Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

12
Dez 19

[Se não Absoluta, pelo menos Relativa.]

 

“Hoje dia 12 de dezembro realizam-se

as Eleições Parlamentares no Reino Unido,

Numa 2ª versão do BREXIT agora introduzindo o duo

− aumentando ainda mais a confusão,

não se sabendo bem o que querem –

BORIS & CORBYN.”

 

Sem título 1.jpg

Retrato de uma Vitória

(por diversificada, numa mistura c/psique e s/psique)

Deixando-nos enternecidos até pela bem visível e colorida parecença

 

Garantindo desde já a VITÓRIA com uma última intervenção de campanha no próprio dia das ELEIÇÕES numa ação em princípio legal (apesar da “proximidade” da assembleia de voto) apenas introduzindo um outro mamífero mas definido como irracional, ou seja, para muitos especialistas sem PSIQUE – com o conservador (TORY)  BORIS JOHNSON como qualquer cidadão BRITÂNICO cumprindo à risca a TRADIÇÃO e desse modo respeitando os seus ANTEPASSADOS (e a sua CULTURA), na sua deslocação à Assembleia de Voto situada nas proximidades de Downing Street (residência do Primeiro-Ministro localizada no nº 10) em Londres no Methodist Central Hall – levando consigo um seu fiel, amigo e companheiro o seu cão DILYN: acompanhando o seu dono na sua ida á assembleia de voto, esperando pacientemente (e certamente que bem-comportado) à porta da mesma o cumprimento do dever do seu dono, para finalmente e cumprida a obrigação − de ambos, c/ PSIQUE ou s/ PSIQUE – saírem claramente felizes tal como tinham entrado.

 

Sem título 2.jpg

Retrato de uma Derrota

(por monolítica, unicamente c/psique)

Com o ELMO em protesto afastado cruelmente pela segurança

 

Com esta ação conjunta de BORIS JOHNSON e de DILYN (um deles o animal c/ psique e o outro o animal s/ psique) no próprio dia das eleições, com BO a assegurar no mínimo a MAIORIA RELATIVA: e apesar dos SINAIS enviados pelo Mayor de Londres SADIQ KHAN (Britânico, Trabalhista e Muçulmano) igualmente levando a sua cadela e afirmando a mesma – de nome LUNA – ter sugerido (apesar de desprovida de psique) votar TRABALHISTA (aos providos de psique), com o Trabalhista (LABOUR) JEREMY CORBYN seguindo o mesmo caminho errado da líder do partido Escocês (Scottish National Party) NICOLA STURGEON, em vez de cumprindo a tradição se fazer acompanhar por um animal IRRACIONAL (aqui um CÃO) fazendo-se acompanhar por um outro mas sendo RACIONAL (o seu CONSORTE, homem ou mulher, com sorte ou sem ela, mas não sendo, aparentemente, um canídeo) − a líder escocesa pelo seu marido Peter Murrell e o líder Trabalhista pela sua esposa Laura Alvarez.

 

Vai uma aposta?

 

[BO: Boris Johnson]

[UK: Reino Unido]

 

(imagens: 24.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:55

18
Mai 19

[Com CFA (Clara Ferreira Alves do Eixo do Mal) escusadamente e pelo meio.]

 

“Se não for pelo FRACKING, com o Reino Unido a ir ao fundo com o BREXIT”

 

ae585110220c6716c2ff1ddd85a6f62a.jpg

Nigel Farage

Com o seu partido Brexit liderando destacado

As sondagens nos UK para as Eleições Europeias

 

Imaginando-se o cenário envolvente estendendo-se de uma forma extremamente homogénea e semelhante, até aos limites (fronteira entre a luz que nos ilumina e a sua ausência que nos faz existir) do nosso horizonte (percecionado e sentido por todos os nossos órgãos) – como se fossemos um britânico, vivendo numa Ilha e (como consequência) estando rodeado de água por todos os lados (e desse modo ficando ainda mais isolado do resto do Mundo e como efeito julgando-se o Centro do mesmo, apenas e se estritamente necessário, entrando/saindo dele ou seja “Pertencendo e Não Pertencendo à Europa”) – e conhecendo-se já desde o século anterior (1990/1999) o combate “sem fim e sem quartel” aparentemente (dado não se verem resultados, seja para que lado for) travado entre CONSERVADORES e TRABALHISTAS (os primeiros sendo pela manutenção dos UK na EU os segundos pela sua saída da Comunidade de Países), seria muito fácil de concluir mesmo para qualquer tipo de “idiota (burro como inteligente) há muito inserido no Mundo Quadrado desta Política (e contaminado pela mesma), que sendo proposto ao POVO uma decisão definitiva entre o SIM e o NÃO e dado o historial anterior (passado) destas duas grandes forças políticas britânicas − com uma ou outra no Poder, levando atrás de si o SIM mas não o cumprindo, ou levando atrás de si o NÃO fazendo exatamente o mesmo – que levando um dia a cabo um REFERENDO e com o UK assim tão dividido (entre Londres e o Resto dos UK) o resultado final seria imprevisível, certamente muito renhido e rondando os 50%: num final andando perto dos 50%+1 para os Vencedores e dos 50%-1 para os Derrotados e em Conclusão, podendo provocar um “Resultado de Estrondo Para Todos Eles (especialmente para os Suicidas que o convocaram, liderados por David Cameron & Seu Gangue) tanto achando-se Vencedores como Derrotados. Enclausurados na sua Ilha e com comandantes deste calibre, com o TITANIC Britânico II depois de embater no icebergue e ver o seu comandante fugir, a ser alegremente comandado por um substituto disponível (já sem bote ou colete salva-vidas, mas ainda dançando no salão), em vez de querer Salvar (a si e a todos), querendo mas é Prosseguir (no Leme e a Dirigir) e assim esquecendo o Rombo e o final da Viagem. No próximo dia 23 com os Britânicos a decidirem novamente (já não existindo opção) entre, “Saírem por Vontade Própria, ou então serem Expulsos”.

 

Não sendo (só) culpa de Corbin como o diria (pretende) a Clara.

 

1072041269.jpg

Eleições Europeias

No Reino Unido

(a 23.05.2019)

 

Ao escutar num programa da SIC Notícias – o EIXO do MAL – um dos 4 elementos do seu painel (fixo) de comentadores – incluindo um elemento independente ex-Bloco de Esquerda, um elemento por vezes contestatário (o que faz ser ainda do partido) do PSD, um outro independente dizendo-se (ou então parecendo) Conservador (bem moderado) e finalmente ainda um outro (incluindo o apresentador e de 5, o único sendo do sexo feminino, apenas 20%)  talvez por força e/ou obrigação (aparecendo de uma forma ou de outra, ligada ao partido de Mário Soares) simpatizante do PS mas não assim tanto − qual não foi o meu espanto ao ouvir o elemento mais à Direita no espectro político ali presente (incluindo o apresentador) – a jornalista e escritora Clara Ferreira Alves, definitivamente elevada a figura pública com a sua participação ao lado de Mário Soares no programa da RTP1 “O Caminho Faz-se Caminhando” e finalmente atingindo o “Estrelato” pertencendo ao número restrito de convidados (neste caso portugueses) a participarem numa reunião do CLUBE de BILDERBERG (“um poderoso grupo de Capitalistas tão criticado pela sua falta de transparência e de prestação de contas”) – e como se atingindo um Auge Espiritual (Superior) e/ou estando a atravessar um surto Político-Psicótico (Extremo), descrevendo a atual situação no Reino Unido e o Caos (pretensamente e segundo ela) aí reinante, como uma justificação para a atitude “inopinada, desproporcionada, deslocada, desbocada” (como uma “menina-de-coro” e ainda-por-cima incisiva) por ela aplicada e diretamente (dando-lhe um “precioso” destaque “apontando-o”) atribuindo-lhe (como se lhe colocasse um selo, um estigma) uma demonstração da “Total Incompetência” dele, JEREMY CORBYN: e para tal servindo-se de sondagens e (para ter o efeito desejado) misturando “alhos com bugalhos.

 

Eleições na Grã-Bretanha

Sondagens

(Maio 2019)

 

R

(Eleições

Europeias)

Partido

Dirigente

Posição (maioritária)

sobre o BREXIT

Eleições

Europeias (%)

Eleições

Gerais (%) e (R)

Brexit

Nigel

Farage

S

31,5

18 (3º)

Trabalhistas

Jeremy Corbyn

N

21,5

25 (1º)

Liberais

Vince

Cable

N

14

16 (4º)

Conservadores

Theresa

May

S

12,5

25 (2º)

Verdes

Natalie Bennett

N

8

7 (5º)

Mudança

Heidi

Allen

N

5

2 (7º)

Escocês

Nicola

Sturgeon

N

3,5

5 (6º)

UKIP

Gerard

Batten

S

2,5

2 (8º)

CYMRU

Adam

Price

N

1

< 1 (9º)

Legendas

(R: Ranking S: Sim N: Não)

Valores Aproximados

 

Tirando uma ilação sobre a evolução de um determinado partido (no Reino Unido) concorrendo brevemente (em Junho) às Eleições Europeias (nem se sabendo sequer, se as mesmas serão efetivas) e misturando a problemática do BREXIT dividindo o país (não entre partidos sendo transversal mas) entre o SIM e o NÃO (que se refletirá obviamente nestas no mínimo discutíveis eleições), para (e como tem feito anterior e sucessivamente) desse modo desacreditar o Líder Trabalhista JEREMY CORBYN – um SOCIALISTA − apontando-lhe o resultado das últimas Sondagens Europeias mas não GERAIS (e como se isso fosse prova de algo sorrindo-se sarcasticamente). Como seria de esperar (nestas Eleições Europeias a decorrerem em 23 de Maio de 2019 e mesmo que o Reino Unido saia de seguida da União Europeia) com os apoiantes do SIM ao BREXIT a manterem-se do mesmo lado e os contrários à saída dizendo NÃO (mantendo-se) do outro lado: atravessando” o eleitorado da generalidade dos partidos políticos (sobretudo os Nacionais), originando a deslocação (estratégica, temporária, não ideológica) de alguns dos seus apoiantes para outros partidos (especialmente nos maiores partidos como os conservadores e Trabalhistas) e dada a principal questão verdadeiramente em causa (o BREXIT) – com o arrastar da sua solução tornando-se insuportável para os dois lados − fazendo aparecer outros Movimentos/Partidos (de mera Circunstância) como potenciais vencedores: sendo Eleições Gerais (realizando-se em 2022 mas certamente e dado o clima político podendo ser antecipadas) provavelmente nem tendo representação parlamentar.

 

wm.jpg

Eixo do Mal

Da SIC Notícias

(Pedro, Daniel, Aurélio, Clara, Luís)

 

Um facto introduzido por acaso, num tema já não sei o qual (mas certamente dirigido às Eleições Europeias ou em alternativa à Corrução Institucional), imediatamente aproveitado para dizer mal, de alguém nada expectável (até por proximidade política): um político com passado no Trabalhismo Britânico, apresentando-se com um apoio crescente entre todo o eleitorado (para as próximas Eleições Gerais), podendo ser uma opção válida para o Futuro do Reino Unido (deixem-no pelo menos tentar) e pelo menos podendo-se gabar de não ter sido ele a atirar (com a Convocatória do Referendo) o Reino Unido para o Caos e em direção ao Abismo (com David Cameron ao Leme e impactando o Icebergue, passando-o a Theresa May). Pelos vistos com Clara Ferreira Alves (CFA) a querer o regresso à Ilha da lendária “Dama-de-Ferro”, por sinal uma mulher, marcando (Bem ou Mal) uma época (relevante) da História da Grã-Bretanha. Já agora e por curiosidade e já que falaram nisso – nas Eleições Europeias como nas Eleições Gerais (tal e qual como CFA acha − “tanto faz” − e agarrando-nos tal como ela nas sondagens − mas olhando para a legenda separando-as) − o ponto de situação de cada uma delas (Europeias e Gerais) no que diz respeito à posição de cada um dos partidos (concorrentes): daí se podendo tirar conclusões tentando compreender o pensamento (ideológico, um pouco persecutório) e o método de funcionamento (e estrutura em camadas) da mente de CFA (quadro seguinte).

 

(imagens: yahoo.com − David Holt/Brexit/sputniknews.com – sicnoticias.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:53

12
Set 15

A Grã-Bretanha tem um novo líder Trabalhista

 

O Partido Trabalhista acaba de eleger como seu líder JEREMY CORBYN, um militante veterano com 66 anos de idade, representando a ala mais à esquerda do maior partido da oposição na Grã-Bretanha.

 

JeremyCorbynLabourleader12Sep15_large.jpg

Jeremy Corbyn

 

Eleito com cerca de 60% dos votos expressos pelos seus apoiantes trabalhistas, o novo líder esquerdista inglês sucede na liderança do seu partido a Ed Miliband, inesperada e estrondosamente derrotado nas últimas eleições realizadas há meses (232T/331C em 650 parlamentares eleitos).

 

O que aconteceria se a Grã-Bretanha virasse à esquerda?

 

“Jeremy Corbyn Is Following Bernie Sanders' Campaign With Great Interest”
(huffingtonpost.com)

 

Enquanto isso nos EUA o senador Democrata de tendência socialista Bernie Sanders candidata-se à Casabranca como Independente (tentando assim penetrar na embrulhada de candidatos que ainda se digladia na antecâmara presidencial de 2016), sabendo-se de antemão apenas poderem ser nomeados oficialmente e com credibilidade (vencedora), ou um indivíduo como candidato Democrata (neste momento com Hillary à frente nas sondagens) ou um outro como candidato Republicano (neste momento com Trump à frente nas sondagens).

 

Bernie-Sanders-327x253.jpg

Bernie Sanders

 

Imaginemos um ano de 2016 com a Europa em reflexão profunda (sobre a sua grave e prolongada crise económica), com a invasão crescente dos surtos migratórios vindos de sul e de leste (fugindo da guerra e do caos aí reinantes), com o conflito da Ucrânia em hibernação mas sempre presente (as eleições norte-americanas vêm a caminho) e com a crise bolsista chinesa como pano de fundo, tendo como complemento toda a Europa de leste a virar à direita (com a europa ex-comunista a liderar), todo o ocidente a virar à esquerda (Grécia, Portugal, Espanha, etc.) e ainda com a Grã-Bretanha a apresentar um potencial candidato a futuro Primeiro-Ministro Inglês situado bem à esquerda, muito atento à campanha de um outro importante esquerdista mas neste caso candidato à presidência dos EUA.

 

Devia ser muito interessante assistir a uma luta continental HILLARY/TRUMP/SAUNDERS, com o ilhéu CORBYN a assistir.

 

(imagens – WEB)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:13

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO