we are bombarded with pseudo-realities manufactured by very sophisticated people using very sophisticated electronic mechanisms. I do not distrust their motives; I distrust their power. They have a lot of it. And it is an astonishing power: that of creating whole universes, universes of the mind. I ought to know. I do the same thing.” (Philip K. Dick – goodreads.com)

 

Menos Verde

 

Isídio.jpg

António Isídio Pereira da Silva

Assassinado em 2015 no Brasil

Apenas por defender a sua pequena comunidade (como o são a esmagadora maioria das restantes comunidades espalhadas um pouco por toda a região da Amazónia/algumas delas ainda desconhecidas) na difícil e quase impossível luta contra as grandes e poderosas empresas de exploração ilegal de madeira (e sua posterior substituição por explorações agrícolas e de produção animal), instaladas num terreno sem lei e apoiadas em mercenários bem armados

 

Para quem ainda tinha dúvidas de que atividades fundamentais (para o acelerar do nosso desenvolvimento cognitivo e criativo) como pensar, questionar, propor e proteger, não eram por si próprias (e como fator decisivo de sobrevivência da nossa espécie) vistas como respostas válidas e credíveis às modificações do meio ambiente exterior (como se a adaptação não fizesse parte de todo o processo de transformação e evolução), basta refletir um pouco mais e concluir rapidamente, que todos aqueles que apresentam algo de novo mas que no entanto não possa ser logo no momento absorvido (aceite e certificado pela estrutura dominante), ou são progressivamente esquecidos ou então acabam mortos (no fundo a mesma coisa). Como se constata no Brasil e se confirma no Mundo.

 

185 Environmental Activists Across 16 Countries Were Killed in 2015

(Brazil – 50 confirmed murders of environmental activists – ecowatch.com)

 

Como infelizmente o confirma a organização ambiental (e de defesa dos direitos do homem) Global Witness, ao afirmar que no ano passado foram mortas 185 pessoas em todo o mundo apenas por tentarem defender as suas próprias comunidades de projetos declaradamente ilegais mas contando com poderosos apoios vindo do exterior (por omissão política deliberada). Destacando-se entre os dezasseis países (e águas internacionais) pertencentes aos cinco continentes da Terra – e nos quais a pratica de assassinatos de ativistas políticos é já há uma pratica comum – o maior (e mais rico) território da América do Sul o Brasil, de novo alvo da cobiça (internacional), da corrupção generalizada (nacional) e do apoio do crime organizado (suportado pelas estruturas paralelas atuando no interior do próprio Estado): só no Brasil com 50 assassinatos de ativistas políticos conhecidos (27% do total).

 

As demand for products like minerals, timber and palm oil continues, governments, companies and criminal gangs are seizing land in defiance of the people who live on it. Communities that take a stand are increasingly finding themselves in the firing line of companies’ private security, state forces and a thriving market for contract killers. For every killing we document, many others go unreported. Governments must urgently intervene to stop this spiralling violence.” (Global Witness campaign leader Billy Kyte)

 

In Brazil meanwhile, the fight to save the Amazon is increasingly a fight against criminal gangs who terrorise local populations at the behest of timber companies and the officials they have corrupted. Isídio Antonio was one of the latest victims. The leader of a smallholder farming community in the state of Maranhão, Isídio had suffered years of death threats for denouncing illegal logging on his land. Police have never investigated his murder. Thousands of illegal logging camps have sprung up across Brazil’s Amazon, where men armed with machetes and chainsaws cut down valuable Brazilian hardwoods like mahogany, ebony and teak. It’s estimated that 80 % of timber from Brazil is illegal, and accounts for 25% of illegal wood on global markets. Much of this is being sold on to buyers in the UK, US, Europe and China, and is contributing to one of the world's highest rates of forest loss.” (globalwitness.org)

 

Mais Cinzento

 

crimes.png

A força da Economia como justificação para tanta limpeza e assassinato

E mesmo assim não incluindo a China e grandes zonas da Ásia Central e do continente Africano

Numa revelação extremamente dramática mas para muitos já não surpreendente, face à realidade e ao quotidiano repetitivo e banalizado do mundo onde hoje infelizmente vivemos, no qual e definitivamente o Homem (o Sujeito) se transformou numa mera Coisa (um Objeto) – como tal de valor variável e ainda por cima de desgaste rápido e de manutenção dispendiosa

 

Para quem ainda tinha dúvidas sobre o percurso que o BRASIL tem vindo a percorrer nestes últimos anos (mais claramente a partir de 1 de Janeiro de 2015 data em que DILMA ROUSSEFF foi empossada para o seu segundo mandato como Presidente do Brasil):

 

- Basta relembrar quando verdadeiramente começou o processo de Impedimento da presidente Dilma (no ano anterior ao Mundial de Futebol Brasil 2014 e relacionado com denúncias sobre o envolvimento ilegal e criminoso de políticos e empreiteiros no caso Petrobras/Operação Lava Jacto);

 

- A quem o mesmo se dirigia (na realidade envolvendo individualidades de todos os quadrantes políticos brasileiros desde o Governo à Oposição e formando no seu conjunto uma enorme e intrincada teia de corrupção);

 

- E qual a parte instigadora (por acaso e aparentemente agora a vencedora) indicando o motivo real para tal comportamento (antes aliados, depois delatores) – obviamente mantendo os seus importantes cargos políticos e assim se furtando à ação dos tribunais. Podendo até (se assim o desejarem) servir-se indevidamente das Instituições do Estado para se sobreporem ao mesmo e desse modo imporem sem problemas e por inação, critérios ilegais de aplicação da lei (que os beneficiem e perdurem no tempo).

 

E já agora, qual a razão por nesse processo ter sida envolvida Dilma Rousseff (mesmo não tendo nenhum processo-crime conhecido e levantado contra ela):

 

- Sendo a mesma apenas acusada como justificação para o seu Impedimento, pela sua má condução da política económica brasileira (o que em qualquer país europeu seria certamente motivo de risota tantos os casos semelhantes que conhecemos nesta grande e já longa crise global) e ainda por ao saber de tudo o que se passava não ter dito ou feito nada – ou seja sabendo dos esquemas de corrupção (daqueles que agora a acusam) nada ter feito para os evitar (prendendo-os de imediato e não os deixando mais à solta). Nessa parte podendo ter razão (os seus críticos mesmo que também envolvidos) ou então sendo a outra (Dilma) parvinha ou mesmo ingénua – o que quando muito poderíamos aceitar se entretanto não houvesse dinheiro envolvido. Só se ela fosse Santa e a caixa fosse apenas de esmolas (e porque não…)!

 

Uma panela de pressão cada vez mais fervilhante e ameaçando eminente explosão:

 

- Com a Presidente Suspensa (desde 12 de Maio);

 

- E com o Estado completamente entregue nas mãos de políticos e empresários dos mais corruptos, que apenas se têm servido desse grande e rico país que é o Brasil para o roubarem e se enriquecerem, lançando o Brasil numa grande crise social, económica e financeira – que muito provavelmente e se nada se fizer antes (será que os EUA deixam?) lançara o Brasil no caminho da Venezuela. Com o único facto político de impacto global a tirar-se de mais esta grande crise (por acaso incluindo um pais pertencente ao grupo político e económico conhecido como os BRICS e integrando a Índia, Rússia, China, África do Sul e Brasil) a ser por um lado, mais um ataque profundo (e estratégico) dos EUA a mais um Estado aliado economicamente ao bloco de cooperação China/Rússia e integrado nos BRICS (um bloco tentando pôr em causa a supremacia económica e financeira norte-americana em todo o mundo) – neste caso o Brasil e apoiando na sombra um caricato Impedimento Presidencial – por outro lado o direcionamento (mais uma vez) da intervenção política internacional dos EUA para os mercados da América do Sul (com os casos mais mediáticos a serem antes a Venezuela e agora o Brasil) e finalmente como fator mais importante e sobressaindo de tudo o resto, a manutenção de todos os métodos, processos e objetivos a atingir, por parte da potência militar com maior capacidade de morte e destruição a nível do nosso planeta os EUA. Parecendo querer continuar a implantar a sua teoria da Terra Queimada da qual sairá aparentemente um novo mundo e uma Nova (e mais Perfeita) Ordem Mundial.

 

(imagens: globalwitness.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:17