Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


CNN

Terça-feira, 04.03.14

Ou a CNN renova o Software das suas ultrapassadas projecções – não pela idade que já tem, mas pela sua acelerada degenerescência intelectual (e é assim que se distingue uma pessoa dum boneco) – ou então confirma definitivamente o seu fim há muito anunciado. Caso contrário, nenhuma das suas mensagens ideológicas (naturais para uma empresa de capitais privados) passará, deixando-nos com uma imagem confrangedora e como tal globalmente negativa, do funcionamento e dos profissionais desta estação.

 

Olhar para este pódio televisivo com o medalha de ouro Wolf Blitzer a ser chamado veemente à atenção pela medalha de prata Christiane Amanpour, devido à suas declarações transmitidas de forma incorrecta, indevida e perigosa (isto apesar de Blitzer afirmar constantemente que só estava a transmitir a opinião do Embaixador da Rússia à ONU Vitaly Churkin) sobre os graves acontecimentos registados na Ucrânia – enquanto o medalha de bronze convidado Stephen Cohen, ia sorrindo deliciado /espantado perante o espectáculo que estava a assistir – é só mais uma evidência a juntar a tantas outras sobre a decadência desta estação norte-americana, de cariz informativo mas também essencialmente formativo da opinião pública.

 

Christiane Amanpour, Wolf Blitzer e Stephen Cohen

 

Vejamos então o diálogo estabelecido entre Blitzer e Amanpour após a afirmação veiculada por Cohen no início deste debate noticioso, em que este último “culpava um movimento nacionalista ucraniano de extrema-direita pela onda de violência registada na Ucrânia”. Qualquer coisa como isto:

 

Blitzer: “Ouviram Vitaly Churkin o embaixador da Rússia ao Conselho de Segurança da ONU a dizer logo de manhã de que a culpa de tudo o que estava a passar-se residia no que ele denominava a acção de grupos fascistas e anti-semíticos ucranianos ainda actuando neste preciso momento...”

 

Amanpour: “Sabem, tem que se ser extremamente cuidadoso com o que se diz, pois podemos transformar isso num facto.”

 

Blitzer: “Quem disse isso foi Vitaly Churkin.”

 

Amanpour: “Talvez o tenha dito. Estão-me a dizer que toda a pró – Europeia...”

 

Blitzer: “Claro que não.” (apresentando apenas o que tinha dito Churkin)

 

Amanpour: “Certo, temos que ter muito cuidado.”

 

Blitzer: (oferecendo-se para passar de novo as afirmações de Churkin)

 

Amanpour: “Já ouvi. Acho apenas que devemos ter nesta estação muito cuidado para não lançarmos todos os ucranianos pró-europeus no mesmo saco, apesar de alguns deles poderem pertencer a grupos nacionalistas e extremistas.”

 

Blitzer: “Nós não somos, eu não sou.”

 

(fonte e imagem – huffingtonpost.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:48