Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

16
Jun 19

Entretenimentos de Verão

[Com Código de Impacto de 0 a 9]

 

No Hemisfério Norte (no qual se incluiu Portugal) e à porta de entrada (já aberta) das Férias Grandes de Verão – com o início oficial e meteorológico marcado para a próxima sexta-feira 21 de Junho – há falta de um aperitivo interno (antigamente recorrendo-se a eletrochoques) que nos liberte de mais este quotidiano repetitivo e de miséria (de tão artificial como banal) − sobressaltando-nos e colocando em dúvida o nosso rumo e existência – como o poderia ser o ainda possível mas cada vez menos potencial (cada dia que passa sendo menor) despoletar de uma Nova Guerra Energética (no Médio-Oriente, envolvendo o Irão),

 

snapshot.jpg

Com o aproximar da Chuva de Meteoros das Táuridas e dada a sua maior proximidade este ano (de 2019) com a Terra, com os fragmentos (de maior ou menor dimensão) do cometa Encke (que as mesmas “chuvas” transportam), podendo originar uma “pequena surpresa” este ano durante a abertura das duas janelas de oportunidade: uma já no início de Julho no Hemisfério Sul (5 Julho/11 julho) seguindo-se de imediato no Hemisfério Norte – de 21 de Julho a 10 de Agosto com as nossas Estrelas-Cadentes-de-Verão.

 

Com os nossos cientistas aproveitando a oportunidade e o seu conhecimento (mesmo religioso) de saberem de que para além de haver Terra também haverá para Todo-o-Sempre e como companhia o seu complemento unificador (e no futuro Refundador) o Céu – e desse modo lançando (mesmo que sem plena consciência) mais uma pedra nos alicerces da construção dessa inovadora ponte revolucionária e nunca antes imaginada (pela sua Ligação, mesmo que sentida, na nossa morte física não sendo percecionada) unindo Alma e Eletromagnetismo – para além da aproximação das Festividades das Táuridas acompanhadas como sempre pelo seu habitual  e por vezes espetacular Fogo-de-Artifício (quem é que no Verão e olhando para o Céu escuro e noturno nunca viu passando por breves instantes uma brilhante estrela-cadente), este ano de 2019 com a aproximação (orbital) a verificar-se entre ambos (a zona mais “densamente povoada” das Taúridas e o planeta Terra) a atingir um ponto de grande aproximação de apenas 9 milhões de quilómetros.

 

Nos cálculos podendo-se concluir estarmos num ponto duma cronologia com mais de meio século (iniciada em 1975 e podendo estender-se até 2030), em que devido à sua maior aproximação o Fenómeno (de Verão) − resultante de fragmentos deixados para trás pelo cometa Encke − será mais intenso do que é costume (com velocidades de entrada perto dos 30Km/s), iniciando-se como é hábito na segunda semana de Setembro e atingindo o seu pico lá para meados de Outubro.

 

ES-METEOR-03-LOCATOR-MAP-1500x1000.jpg

Com os incontáveis fragmentos oriundos de material deixado para trás pelo cometa Encke − periodicamente passando nas proximidades do nosso planeta (em Portugal estando no Hemisfério Norte durante o período do Verão) − este ano e devido à sua maior proximidade (nem 9 milhões de Km da Terra) podendo provocar uma Chuva de Estrelas mais intensa e até mais Impactante (tal como poderá ter sucedido há cerca de 111 anos em Tunguska na Rússia com a explosão de um objeto em plena atmosfera provocando uma onda de choque devastadora.

 

Podendo entre esses fragmentos (maioritariamente insignificantes, apenas vistos como fogo-de-artifício) periodicamente passando nas nossas proximidades mas este ano – por o fazerem muito mais perto do que antes registado (talvez nunca) e devido a muitos outros fatores como o da proximidade e da possível influência gravitacional das forças magnéticas colossais originadas no Gigante Gasoso e maior planeta do sistema Solar Júpiter – surgir inesperadamente um outro nunca antes tendo sido revelado (escondido no seu interior), talvez inicialmente dendo visto/desvalorizado como um elemento estranho e na sua trajetória (existindo sequer tempo para se pensar nela) podendo acarretar consequências diretas e/ou indiretas para o nosso planeta a Terra: e até com janelas já pré-estabelecidas − para um possível e potencial Impacto − no Hemisfério Sul de 5 a 11 de Julho e no (nosso) Hemisfério Norte de fins de Julho a meados de Agosto.

 

Até terem sido as Táuridas − e as suas Chuvas-de-Estrelas −a causa do Evento de Tunguska.

 

(imagens: Western University/youtube.com e thesun.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:56

14
Abr 18

Ontem de madrugada (cerca das 04:00) o mau-tempo abateu-se por momentos (uns minutos) sobre Albufeira (relâmpagos, trovoada, chuva e sobretudo vento) na zona das Minhocas.

 

20974493_UkCiU.jpeg

1

Imediações da Rotunda das Minhocas

13 Abril/Sexta-feira

(com o supermercado ao fundo)

 

E já com muitos esperando (em Albufeira) em função do tempo verificado no início da semana anterior (2/6 Abril) que chegada a Primavera e o bom tempo (como se verificava por exemplo no dia 3) se poderia desde já usufruir de uma imagem antecipada do que poderá ser o próximo Verão Algarvio (com os raios do Sol a começarem a aquecer o corpo e já com pessoas passeando na praia e até mergulhando no mar),

 

Eis que chegado o fim-de-semana (7/8 Abril) regressa de novo à região a incerteza meteorológica (entre o céu por vezes encoberto e com períodos de aguaceiros ou meio encoberto e com o Sol sempre à espreita), nesta semana (9/13 Abril) e perto do fim da mesma, a 11 (quarta-feira) com um dia de Sol, a 12 com um dia de Chuva, para logo na madrugada de 13 (esta sexta-feira) e confirmando a evolução meteorológica para piores condições climatéricas, chegar a Albufeira trovoada e relâmpagos, acompanhados por forte precipitação e vento forte (e um ou outro incidente, provocado pelos ventos fortes, momentâneos e localizados):

 

ALB2.jpg

2

A partir do Miradouro do Rossio

11 Abril/Quarta-feira

(olhando o oceano Atlântico)

 

Com uma rajada de vento forte e localizado (não um tornado) a atingir a zona da Rotunda das Minhocas (localizada na Avenida dos Descobrimentos) danificando (entre outros objetos como placards publicitários e sinalização) parte da cobertura do parque de estacionamento exterior de um supermercado (Pingo Doce) e com essa mesma estrutura (ao ser arrancada e ao cair) a danificar uma dúzia de automóveis estacionados nas proximidades.

 

Com esta manifestação de mais um fenómeno atmosférico extremo e localizado de vento (na Região do Algarve) – tornando-se pelos vistos um Evento cada vez mais habitual – sendo Albufeira mais uma vez vítima de um acontecimento meteorológico (semelhante) envolvendo igualmente chuva e vento intenso (no anterior com uma árvore localizado no perímetro envolvendo a CMA a cair e a atingir gravemente uma professora já reformada e residindo perto) provocando para já (nos dois incidentes) 1 ferido e danos materiais:

 

ALB1.jpg

3

Albufeira florida e águas do Atlântico

11 Abril/Quarta-feira

(virado para o mar e tendo à direita a marina)

 

Mas para já sem a passagem de qualquer tornado, nem de qualquer período intenso de precipitação (em volume e em tempo) nem que seja para testar as obras (alegadamente feitas) e o escoamento das águas (pluviais) para o mar: para que de novo Albufeira (a parte antiga e mais baixa da cidade) não fique de novo submersa (por um Tsunami não vindo do mar mas oriundo de terra) – recordando as inundações do final (de Novembro) de 2015.

 

Na previsão meteorológica para os próximos dias (em Albufeira) e segundo o IPMA, com o tempo previsto este fim-de-semana (14/15 Abril) a apresentar-se com céu parcialmente nublado ou com chuva (no domingo), vento moderado a fraco e temperaturas entre os 9⁰C/21⁰C (mínima/máxima); para a semana seguinte (16/20 Abril) mantendo-se as condições meteorológicas presentes com a percentagem de probabilidade de chuva a aumentar ao longo da semana.

 

intensity.jpg

4

Sismo a NW Portimão

12 Abril/Quinta-feira

(com uma intensidade M2,6)

 

Sismologicamente sem nada de relevante a mencionar (nesta última semana) e com o sismo mais intenso (sentidos na Região do Algarve) a ocorrer esta quinta-feira (12 Abril pelas 04:27 da madrugada) a NW Portimão (e a 20Km de profundidade) com M2.6 (e com o Golfo de Cádis, o mar de Alboran, Almeria e Marrocos a tremerem).

 

(imagens: (1) albufeirasempre.blogs.sapo.pt – (2/3) Publicações Anormais – (4) ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:06

07
Mar 18

Com o Mau Tempo que se tem vindo a fazer sentir na região do Algarve a ter já provocado uma vítima grave (ainda hospitalizada em Faro) na cidade de Albufeira, com uma árvore a atingir (na segunda-feira da parte da manhã) uma senhora aí residente (professora reformada de mais de 60 anos), quando a mesma circulava a pé nos caminhos destinados a peões, rodeando a Câmara Municipal e o Tribunal.

 

IMG_3838.jpg

Albufeira

Próximo do parque de autocaravanas do Imortal

(04.03.2018)

 

Com a previsão meteorológica a apontar especialmente a partir da próxima sexta-feira (dia 9 de Março) para uma mudança (mais notória) nas condições do tempo ‒ de frio com alguns aguaceiros (fracos e pouco frequentes) para uma ligeira subida da temperatura mas acompanhada de forte precipitação e de trovoadas (e ventos em princípio moderados) ‒ os primeiros avisos meteorológicas dirigem-se para as primeiras regiões do país a serem afetadas pela chegada do mau tempo, com o mesmo a surgir a partir do litoral sul subindo progressivamente para norte (e podendo até nevar no ponto mais alto localizado na Serra da Estrela). No dia seguinte (sábado) e segundo as previsões meteorológicas podendo de novo surgir condições climatéricas já por nós bem conhecidas ‒ até pela sua proximidade no tempo (especialmente para quem vive na região do Algarve) ‒ com períodos de chuva que poderão ser mais intensos acompanhados por fortes rajadas de vento (ou outros fenómenos atmosféricos extremos como o serão os Tornados).

 

IMG_3841.jpg

Faro

Próximo das instalações desportivas do Farense

(07.03.2018)

 

Nada de comparável com o que têm vindo a suportar (igualmente nestes últimos tempos) os residentes na América do Norte, no caso particular dos EUA com tempestades surgindo e desenvolvendo-se no oceano Atlântico (num curto espaço de dias logo duas) e dirigindo-se para o nordeste do seu território, transportando consigo ventos fortes e frios e queda de neve intensa com rápida formação de gelo: e que apesar de se estar perante a maior potência Global e terra de Excecionais, já provocaram (para no caso da 1ª tempestade) vítimas mortais (9) e deixaram milhões sem energia elétrica (2). E no caso que mais diz respeito a quem habita o Algarve (tendo ultimamente sofrido os efeitos de 2 tornados) com a previsão meteorológica (do IPMA) a indicar para os próximos dias (8 a 16 de Março), céu mais ou menos encoberto, períodos de chuva (iniciais) a aguaceiros (por vezes e ao longo dos dias diminuindo ligeiramente a precipitação) e temperaturas variando entre 10⁰C/19⁰C (mínima/máxima). No fundo tudo normal desde que não surja de novo outro Fenómeno Meteorológico Extremo (como um Tornado ou uma Tromba de Água).

 

(imagens: PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:22

28
Fev 18

Com a BESTA de LESTE e com EMMA ainda à solta e logo em simultâneo

(mas sem grande impacto ‒  para além da chuva ainda insuficiente, caída no no Algarve)

 

Barra-Faro-Olhão_Vista-do-Farol-de-Santa-Maria-10

Barra de Faro-Olhão e a chegada da tempestade Emma (com o mau tempo a obrigar ao encerramento de 6 barras, 3 delas algarvias ‒ Alvor, Faro e Olhão); de resto com os efeitos das 2 tempestades a resumirem-se a céu encoberto e a curtos períodos de chuva

 

Com a Europa a ser simultaneamente atacada por 2 frentes transportando consigo condições meteorológicas provocando mau tempo ‒ uma vinda do Círculo Polar Ártico (do norte e do leste) denominada (pelos ingleses, só podia) BESTA DO LESTE outra oriunda do oceano Atlântico (do oeste) e denominada (por portugueses/espanhóis/franceses) EMMA ‒ o continente europeu vê-se agora submetido a uma vaga de frio extremo vindo de um dos lados e a uma outra vaga de vento e de chuva intensa vinda do outro: com Portugal Continental “estrategicamente” colocado entre as 2 e de ontem para hoje (na passagem de terça-feira/27 para quarta-feira/28) sentindo o efeito simultâneo das mesmas ‒ juntando tudo chuva e vento de norte a sul do país e descida mais acentuada da temperatura a norte com queda de neve e formação de gelo.

 

23789612.jpg

Vila Pouca de Aguiar

(distrito de Vila Real)

 

E tal como se previa desde o dia de ontem (27) com a chegada eminente da tempestade EMMA, com as condições climatéricas em Portugal a agravarem-se significativamente durante esta madrugada (de 27 para 28) provocando a comunicação de cerca de 200 ocorrências (sem vítimas ou casos graves) e afetando sobretudo distritos a norte e localizados no interior: destacando-se Bragança, Guarda, Vila Real e Viseu com queda de neve intensa (e formação de gelo nas vias de comunicação) interrompendo várias estradas, isolando várias localidades e levando ao encerramento de vários serviços (até para prevenção e segurança das populações) como terá sido o caso de muitas Escolas (protegendo assim as crianças). Logicamente com queda de neve na Serra da Estrela (que não em Monchique no Alto da Fóia) levando à interrupção do trânsito naquela região (durante a madrugada) mas por outro lado e logo ali (como em todos os 4 distritos mais afetados) provocando com o Espetáculo da Neve a alegria das crianças.

 

image.aspx.jpg

Mogadouro

(distrito de Bragança)

 

Mantendo-se de momento esta situação meteorológica em Portugal Continental pelo menos no dia de hoje (quarta-feira 28), com as condições do tempo naturalmente a condicionarem a vida e a circulação de pessoas e bens em meios urbanos, enquanto nos meios rurais ‒ sobretudo a norte com a queda de neve e a formação de gelo (com Bragança e Viseu à cabeça sofrendo mais com os efeitos causados pela passagem do mau tempo) ‒ e interrompidas as estradas, não havendo hipóteses de utilização de transportes (públicos e privados) e de circulação, deixando centenas de pessoas (muitas delas idosas e não estando preparadas para estes casos mais extremos de frio) isoladas. E podendo as condições do tempo melhorar (ou não) ao longo desta quarta-feira, com o IPMA a levantar o Alerta Laranja de ontem (para Viseu, Bragança e Vila Real por causa da neve) substituindo-o hoje pelo Alerta Amarelo (para os mesmos distritos mas agora devido à chuva e ao vento) ‒ ao mesmo tempo continuando a registar-se grande agitação marítima (com ondas podendo atingir os 9 metros) levando ao encerramento (total) de muitas barras (6 de norte a sul) incluindo as Alvor, Faro e Olhão (na Região do Algarve).

 

image_kcn1gc1lq.jpg

Com o Reino Unido (na imagem Londres) a ser apanhado pelo frio gelado e pela intensa queda de neve transportada desde a Sibéria e da responsabilidade da Besta de Leste (nome dado pelos britânicos à tempestade) e agora ainda levando com Emma (a outra tempestade originada no Atlântico)

 

E entre os Europeus com o Reino Unido a ser um dos territórios a sofrer mais com estas 2 frentes, levando primeiro em cima com a BESTA de LESTE e logo de seguida com as ações de EMMA: “Reino Unido e Irlanda ficaram cobertos de neve nesta quarta-feira, quando o frio de um sistema climático siberiano apelidado de "Besta do Leste" prejudicou os planos de viagem de milhares de pessoas. Centenas de escolas foram fechadas, e houve atrasos em estradas, ferrovias e aeroportos em um dos dias mais frios que o Reino Unido já testemunhou nesta época do ano em quase três décadas. As temperaturas chegaram a 12 graus Celsius negativos em algumas áreas rurais, e o serviço de meteorologia britânico alertou para até 40 centímetros de neve nas terras altas da Escócia. A Irlanda pode ter sua pior precipitação de neve desde 1982.” (swissinfo.ch/reuters)

 

(imagens: sulinformação.pt ‒ lusa.pt ‒ jn.pt ‒ reuters.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:42

27
Fev 18

Para os próximos 10 dias no concelho de Albufeira com a meteorologia a apontar para a manutenção dos períodos de chuva/chuviscos (pouco intensos mas transportando consigo maior % de humidade) e com a temperatura (em geral entre os 10⁰C/18⁰C) a manter-se aceitável (para a altura do ano) arrefecendo um pouco mais (como seria natural) durante o período noturno.

 

201802271100_msg4_msg_ir_piber.jpeg

Imagem Satélite/Infravermelho

(EUMESAT/IPMA 27.02.2018 11:00)

 

Com a meteorologia a querer mudar as presentes condições ambientais de tempo frio para tempo de chuva, o que se observa a partir da cidade de Albufeira (e arredores) é que esse facto se parece querer confirmar, apesar da precipitação e dadas as necessidades (provocadas pela seca) ser necessariamente reduzida e da evolução das condições do tempo ainda se encontrar num momento de indecisão: por um lado com mau tempo oriundo dos lados do oceano Atlântico e consigo transportando chuva (o que se espera ser o fator de maior influência meteorológica), mas pelo outro lado com as consequências dos ventos oriundos da Sibéria e que nos últimos dias têm gelado toda a Europa a poderem também atingir Portugal e (apesar de em menor grau) o Algarve e o concelho de Albufeira (que eu saiba e até ao momento ainda não tendo nevado nas proximidades da Foia na serra de Monchique). E se a chuva é necessária até para minorar os efeitos catastróficos da seca que tem assolado (de norte a sul) todo o país especialmente zonas interiores de Trás-os-Montes, do baixo Alentejo e do Sotavento Algarvio (tinha que começar a chover bastante e confirmar-se o ditado “Em Abril Águas Mil” para se minorar o problema), teremos que ter sempre em atenção o frio intenso que poderá a continuar a chegar dos lados de NE e que se tem estendido até regiões mais a sul próximas do Mediterrânico: ontem com os italianos a verem a sua capital Roma sob um apreciável manto de neve, algo raro de ver naquelas baixas latitudes (e altitudes).

 

mrrto201801.jpg

Precipitação registada em Janeiro 2018

(IPMA)

 

E esquecida um pouco a novidade meteorológica adquirida por três países ocidentais (Portugal, Espanha e França) alfabetizando” (educando-nos e dando-lhes nomes) as suas tempestades (ainda se lembram do nome das tempestades começadas por A, B, C, etc.?) ‒ até porque muitas dessas tempestades eram detetadas/oriundas do norte, atravessando a França/talvez a Espanha mas na generalidade desviando-se e/ou dissipando-se ‒ virando-nos agora e preferencialmente (salvo um relevante Evento Meteorológico) mais para as “Nossas Tempestades e para o Nosso Estado do Tempo”: num clima (em território português) muito influenciado pela presença oceânica e pelas condições de tempo que dela advêm (ainda hoje nos lembrando da região do Anticiclone dos Açores e como a mesma muitas das vezes ditava as condições meteorológicas no Continente), equilibrando-se agradavelmente (como se usasse uma bússola e os seus pontos cardeais para se orientar) entre o frio vindo do norte (e do leste), a humidade vinda de oeste (por mar e envolvendo lateralmente Portugal) e o calor vindo do sul. No que diz respeito à previsão meteorológica para os próximos dias e particularmente no que diz respeito a Albufeira (e área envolvente) ‒ hoje com chuva fraca/chuviscos e a temperatura às 11:00 a registar 17⁰C (9⁰C/18⁰C mínima/máxima prevista) ‒ com o IPMA (Instituto Português do Mar e da Atmosfera) a projetar com dez dias de distância (27 Fevereiro/8 Março) um longo (dado o tão pouco que tem chovido) período de chuva/aguaceiros (com as previsões de chuva sempre perto dos 90/100%), ventos moderados de W ou SW e temperaturas oscilando entre os 9⁰C (mínima) e os 19⁰C (máxima) com ligeira subida de ambas.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:47

15
Dez 17

Com céu parcialmente nublado, períodos de chuva (pouca), vento fraco (de noroeste) e a temperatura a rondar os 18⁰C (previstos 10⁰C de mínima e 20⁰C de máxima), esta sexta-feira (dia 15) véspera de fim-de-semana o tempo apresenta-se húmido (humidade=77%), com alguns períodos de Sol (quando as nuvens o permitem) e no geral agradável: convidando a um passeio ou a uma ida ao mercado (para quem não tiver de ir trabalhar) ou então para os não residentes (particularmente os turistas) a um passeio pela praia usufruindo do Sol e do Mar (na cidade de Albufeira). Na imagem seguinte com os vidros molhados (do carro) confirmando a chuva.

 

IMG_3780.jpg

Albufeira 15 Dezembro 2017

(parte da manhã)

 

Prevendo-se para os próximos 4 dias (até 3ªfeira e segundo o IPMA) céu limpo a nublado, sem chuva e com as temperaturas a andarem pelos 5⁰C/19⁰C (mínima/máxima) ‒ continuando-se no fundo a sentir (no corpo) o tempo que se tem verificado nestes últimos dias (frio e sem precipitação): significando que meteorologicamente e na semana antecedendo o Natal (a próxima) o tempo poderá ser como o de hoje (sexta-feira, 15) ‒ talvez com um pouco mais de frio e neve a grandes altitudes (Serra da Estrela sim, Serra de Monchique provavelmente não) ‒ convidando a ir às compras escolher as Prendas de Natal (isso se tiver dinheiro).

 

(imagem: PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:32

03
Dez 17

ALBUFEIRA

18:30

(tempo frio e seco/sem chuva)

Temperatura: 11⁰C

Vento fraco nordeste

Humidade: 38%

Precipitação: 0%

 

IMG_2356.jpg

1

Albufeira

Com o fim da Feira França a 3 mas com o regreso da Feira Quinzenal a 5

(século XXI)

 

Segundo dados do IPMA hoje (domingo 03.12.2017) em todo o território nacional (ilhas incluídas) o céu apresenta-se limpo e sem nuvens, e sem previsões de precipitação: exceção feita ao arquipélago dos Açores onde o céu estará nublado ou pouco nublado. Quanto às temperaturas do ar com a temperatura na região do Algarve a andar pelas duas da tarde pelos 15⁰C (em Albufeira com mínima nos 5⁰C e máxima nos 16⁰C), com vento predominante de este (V=14Km/h), humidade pelos 30% e previsão de chuva nula (0mm). Comparativamente com o resto do país (território continental) sendo a região algarvia aquela a proporcionar melhores condições meteorológicas para todos os seus residentes (nacionais e estrangeiros), apresentando nesta época do ano (pré-Natalícia) um clima parecido ao do Verão de São Martinho (que se tem estendido desde Novembro prolongando o período de seca), convidando todos os felizardos ‒ com tempo disponível e residindo em Albufeira ‒ a um passeio pela praia ou uma ida até à Feira Franca (hoje no seu último dia): como o demonstram as temperaturas para o norte de Portugal (continental) com o IPMA a colocar cinco distritos em Alerta Amarelo (de 1/4 sendo um aviso de nível 2 devido essencialmente à onda de frio) ‒ sendo estes Aveiro, Braga, Bragança, Guarda e Vila Real (sobretudo na passagem de domingo para segunda).

 

201712031800_msg3_msg_ir_piber.jpeg

2

03.12.2017 ‒ 18:00

Imagem de satélite/Infravermelho

(EUMETSAT/IPMA)

 

Hoje (domingo) com as previsões de temperaturas mais baixas (e negativas) a dirigirem-se sem dúvida para os distritos de Bragança e da Guarda, com as temperaturas a atingirem máximas de 8⁰C/5⁰C e mínimas de -3⁰C/-2⁰C (respetivamente) ‒ Vila Real 9⁰C/0⁰C ‒ e certamente mantendo-se cenário idêntico (de frio intenso) para os próximos dias (pelo menos até 4ª feira): e com a mínima a andar (nestes distritos e nestes dias) entre os 0⁰C e os -4⁰C. Segundo o resumo climático publicado pelo IPMA e relativo ao mês de Novembro (deste ano) com esse mês a ser muito seco (precipitação abaixo dos 50% do normal) e quente (tendo-se registado mesmo uma onda de calor com a duração de uma semana e afetando sobretudo o interior Norte/Centro e algumas partes do Alentejo) mantendo-se o período de seca que o país atravessa (3%/seca moderada, 46%/seca severa e 51%/seca extrema).

 

por171203180006.jpg

3

03.12.2017 ‒ 18:00

Intensidade de precipitação

(IPMA)

 

No que se refere ao Algarve e à cidade de Albufeira (concelho e freguesias: Albufeira & Olhos de Água, Ferreiras, Guia e Paderne) com as previsões para os próximos 9 dias (4 Dezembro a 12 Dezembro) a apontarem para céu limpo ou pouco nublado (com algumas probabilidades de chuva para o próximo fim-de-semana ‒ 22%/37%), vento fraco a moderado e temperaturas a variarem entre 4⁰C/7⁰C (mínima) e 16⁰C/18⁰C (máxima): tudo indicando a manutenção do tempo que se tem verificado nos últimos dias ‒ seco, frio e sem chuva ‒ pelo que durante a próxima semana o ambiente será convidativo (para quem pode) para se levantar de manhã cedo, tomar um reconfortante pequeno-almoço, dar um belo passeio pela praia, descansar um pouco ao Sol (aproveitando o calor dos raios solares ao toque da sirene dos bombeiros/ao meio-dia), degustar um bom almoço e no final usufruir de uma sesta tranquila (ou de um bom período de leitura). E numa região algarvia (exclusiva e infelizmente até para a sua evolução) virada para o Turismo (e sobretudo para a Hotelaria/Restauração) restando aos Trabalhadores/Residentes (trabalhando todos para o mesmo) colaborar no negócio e com os trocos recebidos tentarem proporcionar algo mais: a si assim como aos seus neste mês da comemoração do Natal (dentro de apenas 3 semanas).

E como curiosidade e a nível sismológico com a Região do Algarve (ou regiões marítimas próximas) a registar desde o início de Dezembro os seguintes sismos:

 

Ordem

Data

Local

Magnitude

Profundidade

1

2017-12-01

SW Cabo S. Vicente

2.2

31

2

2017-12-02

E

Monchique

1.1

6

3

2017-12-02

SW Monchique

0.9

-

4

2017-12-02

SW Cabo S. Vicente

1.6

33

5

2017-12-02

SW

Lagos

1.1

29

6

2017-12-02

SW Cabo S. Vicente

1.7

40

7

2017-12-03

S

Monchique

1.2

18

8

2017-12-03

SW Cabo S. Vicente

2.9

34

9

2017-12-03

SW S. Brás de Alportel

2.4

28

(sismos registados na região do Algarve ‒ terra e mar ‒ desde o início de Dezembro)

 

Como se pode verificar com a zona mais ativa a estar referenciada ao Cabo de S. Vicente (4 pequenos sismos desde o início de Dezembro) e com o mais intenso registado em terra a ocorrer em São Brás de Alportel com M2.4 (mesmo assim pouco significativo). A nível global com um sismo de intensidade M6.0 (profundidade de 24Km) a registar-se hoje pelas 11:19 (UT) perto da costa do Equador.

 

(imagem 1: PA ‒ dados e imagens 2,3: ipma.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 19:36

29
Nov 17

Apesar deste curto período de chuva, com tudo a apontar para que a Feira Franca de Albufeira (a decorrer entre esta quarta-feira e domingo), decorra com temperaturas aceitáveis e sobretudo sem chuva.

 

22770004_1723113777701827_556334175446646036_o.jpg

Feira Franca de Albufeira

(29 Novembro a 3 Dezembro)

 

Na cidade de Albufeira os três dias mais intensos de chuva (previstos para os dias 27/28/29) tiveram o seu clímax a partir da hora do lanche de terça-feira (dia 27), momento a partir do qual assistimos a uma precipitação intensa (durante cerca de um quarto-de-hora), seguida de outros períodos curtos de pluviosidade e terminando já de noite com relâmpagos, trovões e mais um pouco de precipitação.

 

A1.jpgA2.jpg

Mercado Municipal e Jardim Público

 

Hoje dia 29 de Novembro (quarta-feira) com o Sol a ver-se (entre algumas nuvens cinzentas) circulando e brilhando (e confortando-nos também um pouco) nos céus de Albufeira (tal como em todo o país), com a temperatura pelos 18⁰C (pelo meio-dia) e apesar de todas as previsões de chuva (99%) com o tempo parecendo querer-se manter com Sol e sem Chuva. E com as previsões a apontarem para (pelo menos) mais uma semana sem chuva.

 

A3.jpgA4.jpg

Albufeira uma cidade sobre o mar

 

Indicando a Meteorologia para hoje (dia 29) e em Albufeira temperaturas entre 9⁰C (mínima) e 19⁰C (máxima), com períodos de aguaceiros fortes (para já e a partir do nascer do dia ausentes) entrando a partir de amanhã (o concelho e talvez o país) num novo período de “seca” (e talvez acompanhado de frio); e como curiosidade a ser registado um pequeno sismo esta quarta-feira a SE de Albufeira pelas 08:46 e com M0.8 (impercetível).

 

(imagens: viralagenda.com e PA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:54

23
Nov 17

“Entre o Douro e Trás-os-Montes, a seca reflete-se nos abastecimentos de água à população, nas explorações de gado que já estão a gastar as reservas do inverno e nas quebras de produção na agricultura.”

(noticiasaominuto.com)

 

IPMA 1.jpgIPMA 2.jpg

 

Com previsão de chuva um pouco por todo o país prevista para esta quinta-feira (com períodos de chuva ou céu pouco nublado e vento moderado) ‒ na cidade de Albufeira com 50% de hipóteses de chuva (sobretudo a partir do início da noite):

 

O IPMA prevê para amanhã (sexta-feira) a continuação do estado do tempo, seguida de uma ligeira melhoria (durante o fim-de-semana) e a partir de segunda-feira o regresso de novo da chuva:

 

Em Albufeira com as previsões a apontarem o período máximo de pluviosidade para o início da próxima semana (segunda, terça e quarta-feira) ‒ com 62% a 67% de probabilidade de chuva ‒ para a partir de quinta-feira (1 de Dezembro) voltarem os aguaceiros fracos e o céu pouco nublado.

 

“Zonas lagunares, como as de Aveiro a da Ria Formosa, ou ainda de Óbidos e Albufeira, e zonas estuarinas, como as do Tejo e Sado, tenderão a desaparecer ou a estreitar-se muito, com perdas de terrenos agrícolas bem como inundações de zonas baixas vizinhas.”

(esquerda.net)

 

secaportugal_03.jpg

 

Ou seja e a confirmarem-se as previsões com a chuva (necessária e fundamental) a continuar ausente de Portugal Continental, prolongado o período de seca (nalgumas partes do território já Severa):

 

Contribuindo para a diminuição de humidade dos terrenos (já bastante baixa) e mantendo-se este cenário (meteorológico) correndo-se sempre o risco de novos incêndios (em Dezembro);

 

Da subida do preço da água e da eletricidade (e de muitos outros produtos direta ou indiretamente associados);

 

E ainda da perda de culturas e de muitos animais de criação (sem água para beberem, sem pasto para se alimentarem e sem condições para se reproduzirem e sobreviverem).

 

800.jpg

 

"Haverá com certeza subida de preços imediatos em alguns produtos e vai haver falta de rendimento para quem os produz."

(Eduardo Sousa/Presidente da CAP/iol.pt)

 

E nas previsões a longo prazo para Portugal Continental (20 Novembro/17 Dezembro) mantendo-se os valores baixos de precipitação (abaixo do normal) e a continuação das temperaturas acima das normalmente registadas para esta época:

 

Com os efeitos (meteorológicos) a fazerem-se sentir especialmente no centro e a sul do país, parecendo querer prolongar este Verão de S. Martinho (comemorado a 11 de Novembro) ao mês de Dezembro e talvez à Passagem de Ano.

 

O que seria um desastre (Económico e Social) para Portugal (Continental):

 

Aí atingindo um período de Seca Severa (em quase todo o território português);

 

E por efeito de ação/reação (deste extremo climatológico) fazendo disparar todos os preços ao consumo não só da água e da eletricidade como o de muitos dos bens imprescindíveis além de muitos dos nossos alimentos básicos (por serem para muitos de subsistência e de sobrevivência).

 

mw-860.jpg

 

“Uma das preocupações são os peixes autóctones da bacia do Guadiana, onde há espécies únicas, que só existem ali, como é o caso de um pequeno peixe chamado saramugo, classificado como "Criticamente em perigo" a nível nacional. Outra situação que está a ser agravada pela seca é a morte de sobreiros e azinheiras no montado alentejano."

(dn.pt)

 

Até na região do Algarve e devido às condições climatéricas que se tem vindo a sentir este ano (temperaturas acima da média e sem chuva) com a Laranja a estar atrasada e com a sua apanha a ser adiada para Dezembro ‒ logo, ainda sem a Laranja do Ano (Nova) nesta região de excelência para a produção de citrinos (dos melhores de Portugal tal como as Sardinhas do Algarve).

 

De momento com a chuva a (parecer) querer chegar (como prometido) a Portugal ‒ tendo chovido um pouquinho pelo meio-dia (em Albufeira):

 

Com regiões do país a serem já abastecidas com autotanques (distrito de Viseu);

 

E com os espanhóis (em Espanha e unilateralmente) a reterem as águas dos seus principais rios em albufeiras (especialmente Douro e Tejo, nascendo em Espanha e desaguando em Portugal);

 

Acentuando ainda mais a falta de água e os efeitos da seca (prolongada e extrema/severa ‒ onde estão os Convénios da Água?) e suscitando desde logo a possibilidade de subidas (no seu preço) da Água e da Eletricidade. Mas pelos vistos (nem tudo sendo mau) ainda resistindo alguns oásis (neste caso a norte):

 

“Luso. Um oásis onde não falta água, apesar da preocupação.”

(dn.pt)

 

(imagens: ipma.pt/shifter.pt/iol.pt/expresso.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:45

26
Jan 17

Frio e chuva – É o que se espera nos próximos dias.

 

201701261000_msg3_msg_ir_piber.jpeg

Imagem de satélite (infravermelho): 26.01.2017 às 10:00

 

Com a maior parte do país (14 distritos em 18 – 78%) sob alerta meteorológico amarelo (p/determinadas situações envolvendo algum risco devido às condições do tempo), espera-se para o dia de hoje (quinta-feira) e seguintes um ligeiro aumento das temperaturas acompanhadas pelo regresso da precipitação.

 

Com as temperaturas a manterem-se abaixo da média semanal até domingo dia 29, subindo para valores acima da média e assim se mantendo durante os quinze dias seguintes (para todo o país e até ao dia 12 de Fevereiro); e com a precipitação a registar valores acima do normal também até ao dia 12 de Fevereiro afetando todo o país (e apenas para os distritos do norte continuando até 19 de Fevereiro).

 

No que diz respeito a Albufeira com as temperaturas mínimas e máximas previstas para hoje a andarem pelos 9C⁰/15⁰C, com vento sul e precipitação. Até sábado dia 4 de Fevereiro com as temperaturas mínimas a registarem valores entre 5⁰C/9⁰C e as máximas valores entre 16⁰C/18⁰C, quase sempre acompanhadas por registos de precipitação e vento fraco.

 

Por volta das 10:30 com a temperatura do ar a registar 15⁰C (Porto = 11⁰C e Viseu = 4⁰C), com céu muito nublado e pouca precipitação. Como vento a poder soprar de sul a 25Km/h. E com a pressão atmosférica a atingir os valores mais altos (em Portugal continental) atingindo os 1015.3 hPa.

 

(fonte e imagem: IPMA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 10:56

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

23

26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO