Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

14
Out 14

Últimas Notícias:

 

Felizmente que (apesar de todas as peripécias registadas) o primeiro caso detectado em Portugal de um indivíduo suspeito de ser portador do vírus EBOLA, deu nos primeiros testes realizados (resultado) negativo.

 

ebola-7fff.jpgPortugal e o Mundo
Ligações (indirectas) com os países africanos mais afectados

 

A partir deste fim-de-semana ficamos a saber mais quatro coisas importantes sobre o vírus EBOLA:

 

• Os contágios ocorridos nos hospitais entre o pessoal médico devem-se a uma falha muito grave na aplicação do protocolo de segurança (falta apenas saber quantos anos tem esse protocolo e a última vez que ele foi cientificamente actualizado);
• A culpa dos contágios até agora registados (nos hospitais) só pode assim ser justificado por incompetência do pessoal médico;
• Os cães podem ser possíveis transmissores da doença, logo devem ser imediatamente abatidos;
• Uma pessoa suspeita de contágio, não deve em nenhum caso ir a pé para o hospital.

 

Ao mesmo tempo colocamos uma única questão:

 

• Em função do ocorrido nos hospitais de Madrid e de Dallas – onde pessoal médico foi contaminado ao tratar de doentes já infectados com o vírus – porque não começar a estudar mais profundamente a hipótese desde há muito formulada de que esta nova mutação do vírus possa ser difundida pelo ar. Poderia ser uma conclusão importantíssima a adoptar e a aplicar para com os protocolos de segurança – e no sentido de travar de vez a evolução e a propagação da doença.

 

E uma sugestão:

 

• Que não sejamos apenas uns miseráveis seres selvagens e irracionais construindo nas nossas mentes bodes expiatórios para o aparecimento e explicação de situações potencialmente perigosas como esta, culpabilizando espécies animais desprotegidas apenas pela cor (preta) ou pela forma de locomoção (quatro patas).

 

Os sintomas do vírus:

 

Os sintomas de uma pessoa infectada com o vírus do EBOLA são difíceis de diagnosticar dado serem comuns a muitas outras doenças: inicialmente febre, fraqueza, dores no corpo e de cabeça (e inflamação na garganta); logo seguido por vómitos, diarreia e muita comichão no corpo, enquanto que (e simultaneamente) aparecem graves deficiências nas funções renais e hepáticas – com o progressivo aparecimento de hemorragias internas e externas.

 

Duma forma visível o doente infectado pelo vírus poderá apresentar exteriormente erupções na pele, olhos vermelhos, queixas provocadas por dores e dificuldades em comer ou respirar.

 

O período de incubação da doença (até o vírus se tornar activo e poder contaminar outro indivíduo) pode ir de um mínimo de 2 até um máximo de 21 dias (numa média próxima dos oito dias).

 

(imagem – expresso.sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:25

Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

13
14

22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

posts recentes

EBOLA PT

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO