Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

26
Fev 15

As Duas Manchas Brilhantes Observadas sobre a Superfície de Ceres
(planeta anão neste momento localizado a cerca de 500.000.000Km da Terra)

 

“One possible destination for human colonisation given its abundance of ice, water, and minerals.” (space-facts.com)

 

PIA17650_460x270.jpg

A sonda espacial Dawn a caminho do planeta anão Ceres
(ilustração)

 

Cada vez mais próxima do planeta anão CERES a sonda DAWN acaba de nos enviar uma nova imagem deste corpo celeste, fazendo parte da Cintura de Asteróides – e orbitando numa região situada entre as órbitas de Marte e de Júpiter. No dia 6 de Março a sonda enviada pela NASA entrará finalmente em órbita deste mini planeta (após ser capturada pela sua força de gravidade), estando neste preciso momento a cerca de 40.000Km de distância. Além do seu sistema de propulsão habitual a sonda contará assim (e ainda), na prossecução da sua viagem pelas profundezas do espaço, com a ajuda da gravidade de Ceres: tal como já terá feito noutras ocasiões com outros objectos ultrapassados.

 

20150225_Full-approach.jpg

Trajectória de aproximação da sonda Dawn à órbita de Ceres
(a executar entre os dias 1 e 7 de Março)

 

Depois de já ter visitado o outro dos dois maiores corpos celestes pertencentes à Cintura de Asteróides (VESTA com mais de 500Km de diâmetro), a sonda norte-americana Dawn tem agora Ceres como novo objectivo: outro corpo maciço e com o dobro do diâmetro do asteróide gigante. Os dois corpos celestes pertencem a um grupo restrito de objectos a serem estudados e analisados atentamente pelos cientistas e investigadores que acompanham estas missões a regiões distantes do nosso Sistema Solar, não só por serem mundos com grandes probabilidades de aí se encontrar água (gelada e cobrindo partes da sua superfície), como também de aí poderem ser descobertas formas ainda que primitivas de vida.

 

PIA19185_700.jpg

Ceres como visto a partir da sonda Dawn
(em 19 de Fevereiro quando esta se encontrava a 46.000Km de distância do planeta)

 

Na sua fase final de aproximação ao planeta anão Ceres, as imagens que as câmaras da sonda Dawn têm vindo ultimamente a enviar para a Terra, têm intrigado cada vez mais os cientistas responsáveis pela missão: agora são bem visíveis duas manchas bastante brilhantes localizadas na base da mesma cratera, precisamente no mesmo local onde anteriormente apenas uma era visível (a mancha maior à esquerda). A explicação mais lógica para a compreensão deste fenómeno poderá assentar na ocorrência de fenómenos de origem vulcânica de causa desconhecida (a geologia de Ceres é ainda uma incógnita). E com a sonda a entrar definitivamente em órbita de Ceres, as suas condições de observação irão melhorar consideravelmente, atingindo a mesma a sua primeira órbita ao planeta numa trajectória circular (deslocando-se de pólo a pólo): no seu ponto mais privilegiado a 13.500Km da superfície de Ceres. Aí se verá a origem destas manchas brilhantes (e de outras), a possibilidade de existência de água (e até de atmosfera) e porque não, de outra coisa qualquer.

 

(imagens – NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:11

Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

15

22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

As Luzes de Ceres

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO