Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Vírus SARS CoV-2 (Outubro de 2021)

Domingo, 03.10.21

Comparando desde o início desta Pandemia (fevereiro de 2020) o comportamento do coronavírus em Portugal (10.196.709) e no Reino Unido (67.886.011) ─ com a população do Reino Unido a ser quase 7X a de Portugal ─ verificando-se que dos 4,8 milhões de óbitos globais por Covid-19 (4.814.930), 136.953 registando-se no Reino Unido e 17.993 em Portugal (quase 8X menos): levando-nos a ter que valorizar, todo o trabalho desenvolvido em Portugal.

Screenshot 2021-10-03 at 21-35-33 Portugal COVID 1

Covid-19 em Portugal

(máximo nos 300 óbitos/dia)

 

Às 20:46 TMG de 3 de outubro de 2021 com quase 236 milhões de indivíduos infetados (235.669.498) e tendo-se já ultrapassado os 4,8 milhões de óbitos (4.814.930), globalmente com a Pandemia a atravessar uma fase descendente de atividade (-10% de casos/óbitos nos últimos 14 dias). Em Portugal este domingo (03.10.2021) com +449 casos (Reino Unido +30.439) e +7 óbitos, um deles na região do Algarve (Reino Unido +43).

Screenshot 2021-10-03 at 21-35-57 United Kingdom C

Covid-19 no Reino Unido

(máximo nos 1.824 óbitos/dia)

 

Pelo que ultrapassado o “Dia da Libertação” Covid-19 em Portugal (1 de outubro de 2021) festejado todo este fim-de-semana nas principais cidades deste país (como Porto, Lisboa e Faro) e mesmo que se esperando uma momentânea subida de casos de contaminação Covid-19 associado a possíveis surtos de gripe (daí a campanha de vacinação), esperando-se que no decorrer dos próximos dias se confirme a alteração de Pandemia para Endemia, integrando na nossa vida e quotidiano mais este vírus.

(imagens: worldometers.info)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:24

O Dia 1 de Outubro de 2021

Sexta-feira, 01.10.21

No lançamento do primeiro fim-de-semana após o soar da “Hora da Libertação” (esta sexta-feira, 1 de outubro pelas 00:00) e a poucas horas de duas noites consecutivas de copos e de discotecas (que até poderão ser quatro, fazendo ponte com o feriado), sendo certo que nos sítios do costume onde decorre este tipo de atividade humana (social/de convívio), estes eventos atingirão inevitavelmente a sua sobrelotação, estendendo os seus longos braços (há tanto contraídos) no espaço e no tempo em seu redor ─ como um polvo, tentando reorientar-se.

IMG_20210928_023253.jpg

Num momento em que a pandemia (pelo menos por cá) parece ter-se tornado ainda que apenas oficiosamente numa endemia (falando-se já da possível associação futura ─ num contexto de normalização ─ da vacina contra a gripe e contra a Covid-19), tentando-se introduzir como natural a nossa coexistência futura e quotidiana com este novo vírus (anulando a questão da Saúde) e dando protagonismo absoluto à Economia. Tendo passado ainda há pouco tempo pelo Hospital de Faro e sentido que os seus serviços (e nada tendo a ver como os seus profissionais e auxiliares de saúde), a nível de recursos humanos e de equipamentos está cada vez pior ─ com a incompetência só podendo vir de outro lado.

(imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:43

2º Verão Covid-19 (2021)

Domingo, 08.08.21

Neste 49º dia de VERÃO (de um total de 93), a indicação gráfica da evolução da Pandemia COVID-19 na região do ALGARVE (2º Verão Covid-19), a nível de INFETADOS/DIA e de ÓBITOS/DIA durante os primeiros 49 de 93 dias (quase 53%) desta estação.

Imagem1.jpg

Algarve

Verão 2021

 

Podendo-se já ter ultrapassado na região o pico máximo de atividade desta última vaga Covid-19 (entre a 2ª/3ª semana de julho) ─ com o nº de Infetados/dia tendencialmente em descida ─ mas com o nº de Óbitos/dia a não refletir ainda essa tendência, ainda no passado dia 6 de agosto (passada sexta-feira) registando-se 4 óbitos (tendo-se de recuar a 18 de fevereiro deste ano, para se encontrar um valor superior, com 6 óbitos).

Em Portugal e fazendo-se o ponto da situação (dados da DGS de 8, referentes ao fim do dia 7 de agosto) ─ hoje com +1.982 infetados (Algarve +224) e com + 10 óbitos (Algarve, +0) ─ com todos os parâmetros Covid-19 em descida (incluindo a taxa de Incidência e o índice de transmissibilidade), continuando-se a prioritária campanha de vacinação: segundo os últimos dados fornecidos pela DGS a caminho dos 5,5 milhões de completamente vacinados, ou seja, a caminho dos cada vez mais próximos (se por acaso já não estivermos nele) 60%.

Sendo, no entanto, necessário acrescentar que mesmo confiando-se “fielmente” na eficácia da vacina (seja qual for a eficácia a ela referida), para além das obrigações pessoais que deverão continuar (como a máscara, o distanciamento, a higiene das mãos) e da necessidade cada vez mais premente de se atingir os 100% de vacinados ─ e para além ainda da evolução do vírus, a “outra parte”, produzindo novas estirpes/variantes ─

A vacina terá sempre uma ação limitada no tempo, a partir de determinada altura (contando da última toma) deixando progressivamente de ser eficaz (afinal de contas sendo para um vírus e agora estando-se perante um “mutante”, uma nova estirpe/variante). E agora que é provável a chegada a curto-prazo de uma nova vaga (depois do Verão, no Outono), mantendo-se um ciclo semelhante ao ocorrido no ano passado (1º ano de Pandemia), colocando-se ainda com mais premência a questão das vacinas e das campanhas de vacinação, vindo aí uma nova mutação (versão) do coronavírus e com os primeiros vacinados passados já uns meses (6/7), a ficarem como se nunca o tivessem sido (vacinados). Daí o desespero de não havendo uma nova vacina (depois da de 2020, a atualização com a de 2021), tendo-se de recorrer ao reforço das doses.

Ainda-por-cima informando-nos agora (como se já não o soubessem há muito) que vacinados ou não vacinados, seremos sempre transmissores ativos no vírus, “não pegando este em nós, servindo-se de alguém por perto”. Talvez daí se explicando que chegadas as férias grandes de Verão, a “SILLY SEASON”, mesmo com a generalidade dos parâmetros Covid-19 a descerem, persiste ainda um número de óbitos excessivos expressos (apesar de nunca ultrapassarem os 20) em dois dígitos. Para nos salvarmos do pior sendo óbvio que o nosso Governo sabendo antecipadamente o que poderá suceder (esperando todos nós, que tal não aconteça), terá de trabalhar e não pensar ir de férias e deixar o militar, a tratar das “coisas”.

E boas férias de Verão. Sem Covid-19.

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:41

Covid-19 PT/07.08

Sábado, 07.08.21

Sabendo-se a possibilidade de o nº de óbitos/dia ainda poder vir a subir (prolongando um pouco mais, os efeitos desta última vaga) e ainda de rumores de desentendimentos entre o militar coordenador da “Task Force” (das vacinas) e a civil Diretora Geral da Saúde denominada oficialmente como “o rosto da Pandemia”. A tal que afirmou que o vírus estava lá longe e que o uso da máscara era desnecessário ─ como nos recordou “inocentemente” um seu companheiro de viagem (de Estado), querendo certamente dar-lhe uma “pica” e com nome de santo, São Marcelo.

Imagem1.jpg

Comparando estes dois anos Covid-19 (2020/completo e 2021/incompleto) colocando lado-a-lado o mês de julho de cada um desses anos ─ um vindo da 1ª vaga de março 2020 (Verão/julho/2020), o outro da penúltima vaga de janeiro 2021 (Verão/julho 2021) ─ podendo-se analisar a evolução do nº de infetados/dia e do nº de óbitos/dia nesse período da Pandemia.

Verificando-se então que apesar do aumento bastante significativo do nº de infetados/dia de julho de 2020 para julho de 2021, esse aumento não teve (felizmente para nós e agora) reflexo proporcional no número de óbitos/dia: e se o ponto máximo de infeções neste mês de julho de 2021 atingiu os 4.794 infetados/dia (23 de julho), comparativamente com o registado no mesmo dia de julho de 2020 (229 infetados/dia) sendo 21X superior, já no que diz respeito à reflexão desses infetados no nº de óbitos (registados nesse mesmo dia), se em julho de 2020 era de 3 agora sendo de 16, ou seja, “apenas” 5X mais. Antes, se por cada 76 infetados surgindo 1 óbito, depois sendo necessários 282 infetados para surgir 1 óbito (quase 4X mais).

Esperando-se agora pelo sucessor da estirpe/variante Delta, um dos descendentes do coronavírus original, designado como SARS CoV-2 ─ e sendo um ciclo periódico (ainda não confirmado, sendo ainda e apenas uma Pandemia, não uma endemia), existindo grandes probabilidades de uma nova vaga no outono (depois do verão), tal como sucedido o ano passado: tendo que estar tudo vacinado, talvez mesmo com um reforço (pelo menos para os mais frágeis), não existindo ainda a versão atualizada da vacina (mais cedo ou mais tarde, perdendo eficiência).

(dados: dgs.pt/zerozero.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:59

Covid-19 PT/05.08

Quinta-feira, 05.08.21

Ao fim do dia 4 de agosto (dados publicados hoje, 05.08), dezassete meses desde o início desta Pandemia, com um total de 979.987 portugueses tendo sido infetados (hoje, +2.581) e registando-se um total de 17.422 óbitos (hoje, +10),

Sabendo-se (ainda) que até ao final desse dia (04.08) e das quase 12 milhões de doses de vacina até aí administradas, 6.847.225 de portugueses já tinham tomada uma dose (de duas) e 5.135.830 já tinham a sua vacinação completa ─ mais de 50% do Universo a vacinar, cerca de 10 milhões

E simultaneamente olhando em nosso redor e dando uma rápida vista de olhos sobre o que se passa no “Restante Mundo Covid-19”, verificando que para além do total Global Terrestre até hoje registado de mais de 201 milhões de infetados e de quase 4,3 milhões de Óbitos,

Imagem1.jpg

Vaga Pandémica

Monótona pela continuidade e teimosamente não descendo,

parecendo apenas aguardar a chegada, da próxima vaga deste coronavírus

 

O Mundo regista (na última semana) um ligeiro crescimento (apesar de muito menor, se comparado com a vaga anterior) do nº de infetados e do nº de óbitos (nos 8%/9%) ─ confirmando esta “vaga intermédia” ─ vindo a maior contribuição da América do Norte (+33% de Infetados/+26% de Óbitos) sobretudo dos EUA e da Ásia (+13%/+17%),

Com a Europa nos últimos 7 dias a registar uma descida de 5% no nº de infetados/dia, apesar de registar um ligeiro crescimento no nº de óbitos (8%) ─ com a Rússia na dianteira e a grande distância no nº de vítimas mortais/dia (794) e por lado com a Grã-Bretanha a liderar no nº de infetados/dia (30.215).

Relativamente a Portugal e particularmente à área da Saúde e à região do Algarve ─ com o vice-almirante (Gouveia e Melo, o militar coordenador da “task force das vacinas”) a visitar neste dia os seus “comandados a sul” ─ registando-se hoje na região +230 infetados e +1 óbito,

Enquanto pelo lado Económico (a outra componente, em contrabalanço à da Saúde) com o turismo (este ano de 2021, durante o mês de julho) a ser relativamente a 2020 e segundo dados da AHETA, 40% mais a nível nacional do que em 2020 e 76% menos a nível internacional, nesse mesmo período.

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:10

1º de Agosto em Albufeira

Domingo, 01.08.21

“No dia em que nos chegam notícias de 1.200 jovens com mais de 12 anos vacinados na Madeira (enquanto no continente ainda se pensa, se sim ou não), em que mais um desportista português ganhou uma medalha olímpica (depois de Jorge Fonseca com a medalha de bronze no judo, seguindo-se Patrícia Mamona com a medalha de prata no triplo salto) e em que a Câmara de Monchique vai comprar um castelo (sorte a dele, o Castelo de Alferce, um povoado fortificado podendo voltar à vida graças ao Presidente, ao dono do terreno e a um grupo de arqueólogos).

SnapShot-20210801_140747.jpg

Albufeira 01.08.2021 14:00

Com um pouquinho de chuva a norte, com o céu meio encoberto ao centro e com o Sol um pouco mais azul a sul, em Albufeira conhecida como a capital turística do Algarve (administrativa sendo Faro), registando-se por volta das 14:00 deste domingo (1 de agosto de 2021) uma temperatura de cerca de 30°C (sensibilidade térmica de 28°C), vento moderado (de norte) e nível 8 de índice de raios ultravioleta (muito alto).

Com a temperatura da água do mar a andar por volta dos 18°C (convidando ao banho, sem grande choque térmico à entrada) e como se vê por estas imagens, com a superfície da água a apresentar-se tranquila e serena, quase sem ondas, mostrando-se não propriamente como esperaríamos numa baía de mar, mas mais como se estivéssemos num lago: num cenário de paz e sossego duma praia com Sol e junto ao mar, podendo-se ainda juntar a vantagem de se estar integrado num espaço, no presente com uma lotação agradável por sempre e garantidamente  limitada (havendo largo espaço para todos) ─ pelo Covid-19 e pela ausência de turistas sobretudo estrangeiros (por cá andando portugueses e uns poucos espanhóis).

SnapShot-20210801_140829.jpg

Albufeira 01.08.2021 14:00

Nestas duas imagens (deste 1º de agosto) da responsabilidade das câmaras exteriores do Hotel “Sol e Mar” ─ apresentando-nos a praia que nos aparece depois do túnel de acesso à mesma (vindo do centro da cidade velha), antes praia do Túnel e agora dando acesso (assim diz a placa de apresentação no areal) à “Praia do Peneco” ─ sendo visível a tranquilidade deste cenário, até pela falta notória de gente na praia: de momento com a esmagadora maioria deles sendo turistas nacionais sobretudo de metade do país para baixo e esperando-se ainda a chegada em força da gente do norte e ainda como não poderia deixar de ser dos emigrantes (podendo estes todos ser o “desfibrilador” para um regresso da esperança e da Vida ao Algarve).

Num dia em que a região algarvia registou +241 Infetados e +1 Óbito ─ de Covid-19 ─ inserida num contexto Global onde até hoje se registaram (desde o início da Pandemia) quase 199 milhões de Infetados (média de 383,5 mil Infetados/dia) e mais de 4,2 milhões de Óbitos (média de 8,2 mil Óbitos/dia). Numa média anual muito próxima dos 3.000.000 de vítimas mortais/ano, com a introdução das vacinas neste ano de 2021, necessariamente e pela sua eficácia (constatada), em tendência decrescente (de 2020 para 2021).

(imagens: albufeira.com/webcam/solemar)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:46

A Horas do Dia da Nossa "Libertação"

Sábado, 31.07.21

Covid-19 PT ─ Os Não Vacinados (como as Crianças) São o Problema?

Passados 17 meses de Pandemia (de Covid-19) e com quase 7,9 mil milhões de indivíduos sujeitos aos efeitos da mesma (o nº atual de habitantes no nosso planeta) ─ até cerca da uma da manhã do dia 31 de julho de 2021 tendo-se registado a nível Global 198 milhões de Infetados (2,5% da população global, a amostra) e mais de 4,2 milhões de Óbitos (taxa de mortalidade de 2,1% sobre a amostra) ─

Screenshot 2021-07-31 at 18-05-12 Sem danças e co

Discotecas em Portugal

Umas poderão abrir (tendo um código de bar), outras não

 

Simultaneamente nos últimos 7 dias (uma semana) registando-se uma ligeira tendência de crescimento a nível Global do nº de Infetados (+9%) e do nº de Óbitos (+11%), se comparada com a semana anterior ─ essencialmente impulsionados pela América do Norte (+44%/+24%) com os EUA à cabeça (+56%/+16%) e pela Ásia (+19%/+24%) com a Indonésia à cabeça (-3%/+30%) ─

Desenhando-se e perspetivando-se a nível da Europa a persistência numa fase mais ou menos avançada desta “segunda vaga intermédia de Verão” (em Portugal praticamente não se sentindo no Verão passado, ao contrário deste ano), mantendo apesar de em valores tendencialmente baixos, um determinado nº de infetados/dia e de óbitos/dia. Mantendo-se a efetividade da vacina e o controlo de estirpes/variantes (do vírus original SARS CoV-2), podendo-se pensar mais um pouco, preparando-nos para o 4º trimestre de 2021.

Sabendo-se em poucos países tendo-se atingido 50% de população completamente vacinada (uma minoria minoritária, onde se inclui Portugal), sabendo-se da perda de efetividade da vacina não só por ter um tempo limite de atuação (meses), como por ter sido produzida para a versão  do coronavírus anterior (sendo uma vacina para 2020 e não para 2021) ─ estando-se agora sob a ação da variante Delta, mas felizmente que a vacina funcionando (apesar do aumento das infeções diminuindo drasticamente o nº de óbitos) ─

Imagem1.jpg

Evolução da Pandemia SARS CoV-2

Algarve 2º ano/2º Verão

 

E ainda (agora que se discute se se deve dar uma 3ª dose da vacina, ou se as crianças a partir dos 12 anos de idade devem ser ou não vacinadas) concluindo-se, até por 17 meses de experiência na companhia deste vírus invisível e mortal capaz de fazer parar “todo um planeta” ─ forçando-nos a um ainda maior isolamento (nós humanos que cada dia que passa, alienamos algo mais), quebrando de vez muitos e sendo-o mentalmente ─ que esta nova estirpe/variante (a Delta) que mais uma vez nos “controla” no seguimento do objetivo definido (em princípio inconscientemente, sem noção de consequências) pelos seus ascendentes, sendo muito mais contagiosa que a anterior, mas muito menos mortal,

Se por um lado poderá ser comparada a outras doenças infetocontagiosas como a Varicela, contagiando mais rapidamente muitas mais pessoas, sabendo-se por outro lado da efetividade das vacinas reduzindo o número de vítimas mortais, tendo-se que necessariamente de arranjar alguma forma, método ou até fórmula que nos permita resolver o problema que fica, o de “controlar eficientemente os processos de contágio”, pelo menos enquanto não arranjarmos um tratamento/vacina ainda mais eficaz (esperando-se para já pela vacina de 2021 a vacina para a variante delta, não a anterior).

Screenshot 2021-07-31 at 18-08-07 (Imagem WEBP, 21

Manifestações em França

Em Paris contra o seu “obrigatório” certificado Covid-19

 

Aqui e depois da conclusão tirado do estudo pratico-teórico experimental de mais de ano e meio de convívio (com o coronavírus), entrando a questão do controlo da transmissibilidade do vírus, das suas principais vias de transporte/contágio (ligando famílias/escolas/empresas), dos vários alvos nessas vias (velhos, jovens, camadas etárias intermédias) e obviamente sendo caso determinante, a identificação a qualquer momento para além das suas vítimas (indiretas) dos veículos de transmissão de doença: e se a maior percentagem de vítimas podendo ser ainda os mais velhos, até pela enorme taxa de não vacinados em muitas faixas etárias sendo “zero”, tendo-se obrigatoriamente que se dirigir toda a nossa atenção para os mais jovens: não estando vacinados, nem evoluindo a doença (de modo a ser visível, podendo ser portador, mas não desenvolvendo a doença) sendo o a criança o “portador-ideal”.

Podendo ao mesmo tempo ser um excelente berçário de outras estirpes/variantes, “soltando-se” sendo imprevisíveis as consequências. Tudo se resumindo para já e como última solução para todos (e seja o que Deus quiser, sendo nós as cobaias) a continua procura da vacina e claro está da vacinação ─ mas não com poucos vacinados e persistindo-se na vacina do ano anterior (pelo menos, reforçando-se a dose).

(imagens: MadreMedia/Lusa/24.sapo.pt ─ Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:41

Covid-19 PT ─ Desconfinamento (2º ano/parte 2)

Quinta-feira, 29.07.21

Com mais de 15 milhões de testes realizados ─ desde o início da Pandemia Covid-19 ─ e já nos 5 milhões de indivíduos completamente vacinados (em redor dos 50%) ─ num processo (liderado por um militar) iniciado nem há sete meses e com cerca de 12 milhões de doses administradas ─ registando-se esta quinta-feira (29.07) +3.009 Infetados (Algarve, +241) e +10 Óbitos (Algarve, +3).

Estando esta “vaga intermédia de Verão” já na sua fase decrescente de atividade (ultrapassado o seu pico máximo, este último fim-de-semana), não se evitando, no entanto, que após quatro dias seguidos sem óbitos, o Algarve tenha registado +3 mortes por Covid-19.

image.jpg

António Costa apresentando

O novo plano de Desconfinamento

(jn.pt)

 

A verdadeira preocupação residindo de momento (a nível nacional) no nº de Internados e em UCI, apesar de ultrapassado o “pico desta vaga”, estando ainda em crescimento.

Tudo indo depender por um lado do nosso respeito pelas regras básicas de comportamento face a este coronavírus (como máscara, higiene e distanciamento), pela eficácia do processo de vacinação (tendo-se que atingir o mais rapidamente possível os 100%) e ainda pelo que o vírus por si próprio (e pelas suas estirpes/variantes) nos reservará para o Futuro (depois de 2020 e de 2021, o que se seguirá em 2022).

Imagem1.jpg

A maior preocupação no presente

Sendo a taxa de ocupação hospitalar

(29 julho 2021)

 

No regresso à televisão (diga-se que a muitos canais e simultaneamente, como é aliás costume) e como que para decretar o início da (sua) vitória sobre o vírus SARS CoV-2 (e suas estirpes/variantes) e a doença pandémica pelo mesmo provocado ─ a doença infeto-respiratória podendo ser mortal a COVID-19 ─

Com o nosso 1º Ministro aparecendo todo sorridente (talvez para responder ao “irritantemente otimismo” do Presidente) a anunciar o princípio do fim definitivo (assim o esperando) desta grave “crise Pandémica” durando há quase 17 meses,

Screenshot 2021-07-29 at 21-11-09 Governo esclarec

Libertação começa em agosto

Mas só acaba em outubro

(jn.pt)

 

Só agora começando a abrir completamente a “Porta do Castelo”, indo da utilização do espaço ao regresso do horário normal de funcionamento e passando (apesar de nunca ter proferido a palavra muitas vezes “fatal”) ainda e obviamente pela abertura progressiva do “Futebol”.

E mais uma vez ficando para trás, bares e discotecas (pelos vistos e depois de correção, só estes últimos) tendo de esperar (tudo correndo bem) até meados de outubro.

(dados: dgs.pt imagens: Lusa ─ Produções Anormais ─ 24.sapo.pt)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:58

Covid-19 PT/28.07

Quarta-feira, 28.07.21

Observando o gráfico da evolução da Incidência e do índice R(t) em Portugal nas últimas dez semanas, sendo evidente (nestes 70 dias) a subida da taxa de Incidência, parecendo estar perto de atingir o “topo da sua curva” e a descida desde 8 de julho do índice de transmissibilidade R(t).

Imagem1.jpg

Esta quarta-feira 28.07 em Portugal e por Covid-19 registando-se

+3.451 Infetados (Algarve, +358) e +13 Óbitos (Algarve, +0)

 

Não se tendo ultrapassado hoje e mais uma vez, o valor máximo de Infeções/dia (+4.794) e de Óbitos/dia (+20), atingidos no passado fim-de-semana, com mais estes dois parâmetros (Covid-19) ─ Incidência e R(t) ─ a parecerem querer confirmar aquilo que toda a gente deseja: que esta nova “vaga intermédia de Verão” já está na sua fase descendente.

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:59

Vaga de Verão Covid-19 ─ Talvez na sua curva descendente

Terça-feira, 27.07.21

“Sendo curioso que até hoje tenham sido realizados quase 15 milhões de testes (PCR e Antigénio) ─ numa viagem de quase 17 meses (desde março 2020) ─ e tendo sido administradas mais de 11 milhões de doses da vacina (contra a Covid-19) ─ numa viagem de nem 7 meses (desde janeiro de 2021). Doses administradas ao dobro da velocidade, dos testes realizados.”

Neste fim-de-semana (de 23 a 25 de julho) e observando-se a evolução dos parâmetros Covid-19 ─ nº de Infetados/dia e nº de Óbitos/dia ─ com estes a sugerirem para já, termos atingido o “pico máximo de atividade” desta “vaga intermédia de Verão”, com 4.794 Infetados (no dia 23 de julho) e 20 óbitos (no dia 24 de julho). Esperando-se que, entretanto (nos próximos dias), nenhum destes parâmetros ultrapasse esses limites (de Infetados/dia e de Óbitos/dia).

Imagem1.jpg

Apesar da subida da taxa de Incidência (de 172,8 para 427,5) ─ 2,5X ─ com a taxa de transmissibilidade R(t) a manter a sua tendência de descida (de 1,14 para 1,04).

 

Desde o início do mês de julho até hoje (terça-feira, 27 de julho) com o nº de Infetados/dia diminuindo (46 Infetados/dia) e com o número Óbitos/dia subindo (de 2 Óbitos/dia) ─ variações pouco significativas, indicando uma estabilização (em descida) da situação ─ apenas com o nº de hospitalizados a causar alguma preocupação (mas muito menor, do que o registada na “vaga de Janeiro” deste ano) com o número de Internados a subir +424 (de 504 para 928) e o nº de doentes em UCI a subir +80 (de 120 para 200).

Esta terça-feira na região do Algarve não se registando Óbitos pelo 3º dia consecutivo (zero vítimas mortais), com o nº de Infetados registando a sua 6ª descida consecutiva (de 394/dia até 147/dia, cerca de 2,7X menos). E com cerca de 4,7 milhões de portugueses já completamente vacinados, cerca de 47%.

Hoje no Mundo a caminho dos 4,2 milhões de mortes e 178 milhões de Infetados e com os nossos “Aliados Britânicos” a registarem +23.511 Infetados e +131 mortes (e talvez já tendo igualmente ultrapassado/recentemente, o seu “pico máximo”) ─ britânicos quanto ao nº de Infetados (10X) e ao nº de Óbitos (20x) e em proporção, com uma razão (UK/Portugal, entre Infetados e Óbitos) sendo bem superior à nossa (ou seja, pior).

(dados: dgs.pt ─ imagem: Produções Anormais)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:28