Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

25
Mai 19

“Theresa May resigns

as Prime Minister and leader

of the Conservative Party”

(yahoo.com)

 

[Dos seus três anos de serviço à frente da Monarquia-Republicana Britânica depois do abandono inesperado (como consequência do referendo do BREXIT) do seu anterior Chefe de Governo (o seu antecessor e 1º Ministro David Cameron) pouco deixando para trás (de verdadeiramente inovador/relevante) como testemunho (político) da sua passagem: para além da tentativa fracassada de transformar a opção do SIM e a opção do NÃO numa 3ª Via Única, conjugando as duas (numa alternativa agora tornada impossível por impraticável, levada a cabo no passado, transportada para o Referendo e aí sendo recusada, tornando-se irreversível).]

 

image-1431206-860_galleryfree-qtzn-1431206.jpg

Theresa May

(2016/2019)

[Ficando ainda na memória e tendo sempre como alvo Vladimir Putin e a Confederação Russa (e a sua aliança preferencial mesmo superando a Europeia com os EUA) o célebre conjunto (em “tudo” extremamente limitado) de palavras definindo muito claramente muitas das suas opções políticas (aqui a nível externo)

 

“‘Highly likely’ Russia” “‘Highly likely’ Russia”

“‘Highly likely’ Russia” “‘Highly likely’ Russia”

 

E depois de tantos e tão árduos trabalhos (Hercúleos) e dos seus últimos e derradeiros esforços (suspiros heroicos) num empreendimento levado a cabo por uma mulher (a partir de um problema e como sempre criado por homens) provavelmente para posterior usufruto (repetindo-se de novo o ciclo) dos homens e vendo o aproximar do seu fim, em tom representativo (da sua dedicação e sacrifício, talvez incompreendido) e de despedida (do cargo, da sua missão) soluçando e vertendo com aparente emoção algumas lágrimas. Mas nunca perdoando Julian Assange (apanhando-o, arrastando-o, prendendo-o, denegrindo-o) o maldito Whistleblower.]

 

Nomeada 1º Ministro do Reino Unido em 13 de Julho de 2016 após renúncia de DAVID CAMERON na sequência do referendo do BREXIT − com os Conservadores historicamente contra a sua integração na EU (e com os Trabalhistas tomando posição contrária), posteriormente convocando um referendo manifestando-se pela sua continuação (na EU) para finalmente tendo optado pelo SIM o Povo lhe responder maioritariamente que NÃO (num trajeto um pouco confuso para de um ponto se alcançar outro) – e assumindo o Leme do Barco (após o incidente imprevisto e dada a fuga do anterior Comandante) já depois do mesmo ter sido atingido pelo Icebergue (tal como o fora antes o TITANIC)

 

5ce7d358dda4c8161f8b45eb.JPG

BIB

Ao contrário do tradicional BIB (em português bibe) – não sendo um tipo de bata utilizado pelas crianças (nem uma ave pernalta com um penacho na cabeça) − com o Bicho Irracional Britânico (neste caso sendo o bicho um canídeo) aqui e agora e dadas as circunstâncias (de todo o meio envolvente) acidentalmente tornando-o protagonista, dando a May a utilização que qualquer criança normal daria a um qualquer brinquedo que lhe viesse ter à mão (no caso de cão que lhe viesse cair na boca) – ela sim transformando-se num objeto, num “Boneco”  − divertindo-se com ele até à sua mais pura e completa fruição e inconscientemente levando no final ao seu abandono e/ou destruição (replicando-se em objetos, tornando-se num ícone, e deixando de ser um Sujeito, virando Objeto sob a forma de mais um Santo-de-Madeira); e com o cão com a sua tomada de posição e atitude, assumindo a defesa do seu amigo-doméstico e igualmente de quatro-patas o gato (da Embaixada-do-Equador)

 

− Tornando-se na 2ª mulher depois da DAMA de FERRO (Margaret Thatcher) a ser nomeada 1ª Ministro – mesmo não sendo uma grande adepta da saída da Grã-Bretanha da EU e sabendo antecipadamente o difícil caminho que iria (a partir daí) percorrer (inerente a tal processo de saída ou entrada numa Instituição tão poderosa e de nível global como é a EU) acionou convictamente (em Março de 2017) o Artigo 50 do Tratado (saída voluntária e unilateral da EU) colocando a Ilha definitivamente de fora (da sua órbita no Sistema) e assim totalmente desligada do Continente (talvez mesmo da sua Realidade). Mais de dois anos depois (uma Eternidade) sobre o acionar do Artigo (cumprindo a decisão do BREXIT e saindo o mais rapidamente possível da UE)

 

6Ftk9ktTURBXy81MTM3ZjE3Ni01ZWJjLTQ2NzYtOTRlYS1hNGM

Julian Assange

Aguardando a sua extradição do Reino Unido (por ter fugido às autoridades britânicas que o queriam apenas “interrogar”, refugiando-se na embaixada do Equador em Londres) para os EUA (o verdadeiro interessado dadas as revelações WIKILEAKS e de momento já com 18 acusações formalizadas) via Suécia (o intermediário, ressuscitando contra o desejo da antes acusadora um caso de pretensa e sempre negada violação), talvez pensando anterior e ingenuamente e como Jornalista (registado como tal) ter a Via da Liberdade e da Justiça como 3ª Alternativa (não fugindo como Edward Snowden ou deixando-se prender como Chelsea Manning) – oscilando o apoio e a solidariedade prestado a Julian Assange, mas agora postos em causa (e a sua própria Liberdade) com os seus colegas Jornalistas (cada vez mais assustados) a reunirem-se (em seu redor) e a lutarem não só pelo Whistleblower como sobretudo pelo Jornalismo e pela Liberdade; implacavelmente perseguido e preso sob as ordens de um político e mulher – Theresa May − não entendendo que a cópia (oferecida pelo homem) será sempre pior (e ele sabe daí a oferta, na senda de outra “patranha” a paridade) que o original

 

E já depois de ter dado um tiro no pé como poucos meses antes o fizera o seu antecessor (ela e agora convocando Eleições Gerais pretendendo sair com a sua posição ainda mais reforçada e acabando por suceder o contrário ficando em minoria) – e depois de sucessivos fracassos e indecisões, repetidas e votadas até à exaustão − nada acontecendo e como obvia consequência, mesmo que pedindo desculpa e socorro por entre alguns soluços e lágrimas (meias de emoção, meias de crocodilo), não tendo saída (por portas ou janelas) e demitindo-se. Continuando o TITANIC a afundar-se e sem recurso a salva-vidas (nem sequer de coletes, amarelos ou de outra cor qualquer) bastando olhar bem em frente, esperando com fé pelo próximo (icebergue/comandante):

 

AP_17139333983309_edited.jpg

Gato-da-Embaixada-do-Equador

Para muitos um potencial Cat Whistleblower conhecido como companheiro exilado − desde 2016 e agora tendo sido igualmente retirado do edifício (mas ao contrário do seu dono libertado) − do Whistleblower Julian Assange; recolhido da embaixada em Londres para sua proteção, não fosse (tal como o seu dono) extraditado para os EUA, aí desparecendo definitivamente nalguma prisão privada norte-americana (pena mais leve/prisão perpétua) ou então numa qualquer e perdida fábrica de transformação (pena mais pesada/condenação à morte); numa atitude nobre e corajosa expondo-se à janela da embaixada, sabendo ter do outro lado muitos apoios, ditos como racionais ou referidos como irracionais − como BIB, o Bicho Irracional Britânico

 

Não o pobre Icebergue (que já passou, fragmentou, derreteu, se foi) mas o comandante que aí vem, dado que tradicionalmente e à 3ª (segundo a Sabedoria Popular) é mesmo de vez. E se tal como Trump o novo Timoneiro for louro (tendo um BORIS na cabeça) estando-se bem “aviado”. Tudo isto a ser despoletado num momento de esquizofrenia coletiva registada e propagando-se entre as hostes Conservadores, sem qualquer tipo de pretexto e justificação e sabendo-se o Reino Unido quase que politicamente dividido ao meio − entre o Mundo Urbano e o seu SIM à Europa e o Mundo Rural e o seu SIM ao BREXIT – quando o que se deveria ter feito e continuaria a agradar a todos seria o da Grã-Bretanha continuar no seu anterior rumo, com um pé de dentro e outro de fora, como sempre e lucrando de ambos os lados. Pelo que se não foi Incompetência então foi deliberado e pelas consequências isso é Crime.

 

(imagens: spiegel.de/rt.com/pulse.ng/mintpressnews.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:08

17
Ago 12

Sistema Solar – muito Maior que J.A.

 

No único planeta do Sistema Solar onde já foi confirmada a existência de vida – a Terra – um grupo reconhecido de seres vivos vivendo numa comunidade organizada – o Equador – decidiu receber no seu seio um outro ser vivo vindo de outra comunidade – a Austrália – que procurava proteção da ação agressiva de outras comunidades independentes – Inglaterra e EUA.

 

J.A. – muito menor que o Sistema Solar

 

Fundador de uma organização privada não militar que divulgou segredos que o não deviam ser de diferentes comunidades organizadas e independentes, este ser vivo arriscava a ter de cumprir uma pena de prisão perpétua ou de ser mesmo condenado à morte, acusado de traição por um restrito grupo de indivíduos, no meio de milhões de outros grupos de indivíduos com a mesma importância e com ideias e interesses completamente diferentes.

Aqui não interessa julgar o ser vivo em causa e ver se este era bom ou se era mau. O mais importante é mostrar ao povo como de uma forma ignóbil e encapotada e sem se saber de que modo – e com que cordelinhos oportunos – se consegue transformar a vida de quem chateia e incomoda Alguém, num verdadeiro Inferno sem fim.

 

O Equador e todos nós poderíamos interrogar-nos para que serve a ONU

 

Mas outro problema deveras preocupante para todo o mundo livre e para a manutenção de todas as regras de respeito, convivência e boa vizinhança decretados por todos os estados livres – e como necessidade fundamental para a preservação da Paz e da Liberdade Mundial – é a posição prepotente e ameaçadora assumida pelas autoridades políticas de Londres, ameaçando um ataque à Embaixada do Equador – um ato considerado de agressão a um dos membros de pleno direito da O.N.U. – se esta não libertar J.A. imediatamente para ser julgado na Suécia, por um possível ato de violação. Mas que rapidez!

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:22

Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


24
25
26

27
28
29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO