Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Nov 14

Por sinal até tenho uma carrinha Ford Transit (de origem norte-americana) e nunca tive um Toyota (de origem japonesa). Mas confesso que por acaso o meu irmão teve um Toyota durante os fantásticos anos setenta (carro de que nunca se queixou e do qual ainda se deve recordar com muitas saudades), sendo por essa altura uma das marcas com maior aceitação no mercado português (mesmo entre as comerciais) graças à existência e preponderância do concessionário Salvador Caetano.

 

ford-focus-sedan-usa-2008-r15-55791.jpg

Ford – EUA
(1.º lugar de vendas)

 

A pouco e pouco a indústria automóvel norte-americana tem vindo a ser rapidamente ultrapassada (e asfixiada) por outros mercados mais competitivos (por apresentarem preços de venda/manutenção mais baratos) e intrusivos (por utilizarem sem preconceitos e extrema flexibilidade estratégias de conquista de mercado). E como a iniciativa privada norte-americana atingiu infelizmente um ponto de decadência e estagnação do seu pensamento económico absolutamente irreversível (se alguma vez teve algum que não fosse limitado à obtenção do maior lucro possível) – optando pela especulação financeira e não pelo investimento da indústria – enquanto os EUA se vão entretendo a declarar guerra ao Mundo, o Mundo vai invadindo e conquistando os (mercados dos) EUA. Como se pode verificar na Tabela 1 com a intrusão/invasão de diversos fabricantes Europeus e Asiáticos:

 

Tabela 1
(a partir de dados usdebtclock.org)

 

MARCA PAÍS VENDAS  (%)
Ford EUA 2.024.758 15
Chevrolet EUA 1.729.425 12
Toyota Japão 1.711.320 12
Honda Japão 1.167.251 8
Nissan Japão 1.091.780 8
Hyundai Coreia do Sul 618.484 4
Jeep EUA 581.882 4
KIA Coreia do Sul 498.533 4
Dodge EUA 494.215 4
Subaru Japão 426.037 3
GMC EUA 412.258 3
RAM EUA 386.489 3
VW Alemanha 306.616 2
Mercedes Alemanha 286807

2

BMW

Alemanha 272.009

2

(Restantes Marcas)

--- --- 14
TOTAL --- 13.960.124 100

(veículos automóveis – marcas mais vendidos nos EUA em 2014)

 

Toyota_Windom_3.0_G_Cruising_Edition.JPG

Toyota – Japão
(3.º lugar de vendas)

 

A tabela 2 é apenas uma extrapolação obtida a partir da tabela anterior. E através dela se concluiu facilmente que já mais de metade dos veículos vendidos em 2014 nos EUA não são de fabrico norte-americano: com os EUA a serem derrotados pela Europa/Ásia por 45-41 (e contando com as outras marcas/países e por distribuição por 52-48 após prolongamento).

 

Tabela 2
(a partir da tabela 1)

 

PAÍS %
EUA 41
Japão 31
Coreia do Sul 8
Alemanha 6
(outras marcas e/ou país) 14
TOTAL 100

(mercado de venda de veículos automóveis por país produtor)

 

Nunca nos poderemos esquecer – mesmo quando atingimos o topo – dos caminhos e das dificuldades que tivemos que percorrer e suportar até finalmente lá chegar: se nos esquecermos da realidade e nos deixarmos levar apenas pelo momento, então deixaremos tudo à deriva e o mais certo é que mais cedo ou mais tarde percamos tudo. Foi isso mesmo o que aconteceu com Detroit e com a sua indústria automóvel (ainda se lembram?): símbolo e capital do Sonho Económico e da Indústria Automóvel Norte-Americana (FORD, CHRYSLER, GMC), passados apenas cinquenta anos a cidade faliu e quase que fechou, transformando-se numa verdadeira cidade destinada (agora e apenas) à convivência entre fantasmas.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:30

13
Dez 11

A Suspensão da industrialização deu nisto

 

Nissan suspende investimento de 156 milhões em Portugal

 

A fábrica de baterias para carros eléctricos de Aveiro já não vai avançar, confirmou a Nissan Portugal ao Económico.

 

António Pereira Joaquim, director de comunicação da Nissan/Portugal, confirma ao Económico que "a administração da aliança Renault/Nissan concluiu que as quatro fábricas que estão em produção são suficientes para atingir os 1,5 milhões de carros em 2016". O responsável acrescenta que optou-se por suspender a unidade portuguesa e por manter as fábricas de baterias perto das que fabricam os carros. Foi por uma questão de localização geográfica".

O grupo privilegiou as fábricas de baterias que estivessem junto de unidades de produção de automóveis eléctricos, como as do Reino Unido (Sunderland), Japão (Vama), Estados Unidos (Smyrna) e França (Slinns).

 

(Notícia – Diário Económico)

 

É claro que a culpa é, do Sócrates do PS.

Nunca do clone criado apenas para o substituir – o Sócrates do PSD – de modo a mudar imediatamente, os intermediários dos negócios e do poder.

Já não nos bastava, deixarmos de existir sob as ordens da Alemanha e agora seremos ainda colonizados por angolanos, brasileiros e chineses.

Mas a realidade é inevitável – não há bons empregos para todos e no meio de tantos concursos e recursos, há sempre que infringir a lei, suspendendo a sua aplicação.

A Bem da Nação!

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:12

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO