Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

03
Ago 16

“Quando no século passado a Lua invadiu a Terra

(com a alunagem do módulo da nave Apollo11 no ano de 1969),

Nunca passaria pela cabeça de ninguém que quase meio século depois

(em pleno Futuro)

Estaria de novo a caminho da passada Idade Média.”

 

151123_r27336-1200x630-1447269176.jpg

O Modelo Americano – com o segredo a residir nas suas excecionais impressoras de dólares

Num caso exemplarmente expresso no seu Défice Fabuloso

(com o de 2016 ultrapassando 500 biliões e o acumulado expressando-se em triliões)

 

O que distingue os EUA da Europa é que enquanto na maior potência existente à superfície da Terra o que verdadeiramente interessa é a contínua perpetuação do Modelo, no restante jardim da nossa existência e das delícias prometidas tudo se limita apenas a simples Médias e Modas: na América do Norte com o seu Modelo privilegiando-se os gastos (o Investimento), na Europa com os seus constantes Delírios limitando-se as despesas (o Défice). Sendo fácil de constatar quem imita Portugal convidando os seus nacionais a partir e emigrar.

 

Não sendo pois de admirar que apenas uns insignificantes 60 residentes deste planeta se possam equiparar a quase 4 biliões seus semelhantes: num regresso da nobreza e do clero, da plebe e dos marginais, mas agora numa pirâmide (social) de aplicação impossível – com dois vértices suportando um outro que já deixou de existir, esmagando as esperanças dos residentes da base. Algo tentado no Governo anterior em Portugal mas que por um motivo qualquer nunca se concretizou (talvez à imagem de Putin tendo Sócrates como culpado).

 

Nos EUA com os dois candidatos a serem na sua essência solidários com o seu atual estatuto e relação com o Poder, assente nos Grandes Grupos Privados agora detentores dos Antigos Poderes do Estado. Por concessão (real e intemporal) e como consequência logica da robotização (tornando o Homem excedentário): e concordando plenamente dom o pensamento (não me lembro agora de quem) de que com TRUMP teremos HITLER e com HILLARY nada melhor – HITLARY.

 

“Já toda a gente sabe a quem se destinam os restos!”

 

(imagem: newyorker.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:53

13
Dez 13

 

A “bolha” do mercado de acções norte-americano poderá estar prestes a rebentar, com todas as consequências negativas que tal acontecimento terá não só para os EUA como para todo o mundo financeiro e económico, talvez excluindo o seu principal credor a R. P. China; mesmo assim as acções na bolsa não param surpreendentemente de subir, o que face à grave crise económica e financeira que todo o mundo atravessa – com os EUA à cabeça a assumirem todo o protagonismo – não deixa de ser contraditório e matematicamente incompreensível, para não se dizer já inaceitável: vejam-se os casos brilhantes dos índices Dow Jones, S&P e Nasdaq, que não reflectem minimamente a realidade do mercado;

 

O défice orçamental norte-americano não para de crescer duma forma inconcebível e brutal – ou seja exponencial – atingindo todos os dias um novo recorde, com a administração norte-americana constantemente a atirar a sua resolução para um pretenso e indefinido futuro; o que ajuda a “engordar a bolha” que alastra por todo o mercado, tornando-a gigantesca e desse modo incontrolável, atingindo níveis cada vez mais preocupantes e muito semelhantes ao sucedido há seis anos atrás, mesmo antes do último crash vivido pelos EUA e pelo mundo;



E quanto ao ratio? Mesmo sem lucros sempre a subir! Vejam o caso duma grande companhia parasita e não reprodutiva já com mais de uma meia dúzia de anos, que apesar de registar perdas recentes superiores a 60.000.000 de dólares, ainda vale em bolsa mais de 20.000.000 de dólares – Twitter – para já não falar do Facebook;

 

Mas apesar de toda esta loucura e de todos os prenúncios e evidências de que todo este cenário mal montado e explicado poderá acabar muito mal em muitíssimo menos tempo do que se pensa, nada é feito tudo é adiado; talvez até ao dia em que as novas grandes potências mundiais como a R. P. China venham buscar os seus dólares ao Tesouro Norte-Americano e lhes cedam a um câmbio compensativo (para os chineses) um punhado de yuans;



Vivemos hoje em dia num mundo em que escasseando quase todo para a esmagadora maioria da população mundial – incluindo também aqui os cidadãos norte-americanos nascidos nesta ilusória Terra de Sonhos agora transformada em Terra de Pesadelos e Zombies – tudo o que não está nas suas mãos e que não consegue controlar, é valorizado excessivamente se estiver à venda pelos “únicos que possuem na verdadeira acepção do termo” (o poder, o dinheiro, a lei) e desvalorizado violentamente se estiver à venda pelos “que vão temporariamente pensando possuir”; o síndrome é inevitável e uma consequência lógica da degenerescência do sistema que nos controla e dirige – na agonia em que estamos e soterrados por toda esta pesada e demagógica estrutura aceitamos apaticamente tudo, mesmo os extremos inaceitáveis talvez porque já estejamos mortos ou para lá caminhemos como um autêntico e perfeito morto-vivo;

 

(texto a partir de artigo: Michael Snyder/The Watchers – imagens: retiradas da Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:36

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO