Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

17
Mai 19

“Poderá fazê-lo brevemente, aquando da 3ª Guerra Mundial”

(cada vez mais quente, cada vez mais próxima)

 

wp-header-logo-117.png

A Última Provocação

Com o envio do porta-aviões USS Lincoln a ser considerada pelos responsáveis iranianos como uma mensagem de guerra (afirmada e divulgada pelo próprio John Bolton) desafiando os russos, os chineses e os terroristas do Hezbollah (e esquecendo a Arábia Saudita e os hard-terroristas da Al-Qaeda e do Exército Islâmico) autores dos atentados vitimando milhares

 

IRAN-2-superJumbo.jpg

A resposta do Irão

E como resposta com o Irão face ao sucedido na Coreia (do Norte)

E no agora em curso na Venezuela (asfixiando-a até à morte e entregando-a aos Abutres)

Gritando “Morte à América” e “Estamos Prontos para a Grande Guerra”

Na comemoração de mais um aniversário (35º) da sua Revolução

– E não sendo de admirar face aos ataques (de)

John Bolton, Mike Pompeo e Donald Trump,

Afirmando sem despudor terem

“Todas as opções sobre a Mesa” até a Vida dos Iranianos

(homens, crianças, mulheres, entre novos e velhos,

tudo no mesmo “saco” e com o mesmo papel de embrulho)

 

Para quem (por qualquer motivo) não tem nada que fazer (por estar desempregado, estar doente ou ser excedentário) e ainda dispensa algum tempo (prolongando-se as situações anteriores e antes de ser definitivamente descontinuado) para pensar na situação política nacional (numa visão ao pormenor olhando para o nosso Interior) e internacional (numa visão global expandindo o nosso olhar para o mundo Exterior que nos rodeia) − algo que para quem trabalha se transforma de uma forma progressiva e irreversível numa impossibilidade técnica (absoluta) pretendendo-se resistir (dado o pouco Espaço disponibilizado para a nossa Movimentação e desintoxicação) e Sobreviver (no pouco Tempo disponibilizado para a celebração e absorção da Cultura e da Memória, guilhotinando-nos periódica e sistematicamente entre os ponteiros das horas e dos minutos da Máquina Suprema o Relógio) – poderá a partir da observação das notícias maioritariamente (assim consideradas e editadas por algum motivo ou interesse) publicadas no nosso país, posteriormente complementadas por outras oriundas (depois de filtradas por todas as Agências de Informação Público-Privadas intermédias) de todos os outros Cantos do Mundo (e sem ter que se esforçar/pensar muito)– obviamente e pertencendo nós à parte do HEMISFÉRIO NORTE OCIDENTAL, sendo inequivocamente o QUADRANTE da LIDERANÇA GLOBAL (Cientifica, Tecnológica, Económica, Financeira, Militar) com sede política (atual) em WASHINGTON DC – concluir que, tudo aquilo que se passou antes na nossa vida, poderá já ter completado um dos seus ciclos (ou subciclos), estando-se agora a preparar para o início do seguinte (ciclo/subciclo) provavelmente e sendo uma réplica (do anterior, do mesmo Molde Cíclico Original) em tudo idêntico ao anterior”: e se o fim do CICLO/X-1 teve como Marco Histórico (e decisivo) o Fim da II Guerra Mundial e a estrondosa derrota do Estado então considerado Dominante e Imperial − o Império Nazi, sob a Liderança do Führer ADOLF HITLER, a ALEMANHA – no Presente (meados de 2019) e face a certos Sinais e Manifestações cada vez mais evidentes e preocupantes (e perigosos, extremando-se as posições “dos predadores e das presas”) podendo-se estar já perante o declínio do Império (eliminada no percurso a Concorrência) que se lhe seguiu (em conjunto desde 1945, a solo desde 1991) prevalecendo durante 74 anos: assistindo-se ao Vivo e em Direto (e sobretudo connosco ainda Vivos) a uma Grande Convulsão Mundial com a (eminente) queda de mais um império “O Império Americano (o mais relevante por mais falado desde o Império Romano) com todas as causas e consequências já conhecidas por arroladas a partir de todo o conhecimento adquirido no caso anterior – projetando-se uma Guerra sem Quartel mesmo que regional repercutindo-se a nível Global (mais extensa pela Matéria-Prima preciosa e pelas Fontes de Energia), a sua derrota e o descalabro final (do Imperador e seus Aliados) e a nível imperial a subida do seguinte (na hierarquia por direitos transferidos/adquiridos), pelo que todos vemos (deslocando-se o Eixo do Poder de um quadrante para outro, do Hemisfério Norte Ocidental para o Hemisfério Norte Oriental) o IMPÉRIO do SOL com centro na Ásia e epicentro em Pequim.

 

1111.jpg

EUA − Morto pela Dívida

Não nos tendo entretanto extinguido (ao Homem)

E tal como escrito por Joergen O. Moeller há cerca de um ano (em checkpointasia.net)

Com o Império Norte-Americano a cair não por obra dos Russos nem sequer dos Chineses

Mas pela sua Dívida insuportável e em crescimento brutal (exponencial)

(ao nível dos Triliões e Triliões e não sendo problema, quando muito do Resto do Mundo em crise sem esperança, se depara com milhões quando muito biliões)

 

Não sendo (como consequência) de admirar ver agora as ratazanas a fugir (abandonando o Barco em salva-vidas), enquanto perdidos e desesperados, se vêm os ratos a afogar (como por cá para já entre margens, nos cacilheiros do Tejo).

 

No caso da ponte da Arrábida e parecendo (para alguns “não interessados” por indiferentes e/ou ou “interessados”, que não para os que lá passam todos os dias e fazendo-o por várias vezes) descabido associar tal assunto a outros de um nível Nacional/Internacional muito superior (por referido oficialmente e pelas “forças-vivas-da-terra” − em oposição às “forças-mortas” – consideradas como relevante para o desenvolvimento das Comunidades), com a realidade explicativa e distribuída (e direcionada) a ser para o público em geral (talvez as tais forças-mortas, mentalmente assassinadas por inatividade e sedentarismo) uma justificação esclarecedora para o estado critico e caótico em que todas as estruturas (físicas, morrais, materiais, etc.) se encontram, olhando apenas para as reações (ao sucedido devido à sua aflitiva falta de ação) das Autoridades: tal e qual como no Totobola e como se não passem de meros apostadores (ouvindo todos aqueles ligados ao “mesmo coletivo” à Administração ao poder) propondo-nos uma Tripla (1X2) e a partir daí deixando-nos ainda mais confusos (e sem saber o que fazer) verdadeiramente com “as-calças-na-mão (já a caírem por falta de “cinto/suspensórios” e podendo-se face à visão cada vez mais enublada “tropeçar nelas”) – segundo Eles (os especialistas-certificados, por instituições público ou privadas, curiosamente concessionadas pelos mesmos) nada se passando (1), segundo outros necessitando apenas de manutenção (X) e segundo uns outros (e ainda) podendo ter as estruturas de suporte debilitadas (2). Numa resposta só possível vinda de um Coletivo tendo como símbolo a “Irresponsabilidade e a Incompetência”, dando Eles o exemplo do que devemos fazer como “Novos-Escravos” Interiorizando e Aceitando (o nosso Fado/Destino) e assim “Fazendo Nada”: com um efeito de contágio ultrapassando fronteiras (de Local e à velocidade da luz, tornando-se em segundos Global) ultrapassando de longe o do Ébola e transformando-nos em Zombies (cada vez mais mortos que vivos). Como o poderia ser o caso Berardo (um drama humorístico-dramático), a situação no polo fundamental social (e da manutenção de Soberania) da Saúde e da Educação (dramáticas pelas Vítimas e péssima pela má Formação) − Um Drama-Brutal e sem Solução, transmitido (já) ao longo de sucessivas Temporadas − concluindo-se logo nos Bancos, no topo da Excelência (como o dos Cartões Dourados) e no Branqueamento ou Lavagem (tão bonitos como presentes) dos tão desejados (como necessários no presente, como de “pão para a boca”) Capitais. Com quase todos a Roubarem (em Portugal como no Mundo), sendo presos os sem ambição (pequenos furtos/delitos) e premiando os Grandes Devedores (de tão devedores que são, chantageando “a Fonte” e tendo esses Bancos na mão).

 

Russia-1107574.jpg

John Bolton Vs. Vladimir Putin

Com as duras (por provocatórias) posições de John Bolton para com a Rússia e a China

− Numa reedição de “Uma Aventura Norte-Americana no Médio-Oriente” antes levada a cabo sem a URSS/com os chineses ainda escondidos (temporada de Caça no Iraque), agora com a Rússia de Putin/com os chineses bem visíveis (temporada de Caça no Irão) e substituindo os norte-americanos a quererem “Chamar a si o Mundo”) –

E sabendo-se da pretensão do mesmo (em nome dos EUA)

Em controlar toda a Energia (sendo agora a vez do que falta a Venezuela e o Irão)

Com os receios de um novo conflito (já bem pesado)

A pairarem no ar e (de repente) ameaçando cair (EUA vs. Bloco Asiático)

 

E Unilateralmente (evitando diálogo/discussões) com um Polícia-Mundial colocado na Manutenção e no Controlo da correta Aplicação (se necessário e sem remorsos, pronto a punir, a sancionar, a asfixiar, a obliterar) atento a qualquer desvio (na implementação da programação) e (em caso de necessidade e para a prossecução normal do projeto) sempre preparado e pronto para a Declaração: de Guerra e de Fim de Percurso, seja para Algo ou para Alguém. Sendo o Polícia norte-americano (Capitão América), parecendo-lhes-bem” incluindo Europeus (comportando-se como vassalos e prostitutos deste espetáculo contraditório/deprimente) e apontando as suas Armas não por o declarar (oficialmente) seu Inimigo, mas por (este) não querer partilhar as suas próprias Reservas (por acaso das maiores reservas Globais) com o Supremo Protetor: e não podendo (pelo menos para já) atacar a RÚSSIA e a CHINA reservando-se para Ele (EUA) o direito de o fazer com a VENEZUELA e (de seguida) com o IRÃO – expectável/certamente e segundo Eles com russos e chineses (todos “cheios de medo”) limitando-se a ser “atropelados, a ver e a engolir”. Para quem quiser acreditar.

 

A nível Internacional e perante toda a acomodação (sinónimo de inatividade e de cobardia) relativamente à considerada, única e todo-poderosa Potência Global Terrestre, os EUA – com a América bem controlada (exceção feita à Venezuela), a África em “Banho-Maria(agora com o BOKO HARAM, como fundamentalistas islâmicos e do tipo terrorista-hardcore, pondo a “panela-a-ferver” tal como o fariam os seus “pais”, a Al-Qaeda e o ISIS/ISIL), a Europa alienada/“bem-entalada (dos seus valores Humanistas/entre o Atlântico/EUA e a Rússia), a Oceânia inexistente por conformismo económico-social, por aliada e obediente (no fundo lutando por integração e garantias de sobrevivência) e o Médio-Oriente alinhado  (sob liderança Saudita) submetendo-se docilmente (mais-ou-menos) ao omnipresente e forte Petrodólar

 

24152426-3f25-11e9-b20a-0cdc8de4a6f4_image_hires_1

A América e o seu maior adversário de sempre a China

Colocada a questão (e a dúvida) sobre a possibilidade dos EUA vencerem a sua nova Guerra Fria com a China (a velha e reativada, sendo com a Rússia) com a resposta de Hugh White (Professor de Estudos Estratégicos da Universidade Nacional Australiana) a ser clara e curta: “Não, sem se correr o risco de uma Guerra Nuclear” (em South China Morning Post)

 

Restando apenas a Rússia e o seu vizinho asiático a China (no tal continente em expansão, por grande e populoso, agora considerado perigoso) como podendo representar os Grandes Adversários do presente dos líderes Norte-Americanos (como Potência Dominante) e por desleais e incertos (para com os EUA, sua ideologia e prática), sendo os Alvos a Abater e os Inimigos do Mundo.

 

Com a atual Administração (comandando a Casa Branca) sob controlo Republicano (antes nas duas câmaras, agora só no Senado) e liderança de DONALD TRUMP (desde início de 2017 e surpreendentemente o 45º Presidente Norte-Americano) − como o poderia ser por caminhos aparentemente diferentes (da mesma forma “enviesados”) mas com o mesmo conteúdo e objetivo (ideológico) tendo como líder a Democrata e dupla ex-candidata presidencial (sempre derrotada) Hillary Clinton, ou não fosse igualmente o “soft” Barack Obama nos seus oito anos de mandatos (consecutivos e tendo sido reeleito, dois) para além de autor do fracassado Obamacare (interessando apenas Bancos/Seguradoras), Campeão na Expulsão de Emigrantes (entre eles os Alienígenas oriundos para lá do célebre Muro) e promotor e Rei Absoluto dos Drones (essas máquinas voadoras não sendo precisas na escolha mas à sua volta e como nos tratamentos por prudência ou inevitabilidade exterminando tudo) e mesmo assim coroando-o com um Nobel (da PAZ) e desse modo limpando-lhe (e protegendo-lhe para o Futuro) a Alma apenas a cumprir o mesmo trajeto reinventado e como que iniciado há 18 anos, com o Evento Catastrófico (principalmente para o cidadão comum norte-americano ou não habitando Nova Iorque ou seja os EUA) do 11 de Setembro de 2001, por hipótese (na altura logo transformado em Certeza) interpretado como um ATAQUE à AMÉRICA mas como se verificou e confirmou (pelo menos o que se constata, nem duas décadas depois) mais parecendo uma encomenda enviando com a mesma um pretexto para a exibição (justificação por parte deles/aceitação por nossa parte) de “ALGO +: talvez um GOLPE de ESTADO (apenas para confirmar o poder do C I-M/Complexo Industrial-Militar), conjuntamente com as Armas e o DÓLAR (e as respetivas Impressoras), Fazendo Girar a América (com eixo em Washington) e com ela todo o Mundo (incluindo russos e chineses).

 

fake-post_custom-435acadc6ab1c42433611cde8d472d535

Fake News

(1 de Maio de 2019)

Com o símbolo estampado do Washington Post

Uma notícia de última hora

Sobre a resignação (secreta) de Donald Trump

As celebrações que se lhe seguiram

E o juramento de Mike Pence como novo Presidente

 

Ainda hoje (16.05.2019) para nós (interpretes secundários) e por vezes com os mesmos (interpretes principais), vendo-se o caso flagrante de JOHN BOLTON representante do C I-M − um dos grandes promotores e divulgadores da existência das (nunca descobertas por como se viu inexistentes) Armas de Destruição Maciça (do executado sumariamente Saddam Hussein) – no presente e de novo absorvido e fixado no controlo (para ele estratégico e decisivo) de todas as fontes de ENERGIA (neste caso o Petróleo), se antes conselheiro na que seria a futura Guerra do Iraque (0000 de mortos) depois (agora) conselheiro na que poderá vir a ser a futura Guerra do Irão: talvez não como no Iraque com uma aparente conclusão (pela pobreza do território sem grandes ondas de propagação), mas dadas as “especiais circunstâncias (da subida da Rússia e da China − e em Bloco − ao topo do pódio global) com uma hipotética III Guerra Mundial como continuação e sem conclusão (não sobrando ninguém).

 

E por cá com o novo TOMÁS (Américo Tomás 13º Presidente de Portugal de 1958/1974) a fazer reverência aos chineses (convidando-as a investir e como já não chegasse ainda mais) para simultaneamente o fazer (com descaramento e falta de vergonha, duas das suas características) − como se fosse necessário sabendo-se quem ele é − aos norte-americanos (defendendo o aumento dos laços com os norte-americanos e fazendo o contrário − Portugal ou Europa − “cometendo-se Suicídio”). Marcelo Rebelo de Sousa, na altura cumprindo aquilo que a mãe lhe achava estar destinado (como filho precoce e brilhante e frequentando via paterna os Corredores do Poder) e sendo visto como “afilhado” do Chefe do Governo (de então, tendo sucedido a Salazar, caído acidentalmente da cadeira) como consequência lógica e natural podendo vir a ser o sucessor de Marcello Caetano, não alcançando (aí) tal Cadeira do Poder (1º Ministro ou Presidente para ficar na História no fundo tanto faz) sabendo parar e ter calma, engolir e sobretudo esperar (mas vendo-se/vendo-nos pela TV) − e 42 anos depois sendo eleito PRESIDENTE (e já noutro Regime logo o inverso do anterior). Que dizer dele? Oportuno e Inteligente num Mundo em que quem vai nu (contrariando o que sempre disseram), não é o REI, mas és TU (ainda eu e o resto do Povo).

 

(imagens: viralnewspaper.com e Getty/nytimes.com − checkpointasia.net – Getty/express.co.uk – Craig Stephens/scmp.com − north american political activists/npr.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:27

10
Mai 19
  1. “MORCEGO”

 

[Um já extinto (o “Morcego”), o outro ainda andando por aí (o Albatroz).]

 

“A new Jurassic scansoriopterygid and the loss of membranous wings in theropod dinosaurs”

(Min Wang, Jingmai K. O’Connor, Xing Xu & Zhonghe Zhou/08 May 2019/nature.com)

 

200361_web.jpg

“Morcego”

Ilustração da vida e do meio ambiente do animal-voador e extinto

Ambopteryx longibrachium

(Min Wang)

 

Dos 7 aos 77 anos (como diria a revista TINTIN) sempre na procura incessante da concretização dos nossos “SONHOS de CRIANÇA (numa possível manifestação de Memórias/Culturas Ancestrais, potencialmente sendo-nos inatas e por algum tipo de transmissão hereditária revelando-se ao longo da nossa Vida), eis que um grupo de investigadores e cientistas liderados pelo Dr. MIN WANG (Academia Chinesa de Ciências) descobre o que poderá ser um descendente dos DINOSAUROS THEROPODA entre os quais se incluem as AVES: não sendo como poderíamos pensar ser (“à primeira vista e de longe”) um ALBATROZ uma ave-marinha da subordem dos Dinossauros bípedes – mas de uma outra espécie certamente com alguns traços familiares e comuns relativamente à anterior (elementos de ligação), mas tendo a parir de uma determinada fase (da sua Transformação) sofrido uma evolução diferenciada.

 

E aí entrando em cena (vista não como um exemplo de evolução efetiva/depois de adaptada sendo adotada, mas sendo um exemplo de evolução provisória/por algum motivo interrompida e ficando-se por um nível experimental) o “AMBOPTERYX LONGIBRACHIUM”, uma criatura de cerca de 200 gramas, assemelhando-se a um MORCEGO e tendo vivido há mais de 160 milhões de anos no sítio onde os seus FÓSSEIS foram agora descobertos − na CHINA.

 

“Its membrane wings, supported by a long, pointed wrist bone, make this species unique among theropod dinosaurs, and its existence shows that feathered wings were not the only way to go airborne during the period of dinosaur-bird transition.”

(Sarah Slote/inverse.com/08.05.2019)

 

Ambopteryx-longibrachium.jpg

“Morcego”

Um Dinossauro capaz de voar

Utilizando Asas semelhantes aos dos Morcegos

(Min Wang)

 

Levando MIN WANG − assim como os seus outros colegas deste grupo de pesquisa e investigação desta instituição de Ciência chinesa, “Jingmai K. O’Connor, Xing Xu & Zhonghe Zhou” – e depois da concretização da descoberta destes fósseis, a afirmarem que este “Morcego” seria o exemplo pratico e verificado (agora que finalmente confirmado, pela descoberta dos seus fósseis) de uma rutura (com os seus Antepassados Comuns) verificada na linhagem comum dos THEROPODAS dando origem ao aparecimento do AMBOPTERYX LONGIBRACHIUM (e mais tarde à sua extinção):

 

E se agora se começa a falar deste exemplar (o tal Morcego) mesmo que há muito tempo (milhões e milhões de anos) já extinto − não tendo ao contrário da AVE sobrevivido ao Impacto do Asteroide (ocorrido há uns 66 milhões de anos em Chicxulub no México)− sendo conveniente recordar até para o SALVAR (aproveitando a História da passagem deste Morcego-Dinossauro pelo Ecossistema Terrestre) que relativamente ao outro descendente de Dinossauros ainda presente por cá e igualmente com capacidades de voar (a tal ave) o ALBATROZ, o mesmo poderá estar a acontecer com ele e com as suas diversas famílias/exemplares, continuando a diminuir (em quantidade pela crescente falta de qualidade dos Oceanos cada vez mais abandonados e poluídos) e desaparecendo de vez um certo dia.

 

Ambopteryx-longibrachium-2.jpg

“Morcego”

Como visto de cima um descendente dos DINOSAUROS THEROPODA

Surgindo de uma rutura na sua linhagem comum

(Min Wang)

 

  1. “APENDICITE”

 

[Enquanto que por cá e por este cantinho (no Algarve e pelo “meio envolvente”, convidando a trabalhar ou então e como única alternativa a passear) depois de dominados pelos JUSTICEIROS e pelos CONTABILISTAS (todos doutores-especialistas-certificados, uns sem-nada-na-cabeça/com boa memória-fotográfica/mas sem eficácia visível e no entanto nota 20, outros sem-nada-na-cabeça/sem memória-fotográfica/e cálculos minimamente-satisfatórios e eventualmente nota 10), nos vemos agora (e pelos vistos definitivamente) enredados na teia (cada vez mais emaranhada e confusa, por mera incompetência educacional/cultural profunda e crescente) montada por esta Nova Espécie de POLÍTICOS (neste caso para além de portugueses sendo profissionais − por mais capazes − e como tal, tendo empregos de preferência público-privados, em muitos lados e desde que pertencendo dado direitos entretanto adquiridos ao Arco-da-Governação) combinando o que há de pior da dupla Justiceiros (juízes, advogados, etc.)/Contabilistas (gestores, economistas, etc.), proporcionando-nos sucessivamente e ao “mais alto nível” espetáculos no mínimo insultuosos e deprimentes (para já não falar na revolta instalada desde há muito tempo e de alto-a-baixo em muitas classes profissionais, constantemente utilizadas por estes “POLÍTICOS” atuando em seu único benefício, neste caso eventualmente e pela proximidade eleitoral − e podendo originar como resposta a essa ação para a maioria extrema, reações sociais e a vários níveis e interligações, violentas),

 

capa_294987.jpg

“Apendicite”

Apesar dos sinais e alertas, não se notando diferença-política

Entre um Dinossauro com Asas e um Outro com Membrana

(guiadacidade.pt)

 

Como o concluído e registado hoje na  (nossa) Assembleia da Republica tendo como protagonistas (ou Predadores) esses ditos (e assim se afirmando defensores da Causa Pública) “POLÍTICOS” e como vítimas da ocasião (sendo vilipendiados apenas por exigirem o cumprimento do contrato legal e oficialmente registado, no fundo e por associação da mesma forma e com o mesmo método com que PPC, sem vergonha, sem remorso e no seu interesse e do seu Governo, “virava novos contra velhos”) um sector profissional os PROFESSORES (como poderia ser outro sector qualquer e como pelos vistos será de novo, ao fim de apenas alguns dias e ao serem de novo atraiçoados, os MOTORISTAS), meramente utilizados pelos partidos ditos do Arco-da-Governação (PS/PSD/CDS) e sem nada poderem fazer em contrário os outros não pertencendo a esse Arco, pelos visos só servindo (por hereditariedade, herança ou direitos adquiridos) nas mãos de alguns (BE/PCP/VERDES/PAN) − levando um SIM e horas depois um NÃO: confirmando-se que tal como no Futebol (de onde por acaso alguns destes dirigentes políticos têm vindo)  na Política e para Eles “O que Hoje é Verdade Amanhã poderá ser Mentira” e que  simultaneamente e para nós (os restantes, os excedentes) “No Final quem se Lixa será sempre o Mexilhão”. Estando-se portanto na presença de “Outro Tipo de Dinossauros”, não Evoluindo e no entanto tal e qual como Zombies, recusando-se a aceitar estarem já mortos e extintos.]

 

(imagens: eurekalert.org − discovermagazine.com − discovermagazine.com − guiadacidade.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:40

08
Mai 19

[Em simples trocos, com alguma carência de órgãos, num ensaio (não sobre a cegueira, mas) incidindo sobre nós.]

 

Seguindo-se ao

Investimento em Espiral”,

o

“Investimento em Linha Reta”

− Nesta nova fase visto como

“A Curva-Perfeita”.

 

1280px-Silk_Road-pt.svg.png

 

O Cinturão Econômico da Rota da Seda

(E a Rota da Seda Marítima do Século XXI)

Hoje, a recriação desta antiga rede de comércio tornou-se um dos maiores desenvolvimentos infra-estruturais, econômicos, políticos e de integração de povos que acontecem no mundo. Os países da massa terrestre euro-asiática, do leste da China para o oeste da Europa, estão sendo gradualmente reunidos em um mercado contíguo que abrange 60 países e 60% da população, 75% dos recursos energéticos e 60% do PIB no mundo. E onde há cooperação, comércio e contatos entre diferentes povos e culturas, a guerra e a destruição são mantidos longe do horizonte imediato. (Thoth3126.com/03.07.2018)

 

Depois de anos e anos de investimento chinês em “ESPIRAL” (século XX) estrategicamente inserido e aplicado − de uma forma aparentemente indiscriminada e sem critério (pelo menos para nós, os capitalistas ocidentais, católico-romanos e súbditos da única grande potência Global os EUA) − um pouco por todo o Mundo (por todos os cinco Continentes incluindo até os países Árabes produtores/como a Arábia Saudita ou não produtores/como o Egito de petróleo), eis que a China cumprindo os desígnios das suas chefias políticas (e ideológicas) e os desejos das mesmas em se tornarem e afirmarem como a grande alternativa Comunista-Capitalista (“Um País Dois Sistemas”) ao sucessor (ainda presente mas já e inevitavelmente em processo de decadência) do grande “Império Romano” – o grande “Império dos Excecionais” ou “Império Norte-Americano” – opta pelo cumprimento da distância que ainda lhe falta para finalmente concluir “O seu Destino e o Desígnio dos Seus Líderes” (numa caminhada iniciada nos tempos da China Imperial, prosseguida nos tempos de Mao Tsé-Tung e chegando ao presente com o presidente Xi Jinping), no percurso restante para a concretização desse “Grande Feito” seguindo (para alguns, mais adormecidos) surpreendentemente o caminho mais curto (entre dois pontos), erguendo-o e implementando-o agora não em curva (para numa 1ª fase se dispersar e comunicar) mas em clara linha reta (para numa 2ª fase se introduzir e transportar): vendo a linha RETA e agora (nesta fase evolutiva da Expansão Económica Chinesa, já seguida e acompanhada pela sua cada vez mais forte expansão Financeira, baseada não só no Dólar como sobretudo no Ouro) como a CURVA PERFEITA e (depois da proliferação da Loja dos 100/200/200/…) iniciando (ou reiniciando) a construção da sua “ROTA da SEDA”.

 

the-Silk-Road.jpg

 

Treacherous Trading: Dangers of the Silk Road

(What is the Silk Road?)

In spite of its name, the Silk Road was not one single road, but rather, a network of roads that connected the East and the West. It may be remarked that this name was only given quite recently, as it was coined in 1877 by the German historian and geographer, Ferdinand von Richthofen. ‘Officially’, the Silk Road was established when the Han Dynasty of China began to trade with the West, commonly said to be in 130 BC. This overland route continued to be used up until AD 1453, when the Ottoman Empire, which had conquered Constantinople in that year, decided to stop trading with the West, and therefore closed the routes. (ancient-origins.net/01.03.2018)

 

Rota da Seda ligando logo dois extremos − a Ásia à Europa – atravessando o Médio-Oriente (territórios árabes alguns deles produtores de petróleo), tocando ainda África (por vias laterais e secundárias já com presença e investimento chinês) e desse modo face ao “Mundo e aos Poderes então Vigentes” reclamar o seu Lugar face ao seu crescente Poder: simbolizando um grande país (em território/população) como o já é a China, já grande potência Económico e Financeira Global (no futuro obviamente militar) anunciando a todo o Mundo a chegada do novo império o “IMPÉRIO do SOL” − com centro na Ásia e “epicentro em Pequim”. Com a Rússia de Putin − de uma forma inteligente, sabendo da importância para a Rússia e olhando para o Futuro do Mundo (como uma grande potência que é) − a juntar-se à China (ou não partilhassem ambas o mesmo Continente a Ásia) deixando a Europa a Pensar e os EUA (do Alto da sua “Sabedoria” e  como se verifica a nível interno) perdidos (entre imbecilidades) e nem sequer a olhar.

 

Sendo esperto e inteligente e reconhecendo o valor do dinheiro, com o nosso Presidente (Marcelo, “só com um L”) não podendo ignorar todo o poder dos chineses (Xi Jinping á grande), a virar-se para o espelho (connosco logo atrás) dizendo “Toma e Embrulha”:

 

Com o investimento chinês a atravessar energia, banca, seguros, saúde, etc.;

Só em 6 anos (2010/16) com a China a investir em Portugal mais de 7000 milhões de dólares (8% do total investido na EU e mais de 3% do nosso PIB um valor elevado/perigoso);

 

E finalmente com a China progressivamente a tomar conta de toda a EDP e da REN e a atirar-se às Seguradoras (Fidelidade), à Banca (Millennium/BCP) e até à Saúde (grupo Luz Saúde).

 

Daí a opção de Marcelo “nada digas, deixa andar” aproveita para passear.

 

Uma rota desde há cerca de 10.000 (8 milénios antes do nascimento de Jesus Cristo) começando a ser estabelecida entre a Ásia e o Ocidente (ligando-os pelo Extremo-Oriente) − usada para o comércio da seda – mais tarde e pela diversificação de investimentos e partilha de outros trilhos comerciais, tocando e como que por “contágio” levando ao desenvolvimento de territórios próximos e ao florescimento de grandes Civilizações (como por exemplo e entre várias, a do Antigo Egito). Tendo sido já proposta no passado recente (2005) e na sua versão marítima como “Património da Humanidade” e agora no presente (2019), em toda a sua totalidade e com projeção no futuro (tão próximo), podendo-se materializar como o marco histórico da declaração universal (e em chinês) da Nova Ordem Mundial (com tradução num Manual de Instruções, mas não em inglês, certamente que em chinês, não sei se em português).

 

PD-BRI-opinion.jpg

 

Belt and Road brings positive changes to the world

(Building bridges: Constructing new infrastructure is one way to improve the trade situation)

I often ask my students: imagine your day if there were no electricity. The iPhone would be useless; there might be difficulties getting to the university; the lecture theatre would be plunged into darkness; there would be insufficient light to study and no TV in the evening. At a second level, a whole range of consumer goods, including books and newspapers, would disappear. The Belt and Road Initiative’s (BRI) investment in electricity provision literally empowers the people whose lives are transformed as a result. The second effect I would highlight is trade facilitation. In the United Kingdom there is a saying that “time is money”. The more time it takes to move goods, the more costly they will be, and less trade will be the result. Building new infrastructure is one way to improve the situation, but the China-Europe freight trains point to another way to achieve the same result. By improving logistics and smoothing customs procedures, China and its trading partners have demonstrated a less costly way to achieve the same result. (Richard Griffiths/ telegraph.co.uk/01.05.2019)

 

Dez mil anos depois do início desta Aventura com o atual Presidente Chinês (XI JINPING) a reinventar a rota anterior com a “NOVA ROTA DA SEDA” convidando todos à festa (os outros) − realizada na sua “inauguração” em 14 de Maio de 2017 − estimada só no projeto (inicial) em 70 biliões de dólares (talvez mesmo em papel de origem norte-americana): ficando para eles (a China) o Ouro para o que for mais importante. E como seria de esperar até pelo nível de investimento chinês em Portugal (antes com as pequenas Lojas dos 100, hoje com grandes Áreas Comerciais, antes comercializando Pilhas agora sendo donos da nossa Eletricidade) – em toda a EU o país onde o investimento tem mais peso no total da sua economia (e desse modo podendo-o mais facilmente “influenciar”) e pelas particularidades pessoais (e ditas pró-liberais) de Marcelo Rebelo de Sousa (um político situacionista, como a palavra indica adaptando-se muito bem a qualquer situação, seja o observador ou o observado ou uma mistura de ambos) − um verdadeiro Camaleão – com o nosso Presidente e representante em Pequim a “sair muito feliz” (da sua curta visita) com o “grau máximo” atingido nas relações Luso-Chinesas (no consulado de Portugal em Macau, certamente que para “gáudio” dos chineses aí residentes), visitando Tiananmen e ainda um Templo Budista (não falando para não perturbar, mas enviando/mesmo que em código morse um sinal) “uma no Cravo, outra na Ferradura” – para no final apontar tal como um forte e dedicado Dirigente de Estado (um Líder Carismático) − além do mais sendo um expert máximo na manipulação e conquista dos Média e sobretudo na arte de difundir essa dependência (mantendo-a e reforçando-a entre o seu próprio público toxicodependente) – a direção a seguir-mos dando ainda maior prioridade aqueles que já dela usufruem: sem sequer se questionando sobre outra direção ou sem mesmo se incomodar sobre qual será a nossa opinião (como desde sempre fizeram no Antigo/Novo Regime).

 

(textos/imagens: Thoth3126.com – ancient-origins.net − telegraph.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:28

06
Abr 19

Com as Qualificações para o Campeonato do Mundo a iniciarem-se (em Inglaterra) já na próxima quarta-feira (10.04 a 17.04) envolvendo cerca de 130 jogadores (sujeitando-se a 3 Rondas de Qualificação) a lutarem por apenas 16 lugares (ainda vagos): e com os 16 jogadores oriundos das Qualificações a juntarem-se ao Top 16 do RM (já com acesso garantido) formando o Grupo de 32 (jogadores) podendo sagrar-se Campeão do Mundo (de Snooker de 2019) sucedendo ao atual detentor do título (de 2018) o galês Mark Williams. Aí já em Sheffield no TEATRO do CADINHO mais conhecido (por todos os praticantes de Snooker e outros) por CRUCIBLE THEATRE (tendo aí os jogadores de passar mais 3 rondas/eliminatórias, até atingirem a 6 de Maio a tão desejada Final). E em função de toda a época e das performances apresentadas (fazendo-o de cabeça e sem pensar muito) com o punhado de Favoritos a poder ser um destes (três): Ronnie O’Sullivan, Neil Robertson e talvez Judd Trump (a minha aposta).

 

2018Nov02063551_1010137864.jpg

Neil Robertson Vs. Jack Lisowski

Finalistas do Open da China

(2 excelentes jogadores/apesar da diferença de currículo, com uma diferença de 10 anos entre eles, um já tendo sido 1X Campeão do Mundo e ganho 15 provas de RM, o outro/o mais novo Lisowski ainda não se tendo estreado)

 

Open da China

06.04.2019

Meia-Final

(melhor de 19 frames)

 

Fase

J

N

F

J

N

MF1

Neil

Robertson

AUS

10-7

Luca

Brecel

BEL

MF2

Jack

Lisowski

ING

10-1

Scott

Donaldson

ESC

(J: Jogador N: Nacionalidade F: Frames MF: Meia-Final)

 

Nesta 24ª prova do Circuito Mundial de Snooker (individual) 19ª prova contando para o RM (sendo o próprio Mundial de 2019 a 20ª) e tomando em consideração a razia registada no Top 16 do RM logo nas rondas iniciais (com o atual detentor do troféu o inglês Mark Selby a ser logo eliminado na ronda de Qualificação), percebendo-se melhor o retiro estratégico de Ronnie O’Sullivan, não estando presente na China (apenas pelo dinheiro em jogo/pontos p/RM) para se concentrar (e descansar) para o Mundial que aí vem (depois de assumir de novo o Nº 1 do RM faltando-lhe conquistar/reconquistar o seu 6º Título Mundial): até porque “safando-se” (em função da sua qualidade e RM) só mesmo (e pondo de lado os finalistas) Stuart Bingham (atingindo os QF/27.000£) e Luca Brecel (atingindo as MF/45.000£). Para além da surpresa escocesa chamada Scott Donaldson subindo de 52ºRM para 39ºRM (certamente para o ano integrando o Top 64 e tendo entrada garantida no Circuito 2019/20).

 

Open da China

07.04.2019

Final

(melhor de 21 frames)

 

Fase

J

N

RM

J

N

RM

Final

Neil

Robertson

AUS

Jack

Lisowski

ING

11º

 

Local

Final

Sessões

Transmissão

Pequim

Domingo, 07.04

(21 Frames)

 

Vence o que ganhar 11 frames

1ªS

07:30

(1ª parte/2ªparte)

2ªS

13:30

(3ª parte/4ªparte)

Eurosport

(RM: Ranking Mundial)

 

a8KxDnI6_400x400.jpg

Scott Donaldson

ESC/39ºRM

(até às MF e caso vencesse o Open da China

substituindo David Gilbert no acesso direto − dos 16 melhores do ranking − ao Mundial)

 

Top16 do RM

(com aceso direto aos 32 jogadores presentes na fase final do Mundial)

 

RM

(RE)

J

N

£

(X1000)

RM

(RE)

J

N

£

(X1000)

(1º)

Ronnie

O’Sullivan

ING

1234

(13º)

Barry

Hawkins

ING

454

(5º)

Mark

Selby

ING

1097

10º

(30º)

Ding

Junhui

CHI

448

(7º)

Mark

Williams

GAL

1010

11º

(8º)

Jack

Lisowski

ING

406

(11º)

John

Higgins

ESC

755

12º

(6º)

Stuart

Bingham

ING

385

(3º)

Mark

Allen

IRLN

702

13º

(36º)

Shaun

Murphy

ING

370

(2º)

Neil

Robertson

AUS

682

14º

(18º)

Luca

Brecel

BEL

366

(4º)

Judd

Trump

ING

666

15º

(14º)

Stephen

Maguire

ESC

333

(9º)

Kyren

Wilson

ING

548

16º

(10º)

David

Gilbert

ING

306

Com o Vencedor do Open da China

– Neil Robertson ou Jack Lisowski –

A poder ainda acumular mais 135.000£ à tabela do RM

(RE: Ranking da Época £: Libras/Pontos para a tabela do RM)

 

Amanhã disputando-se a Final do Open da China e abrindo-se de imediato as primeiras portas de acesso à competição em que todos os profissionais de Snooker gostariam de estar presentes, atribuindo ao vencedor o tão apetecido título de Campeão do Mundo de 2019 para além de um prémio pecuniário e fabuloso (se comparado com outras provas de RM) de 500.000£ (200.000£ para o finalista vencido e Vice-Campeão do Mundo).

 

Fase Final decorrendo de 20 Abril a 7 Maio e com transmissão Eurosport.

 

(imagens: Joosep Martinson/Getty Images for Kaspersky/livesnooker.com − Scott Donaldson/@ScottD147/twitter.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:20

04
Abr 19

Última prova do Circuito Mundial de Snooker época 2018/19 (atribuindo ao vencedor um prémio de 225.000£) – com o detentor do troféu o inglês Mark Selby a ser eliminado logo na ronda de Qualificação − tendo o inglês Ronnie O’Sullivan como Líder do Ranking Mundial (que manterá concluída esta prova) e Neil Robertson (pelas suas últimas grandes exibições só travadas nas finais por Ronnie O’Sullivan) como principal favorito à vitória neste Open. E com o australiano e o inglês Stuart Bingham a serem os únicos (entre os 8 jogadores ainda em prova) a poderem repetir uma vitória numa prova de RM esta época (caso vençam, sendo a terceira) − tal acontecendo (obviamente a um deles) igualando The Rocket (com 3 vitórias em provas de RM).

 

JS114765978_Action-Images_The-Dafabet-Masters_tran

Ronnie O´Sullivan

The Rocket

ING/43 anos

Líder do RM

5X Campeão do Mundo

36 provas de RM

1008 breaks centenários

A caminho das 11.000.000£

 

Concluída a 3ª ronda do OPEN da CHINA são estes os encontros programados para os Quartos-de-Final (a disputar sexta-feira, 5 de Abril):

 

Fase

H

J

N

RM

J

N

RM

QF1

14:00

Sam

Craigie

ING

73º

Neil

Robertson

AUS

QF2

14:00

Alan

McManus

ESC

50º

Luca

Brecel

BEL

13º

QF3

19:30

Jack

Lisovski

ING

14º

Stuart

Bingham

ING

11º

QF4

19:30

Ben

Woollaston

ING

37º

Scott

Donaldson

ESC

46º

(H; Hora J: Jogador N: Nacionalidade RM: Ranking Mundial QF: Quartos-de-Final)

 

neil_robertson_world_champion_2010.jpg

Neil Robertson

The Thunder from Down Under

AUS/37 anos

7ºRM

1X Campeão do Mundo

15 provas de RM

632 breaks centenários

Tendo já ultrapassado os 4.000.000£

 

À entrada dos quartos-de-final do Open da China (última prova antes da disputa do Campeonato do Mundo de 2019) com o Top 64 devendo manter-se até ao início das Qualificações para o Mundial (exceção feita ao inglês Sam Craigie/73ºRM, estando presente na Final, integrando esse Top e retirando o seu compatriota Rory McLeod/64ºRM do mesmo) − dando acesso direto na próxima época ao Circuito Mundial de Snooker – com o mesmo a suceder com o TOP 16 (com o inglês David Gilbert/16ºRM a encerrar o grupo) caso não aconteça uma enorme surpresa: Ben Woollastan/ING/37ºRM,  Scott Donaldson/ESC/46ºRM ou então Alan McManus/ESC ganharem o XingPai China Open. O que na realidade seria um terramoto (pelo menos e na brincadeira para os chineses, sem Ronnie, sem Selby, sem Trump e sem Junhui, e ainda-por-cima a atribuirem um prémio milionário a um jogador "desconhecido").

 

(imagens: Action Image/telegfaph.co.uk − grovesnooker.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:02

26
Jan 19

[Com o Deutsche Bank (umas das maiores instituições financeiras mundiais) já falido e com o Baralho a Desfazer-se (veja-se o Brexit).]

 

A China à Conquista da Europa e do Mundo

 

beltroad_cina.jpg

Na concretização de um projeto do seu Presidente Xi-Jinping

(num caminho iniciado em 2013)

Repondo a Rota da Seda e pré-declarando a chegada do Novo Império

(substituindo o anterior)

 

Sendo certo que neste ano de 2019 (talvez com um apêndice em 2020, antes das Presidenciais Norte-Americanas) algo terá que suceder (de verdadeiramente relevante) de modo aos EUA surpreenderem (todo o Mundo) – confirmando-se como Imperio Reinante – mantendo por mais um pouco (pelo menos umas temporadas) o suspense Global sobre o Líder: vendo-se aí e então (face aos dois blocos em presença) qual a Força das Armas (neste início do ano já com o dólar sob ataque) – se as do Bem ou do Mal.

 

Sob a batuta virtual de Xi-Jinping (China) – e do seu país a caminho dos 1.400 milhões de habitantes/sendo o 3º em área – e de Vladimir Putin (Rússia) – e do seu país a caminho dos 147 milhões de habitantes/sendo o 1º em área, muito bem acompanhados por territórios estratégica e igualmente extensos (e ricos) como a Índia – a caminho dos 1.280 milhões de habitantes /7º em área – a Turquia – a caminho dos 77 milhões de habitantes/36º em área – e o Irão – a caminho dos 79 milhões de habitantes/17º em área – ou seja e considerando apenas estes 5 países cerca de 40% da população Mundial, o último Eixo do Mundo tendo como centro do mesmo o Atlântico e as suas margens a América e a Europa – assim decretado desde meados do século XIX, oficializado com a criação da NATO, já lá indo mais de 70 anos – mostra claramente que a deslocação desse Eixo (do poder Económico/Financeiro Global) se dirigiu ainda mais (talvez já irreversivelmente) para leste (tendo a Europa/o nosso continente como referência) tendo o Índico-Pacífico como ponto central e a América e a Ásia como fronteiras: deslocando-se (longitudinalmente) de Washington e centrando-se em Pequim e colocando nas mãos da China (e dos seus aliados como a Rússia) o Futuro do nosso Mundo (Sociedade/Civilização), antes (por nós) centrado na Europa, de seguida na América (do norte) e agora no Império da Ásia. E confirmando-se tal facto pela desagregação da Europa (com a economia a abrandar e nova Bolha a caminho) e pelo seu isolamento crescente (desta Europa bipolar, agora e depois do Brexit, nas mãos da dupla Merkel/Macron) face aos aparentemente desinteressados EUA (com Trump isolado internamente, a ter que optar até 2020 por algo espetacular a nível externo): com os EUA deixando cair (lentamente) a Europa, com a Rússia de costas voltadas para ela (virada para a sua parte asiática) e com as multidões de migrantes (entre elas africanas) a espalharem-se por todo o lado.

 

(imagem: agenziacomunica.net)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:09

16
Jan 19

 

Depois de iniciarem o seu próprio projeto de construção de uma Estação Espacial (agora que a ISS caminha rapidamente para o seu fim de atividade), lançando-se agora em direção ao nosso único satélite (natural) com a intenção de lá colocar a primeira base lunar (terrestre).

 

Colocados sobre a superfície do nosso satélite natural dois módulos terrestres

 

– Um módulo de alunagem e um ROVER –

 

6780078.jpg

O Outro Lado da Lua

Visitado pela China

(e com o ROVER já circulando)

 

Tendo como remetente a CHINA e a sua agência espacial CNSA,

 

Protagonizando neste episódio como um dos fatores relevantes desta missão

 

– E relevando todo o poderio científico e tecnológico chinês na área da EXPLORAÇÃO ESPACIAL, juntando-se aos EUA e à RÚSSIA –

 

A chegada pela 1ª vez de um artefacto de origem terrestre ao OUTRO LADO DA LUA

 

– A sonda automática CHANG’E-4:

 

O lado que observado pelo HOMEM a partir da TERRA nunca está visível, já que a Lua nos apresenta sempre a mesma face virada para nós.

 

Sendo assim os chineses os pioneiros nesta exploração lunar

 

– Tocando

The Dark Side of The Moon

(lado escuro para nós, apenas porque não o vemos) –

 

Num dos lados da Lua só anteriormente explorados por módulos orbitais.

 

iStock-153687718-1024x383.jpg

Base Lunar em perspetiva

Com os chineses querendo tomar a dianteira

(e com a Chang’e-4 a abrir o caminho)

 

[Uma boa hipótese para muitos dos teóricos da Conspiração (aqui com a colaboração dos Chineses) tentarem resolver alguns dos (seus) Mistérios da Lua, como a de que a mesma seria um elemento estranho (tendo cá chegado mais tarde), seria eventualmente oca (não maciça como a Terra), podendo ainda albergar alienígenas (razão pela qual os norte-americanos lá não voltaram) – não gostando estes da nossa presença por lá.]

 

(imagens: cnsa.gov.cn e gaia.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:58

04
Jan 19

[E os Chineses já Lá Estão.]

 

Com uma sonda espacial (terrestre e não tripulada) tendo como origem a CHINA a ser a primeira (do género) a tocar a superfície do OUTRO LADO DA LUA – a sonda CHANG’E-4 alunando ontem dia 3 de Janeiro de 2019 – este grande país asiático vira-se definitivamente para o Espaço como uma das formas (as outras prioritárias sendo a Económica e a Financeira) de se impor como uma das maiores potências Mundiais:

 

CHINA 1.jpg

 

Depois dos EUA e da RÚSSIA (ainda-por-cima agora que se prepara para a construção da sua própria Estação Espacial, num momento em que a ISS rapidamente se encaminha para o seu fim de vida) com a China a entrar neste grupo restrito e de dificílimo acesso e no Meio da História da Aventura Espacial do Homem, a poder intitular-se (a partir de ontem) como um dos pioneiros;

 

CHINA 2.jpg

 

E depois de norte-americanos e russos já terem alunado/circulado na superfície da LUA (os norte-americanos tendo mesmo presencialmente por lá passeado de carro/ROVER e a pé) mas na sua face visível (dado o movimento de rotação da Terra e de translação da Lua em torno de nós serem praticamente iguais – em torno de 24 horas – com o nosso satélite natural a apresentar sempre a mesma face virada para nós), agora com os chineses superando o obstáculo da interrupção nas comunicações (sendo a Lua o obstáculo) a alunarem mas (os primeiros a concretizarem-no) do Outro Lado da Lua (ou também como se diz/não sendo muito correto do Lado Mais Afastado da Lua ou do Lado Escuro da Lua/The Dark Side of The Moon).

CHINA 3.jpg

 

Tal como afirmam os chineses (e a sua Agência Espacial a CNSA) “abrindo um Novo Caminho da Exploração da Lua pelo Homem” e desde já colocando um olho em Marte, Júpiter e ainda nos asteroides.

 

(imagens: CNSA)

 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:14

Numa época em que os EUA apenas olham para o seu Umbigo (desprezando mesmo os seus mais fiéis aliados), não se percebe mesmo nada do que a Europa está à espera: numa altura em que (nomeada a sucessora de Merkel) já se deveria falar da falência da banca na Alemanha. E com os norte-americanos a olharem ainda mais a Oriente (Rússia, China e Irão).

 

The_Brandt_Line.jpg

A linha dividindo

O Hemisfério Norte Desenvolvido, Rico e Saudável

Do Hemisfério Sul em Vias de Desenvolvimento, Pobre e não recomendável

(atual)

 

Com o planeta Terra dividido em dois Hemisférios, o Hemisfério Norte e o Hemisfério Sul – com o primeiro deles a ser o Privilegiado e o segundo a ser o Esquecido (considerando-se o aproveitamento Civilizacional de todas as descobertas científicas e tecnológicas postas à disposição da Humanidade) – eis que um Evento ao nível da Extinção vem marcar uma alteração profunda no cenário desde há tempos observado no Hemisfério Norte: tragicamente, sob os nossos olhos e sem que se faça nada em contrário, com o Protagonismo deste Hemisfério a passar de Ocidente para Oriente. E como acontece sempre nestas ocasiões (a ocasião faz o ladrão) com o Predador julgando-se na Selva (e achando-se ainda o mais forte) a deslocar-se para o território das suas potenciais e novas vítimas: aqui com os Norte-Americanos a virarem as costas à Europa (entretida com o Brexit e com Putin) e sem hesitações dirigindo-se rumo à Ásia. Amanhã completando-se a Queda de um Império (depois do Romano, o Norte-Americano) e confirmando-se a sua substituição por um outro (previsivelmente o Império Chinês), ficando ainda por se saber qual o papel da Europa no Futuro da Construção do Mundo (que não só da Terra como também do Espaço). Nem sequer se falando aqui da Rússia com a China (talvez) já dominando o Mundo.

 

-1x-1.png

No início da 2019

Comparando as previsões de crescimento

Do GDP da China e da Europa

(1960/2018)

 

Progressivamente e de um modo aparentemente irreversível com o Eixo Económico Mundial (e por associação Financeiro) a transferir-se do Grupo centralizado em torno da região do Atlântico-Mediterrânico – liderado pelos EUA & apoiado pela (maioria da) Europa (sobretudo os mais poderosos) – para um novo Grupo centralizado na região do índico-Pacífico – liderado pela China & apoiado pela (maioria da) Ásia (sobretudo pelos mais poderosos) – deve ser no mínimo preocupante para a Europa (hierarquicamente considerado um subordinado dos EUA) não só o conjunto da Economia Asiática ter já ultrapassado a da América (continente) em 2016 como igualmente o do crescimento económico da própria China (visto individualmente) ser (desde já) cerca do triplo de uma vintena dos mais poderosos países Europeus (do Euro). Podendo-se assim afirmar ter chegado o Século da Ásia (século XXI) com a Europa (para além do colosso Chinês) a competir com países como o Japão, a Índia, as Filipinas, a Indonésia e a Coreia do Sul (entre outros).

 

THE_WORLD_MAP_OF_THE_FUTURE_(2018_-_3018)...WOW!.j

Uma possibilidade de divisão política/ideológica

Do nosso planeta Terra

Para um Futuro Mapa do Mundo

(apontando para o ano de 2038)

 

No presente início deste Ano Novo de 2019 DC, com um dos Eixos Virtuais (e fundamentais por civilizacional) da Vida do planeta Terra – o Económico/Financeiro – tendo já iniciado a sua irreversível deslocação – anos antes (claramente e para quem quis ver/dadas as consequências trágicas dessa cegueira) – e inclinando-se desde já vertiginosamente (quase 40⁰ em latitude) em relação à sua posição anterior – Washington latitude/38,9N e longitude/77,0E contra Pequim latitude/39,9N e longitude/116,4E e distando mais de 11.000Km – com a estratégica política de Donald Trump (esmagado pelos Média autointitulando-se representantes da Sociedade Civil) e da sua Administração Republicana (e Populista) mais uma vez realinhada com a tradicional opção política dos representantes desse partido – suportada pelo apoio incondicional da sociedade não civil apoiada pelo denominado Complexo Industrial Militar – a manter o rumo entretanto tendo vindo a ser consolidado, desde o abandono de Acordos Civis (como o das Alterações Climáticas, do Tribunal Penal internacional e agora da UNESCO) até à reorientação dos alvos militares (agora considerados) estratégicos: por algum motivo abandonando a Ucrânia e a Síria (deixando esses problemas para a Europa, como se já não bastasse a crise, as migarações e o Brexit) e reorientando todas as suas baterias (pelo menos as mais poderosas) tendo como alvo a Rússia, a China e claramente o Irão.

 

6a00d8341c82d353ef0133ed850e7c970b.jpg

Uma visão alucinante do planeta Terra

E da sua divisão geopolítica

Segundo um cidadão comum norte-americano

(citando cinabrio blog a partir de Wikileaks/George Friedman)

 

Para além da responsabilidade destas na deslocação do Eixo Terrestre convindo destacar igualmente o caso da Venezuela (o apêndice do Eixo do Mal da América do Sul): quanto aos países do Mundo com maiores reservas de Petróleo (por explorar e com 8 deles com perspetivas significativas) vindo em 1º lugar a Venezuela/13º produtor, em 4º lugar o Irão/7º produtor e em 8º lugar a Rússia/2º produtor). Ah…e ainda vindo a China em 15º lugar/6º produtor.

 

Pelo que não sendo surpreendente que face às tensões globais resultantes deste cenário agora envolvendo dois Blocos (ao contrário de apenas um, desde a inceneração definitiva, do extinto Bloco de Leste) – pelo Império ainda Reinante (EUA) integrando no menu ameaças e/ou chantagens (sansões), muito dinheiro ou papel (dólares) e ainda montes de armas – o elo mais fraco (antes tido forte) se vá (o Dólar) tão frágil é a sua base, assente num mero papel (sucumbindo o restante menu): bastando na troca impor idêntica correspondência em valor (real/efetivo) no objeto transacionado. E aí surgindo o OURO! Depois da China e da Rússia com outros países asiáticos – gigantes como a Índia, países charneira como a Turquia e produtores de petróleo (com grandes reservas) como o Irão – nas suas trocas comerciais (protegendo-se contra a flutuação da moeda) a começarem a exigir Ouro como forma de pagamento, não aceitando o papel (o dólar) e as consequências da (sua) adoção (impostas pela sua origem) – de trágicas consequências (na supremacia e poder global) para o Imperio atual (e para o colateral caso de Portugal).

 

(imagens: Wikipedia.org – Bloomberg – wikia.com – over-blog.es)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:54

03
Nov 18

Na sua 7ª edição (consecutiva) desde o ano de 2012 (quando se realizou a sua 1ª edição), o INTERNATIONAL CHAMPIONSHIP disputado na CHINA, teve até ao presente (incluindo a 6ª edição) 5 vencedores diferentes (num total de 9 finalistas): MARK SELBY/ING 2X, JOHN HIGGINS/ESC, RICKY WALDEN/ING, DING JUNHUI/CHI e JUDD TRUMP/ING todos 1X (a estes adicionando-se os Finalistas derrotados Mark Allen/IRLN 2X, David Gilbert/ING, Marco Fu/HK e Neil Robertson/AUS todos 1X).

 

1ª Meia-Final

(2 Novembro 2018)

À melhor de 17 frames

 

_104117828_markallen.jpg

Mark Allen

(Mark Allen beats Matthew Stevens 9-6 to reach final/BBC)

 

J

N

RM

1ªS/1ªP

1ªS/2ªP

2ªS/1ªP

2ªS/2ªP

F

Mark Allen

IRLN

11

1

4

2

2

9

Matthew Stevens

ESC

44

3

0

2

1

6

Evolução

Frames

-

-

1-0; 1-1

1-2; 1-3

2-3; 3-3

4-3; 5-3

6-3; 6-4

6-5; 7-5

7-6; 8-6

9-6

-

(J: Jogador N: Nacionalidade S: Sessão P: Parte F: Frames)

 

À chegada às Meias-Finais da 7ª prova do Circuito Profissional (época 2018/18) contando para o Ranking Mundial (RM) – de Snooker – com 4 jogadores de nacionalidades diferentes a poderem estrear-se ou a repetir a proeza, vencendo a Final e conquistando o troféu – de uma prova de RANKING: podendo estrear-se a vencer 1 prova de Ranking ALLEN, LISOVSKI ou STEVENS e podendo repetir a presença na Final – mas agora vencendo-a – ROBERTSON (derrotado na 1ª edição por TRUMP).

 

2ª Meia-Final

(3 Novembro 2018)

À melhor de 17 frames

 

5283-3522-2.30995513.jpg.gallery.jpg

Neil Robertson

(Neil Robertson beats Jack Lisowski to reach Daqing final/WirralGlobe)

 

J

N

RM

1ªS/1ªP

1ªS/2ªP

2ªS/1ªP

2ªS/2ªP

F

Neil Robertson

AUS

9

2

2

3

2

9

Jack Lisovski

ING

17

2

2

1

2

7

Evolução

Frames

-

-

0-1; 1-1

2-1; 2-2

3-2; 3-3

3-4; 4-4

4-5; 5-5

6-5; 7-5

8-5; 8-6

8-7; 9-7

-

(J: Jogador N: Nacionalidade S: Sessão P: Parte F: Frames)

 

E apurados os dois Finalistas do 2018 International Championship – o australiano NEIL ROBERTSON e o norte-irlandês MARK ALLEN – estando marcado para o próximo domingo (4 de Novembro) a disputa da FINAL (da competição) desenrolando-se esta em duas sessões (1ªsessão/07:00 e 2ªsessão/12:30 – hora de Portugal) e à melhor de 19 FRAMES. Estando por um lado em jogo a 2ª vitória do australiano Neil Robertson em provas de RM nesta época de 2018/19 – e a subida a 1º de Líder do RM da Época – e pelo outro lado a 1ªvitória esta época do norte-irlandês Mark Allen numa prova contando para o RM – para além da sua subida a 7ºRM.

 

Campeonato Internacional

FINAL – Daquim/China

4 Novembro 2018

 

NEIL ROBERTSON – MARK ALLEN

 

Uma Final a ser disputada pelos dois jogadores que mais fizeram para isso nas 6 eliminatórias – anteriormente disputadas (RQ/1ªR/2ªR/3ªR/QF/MF) – e que no Ranking Provisório da Época ocupam de momento o TOP 4: e Vencendo (um ou outro) chegando a Líder Provisório (da época). Num frente-a-frente ROBERTSON/ALLEN e dos 22 jogos disputados entre si, com Robertson tendo ganho 14 e Allen tendo ganho 8, com o último duelo entre ambos a ser favorável a Allen (por 5-4 no Open Mundial de 2017/últimos 16) e com a única Final a ser disputada entre ambos a ser ganha por Robertson (2015 Champion of Champions vencendo por 10-5). Razão pelas quais as apostas apontam para o favoritismo do australiano: ROBERTSON 52.5% e ALLEN 47.5%.

 

(imagens: bbc.com – wirralglobe.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:21

Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

15

24
25
26
27

28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO