Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A Super Bola de Fogo das Gemínidas

Quarta-feira, 15.12.21

GEMINID SUPER-FIREBALL

“The Geminid meteor shower peaked on Dec. 14th with more than 100 meteors per hour.

At the Teide Observatory in the Canary Islands, just one was enough.”

(spaceweather.com)

Juan-Carlos-Casado-EDC563A2-99BD-4BE2-AAD4-1AF050C

Via Láctea, Orion, Sirius e Plêiades

 

Separado das visões por vezes enleantes ─ por vastas e multicoloridas ─ de um céu límpido e noturno terrestre, de momento transformado numa “muralha-de-luz” escondendo-nos (apesar de apenas temporariamente) o que está para além dos limites da fronteira da Terra (existindo no exterior do Ecossistema onde vivemos), evitando o “transtorno” provocado por este feliz processo de sucessão do dia e da noite (originado pelo movimento de rotação da Terra) e tendo a necessidade de espairecer um pouco mais tentando-se esquecer-se os nossos problemas internos (o percurso de translação do nosso planeta em volta do Solo sendo feito num ano, muito tempo tendo em consideração a nossa estimativa média de vida), sem fazer grande esforço e sendo o seu usufruto proporcionado pelas novas vias de comunicação e de transporte (digitais, via WEB), em sua substituição recorrendo habitualmente a outras observações, de outras pessoas e com outros meios auxiliares disponíveis (nestes tempos de Pandemia onde um dos conselhos mais habituais, sobretudo quando o perigo espreita, é o de isolar-se).

Juan-Carlos-Casado-EDC563A2-99BD-4BE2-AAD4-1AF050C

Super Bola de Fogo

 

Graças a estas comunicações instantâneas desvalorizando, não se estando presente, dois pormenores importantes ─ o momento (estando disponível ou não a observação) e a distância (sendo impossível lá estar presencialmente) ─ podendo-se mesmo a partir de um local mais ou menos isolado (podendo ser o interior de nossa casa) e abdicando-se de mais um “passatempo-de-vida” (por exemplo, proporcionado pela “caixa que mudou o Mundo”, a nossa companheira de todos os dias, a TV), observar para além da Terra (bastando olhar como fazemos por tantas vezes para baixo, debaixo dos nossos pés), contemplando o cenário que nos contempla (integra) daqui até ao Infinito ─ até onde a nossa visão alcança e até se podendo utilizar para tal (melhorando a respetiva performance) periféricos, mesmo utilizando os instrumentos óticos de outros (ligando-nos a todo o Mundo através da Internet). Isolados numa localidade como Albufeira e querendo (tento a necessidade de) diversificar as nossas comunicações e os temas aí apresentados e tratados, não podendo recorrer a outros meios e por vezes sendo impedidos (por ex. profissionalmente, uma questão de sobrevivência) de sair do local, não restando outra via alternativa ou possível de utilização (terrestre, aérea ou marítima) senão a já referida “Estrada ou Autoestrada” (conforme o serviço prestado, o “carro” utilizado) da WEB.

Juan-Carlos-Casado-EDC563A2-99BD-4BE2-AAD4-1AF050C

Monte do vulcão TEIDE

 

Na passada quarta-feira (ontem 14.12), na sequência da Chuva de Meteoros das Gemínidas (possivelmente restos de um antigo asteroide, o 3200 Phaethon) e aparecendo no céu noturno a um ritmo de 100 fragmentos/hora ─ um fenómeno anual visível no mês de dezembro ─ num dos registos efetuados a partir de um observatório instalado nas ilhas Canárias (telescópio Masters, ilha de Tenerife) com o mesmo a registar a passagem de uma “Grande Bola de Fogo” (bem brilhante e com um tom esverdeado), destacando-se claramente no céu e fazendo ainda ressaltar, com o seu brilho e nesta única e espetacular passagem, outros detalhes preciosos, em baixo (terra) como em cima (no ar). Para além da magnifica Bola-de-Fogo (pela sua forma, pela sua cor, pelo seu brilho, pelo seu belo enquadramento) tendo atrás de si e como pano de fundo a Via Láctea (uma galáxia, a nossa), Orion (uma constelação), Sirius (a estrela mais brilhante visível no céu noturno) e as Plêiades (um cluster/um conjunto de algumas estrelas), tudo alimentado e preenchido por um vastíssimo colorido indo do laranja, ao verde e à esmeralda, sobressaindo ainda em terra (na superfície da Terra onde vivemos) ─ aproveitando a iluminação de toda a paisagem sobrevoada ─ vislumbrando-se à superfície (ao longo da imagem, nela aparecendo a Bola-de-Fogo), à direita da imagem o vulcão Teide, com umas luzinhas movendo-se ao longo da sua encosta, representando os montanheiros tentando chegar ao seu cume, para daí observarem um certamente delicioso nascer-do-Sol. Projetando um tom esverdeado em redor do telescópio, tendo ao fundo na sua camada inferior e aguardando a chegada do Sol um céu alaranjado, progressivamente e na vertical desdobrando-se noutras cores/tonalidades, bem preenchidas e coloridas por inúmeros objetos (por vezes brilhantes, por vezes cintilantes) aí circulando.

(imagem/original: Juan Carlos Casado/spaceweathergallery.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:39

Espaço ─ Objetos Andando por Perto

Quarta-feira, 08.12.21

“Logo em meados de janeiro de 2022 (e seguindo-se a outros dois em dezembro de 2021 um pouco menores), com um asteroide de dimensão entre 1,5Km/2,0Km ─ um monstro, um grande calhau ─ a passar a apenas 2 milhões de Km da Terra.”

Screenshot 2021-12-08 at 19-47-48 Asteroid 7482 (1

Comparando a dimensão do asteroide 7482 (cerca de 1.732m)

─ Já um “grande-calhau” ─

com a altitude do monte Everest (perto de 8.849m)

 

Todas as 24 horas cumprindo a sua rotação girando em torno do seu eixo (virtual), percorrendo durante um ano com o seu movimento de translação a sua habitual trajetória em torno do SOL (a sua estrela de referência),

─ Acompanhando o movimento de todo o SISTEMA SOLAR (o sistema planetário onde o nosso planeta se integra) e da galáxia à qual pertence, a VIA LÁCTEA ─

Com o 3ª planeta mais distante do SOL incluído no plano do seu Sistema, por sua vez fazendo parte de um conjunto ainda mais vasto a sua galáxia, a percorrer desde que evoluiu até à sua 1ª forma (surgida há mais de 4,5 biliões de anos) indo até aos dias de hoje (ano de 2.021DC),

─ Agregando neste conjunto Sistemas (só o nosso e utilizando como seu limite a heliosfera tendo perto de 100 UA de diâmetro) e Galáxias (a nossa tendo cerca de 100.000 anos-luz de diâmetro) ─

Conjuntamente com todo este imenso e extraordinário agregado de material interestelar, incluindo estrelas, planetas, asteroides, cometas, poeiras, etc. (mencionando apenas os mais conhecidos e pondo de lado por ex. os fantásticos e ainda pouco compreendidos “buracos negros”),

1024px-1994_PC1_orbit_2022.jpg

Trajetória do asteroide 7482 na sua aproximação à Terra

─ tendo um período orbital de pouco mais de 1,5 anos ─

com o ponto de maior aproximação a dar-se a 18 de janeiro

 

Ao longo de todo este tempo visto como podendo ser analisado/interpretado em diferentes escalas (tão díspares com as humanas e as cósmicas), percorrendo, atravessando para tal a profundidade escura e imensa do Espaço

─ Com extensões de anos e anos-luz (milhares/milhões/biliões, para nós nada) ─

Num percurso a ser concretizado de uma forma ou de outra (evoluindo/transformando-se) até “um infinito” (bem determinado, mas ainda por nós incompreendido), sendo a própria dimensão de um ponto relativa.

Isto tudo porque até ao fim do próximo mês (os dois primeiros, até ao fim deste ano) ainda estar previsto a passagem por perto (da Terra) de alguns,

─ Pela sua dimensão podendo ser considerados de “monstros” ─

Asteroides (três), o 1º passando a pouco mais de 10 DL da Terra (11 dezembro, diâmetro d=759m), o 2º a pouco mais de 14 DL (17 dezembro, d=1.093m) e o 3º a pouco mais de 5 DL (18 janeiro, d=1.732m).

snapshot.jpg

Bola de fogo observada (V=23Km/s) no passado domingo (por 15’’)

a atravessar o céu noturno sobre o mar Mediterrânio (ocidental),

tal como aqui registado do sul da Península Ibérica

 

Os dois primeiros ─ asteroide 4660 e asteroide 163889 ─ a uma menor velocidade (6,6Km/s e 5,6Km/s), o terceiro ─ asteroide 7482 ─ sendo mais veloz no cumprimento da sua trajetória em torno do Sol (19,6Km/s), dos três e em princípio o mais “assustador” (mas sem razão não existindo risco de impacto) sendo sem dúvida o maior, ao mesmo tempo passando mais perto:

Designado como 7482, previsto passar mais perto da Terra a 18 de janeiro de 2022, a quase V=20Km/s (o jato comercial mais rápido tendo uma média de nem V=0,3Km/s) ─ distância Terra/Lua nesse dia 18 de janeiro de nem 2.000.000Km, a nível mesmo do nosso Sistema Solar (nem nos atrevendo a ir, ao nível de uma galáxia) sendo muito pouco,

Semelhante a uma viagem de automóvel na Península Ibérica, mas entre Faro e Albufeira.

Desde pequenos e grandes objetos circulando no nosso Sistema, orbitando a nossa estrela (aproximando-se/periélio, afastando-se/afélio dela) e na aproximação à mesma passando nas proximidades da TERRA,

Podendo-se mencionar desde os grandes (impacto de asteroides como o que levou à extinção dos Dinossauros há 65 milhões de anos) até aos mais pequenos (como as bolas de fogo, uma das últimas tendo sido observada no sul de Portugal na madrugada do passado domingo, 5 de dezembro), naturalmente aquando da sua passagem (ou possível impacto),

Tendo repercussões diferentes (no nosso planeta e ecossistema).

(imagens: spacereference.org ─ wikipedia.org ─ Meteors/youtube.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:25

Bola de Fogo sobre a capital da Noruega

Quinta-feira, 29.07.21

Entrando na atmosfera terrestre no passado dia 25 de julho de 2021 (no início da madrugada de domingo) e falhando o nosso território (Portugal) por menos de 3.000Km, por volta da uma hora da madrugada uma “BOLA-DE-FOGO” atravessou os céus da NORUEGA (a uma velocidade de  19Km/s) sobre a região da sua capital OSLO, iluminando-o (o céu noturno) por uns segundos e acabando por explodir, desintegrando-se (devido ao forte atrito atmosférico), com alguns dos seus fragmentos a caírem numa floresta nos arredores da capital norueguesa (a cerca de 60Km).

snapshot.jpg

Bola de Fogo

Aproximando-se da Terra a v=19Km/s e explodindo no céu da Noruega

 

Ao surgir repentina e inesperadamente, já a noite ia adiantada e bem escura, com o seu aparecimento atravessando a atmosfera terrestres a alta altitude e velocidade, como que a “fazer acender as luzes no céu” envolvendo (e emanando a partir daí) todo o espaço por onde ela passava ─ a Bola-de-Fogo, um METEORO ─ aumentando progressivamente a sua luminosidade e impacto visual, até atingir o seu próprio clímax ao explodir (desintegrando-se): depois de  segundos de uma noite sendo iluminada, surgindo um grande flash-de-luz, observando-se então a queda de fragmentos iluminando a sua descida, perdendo intensidade, até desaparecerem/impactarem (na superfície terrestre).

Para além do impacto luminoso provocado pela entrada do meteoro na atmosfera da Terra (fenómeno visual) ─ o mesmo (o meteoro/bola-de-fogo) sendo sentido (a sua presença física) ainda mais intensamente aquando da sua explosão, originando um “intenso e rápido relâmpago-de-luz” (efeito visual acrescido, por mais intenso e concentrado) ─ com a explosão do meteoro tendo ainda um outro efeito, também deveras importante se não mesmo o principal, até pelas suas possíveis consequências: a “onda-de-choque”. Aquando da explosão do meteoro a maior ou menor altitude, com a mesma (explosão) a provocar uma onda de choque mais ou menos intensa, podendo em certos casos dada a sua propagação e intensidade (dependendo de fatores como o ângulo de entrada, a velocidade, a altitude da explosão, a constituição do objeto) provocar danos materiais e ainda humanos.

onsogX7ZTwxTc5piun25rL-970-80.jpeg

Bola de Fogo

Momentaneamente transformando a noite em dia na capital Oslo

 

Felizmente a explosão do meteoro não tendo registado graves consequências, limitando-se a um breve espetáculo de luz (intenso aquando da explosão/desintegração), a uma pequena “onda de choque” e a uns quantos fragmentos tendo caído a quilómetros de distância na floresta (sem se ter ainda conhecimento de ter atingido algo ou alguém de relevante). As únicas notícias já tendo, entretanto, chegado, sendo a do início da caça aos possíveis fragmentos, caídos em terra/no solo e integrando antes o meteoro (o OVI/objeto voador identificado, vindo do Espaço).

Segundo os especialistas nestes tipos de fenómenos envolvendo objetos atravessando o Sistema Solar e passando perto da Terra ou impactando-a (o que acontece diariamente com fenómenos como este) ─ envolvendo meteoros, meteoritos, bolas-de-fogo, etc. ─ um meteoro desviado aquando da sua trajetória no Cinturão de Asteroides (localizado entre Marte e Júpiter) e atingindo posteriormente o nosso planeta. Não se sabendo ainda qual a sua composição (se rochoso, metálico, etc.) nem dimensão, pelo seu comportamento ao atravessar a atmosfera terrestre, devendo andar pela dimensão em redor de um metro (o usual): e no entanto um meteoro/meteorito provocando um “Boom Sónico”, recuando-se no tempo recordando-nos Cheliabinsk (Rússia/2013) e a sua “Bola de Fogo”, ao explodir provocando uma explosão (no ar) equivalente a 400/500Kt de TNT (felizmente ainda a grande altitude/distância) e causando elevados danos materiais e cerca de 1.200 feridos ─ devido à forte “onda de choque” resultante da explosão.

(dados: livescience.com ─ imagens: JassMaan vlog/youtube.com

─ Norwegian Meteor Network)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:09

Meteoro

Sexta-feira, 06.03.20

No passado dia 22 de fevereiro pelas 23:22 UTC (faz amanhã 15 dias) com uma bola-de-fogo (um meteoro brilhante com diâmetro menor que 1m e com uma magnitude -9) a atravessar o céu de Espanha (fig. 1), sendo visível do centro ao sul do país (ao Mediterrânico): entrando na atmosfera terrestre a uma altitude de 70Km sobre a localidade de Almeria (localizada na Andaluzia) e movimentando-se a uma velocidade de cerca de 43.000Km/h (20Km/s) e acabando por desaparecer (perdendo o seu brilho, desvanecendo) já sobre o mar Mediterrânico a uma altitude próxima dos 29Km − num fenómeno com várias testemunhas e com registo de imagens.

 

spain_fireball_feb2020.jpg

Fig.1

 

Num registo possível de se obter graças à utilização de câmaras automáticas especificamente dirigidas para os céus (o Espaço envolvendo a Terra) e exclusivamente dedicadas ao registo destes meteoros brilhantes: integrando a rede SMART ou a “Spectroscopy of Meteoroids in the Atmosphere with Robotic Technologies” − e tendo como responsável do projeto o Dr. Jose M. Madiedo (PhD in Astrophysics and PhD in Chemistry − Associated Doctor, Astrophysics Institute of Andalusia/IAA-CSIC − Asteroids, comets & meteorites).

 

Segundo o site [syfy.com] com o objeto a ser “a bright, sodium-laced fireball” e segundo análise do principal investigador do projeto SMART [Jose Maria Madiedo/@jmmadiedo/twitter.com] “According to this analysis, a fragment with a mass of around 25 to 200 grams could have survived, falling into the sea as a meteorite. Tal como afirma JMM e caracterizando o fenómeno, tratando-se este meteoro (meteorito entrando na atmosfera terrestre, a grande velocidade) de uma “Slow fireball”, podendo as mesmas velocidades variarem entre pouco mais de 10Km/s e pouco mais de 70Km/h – logo sendo este exemplar uma bola-de-fogo movimentando-se “lentamente (20Km/s).

 

snapshot.jpg

Fig. 2

 

E com o meteoro atravessando a escuridão do Espaço (fig. 2) oriundo (assim aparentando visto da Terra e tendo o Espaço como pano de fundo) dos lados de Sextans (constelação localizada no equador celeste), mais à frente passando (apenas aparentemente) entre as constelações de Crater e de Hydra (com a constelação Leo nas proximidades), para de seguida e na realidade (e estando já muito perto de nós) continuar em direção à Terra, entrar na atmosfera e explodindo, desintegrando-se com alguns fragmentos podendo ter atingido o solo (uma bola-de-fogo “sodium-laced”/syfy.com).

 

(dados e imagens: syfy.com/meteornews.net)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:42

Na Quadra Natalícia − NORAD, KIM, PAI NATAL e UFO’S

Terça-feira, 31.12.19

[Podendo dar para sorrir, como um certo dia dará para chorar.]

 

Our NORAD satellites' infrared sensors let us “see”

the heat from missiles & the red glow from Rudolph’s nose!

That's how we track Santa Christmas Eve & do

our Homeland Defense mission every day!

(Norad Tracks Santa/@NoradSanta/twitter.com)

 

EMP67eQWsAAMgHc.jpg

Monitorizando as prendas do

PAI NATAL

 

Apesar de toda a atenção da NORAD agência responsável pela defesa do espaço aéreo EUA/CANADÁ – na “patrulha dos ares” da América do Norte como do Resto do Mundo − a pretexto do Havaí, de Guam ou da região do Pacífico – como todos sabem nos últimos tempos observando com extrema atenção e cuidado o percurso percorrido por potenciais “Agentes Vermelhos(servindo-se de pretextos idênticos – “oferta de prendas”  − para a sua intrusão)

 

Como Kim Jong-un prometendo uma prenda de Natal para os EUA

e o Pai Natal prometendo-a para Todo o Mundo

 

EMiGMoqXkAAbdjT.jpg

E no desenrolar do processo

Sujeitando-se ao Erro

 

Eis que surpreendentemente e na sequência de mais uma FAKE NEWS (sempre ao serviço dos interesses dos EUA, esta produzida no Japão) informando do lançamento de mais um míssil norte-coreano (reportagem da NHK/Japão) – inacreditavelmente escapando à NORAD − a mesma notícia é de seguida (meio) desmentida, afirmando tratar-se apenas de (a desculpa encontrada no manual de utilização de Fake News) mais um “Teste”: sabendo-se do clima de tensão que se vive atualmente naquela região do Globo Terrestre − Sul da Ásia, contando com a presença (territorial, extensa, maioritária) da CHINA/RÚSSIA (nem contando com a ÍNDIA) − com um Império em Decadência (liderado pelos EUA) pretendendo ingloriamente (sem estratégia, apenas com ameaças) manter-se (nem que seja sobrevivendo, através de patentes e direitos adquiridos) face ao novo Império em ascensão (CHINÊS) e a qualquer custo (mesmo o da sobrevivência dos seus cidadãos).

 

5e04dfb085f5400e154e7a7e.JPG

Monitorizando as prendas de

KIM JONG-UN

 

Atirando para trás das costas − e deixando para trás, talvez por insignificantes − outros casos devendo ser considerados prioritários e muito mais preocupantes − talvez por não terem em princípio origem local, podendo sugerir hierarquias (perigosas de aceitar, para o nível mais baixo) de armamento de níveis diferenciados (logo podendo ser mais poderosos) – como os dos objetos oriundos do Espaço Exterior (do Sistema Solar ou do seu exterior) e podendo estar em Rota de Colisão (senão secante ou tangente − tocando − passando próximo) com a Terra (asteroides/cometas): caso da BOLA de FOGO de 27 de Dezembro atravessando os céus noturnos de GUAM (território/ilha pertencendo aos EUA localizado na Micronésia (no oeste do oceano Pacífico).

 

snapshot.jpg

Podendo a origem das prendas ser

terrestre ou extraterrestre

 

Inopinadamente e sem aviso prévio (nem da NORAD) − e perante os olhos de muitas testemunhas e as óticas de várias câmaras − surgindo brilhante na escuridão de fundo, cintilando, explodindo e desintegrando-se (em diversos pontos incandescentes) e possivelmente com alguns dos seus fragmentos a atingirem o solo: não tendo provocado (que se saiba) vítimas ou danos materiais, mas deixando todos os aí residentes desde logo (e face a alertas subliminares e consecutivos, baseadas em Fake News) de sobreaviso, sobre um possível ataque da Coreia do Norte (do ditador comunista) utilizando um míssil nuclear. E podendo até ser um UFO (porque não e de origem terrestre ou extraterrestre) ou apenas (velha ou nova, público ou privada) Sucata Espacial.

 

[Para lermos na companhia de Baby Jesus e antes do início da imprevisível década dos 20 – por aí com (1º) a mudança de polaridade (magnética terrestre), (2º) a mudança de ciclo (do 24º para o 25º ciclo solar) e até (3º) a mudança de Império (com o centro passando de Washington para Pequim): a 1ª e a 2ª mudança concretizando-se (curiosamente) para leste.]

 

(imagens: HomelandDefense/twittrer.com – Malinmois Lover

@JuicyNewsonNazs/Twitter.com − RT/Reuters/KCNA − WE R Q/youtube.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:54

A Bola-de-Fogo de Florianópolis

Terça-feira, 26.03.19

[A 24 de Março pelas 18:40 locais.]

 

Segundo informação divulgada pela American Meteor Society (sediada na cidade de Geneseo/região de Nova Iorque) um objeto identificado

 

– Uma Bola-de-Fogo

(na parte superior-direita da imagem)

 

snapshot BF.jpg

Um objeto extraterrestre

(talvez um sinal divino, positivo ou negativo)

Explodindo sobre o Brasil agora de Jair Bolsonaro

(o TRUMP SUL-AMERICANO)

 

Entrando na atmosfera terrestre (no passado dia 24 de Março) e atravessando (pelo final do dia) os céus sobre a cidade brasileira de Florianópolis (capital do estado de Santa Catarina/sudeste do Brasil)

 

– Essencialmente sendo uma ilha localizada no ocidente do Atlântico Sul

 

Acabou na sua passagem por explodir, desintegrando-se e desaparecendo de imediato (sendo visível pouco mais de 7 segundos, antes de explodir/desaparecer). Com a AMS a receber no dia seguinte (25.03) vários relatos sobre o acontecimento, testemunhado por várias pessoas residindo no estado de Santa Catarina e no estado vizinho de Rio Grande (localizado mais a sul e fazendo fronteira com o Uruguai).

 

(imagem: AMS/amsmeteors.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:52

Bola de Fogo Explode

Quinta-feira, 21.12.17

Sobre os céus de Sochi na Rússia

 

“Tal como com os EUA e com os UK (dos países com mais relatos) com a Rússia igualmente ao alcance das Bolas de Fogo (oriundas do exterior do nosso Ecossistema).”

 

Numa clara demonstração oriunda do Espaço Exterior do que poderá significar um simples ponto de terra vagueando pelo Universo (uma insignificância praticamente indetetável), um pequeno objeto circulando no nosso Sistema (Solar) e tendo como sua referência a nossa estrela o Sol (aproximando-se, atingindo o seu periélio e afastando-se), entrou no passado dia 15 de Dezembro durante o período noturno na atmosfera terrestre (parte da Terra na altura não iluminada), explodindo, desintegrando-se e acabando por desaparecer sobre a região russa de SOCHI. Entre as várias hipóteses sendo claramente natural (nada de artificial, muito de habitual) e sem dúvida originado no interior do Sistema (Solar).

 

11a.jpg

1

A Bola de Fogo entrando na atmosfera terrestre

 

Um meteoro brilhante atravessando os céus da Rússia e com a dimensão aproximada de uma bola de futebol (norte-americana ou europeia) explodindo e desintegrando-se ao entrar na atmosfera a uma altitude de cerca de 20.000 metros. Pela altura do ano em que este fenómeno ocorreu estando certamente associado à Chuva de Estrelas GEMINID, este ano com o seu pico (máximo) a ser registado nestes dias de meados de Dezembro. Na imagem anterior (1) com o meteoro a introduzir-se na atmosfera terrestre, entrando de imediato em combustão (devido à fortíssima fricção) e emitindo um forte brilho. Explodindo e fragmentando-se como nos mostra a imagem seguinte (2).

 

11b.jpg

2

E desaparecendo depois de explodir e desintegrar-se

 

Com todo este episódio envolvendo mais um objeto celeste vindo do Espaço profundo (provavelmente um fragmento de um cometa/asteroide) e um dia tendo na sua rota (talvez como estação, talvez como apeadeiro) o planeta Terra, pela sua dimensão e irrelevância (como se fosse apenas mais uma das nossas Estrelas Cadentes de Verão) a ser desvalorizado pelas autoridades russas (não existindo impacto) e a nem ser sequer submetido ao IMO (Organização Internacional de Meteoros). E como THE WATCHERS também refere, suscitando desde logo especulações na Web com a chegada (inevitável) dos Teóricos da Conspiraçãosendo apenas mais uma comum Bola de Fogo/Estrela Cadente.

 

(dados: The Watchers ‒ imagens: Информационное агентство "Волгоград News"/youtube.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:38

Bola de Fogo

Sábado, 03.06.17

"It appears a very bright meteor/fireball, lasting few seconds has been spotted from Nottingham to Guernsey and as far as French Lorient and Rennes."

(UKMON)

 

snapshot xxx.jpg

 

No passado dia 1 de Junho o Canal da Mancha foi mais uma vez testemunho da entrada de mais uma Bola de Fogo na atmosfera terrestre: deslocando-se sobre o canal que separa a Grã-Bretanha da Europa o objeto foi inicialmente observado na Inglaterra (posteriormente no norte de França) tendo o seu brilho perdurado por alguns segundos.

 

Uma observação realizada já a noite (e a gente) se instalara e com muitos dos curiosos que diariamente observam o céu vislumbrando os seus limites e tentando descobrir os seus mistérios, tendo previamente registado a ISS (na sua projetada passagem) e repentinamente sendo confrontados com um outro objeto, materializando-se entre a escuridão, brilhando intensamente e subitamente desaparecendo.

 

(imagem: watchers.news)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:55

Bola de Fogo

Quarta-feira, 12.04.17

A Bola de Fogo é um corpo oriundo do Espaço que pode ser definido como estando entre um Meteoro e um Meteorito: brilhantes como um meteoro (ao entrar na atmosfera) e podendo atingir na sua queda o solo (e se tal acontecer em fragmentos insignificantes e não preocupantes como os dos meteoritos, de maior dimensão).

 

snapshot n.jpg

1

Bola de Fogo atravessando os céus noturnos de San Diego

(imagem: Dave Kodama)

 

Ontem (segunda-feira, 10) por volta das oito da noite (em Portugal) os céus da Califórnia foram atravessados por mais uma brilhante Bola de Fogo iluminando por breves segundos os céus da cidade de San Diego (por volta das 4 da madrugada locais desta terça-feira, 11). Num acontecimento com cerca de três centenas de testemunhas, com as mesmas nas suas primeiras declarações a mencionarem a sua cor verde e brilhante, com algumas delas a mencionarem a sua fragmentação e ainda com outras a afirmarem terem ouvido um som associado ao fenómeno aquando da entrada e explosão da bola de fogo ao atravessar a atmosfera terrestre (segundo dados de watchers.news).

 

snapshot.jpg

2

Apanhada de surpresa pelo aparecimento repentino da Bola de Fogo

(imagem: Faye Heddings)

 

Com a Bola de Fogo deslocando-se de este para oeste a ser visível também em Los Angeles, assim como nos estados do Nevada, Arizona e Novo México. E como se vê pelo seu brilho e som emitido apanhando muita gente de surpresa e provavelmente assustando-as (momentaneamente Já que a duração do fenómeno se limitou a poucos segundos), mas sendo certamente para os que os testemunharam um Evento que alguns de nós já testemunharam mas outros raramente viram ou no mínimo se interessaram (como será o caso das Estrelas Cadentes por cá comuns de se verem no Verão). Neste caso uma Bola de Fogo bem brilhante (1) e que até assustou pela surpresa (2).

 

(imagens: watchers.news)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:43

Bola-de-Fogo

Quarta-feira, 18.05.16

Durante os próximos tempos o calendário das Bolas-de-Fogo terá como protagonistas:

ETA AQUARIIDS (19Abril/26Maio) e DELTA AQUARIIDS (11Julho/10Agosto).

 

A American Meteor Society acaba de noticiar o avistamento de mais uma Bola de Fogo atravessando os céus do nordeste dos EUA: o fenómeno ocorreu um pouco antes da uma hora da madrugada do dia 17 (04:50 de Lisboa), tendo sido observado por diversas testemunhas desde o norte dos EUA (em estados como New Hampshire e Pensilvânia) até ao sul do Canadá (em províncias como Ontário e Québec).

 

featured2.jpg

Grande Bola de Fogo nos céus dos EUA

 

Segundo testemunhas o incidente surpreendeu-os não só pelo imprevisto como pelo seu impacto visual:

 

Flash of light drew attention, large ball of fire that appeared to burn up just above treeline. Absolutely amazing!!”

(Jennifer M. – Concoert, NH)

 

“The giant ball of fire was (seamed) extremely close going down below the treed horizon. I waited a minute because I thought I’ll see fire erupting beyond the end of the lake but nothing…”

(Julian K – Ontario, Canada)

 

“There was a 3-5 min delay from the time I saw it to the boom I heard and felt , very loud and shook the home , unlike anything I have ever experienced before.

(Craig C. – Canton, ME)

 

Bolas de Fogo que diariamente entram em rota de colisão com o nosso planeta, acabando por entrar na nossa atmosfera e na esmagadora maioria dos casos, explodindo e desintegrando-se. O que não significa que em determinados desses incidentes alguns não possam ter graves consequências (dependendo da sua posição de entrada na atmosfera, da sua composição, dimensão e velocidade).

 

Como no caso do incidente ocorrido na região russa de Chelyabinsk, onde no dia 15.02.2013 um meteorito com menos de 20 metros de dimensão e cerca de 10000 toneladas de massa, explodiu nos céus com uma potência muitas vezes maior ao da bomba de Hiroshima, provocando alguma destruição e mais de 1000 feridos (unicamente provocados pela onda de choque que se seguiu à explosão).

 

[Para aqueles que acreditam que um outro planeta (ou sistema – para já para lá de Plutão) se encontra a caminho ou já no interior do nosso Sistema Solar – para estes o Planeta X e para os outros o Nono Planeta (mas com outras implicações) – mais um indício de que o mesmo está cada vez mais próximo, do outro lado do Sol e libertando no seu caminho muitos poeiras e detritos, também responsáveis por estes fenómenos tipo bola de fogo.]

 

(texto/itálico e imagem: amsmeteors.org e portsmouthwebcam.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:09