Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

19
Mai 19

[Num Abrir e Fechar de Olhos]

 

Há ricos que são pobres e pobres que são ricos,

mas só quem já foi rico pode dizer isso.

(As principais diferenças entre ricos e pobres/franquiaempresa.com)

 

[Iº]

 

Trump-Convincing-Poor-People.jpg

 

Com os Altos Gestores e Contabilistas da atual Administração da Casa Branca (agora sob a liderança de um puro “Milionário de Sangue”), em conformidade e de acordo com todas as suas Instituições Governamentais e Concessões Privadas (num esforço conjunto do tipo Parceria-Público-Privada) e tendo como desígnio e objetivo o equilíbrio nem que aparente (necessário e suficiente para esta Sociedade do Espetáculo) da publica e oficialmente desvalorizada (por brutal) Dívida Norte-Americana − estimada em muitos TRILIÕES (atualmente ultrapassando os 22) mas agindo com determinação e responsavelmente (por parte dos intermediários políticos no fundo representando lobbies) podendo ser se não diminuída pelo menos algo desacelerada (nem que seja por manipulação de números para convencer), dando todos (traduzindo, nós)  o exemplo – a proporem como um dos projetos prioritários para a concretização do seu Orçamento, atacando de frente e de vez o problema da sua Dívida (e sendo visto com um Sinal Significativo para toda a Sociedade norte-americana, especialmente para a sua base ainda produtora/ou excedentária, em nome do seu topo ou liderança) – “e vejam bem a sua alta capacidade de Intervenção mas sobretudo a sua propalada Inovação” – a redução dos gastos nos diversos programas de “Luta e Irradicação da Pobreza” (quase que já limitados a pequenos gastos na Saúde e na atribuição de Senhas de Refeição) prevista atingir uma poupança imediata de perto de 25 milhões, numa década de 250 milhões e com reformas adicionais nas diversas instituições de apoio (ligadas à Saúde) e Seguradoras (e Bancos), podendo nesse mesmo período (a tal Década) chegar a 1 TRILIÃO: quase 5% da Dívida uma Monstruosidade (sendo só) para os Pobres. Daí a mensagem de Donald Trump (Presidente de Pobres, Presidente de Ricos) para os “pobres” dos norte-americanos (como o poderia ser para os Alienígenas do México, para os Alienígenas do Espaço ou para os da Quinta-Dimensão):

 

“Trump to poor Americans:

Get to work or lose your benefits”

(washingtonpost.com)

 

[IIº]

 

Numa estratégia imaginativa só possível num MILIONÁRIO (ainda-por-cima norte-americano e ligado ao ramo Imobiliário) sabendo entre “o Ter e o Não Ter (até pela sua anterior Vida Profissional) as bases práticas (reais, correntes e diárias) da mais simples e eficiente Contabilidade (só assim sendo eficaz diversificando os seus campos de ação/intervenção, sejam legais ou semilegais)

 

Trump May Redefine Poverty,

Cutting Americans From Welfare Rolls

(bloomberg.com)

 

− Neste momento encarnado na figura de DONALD TRUMP,

o Republicano 45º Presidente dos EUA

 

E simultaneamente realçando (para quem não quer ver) e mais uma vez (para além do já reconhecido poderio da sociedade não-civil e do seu Complexo Industrial-Militar) o papel desempenhado por aquela camada intermédia (de momento no “Elevador e em Ascensão”) inserida num determinado nível do Edifício Social

 

– Como se vê podendo ser facilmente encontrados

(pré-definidos enquanto no nosso nível)

entre profissões implacáveis

(e optando conscientemente por esse módulo de sobrevivência)

retalhando tudo à sua frente

(até ao mais irrelevante e sórdido pormenor)

e nunca se preocupando com as consequências

(por obediência e pelo contrário, esperando retribuição)

como “Políticos, Economistas e Advogados

 

-1x-1.jpg

 

Uma decisão a nível Económico-Financeiro no mínimo brilhante (por impactante até pelo relevo da crítica oferecida pela oposição, esmagadoramente Democrata, numa Ditadura Bipolar), tomada como que com um “toque-de-magia” e só podendo vir de um “MÁGICO

 

− Reconhecido no planeta TERRA não pelo característico Chapéu-Mágico,

mas pela sua (ir)relevante e Loura-Cabeleira

 

“Because of this, changes to the poverty thresholds,

including how they are updated for inflation over time,

may affect eligibility for programs that use the poverty guidelines.”

(OMB/bloomberg.com)

 

Num só Toque-da-Varinha (do referido Mágico Donald Trump) e mesmo sem o dito chapéu (dispensado para a prateleira), obtendo o pretendido eliminando (de uma só) vez “Dois Pobres Coelhos:

 

Fazendo lembrar um pouco Portugal e as constantes alterações (por vezes todos os anos) verificadas nos Escalões do IRS (na definição dos seus limites inferiores/superiores)

 

– Aqui levadas unicamente a cabo para

(no fim)

ficarmos sempre a perder

(recebermos menos ou pagarmos mais)

/daí caracterizarmos a ação de DT apenas de brilhante e não de espetacular

(não de molde original),

ponto fundamental para a manutenção/sobrevivência desta

SOCIEDADE do ESPETÁCULO

 

Ao mesmo tempo e aos “Olhos de Todos Nós” (contando connosco e com os média “inocentes”) conjugando na mesma equação conceitos contraditórios,

 

“It’s like you see someone drowning and instead of helping them

you redefine them as not drowning,

but instead heading off to a watery vacation that will last forever.

Then you can happily go on with your day

without worrying about your loafers getting wet.”

(Lee Camp/ Redacted Tonight/RT)

 

“Eliminando Gastos com Pobres”

(diminuindo as ajudas aos mesmos)

e

“Fazendo-os Desaparecer da Pobreza”

(tornando-os ainda mais ricos)

 

[IIIº]

 

Em mais um Sucesso Económico-Financeiro da TRÍADE (obliterada Memória e Cultura) Economia/Justiça/Política.

 

É certo que desprezando (aqui o representante, como forma de pagamento do usufruto concedido) a Vida do seu Povo (aqui o Representante, atraiçoado e para sempre encornado).

 

(imagens: mustang.org.au/forum − flipboard.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:38

15
Ago 15

Greece’s debt stock is now projected to peak at 200% of GDP. No private creditor is going to lend money to Greece at reasonable rates when its debt load is unsustainable.

(economist.com)

 

Por este caminho nem sequer será pela negociação da dívida que a Grécia se salvará da bancarrota: a única alternativa será mesmo perdoá-la. E talvez seja precisamente nisso, que jogam as duas partes: a EU e a Grécia. Mas será que eles já pensaram o que acontecerá depois?

 

rtx1o7km.jpgnewPic_9625_PNG_3408166b.jpg

Tsipras e Schäuble

 

Schäuble 'confident of result' at EU Greece talks.
(thelocal.de)

 

Depois de tanto ter aprendido e assimilado (sendo até vítima de um atentado que o colocou numa cadeira de rodas) durante o seu duvidoso e problemático percurso político no interior da CDU (evoluindo de protegido do ex-chanceler Helmut Kohl a seu substituto; entretanto demitindo-se devido a um escândalo financeiro sendo substituído por Angela Merkel; e mais tarde sendo recuperado pela mesma para seu braço direito), eis que o verdadeiro líder da Europa Ocidental (o alemão Wofgang Schäuble) se sente de novo otimista e feliz, face à capitulação esquerdista do grego Alexis Tsipras.

 

Berlin signals go-ahead for Greek bailout deal.
(ft.com)

 

Entretanto lá pela Grécia os seus habitantes preparam-se para levar com o terceiro pacote de ajuda financeira (num total de 85 mil milhões de euros), sabendo de antemão que a primeira tranche do programa de resgate (variando entre 20 e 25 mil milhões de euros) nunca lhes chegará às mãos, perdendo-se como sempre entre a recapitalização dos bancos e outros pagamentos inadiáveis (num mínimo de 15 mil milhões de euros). Terminando com a espetacular previsão para a divida grega, com a mesma a ultrapassar uns inimagináveis 200% do seu GDP.

 

(imagens – tripplenews.com/telegraph.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:06

17
Dez 13

QUE TE PODE LEVAR MUITO LONGE – ATÉ AO BRASIL

 

Empresa dissolvida este ano com 1.000.000 de euros de dívida

 

Foi lançado em Portugal neste crítico mês de Dezembro de 2013, o concurso solidário “Pai Natal NTM”, tendo sido seleccionados com a ajuda indirecta do jornal Público e após rápida análise económico-financeira, os seguintes e ilustres oito candidatos (entre muitos outros):

 

PESSOAL NTM

(por ordem alfabética)



Agostinho Branquinho

Ângelo Correia

Couto dos Santos

José Pedro Aguiar-Branco

Luis Filipe Menezes

Marco António Costa

Miguel Relvas

Pedro Passos Coelho

 

O resultado deste concurso será divulgado o mais brevemente possível, dependendo a data da sua divulgação das acções desenvolvidas pelo MP/DCIAP/DIAP. Não se aceitam reclamações nem inscrições de última hora, dado o elevado número de candidatos suplentes.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:48

13
Dez 11

Chegada do primeiro habitante permanente à Islândia

 

A Islândia conseguiu acabar com um governo corrupto e parasita. Prendeu os responsáveis pela crise financeira, mandando-os para a prisão. Começou a redigir uma nova Constituição feita por eles e para eles. E hoje, graças à mobilização, será o país mais próspero de um ocidente submetido a uma tenaz crise da dívida.


É a cidadania islandesa, cuja revolta em 2008 foi silenciada na Europa por receio de que muitos tomassem nota. Mas conseguiram, graças à força de toda uma nação e o que começou como sendo crise converteu-se em oportunidade. Uma oportunidade que os movimentos altermundialistas observaram com atenção e colocaram como modelo realista a seguir.

 

Central Geotérmica – 99% dos recursos energéticos vem das renováveis


Consideramos que a história da Islândia é uma das melhores notícias dos tempos actuais. Sobretudo depois de se saber que segundo as previsões da Comissão Europeia, este país do norte atlântico, fechará 2011 com um crescimento de 2,1% e que em 2012, este crescimento será de 1,5%, uma cifra que supera o triplo dos países da zona euro. A tendência para o crescimento aumentará, inclusive em 2013, prevendo-se que alcance 2,7%. Os analistas asseveram que a economia islandesa continua a mostrar sintomas de desequilíbrio. E que a incerteza continua presente nos mercados. Porém, voltou a gerar emprego e a dívida pública foi diminuindo de forma palpável.

 

Reykjavík capital da Islândia

 

Este pequeno país do periférico árctico recusou resgatar os bancos. Deixou-os cair e aplicou a justiça sobre aqueles que tinham provocado certos descalabros e desmandos financeiros. Os matizes da história islandesa dos últimos anos são múltiplos. Apesar de transcender parte dos resultados que todo o movimento social conseguiu, foi pouco falado o esforço que este povo realizou. Do limite que alcançaram com a crise e das múltiplas batalhas que ainda estão por resolver.

Porém, o que é digno de nota é a história que fala de um povo capaz de começar a escrever o seu próprio futuro, sem ficar a mercê do que se decida em despachos distantes da realidade dos cidadãos. Apesar de continuarem a existir buracos por preencher, escuros e por iluminar.

 

Parlamento Nacional da Islândia

A revolta islandesa não causou outras vítimas para além dos políticos e homens de finanças. Não derramou nenhuma gota de sangue. Nem foi tão apelativa como a tão famosa "Primavera Árabe". Nem sequer teve rasto mediático, porque os media passaram por cima em pezinhos de lã. Mesmo assim, conseguiram os seus objectivos de forma limpa e exemplar.

Hoje, o seu caso bem pode ser o caminho ilustrativo dos indignados espanhóis, dos movimentos Occupy Wall Street e daqueles que exigirem justiça social e económica em todo o mundo.

 

(blogue Porta da Loja, a partir do blogue de Maestroviejo; imagens Wikipédia)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:24

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

24
25
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO