Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

19
Set 19

“Deixando a Silly Season e entrando na Miserable Season”

(rompendo um pouco com a monotonia desta realidade)

 

Iranian Military shooting at fast moving UFO near Pakistani Border

Recorded on the night of 7 September 2019

by a soldier of the Iranian Revolutionary Guard

from the position of the anti-aircraft

(ufosightingshotspot.blogspot.com)

 

A large pocket of American citizens have NO idea about the reverse engineered alien technology that our military has. Black budgets and all. THIS is the backstory to all the American government’s war propaganda with Iran. Wake up humans.

(THE RIDAH G.O.D/@TheRidahGod/twitter.com)

 

Comprovando mais uma vez a afirmação (tantas vezes citada tal como a afirmação de que “temos uma criança dentro de nós”, ou seja e não sendo o caso, podendo estar “possuídos”) de que “não estarmos sós neste Mundo (tendo de existir obrigatoriamente e “à nossa imagem” algo de superior que nos proteja da extinção) – ou não fossem os EUA uma Entidade Superior, para além do mais Omnipresente, sendo capaz simultaneamente de “Tudo ou de Nada(podendo ser obra deles ou de Outros), mas de qualquer forma ou por qualquer motivo sendo invariavelmente e por direitos adquiridos “O Protagonista” – mais um avistamento agora numa Área de Conflito de um objeto voador não identificado (OVNI/UFO):

 

snapshot 1.jpg

 

Let me explain ‘why’ I needed to post this. In the midst of all the ‘war talk’ coming from the White House, THIS happened! For those of you that know what the @&$% is really going on out here, peep this INCREDIBLE video clip before it gets taken down.

(THE RIDAH G.O.D/@TheRidahGod/twitter.com)

 

Visualizado na nossa atmosfera e sendo certamente de origem terrestre (norte-americana, russa, chinesa, etc.), apesar de alguns apontarem como tendo origem no Espaço exterior, ou seja, sendo Extraterrestre (não se percebendo no entanto qual o interesse deles, confrontando-se com uma Civilização para além de primitiva, sendo violenta e suicida).

 

Um Evento para nós nada comum de ocorrer (e de ser noticiado) sendo este um ponto da periferia localizado em coordenadas pelos vistos consideradas não estratégicas (apenas com relatos esporádicos, não sendo replicados) e para já (felizmente) esquecidas (de Paz) – mas em muitos outros não sendo bem assim:

 

snapshot 2.jpg

 

The Iranian Revolutionary Guard is shooting at what ‘they’ believe to be a U.S. drone on the border in IRAN. This was recorded on SEPTEMBER 7, 2019. This video was recorded by one of the soldiers in the Iranian Revolutionary Guard. Benevolent ETs don’t move like that.

(THE RIDAH G.O.D/@TheRidahGod/twitter.com)

 

Pela sua (dura pela intensidade) assiduidade, apresentação e envolvência (de Guerra). Um “incidente” ocorrido na cidade iraniana de SARAVAN (localizada na fronteira com o Paquistão) no passado dia 7 de Setembro (no período noturno e sendo bem visível no céu), com as defesas antiaéreas da cidade a entrarem em nível de alerta máximo − ou não estivesse o Irão em conflito aberto com os EUA e (para já) os seus DRONES − devido à presença de um objeto voador desconhecido movimentando-se no seu céu noturno, face à presença do mesmo (e sem qualquer tipo de resposta) respondendo de imediato com tiros contínuos de artilharia pesada/mísseis.

 

snapshot 4.jpg

 

That is military all the way. That’s either a covert U.S. UAV or it’s a Israeli UAV. THIS is what possibly took out the oil refineries In Saudi Arabia. A large pocket of American citizens have NO idea about the reverse engineered alien technology that our military has.

(THE RIDAH G.O.D/@TheRidahGod/twitter.com)

 

Pelos vistos e pela evolução do objeto − chegando, evoluindo e partindo − com efeitos nulos. Sendo certamente um relato/registo verídico com “selo” da Guarda Revolucionária Iraniana (ou seja, do Regime).

 

Inicialmente com a Guarda Revolucionária a julgar tratar-se de um DRONE − naturalmente inimigo (provavelmente norte-americano ou israelita) − mas com o início da sua resposta e continuar do bombardeamento por parte da sua artilharia sem qualquer tipo de sucesso (eficácia nula) – com o objeto brilhante a deslocar-se a velocidades incríveis, fazendo manobras impossíveis, como se estivesse “a brincar” – a abandonar a ideia inicial, face à tecnologia avançada, desconhecida, mas ali presente (“ou talvez não”).

 

snapshot 5.jpg

 

Black budgets and all. Peep this very important clip of General Wesley Clark also. He laid it all out there for everyone to know. So many Americans are SLEEP that they didn’t even peep game.

(THE RIDAH G.O.D/@TheRidahGod/twitter.com)

 

Ou talvez não(sem ser “a brincar”).

 

Podendo ser simplesmente um artefacto (terrestre) circulando sem o nosso conhecimento (da opinião pública em geral) no espaço aéreo da Terra − pelo seu local de inserção (a fronteira Irão/Paquistão) e pelo tipo de intrusão (talvez de observação e recolha de dados) ligado a alguma organização e sector militar – envolvido aparentemente no conflito (entre terrestres) há muito existente nesta parte do Globo Terrestre, demonstrando (com a sua ação) em pleno espaço aéreo e de guerra (em mais operação de publicidade e de marketing direto) a importância e relevância de um determinado equipamento e/ou aparelho cientifico-tecnologicamente avançado (provavelmente norte-americano), na obtenção de supremacia.

 

Ou então e sendo um caso típico de uma “demonstração mais pobre”, um simples jogo de luzes com uns a serem os LASERS e os outros a serem os GATOS − meios loucos e correndo atrás da fugitiva “luzinha”.

 

No entanto uma notícia a surgir num contexto de outros relatos semelhantes (muitos nas mesmas zonas, maioritariamente de conflito), suscitando sempre dúvidas (alguns deles noticiados nos tabloides ingleses) e montes de teorias.

 

(imagens: Hawashinawa Ma Ri/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:17

14
Mai 14

Os metadados ou metainformação são dados obtidos a partir da análise automática de outros dados: vê-se logo que os dados obtidos com este processo mais miraculoso do que científico, só podem ser propositada e estrategicamente redundantes em desinformação.

 

Metadata

Ninguém te está a ouvir ao telefone apenas a analisar o teu telefonema

 

We kill people based on metadata.

But that’s not what we do with this metadata

(Michael Hayden)

 

Se por um dos lados a evolução científica e tecnológica permitiu aparentemente facilitar-nos o nosso quotidiano diário – nas comunicações, nas transacções, nos extractos, nos impostos, na saúde, etc – por outro lado a sua integração e generalização por todas as redes de informações mundiais proporcionou aos fanáticos ideológicos e extremistas da segurança, a identificação através da análise de pequenos detalhes em princípio não significativos e não correlacionados de potenciais provocadores e terroristas: tudo baseado simplesmente na recolha duma infinidade de impulsos electrónicos que conjugados em torno dum foco de referência podem no final através dum mero impulso electrónico identificar e localizar o alvo a abater. Desde que não seja um enorme Boeing 777, a rota do comércio mundial de armas ou os movimentos dos grupos de mercenários privados.

 

Michael Hayden

Director da CIA

 

People get hung up that there’s a targeted list of people.

It’s really like we’re targeting a cell phone.

We’re not going after people – we’re going after their phones, in the hopes that the person on the other end of that missile is the bad guy”.

(David Cole)

 

O problema aqui não reside verdadeiramente na estratégia adoptada para destruir o Inimigo Escondido – já que o sucesso da intervenção está sempre previamente assegurado (seja ela um êxito ou um fracasso) sendo apenas exigida a confirmação da existência de mortos – mas na confusão perigosa e generalizada que esta recolha de metadata poderá causar, confundindo amigos com inimigos e metendo-os todos no mesmo saco, apenas porque o impulso electrónico dominante aponta para o mesmo lado: e se a metadata é tão importante para se saber quem se há-de matar, também poderá fazer o mesmo a quem é inocente, pois uma máquina jamais poderá substituir um humano nem terá a noção deste, dos limites do que está a fazer e dos valores a preservar. Ainda por cima quando a arma utilizada pelos fanáticos da metadata se resume a um veículo telecomandado de última geração mas na sua essência extremamente primitivo – os drones – dirigido a partir dum esconderijo para cobardes por um indivíduo que no fundo nem sabe bem o que está a fazer, nem ao certo quem irá matar. O próximo pode ser um terrorista, o meu vizinho ou eu: e para tal basta estar ao telefone ou então trazê-lo no bolso.

 

(imagem/títulos/texto/inglês – RT)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:29

Não sei se o escritor George Orwell no seu magnífico e esclarecedor romance “1984”, alguma vez imaginou que o Grande Irmão pudesse ser mais ou menos colorido: mas que Obama com os seus drones tinha grandes possibilidades de assumir o seu papel numa versão paralela, ninguém o pode negar.

 

In God We Trust (antes), In Drones We Trust (depois)”

Why?

 

A preto-e-branco A Única Versão

 

That’s Why:

E Pluribus Unum (antes), E Unum Pluribus (depois)”

 

Ao olhar para Martim Luther King só me vem ao pensamento a imagem de um homem bom, que nunca se esqueceu de que os outros também tinham o direito a existir – mesmo que com ele poucos o fizessem ou sequer o apoiassem – lutando sempre e duma forma intransigente na defesa da universalidade dos direitos humanos, facto que lhe criou muitos inimigos na sociedade norte-americana de então, levando mais tarde ao seu assassinato. Martim Luther King era um sonhador, acreditava profundamente num Deus e certamente que contando com todos os seus irmãos, queria construir uma grande nação.

 

E agora a maior desilusão desde o fim da II Guerra Mundial para os povos de todas as nações do mundo: internamente ainda é suportado pelos estados norte-americanos que o elegeram, estando no entanto em queda permanente nas sondagens periodicamente aí realizadas – isto apesar do seu único acto decente e patriótico realizado no campo da assistência na saúde com o programa público Obamacare. Mas a crise de identidade da sociedade norte-americana, não definindo para si própria nem para o mundo o seu projecto de sociedade e o seu papel futuro no mundo e preocupando-se unicamente com o seu tempo presente e desprezando as consequências das suas acções no futuro (de todos, eles incluídos), apenas a tem afastado cada vez mais dos Novos Centros de Verdadeira Decisão Global (nunca na defunta ONU ou na suicidária UE) com a China a comandar – a nível económico ainda este ano – o cada vez mais amplo pelotão. E não serão as suas armas de marca – os Drones – que o salvarão do Inferno e os Estados Unidos da América do precipício.

 

(imagem – Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:29
tags: , ,

08
Mar 14

1. Num País Imaginário – Última Hora

 

“Responsável máximo ameaça substituir Polícias por Zangões”

 

Como consequência da indevida, ilógica e com prenúncios de ilegalidade, manifestação de polícias de 06.03.2014 em frente à Assembleia da República, o seu responsável máximo decidiu (para já) manter-se num silêncio responsável e institucional. Enquanto isso vai pensando patrioticamente na sua estratégia para acabar mais uma vez com os protestos ilegítimos dos seus funcionários, já que a asfixia financeira ainda não os liquidou – e preparando-se entretanto e novamente para abrir a porta de saída para mais alguns. Enquanto isso os criminosos agradecem e o seu negócio paralelo vai-se expandindo – da base até ao topo.

 

Campanha fictícia da Polícia de Nova Iorque

(contra a utilização indiscriminada de drones)

 

No meio deste ambiente de tensão e de revolta generalizada entre os diversos corpos de polícia – com algumas excepções minoritárias vindas de sectores ainda com alguma capacidade financeira (como sempre oriundos de lugares de topo e chefias) – reforça-se cada vez mais a ideia já divulgada por muitos órgãos da comunicação social, de que certos sectores políticos do governo estariam já a pensar substituir alguns corpos de polícias por Zangões. Para o efeito o Governo teria motivado o jovem dirigente da JSD (Jovens Sem Drone) – já velhinho (trintão) e desmotivado (por não ter sido co-adoptado para o governo) – para uma nova missão patriótica, colocando-lhe nas mãos a responsabilidade, de todos os aviões telecomandados.

 

Nota: Zangões = Drones

 

2. A Praga Mortal

 

“Lá Vamos Cantando e Rindo (com as orelhas a abanar)

Pela Causa da Lobotomia (dum falso herbívoro)”

 

Expliquem por favor

 

Como um homem que nunca trabalhou na vida e cuja competência principal fora o de nunca ter feito nada de positivo quando afirmava que o fazia – sobrevivendo por chefia e liquidação de empresas para a qual trazia dinheiros da CEE enquanto lá estivesse – se fez Primeiro-Ministro, usando o mesmo truque duvidosamente legal, mas agora não com uma empresa, mas com um país inteiro posto à sua mercê: as empresas? Deram o estouro e o mesmo acontecerá ao país!

 

A Vergonha dos Lagomorfos

 

Yes, Prime Minister

 

E quando ele abriu a boca e leu – todo convencido das suas superiores capacidades linguísticas – o manual de instruções em luso-chinês, as Máquinas pararam, o sistema implodiu e o país desapareceu: então, em cima dum crescente número de cadáveres de seus semelhantes – os excedentários e os desqualificados – decretou candidamente a nossa Refundação e a privatização do país. Matando a nossa memória e a nossa cultura com um único tiro de coelho – com a mira entre as orelhas e a pólvora enfiada no cu.

 

(imagens – SAPO/RR/SOL)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:30

10
Dez 13

Drones responsáveis pelo aumento do avistamento de OVNI´s em Portugal


Portugal e tecnologia Drone

 

1. À Espera De Sermos Abduzidos

 

O recrudescimento do avistamento de OVNI´s em Portugal estará relacionado com a necessidade urgente de aumentar o número de abduções – levadas a cabo por aliados alienígenas – já que a emigração para o resto do mundo continua a aumentar duma forma preocupante e galopante, o que poderá suscitar uma chamada de atenção por parte dos líderes alemães dos novos e remodelados campos de refugiados, dado o já grande contingente de excedentários europeus.

 

2. A Uma Bala De Pagarmos A Dívida Dos Outros

 

Fontes demasiado credíveis ligadas ao Governo afirmaram peremptoriamente estar eminente uma emigração maciça de novos alienígenas em direcção ao centro e ao norte da Europa. Nesse sentido serviços ligados à DGCI já colocaram no terreno centenas de DRONES especializados em cobranças difíceis, de modo a controlarem eficazmente as dívidas fiscais destes alienígenas em fuga.

 

3. A Um Passo De Sermos Abandonados Pela Lei

 

No entanto técnicos superiores ligados ao Tribunal Constitucional da Republica das Bananas – e demonstrando covardemente um medo crescente de escorregarem numa casca desse tipo de fruta e desse modo perderem todas as mordomias previamente prometidas – entregaram aos seus colegas alemães a tarefa desagradável de limparem a caca governamental, de modo a assim não provocarem os novos especialistas em brinquedos mortais telecomandados.

 

(imagem – retirada da Web)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:14

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
18

23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO