Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

24
Abr 19

“In 2018, we consumed more oil than any prior year in history

– about 99.3 million barrels per day on a global basis.

This number is projected to rise again in 2019 to 100.8 million barrels per day.”

(Tyler Durden/zerohedge.com)

 

Um mapa das “Reservas do Mundo Petrolífero” atravessando os 5 continentes, onde é por demais evidente (para além da Oceânia) a “secura” da Europa Ocidental − com a exceção de duas ilhas mais a noroeste, o Reino Unido (2,6 BBP) e a Noruega (6,6 BBP) – se posta em contraste com o continente africano, o americano e o asiático: respetivamente mais de 130, de 540 e de 930 BPP. E sem dúvida com esta última − a Ásia − a poder ser nomeado a Rainha do Petróleo. (BPP: Biliões de Barris de Petróleo)

 

worlds-biggest-crude-oil-reserves-by-country-1.jpg

Mapa das Reservas de Petróleo no Mundo

Dando de caras com os Campeões do Futuro

De um lado com a Venezuela

E do outro com a Arábia Saudita

 

Olhando para as três grandes potências mundiais que atualmente disputam entre si a supremacia e liderança tanto Militar como Económico-Financeira Global – tendo de um lado os EUA (no presente ainda a sede do Império Americano) e do outro a Rússia e a China (para já independentes, lutando lado a lado, conjugando interesses vitais e apresentando-se a curto-prazo, como alternativa ao Dólar talvez como o Império do Sol) a Rússia com 80, os EUA com 36,5 e a China com 25,6 BPP – e tomando em consideração as necessidades crescentes de cada um desses países na obtenção de matéria-prima para produção de Energia (algo de fundamental para o desenvolvimento destas Sociedades científico-tecnologicamente avançadas), concluindo-se da necessidade estratégica destas três grandes potências em aumentar as suas reservas energéticas, ou produzindo (mais) ou “adquirindo”.

 

2019-04-20_15-36-35.jpg

Tabela das Potenciais Reservas de Petróleo

Lideradas por territórios tão cobiçados

(como o demonstram bem os norte-americanos)

Como os da Venezuela e do Irão

 

Não se podendo ignorar e como única potência reinando na Terra desde o colapso final da URSS − escancarando todas as portas (e restantes aberturas) das principais fontes energéticas e territórios correspondentes, ao avanço, conquista e sua exploração por parte da única grande potência sobrevivente os EUA (mesmo que destruindo sociedades/civilizações como o Iraque e a Líbia) – a política avassaladora dos EUA especialmente em relação ao Petróleo, não só dominando no presente e a nível de comercialização todo o planeta (com a força do dólar, subindo e descendo o preço do crude à sua vontade, mesmo não sendo um grande produtor) como querendo controlar as que ainda lhes faltam (com grandes reservas): o Irão (a 4ª reserva) e claro está a Venezuela (de longe e só com os sauditas próximos a 1ª reserva em todo o planeta). E então o que ficaria para a Rússia e para a China − para já não falarmos dos outros como a emergente (futura grande potência) Índia: afinal norte-americanos sendo uns 330.000.000 e russos/chineses/indianos uns 2.600.000.000 – numa proporção de 1 para 8.

 

2019-04-20_15-36-58.jpg

Tabela dos Custos de Produção de Petróleo

Contrastando o alto custo de produção

Num total também elevado (UK, Canadá)

Com os mínimos de países do Médio-Oriente (Iraque/Irão/Arábia Saudita)

 

Dedicando-nos mais às tabelas onde os EUA surgem apenas como possuindo as 11ª maiores reservas de Petróleo do Mundo (Rússia 8ª e China 13ª), com o mesmo equilibrando e superando a escassez do mesmo controlando todos os outros mercados, com poucas outras redes (produzindo/comercializando petróleo) lhes escapando “se não pagando ou se afiliando”: salvo e como é óbvio (olhando apenas para o Top 10 das reservas) a Rússia e agora os grandes inimigos o Irão (4ª maior reserva de petróleo e pronta para o ataque) e a Venezuela (a Maior, a 1ª, logo ali abaixo e preparada para a invasão). E na 1ª Divisão Petrolífera integrando 10 equipas, de momento com 7 a 3 (Venezuela/Irão/Rússia), mas com os desejos (do árbitro norte-americano) no 9 a 1 (de um lado só ficando/isolada a Rússia).

 

Entre os Maiores Exportadores de Petróleo Mundiais (de 2018) com os únicos países a ultrapassarem os 100 biliões de dólares a serem a (1º) Arábia Saudita (182,5 biliões e quase 16% do mercado) e a (2º) Rússia (129,0) com o (3º) Iraque (91,1) a completar o pódio; surgindo logo os (7º) EUA (47,2) seguido pelo (8º) Irão (45,7). Com o maior exportador europeu a ser a (12º) Noruega (33,3 biliões) e com a (15º) Venezuela a cair na crise e nos biliões (26,4). E no meio de tudo isto com Portugal a assistir (e a pagar como sempre), quando devendo descer o petróleo (o seu preço) e por causa dos norte-americanos (virados para a Venezuela e Irão), sucede precisamente o oposto e o mesmo continua a subir: “se nada nem ninguém o parar, talvez até ao Mundo terminar.”

 

Já quanto à tabela dos Custos de Produção de Petróleo, salientando-se o elevado custo de produção face aos gastos totais (já por si elevados para a produção obtida) por parte de países como o Reino Unido (39%) e o Canadá (43%) e do lado oposto com os países do Médio-Oriente −  como o Irão, o Iraque e a Arábia Saudita − a serem os mais poupados.

 

(dados/imagens: Tyler Durden/Mapping The Countries With The Most Oil Reserves/04/22/2019/zerohedge.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:03

20
Jan 14

“Foi este mês legalizada no estado do Colorado – e espera-se que outros estados norte-americanos o sigam rapidamente – a comercialização e consumo de marijuana”.

 

Foi descoberto haxixe a flutuar sobre o rio Guadiana. A GNR afirma ter recuperado mais de 1.500Kg da referida droga, ao mesmo tempo que era recuperada uma lancha rápida provavelmente utilizada no transporte. A polícia espanhola acompanhou de perto o desenrolar dos acontecimentos, pelo que o mais provável é que o carregamento fosse proveniente de Marrocos, com destino à Europa via costa sul da Península Ibérica.

 

Guadiana

 

Não sei quanto é que a esta mercadoria aqui considerada de comércio ilegal valerá, mas de certo que noutros mercados “não valerá pouco”! Por outro lado Portugal atravessa uma grande crise económica, com os orçamentos familiares a tocarem no fundo e as finanças do Estado com um enorme saldo negativo – se não fosse o dinheiro dos outros não teríamos como pagar. Desse modo proponho a não destruição deste produto e a sua venda imediata para pontos do globo onde a sua comercialização seja autorizada e o seu consumo legal: como por exemplo o estado do Colorado. Até que pagavam em dólares.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:36

01
Abr 12

A Nova Revolução Cultural Chinesa – e as suas vítimas

 

A China, complementada nos seus objetivos meramente mercantis e esclavagistas, pelos restantes mercados asiáticos e armada de dólares pelos seus mercenários e polícias do mundo, comanda-o já por antecipação comercial – através da troca de produtos não prioritários mas vendáveis por insignificância de preço – enquanto a Europa, decompondo-se em bordéis de futilidades, prazeres imundos e fascismo ideológico, observa o surgimento dos novos mercados emergentes e sonha com as novas colonizações, agora como patrocinadores dos antigos colonizados. Como se estes estados dinâmicos precisassem da velha e estática economia europeia, baseada apenas na exploração de rendimentos e em jogos de casino.

 

O Paraíso dos Mercados Escravos

 

Com a colaboração preciosa e ativa dos EUA e de Wall Street, a Europa continua o seu caminho de aniquilação económica total, face às grandes forças económicas mundiais, que fazendo inveja aos acólitos de Bin Laden, espalham a nova linguagem do terrorismo económico por todo o mundo, apoiando se moral e eticamente em instituições já sem qualquer tipo de credibilidade económica e social, isto porque nunca se preocuparam em resolver nenhum problema surgido até hoje, protegendo apenas e somente, uma elite minimamente contributiva de casino e atirando para a frente dos outros (as suas necessárias vítimas, culpadas pelo crime de existirem e pensarem), a responsabilidade pela resolução dos problemas que as pessoas neles ingenuamente confiaram que iriam resolver, até como credores dessas instituições financeiras – como o nosso gestor humanista de conta, que em vez de nos ajudar aconselhando-nos face aos produtos que invadem o mercado, apenas pensam em vendê-lo e obter a sua comissão!

 

 

As Crises são Fundamentais para os Mercados

 

Em Portugal as nossas hipóteses atuais de nos safarmos desta situação são quase que nulas, face à podridão intelectual e de valores que a nossa elite transmite e que impõe ao resto da comunidade com ameaças constantes de despedimentos e de criminalização dos seus atos, de simples e reativo protesto, face ao lançamento de constantes medidas prepotentes, coercivas e apenas com um objetivo – manter os fluxos vitais de dinheiro à sobrevivência dos bancos, com o único poder delegado de controlar as populações a qualquer preço, perpetuando as diferentes lavagens de dinheiro – legais e ilegais (qual é a diferença?), o grande negócio deste século.

 

A Inovação e a Transformação da Mão-de-Obra em Mercadoria Descartável

 

Por isso em Portugal, a minha filha ter imensa dificuldade em arranjar o seu primeiro emprego, sem um padrinho a controlar-nos! Pelo mesmo motivo em Espanha, um responsável governativo explicou que a greve geral não teve grande impacto, demonstrando o seu ponto de vista com uma queda de consumo de energia de apenas 14% até à hora do almoço: ainda pensei que 14% fosse a taxa de aderência à greve, mas nem isso – este grande especialista afirmou ainda, que tal queda no consumo se devia a nessa altura estar um belo dia de Sol, logo, mais máquinas desligadas e menos energia gasta! Génio (e por essa razão já tem emprego)!

 

A Noção Futura para o Povo de Poupança de Energia

 

Segundo os Maias, o Dia do Juízo Final está próximo. Em Portugal já todos sabemos disso – o obscurantismo cavalga violentamente o povo português, roubando-o, insultando-o, tirando-lhe todas as suas armas de defesa na saúde, na educação e até no campo da solidariedade social e chegando ao cúmulo da descarada pulhice intelectual – eles já não tem medo de nada – ao afirmar que em ultimo instância poderemos sempre pôr-nos na alheta, deixarmos de os chatear, emigrar para bem longe e se for possível desaparecer. As fotografias em baixo servem para memória futura, até para proteção dos juízes divinos, não vá o diabo tecê-las!

 

Memória Futura num País Sem Memória nem Cultura 

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:46

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO