Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

09
Jan 19

Sem ninguém (ou seja os norte-americanos) no local a tomar conta deles!

 

Com o veículo motorizado chinês YUTU-2 a movimentar-se livremente (s/concorrência) e às escondidas (de uma forma solitária e n/existindo “lunáticos”)

Pela superfície do nosso único satélite (em princípio natural apesar de algumas diferenças) a Lua (no seu lado para nós na Terra oculto).

 

A Lua

 

Depois de norte-americanos e russos já terem por lá andado (presencialmente e/ou através da presença de substitutos) eis que agora são os chineses a apontarem para a Lua e a tentarem fixar-se por lá: enviando para o nosso único satélite (natural) mais um veículo motorizado – o YUTU-2 – e logo o remetendo (dando logo para desconfiar) para o Outro Lado da Lua (aquele que nunca se vê se observado da Terra). E para além da chegada à Lua de mais um enviado do Eixo do Mal (juntando-se assim aos russos) – deixando os representantes de Deus (os EUA pelo menos na Terra) cada vez mais isolados (representando o Eixo do Bem) – sendo deveras suspeita a escolha da Outra Face: sabendo-se das dificuldades de Comunicação (com a Terra) estando-se do Outro Lado (da Lua) deixando-nos a todos alarmados (e de sobreaviso) sobre as intenções dos chineses. Científicas, Comerciais ou mesmo Coloniais (de Expansão de um Novo Império)?

 

6780050.jpg

Com o ROVER chinês YUTU-2

Já se movimentando na superfície da Lua

 

Da Terra

 

E sabendo-se no Presente qual o papel Interno destas três grandes potências espaciais (EUA, Rússia e China) no Futuro do planeta Terra (Social, Económico, Financeiro, Civilizacional) com o Eixo Económico-Financeiro Mundial a deslocar-se da região do Atlântico (EUA & Europa) para a região do Índico-Pacífico (China e Ásia) – assim como prevendo-se (desde já) o papel fundamental destas (mesmas potências) no desenvolvimento e Evolução da Vida no nosso planeta – com um Império entrando em decadência e sendo substituído por outro Império (de uma forma irreversível) emergente – sendo cada vez mais premente de questionar (agora que a Europa – sem referências económicas ou culturais desde a falência da URSS e da Alemanha – caminha para o abismo) qual a posição a tomar pelos ainda no Poder, agora que os EUA se fecham para o Mundo (com a sua política protecionista, não existindo amigos ou inimigos) e se preparam (aparentemente) para um novo assalto (não se sabendo para já qual, mas dependendo certamente da evolução da luta, Trumpistas versus Não Trumpistas).

 

(imagem: cnsa.gov.cn)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:17

13
Dez 18

E mesmo num solo em princípio árido, estéril, seco e gelado

– Como o é aquele que o nosso satélite natural nos proporciona –

Com a visão de Longo Alcance e a Estratégia de Negócios dos chineses a apoderarem-se de um dos objetivos da missão e a enviarem para o Outro Lado da Lua não só sementes como os seus imprescindíveis acompanhantes os insetos.

 

The lander (of Change’4) carries a 3 kilogram sealed container with seeds and insect eggs to test whether plants and insects could hatch and grow together in synergy on the dusty lunar surface:

 

"We want to study the respiration of the seeds and the photosynthesis on the Moon."

(Liu Hanlong, chief director of the experiment and vice president of Chongqing University)

 

Change4Rover.jpg

O Rover da sonda chinesa Change´4 na Lua

(ilustração – CNSA)

 

A caminho de se transformar no centro do Mercado Económico e Financeiro Mundial, o país mais populoso deste nosso planeta (quase 1,4 mil milhões) e apresentando a maior área de seu território (mais de 9,5 milhões de Km²) – a Republica Popular da China – antecipando um Futuro de sobrelotação (populacional) e de carência crescente de matéria-prima (com a exploração exaustiva e ininterrupta da Terra), como que sentindo-se um pouco limitado e em vias de se tornar num conjunto potencialmente Claustrofóbico (com a população Mundial a caminho dos 8 mil milhões e a área da superfície mantendo-se), decidiu responsavelmente abandonar a sua Zona de Conforto (o Ecossistema Terrestre) e dirigir-se decisivamente para a Lua: na sua direção enviando uma sonda automática (não tripulada) – a CHANGE’4 carregada por um foguetão Longa Marcha 3B – lançada a 7 de Dezembro e alunando já no ano seguinte a 3 de Janeiro (de 2019). Uma sonda equipada com um módulo de alunagem (destinado a durar 12 meses) assim como de um ROVER lunar (destinado a durar 3 meses). Numa missão da responsabilidade da CNSA (agência espacial governamental chinesa) e concretizada a partir de um lançamento efetuado no Centro de Lançamento de Satélites de Xichang (localizado na China).

 

Chang-e4_Auto18.jpeg

Lançamento da sonda Change’4

(transportada por um foguetão Longa Marcha 3B)

 

Com a sonda chinesa Change’4 a alunar na zona mais afastada da LUA (o outro lado do nosso satélite natural nunca exposto na nossa direção) – na cratera de Von Kármán – fazendo História pelo seu ato de pioneiro (a primeira sonda automática e não tripulada a fazê-lo) mas envolvendo no seu caso problemas adicionais de comunicação (ou não estivesse estacionada a sonda do Outro Lado da Lua, interpondo-se esta última na transferência de dados Terra/Lua). Preparando o caminho para as suas sucessoras e já com a Change’5 dando um passo mais à frente, recolhendo amostras (do solo lunar) e reenviando-as para Terra: para mais tarde enviar astronautas e a partir daí fundar a sua primeira Base Lunar. E tendo já em projeto a sua própria Estação Espacial (com a ISS a caminho do seu limite de vida), o envio de sondas para mundos mais distantes e prometedores (como Marte e a lua Europa), a criação de postos espaciais intermédios e de apoio (naturais ou artificiais) e previsivelmente Esgotada a Terra seguindo-se a Conquista do Espaço. Pelo que a partir do fim do Programa Apollo e da ida do Homem à Lua em naves por si tripuladas – já lá vão 46 anos (Dezembro de 1972) – poderemos estar com os chineses a abrir de novo os olhos à exploração espacial. E desse modo à salvação da nossa própria espécie.

 

(texto/inglês: Kerry Ebden/room.eu.com – imagens: room.eu.com/CNSA e eoportal.org/CASC)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:51

06
Jun 18

[Com uma das suas principais entidades patronais e financiadoras ‒ o Governo dos Estados Unidos da América ‒ a poder assumir face ao momento da inopinada redescoberta das Fake News, posições diametralmente opostas.]

 

Se ainda tens dúvidas sobre as diversas plataformas privadas que enchem as vias da WEB com múltiplas (e estrategicamente distribuídas) Estações de Serviço prontas para nos informarem, orientarem e dirigirem,

 

‒ Sempre graciosamente (sem custos para o utilizador tal como inicialmente as SCUT em Portugal)

 

aHR0cDovL3d3dy5saXZlc2NpZW5jZS5jb20vaW1hZ2VzL2kvMD

 

Basta olhar para o contrato estabelecido entre a Google (uma organização privada aparentemente trabalhando para a sociedade civil) e o Pentágono (uma organização governamental colaborando com os militares através do Departamento de Defesa Norte-Americano),

 

Com os primeiros a oferecerem indevidamente dados pessoais/privados (recolhidos para utilização civil e para sua exclusiva utilização e usufruto social e cultural) e entregando-os,

 

‒ Mais corretamente comercializando-os para benefício próprio, logo com custos mesmo que indiretos para o utilizador (curiosamente tal como cá sucedeu com as SCUT começando a ser pagas)

 

Nas mãos dos Militares:

 

Facilitando-lhes a vida no reconhecimento aéreo e na sua respetiva aplicação militar,

 

‒ Através do uso desse Software preciso, geográfico, localizador e ainda-por-cima sendo periodicamente atualizado

 

Numa das suas áreas de combate sem tropas no terreno e à distância (de modo a evitar envio de tropas e as respetivas explicações para as vítimas mortais no campo de batalha entre os norte-americanos) e desde o anterior Presidente (Democrata) muito em voga,

 

Dada a excelente razão nº de vítimas/nº de assassinos e sendo o segundo a unidade, tentendo o valor final para infinito

 

Utilizando os já famosos (e extremamente mortais por matarem tudo em redor culpados e inocentes) Drones (Os Filhos Bastardos de Obama).

 

E assim depois do Facebook,

 

‒ E da sua opção comercial pela partilha (não autorizada e como tal ilegal) de dados comerciais dos seus utilizadores (sigilosos)

 

Photo-of-Brain-in-Hands.jpg

 

Poder ser colocado sob problemas judiciais dada a sua política (aplicada) de privacidade da empresa,

 

(depois do rebentar do escândalo Cambridge Analytic ‒ Utilizando indevidamente dados de quase 90 milhões de utilizadores do Facebook ‒ respondendo ao Congresso Norte-Americano, ao Parlamento Europeu e agora sendo acusado de partilhar igualmente dados com empresas chineses)

 

E recordando já problemas anteriores (ainda persistindo) tidos com gigantes do mesmo ramo e nacionalidade como a Microsoft (eletrónica e informática Made in USA),

 

‒ Para já não se sabendo nada de especial sobre outras plataformas como o presidencial Twitter

 

Surgindo agora a Google e o seu papel (desempenho) Militar numa plataforma Civil.

 

Face a possíveis questões legais (e consequências criminais) podendo colocar em questão (a muito curto-prazo) essa sua opção,

 

‒ Por exemplo (e tendo a si como objetivo) divulgando os seus dados pessoais (e ideias) sobre religião, política, amigos e vida social (entre outros)

 

Tomando agora em consideração o aviso (o cerco aperta-se em torno de Zuckerberg) e prometendo tomar medidas (futuras e preventivas).

 

Mas de novo com o Congresso Norte-Americano à perna (motivo: os chineses da Huawei).

 

(imagens: iStock/Getty Images Plus/livescience.com ‒ poweredbyintuition.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:00

03
Abr 14

Bases

 

A Potência (dos Pontinhos Azuis)

 

Como se pode ver pelo mapa anterior é mais do que evidente para todas as pessoas percebendo minimamente de geoestratégica, a grande ameaça que a Rússia representa para a Europa e para o resto Mundo. Apesar das bases assinaladas com pontinhos azuis – e como se vê espalhadas por toda a Europa – não serem propriamente russas, é fácil de entender o perigo que representaria para a potência associada aos pontinhos azuis, se permitisse sem contrapartidas consideradas superiores que a Rússia continuasse instalada na Crimeia, por acaso – e para a sua frota naval – localizada na única saída disponível para o mar Mediterrâneo. Uma fenda na Muralha de Pontinhos Azuis podia ser a oferta ingénua e inconsciente dum corredor aberto, para a invasão russa da Europa. Irredutível na sua posição paternalista de defesa dos seus protegidos europeus, a potência dos pontinhos azuis reclama desde logo uma contrapartida devida à sua ajuda desinteressada, propondo um boicote imediato aos russos e porque não ao seu gás. Nos EUA estes azuis já se preparam para atacar o dinheiro estrangeiro colocado na Reserva Federal Norte-Americana – a maioria do dinheiro aí depositado – começando como ameaça e depois como exemplo, pelos dólares russos aí guardados (com a J.P. Morgan a tomar a iniciativa). Mas o que pensarão disso (por exemplo) os Chineses, talvez os maiores detentores de dólares a nível mundial e os maiores “accionistas” da Reserva? Quanto à Europa a sugestão do boicote ao gás russo até que poderia ir adiante, mas convém relembrar que 1/3 do gás que o continente utiliza vem desse lado; e que os EUA têm gás, mas que como sugeriu Obama ao ser questionado sobre o assunto, naturalmente é para ele (e para a manutenção das suas reservas estratégicas). Se quisessem teriam que pagar e lá estourava o preço do gás. Já agora não custa nada em dar mais uma olhadela muito pequenina no mapa esclarecedor e verificar como a Rússia e China estão limpinhas e cada vez mais cercadas pelos tais Pontinhos Azuis.

 

Boeing 777

 

O Avião Azul (Branco e Vermelho)

 

Quando vamos a caminho da quarta semana desde que o Boeing 777 das Linhas Aéreas da Malásia desapareceu misteriosamente dos radares na sua viagem entre Kuala Lumpur e Pequim, ainda ninguém conseguiu explicar aos familiares dos tripulantes e passageiros do voo MH 370 o que na realidade se passou. Apesar de algumas entidades oficiais terem desde já decretado “a queda do avião no mar e a morte de todos os seus ocupantes”. A versão oficial resume-se ao seguinte: com intervenção exterior ou não – o piloto poderá mesmo ter cometido suicídio – o avião alterou a sua rota original, dirigindo-se então para o oceano Índico e aí se despenhando. Esta versão é estranha e um pouco difícil de engolir, parecendo mesmo um caso de encobrimento duma outra realidade muito mais dura (por prepotente e criminosa) e que poderia ter consequências políticas muito graves na opinião pública mundial – que o poder ainda não se pode dar ao luxo para já de perder. No entanto se não nos deixarmos levar por esta onda generalizada de adormecimento e aceitação definitiva (por cansaço repetitivo), poderemos tentar ligar alguns pontos que por aí continuam soltos e que por acaso ninguém lhes pega e tente compreender e enquadrar. E se por acaso estivéssemos em presença dum caso típico de sequestro de um avião por parte dalgum tipo de organização terrorista – privada ou de estado – que o teria tentado desviar com um determinado objectivo, acabando no fim por ser bem ou mal sucedida nas suas reais pretensões? Poderia ter aterrado nalguma pista ou até ter sido abatido em pleno ar. O primeiro caso é pouco credível pois mesmo que afirmem o contrário muito dificilmente qualquer objecto daquele tamanho fugiria a todos os “olhos e espiões” instalados naquela sensível região do sul asiático, permanecendo até hoje e pelo menos segundo todos os canais oficiais totalmente indetectável. Por isso achar que racionalmente – e dado a luta travada pela supremacia na zona entre duas grandes potências como a China e os EUA – a última hipótese será a mais fácil e natural de aceitar: é que são muitos os interesses económicos em jogo e tudo roda à volta da subjugação do sujeito (o homem) relativamente ao objecto (a mercadoria). Só que ficaríamos apenas em mãos com duas alternativas possíveis: ou o Boeing 777 tinha sido abatido pelos chineses ou então pelos norte-americanos (ainda agora o diário online espanhol ABC se referia a uma possibilidade que começava a tomar forma e consistência nalguma comunicação social sob o desaparecimento do voo MH 370, afirmando que este poderia ter sido mesmo abatido aparentemente após ter sido sequestrado, de forma a evitar um ataque semelhante e com o mesmo impacto ao ocorrido nos EUA na tragédia do 11 de Setembro em torno das torres do WTC). Apesar do aparelho voador branco ser atravessado por linhas e outras figuras azuis e vermelhas, não podemos aqui e mais uma vez de reparar na presença do agente Azul, não como uma certeza duma ideia talvez como uma mera e oportunista coincidência – pelo menos mais uma oportunidade de confirmar que nem tudo é conspiração e que com várias cores se constroem realidades, umas diferentes das outras conforme a supremacia da cor. Se não foram os chineses então foram os Russos! Já agora onde fica Diego Garcia?

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:52

14
Dez 13

Fixem o dia: 14 Dezembro 2013

 

“ET's tenham cuidado, chegaram os Chineses”!

 

Agora que os norte-americanos parecem querer abandonar a exploração do Espaço e ainda por cima com os russos apáticos a limitarem-se a observarem o que estes fazem – sem perceberem que o Novo Mundo pós-Guerra Fria já aí está e provavelmente não mais os irá contemplar – eis que a China toma em suas mãos o filão (não esquecendo a Índia) e arranca para a Conquista do Universo. Eles sabem de onde vem o poder e onde está a matéria-prima de que necessitam para o tomar em mãos!


Local de alunagem da Chang'e 3

(situado muito próximo do local da aterragem – sinalizado à esquerda – da antiga sonda soviética e do seu rover o Lunokhod 1)


Primeira fotografia da Lua

(e do local de alunagem localizada na Baía do Arco-íris mais precisamente na zona conhecida como Sinus Iridum perto da cratera Laplace 1)


Satisfação no Centro de controlo da missão

(após a alunagem com sucesso da sonda Chang'e 3 carregando o seu rover lunar Yutu, transmitida em directo pela estação estatal CCTV)


Sonda Chang'e 3 e rover lunar Yutu

(em mais um dos passos gigantescos da China na conquista do Espaço e da Lua, para já apenas com os seus robots de exploração e amanhã com tripulação humana para a colonização do nosso satélite)

 

Enquanto isso neste país de (galos) eruditos teóricos e sem qualquer tipo de experiência prática – mas demonstrando uma extraordinária sapiência, como verdadeiros galos/sábios no meio de um galinheiro (mas então quantos galos tem um galinheiro?) – a Arte nada vale, a Cultura nada vale, a Educação nada vale, a Saúde nada vale, a Ciência nada vale...só nos restando dizer “que grande galo o nosso”!

 

Só te safas se ofereceres o traseiro ou se então tiveres dinheiro!

 

(imagens – space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:12

24
Jun 11

Serra dos Candeeiros – PhotoGrácio

 

A pedra que os chineses adoram, é natural das Serras de Aires e dos Candeeiros.

 

Este calcário proveniente de uma formação rochosa da era Jurássica, apresenta características particulares que o distingue dos outros, como é o caso da pedra que sai do Codaçal.

 

“Moca Creme” é o nome dessa pedra, cor beje e uniforme.

 

Para nós é um simples calhau, como muitos que por aí andam.

 

Mas para os chineses não, que os utilizam abundantemente, em fachadas e interiores de grandes empreendimentos imobiliários.

 

À módica quantia de 600 Euros, o metro cúbico!

 

Quanto à ventoinha trata-se de um parasita recente que se adapta facilmente a este ambiente decomposto, fixando-se pela base ao solo seco e queimado e ajustando-se com retorno a todas as circulações de ar a nível superior e colectivo.

 

 

(texto apoiado em artigo da revista Visão Online)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:48

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO