Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

25
Ago 15

(Dólares + Impressoras)

 

Uma Nação que para muitos adotou uma política económica e financeira suicida, mas que apesar do crescimento exponencial do seu défice (brutal), continua muito tranquilamente a percorrer o seu caminho já há muito projetado (para muitos irresponsável) e assente unicamente no poder da sua moeda o dólar. Nunca esquecendo (por ser o centro da questão) a sua capacidade ilimitada de imprimir dinheiro (que como toda a gente sabe compra armas e até pessoas).

 

WORLDWIDE FREEFALL

 

r-DOW-JONES-huge.jpg

 

DOW DOWN 3.6%... S&P -3.9%... NASDAQ -3.8%... CHINA DOWN 8.5%... China's 'Black Monday' Spreads Stock Market Fears... Dow Drops 1,000 In Minutes... Rebounds... Sinks At Closing... 'Global Whiplash'...

 

Uma Nação decidida a manter a sua supremacia financeira e militar a nível global (economicamente já ultrapassada pela China), mesmo que as consequências (extremas) sejam não só externas como também internas:

 

Global Stock Market Lost Nearly $10 Trillion Since June 3...

 

Uma Nação com intenções claras de manter essa supremacia global e que nos últimos tempos “colocou os seus mercados bolsistas em queda, afugentou investidores seus para a Europa, fez descer o preço do petróleo para menos de metade, colocou toda a população assustada com uma nova e mais profunda recessão, fez desaparecer todos os lucros bolsistas obtidos este ano na China e fez descer mais uma vez as bolsas em toda a Europa”. (segundo Popper/Gough/ NYTimes).

 

(imagem – huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:50
tags: , ,

06
Jul 15

“Entre 14 de Setembro e 14 de Outubro deste ano, realizar-se-ão as Eleições Legislativas Portuguesas.”

 

Como consequência da extraordinária política económica e financeira levada a cabo nos últimos anos pelos proeminentes, intocáveis e pelos vistos também eternos especialistas da Comunidade Económica Europeia (pelo que ouço são sempre filhos das mesmas famílias), agora certamente reforçada nas suas expectativas de evolução futura (e de sucesso) pelo diálogo tão profundo e tão profícuo existente entre as duas partes em conflito (duas partes que fazem parte da mesma parte), o futuro da EUROPA parece agora cada vez mais risonho: o NÃO na Grécia ganhou, VAROUFAKIS demitiu-se, o SYRISA substitui-o por um moderado (que segundo notícias que agora circulam, teria assinado o último acordo colocado sobre a mesa), TSIPRAS pediu renegociações, o FMI disse não, o EUROGRUPO ainda pensa e todos os outros estão à espera (principalmente os protectorados como Portugal).

 

roleta.jpgPSI20edificio_pagina.jpgroleta b.jpg

 

Mas como no espaço real onde hoje sobrevivemos “tempo é dinheiro” (e o homem um objecto desvalorizado), a bolsa não pára e a roleta continua incessantemente a girar: batendo mais uma vez no fundo as praças europeias caíram de novo no lamaçal criado logo na origem por políticos ultra liberais extremamente ambiciosos (e sempre espreitando a sua oportunidade) e que não olham a meios para manter o seu poder e o das Corporações que representam – provocando mais uma queda nas já tão desgastadas Bolsas Europeias (enterrando assim um pouco mais o EURO), tão de interesse do DÓLAR e do agrado dos Estados Unidos da América. E se nos devemos preocupar bastante com mais um dia negro registado na Bolsa de Lisboa (desvalorização do PSI20 em 3,8%), as outras bolsas europeias também se ressentiram do Evento Grego de Domingo: Milão (4,0%), Paris (2,0%), Frankfurt (1,5%).

 

Só nos resta esperar.

 

Mas não se iludam: com o caminho que toda a EUROPA está a levar, mais uma vez nada se fará e de uma forma ou de outro tudo continuará na mesma – para nossa aparente (como sempre) tranquilidade e extrema felicidade (pois aí reside, a nossa e última esperança).

 

Extra
(história verídica)

 

[Em telefonema realizado há poucos minutos tendo como interlocutor um português residente na Alemanha (e vivendo com uma cidadã desse país), constatei em primeira-mão a opinião extremamente negativa (veiculada em catadupa pelos órgãos de comunicação social) que os alemães têm da Grécia, de Tsipras e dos gregos em geral (chulos, gatunos, malandros e outro tipo de insultos similares). Ao questioná-lo sobre o perigo de Portugal poder vir a ser a próxima Grécia, o mesmo afirmou (com toda a tranquilidade que a informação da RTP Internacional lhe transmitia), que o nosso país estaria protegido por uma boa almofada (depreendo que financeira)]

 

(imagens – WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:36

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO