Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

13
Nov 15

“Até a Igreja dos santos parece querer colocar reserva aos pecadores”
(não serão eles do mesmo rebanho, iguais como o preto e o branco?)

 

E eis que no preciso momento em que a economia portuguesa pretensamente se encontra num preocupante período de impasse (provocado pelos resultados verificados nas últimas eleições/PÁF-107 deputados e Oposição-123 deputados), os mesmos Arautos da Democracia e da Felicidade em Portugal e que previamente nos alertaram para os perigos do prolongamento deste mesmo impasse, lançam o caos e a confusão política no país, pondo em causa a Matemática: 123 nunca será superior a 107 (análise meramente quantitativa), dado o nível inferior dos primeiros (análise qualitativa).

 

hipo.png

 

 

Compreendendo esta nova e perturbante questão existencial aqui colocada (pois da sua resolução positiva depende a existência deste governo);

 

Conhecendo de antemão a estratégia anticomunista da PÁF aliada ao anticomunismo primário do seu Presidente (não sendo por acaso que são representantes da área política dos 107);

 

Sabendo por gritante e demolidora da pressão deliberada e bem organizada levada a cabo por todos os subsídio-dependentes aderentes aos 107 (coincidindo com a opinião monocórdica e constante de todos os fazedores de opinião);

 

E aceitando como verdadeira a afirmação de que uma cambada de traidores, golpistas, derrotados e oportunistas acedem ao poder através de um indigno Golpe de Estado (querendo de lá tirar o governo anterior com maioria parlamentar, colocando em seu lugar o seguinte agora com maioria parlamentar);

 

Proponho que o Presidente de todos nós exercendo plena e efetivamente todos os poderes constitucionais e morais a que possa ter acesso, proteja os seus (os únicos que conhece e que são de confiança);

 

E perpetue enquanto tiver forças e for possível este governo de Salvação Nacional (e que em vez de gestão como o classificam os seus detratores. irá ser de gestação e oferecer-nos de mão beijada a esperança no futuro).

 

Hipocrisia.jpg

 

Com o Presidente mostrando todo o seu poder e heroísmo mesmo que o seu povo e território desapareçam com ele de vez.

 

Consultando a única Bruxa disponível (da Coligação Negativa) e atrevendo-me a aceitar a sua imagem (sempre turva), após descodificação da mensagem e interpretação dos destroços obtidos, fiquei apenas com dois trilhos opostos como indicadores do destino: o Positivo e o Negativo.

 

Trilho Partido Grupo Governo Descrição
Positivo PSD+CDS Dos 107 De Gestação A
Negativo PS+BE+PCP+PEV (+PAN) Dos 123 De Costa B

 

A
A continuação da nossa dolorosa caminhada em direção ao nosso destino (localizado no cume da montanha sagrada), na procura da salvação e do holograma da felicidade (produzido por apóstolos e num projeto maximalista). Propondo-nos a todos o Céu mas com as portas do Purgatório (as novas cores do Inferno) sempre abertas.

 

B
A opção pelo caminho mais fácil mas pecador, obliterando a Montanha e terraplanando todos os vestígios de vida. Deixando o nosso corpo ao dispor do livre-arbítrio e alienando aos derrotados a nossa alma perdida. Um caminho para Sodoma e Gomorra e para a implantação do Inferno na Terra.

 

Felizmente que existem outras portas, como aquela da Alice.

 

(imagens: teiapolitica.net e arthur.bio.br)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:46

06
Nov 15

E por onde andam os Marcianos?

 

Os cientistas da NASA chegaram finalmente à brilhante conclusão de que aquilo que vemos a partir da Terra quando olhamos para o nosso vizinho o planeta Marte poderá muito bem ser o futuro nada brilhante que nos espera e ao nosso pequeno planeta: o desaparecimento da água e da atmosfera, o fim de qualquer tipo de organismo vivo e a correspondente declaração de óbito deste corpo celeste (pelo menos no que nos diz respeito os terrestres).

 

NRB_499684210EDR_F0501222NCAM00290M_.JPG

O deserto árido de Marte
Sonda Curiosity – NavCam Left B – 01.11.2015
Sol 1151

 

A explicação para este fenómeno ocorrido em Marte e que segundo os cientistas da agência espacial norte-americana provavelmente poderá ter levado à perda da água e da atmosfera possivelmente existente na superfície do planeta vermelho, poderá residir basicamente em dois fatores: na ação erosiva e contínua dos ventos solares e na perda do campo magnético marciano. E se Marte for mesmo o nosso destino (no futuro), por sua vez a Terra poderá ter sido o destino de outros planetas (no passado).

 

(imagem: NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:57

25
Jul 15

Best Places To Retire Overseas:
Number one on the list for the second year running was Algarve, Portugal.
(huffingtonpost.com)

 

O Algarve foi escolhido neste ano de 2015 pela LIVE AND INVEST OVERSEAS como o melhor destino estrangeiro para todos aqueles que tendo atingido a sua idade de reforma, ainda pretendam ter um resto de vida descansado usufruindo de tudo aquilo de bom e de bonito que a vida ainda lhes possa proporcionar. Não sendo por acaso que os parâmetros que mais favoreceram o Algarve na sua selecção e escolha final fossem entre outros: casas e custo de vida baratos, bom tempo e boa comida, boa qualidade nos tratamentos de saúde e ainda a existência de várias comunidades estrangeiras já aí instaladas e claro está a localização de Portugal no continente europeu (e na EU).

 

55b245cc150000ef00174287.jpeg

 

“I won’t hold you in suspense any longer. This year, for the second year running, Algarve, Portugal, takes top honors, thanks to its low cost of living, low cost of real estate, great weather, established expat community, new retiree residency program, and endless options for how to meaningfully fill your days and evenings. In addition, you can get by speaking only English, and I’d say that this coast is one of the safest places on earth right now.” (Kathleen Peddicord – liveandinvestoverseas.com)

 

Só é pena que muito daquilo que o Algarve nos poderia ainda hoje oferecer, se tenha perdido na espuma dos dias criada por aqueles que para além da sua cultura e memória só vêm dinheiro e promoção social: terra planando de uma forma irreversível o passado de um povo (pela destruição total do seu quotidiano fundador), estivesse ele localizado no litoral (pesca artesanal) ou até no interior (agricultura tradicional). No entanto continuando a ser uma alternativa viável na área do turismo, especialmente dirigido para a faixa etária da terceira idade: tal e qual o retrato futuro elaborado pelos técnicos da CEE aquando da entrada de Portugal no espaço económico das União Europeia (turismo, criação de gado, produção florestal) e no caso do Algarve com as suas estruturas a serem pensadas numa lógica de resposta ao crescimento do turismo de massas (sazonal) e a um turismo mais exigente e acompanhado dirigido aos mais velhos (para estadias de médio e longo prazo).

 

2015-03-31-1427831827-2168104-AlgarveCoastBig.jpg

 

“I'm speaking of Portugal's Algarve, a unique bit of European geography at the southwestern corner of the continent. Situated at the longitude of Great Britain, more or less, and the latitude of Delaware, this region is protected from winter by the movement of the ocean in the Gulf Stream, which carries warm water to the Algarve's coast. It also benefits from prevailing winds that keep it from being unbearably hot or humid, even at the height of summer, and boasts more sunny days than anywhere else in Europe (more than 300 annually).” (Kathleen Peddicord – huffingtonpost.com)

 

(imagens – huffingtonpost.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:28

24
Mar 14

“Mesmo que o caminho seja único, existe sempre alternativa – e a morte não é impedimento ou desculpa, apenas uma porta de entrada”

 

Normalmente estariam numa situação anormal

 

O João despertou do seu coma profundo quando se encontrava no último andar dum arranha-céus em construção situado bem no centro da capital. Ao seu lado encontrava-se um cão que na altura ele não reconheceu, suportado como se fosse um humano em dois dos seus membros, enquanto atentamente observava o cenário que se abria diante de si. Usavam ambos óculos – o João e o cão – e ambos olhavam espantados: debaixo do céu avermelhado ninguém se mexia.

 

Estavam no centésimo andar. Enquanto o cão perscrutava por simples instinto e por necessidade de perda de tempo o horizonte, o João deixara-se ficar estrategicamente paralisado, não mexendo nem piando. À volta deles não viam ninguém. Enquanto isso o silêncio era asfixiante, aqui e ali apenas perturbado por uma mais intensa e ruidosa rabanada de vento ou por um súbito mas curto som indefinido e não localizável.

 

O João ainda deu uma dezena de passos em frente, mas a força do vento e a falta de barreiras de protecção na elevada construção, levou-o rapidamente até ao mundo das vertigens e à sensação de queda eminente no abismo. Interessado o cão continuava a analisar a situação em que se encontrava, olhando para todos os lados, espreitando sem desequilíbrio para baixo e até cheirando a união duma das vigas laterais: pelo seu odor a novo – típico de todo o material produzido recentemente – e pela perfeição de todos os seus acabamentos o edifício não representava qualquer tipo de perigo.

 

O piso não tinha qualquer tipo de acesso: nem escadas, nem elevador nem outro tipo qualquer de transporte vertical. Não se percebia como era possível ter-lhe acesso, nem sequer como é que os dois lá tinham ido parar. O cão parecia rir-se de contente, olhando por vezes de soslaio para o João e parecendo estar a divertir-se com a situação: talvez num momento de aflição o João ainda o viu a levantar uma das suas patas traseiras, urinando com um esgar de prazer e de satisfação em direcção ao abismo. Alguém gritou lá em baixo mas certamente não seria por estar a chover e se sentir molhado.

 

Passada uma hora ainda se encontravam sensivelmente no mesmo sítio, cem andares acima do solo. Ninguém dera pela sua falta nem gritara fosse pelo que fosse. E o frio apertava à medida que ia anoitecendo, com a fome e a sede a serem cada vez mais difíceis de suportar. Para piorar o cenário e abatê-los aos dois um pouco mais, lá em baixo e bem iluminada no interior da praceta anexa ao centro comercial, a casa de hambúrgueres explodia de gente com o próprio drive-in esgotado e um cheiro profundo e brutal a elevar-se nos ares.

 

Em conjunto e após um curto período de reflexão chegaram finalmente à conclusão de que aquela situação era verdadeiramente insuportável e que teria que ter uma resolução imediata. Era inaceitável estarem limitados aquele espaço, não tendo sequer aceso às áreas adjacentes que o suportavam: a liberdade era um direito alienável e nada nem ninguém os poderia impedir de a usufruir à sua vontade. Olharam para baixo, deram as mãos e atiraram-se de cabeça: sabiam andar, sabiam nadar e certamente que se arranjariam a voar. A carne picada chamava por eles.

 

(um dia o João – um jovem tranquilo, simpático e conversador, vivendo num ambiente familiar comum e sem sinais visíveis de anormalidade – perdera definitivamente a cabeça ao ver pela enésima vez os miúdos da sua rua a atirarem pedras ao pequeno cão, que o seu pai lhe dera quando concluíra com empenho e distinção o seu percurso na escola primária; levado por um impulso repentino e actuando duma forma inconsciente pegara então na espingarda do seu progenitor e pusera-se a disparar indiscriminadamente sobre quem lhe aparecia pela frente; só foi interrompido na sua saga ininterrupta e assassina quando foi atingido à queima-roupa em cheio e em pleno crânio pela bala da pistola disparada por um vizinho; em coma foi então enviado de urgência para o hospital da cidade onde viria a falecer pouco tempo depois; atingido no tiroteio por uma bala perdida também o seu cão acabaria por ter destino idêntico sensivelmente pela mesma hora)

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:23

31
Dez 13

Enquanto todos os outros países europeus intervencionados fogem a toda a velocidade do buraco negro económico e financeiro em que se meteram – Irlanda, Grécia e Espanha – Portugal continua a desafiar a lei da gravitação económica, pensando que diminuindo a despesa também aumenta a receita: só que o Estado Novo o fazia com o Ouro e o Regime Democrático não o pode fazer com as pessoas. Mas de quem faz do oportunismo político e duma pretensa incompetência os seus principais pilares não ideológicos de governação, tudo há a esperar – até adiar para amanhã (mais uma vez) o que se pode fazer hoje.

 

O Fim

 

O Desejo do Predador:

“Desejamos a todos os Portugueses um Bom Natal”

 

A Concretização do Desejo do Predador:

“O Presidente da República promulgou o Orçamento do Estado para 2014”

 

Mas se continuarmos este trajecto apoiados apenas na indiferença total face a um destino afirmado até à exaustão como inevitável, a única coisa que se poderá dizer desta Nova Organização Ideológica e Económica Mundial é que os seus mentores conseguiram o que Hitler e a Alemanha sempre desejaram mas nunca alcançaram. Ainda por cima com velhas senhoras como a Nova Alemanha a viverem agora tranquilamente dos seus rendimentos, enquanto os outros à sua volta vão morrendo de fome – não entendendo a velha e debilitada senhora que um dia os outros deixarão de pagar a renda.

 

O Monstro de Três Cabeças

 

De Portugal? Zero – com esta política do Semáforo!

De cima só vem Luz Verde (durante uns míseros segundos de expectativa e de posterior desânimo), isto apesar da Luz Amarela que tudo vai destruindo (durante dias repetitivos e infindáveis) e da Luz Vermelha que nos asfixiará definitivamente (no nosso próprio sangue e até à extinção).

 

E como de costume só subserviência por parte das nossas elites já há muito em decomposição – e que vão asfixiando um país com os seus actos prepotentes, criminosos e nauseabundos.

 

“E que tenhamos todos um bom fim, no ano que aí vem”

 

(imagens – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:21

01
Nov 13

1 Novembro 2013

Dia de Todos os Santos

Ex-feriado nacional

Aprovação do Orçamento

(p/comemorarmos no Dia de Finados)

 

“E todos eles decretaram o nosso destino de miséria, como se já não chegasse a nossa miséria de quotidiano”.


Família Coelho: a única que conhece o caminho

 

O Novo Fascismo do Passo Atrás (Presente), recorre ao Velho Fascismo do Passo ao Lado (Passado), para fazer recordar as virtudes do Governo do Passo em Frente (Futuro): Passo em Frente para o Abismo, a opção original.

 

(imagem – retronaut.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:03

16
Mar 12

Quando eu era mais novo e sempre que possível, os coveiros não enterravam pessoas vivas. Hoje em dia e sem saberem, esses mortos já se passeiam pelas ruas, com as funerárias alegremente, correndo atrás deles. E foi um coelho de reprodução intensiva, que traçou o nosso destino!

 

Portugal bateu no fundo?

 

Com a preciosa e solidária colaboração da EU e do FMI – e o acompanhamento rigoroso das agências de cotação – o coelho lá cavou heroicamente e sem hesitação o buraco onde nos irá enterrar a todos, anteriormente reconhecido como Portugal. Só se salvarão os que sabem nadar – após confirmação da detenção de um certificado de aptidão profissional da seita CAP/IEFP – e os que entretanto fugiram para Espanha – por conhecimento prévio da existência de outros lugares.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:32

Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13

19
20
21
22

24
25
27
28
29

30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO