Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

05
Out 19

“Nascida a 6 de outubro − A 2ª Engrenagem”

(podendo ser no futuro, mais eletromagnética)

 

Última Sondagem

(Pitagórica p/ aproximação)

 

PS: 37%

PSD: 28% BE: 9% PCP/PEV: 7% CDS: 5% PAN: 5%

 

ostaaa.jpg

Para a esmagadora maioria dos cidadãos-eleitores (tenha o que tenha dito o idoso) não sendo lindo e logicamente (mesmo tendo-se ou não razão) perdendo-se votos

(e recorrendo-se às Teorias da Conspiração com o idoso de óculos escuros para não ser identificado podendo ter sido todo este cenário, previa e deliberadamente montado, pela desesperada oposição)

 

Com o final da campanha esta sexta-feira, 4 (antes da reflexão de sábado e da votação de domingo) a ser marcada por uma resposta agressiva de António Costa – para a esmagadora maioria dos cidadãos eleitores tentando obter apoio ou seja votos (e poder) entre eles − a algo dito por um (ainda não identificado politicamente) idoso (provavelmente tendo-se referido ou não e sendo “coisas de esperar nas campanhas”, logo de aguentar por tacitamente aceite, a algo de extremamente desagradável) – um dos fazendo parte desses cidadãos eleitores e podendo apoiar/votar ou não em António Costa (no seu aceso ao Poder) − tendo já sobre si uma ameaça (talvez pendente dos resultados) de processo judicial por parte do PS.

 

Com as 4 últimas sondagens (Intercampus, Eurosondagem, Aximage e Pitagórica) a apontarem todas para uma vitória sem maioria absoluta do PS – com a percentagem a variar entre os [35,0/38,8%] − apontando como segundo partido o PSD – com a percentagem a variar entre os [23,5/27,8%] – confirmando através de uma consulta aleatória (na generalidade dos casos sendo correta) o cenário futuro político que desde há muito se perspetivava para Portugal – desde o momento em que a Engrenagem (por falta de outra maquinaria alternativa e credível) se consolidou – sendo de constatar igualmente e por um lado (de uma forma positiva para uma futura 2ª Engrenagem) a manutenção da posição relativa do BE (variando entre os [8,7/11,0%]) e do PCP-PEV (variando entre os [6,6/8,0%]) e por outro lado (simétrico, por negativo nas consequências, para os declaradamente Anti Engrenagem) a queda acentuada do CDS (variando entre os [4,5/5,0%]) podendo ser mesmo ultrapassado pelo PAN (variando entre os [3,8/5,6%]). E confirmando-se estas sondagens e considerando-se bastante aproximados destas (sondagens) os resultados a registarem-se a 6 de Outubro (data marcada para as Legislativas de 2019), confiando-se simultaneamente nas projeções (de 3 destas sondagens) transformando percentagens em nº de deputados, com a distribuição dos mesmos (deputados da nova Assembleia da Republica) a poder ser a seguinte (com um apoio nos dados fornecido pela Wikipédia):

 

O

P

Deputados

Previstos

Deputados Eleitos

2015

O

P

Deputados

Previstos

Deputados Eleitos

2015

PS

102/117

86

CDS

6/9

(Portugal à Frente com 107)

PSD

68/77

(Portugal à Frente com 107)

PAN

5/9

1

 

BE

 

17/25

19

LIVRE

0/1

0

 

PCP/PEV

 

13/16

17

CHEGA!

0/1

0

(O: Ordem P: Partido)

 

Eleições para a Assembleia da Republica a realizarem-se neste fim-de-semana (domingo), indicando-nos os próximos 230 deputados a preencherem-na (não existindo obstáculo impeditivo) nos 4 anos que aí vêm (até 2023): com a Maioria Absoluta dando Direito a Governar a fixar-se no Número Mágico de 116 (deputados) − algo já atingido e ultrapassado há 4 anos com a 1ª Engrenagem, no futuro e confirmando-se as sondagens (e todos os sinais) podendo ser melhorado com a 2ª Engrenagem. Inevitável − tal como o seu Comandante (António Costa) − só ainda não se sabendo como. Fazendo-se contas (mesmo que) de merceeiro podendo-se chegar a algumas conclusões (no mínimo metade de hipóteses de acertar e num sentido podendo até ser 100%) − como aquela a que chegou há 4 anos António Costa (PS) − o GURU INTELIGENTE − depois de um empurrãozinho, somando 86/PS+19/BE+17/PCP/PEV=122, reparando ser mais de 107/[PSD+CDS], mais de 116 (maioria absoluta) e formando de uma forma surpreendente (para os que julgavam ter vencido, na cabeça tendo Passos Coelho e o padrinho Cavaco Silva) o Governo-Engrenagem – tomando em consideração a referência (fundamental) do NÚMERO MÁGICO 116, aqui tornado o Cartão Dourado de Acesso (desejado) ao Poder: com a Engrenagem no mínimo atingindo os 132 deputados, podendo num limite máximo (de apoio) chegar (ainda) um pouco mais longe.

 

“Derrota da Engrenagem, não vejo como. Mas com os outros (a oposição) a procurarem sempre o primeiro defeito (se necessário, introduzido pelos próprios), para se infiltrarem (de uma forma oportuna) e destruírem a 2ª Engrenagem (num momento de possível e não descartável dúvida de Costa, com estrangeiros apresentando-lhe um chupa-chupa) − e daí reconstruindo-a, reabilitando-a, mas sendo sua.”

 

(imagem: retirada da TV/dioguinho.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:54

15
Abr 13

Um Grão Na Engrenagem?


Apollo 8 – 1968

 

A nossa espécie vive num Mundo Único e Utópico, que de tão perfeito e exclusivo nas suas mais ínfimas e profundas características – assemelhando-se em tudo a um Organismo Vivo – até parece ter sido criado apenas para nos servir e satisfazer. Como se o Universo se replicasse, neste espaço de matéria e energia em constante movimento e transformação, em todas as múltiplas dimensões que o definem – sequenciais ou paralelas – do infinitamente pequeno ao infinitamente grande.

 

No entanto e apesar de tudo o que este mundo e a sua natureza puseram graciosamente à nossa disposição e de toda a evolução registada na nossa espécie ao longo dos últimos milhares de anos, graças a esta dádiva caoticamente bela, eterna e divina, ainda pomos em causa a nossa própria sobrevivência como seres ditos racionais, destruindo-nos e ao planeta que habitamos em nome de conceitos que nem mesmo as espécies irracionais que nos rodeiam algumas vez se atreveriam a seguir. Muitas delas já na poltrona a assistir ao nosso genocídio, assumido e colectivo. Será então a Terra um grão na Grande Engrenagem?

 

Ou A Mãe De Todas As Terras?


Bigelow Aerospace

 

E com a demissão do Estado e a fuga de toda a sua elite de acólitos e traidores – após a destruição sistemática dos princípios básicos de qualquer organização social como o são o direito à saúde, à educação, ao trabalho e à solidariedade – eis que surgem agora os Privados a tomarem a iniciativa económica, com os seus milhões acumulados ao longo de anos e anos de exploração e especulação, a serem aplicados em projectos extraterrestres. A Terra começa assim a apresentar-se como um mercado com escassez crescente de matérias-primas fundamentais e incapaz de produção futura de mais-valias assinaláveis, pondo-se em alternativa o início de investimentos noutros mundos através da sua progressiva colonização.

 

O surgimento de diversas iniciativas privadas envolvendo a exploração do espaço situado à volta do nosso planeta Terra – desde as simples viagens turísticas espaciais orbitando o nosso planeta, até à exploração de corpos celestes nas nossas proximidades – poderá ser o primeiro passo por parte do Homem na senda de novas aventuras e descobertas históricas e no povoamento e colonização por parte da humanidade de áreas muito mais vastas e misteriosas, do que aquelas desde sempre por nós sonhadas e pelos nossos antepassados imaginadas. Transformando a nossa Terra-Mãe, na Mãe de todas as terras.

 

(imagens – space.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:50

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO