Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

29
Mai 19

(E Algo Mais Sobre a Origem)

 

Num EVENTO (de há dois dias, mas podendo ter continuação) para muitos peritos em geoestratégia interpretado não como um mero Incidente, mas como um característico

 

ATAQUE de AUTOR

 

− Ainda-por-cima levado-a-cabo impunemente, no interior da casa do inimigo

 

f9Vn8sznizGpKgtvjio3U3-650-80.jpg

Foguetão SOYUZ 2.1b

Lançando o satélite de navegação GLONASS-M

Do Cosmódromo de PLESETSK na Rússia

(localizado a cerca de 800Km a norte de Moscovo)

 

Um foguetão SOYUZ de fabrico russo transportando consigo um satélite (em princípio não agressivo, não de Espionagem) para o colocar em órbita da Terra (e podendo ser civil ou militar despertando a atenção norte-americana) foi inesperadamente atingido por um RAIO (ELECTROMAGNETICO) de origem desconhecida mas de remetente interior (não tendo origem no Espaço mais distante, mas no nosso Ecossistema ou sua vizinhança), pela tecnologia utilizada e pela sua aplicação, tendo certamente a autoria assinada pelos EUA: no dia 27 de Maio de 2019 (passada segunda-feira) pelas 06:23 (TMG em Moscovo três horas mais tarde)

 

– Covardemente, ainda muitos russos despertavam –

 

Com os EUA a atacarem um foguetão RUSSO (em território RUSSO), tentando destruir a “encomenda (certamente preocupante/perigosa) transportada pelo carregador.

 

Com a Operação pelos vistos, que não do ponto de vista comercial, a ser (como começa a ser tradição entre os norte-americanos) mesmo muito malsucedida, apesar de muito divulgada, talvez mesmo (sendo) Viral.

 

5cebdbdcdda4c8194c8b4604.png

Momento em que o foguetão russo SOYUZ

Apenas dez segundos após o seu lançamento

É atingido por um raio

Mas continuando tudo OK

 

Seja como for com,

 

“Assinatura de Autor”

 

Um caso raramente observado em lançamentos semelhantes (há cerca de 50 anos num acontecimento de Duplo Impacto com um registo relevante, com dois outros raios seguidos a atingirem um foguetão Saturno então norte-americano lançando a nave Apollo 12 na direção da LUA) sugerindo mais uma vez e sendo a vítima a Rússia, ser “muito certamente” o culpado os Estados Unidos da América: num momento da nossa História em que o Presidente dos EUA anuncia num investimento − “logo-à-entrada” de 3 biliões de dólares − para o lançamento da Força Espacial dos Estados Unidos (existindo já cinco, como se fosse um “sexto e novo braço” da USSF/as Forças Armadas dos EUA), quando já mostra a todo o planeta a sua imensa superioridade Global (pelo menos aparentemente, mas no presente ainda em todos os aspetos e sob todas as formas), sendo talvez o único como líder incontestado do Império atualmente no Poder − o Império Norte-Americano, em tudo idêntico ao Império Romano – a ser capaz de sem castigo ou punição, atacar subliminarmente e sem que ninguém o compreenda um seu potencial inimigo − posto perante um caso certamente fortuito (mas nunca se tendo a certeza a 100%) não sabendo como proceder, deixando andar − derrotando-o em sua própria casa e sem este se aperceber. Recorrendo mais uma vez a um tipo de intrusão não consentida, em mais uma ação típica dum exercício (de nível inferior) de violência, inserido num outro exercício (de nível superior) de Decadência. Depois do seu 1º sinal de decadência aquando do anúncio da Guerra das Estrelas (do 40º Presidente dos EUA, o Republicano Ronald Reagan) chegando agora o 2º sinal com a anunciada Força Espacial (do 45º Presidente dos EUA, o igualmente Republicano Donald Trump): sendo à 3ª de vez”, talvez de tudo isto podendo estar a eclodir um Novo Império, aproveitando-se da fase de autofagia e dos últimos estertores do anterior (em vez de se expor/vociferando ameaças tentando-se impor/à força das Armas/diversas, oferecendo apoio/nas infraestruturas e inserindo-se no território/no mercado de negócios).

 

1101830404_400.jpgTrumpSpaceForce.jpg

A Guerra das Estrelas de Ronald Reagan

E a Força Espacial de Donald Trump

(num intervalo de 35 anos)

Descubra a Diferença

 

[Ultrapassado o Episódio Zero – com “Ver para Crer(8/Novembro/2016) − e a caminho do fim da 1ª Temporada (Novembro/2020) − com os episódios de “O Profeta– esperando-se com expetativa a sua conclusão para ver se todos os factos (mencionados na sinopse da Série, referentes a esta 1ª fase) se confirmam: ressuscitando como todos nós suspeitamos (nesta 2ª fase) o Profeta (num “Mundo Paralelo Donald Trump”) e dada a particular situação (deste, de momento em estudo e em atenção), faltando saber se quem se segue será de novo o mesmo (o repetidamente referido atrás) ou como o menciona o título − da 2ª Temporada da Série (ainda por estrear e com o início para o ano) – “DEUS”. Ou não se confundisse (certamente com algum propósito) Pai, Filho e Espírito Santo, para cada um deles e hierarquicamente, podendo ser qualquer um. Deixando-o Ressuscitar podendo ser o “Cabo-dos-Diabos”, com o regresso do tantas vezes (mas pelos vistos tão poucas)Anjo-Renegado”. Mas sempre com outros Anjinhos (vistos por Algo como melhores concorrentes) − na nossa terra “Amigos da Onça ou então de Peniche” − seguindo em procissão (mas convenientemente sem Andor) logo atrás.]

 

 (imagens: Roscosmos/Russian Ministry of Defence/space.com − Twitter/@Rogozin/rt.com − time.com − crystalinks.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:53

23
Out 18

Num país – a ÍNDIA – com quase 1.300 milhões de seres humanos e cerca de 50 milhões de macacos

 

– Ou seja 26 seres humanos por cada macaco –

 

girl_living_with_monkies_india_fb.jpg

 

Onde numa área mais de 35X a de Portugal 1.000 pessoas são diariamente mordidas por estes nossos primos afastados (pertencendo ambos ao mesmo Reino/Animal, Classe/Mamíferos e Ordem/Primatas),

 

Chegam-nos este mês notícias da ocorrência de atos criminosos e mortais levados a cabo (na passada semana) por um grupo aparentemente organizado de MACACOS e conduzindo à morte (não acidental) de um ser humano:

 

Na sequência de outros ataques (semelhantes) levados a cabo por Macacos contra HUMANOS

 

Como o ataque mortal de um grupo de macacos (ação coletiva) a um vereador de Deli (depois de Bombaim a 2ª maior e mais importante cidade da Índia) e o rapto levado a cabo por um outro macaco (ação individual) levando consigo um bebé (entrando numa casa e roubando-o) posteriormente encontrado morto afogado num poço –

 

Com um outro grupo numeroso destes primatas (neste caso Macacos RHESUS) a atacarem no passado dia 18 de Outubro no estado indiano de UTTAR PRADESH (um estado densamente povoado pelos vistos não só por Homens como simultaneamente por macacos) um residente local de cerca de 72 anos,

 

Deixando-o após um brutal e definitivo ataque praticamente morto (levado ainda ao hospital mas nunca recuperando do seu estado).

 

Numa ação concertada com um Grupo de Macacos Rhesus a surpreender Dharampal Singh (o tal septuagenário indiano) enquanto recolhia madeira numa floresta próxima (para uma cerimónia/ritual Hindu necessitando da presença de fogo),

 

Atirando-lhe tijolos recolhidos nas ruínas de uma casa (próxima) a partir de uma árvore aí posicionada:

 

E fazendo-o até o deixar prostrado, inanimado e às Portas da Morte.

 

(dados e imagem: Paul Seaburn e thestatesman.com/snopes.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:36

14
Abr 18

[E de Força-Bruta vinda de todas as direções, cometendo genocídio e terraplanando o planeta – impunemente e com o selo de garantia mortal da ONU!]

 

Com Theresa a exigir um Ataque Rápido, com Trump a desejar um Ataque Duro e com Macron simplesmente a Dançar (recordando-nos Sarkosy o dançarino de Merkel).

 

Última Hora 1

Facto

O Ataque da Grande Coligação Ocidental

US/UK/França

Sábado dia 14 de Abril pela hora do jantar (em Washington) e ainda de madrugada em Lisboa (antes do nascer-do-sol em Damasco) o Presidente dos EUA com o apoio do Governo do Reino Unido e do Presidente da França ordenou um ataque à Síria: pretensamente tendo como objetivo locais associados ao estudo, desenvolvimento, produção e armazenamento do arsenal químico sírio (em princípio um projeto há muito encerrado e confirmado oficialmente por entidades internacionais especializadas e creditadas), com um deles localizado precisamente no meio de Damasco numa zona densamente povoada e na qual nem uma “intervenção cirúrgica salvará os aí residentes. Estando programado para hoje (pelo menos antes do ataque) a partida dos inspetores de armas químicas (do OPCW) para Duma na Síria.

 

9659042-3x2-940x627.jpg

Um míssil sobrevoando a capital da Síria Damasco

14 Abril 2018

(onde se encontram mutos refugiados da Guerra Civil Síria)

 

Num cenário de luta sem quartel entre duas fações Militares (trabalhando ambas para o mesmo Complexo Industrial-Militar) atualmente ainda em confronto (mas com a aparentemente mais moderada a perder terreno muito rapidamente) no interior da Administração Norte-Americana,

 

– De forma a tomarem nas suas próprias mãos o controlo total da (atual e real) Política Externa (assente na sua larga supremacia militar) dos EUA, por delegação do Presidente nesses seus fiéis apoiantes (afastando-se dos civis, refugiando-se nos militares)

 

Continua simultaneamente a desenvolver-se (de momento e erradamente parecendo suspensa) uma nova crise em torno do Conflito Sírio (quando menos se esperava agora que a Guerra Civil Síria parecia aproximar-se do fim com a derrota do Estado Islâmico e a vitória das tropas leais ao regime sírio),

 

Com os EUA a ameaçarem a atacar a Síria (desde a Guerra ilegal do Iraque sob o pretexto repetitivo, já cansativo e nunca confirmado da utilização de armas químicas),

 

E a Rússia em tipo de resposta a avisar para então terem cuidado:

 

Ou seja num ato de extrema loucura política por nunca vista (superior à de David Cameron ao propor o plebiscito sobre o Brexit) e num processo de construção inquisitorial (e de molde diabólico) de um culpado nunca imaginado (nem mesmo por George Orwell) mas materializado por projetado (nos Média),

 

– Com a líder da Ilha Theresa May (depois de sucessivos pontapés no Continente) a clamar por uma Guerra contra Putin (chamando hipocritamente a si os 27 dos ex-28) colocando à disposição de Trump um submarino e comportando-se como um Boneco (descontrolado e nas mãos de alguém)

 

E prevendo-se como mencionado anteriormente a vitória (na Casa Branca e ao lado de Trump) da estratégia da Intervenção Militar (dos Falcões, os mais duros e intervencionistas),

 

Sobre a do diálogo, do compromisso e da Diplomacia (como Política Externa)

 

Última Hora 2

Questão

E no meio desta Guerra

Onde está a Europa?

Com a estação de TV estatal a relatar o início do ataque aéreo levado a cabo pelos EUA/UK/França à capital Damasco, podendo-se observar no céu noturno rastos luminosos provavelmente da aviação, misseis e antimísseis (com a defesa antiaérea Síria a afirmar ter abatido uma dúzia desses misseis) e com as forças comandadas pelos EUA (à distância provavelmente do Mediterrânico) a afirmarem ser uma missão de punição e de aviso (à Síria como subentendendo-se à Rússia e ao Irão) mas de apenas um dia. Mas para evitar confusões avisando-se antecipadamente (e de novo) os russos, ficando-se a gora a aguardar a reação (ao ataque) dos mesmos. O verdadeiro objetivo de israelitas (ensaiando) e de norte-americanos (concretizando).

 

14dc-prexy1-master768.jpg

Donald Trump de costas voltadas a Síria

Para Duma e para o Mundo

(mantendo por tempo indeterminado a guerra e a morte)

 

Sendo previsível que entre as duas propostas (limite) colocadas em cima da mesa, uma delas seja a Verdadeira e a outra (talvez antes escolhida) a revogada: colocando-se a escolha entre uma Repetição (tendo como Alvo aparente a Síria) ou uma Provocação (tendo como Alvo real a Rússia).

 

Depois do afastamento de Rex Tillerson “o mole” (Secretário de Estado) e da chegada de John Bolton “o duro” (aparentemente como Conselheiro de Segurança de Donald Trump),

 

– Tendo nós um pouco de cultura e de memória um dos cérebros na Administração Bush de toda a orquestração que levou ao engodo e tragédia da Guerra do Iraque

 

Com a opção de Ataque Cirúrgico de aviso e de castigo (como ocorrido há cerca de um ano e pretensamente pelos mesmos motivos igualmente nunca provados) a perder irremediavelmente terreno (cada hora que passa),

 

E com os Militares apoiados por John Bolton (mesmo com o mais moderado James Mattis ainda presente e sendo a única voz a prever o pior cenário),

 

Querendo premiar Donald Trump (levando-o à ação e ao palco da Política Externa subindo a popularidade) e arrancar no processo (e fartos de esperar pelo Pentágono),

 

Propondo algo muito mais profundo como a destruição de todas as infraestruturas governamentais (que ainda restam de pé na Síria) destruindo definitivamente o Estado (repartindo o território) e sendo necessário levando tudo à frente (ou seja sírios, iranianos e russos).

 

Numa Via bem Aberta tendo a direção do Irão e com os norte-americanos a sugerirem a não existência da Rússia assim como não ingerência da China (para já não falar do Outro Mundo transformado na ONU num vazio).

 

(imagens: abc.net.au e nytimes.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 05:05

09
Abr 18

A Europa deve tentar descobrir o que terá acontecido àqueles que mantiveram sem condições a fidelidade ao Império Romano, mesmo na sua fase de Decadência e até à sua Queda estrondosa.

(e em vez de certificados para ter um emprego e dinheiro, desejar usufruir de um tabalho recuperando cultura e memória)

 

trump-bomb.jpg

Trump Threatens Putin, 'Animal Assad' Over Syrian 'Chemical Attack';

Russia Warns Of 'Grave' Response If US Launches Strike

 

“Donald Trump weighs options in Syria, perhaps including missile strike, following chemical weapons attack”

(usatoday.com)

 

Numa Guerra Civil iniciada em 2011 (quando a Primavera Árabe atravessava todo o Médio-Oriente) e justificada por um lado (a Bomba) pela grave crise económica e pela falta de democracia (levando a manifestações anti regime por parte das forças da oposição) e pelo outro (o Rastilho) pela eterna (desde 1990) Guerra do Iraque (fazendo fronteira com o seu território) – desse modo acendendo o Rastilho e de imediato fazendo explodir a Bomba – a Síria do alauita e ainda Presidente Bashar al-Assad e já ultrapassada a barreira das 400.000 vítimas mortais (apenas entre a sua população civil), encontra-se de momento numa situação de Suspense Total face às provocações das forças contrárias à atual evolução do processo (EUA, Arábia Saudita, Israel e Aliados Ocidentais) e a outras oriundas daqueles que suportam o regime (Rússia e Irão):

 

Após a intervenção russa no conflito (como aliado da Síria, com conhecimento da ONU e após a invasão do país pelos terroristas do Estado Islâmico) – contando posteriormente com o apoio do Irão e agora com a solidariedade da Turquia – e no preciso instante em que se começava a vislumbrar finalmente alguma luz ao fim do túnel (cada vez mais estreito e impraticável), com o processo aparentemente a parecer querer reverter-se (num território já terraplanado como o tinha sido o Iraque, depois seguindo-se a Síria e estando em curso o Iémen/cada um deles com o seu respetivo genocídio), tornando-se de novo numa Guerra Geopolítica (entre EUA e Rússia) com outras interessadas que não a população síria.

 

Como se os milhares e milhares de mortos e a enormidade de população deslocada (mais de metade dos seus 20 milhões quase metade sendo jovens) – com mais de 5 milhões no estrangeiro, quase todos em países árabes localizados na proximidade – não fosse o Enormidade a resolver:

 

merlin_135957585_b45152e2-3f29-4c11-91fd-2d9a8993d

Syrian government forces backed by Russia and Iran have nearly retaken Eastern Ghouta,

A Damascus suburb where a chemical attack was reported on Saturday

 

E assim um ano após um pretenso ataque químico (nunca confirmado pelas instâncias internacionais) do regime Sírio no poder provocando dezenas de vítimas mortais (seguido de imediato por uma forte resposta norte-americana bombardeando uma base militar síria e também fazendo vítimas) – no caótico cenário de Guerra Civil podendo ter origem num lado ou no noutro lado (ou ainda noutro insuspeito e/ou talvez interligado) – e já depois de um cenário idêntico ter sido montado (e inserido) e imediatamente mediatizado na Europa – com os UK (e os seus jornais situacionistas e sensacionalistas) logo à cabeça (da manobra de propaganda) com o Incidente de Salisbury (implicando Putin na tentativa assassinato de um ex-espião russo em solo britânico) – chegando um novo Ataque Químico de novo pelas mãos do Presidente sírio Bashar e sob a cumplicidade do Presidente russo Putin (matando dezenas de pessoas e ferindo centenas).

 

Com os Israelitas (talvez avisando o regime de Bashar do que aí virá dentro de poucas horas) a entrarem no espaço aéreo libanês e a partir daí bombardeando instalações militares do regime (aeroporto) e provocando dezenas de vítimas (militares referidas como iranianas): e nas próximas 24/48 horas cumprindo-se o sugerido/prometido e confirmando-se a repetição (do ano passado), com Bashar al-Assad a levar a resposta adequada (e musculada) por parte de Donald Trump – e a Rússia que se cuide (assim como a China) face ao poderio norte-americano.

 

(imagens & legendas: ronpaulinstitute.org & Getty Images/nytimes.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:44

12
Jul 15

Num contra-ataque inopinado, brutal e demolidor socorrendo-se das rodas da sua cadeira, do seu peso e do peso de toda a dívida Grega martelando-lhe constantemente a consciência, o poderoso WOLFGANG alemão encostou o TSIPRAS já grego á parede e disse-lhe olhos nos olhos: A Bolsa ou a Vida.

 

fernandinho_derrota_ap_95.jpg

BRASIL – 1 ALEMANHA – 7
Em termos práticos a Alemanha quer fazer este ano à Grécia o que já fez no ano passado ao Brasil
(a Alemanha até que não teve culpa, o Brasil é que se pôs a jeito)

 

A pouco tempo do fim das garrafas de oxigénio fornecidas pelos negociadores da Zona Euro aos representantes do Governo da Grécia (Vida ou Morte), torna-se cada vez mais óbvia e tentadora a opção dos representantes dos credores em asfixiarem definitivamente as suas desesperadas vítimas (logicamente os gregos). Pelo que se adivinha uma morte anunciada do Governo e um funeral dramático do povo grego. Ou caso a Magia (e Feitiçaria) regresse de novo às manobras acrobáticas e suicidas dos políticos gregos, assistir a uma venda a retalho do país e do pouco que ainda lhe resta (Varoufakis já se foi e Tsipras já se pronunciou – convidando os apoiantes que não concordassem, a irem-se embora e boa tarde).

 

Mas também qual seria (pois com a Alemanha nunca será) o Governo da Europa capaz de aceitar uma destas três opções:
Saída definitiva do EURO num prazo razoável (5 anos/5 meses/5 dias) com uns quantos milhões de ajuda humanitária e umas pancadinhas nas costas;
Continuação no EURO mas assumindo a dispensa de grande parte da sua população, despedindo-a, reformando-a, reduzindo prestações sociais, destruindo toda a estrutura administrativa e a organização social de estado e transformando cidadãos em excedentes – vendendo-os ou seja escravizando-os;
Continuação no EURO mas ao contrário de convidar toda a população grega ao seu extermínio acompanhado, progressivo e selectivo, substituir toda esta mercadoria humana (demonstrado toda a humanidade dos predadores) por todo o Património Grego possível de transacção (até já mencionaram uma quantia: 50.000 milhões em boa construção).

 

Seja qual for a estrada escolhida pelos representantes da Grécia no seu regresso a casa (de Bruxelas a Atenas), o mais certo é que mesmo antes da viagem se iniciar já sejam cadáveres, mas que ainda não o aceitem. No fundo nem nós sabemos como irá acabar a história dos MORTOS-VIVOS (The Walking Dead), nem se já não estaremos contaminados.

 

Entretanto ainda existem muitos crentes que continuam a acreditar (que remédio) no SYRISA. Para já ainda está vivo e ainda não se fala em ressuscitação (o que seria mais uma das tragédias gregas pelo perigo do regresso ao passado – apenas e ainda com uns míseros seis meses).

 

ÚLTIMA HORA:

 

E mais uma vez a ALEMANHA disse NEIN: com a FINLÂNDIA declaradamente em apoio à decisão e a ITÁLIA a exigir o fim da humilhação da GRÉCIA.

 

(imagem – WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:24

10
Jul 15

Infelizmente se recordarmos as memórias dos nossos pais e avós (e decidirmos pensar um pouco a razão pela qual eles nos contaram estas histórias) contrapondo-as simetricamente (é verdade!) com a História dita Institucional, rapidamente constataremos que algo de muito semelhante se está de novo a passar (aqui a História repete-se) mas com parâmetros de utilização (e de grandezas) muito diferenciados (mas com o mesmo objectivo pré-definido). O último Evento deste tipo levou à II Guerra Mundial e à coroação dos EUA como super-potência Global: e o próximo EVENTO onde nos levará?

 

Bundesarchiv_Bild_101I-164-0389-23A,_Athen,_Hissen

O içar da bandeira alemã na capital da Grécia
(Atenas – Acrópole – 1941)

 

Impedida pelo Governo grego de anexar definitivamente a Grécia ao seu território económico e financeiro, a Alemanha entrou agora na sua segunda fase de conquista e colonização do continente europeu, tentando asfixiar todos os cidadãos e residentes nessa região importantíssima da Europa (não tendo sido por acaso o 10.º país a aderir à CEE), através da colocação estratégica na estrutura administrativa e financeira básica do país sob resgate (logo já em situação financeira difícil) de pequenas bombas de implosão local mas que interligadas levarão à morte inevitável da Grécia (condenando-a aí economicamente): conseguindo mesmo que os cidadãos de toda a Europa (sob seu controlo) e no gozo do seu direito privado de férias de Verão (escolhendo o seu próprio destino), sejam agora redistribuídos por outros destinos turísticos não seleccionados originalmente – apenas com o objectivo de rebentar de vez com uma das poucas áreas ainda produtivas e lucrativas na economia da Grécia. Até ao fim desta semana iremos assistir ao aperto do garrote de tortura medieval adoptado pelos grandes da economia mundial (FMI, TROIKA, BCE, Banco Mundial) e aí iremos ter a certeza clara e definitiva do que o nosso futuro (na Europa) nos reserva: ou tudo continuará exactamente na mesma (como os mesmos dinossauros em Bruxelas) e no caminho já definido e inexorável para a catástrofe (que tanto poderá começar na Grécia, na Ucrânia ou em Portugal), ou algo de inesperado, inopinado ou mesmo fantástico poderá acontecer (seja em sonho ou em pesadelo).

 

No primeiro caso continuaríamos a viver tranquilamente e sem grandes sobressaltos no nosso viveiro particular (seguindo a concepção central da construção de um Aviário comercial); caso optássemos pela segunda via a primeira condição para que tal fosse viável e demonstrasse capacidade evolutiva indesmentível, seria que algo ou alguém avançasse por sua própria iniciativa como verdadeiro (em dinheiro vivo) impulsionador e patrocinador (como poderiam ser EUA, China, Rússia). Uma alternativa neste momento só possível de ser concretizada num mundo UTÓPICO, com o aparecimento de um outro grande conglomerado rival opondo-se ao único conglomerado existente e construído em torno do Banco Mundial (e do DÓLAR) e sendo capaz de imediatamente impor a sua moeda e num curto prazo substituir (e destruir) a anterior: o que talvez ainda aconteça este ano.

 

Enquanto isso os vinte e seis representantes (estáticos) dos vinte e sete países que constituem a CEE, continuam a assistir tranquilamente do seu RESORT de Bruxelas e das suas cantinas GOURMET (bem arejadas pelos seus ares Condicionados), ao suplício em câmara lenta com que os alemães estão a castigar os cidadãos gregos (definidos como inferiores, malandros, chulos, mentirosos), esperando que estes compreendam finalmente as causas do seu castigo, pedindo desculpa e ajoelhando. Numa fila de espera de 27, a seguir a esse número e em ordem descendente de classificação, seguir-se-ão todos os outros: e nem todos levam medalha. Por outro lado...e se o Estado de Detroit agora falido fosse expulso dos EUA (correndo-se o risco de este procurar russos e chineses como investidores soberanos), seria isto um cenário real ou mais um exemplo de verdadeira UTOPIA?

 

(imagem: Die Welt/worldcrunch.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:48

04
Dez 14

Os Estados Unidos da América acabam de ser atacados pela Coreia do Norte!

 

sonypictures_hack.jpg

Os Guardiões da Paz

(o aviso e a ameaça)

 

Uma unidade norte-coreana constituída por vários milhares de elementos e tendo como objectivo final a hegemonia total no Ciberespaço, atacou o quartel-general norte-americano da Sony no passado dia 24 de Novembro, colocando a empresa temporariamente fora da grelha.

 

Utilizando uma das suas últimas novidades em armas biológicas aplicadas ao Novo Mundo do Ciberespaço, a força inimiga foi capaz de introduzir no sistema um vírus extremamente malicioso e que lhe deu temporariamente acesso a ficheiros confidenciais.

 

O ataque foi uma resposta da Coreia do Norte a um filme a ser lançado proximamente pela empresa Sony (uma comédia) envolvendo Kim Jong-un e dois jornalistas de TV norte-americanos contratados para o matar.

 

MV5BNTE3NjkzNDQzMV5BMl5BanBnXkFtZTgwMTA4MDk5MTE@._

O filme INTERVIEW
(que poderá ter despoletado o ataque)

 

Enquanto os norte-americanos tentam relativizar o ataque lançado por esta força patrocinada e apoiada pela Coreia do Norte (e que as agências de segurança indicam ser também apoiada por russos e chineses), os norte-coreanos celebram desde já a sua vitória, começando desde logo a ameaçar publicar todo o material apanhado entre filmes, códigos de acesso, dados da empresa, novas produções e muito mais.

 

O que a ser verdade e a persistir no tempo, poderia levar à derrocada da Sony e servir como um exemplo (das suas fraquezas) para os EUA.

 

Esta operação terá sido levada a cabo pela Unidade 121, uma organização com experiência activa anterior em ataques efectuados à Coreia do Sul e ao próprio EUA (neste caso aos seus sistemas informáticos de defesa).

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:34

17
Ago 12

Sistema Solar – muito Maior que J.A.

 

No único planeta do Sistema Solar onde já foi confirmada a existência de vida – a Terra – um grupo reconhecido de seres vivos vivendo numa comunidade organizada – o Equador – decidiu receber no seu seio um outro ser vivo vindo de outra comunidade – a Austrália – que procurava proteção da ação agressiva de outras comunidades independentes – Inglaterra e EUA.

 

J.A. – muito menor que o Sistema Solar

 

Fundador de uma organização privada não militar que divulgou segredos que o não deviam ser de diferentes comunidades organizadas e independentes, este ser vivo arriscava a ter de cumprir uma pena de prisão perpétua ou de ser mesmo condenado à morte, acusado de traição por um restrito grupo de indivíduos, no meio de milhões de outros grupos de indivíduos com a mesma importância e com ideias e interesses completamente diferentes.

Aqui não interessa julgar o ser vivo em causa e ver se este era bom ou se era mau. O mais importante é mostrar ao povo como de uma forma ignóbil e encapotada e sem se saber de que modo – e com que cordelinhos oportunos – se consegue transformar a vida de quem chateia e incomoda Alguém, num verdadeiro Inferno sem fim.

 

O Equador e todos nós poderíamos interrogar-nos para que serve a ONU

 

Mas outro problema deveras preocupante para todo o mundo livre e para a manutenção de todas as regras de respeito, convivência e boa vizinhança decretados por todos os estados livres – e como necessidade fundamental para a preservação da Paz e da Liberdade Mundial – é a posição prepotente e ameaçadora assumida pelas autoridades políticas de Londres, ameaçando um ataque à Embaixada do Equador – um ato considerado de agressão a um dos membros de pleno direito da O.N.U. – se esta não libertar J.A. imediatamente para ser julgado na Suécia, por um possível ato de violação. Mas que rapidez!

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:22

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO