Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

02
Nov 19

Ou “Período Piromaníaco”. E recordando a “1ª Idade do Fogo” ocorrendo no período Neolítico e quando por cá andava o Homem Erectus − o antecessor do Homem Moderno – há mais de 9000 anos: com o “FOGO” criando e desenvolvendo uma “CIVILIZAÇÃO” e com o mesmo (Instrumento e mecanismo) podendo destruí-la.]

 

California Wildfires Signal the Arrival of a Planetary Fire Age

(Stephen Pyne - The Conversation/livescience.com)

 

QuwS5wHKCASXeqcg6tqF5E-650-80.jpg

Wind and flames rip through an area near Geyserville/California

During the Kincade Fire on Oct. 24, 2019

(livescience.com)

 

Has Earth entered the Pyrocene?

 

Another autumn, more fires, more refugees and incinerated homes. For California, flames have become the colors of fall.

 

Free-burning fire is the proximate provocation for the havoc, since its ember storms are engulfing landscapes. But in the hands of humans, combustion is also the deeper cause. Modern societies are burning lithic landscapes - once-living biomass now fossilized into coal, gas and oil - which is aggravating the burning of living landscapes.

 

The influence doesn't come only through climate change, although that is clearly a factor. The transition to a fossil fuel civilization also affects how people in industrial societies live on the land and what kind of fire practices they adopt.

 

Even without climate change, a serious fire problem would exist. U.S. land agencies reformed policies to reinstate good fire 40 to 50 years ago, but outside a few locales, it has not been achievable at scale.

 

What were lithic landscapes have been exhumed and no longer only underlie living ones. In effect, once released, the lithic overlies the living and the two different kinds of burning interact in ways that sometimes compete and sometimes collude. Like the power lines that have sparked so many wildfires, the two fires are crossing, with lethal consequences.

 

(continua)

 

[Artigo: Stephen Pyne − California Wildfires Signal the Arrival of a Planetary Fire Age − livescience.com/earth-has-entered-pyrocene-fire-age.html]

 

(imagem: JOSH EDELSON/AFP/Getty Images/livescience.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:37

09
Out 12

Albufeira – Novos Ficheiros Secretos

(04/09)

 

“O Nada não existe – é apenas uma parte do todo!”

 

Como nos atrevemos nós, parte minúscula e cada vez mais descaraterizada dum mundo assumidamente proxeneta, em dividir o que nos rodeia em mundos com vida e outros mundos sem vida. Todos nós sabemos que no canto mais perdido do Universo, a vida surgirá sempre como uma entidade sempre presente e omnipotente, mesmo no nada mas sempre vindo do nada.

 

I

A Terra – Perdida no Espaço

 

 

A Terra como é vista a partir da sonda CASSINI nas proximidades do planeta Saturno

(O Nada e O Todo intersectam-se continuadamente complementando-se até ao Infinito e criando um Universo Ilimitado de Mundos Paralelos que não conseguimos distinguir por limitações sensoriais e por paralaxe de sobreposição)

 

A Terra – em tempos muito recentes – já foi o centro do Universo, a nossa origem e o nosso destino.

À volta estaria o Céu e a eterna felicidade e no fundo o Inferno, com as suas chamas do pecado.

E por esses tempos ainda muito frescos na nossa memória coletiva, a Igreja aparecia desde logo como uma das partes fundamentais da instituição do poder, respeitada e também muito temida, mas também recebedora no seu seio, de muitas das grandiosas ideias surgidas nessa época.

Talvez acabando arquivadas, mas fontes de muitos estudos e de movimentos revolucionários.

Galileu é um dos casos mais divulgados desta perceção errada da realidade, que mesmo com a persistência irracional do seu erro e das tomadas de posição políticas ameaçadoras e extremamente repressivas para com os Profanos, acabou por dar origem a uma nova teoria explicativa da verdadeira posição hierárquica da Terra no Universo, despromovendo-a face ao Sol, pela adoção da Teoria Heliocêntrica.

Depois – e num instante – tudo mudou: o centro era agora o Sol e a Terra um dos seus filhos ainda vivo e presente, todos circulando em conjunto num sistema vivo e aberto, perdido num ponto indefinido de um Universo em constante transformação, sem princípio nem fim, ilimitado.

 

II

INTERREGNO

A Terra – Um Mundo sem Chefe

 

General Dino Sauro

Um importante elemento das forças de intervenção militar – ligadas ao poderoso grupo dos Alienígenas Exteriores – destacado para funções de proteção e segurança no vizinho planeta Marte

 

A Terra encontra-se agora entregue a si própria, terminada que está a Aliança anteriormente estabelecida entre terrestres e extraterrestres – através da criação anterior de diferentes grupos de estudo e intervenção – e desfeita posteriormente após a intervenção da associação de Alienígenas Exteriores, visivelmente preocupados e agastados com as intromissões sucessivas vindas do exterior e tendo como alvo interesses estratégicos nesta região da Via Látea. Duros e implacáveis na defesa dos seus interesses inalienáveis, este grupo de Alienígenas Exteriores conseguiu forçar a retirada de todos esses elementos estranhos ao mundo dos terrestres, mantendo apenas um grupo particular – os Russellianos – para verificarem o cumprimento integral do acordo estabelecido entre as partes em conflito.

 

          

Marte visto pela NASA

Estas estruturas que aparecem em certas regiões de Marte, evidenciam a possibilidade da existência de vida habitando locais sob a sua superfície, além de fornecerem outros vestígios de intervenção direta de uma civilização tecnologicamente mais avançada que a nossa

 

Como comandante militar supremo para a região foi nomeado o General Dino Sauro, um alienígena que alguns dizem ter nas suas veias sangue terrestre, por existirem alguns indícios – não comprovados – de ser um descendente, distante e direto, de uma raça poderosa de dinossauros oriundos do continente africano, mais precisamente da região terrestre conhecida atualmente como África do Sul.

 

GTR – A ONU já os terá reconhecido em cerimónia oficial

Grupo Transitório de Reflexão escolhido secretamente por habitantes do nosso planeta e tacitamente aceite pelos Alienígenas Exteriores, como representantes dos Cinco Continentes Terrestres: Europa, Ásia, África, América e Oceânia

 

A primeira missão a cumprir pelo recém-empossado diretório do GTR-Terra, terá como objetivo prioritário a reorganização dos diversos grupos de contato espalhados por todos os continentes do planeta, de modo a tentar estabelecer rapidamente uma plataforma de entendimento comum entre todas as partes, dando então início à execução do seu verdadeiro trabalho de reconstrução espiritual dos estados e das suas estruturas ultrapassadas e há muito incapazes de darem respostas corretas, aos mais prementes problemas atuais.

 

             

Os escolhidos: América com Bruce Lee; Ásia com Dalai Lama; Europa com Mao Zedon

(É certo que parecem todos chineses e funcionários da EDP. Mas já agora por onde anda um dos grandes Garganta Funda Português? Que eu saiba ainda ontem se mexia!)

 

Podemos desde já revelar que o representante do continente Americano será o sino-norte-americano Bruce Lee, especialista em kung-fu e em artes marciais, reconstruido através de um processo revolucionário de clonagem – inicialmente experimentado com sucesso parcial no caso da ovelha Dolly, mas ainda com parâmetros muito distante da inteligência demonstrada pela ovelha Choné – e escolhido não só pelo seu elevado potencial de intervenção e resolução de conflitos violentos, como pela sua forte ligação à Industria do Cinema. Por outro lado o representante do continente Asiático – convincentemente eleito por unanimidade – será o Dalai Lama, escolhido pelas suas atividades não violentas e pacificadoras, recorrendo ao diálogo, à troca de ideias e à aceitação da existência plena do outro. Destes cinco elementos continuamos a desconhecer o nome do representante Africano e do representante oriundo da Oceânia. Quanto ao representante Europeu escolhido para fazer parte deste grupo, aí reside a nossa maior surpresa – que necessitamos de confirmar – pois não deixa de ser estranho o nome selecionado, se tal acontecer: por sugestão de Durão Barroso e com o apoio de grupos poderosos e secretos que já o acompanhavam desde o acordo que levou ao encontro para a promoção da Invasão do Iraque – e ao Controlo exclusivo do seu Petróleo – foi lançado o nome de outra personalidade com grande impacto no passado da História Mundial, especialmente para o pensamento ideológico – de esquerda latente num corpo de direita – do nosso fugitivo cidadão e ex-Primeiro-Ministro. O nome? Mao Zedong. Seria reconstruido molecularmente utilizando a moderníssima tecnologia europeia e a incrível e multiplicadora Máquina de Deus.

 

(imagens: a-china.info, wtbw2010 e NASA) 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:22

Maio 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15

18

24
27
30

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO