Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

16
Mar 21

Professores iam começar a ser vacinados no fim de semana

com a vacina da AstraZeneca, que foi (entretanto) suspensa.

Pausa na vacinação não trava abertura gradual das escolas,

assegura ministro.

(eco.sapo.pt/15.03.2021)

 

29600192.JPG

 

Se no caso da Educação o Ministro responsável (falhando mais uma vez nas suas promessas/compromissos) afirma não existir problema arrancando-se de qualquer forma e como exigido pelo próprio (ego maior que a cabeça), as aulas presenciais sem as tão prometidas vacinas ─ hoje desvalorizando as vacinas, amanhã as regras básicas de proteção, os testes, os infetados e porque não os mortos ─ já no caso do Turismo estando tudo em questão e tão próximo do colapso, não se podendo improvisar (fazer de conta, falar e nada fazer) mas agir.

 

Como quando vindo dos políticos, muitas das suas justificações por inaceitáveis (escondendo por ausência direta, a sua comprovada incompetência), nos “entram por um ouvido logo saindo pelo outro” ─ sendo um desses casos o ocorrido na Educação, com o respetivo Ministro face a mais uma das suas tantas promessas não concretizadas (falhadas), não tendo vacina para dar (com os testes, um dos fatores fundamentais e imprescindíveis para a abertura das escolas) saltando por cima (como um saltador à vara, com a vara sendo nós) e afirmando não haver problema (compreenda-se, com o inofensivo vírus SARS CoV-2), uma vergonha “sem recompensa” (um castigo) ─ o mesmo se podendo afirmar continuando-se a falar de política e perante situações semelhantes (se não mesmo idênticas por replicadas) quando entram em cena (como diria o antigo 1º Ministro e Presidente Cavaco Silva) os ajudantes (espécie humana de rastejantes), interpretando-se e traduzindo-se, os Média (denominado como o “2º Poder”, apesar de ser pago por intermediários ─ os atrás referidos políticos, sendo retribuídos pela sua “graciosa colaboração” ─ pelo “1º Poder”): daí que a partir de notícias (tantas e tantas vezes) estrategicamente podendo ter sido lançadas para o ar ─ e sabendo-se desde sempre que quem paga ao trabalhador (aos média sustentados por conglomerados) é o patrão (os anunciantes, os investidores, os acionistas, temporários e substituindo-se e assim mantendo “a Pirâmide”) ─ perante outra “interessante e muito desejada fuga-de-informação” logo aí e perante “tão grande esmola, o povo não desconfie”. Perante um título como este (fundamental para entre outras, a Indústria Turística Nacional) tão importante para a sobrevivência da região do Algarve:

 

1c0766fc52bb6fd7f31d0a635b6fddf1.jpg

 

Portugal fora da “lista vermelha”

do Reino Unido

a partir de sexta-feira.

(eco.sapo.pt/15.03.2021)

 

Na Alemanha (líder da EC, representando-nos a todos e no entanto se necessário e em seu próprio benefício, derivando) suspendendo-se a utilização da vacina AstraZeneca (inglesa), aparentemente devido ao aparecimento (após vacinação) de coágulos sanguíneos ─ levando já os alemães a prepararem-se (sem informar previamente os outros e contra as diretivas das autoridades norte-americanas) para a introdução da vacina Sputnik (russa). Cá e como sempre com os nossos políticos/autoridades/especialistas na retranca, ainda à espera (múltipla, 1x2).

 

Desde o início da Pandemia COVID-19 com o trânsito envolvendo a GB a EUROPA ─ assim como com o Resto do Mundo ─ estando bastante condicionado, com certos países como Portugal pelo (temporário ou mais extenso)  agravamento da sua situação (nº de infetados/óbitos) e ligações mais habituais e constantes (preferenciais face a outros) com outros países potencialmente perigosos (como a África do Sul e o Brasil), vendo as suas comunicações físicas (terrestres/aéreas/marítimas) e bilaterais suspensas (aqui Portugal/GB): conforme a evolução da Pandemia, apresentando alternativamente semáforo Verde, Amarelo ou Vermelho. No presente e segundo informações oriundas do Governo Britânico (do conservador Boris Johnson, “tratado e salvo” da doença ─ Covid-19 ─ por um português) na próxima sexta-feira 19 de março mudando-se a cor do semáforo, querendo-se (ansiando-se como de “pão e água para a boca”) que logo para Verde (como no trânsito automóvel e quando para se seguir/abrir e sem necessidade do amarelo, de vermelho passando logo para verde). Infelizmente não sendo assim ─ VERMELHO → VERDE ─ na verdade sendo apenas uma mudança, logicamente cautelosa e progressiva, para já de VERMELHO → AMARELO (regras do desconfinamento). No dia 19 de março não se passando assim e automaticamente do Vermelho ao Verde, mas (sim) do Vermelho ao Amarelo: até porque Portugal não autoriza ligações aéreas com a GB até ao dia 31 de março (incluído), posteriormente só podendo usufruir dessa situação (e sendo estes para já os destinatários) nacionais e residentes em Portugal e na GB (com interesses particulares e circulando entre ambos).

 

jet2-flights-spain-holidays-cancelled-portugal-cov

 

Direcionando-nos para o Algarve, para a respetiva região de Turismo e para as necessárias e fundamentais ligações aéreas (terrestres e marítimas) ─ assim como falando dos seus residentes, sobrevivendo socorrendo-se desta definida-literalmente, como uma “monocultura turística”  ─ relevando-se a importância da decisão (não alcançada pelos nossos representantes, mas) vinda do exterior de reabrir de novo as tão importantes (nestes tempos modernos, “sem tempo”) ligações aéreas, retornando a partir daí e progressivamente (quantidade c/ cautela) o turismo.

 

Indo-se até à ILHA continuando a ser exigido testes (3), quarentena (10 dias) e por vezes (estando-se na “Lista Vermelha”) cerca de 1.750 libras (mais de 2.000 euros/para despesas, como o custo hotel), numa medida que já vem (pelo menos) de há dois meses atrás (meados de janeiro) quando a nova vaga do coronavírus “estourou” por cá. No entanto para a esmagadora maioria dos cidadãos e dado o Governo (Britânico) manter a proibição dos voos para o estrangeiro, desde que não essenciais (caso será o caso do TURISMO), mantendo-se este Potencial Mercado Fechado (e BJ não mudando de ideias, antecipando) por mais dois meses (até meados de maio, 17). Pelo que como conclusão e nada se alterando (entretanto, por cá, por lá e pelo mundo),

 

A 19 de março com o sinal do semáforo Covid-19 passando

Vermelho

Amarelo

(fase de preparação)

 

E a 17 de maio com o sinal do semáforo Covid-19 passando

Amarelo

Verde

(fase de libertação)

 

Até lá restando-nos proteger (do vírus e de outros) e sendo católicos (e feministas, adorando uma mulher, Nossa Senhora de Fátima) mesmo que “não praticantes” (termo estranho ainda-por-cima para quem se autodenomina como tal), rezar: esperando-se que tendo como antecedente o 13 de maio se concretize o “Milagre a 17”, daí se começando a ver o fim-do-túnel ─ a nossa salvação (do desemprego/da fome/da doença/da destruição) ─ com a chegada (tal a saudade) do Verão (no Algarve).

 

(imagens: LUSA/noticiasaominuto.com ─ AP/yahoo.com ─ GETTY IMAGES/express.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:59

13
Mar 21

Creches, infantários e 1º ciclo por um lado e cabeleiros e postigos entre poucos pelo outro lado, vão na próxima quarta-feira dia 17 de março e conforme as diretivas do 13º Estado de Emergência (prolongando-se de 17 a 31 de março), reabrir finalmente as suas portas: e se no caso mais relevante deste início de Desconfinamento ─ regresso dos mais novos à escola ─ tal se pode considerar extremamente positivo até pela preocupação levantada com o estado de saúde mental das crianças (retidos há muito tempo, isolados em casa e sempre rodeados por adultos), tendo-se inevitavelmente de relembrar até pela infecciosidade do vírus (sendo mortal) e pela necessidade constante da manutenção do respeito pelas medidas de proteção (máscara, mãos, distanciamento), que ao abrirmos mesmo que parcialmente uma “via de comunicação” estaremos a abrir paralelamente mais um caminho para o vírus: com as crianças a serem mais imunes contactando com o vírus, mas sendo portadoras (e assintomáticas) e ligando Família/Escola (a tal “Via de Comunicação”) podendo originar consequências.

 

Imagem1.jpg

Evolução do Covid-19 no Algarve

Ano de 2021 ─ 71 dias

 

Esta semana que vem arrancando-se em princípio com o Desconfinamento (veremos, entretanto, o que o vírus ─ e suas variantes ─ “dirá/dirão”) com o Mundo na generalidade igualmente a “arrancar” apesar de algumas hesitações (e alguns recuos pontuais) pelo aparecimento aqui e ali de sinais de um novo e possível crescimento (e ainda com países como os EUA, o Brasil e o México, registando um elevado nº de vítimas mortais): devendo-se ser extremamente cauteloso, testar e vacinar. Na região do Algarve com o nº de mortes/dia sendo igual ou menor a 3 desde há cerca de três semanas ─ 10 dias (quase 50% dos dias) com “zero mortes” (e desses, 6 sendo consecutivos) ─ apresentando-nos um gráfico com parâmetros (Infetados/Óbitos) apesar de alguns soluços, claramente em descida: e correndo tudo como o esperado, chegando a Primavera já a 20 (de março) e ultrapassada a PÁSCOA (o próximo “Cabo das Tormentas”), podendo-se talvez ver se o nevoeiro deixar a chegada do VERÃO ─ no Algarve, em Albufeira, no Verão (há 1 ano ausente) só mesmo num “postal de recordação”.

 

Marcelo-Rebelo-de-Sousa.jpg

A decisão de Marcelo

Declarando o 1º Estado de Emergência em março de 2020

 

Última Hora ─ A Decisão de Marcelo:

(hoje, 12 de março)

 

E com o entusiasmo demonstrado pelo Governo (mais comedido até pela culpa) e pelos seus desesperados subsídio-dependentes (conseguindo até antecipar, sem nada ter feito por isso, a abertura do 1º ciclo) ─ podendo levar-nos pela gula de alguns (um pecado mortal, tal como o vírus), a mais uma catástrofe para todos (nova vaga ainda mais intensa) ─ com o Presidente precavendo-se contra todos os excessos por alguns não sendo considerados, a avisar desde já a quem de direito que o mais certo será prorrogar mais uma vez o Estado de Emergência, agora de 1 a 15 de abril (pela 14ª vez): ultrapassando o grande “marco” que é a Páscoa (a 4 de abril) e somente aí se vendo ─ com mais tranquilidade e conhecimento ─ o que fazer.

 

(dados: dgs.pt ─ imagens: Produções Anormais e elvasnews.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 00:07

10
Mar 21

Num dia (10/03) em que Portugal regista “apenas” +22 óbitos (nº que nos assustava durante a 1ª vaga) e +642 infetados, com a generalidade dos parâmetros (Covid-19) a descer. Hoje sem medo … extremamente necessitados, desesperados.

 

1024-4.jpg

 

Com os gritos vindos de fora tornando-se ultimamente cada vez mais insuportáveis e com a população portuguesa face ao espetáculo proporcionado apresentando-se cada vez mais confusa ─ tudo obra dos média, trabalhando e sendo pagos pelos primeiros, para “orientar” os segundos  ─ face ao desnorte dos segundos (sai/fica, abre/fecha, isto porque sim/isto porque não, a subir/a descer, cura/mata) e ao oportunismo (bom/mau) dos primeiros (estando de pantanas e/ou podendo lucrar com a situação), o Presidente (seja qual for a sua razão ou motivo) propõe hoje ao Parlamento (sessão a realizar a 11/03) para entrar em vigor na próxima quarta-feira (17/03) a “13ª Renovação do Estado de Emergência”: tendo agora de ser votado e aprovado em Parlamento (12/10), ao mesmo tempo que o Governo apresenta o seu Plano de Desconfinamento ─ o tal “célebre” plano que dizem que existe, mas que falta e que o 1ª Ministro agora solidificados os seus conhecimentos sobre a situação, promete daqui em diante e solenemente consolidar. Indo em frente (por duas semanas/catorze dias) entrando em vigor a 17 de março e concluindo-se a 31 de março. Um Estado de Emergência muito semelhante ao anterior (como diz o Presidente “para acautelar os passos a dar no futuro próximo”), com as diferenças a serem mais notadas ─ e sentidas (o vírus andará sempre por aí) ─ a apontarem na direção da reabertura de creches/infantários e do retorno na restauração/outras áreas do que um dia se poderá tornar num símbolo icónico desta era e evento, o “postigo”. Acompanhado por campanhas intensas de testagens e vacinações. Pelo que até à Páscoa nada mais se alterará restando-se apenas saber o que se passará a partir de 1 de abril (fim deste 13º estado de emergência): até lá é calar ou em alternativa gritar ─ mas eu prefiro sendo do contra, antes de agir, pensar mais um pouco. Esperando que o 1º de abril não seja o “Dia da Mentira”, já que a comemoração da Páscoa (ainda se lembram do Natal?) é a 4 de abril.

 

(imagem: ovilaverdense.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:56

20
Fev 21

[Dito e desdito.]

 

"Já com a cabeça a andar à roda (ficando-se cada vez mais ourado)

e por pressão mais próxima de explodir (ficando-se alienado)."

 

spin.jpg

 

Não querendo falar:

(pela nossa saúde/dadas as capacidades do vírus)

 

"Parece-nos PREMATURO falar para esta próxima quinzena de desconfinamento e nomeadamente em matéria de ESCOLAS." (Mariana Vieira da Silva/quinta-feira, 18)

 

Logo fechando (contra a vontade).

 

Mas não resistindo:

(pela pressão económica/por pressão dos lobbies)

 

"Eu queria dizer que me revejo nesse problema (o encerramento das escolas para conter a propagação da covid-19). Não é por acaso que se procurou evitar o encerramento de escolas até ao limite do possível e que o Governo também já disse que é precisamente pelas ESCOLAS que recomeçará o DESCONFINAMENTO." (Mariana Vieira da Silva/sábado, 20)

 

Logo abrindo (conforme a vontade).

 

[Achando-se prematuro falar-se neste momento sobre desconfinamento (destacando as escolas e a razão do seu encerramento), mas não resistindo à tentação (dela e de outros como ela) e horas depois regressando de novo ao tema (invocando de novo as escolas e subliminarmente apontando para a sua abertura).]

 

(imagem: tangentology.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:47

22
Jan 21

Recordando aos opositores ferrenhos do encerramento de uma das três principais vias de contágio Covid-19  ─ Famílias/Escolas (famílias/empresas e famílias/lares) ─ os 14.000 novos casos de infetados por Covid-19 e um novo recorde de vítimas mortais de 234 indivíduos (registando ainda 715 doentes em estado grave/crítico) nesta sexta-feira (dia 22). Tornando Portugal o 6º país europeu (10º mundial) em novos casos/diários de infeção e 8º país europeu (13º mundial) em número de óbitos.

 

1544609.jpg

 

Neste caos socioeconómico generalizado (tendo o emprego e a solidariedade em queda livre) e com a confiança nos outros (começando desde logo nas autoridades responsáveis) nos piores níveis de sempre (ultrapassados os limites banalizando as situações com o Novo Normal), já ninguém estranha nada que declarado oficialmente (e finalmente) o Encerramento das Escolas (devido ao Confinamento Geral provocado pela Pandemia e originando um número elevado/crescente de contágios/óbitos) alguns chicos-espertos (escudados pelas suas posições hierárquicas oficiais) e pelas mais variadíssimas razões (muitas delas pessoais, restritas, credíveis ou não) optem pela violação da lei.

 

Screenshot_2021-01-22 Alunos de Medicina em Coimbr

 

Como foi notícia hoje (sexta-feira, 22) num noticiário de uma das redes de TV nacionais, com um desses “chico-esperto” e logo dos ditos iluminados (possuidores de mentes que brilham) ─ um professor universitário ─ furando o Confinamento Geral (agravado agora com o encerramento das escolas) e apesar de se poder defender com o estatuto de autonomia dado ao ensino superior (deixando ao critério deste outras opções/decisões a tomar) ─ desprezando a opinião da esmagadora maioria dos especialistas e seus colegas (cientistas) ─ convocou extraordinariamente os alunos para mais uma deslocação (abrindo mais uma possível via de comunicação e de contágio). Para que em mais um recinto fechado, se realizassem unicamente (certa e justificadamente inadiáveis) mais uns quantos exames.

 

Screenshot_2021-01-22 Alunos de Medicina em Coimbr

 

E sabendo-se que atos como estes infelizmente se repercutirão (nos mais diversos sectores da sociedade) ─ como o caso do colégio privado de Lisboa, invocando desconhecimento para continuar aberto, apesar de todo o resto à sua volta (de uma forma asfixiante) estar fechado ─ com “a cereja no topo do bolo” (já que estamos a falar da Educação) a vir do mesmo professor universitário (o tal dos exames), invocando no caso da realização dos exames e para sua defesa e lógico benefício (pessoal, colocando outra pessoa em causa, em último caso o ainda presidente Marcelo), “ser muito mais perigoso ir votar, do que ir ao exame”. Para além de não apresentar provas científicas para o afirmado, deitando ao mesmo tempo abaixo e num  ápice toda a campanha eleitoral oficial anteriormente levada a cabo ─ de modo a tentar levar o máximo de portugueses a votar (aumentando a taxa de abstenção e em nada prestigiando o candidato eleito) ─ e logo num momento político (parasitado pela Covid-19) já por si explosivo.

 

(imagens: cmjornal.pt e publico.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:17

21
Jan 21

E podendo dizer-se hoje (21 de janeiro de 2021) que com cerca de um mês de atraso (as férias do 1º período iniciaram-se a 21 de dezembro de 2020) se decidiu finalmente encerrar as escolas:

 

Screenshot_2021-01-21 (Imagem WEBP, 500 × 667 pix

1º Ministro António Costa

 

Face a dias consecutivas de quedas de aviões de passageiros (por exemplo um Airbus A300)

 

─ Provocando entre 150/220 mortes diárias

 

E da crescente ameaça das escolas se transformarem em verdadeiros “covidários” (situação agravada com a chegada da variante britânica)

 

─ Confinando os jovens como potenciais portadores e com estes,

ao deslocarem-se, podendo contagiar em cadeia outras famílias

 

Com o Governo a ser claramente forçado (sobretudo pelos responsáveis do sector da Saúde, próximos do colapso, mas sempre com a oposição do sector da Educação) ao seu Encerramento.

 

(imagem: thumbs.web.sapo.io)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:41

20
Jan 21

Coronavírus:

“Maioria dos portugueses concorda com encerramento das escolas

por causa da covid-19.”

(publico.pt/19.01.2021)

 

Screenshot_2021-01-19 Maioria dos portugueses conc

82% dos portugueses votam por um confinamento geral

idêntico ao de março de 2020

 

Os portugueses estarão de acordo com a ideia de encerrar as escolas para ajudar a conter a explosão de casos – e mortes – de covid-19? De acordo com um inquérito Universidade Católica/PÚBLICO/RTP, feito entre 11 e 14 de janeiro, 54% dos portugueses veriam com bons olhos o encerramento das escolas. O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, admitiu que na próxima semana, após as eleições, o encerramento das escolas poderá vir a ser reconsiderado. Mas, por ora, as escolas continuam abertas – apesar de estes ser um dos temas que mais polémica tem gerado.” (publico.pt/19.01.2021)

 

Screenshot_2021-01-19 Maioria dos portugueses conc

54% dos portugueses votam em janeiro de 2021

pelo encerramento imediato das escolas

 

Faltando apenas conhecer-se qual a evolução  da variante britânica do vírus SARS CoV-2 “na cabeça brilhante do nosso 1º Ministro” para, sendo mais contagioso, tornando-se predominante e provocando uma tragédia (o vírus), o convencer definitivamente (o 1º) de uma tão clara (e mortal) evidência: enquanto não se fechar mais esta importante via de contágio (escolas/famílias), a tendência será um inevitável e terrível crescimento de casos (infetados/óbitos). Mais uma semana (1.500 vítimas mortais) de espera?

 

Ponto de Situação (Covid-19/Portugal) esta quarta-feira, 20 de janeiro de 2021 (com novos recordes de infetados/óbitos):

 

Covid-19

(20.01.2021)

Nº de Infetados

Diário

14.647

Total

581.605

Nº de Óbitos

Diário

219

Total

9.465

Infetados

Ativos

7.935

Estado Crítico

681 (+11)

 

(dados e imagens: pubico.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:10

19
Jan 21

Num novo dia de recordes (diários) em Portugal, com 10.455 novos infetados e mais 218 vítimas mortais (quase 6X mais que o máximo registado na 1ª Vaga): hoje (terça-feira, 19.01.2021) o 2ª país europeu em número de infetados e o 4º no número de vítimas mortais.”

 

Mas (para além do encerramento dos postigos) de que é que estão à espera para o (real, não virtual) Confinamento Geral?

 

1ª Vaga

Covid-19:

Governo decreta encerramento de escolas a partir de segunda-feira.

(regiao-sul.pt/12.03.2020)

 

sala-de-aula.jpg

 

"O governo vai decretar o encerramento de todas as escolas do país a partir de segunda-feira e até às férias da Páscoa, como medida de combate à propagação à pandemia de Covid-19, anunciou o primeiro-ministro. “Manda o princípio da prudência que se avance para a suspensão de todas as atividades letivas presenciais até ao período das férias da Páscoa”, revelou António Costa." (regiao-sul.pt/12.03.2020)

 

2ª/3ª Vaga

COVID-19:

Portugal com novo recorde de mortes em 24 horas. Mais 218 óbitos e 10.455 infetados

(sapo.pt/19.01.2021)

 

Screenshot_2021-01-19 Mais 218 óbitos e 10 455 in

 

"O relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24h00 de ontem, indica que a região Norte é a que regista o maior número de mortes acumuladas relacionadas com o vírus SARS-CoV-2 com 3.811 óbitos (+51 do que ontem), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (3.332 +88), Centro (1.495 +55) e Alentejo (431 +17). Pelo menos 127 (+5) mortes foram registadas no Algarve. Há 22 (=) mortes contabilizadas nos Açores. Na Madeira registam-se 28 óbitos (+2) associados à doença." (sapo.pt/19.01.2021)

 

Para encerrar uma das três principais vias de transmissão do vírus SARS CoV-2 (famílias/escolas, famílias/emprego e famílias/lares), conectando diretamente famílias/escolas (e todo o meio envolvente e respetivas vias) e contribuindo para o crescimento do contágio ─ não o fazendo podendo originar, a insustentabilidade a curto-prazo desta situação (pandémica).

 

(imagens: regiao-sul.pt e Patrícia de Melo Moreira/AFP/sapo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:15

18
Jan 21

E quando no nosso desespero (medo, angústia) todos esperávamos ouvir algo mais (tendo já nós a experiência, de uma 1ª vaga) ─ e com toda a comunidade escolar em Portugal a envolver uns 2 milhões ─ decretando-nos puros imbecis impuseram-nos como protagonista (à falta de vacina) o fecho dos postigos.

 

Screenshot_2021-01-18 Portugal Coronavirus 556,503

De um máximo diário de 37 vítimas mortais (1ª vaga)

para um novo máximo de 167 vítimas mortais (2ª/3ª vaga)

4,5 X mais

 

Obrigatoriamente (de uma forma urgente) e face à atual evolução da Pandemia (com números de infetados/mortes cada vez maiores) ─ e sendo apenas e estritamente necessário manter ativas e em funcionamento (no mínimo) os setores básicos da nossa sociedade ─ torna-se completamente incompreensível como ainda hoje as três principais vias de disseminação do vírus (apesar de se dizer em Confinamento Geral) se encontram na sua grande maioria abertas (ainda mais que durante a 1ª vaga): as vias de comunicação entre jovens/famílias (escolas), entre adultos/famílias (emprego) e entre idosos/famílias (lares). E se o controlo da 2ª via se torna mais difícil (a Economia não pode parar) ─ e desde logo (como “3ª via secundária”) já completamente abandonados os idosos (à sua sorte), a esmagadora maioria das vítimas mortais ─ já o controlo da 1ª via pode ser mesmo total ,não o fazendo, passando já a irresponsabilidade, incompetência e crime.

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:49

15
Mar 19

[E não querendo dizer que a culpa é só dele.

(falando de Jair Bolsonaro como poderia ser de Donald Trump)

Mas que lá ajuda, ajuda!]

 

Já no reinado de Jair Bolsonaro (o recentemente eleito Presidente do Brasil) e na sequência do slogan eleitoral (e publicitário) atribuindo ao mesmo o título de Trump Brasileiro, a replicação de uma imagem marcante (por brutal pois envolvendo jovens) e já por nós tão bem conhecida (mas antes ocorrendo mais a norte) envolvendo escolas e armas, muitos feridos e mortos: antes na América do Norte (EUA) agora na América do Sul (Brasil).

 

csm_atiradores_de_suzano__Luiz_Henrique_de_Castro_

Os dois jovens atiradores e assassinos

(de 25 e de 17 anos e suicidando-se no final)

 

E tendo como curiosidade (mortal) um fator sendo a ambos comum: ocorrendo em territórios extensos (de venda legal/ilegal) e com livre acesso a armas (utilizadas para resolver muitos conflitos e dispensando de vez o diálogo) e com o seu Presidente a ser um apologista das mesmas – sendo grandes apoiantes de uma ainda maior liberalização (das vendas e da sua posse) e assim contribuindo para o aumento da violência (é só ver as estatísticas em situações semelhantes).

 

Com um dos jovens a matar o seu tio e a roubar um dos seus automóveis, com o qual os dois jovens (já armados) se deslocaram até à escola;  chegados à mesma entrando (um deles justificando-se querer voltar a estudar) e já no hall de entrada abatendo logo a Diretora (depois do tio a 1ª vítima mortal já na escola); matando de imediato uma funcionária (o jovem mais novo seria quem utilizou sempre o revolver) e dirigindo-se de seguida para o pátio da escola (o recreio) onde mataram mais 6 estudantes (de 15/16 anos e causando mais outros feridos); e ao sentirem a chegada da polícia suicidando-se.

 

x81576429_PAIS-13032018-Video-da-camera-de-seguran

Início da ação dos atiradores na escola de Suzano

(logo no hall de entrada abatendo a tiro a diretora)

 

Dois ex-alunos da escola de Suzano e com o mais novo − empunhando o fatal revolver − a ser o último a abandonar (e interromper) a escola (e os estudos).

 

Deixando-nos aqui a pensar − confrontados com uma situação tão dramática como esta envolvendo jovens, armas, violência, dez mortos, oito feridos e muitas vítimas indiretas (uma situação podendo replicar-se noutros territórios internos/externos, chegando mesmo até ao nosso) – o que estará este Mundo a produzir e se será mesmo isto o que todos nós queremos.

 

E para tal bastando

Parar, Escutar e Olhar.

(para o comboio não nos passar por cima)

E de imediato

Reagir.

(pois se paras é porque já estás morto).

 

 (imagens: veja.abril.com.br e oglobo.globo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:38

Abril 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO