Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

10
Ago 19

[Máquina da Verdade: Falso, Chuva de Meteoros.]

 

Perseid-Meteor-Shower-in-2016.jpg

Chuva de Meteoros das Perseidas

(associada a fragmentos, do cometa Swift-Tuttle)

 

Por volta da mesma altura que dois asteroides

 

– PHA (Asteroides Potencialmente Perigosos), ou seja, “calhaus” com mais de 100m passando a menos de 7.500.000Km da Terra –

 

Passam na proximidade do nosso planeta

 

– Asteroide 2006 QQ23 muito perto dos 7.500.000Km de distância e asteroide 454094 a aproximadamente 6.500.000Km –

 

Ambos com dimensões apreciáveis (339m e 148m respetivamente) e movimentando-se relativamente a baixa velocidade (4,7Km/s e 8m2Km/s

 

– Dada a distância da passagem (17X a distância Terra/Lua ou superior) sem perigo de impacto com a Terra –

 

Da mesma forma que olhando para o Céu noturno de Verão (em Portugal e no Hemisfério Norte) podemos facilmente visionar a olho nu quatro dos planetas integrando o Sistema Solar

 

− Mercúrio, Marte, Júpiter e Saturno –

 

asteroid-flyby-01.jpg

Asteroide 2006 QQ23

(em dimensão, maior que o Empire State Building)

 

Também poderemos aproveitar a ocasião (e a oportunidade, regressando anualmente) para usufruirmos de um outro Grande Espetáculo Astronómico, de observação local, bem luminoso, de rápida performance e para nos manter entretidos (ou não estivessem muitos de nós de férias, arejando de noite um pouco fora-de-casa e aproveitando para olhar para cima) repetindo-se no tempo:

 

A Chuva de Estrelas (na realidade meteoros) das Perseidas

(de 17 de Julho a 24 de Agosto)

 

Com a sua chegada a estar prevista em torno deste fim-de-semana (a partir de Domingo)

 

− Como se vê antecedendo ou coincidindo com a Greve dos Camionistas (e logo de matérias perigosas), com o Governo preocupado (não com o impacto de um asteroide ou meteoro) com o Impacto da Greve no País e declarando o Estado de Emergência –

 

Estendendo-se até 13 dia de atividade máxima:

 

Com o pico dessa atividade a estar marcado para a próxima terça-feira (entre as 3h e as 16h), segundo o IPMA podendo observar-se até 110 meteoros/hora. E até ao início da terceira semana de Agosto sendo ainda visível a Chuva de Meteoros das δ Aquáridas (de 12 de Julho a 23 de Agosto).

 

E você já viu este Verão alguma Estrela Cadente ou Meteoro?

E uma Chuva de Estrelas (sem ser as da TV)?

E um Alienígena (sem ser um político português)?

 

(imagens: fooshya.com − AP/NASA/nypost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:37

01
Ago 19

Visíveis no mês de Agosto, na escuridão noturna dos campos

E longe das zonas urbanas por mais iluminadas.

 

meteor-spix-hg.jpg

Chegado o Verão é vê-las atravessar o céu noturno

 

À entrada do mês de Agosto em plena estação do Verão e com um pouco de nós (como nómadas que fomos) em ativa migração − tal como as sardinhas (em Junho) e as andorinhas (em Setembro) – chegada a altura acertada para a cinco dias de distância da ocorrência do Evento – tão experimental e científico, como popular e religioso – o citarmos mais uma vez tal como é habitual e normal até para nos prepararmos e melhor nos “mentalizarmos e aplicarmo-nos”: para que no dia marcado e nas horas que se lhe seguem mesmo que nada vejamos, o justifiquemos até como contrapartida (não sendo cegos do não expetável falhanço) com a visão sucessiva de centenas deles (softcore) ou então um impacto de um muito maior (hardcore).

 

Na próxima segunda-feira (5 de Agosto) pela noitinha (estendendo-se para terça-feira) chegando de vez (fragmentos originados num cometa) as ETA AQUÁRIDAS (no pico uns 20 meteoros/hora) − num trabalho iniciado no último terço do mês de Julho − para um pouco mais tarde em Agosto surgirem então as PERSEIDAS (com pico de atividade máxima entre 11 e 13 de Agosto e v=40Km/s) arrastando-se a atividade até ao fim deste mês: num mês cheio de “Chuva de Estrelas”, Bolas de Fogo ou Estrelas Cadentes (no fundo com muitos calhaus a atravessarem como relâmpagos o aparentemente estático céu noturno). Claro está e estando em Portugal sendo visíveis no Hemisfério Norte.

 

(imagem: spacedaily.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:49

14
Jul 19

Uma Excecional e múltipla

Chuva de Estrelas

avistada nos céus do Brasil

(resultante de fragmentos do asteroide Bolsonaro)

 

brazil-meteor-cluster-june-26-2019-f.jpg

Evento não associado

a uma Chuva de Estrelas conhecida

 

(1) Depois das primeiras manifestações da Natureza (Fauna & Flora já incluídas) apresentando-se (inicialmente de uma forma despercebida) ao seu novo Filho adotado (o HOMEM) e propondo-lhe a aceitação a seu bel-prazer (e segundo o livre-arbítrio) de um entre uma infinidade de caminhos − um ser vivo (suscetível de fácil intrusão e manipulação) colocado numa fase da evolução terrestre (depois da queda de outra espécie anteriormente dominante) proporcionadora das condições básicas para a sua replicação e sobrevivência (2) depois dos primeiros avisos e alertas vindos de terra e dos seus Animais e Plantas apontando para a destruição por parte do Homem do ecossistema e das suas estruturas de suporte, bem espelhado na extinção crescente das outras espécies (no final incluindo naturalmente a nossa) – “onde estão os outros animais nossos companheiros?” − e na destruição da camada vegetal cobrindo o planeta (substituindo a floresta da Amazónia por estufas compradas num hipermercado) e até (3) depois dos agora tornados claros avisos marítimos (baseados em histórias podendo ser verídicas) oriundos das aventuras dos descobrimentos, de marinheiros, tripulantes e restantes, relatando o aparecimento de grandes, portentosos e medonhos animais eventualmente vindo e habitando as grandes profundidades desconhecidas (e provavelmente infernais) oceânicas – como por exemplo os gigantes octópodes de múltiplos e mortais tentáculos (4) restando ainda a hipótese do aviso e do alerta convincente e mesmo definitivo poder vir a ser remetido e a nós enviado vindo (inesperada e de uma forma Revolucionária) de outro lado, não do Interior (do nosso e do ecossistema) mas do exterior (situado acima da nossa cabeça, curiosamente no “CÉU”) do Espaço: e no mais Absoluto desespero com alguns (de nós) irracionalmente (“como os cães e os gatos?”) a insistirem – face ao grande calhau TRUMP, como o poderia ser sido com o grande calhau HILLARY − no Impacto de um Asteroide. (5) No final do passado mês (26.06) com um sinal a ser mandado à Réplica do Sul (o Brasil do TRUMP Sul-Americano) com um festival de protótipos BOLSONARO a serem visíveis por instantes (de modo a não se revelar “o Segredo”) nos céus do Maranhão: no mínimo uns nove (certamente mais), em rotas paralelas e com origem (restos de asteroides ou de cometas ou outros objetos menores) ainda desconhecida.

 

(imagem: Bramon/Brazilian Meteor Observation Network/watchers.news/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:35

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO