Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

15
Nov 18

 

California

(15.11.2018)

The blaze has killed at least 56 people and authorities say 130 are unaccounted for.

Many of the missing are elderly and from Magalia, a forested town of about 11,000 to the north of Paradise.

 

Uma ilustração e cinco imagens do mais destrutivo e mortal incêndio, registado na história do estado da Califórnia.

 

california_tmo_2018313.jpg

Califórnia

9 Novembro (sexta-feira)

(earthobservatory.nasa.gov)

 

The combination of strong winds, low humidity and warm conditions in northern California exacerbated the extent to which the Camp Fire spread.

(Trevor Nace/forbes.com)

 

Segundo The Watchers com o grande incêndio de CAMP FIRE iniciado a 8 de Novembro, tendo já provocado mais de 40 vítimas mortais, originado dezenas de desaparecidos e destruído mais de 6000 casas.

 

California is particularly vulnerable to wildfires due to the dry conditions and the presence of Santa Ana winds.

(Trevor Nace/forbes.com)

 

DrmhnlGUcAA6mIy.jpg

Woolsey

9 Novembro (sexta-feira)

(twitter.com/@BeberlyRising)

 

Num Evento certamente despoletado – como tal de origem Artificial – devido a intervenção Humana, talvez como consequência das Alterações Climáticas, do Desenvolvimento ou da falta de controlo e de Manutenção das Florestas (como o sugere wburg.org).

 

How did these wildfires grow so explosively? It began with scant rainfall and abnormally warm temperatures which parched the landscape and created tinderbox conditions. Then came howling winds that fanned the flames, once the fires were sparked. And, in an environment of rising temperatures, climate change increased their potential intensity.

(M. Cappucci e J. Samenow/washingtonpost.com)

 

Drn3pNkU4AA0uEG.jpg

Malibu

9 Novembro (sexta-feira)

(twitter.com/@un1crom)

 

“By Sunday night, the Camp Fire had matched the deadliest in California history, the Griffith Park Fire of 1933, with 29 fatalities. Seven of the victims in Paradise died in their vehicles.” (The New York Times)

 

DrmL1o0U0AIM8Zf.jpg

Camp Fire

9 Novembro (sexta-feira)

(twitter.com/@Bitsie Tullocn)

 

Thousands of animals displaced as fires tear through communities: “It’s hard to wrap your head around what a disaster this is — for people and animals". Animal lovers across California have banded together in frantic efforts to save thousands of their four-legged loved ones threatened by wildfires raging across the state.

(nbcnews.com)

 

181112-woolsey-fire-al-0910_8de0ed48181eefdaade300

Woolsey

9 Novembro (sexta-feira)

(nbcnews.com/Getty Images)

 

E no meio desta Catástrofe atingindo todo o mundo – irracionais e racionais, como pobres e ricos e sem uma única exceção – sendo relevante de interiorizar que tal como em Portugal com os seus Incêndios Florestais (provocando elevados danos materiais e um grande número de vítimas mortais) tal fenómeno não pode ser reportado unicamente e em termos gerais às Alterações Climáticas (e ao Aquecimento Global), mas sobretudo ao abandono (à sua sorte) dos Espaços Rurais e ao descontrolo total do desenvolvimento e manutenção desta enorme Zona Verde (essencialmente ocupada por floresta e habitações mais ou menos dispersas).

Drjwa8DWoAALIR5.jpg

 

Camp Fire

9 Novembro (sexta-feira)

(twitter.com/@RealDudeRobot)

 

No caso do estado da Califórnia com os seus mais de 130.00Km² de florestas a serem em 60% propriedade do próprio estado (estando sob controlo federal), não se observando nenhuma ação por parte deste para diminuir as causas (e logicamente as consequências) da proliferação descontrolada e crescente de incêndios, sabendo-se de antemão continuarmos a atravessar um período deveras prolongado de seca, sem chuva e com temperaturas ainda elevadas (para este período do Outono no Hemisfério Norte), proporcionando todo o Ambiente e Condições necessário para o despoletar doutras situações semelhantes.

 

(texto/inglês/itálico – o indicado)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:05

07
Set 18

“California dreaming. One of my favourite orbits is down along the West Coast of USA, from Alaska to the Andes. We fly this route once a day.”

(astronauta alemão a bordo da ISS, Alexander Gerst/@Astro_Alex)

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3OS

Um estado castigado por uma seca intensa e prolongada,

periodicamente vítima de grandes incêndios

e situado num território sismologicamente bastante ativo

 

Imagem obtida na passada quarta-feira (5 de Setembro) a partir da Estação Espacial Internacional/ISS (orbitando a Terra a cerca de 400Km de altitude) apresentando-nos o Golfo da Califórnia paredes-meias com o deserto da Baixa Califórnia (EUA).

 

(imagem: a partir de space.com/ISS)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:14

09
Ago 18

[Califórnia – EUA – 2018]

 

Smoke from California wildfires now covers three quarters of the state

(cbs.news/08.08.2018)

 

mediadc.brightspotcdn.com.jpg

Uma imagem do avião a jacto Boeing A 747 utilizado nos EUA

Para o combate do grande incêndio ainda em curso no estado da Califórnia

Aqui registado no passado dia 2 de Agosto sobrevoando a cidade de Lakeport

(imagem: Kent Porter /The Press Democrat/AP)

 

california-wildfires-today-180801-main-art-02_e4f4

Com o incêndio a atravessar a 31 de Julho a localidade de Lakeport

Atingindo com a sua violência infernal todos as construções à sua passagem

Como aqui registado em Dessie Drive

(imagem: Noah Berger/AP/today.com)

 

Dada a grandeza do incêndio em curso no estado da Califórnia (para esta região o maior da sua história) com os especialistas oficiais a preverem o seu fim (antes em meados de Agosto) nunca antes do mês de Setembro (ou não fosse a sua área já comparável à de Los Angeles).

 

california-wildfires-today-180801-inline_e4f49e443

Como em todos os incêndios e no caso das suas vítimas diretas

Para além de toda a destruição urbana/de toda a destruição rural

Contabilizando-se sempre os animais desde que sendo racionais (daí a fuga da ave)

(imagem: Noah Berger/AP/today.com)

 

2018-08-06_wor_43057870_I1.JPG

Tal como cá tentando salvar a sua habitação situada perto de Clearlake Oaks

Com as altas temperaturas e fortes ventos registados

Originando o maior incêndio florestal na história do norte da Califórnia

(imagem: independent.ie/Getty Image)

 

E segundo o seu Governador com estas condições de calor (extremo) conjugadas com os fogos florestais (catastróficos) talvez nunca tendo ocorrido desde há uns 10.000 anos (segundo ele quando a nossa Civilização emergiu).

 

Controlled-burn-California-wildfires-Getty-640x479

Face à violência do incêndio ao tempo extremamente seco e à ação de ventos fortes

E agora segundo Donald Trunp graças a más leis ambientais (o que até é verdade)

Pouco mais havendo a fazer senão aguardar rezar se necessário fugir

(imagem: Mark Ralston / AFP / Getty/ breitbart.com)

 

Num grande incêndio despoletado num terreno coberto e pejado – de milhões e milhões de árvores – muitas delas velhas e carcomidas e muitas outras mortas e apodrecidas (um pouco como por cá), numa enorme carga (de combustível), explosiva e pronta a ser consumida, avançando sob ordens por vezes díspares (cruéis) e emanadas do vento.

 

Um incêndio iniciado há mais de quinze dias (a caminho do fim de Julho) a mais de 360Km a norte da cidade de São Francisco, integrando cerca de uma dezena de fogos originados em diferentes locais (apesar de vizinhos) numa área (total) aproximada à de Los Angeles – sendo um dos maiores o registado no complexo de Mendocino (norte da Califórnia) – até ao momento tendo provocado 11 vítimas mortais (mínimo), umas 40.000 pessoas deslocadas, certamente mais de um milhar de casas destruídas (um número sempre em evolução) e umas centenas de milhares de acres de terra queimados (300.000 ou mais). E segundo as previsões (como maior incêndio de sempre nesta região da Califórnia registado) dada a dimensão do incêndio, o calor intenso sentido e a seca extrema que o território atravessa, podendo-se assistir a uma grande catástrofe ambiental (com tudo queimado incluindo a floresta e umas possíveis 10.000 habitações) e simultaneamente social (ou não vivessem lá pessoas e outros animais formando um ecossistema agora destruído). Não se podendo afirmar (para já) ser mais uma obra dos Russos (intermediando mais uma ação, de objetiva ingerência de Putin) mas convindo desde já recordar a grande poluição, advindo da grande libertação de dióxido de carbono.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:33

25
Dez 17

Não era um UFO, não era o Pai Natal, era apenas Elon Musk

 

Três dias antes do Pai Natal entrar em cena (dia 25) alguém se intrometeu (dia 22) tentando ser protagonista (e ofuscando o papel do Pai, das renas e do Trenó) ‒ e no Céu surgindo o espetáculo que não o do Pai Natal.

 

DRsu9kAUIAAFtVu.jpg

 

No passado dia 22 de Dezembro de 2017 (sexta-feira, início do fim-de-semana natalício) a população da Califórnia (EUA) na altura atenta ao que se passava no Céu noturno do seu estado, pode de uma forma inesperada (ainda bem pela surpresa) usufruir de um espetáculo estranho (se não bizarro) e deveras fascinante (por nunca visto pela maioria), assistindo durante um certo intervalo de tempo (largos minutos) à evolução de um objeto brilhante projetado sobre a escuridão e apresentando (para seu espanto) uma forma, dimensão e textura desconhecida. E dado o elevado número de testemunhas observando o estranho fenómeno (como o referenciado por um residente da cidade do Lago Havasu no Arizona registado na imagem 1) com muitas delas a reportarem às autoridades (de imediato) o facto ocorrido.

 

MTUxNDEyMjgwMg==.jpg

 

Como não poderia deixar de ser (tudo o que vemos tem que ter uma explicação) com o fenómeno ocorrido e à falta de melhor sugestão (natural ou artificial) a ser inicialmente integrado nos Casos Inexplicáveis (até para dar mais suspense e assim convidar à investigação), surgindo desde logo a hipótese Extraterrestre (da existência de ET´S) e a possibilidade de estarmos na realidade a observar a movimentação de mais um possível UFO (ou OVNI). E com várias testemunhas deixando-nos as suas interpretações do que viram, sentiram e pensaram (um pouco por toda a Califórnia) ‒ no fundo e sem o saberem descrevendo um fenómeno com uma fácil explicação (e na realidade de Iniciativa de um ser vivo e inteligente): mas sendo de origem terrestre e tendo o Homem no comando.

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3Mi

 

“Riding in car and noticed an object leaving contrails. Suddenly contrails widened and then a spiraling object shot out a white circular light. There were 2 bright lights in sky and one object aimed a bright light at the other bright object. Contrail became a huge white cloud formed and remained visible for a long time and didn't move for a while.”

(MUFON Case)

 

“Wife called me outside, I saw the tail end of bright white-lighted object moving quickly in a southern direction leaving a clouded trail that seemed to glow white. Sun was down and moon not very bright at time of sighting.”

(MUFON Case)

 

“I was in my home when family called and told me to go outside. It was extremely well lit. I thought it was a meteor, but it was too well lit and had a large tail. It had a slightly curved path with a smaller object launching off.”

(MUFON Case)

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3Mi

 

Na realidade com os Californianos (de noite, sem aviso e logo sendo apanhados de surpresa) a observarem o lançamento de mais uma das naves espaciais de Elon Musk (a Space X) a partir da base da Força Aérea Norte-Americana instalada em Vandenberg e provavelmente dirigindo-se para a ISS (Estação Espacial Internacional) a uns 400Km de altitude (ou numa outra missão para a colocação de satélites). No início de mais um fim-de-semana neste caso sendo especial pois antecedendo a vinda do Pai Natal (com toda a gente a preparar-se para a passagem para 25 e para a chegada da prenda) ‒ numa época do ano convidando-nos a um regresso à nossa infância, à nossa ingenuidade e à magia de viver sem limites ou impossíveis ‒ aparecendo no Céu um objeto sem dúvida espetacular (que não a Estrela de Belém) mas despertando receio (medo) pela possível presença de algo estranho, aí circulando indevidamente (que não o Pai Natal).

 

aHR0cDovL3d3dy5zcGFjZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMDAwLzA3Mi

 

Em 22 de Dezembro (trinta minutos depois do pôr-do-sol) com um Falcon 9 lançado pela Space X da base de Vanderberg na Califórnia (localizada a norte da cidade de Los Angeles) e carregando dez satélites de comunicação (Iridium Next) para serem colocados em órbita da Terra, na sua trajetória de subida em direção ao seu objetivo deixando atrás de si um rasto de plumas luminosas (com um aspeto pelos vistos não muito usual) e como consequência desse fenómeno (atmosférico) fazendo alguns acreditar (dos observadores/testemunhas) de que poderiam estar presente de um facto verdadeiramente insólito ‒ ou então de mais um UFO. E no entanto sendo apenas mais uma missão (não do Pai Natal, das suas renas e do seu trenó), da nave espacial de Elon Musk (e como que um seu Postal de Natal).

 

 

(imagens: Mehmet Akcin‏ @mhmtkcn, Erica Kelly Martin, space.com, Hany Girgis, Instagram: never_unpacking e Jennifer Garrison)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:15

03
Nov 17

Mesmo com a Verdade a andar por aí e depois de destruírem o Pinhal de Leiria (morte à Republica e à Monarquia), ainda há aqueles que dizem usar lentes e que mesmo assim não acreditam (certamente porque lhes pagam bem e não só para isso).

 

october-northern-california-wildfires-insured-loss

Consequências dos fogos de Outubro no estado da Califórnia

 

Para quem ainda pensa que só mesmo num país do Terceiro Mundo ou numa Republica das Bananas é que podem ocorrer situações trágicas como as de Pedrógão Grande (a 17 de Junho) e na zona centro de Portugal (a 15 de Outubro) ‒ que como nós todos sabemos provocou pelo menos 110 mortos (65+45), mais de 320 feridos (alguns graves), acima de 100.000ha de área ardida (incluindo 80% do Pinhal de Leiria) e centenas de casas danificadas /destruídas (só no incêndio de Pedrógão andando pelas 500) ‒ basta atravessar o oceano Atlântico sem necessidade de olhar para o lado (à procura do tal país de nível três ou rico em bananeiras) e seguindo bem em frente (sem dúvidas ou recuos), acreditando no olhar (direto) e nunca no que alguns dizem (indireto), encarar a realidade, verificar a verdade seja aqui seja na América (na Rússia, na China ou no Irão): com os incêndios que nos últimos tempos têm vindo a assolar os EUA e o estado da Califórnia (durante o mês de Outubro), de momento (no dia 2 de Novembro) a terem danificado/destruído quase 15.000 casas, provocado mais de 40 mortos e causado um prejuízo estimado em mais de 3 biliões de dólares. Confirmando-se que desde um país considerado como um dos mais atrasados do Mundo (por exemplo Portugal, num outro tempo qualquer que não o de hoje, de forma a não ferir suscetibilidades), até a um outro atribuindo-se-lhe o estatuto do mais Poderoso (Dinheiro/Armas/Tecnologia) e como tal o mais Avançado (como ainda o são hoje os EUA), sendo a sua base a mesma (político-ideológica, de esquerda ou de direita, de estado ou privada) e obedecendo ao mesmo tipo de estrutura (Piramidal, com uns poucos em cima e biliões por baixo ‒ quando a forma Perfeita é a da Esfera), as consequências serão sempre as mesmas e invariavelmente trágicas e mortais. Mostrando-nos até que ponto um Estado abandona completamente à sua sorte a vida dos seus cidadãos, só pensando exclusivamente no lucro (privatizando e ganhando dinheiro com tudo e com todos) e não no bem-estar das pessoas (que diz representar) descurando obrigações e a salvaguarda da Vida (o Bem Essencial do Homem). E a existirem Serviços (mesmo que essenciais) só mesmo sendo Privados (muitos sendo uma miséria) e como tal sendo (bem) pagos e inacessíveis a muitos (queres=pagas): num país como os EUA com o caso dos incêndios a não ser um caso virgem (na ineficácia total no combate, na prevenção e na segurança ‒ e deixando apenas tudo arder), bastando lembrar-nos do Katrina (o furacão), da cidade de Nova Orleães (a mais atingida na população negra), das inundações e dos cadáveres a boiar (que não e apenas de animais irracionais) e com Washington lá ao longe com os olhos de Bush a olhar (como um Presidente sem pestanejar).

 

(imagem: watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:41

12
Abr 17

A Bola de Fogo é um corpo oriundo do Espaço que pode ser definido como estando entre um Meteoro e um Meteorito: brilhantes como um meteoro (ao entrar na atmosfera) e podendo atingir na sua queda o solo (e se tal acontecer em fragmentos insignificantes e não preocupantes como os dos meteoritos, de maior dimensão).

 

snapshot n.jpg

1

Bola de Fogo atravessando os céus noturnos de San Diego

(imagem: Dave Kodama)

 

Ontem (segunda-feira, 10) por volta das oito da noite (em Portugal) os céus da Califórnia foram atravessados por mais uma brilhante Bola de Fogo iluminando por breves segundos os céus da cidade de San Diego (por volta das 4 da madrugada locais desta terça-feira, 11). Num acontecimento com cerca de três centenas de testemunhas, com as mesmas nas suas primeiras declarações a mencionarem a sua cor verde e brilhante, com algumas delas a mencionarem a sua fragmentação e ainda com outras a afirmarem terem ouvido um som associado ao fenómeno aquando da entrada e explosão da bola de fogo ao atravessar a atmosfera terrestre (segundo dados de watchers.news).

 

snapshot.jpg

2

Apanhada de surpresa pelo aparecimento repentino da Bola de Fogo

(imagem: Faye Heddings)

 

Com a Bola de Fogo deslocando-se de este para oeste a ser visível também em Los Angeles, assim como nos estados do Nevada, Arizona e Novo México. E como se vê pelo seu brilho e som emitido apanhando muita gente de surpresa e provavelmente assustando-as (momentaneamente Já que a duração do fenómeno se limitou a poucos segundos), mas sendo certamente para os que os testemunharam um Evento que alguns de nós já testemunharam mas outros raramente viram ou no mínimo se interessaram (como será o caso das Estrelas Cadentes por cá comuns de se verem no Verão). Neste caso uma Bola de Fogo bem brilhante (1) e que até assustou pela surpresa (2).

 

(imagens: watchers.news)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:43

07
Mar 17

Tudo se passou em Fevereiro no lago Oroville localizado nos EUA (estado da Califórnia).

 

"This is not a drill. This is not a drill. Repeat, this is not a drill."

(National Weather Service)

 

A.jpg

Barragem de Oroville em risco de colapso

E inundando todas as áreas situadas a níveis inferiores (12 Fevereiro 2017)

(imagem: Sting Flight/youtube.com)

 

Thousands evacuated as California dam threatens to break

 

Almost 200,000 people from several California towns have been ordered to evacuate late Sunday, February 12, due to fears of a dam failure. A hole was discovered at the emergency spillway of Oroville Dam, located in northern California, leading authorities to open up an auxiliary spillway to alleviate pressure on the 50-year-old dam. However, the increasing amount of water in the dam is threatening to flood downstream areas. The 770-foot dam itself was not in danger of collapse, but the emergency spillway was causing major concern due to erosion damage on its concrete top. "Immediate evacuation" of areas downstream from the Oroville Dam has been ordered by the Butte County Sheriff's office on Sunday. On Monday the danger had subsided for the moment as water levels at the dam, 120 kilometers north of Sacramento, had eased. But people were still being told to stay away. (rappler.com)

 

1.jpg 2.jpg

Escoadouro da barragem do lago Oroville

Já danificado e na altura com um caudal aproximado de 1000m³/s (7 Fevereiro 2017)

Com um volume de caudal superior a 1500m³/s (11 Fevereiro 2017)

 

Todos nós ainda nos recordamos de como no início do mês de Fevereiro e na sequência de chuvas intensas e persistentes verificadas no estado norte-americano da Califórnia, uma das suas barragens instalada nas margens do lago Oroville correu o sério risco de (a qualquer momento) poder colapsar: tudo porque o seu escoadouro cujo funcionamento é importantíssimo em situações de emergência como esta (em que a barragem estava no seu limite máximo de armazenamento) cedeu face à pressão exercida pelas toneladas de água que lá circulavam – com os seus alicerces a nunca serem devidamente consolidados depois de anos contínuos de seca extrema, com a observação do enfraquecimento progressivo e alarmante dos terrenos de suporte sem ninguém se incomodar e sem nada se fazer e até com a ausência de prevenção para a possível, mais que previsível e até previamente anunciada e confirmada, época das chuvas.

3.jpg 4.jpg

Escoadouro da barragem de Oroville

Ainda com o mesmo danificado e escoando água do seu reservatório (13 Fevereiro 2017)

Com uma visão global da estrutura a partir da ISS (22 Fevereiro 2017)

 

Um incidente claramente evitável e que certamente não terá nenhuma justificação (aceitável), a não ser (se continuarmos tolerantes no meio da prepotência) a óbvia poupança de dinheiro (um corte no investimento através de um corte na manutenção) ou então a completa irresponsabilidade e incompetência: colocando não só em risco toda uma infraestrutura fundamental para a região (como acontece em todos os lugares do mundo quando se fala de água) – não só para a agricultura, como para a indústria e até para a saúde de todos os cidadãos – como pondo em causa a vida de milhares de pessoas, toda a natureza à sua volta, as suas casas e o seu local de trabalho. Com os terrenos em volta do escoadouro a poderem ceder, seguindo-se um efeito idêntico em torno do mesmo terreno e em última instância podendo-se mesmo originar um maior deslizamento e o colapso total de toda a estrutura associada à barragem: o que levaria de imediato ao aparecimento de uma muralha de água com alguns metros de altura, avançando sobre os terrenos a um nível mais baixo e levando tudo à sua frente.

 

5.jpg 6.jpg

Escoadouro da barragem de Oroville

Apesar do colapso parcial escoando as águas e evitando o desastre

(7 Fevereiro 2017)

 

Na altura com as autoridades responsáveis pela proteção civil a não terem outro remédio senão apelar a todos os residentes na área circundando a barragem de Oroville para abandonarem de imediato as suas residências e locais de trabalho, colocando em fuga centenas de milhares de pessoas e pondo em sobressalto as suas vidas, a de familiares e amigos e logicamente os seus pertences (as recordações de muitas vidas). Por um simples acaso do destino não tendo tudo acabado em tragédia, porque a chuva finalmente parou, o caudal diminui e desceu e especialmente, porque apesar de tudo o que de mau lhe fazemos a Natureza ainda nos deu mais uma das suas ajudinhas: com uma camada rochosa mais profunda (e forte) suportando o impacto da queda (da água e outros detritos) na zona danificada do escoadouro.

 

7.jpg 8.jpg

Escoadouro da barragem de Oroville

A destruição provocada, os detritos depositados e a erosão de terrenos bem evidente

(27 de Fevereiro)

 

Um incidente registado numa das mais elevadas barragens do estado da Califórnia, suportando no seu reservatório o resultado das chuvas intensas registadas em toda a região circundante durante um período de várias semanas e que deixou o seu escoamento de emergência inutilizado quando o mesmo era mais necessário – no entanto obrigado a continuar a desempenhar a sua função (mesmo parcialmente colapsado) não fosse a barragem extravasar (os seus limites) e provocar uma enorme catástrofe inundando e destruindo tudo à sua volta. Com as causas para o mesmo incidente a ainda não estarem em nada esclarecidas, já que se por um lado a barragem já tinha uns bons 50 anos de idade, por outro lado a mesma começou logo a levantar problemas quando por altura do incidente o caudal ainda se fixava nos 340m³/s – e sabendo-se que o escoadouro colapsado deveria suportar um caudal na ordem dos 7000m³/s.

 

[As bases de sustentação (com a carga e a vibração) cederam: fora de prazo ou falta de manutenção. Tão simples como isto: o problema é descobrir os responsáveis – pois eles só os sabem encontrar, à mão e à medida, depois de cometido o crime.]

 

BO: Barragem de Oroville

 

(alguns dados e imagens: livescience.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:37

14
Fev 17

Officials Prepare For The Worst In Oroville Dam Crisis

Nearly 200,000 people have been evacuated.

02/13/2017

03:21 PM ET

(huffingtonpost.com)

 

No estado da Califórnia uma barragem com quase 50 anos de vida ativa – a barragem do Lago Orville – arrisca-se a entrar em colapso, afetando uma área de 400Km² e 200000 pessoas.

 

article-2569919-1BE51CCD00000578-719_964x1273.jpg

article-2569919-1BE51CCD00000578-719_964x1273 B.jp

Barragem de Oroville antes e depois do início do longo período de seca

 

A Vida tem destas coisas: ainda há cerca de dois anos e meio sendo notícia nos órgãos de informação norte-americanos pelos baixíssimos níveis de água aí armazenados – e sabendo-se de antemão ser este um dos depósitos fundamentais para o fornecimento de água para o estado da Califórnia (que como se sabe sofre de uma seca prolongada que já dura há vários anos) – eis que neste mês de Fevereiro e na sequência de várias semanas de precipitação bastante intensa, os mesmos órgãos de informação vêm agora avisar (alertando a população em risco) que a barragem instalada no Lago Oroville poderá correr o risco de colapsar: tudo dependendo da solução temporária adotada para a área rodeando o vertedouro danificado (tendo-se partido e aberto uma fenda por onde grandes volumes de água se vão escoando destruindo progressivamente os alicerces e as bases onde os mesmos se encontram inseridos) e das condições climatéricas que se registarem nos próximos dias na região (segundo as previsões com a chuva a regressar já quarta-feira e a continuar por vários dias).

 

Colocando em perigo de vida cerca de 200000 pessoas residindo em redor do Lago Oroville (localizado no norte da Califórnia), postos perante a possibilidade da barragem poder colapsar e de repentinamente se poderem ver diante de uma muralha de água, com 10 metros de altura, levando tudo à sua frente e avançando sobre eles. E com um professor universitário de Engenharia Civil da Universidade de Berkeley (também na Califórnia) finalmente a fazer as contas e a partir da área do reservatório da barragem (40Km²) a chegar à área total que um colapso da barragem poderia vir a afetar: 10X A depósito = 400Km². Levando-o inevitavelmente a afirmar: “That is how much water is going to come out. That is a huge volume of water”. (Nicholas sitar/sacbee.com)

 

13217-oroville-dam-724a-rs_4a8b5ba9690488f11410f15

Barragem do lago Oroville

 

Até ao momento com as autoridades responsáveis a terem para já tomado três atitudes significativas – duas depois, uma no momento e declaradamente nenhuma antes: em sentido inverso ao anteriormente mencionado e tal e qual como essas mesmas autoridades procederam (efetivamente no terreno), nada fazendo para prevenir e tudo tentando fazer para remediar – e no meio soando o alerta e pondo 200000 em fuga (apenas pela sua vida já que de resto nada a fazer). E assim:

 

Não tendo aproveitado o prolongado período de seca que a região tem atravessando ao longo destes últimos anos para atividades de observação, manutenção e consolidação das estruturas da barragem e sabendo que um período prolongado e intenso de precipitação (que mais cedo ou mais tarde ocorreria) poderia levar ao enfraquecimento dos materiais básicos de suporte (o próprio tereno),ficando estáticos e nada fazendo mesmo com semanas e semanas de precipitação intensa e de verem os níveis da água no reservatório constantemente a subir; e tendo como reação por parte da estrutura (da barragem) o início da sua rutura e o sinal de partida da corrida louca estilo contrarrelógio de todos os responsáveis mais-ou-menos envolvidos (na questão) públicos ou privados, com uns atirando pedras para a zona em colapso e com outros a desviarem a água para outros cursos ou depósitos – de modo a diminuir o nível nuns 16/17 metros; no fundo e no fim ignorando as pessoas e na realidade nada fazendo, senão dando-lhes ordens para fugir e fazerem pela vida.

 

spillway0212.jpg

O vertedouro de emergência da barragem do lago Oroville

 

Uma barragem prestes a ser semicentenária cuja construção se iniciou em 1961 tendo sido inaugurada no dia 4 de Maio de 1968 – já lá vão mais de 48 anos. E que devido à incúria, irresponsabilidade e incompetência de uma determinada cadeia hierárquica que perante a realidade e os factos (dela decorrente) parece nunca ter funcionado ou sequer existido – pelos vistos são nomeados e pagos para nada fazerem e assim pouparem dinheiro – levaram à fuga em pânico de milhares de pessoas, abandonando as suas casas, os seus lugares de trabalho, as suas escolas e igrejas e toda uma comunidade (pessoas, objetos e restante natureza) onde viviam e estavam integradas. Prejudicando pessoas e bens – e devendo ser considerado um crime (com a justa reparação). E como a região tem sido fustigada desde o início deste ano por fortes tempestades acompanhadas de grande precipitação (o que tem aumentado drasticamente o volume do caudal de águas que chegam ao reservatório da barragem), o mais acertado será estar atento (para os habitantes da região), esperar que não chova e que finalmente os técnicos ainda façam qualquer coisinha. Com estes para já a informarem que estão a conseguir que saia mais água do que a que entra (no reservatório), tendo para já conseguido uma baixa no nível da água de mais de 1.5 metros – para o que pretendiam faltando agora mais 15 metros. Se também rezarem e deixar de chover.

 

(imagens: dailymail.co.uk – sacbee.com – nbcnews.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:59

15
Jun 16

California Fault Lines and the Area around Yellowstone Are Shaking Like Crazy

(Michael Snyder/charismanews.com)

 

74527.adapt.768.1.jpg

Wyoming/Montana/Idaho – Parque Nacional de Yellowstone

 

A partir de observações registadas ao longo dos últimos tempos em torno da área onde está localizado o Parque Nacional de Yellowstone, muitos foram aqueles que tendo conhecimento do assunto e habitando nesta área aqui referida (ou em seu redor), já mencionaram algumas alterações no comportamento sismológico (e também vulcanológico) desta região sempre tão imprevisível (pelo menos geologicamente) dos EUA – ou não fosse aí que estivesse o SUPER VULCÃO de YELLOWSTONE e a sua enorme caldeira subterrânea.

 

Preocupação que pelos vistos se estendeu também ao articulista Michael Snyder, alarmado com a sucessão de três sismos significativos detetados na região (num período de apenas seis dias), quando o normal é a mesma ser sacudida por vários sismos diários, mas todos eles de pouquíssima intensidade e considerados não significativos – ou seja sem motivos para alarme. Numa sucessão de três sismos de intensidade 3.7 (dia 9 de Junho), 4.3 (dia 13 de Junho) e 4.0 (hoje dia 15 de Junho).

 

san-francisco-earthquake-580.jpg

Califórnia – O grande sismo de 1867 de magnitude 7.9

                                                                                                                 

E que como qualquer outro cidadão curioso interessado nestas áreas (seja leigo ou erudito) o levou a fazer uma pequena investigação para se inteirar melhor do problema e assim se prevenir para outros (mais que prováveis) fatos futuros, sugeridos pela situação e por modelos de computador. Não só na região de Yellowstone assim como noutras interligadas (não só no espaço como no tempo): focando-se desde logo nas falhas geológicas existentes na Califórnia e do seu aumento de atividade

 

Com o último sismo significativo a registar-se no passado dia 10 a 20Km a NNW da localidade de Borrego Springs/Califórnia com amplitude 5.2. Um sismo que para Michael Snyder até poderia ser aceite com alguma tolerância, não fosse o facto estranho de ser seguido por nada mais nada menos que 800 réplicas do sismo (original). Integrando-se este sismo numa situação ainda mais complexa geologicamente e estendendo toda esta região crítica ao largo da costa norte da Califórnia (onde se encontra a zona de subdução de Cascadia).

 

shutterstock_84325633.jpg

Califórnia – Preparando-se para o próximo grande sismo

 

Relembrando mais uma vez o cenário verdadeiramente apocalíptico sugerido pelos modelos ensaiados em computador pela USGS, caso ocorresse um sismo de magnitude 9.0 nessa zona de Cascadia: “The USGS has worryingly confirmed the same computer models show it is capable of producing an earthquake with a magnitude up to 9.3, which would likely trigger huge tsunami waves. This would be more powerful than the magnitude 9 tsunami-causing quakes that hit Japan in 2011, claiming thousands of lives and taking out nuclear reactors. Worse still, many scientists say the US is not yet prepared to deal with such a natural disaster and it could strike at any time.” (express.co.uk/ charismanews.com)

 

Localização Magnitude Profundidade (Km)
24km S of Twentynine Palms, CA 2.5 3.4
71km SW of Alberto Oviedo Mota, B.C., MX 2.6 11.4
(11km SW of Pueblo Nuevo Tiquisate, Guate) (5.7) (70.5)
1km E of Pacheco, California 2.5 15.8
17km SSE of Gabbs, Nevada 3.7 9.9
17km SSE of Gabbs, Nevada 3.0 13.0

(20:00 em Portugal)

 

Já hoje dia 15 com cinco sismos mais significativos, registados na costa oeste dos EUA – e com um adicional registado na Guatemala (bem perto).

 

(texto/itálico: charismanews.com – imagens: nationalgeographic.com, newyorker.com e geekwire.com – dados/tabela: usgs.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:59

28
Mai 15

“Os Extraterrestres gostam muito do sabor da Água da Terra e por isso já andam a Roubá-la”

 

UFO-CALIFORNIA-SUCKING-WATER.jpg

 

Como nós todos sabemos, o Homem quando bem situado na Vida, tem um prazer especial em emitir opiniões. Particularmente auto-elogiando-se e encontrando culpados. E no segundo caso se necessário até recorrendo ao fantástico: ou não fosse ele um tipo imaginativo e ainda por cima visionário.

 

Assim se compreende a última afirmação vinda via canais da Web directamente dos Estados Unidos da América, sugerindo que a violenta seca que há já vários anos assola o estado norte-americano da Califórnia, poderá ter como um dos seus principais responsáveis seres extraterrestres.

 

A teoria é baseada no relato de uma testemunha que se encontrava a bordo de um avião de uma companhia aérea norte-americana (o piloto, fotografo amador), que declarara ter observado (e registado em câmara) na sua rota de aproximação a um aeroporto do estado vizinho do Nevada, um objecto pairando sobre um lago próximo, aparentemente como se estivesse a sugar água dessa grande extensão líquida.

 

O piloto (anónimo) afirma ainda ter contactado o objecto não tendo obtido resposta.

 

Entretanto confesso que nunca tinha ouvido uma explicação como esta (para a seca na Califórnia). Acredito mais nas consequências de uma qualquer alteração climática (como o famoso aquecimento global), talvez conjugada com uma evolução geológica dos terrenos em profundidade, ainda não muito entendida e muito menos explicada (fenómenos de sismologia e de vulcanologia).

 

A partir de agora os californianos e todos aqueles espalhados por todo o mundo vivendo na mesma situação (excepto os alentejanos que no Alqueva fizeram aparecer água), terão mais um motivo para olharem para o céu mas agora para se defenderem e não para rezarem. Mas nós já há muito mais tempo que sabemos que um dia virá, em que numa noite de muito nevoeiro e surgindo do seu interior, sairá (um) Salvador.

 

(dados e imagem: locklip.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:23

Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

15

24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO