Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

08
Abr 14

Perdida a possibilidade da utilização da sua candidatura às Europeias, o nosso país ainda pode recorrer a ela para os próximos actos eleitorais – e até com isso poder candidatar-se a um Óscar!

 

Aproveitando o impacto global que terá no ano de 2015 a estreia da primeira longa-metragem contando com a participação da celebridade mundial conhecida como Ovelha CHONÉ, as PA propõem como potenciais candidatos a futuros cargos públicos de chefia as seguintes individualidades (as eleições legislativas são já em 2015):

 

A Ovelha CHONÉ

 

O FAZENDEIRO a Presidente da República

BITZER (o cão) a Primeiro-Ministro

SHAUN/CHONÉ a Presidente da Assembleia

OS PORCOS a representantes da Oposição

 

Entretanto a letra oficial do hino da campanha já está escolhida:

 

Ele é ovelha, ele é choné

Goza com quem não sabe lá, sol fá, mi, ré

Mas não te esqueças

Ele é especial!

É uma festa com a Ovelha Choné.

Ele é ovelha, ele é choné

Não perde o ritmo mesmo sem bater o pé (bater o pé)

Talvez um dia haja maneira...

De te juntares à Ovelha Choné

Ou balir com a Ovelha Choné.

 

Esperamos que a nossa sugestão seja aceite naturalmente, podendo-se assim transformar definitivamente o nosso país num caso extraordinário e de sucesso garantido, tal como o que acontece no Mundo Maravilhoso da Ovelha amplamente confirmado com o seu enorme sucesso televisivo.

 

(letra do hino: Wikipedia – imagem: Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:09

27
Dez 13

“O Mundo da Ovelha CHONÉ até que podia ser o Meu”

 

Posição demonstrativa de à vontade e de natural responsabilidade

 

A minha geração ainda foi educada por professores escolhidos não sei bem como pelo Ministério da Educação Nacional, tendo desde a minha infância escolar cumprida no Porto a minha instrução primária – ainda com turmas separadas de rapazes e raparigas – e o subsequente ciclo preparatório no liceu Alexandre Herculano (enquanto a minha irmã como rapariga o cumpria no liceu Rainha Santas Isabel). Com dezassete no exame nacional de matemática – perto de começar a ler o Tintim, alguns escritores portugueses e posteriormente a literatura cativante de ficção científica – emigrei para os subúrbios do Porto, indo frequentar o antigo sexto e sétimo ano da alínea f) do liceu no recentemente criado (e improvisado) liceu de Espinho: aí concluí o meu percurso no liceu e fui voluntário no então criado ano propedêutico. Dispensado do exame de aptidão à Universidade vi-me confrontado com a anulação do exame para os restantes alunos/candidatos (meus colegas) e face à verdadeira invasão registada no acesso ao curso de Medicina (médico = dinheiro) e à possibilidade da respectiva universidade não abrir nesse ano lectivo, fugi inconscientemente para Engenharia (engenharia = dinheiro). Mas nesse período relativamente jovem, ignorante e ingénuo da nossa história ainda recente, vacilamos de novo um pouco, comprometendo nesse instante tão abstracto como real a parte melhor da nossa geração: mas alguma coisa ficou no cenário e alguns mestres conseguiram decifrá-lo e ensiná-lo.

 

Isto tudo a propósito de quê?

 

Solidariedade cultural e com memória de grupo

 

A minha geração ainda teve a sorte e o engenho de apanhar certos eruditos da experimentação vindos das margens ignoradas mas férteis do antigo regime e de todos aqueles leigos ou eruditos que procuravam à sua maneira e com o sacrifício da sua própria vida a sua memória e a sua cultura por prazer e sem a tal serem obrigados, com o único objectivo conceptual e desígnio sagrado de vida de reforçar a sua esperança e o futuro da sociedade. No entanto a geração seguinte desperdiçou tudo o que lhe foi oferecido, talvez por facilitismo de acesso ou por incompreensão dos factos históricos verificados no passado. Tudo por culpa dum sistema que face à boa situação económica do sistema parou e estabilizou, em vez de evoluir para uma nova fase que pudesse sustentar no futuro todo o tipo de cenários possíveis até os mais imprevisíveis. A última geração é a Geração do Vazio e da Indiferença: ultrapassada a desculpa da Geração Rasca os jovens vêm-se hoje em dia na necessidade dramática e de sobrevivência de abandonarem o seu Grupo e de partirem para lá das suas fronteiras de dignidade, obrigados a esquecer por necessidade pessoal e salvaguarda financeira dos seus, as suas origens, os seus antepassados e as suas tradições.

 

Hoje em dia o sistema educativo já está completamente destruído, continuando apenas a cumprir o seu processo normal de decomposição e extinção definitivo, sendo entretanto e progressivamente substituído por um outro sistema de orientação psicológica de massas, menos selectivo e mais extensivo e necessariamente de menor qualidade e englobando democraticamente – por obrigatoriedade moral de cumprimento de serviços mínimos – a generalidade da população.

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:12

09
Out 12

Albufeira – Novos Ficheiros Secretos

(04/09)

 

“O Nada não existe – é apenas uma parte do todo!”

 

Como nos atrevemos nós, parte minúscula e cada vez mais descaraterizada dum mundo assumidamente proxeneta, em dividir o que nos rodeia em mundos com vida e outros mundos sem vida. Todos nós sabemos que no canto mais perdido do Universo, a vida surgirá sempre como uma entidade sempre presente e omnipotente, mesmo no nada mas sempre vindo do nada.

 

I

A Terra – Perdida no Espaço

 

 

A Terra como é vista a partir da sonda CASSINI nas proximidades do planeta Saturno

(O Nada e O Todo intersectam-se continuadamente complementando-se até ao Infinito e criando um Universo Ilimitado de Mundos Paralelos que não conseguimos distinguir por limitações sensoriais e por paralaxe de sobreposição)

 

A Terra – em tempos muito recentes – já foi o centro do Universo, a nossa origem e o nosso destino.

À volta estaria o Céu e a eterna felicidade e no fundo o Inferno, com as suas chamas do pecado.

E por esses tempos ainda muito frescos na nossa memória coletiva, a Igreja aparecia desde logo como uma das partes fundamentais da instituição do poder, respeitada e também muito temida, mas também recebedora no seu seio, de muitas das grandiosas ideias surgidas nessa época.

Talvez acabando arquivadas, mas fontes de muitos estudos e de movimentos revolucionários.

Galileu é um dos casos mais divulgados desta perceção errada da realidade, que mesmo com a persistência irracional do seu erro e das tomadas de posição políticas ameaçadoras e extremamente repressivas para com os Profanos, acabou por dar origem a uma nova teoria explicativa da verdadeira posição hierárquica da Terra no Universo, despromovendo-a face ao Sol, pela adoção da Teoria Heliocêntrica.

Depois – e num instante – tudo mudou: o centro era agora o Sol e a Terra um dos seus filhos ainda vivo e presente, todos circulando em conjunto num sistema vivo e aberto, perdido num ponto indefinido de um Universo em constante transformação, sem princípio nem fim, ilimitado.

 

II

INTERREGNO

A Terra – Um Mundo sem Chefe

 

General Dino Sauro

Um importante elemento das forças de intervenção militar – ligadas ao poderoso grupo dos Alienígenas Exteriores – destacado para funções de proteção e segurança no vizinho planeta Marte

 

A Terra encontra-se agora entregue a si própria, terminada que está a Aliança anteriormente estabelecida entre terrestres e extraterrestres – através da criação anterior de diferentes grupos de estudo e intervenção – e desfeita posteriormente após a intervenção da associação de Alienígenas Exteriores, visivelmente preocupados e agastados com as intromissões sucessivas vindas do exterior e tendo como alvo interesses estratégicos nesta região da Via Látea. Duros e implacáveis na defesa dos seus interesses inalienáveis, este grupo de Alienígenas Exteriores conseguiu forçar a retirada de todos esses elementos estranhos ao mundo dos terrestres, mantendo apenas um grupo particular – os Russellianos – para verificarem o cumprimento integral do acordo estabelecido entre as partes em conflito.

 

          

Marte visto pela NASA

Estas estruturas que aparecem em certas regiões de Marte, evidenciam a possibilidade da existência de vida habitando locais sob a sua superfície, além de fornecerem outros vestígios de intervenção direta de uma civilização tecnologicamente mais avançada que a nossa

 

Como comandante militar supremo para a região foi nomeado o General Dino Sauro, um alienígena que alguns dizem ter nas suas veias sangue terrestre, por existirem alguns indícios – não comprovados – de ser um descendente, distante e direto, de uma raça poderosa de dinossauros oriundos do continente africano, mais precisamente da região terrestre conhecida atualmente como África do Sul.

 

GTR – A ONU já os terá reconhecido em cerimónia oficial

Grupo Transitório de Reflexão escolhido secretamente por habitantes do nosso planeta e tacitamente aceite pelos Alienígenas Exteriores, como representantes dos Cinco Continentes Terrestres: Europa, Ásia, África, América e Oceânia

 

A primeira missão a cumprir pelo recém-empossado diretório do GTR-Terra, terá como objetivo prioritário a reorganização dos diversos grupos de contato espalhados por todos os continentes do planeta, de modo a tentar estabelecer rapidamente uma plataforma de entendimento comum entre todas as partes, dando então início à execução do seu verdadeiro trabalho de reconstrução espiritual dos estados e das suas estruturas ultrapassadas e há muito incapazes de darem respostas corretas, aos mais prementes problemas atuais.

 

             

Os escolhidos: América com Bruce Lee; Ásia com Dalai Lama; Europa com Mao Zedon

(É certo que parecem todos chineses e funcionários da EDP. Mas já agora por onde anda um dos grandes Garganta Funda Português? Que eu saiba ainda ontem se mexia!)

 

Podemos desde já revelar que o representante do continente Americano será o sino-norte-americano Bruce Lee, especialista em kung-fu e em artes marciais, reconstruido através de um processo revolucionário de clonagem – inicialmente experimentado com sucesso parcial no caso da ovelha Dolly, mas ainda com parâmetros muito distante da inteligência demonstrada pela ovelha Choné – e escolhido não só pelo seu elevado potencial de intervenção e resolução de conflitos violentos, como pela sua forte ligação à Industria do Cinema. Por outro lado o representante do continente Asiático – convincentemente eleito por unanimidade – será o Dalai Lama, escolhido pelas suas atividades não violentas e pacificadoras, recorrendo ao diálogo, à troca de ideias e à aceitação da existência plena do outro. Destes cinco elementos continuamos a desconhecer o nome do representante Africano e do representante oriundo da Oceânia. Quanto ao representante Europeu escolhido para fazer parte deste grupo, aí reside a nossa maior surpresa – que necessitamos de confirmar – pois não deixa de ser estranho o nome selecionado, se tal acontecer: por sugestão de Durão Barroso e com o apoio de grupos poderosos e secretos que já o acompanhavam desde o acordo que levou ao encontro para a promoção da Invasão do Iraque – e ao Controlo exclusivo do seu Petróleo – foi lançado o nome de outra personalidade com grande impacto no passado da História Mundial, especialmente para o pensamento ideológico – de esquerda latente num corpo de direita – do nosso fugitivo cidadão e ex-Primeiro-Ministro. O nome? Mao Zedong. Seria reconstruido molecularmente utilizando a moderníssima tecnologia europeia e a incrível e multiplicadora Máquina de Deus.

 

(imagens: a-china.info, wtbw2010 e NASA) 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:22

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18

23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO