Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

15
Mai 19

[Com tanta Cerimónia (em Terra) e antecedendo-os (os norte-americanos), apenas se não chegar lá (à Lua) Algo (interno ou externo) antes. E não sendo certamente um “lunático”.]

 

“Entre os norte-americanos com todos e em cartel

– NASA (de Donald Trump), SPACE X (de Elon Misk) e BLUE ORIGIN (de Jeff Bezos)

a marcarem a sua chegada à LUA (a NASA o seu regresso) para daqui a 5 anos.”

 

D6JxmP4W4AAviEb.jpg

Blue Moon (o modulo lunar) e Jeff Bezos (fundador da Blue Origin)

Apresentando-se para a sua ida até à Lua

 

A promessa de mais um empresário e multimilionário norte-americano (neste mês de Maio de 2019 com uma fortuna ultrapassando os 160 mil milhões de dólares)

 

– Fundador da AMAZON (comércio de serviços e produtos), fundador da BLUE ORIGIN (empresa espacial), dono do WASHINGTON POST (Comunicação/Média) e de nome JEFF BEZOS –

 

No passado dia 9 de Maio numa apresentação em WASHINGTON DC, revelando o seu plano para atingir a LUA e o momento marcado para esse mesmo encontro:

 

Prometendo o 1º contacto com a superfície do nosso único satélite (natural)

 

− A ser concretizada pela sua nave Blue Origin –

 

Para o mês de Maio de 2024 (dentro de precisamente 5 anos), rivalizando com a NASA (a agência espacial governamental) e com a outra empresa sua concorrente a SPACE X (tal como a Blue Origin privada), todas elas prometendo (quase em uníssono, em cartel) praticamente o mesmo plano (pisar a superfície da LUA no ano de 2024).

 

Spacecolony1-1-580x424.jpg

Com Jeff Bezos inspirando-se

Nas colónias espaciais imaginadas por Gerard K. O’Neill

 

E acreditando em Jeff Bezos o norte-americano de Albuquerque (estado do Novo México) além de criado em Houston (estado do Texas)

 

– Por sinal um Independente (pró-Democrata), não apoiante de Trump, declinando um convite deste (enfurecendo-o ainda mais) e “vendo usar o seu foguetão, como piada e com humor, enviando Donald Trump, em direção ao Espaço Sideral” –

 

Com a sua Missão Lua a ser possível/concretizável até pelas seguintes vantagens face a outros (possíveis e próximos) destinos (como o será, logo de seguida e aparentemente em mais uma decisão de Cartel, MARTE):

 

Baixa gravidade (quase 1/6 da Terra);

Proximidade (estando no mínimo perto das 150X mais perto do que Marte);

E a possibilidade (quase certeza) de acesso ao nosso líquido fundamental (constituindo a larga maioria do nosso Corpo) a Água.

 

Esperando-se para ver (e com outros − como a privada VIRGIN GALATIC − ainda à espreita) e só depois acreditar. Isto para não se falar dos Russos (ROSCOSMOS) e dos Chineses (CNSA).

 

Dado o tiro de partida a 9 de Maio de 2019

(por Jeff Bezos e com uma distância idêntica a percorrer)

Com o atleta chegando em 1º lugar (à Lua)

deixando para trás (inacreditavelmente) e em 2º o foguetão:

"Passando por ele que nem uma flecha!"

(ou não fosse o Recordista Mundial dos 100 metros planos)

 

Parâmetros/Veículo

Blue Origin

Usain Bolt

Distância (a percorrer)

384.400Km

384.400Km

Tempo (de viagem)

1.830 dias

427 dias

Velocidade (média)

2,4 m/s

10, 4 m/s

 

E em estilo de passatempo e aproveitando a ocasião (“A Ocasião Faz o Ladrão”, diplomando-o/certificando-o) tentando assim resolver o mistério e a discrepância (absolutamente anormal), entre as poderosas “Pernas de BOLT(mais de 10m/s) e o fraquinho “Motor de BLUE (nem 2,5m/s): numa razão impossível (impensável pelos elementos em presença) de 1 BOLT (chegando) para 4 BLUE!

 

(imagens: Blue Origin e NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 11:03

25
Mar 17

NASA Transition Authorization Act

 

snapshot DT NASA.jpg

Momento da assinatura contando com a presença de Trump, Cruz e Rubio

(entre outros)

 

Num momento em que o apelo da NASA e o chamamento dos privados parece começar finalmente a ser ouvido (falta saber a favor de quem) – veja-se a movimentação de dois dos mais interessados no orçamento destinado à NASA, um o senador Ted Cruz pelo Texas e o outro o senador Marco Rubio pela Flórida (por sinal dois estados-base da empresa Space-X) – os olhos do mundo voltam-se de novo em direção ao Espaço, observando outra vez a Lua e desejando agora ir até Marte.

 

Trump signs NASA funding bill, sets goal of human on Mars.

(Jordan Fabian – The Hill)

 

Na passada 3ªfeira dia 21 ao ler um dos títulos do jornal online The Hill fiquei a pensar no que estaria a pensar o presidente norte-americano Donald Trump ao autorizar os fundos orçamentais do seu Governo destinados à NASA para o ano de 2018: num total de 19.5 biliões de dólares e num acréscimo de 0.4 biliões ao inicialmente previsto.

 

No momento da cerimónia da assinatura da referida autorização orçamental com o Presidente dos EUA a estar ladeado por dois senadores Republicanos, sendo nada mais nada menos que dois dos seus maiores adversários da ainda recente corrida presidencial os senadores Ted Cruz (Texas) e Marco Rubio (Flórida).

 

dragoncrew.8k.jpg

SPACE-X

 

The bill’s authors and sponsors – including Sens. Ted Cruz, R-Texas, and Marco Rubio, R-Fla. – were in attendance in the Oval Office for the signing.

(Jordan Fabian – The Hill)

 

O primeiro dos senadores sendo o autor da proposta, o segundo o seu patrocinador e o presidente o responsável pela assinatura de confirmação. Num financiamento governamental atribuído à Agência Espacial Norte-Americana e com o Presidente a pedir como contrapartida para o mesmo (e para os seguintes) o envio de humanos ao planeta Marte.

 

Para tirar dúvidas, dada a ambição do projeto e dado as três individualidades envolvidas, indo de imediato à procura dos orçamentos da NASA para verificar a sua evolução – e a real intenção destes três envolvidos no programa espacial norte-americano: quando já no passado outro político dessa nação falara no Espaço e na sua intenção de colocar um Homem na Lua.

 

The law provides the space agency with 19.5 billion in funding for fiscal year 2018, while requesting that the agency come up with a plan to send a crewed mission to Mars in the 2030s.

(Jordan Fabian – The Hill)

 

Num momento da História da Conquista do Espaço onde tudo parece suspenso, com o Homem após pisar um outro mundo a ignorá-lo virando-lhe as costas (limitando-se à permanência num habitáculo localizado a 400Km), enviando drones pelo Espaço e substituindo-nos indevidamente e renunciando entregando aos privados o sonho que deveria ser de todos.

 

Com o orçamento oferecido por este triunvirato à NASA para o ano de 2018 a não ser mais do que uma cópia de todos aqueles que se repetem desde há mais de 50 anos: com o maior orçamento em termos comparativos com os custos atuais a ser o do distante ano de 1966 (quase 2.5 X o presente) e desde o ano de 1998 nunca ultrapassando os 20 biliões (de dólares).

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA2My

VIRGIN GALACTIC

 

The legislation also asks NASA to develop ways to extend human presence, including potential human habitation on another celestial body and a thriving space economy in the 21st century.

(Jordan Fabian – The Hill)

 

Já lá indo portanto 19 anos desde que a NASA parou (gastando tudo nos Vaivém), entretendo-se a partir daí com a ISS e com aparelhos voadores teleguiados capazes de atingir grandes distâncias e dotados de imensos periféricos, um deles sendo o operador sentado numa cadeira tomando um café enquanto aprecia o Cosmos.

 

Com Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama (no poder como presidentes de 1993 a 2017) pela sua indiferença dedicada (estatuto) e irrelevância de impacto (político) – deixando unicamente a máquina a rolar – a poderem vir a ser considerados os últimos coveiros da NASA: restando ficar por saber se o próximo a salva ou lhe dá outra mocada para ver se ainda mexe.

 

The current funding legislation may wind up being a down payment on that future mission, if the technology can be developed to make it happen.

(Jordan Fabian – The Hill)

 

Na verdade tudo se resumindo a um fator comum a qualquer tipo de investimento que se pretenda seguro

 

Ou seja com um processo anterior já bem consolidado e oferecendo garantias inequívocas de crescimento

 

Só possível aproveitando todo o conhecimento, trabalho e investimento inicial feito pelo setor do Estado (público),

 

Utilizando como matriz o modelo e estrutura pré-existente, ou seja,

 

O caminho já desbravado, transformado, utilizado, ativo e como tal concessionado, pronto a ser utilizado e com poucos recursos adicionais até melhorado – apenas por replicação e tal como o fazem todas as crianças (imitando e repetindo).

 

snapshot.jpg

BLUE ORIGIN

 

While interstellar travel may not happen anytime soon, there is some push from an unlikely source to return to and colonize the moon first – from Amazon owner Jeff Bezos. He has been lobbying the Trump administration to begin unmanned cargo missions to the moon by 2020, with the goal of eventually constructing living quarters and sending humans there.

(Jordan Fabian – The Hill)

 

No caso dos EUA e à sua estratégia futura no que diz respeito à Conquista do Espaço (associada à obrigatória expansão dos seus territórios de intervenção, forçosamente tendo de se alargar para além do nosso conjunto restrito mas integrado e fazendo parte de algo maior naturalmente a ocupar – devido à nossa necessidade de evoluirmos e de nos expandirmos), agora com o novo Presidente tão próximo da iniciativa privada, a ser fortemente pressionado para dar mais voz ao setor: não só pela Space-X (de Elon Musk tendo como um dos objetivos maiores Marte), como pela Virgin Galactic (de Richard Branson com objetivos estritamente comerciais) e até pela Blue Origin (de Jeff Bezos tendo como um dos objetivos maiores a Lua). Pela antecedência e contratos (com a NASA) com a Space-X à frente.

 

Supporters of the project (Blue Origin) believe that a permanent moon settlement could facilitate additional space exploration and, eventually, additional colonization of our solar system. “I think that if you go to the moon first, and make the moon your home, then you can get to Mars more easily,” Bezos said.

(Jordan Fabian – The Hill)

 

E com o futuro da Exploração Espacial no que concerne aos Humanos a ser previsivelmente assumida pelos privados nos EUA (logicamente em estreita colaboração com a NASA de onde virão as justificações para a sua participação e financiamento governamental), provavelmente a serem logo seguidos pelos seus colegas da Europa (ESA), enquanto na Rússia e especialmente na China o estado continuará a ser o principal orientador e financiador (apesar de alguns privados/milionários já começarem a avançar).

 

Se tudo correr bem (para público e privado) com Jeff Bezos já em 2020 a levar de novo os Humanos até à Lua e a finalmente a aí instalar uma base, com Elon Musk pela mesma altura a iniciar a sua aventura até Marte terminando na sua colonização, com Richard Branson a inaugurar as suas carreiras turísticas em órbita da Terra ou levando-nos de visita até à Lua e lá mais para oriente com a Rússia aproveitando toda a sua tecnologia de ponta (especificamente a nível dos seus foguetões) e todas as suas eventuais parcerias (com o privado e mesmo com outros países como já o faz atualmente até com os EUA no que diz respeito com a ISS) para se intrometer e ser parte na questão.

 

20160625093936846-879x485.jpg

LONGA MARCHA 7

 

E com a China perto de alcançar os 1,5 biliões de pessoas (quase 20% da população mundial) e usufruindo dos seus imensos recursos económicos e financeiros atuais (num momento em que o resto do mundo vive em crise, ainda mais gravada pela indefinição nos EUA), a lançar-se definitivamente à conquista de territórios exteriores, lançando satélites, sondas em direção a Marte, construindo poderosos motores e na perspetiva de se lançar mais além e se tornar na outra grande potência, montando a sua própria estação e a partir daí lançando-se em direção ao Espaço – e logo ali com a Lua tão perto.

 

Segundo previsões dos cientistas e técnicos chineses com os mesmos a afirmarem estarem perto de concluir o novo foguetão Longa Marcha 7 (com a sua 1ªmissão já marcada para os fins de Abril), que proporcionará a capacidade de não só começar a trabalhar no transporte de carga para a montagem da estação espacial chinesa (por módulos e com o primeiro a já ter sido lançado), como através do transporte de uma nave espacial a ele acoplada, permitirá também o transporte de tripulação o desenvolvimento da estação e a sua preparação para missões mais distantes.

 

[Nota Final]

 

[Num momento em que a América continua a transmitir para o Mundo uma imagem de total desgoverno financeiro (não exclusivo da administração Trump mas de todas as Administrações Norte-Americanas Democratas ou Republicanas), por um lado não ultrapassando de novo a barreira dos 20 biliões para a Exploração Espacial e no entanto pedindo a Lua e até Marte (com astronautas integrando as missões), mas pelo outro lado e dispondo de um orçamento previsto de mais de 1 trilião para um período de 10 anos (para muitos uma brutalidade) desbaratando apenas dinheiro sob o pretexto Obamacare. Em concreto com os 20 milhões a arderem em lume brando e com os democratas e os republicanos a lutarem pela patente – Obamacare ou Trumpcare. Estaremos ainda saudáveis para podermos ainda pensar?]

 

(imagens: youtube/washingtonpost/space/spacex/spacenews/.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:32

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO