Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O Homem-Foguetão Azul

Sexta-feira, 23.07.21

Uma imagem do maior multimilionário do mundo, natural de Albuquerque, estado do Novo México, EUA ─ JEFF BEZOS, 57 anos ─ um empresário de sucesso norte-americano com a sua fortuna avaliada em cerca de 200 biliões de dólares, mais conhecido por ser o presidente e CEO da AMAZON (empresa de comércio eletrónico) e o fundador da empresa BLUE ORIGIN (empresa aeroespacial).

snapshot 1.jpg

Neste pequeno vídeo de pouco mais de quatro minutos apresentando-se uma visão comparada daquilo que dele temos conhecimento (difundida pela imprensa do sistema, sendo igualmente a dele) e do que alguma parte do mundo sabe ou pensa dele (particularmente a parte mais interessada dos quase 8 biliões de seres humanos habitando este planeta, olhando para ele e não compreendendo como foi possível atingir o lugar que aquele homem alcançou).

sddefault.jpg

Segundo afirmação do próprio tendo retirado da sua fortuna pessoal (de cerca de 200 biliões) 5 biliões de dólares só para concretizar o seu sonho ─ de colocar uma nave espacial sua no Espaço sendo o próprio um dos seus ocupantes-astronauta ─ conseguindo concretizar tal objetivo (de Vida, de um multimilionário, não sabendo o que fazer ao dinheiro, sendo dono do mundo, mas nem tendo tempo para olhar para baixo) no passado dia 20 de julho num voo de cerca de 10 minutos e a bordo do seu foguetão BLUE ORIGIN, ultrapassando a fronteira atingindo o Espaço exterior e indo e voltando salvo e em segurança.

snapshot 2.jpg

Despendendo neste seu óbice apenas 2,5% da sua fortuna pessoal ─ os tais 5 biliões de dólares ─ reclamando obviamente para si (e sendo um gesto natural no sistema, impondo o seu lugar no topo da hierarquia) e entre os seus (ficando a publicidade/propaganda para o povo) reconhecimento pela sua ousadia e poder, mantendo-lhe as portas abertas para com o apoio do povo e o dinheiro proveniente do Estado, o seu caminho persista e mesmo se fortaleça: depois de ser reconhecido como o Homem Mais Rico do Mundo durante os últimos anos e sendo consecutivos, a concretização do seu sonho final, a reconstrução (a partir desta) de uma “Nova Terra” talvez só para ele (e para os seus empregados) e com milhares de naves BLUE ORIGIN conduzindo-nos e à restante Humanidade à Aventura, na procura nobre de Outros Mundos, “Outras Terras para o Povo” (como aquando da Conquista dos Oceanos), ficando o Rei Bezos por cá (pela sede) à espera (de noticias das suas futuras filiais).

Facts on SpaceX Vs Blue Origin.jpg

[Numa luta Espacial entre os dois maiores multimilionários do Mundo, de um lado tendo-se o nº 2 (Elon Musk/fortuna entre 150/200 biliões de dólares) e do outro o atual nº 1 (Jeff Bezos/fortuna de mais de 200 biliões de dólares): ambos (e respetivas empresas  privadas) sendo apoiados financeiramente pelo Estado norte-americano (o fator fulcral), desviando verbas anteriormente destinadas à NASA (a agência governamental) descontinuando-a nas áreas práticas fundamentais e deixando-lhe a parte teórica (a mais “custosa e não imediatamente lucrativa”) ─ restando-nos dizer (á NASA) RIP.]

(imagens: caitlinjohnstone.com/youtube.com e complexob7.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:12

A Conquista do Espaço: EUA, RÚSSIA ou CHINA?

Quarta-feira, 21.07.21

“Se o desinvestimento na NASA (deixando-a com o estudo da Terra e com algumas sondas automáticas) ─ por outro lado favorecendo face à componente científica, a parte comercial e para tal desviando verbas e chamando para as aplicar, os Privados ─ pode ser um indicativo do fim do Programa Espacial dos EUA, tal como sempre o conhecemos ─ sendo o seu único objetivo o Homem e o seu Futuro no Espaço ─ talvez estejamos a assistir a uma total reviravolta de expetativas espaciais de todo um planeta (com um século), com os norte-americanos a ficarem-se pela sua “Sociedade do Espetáculo” (com viagens turísticas e outros derivados mais ou menos radicais, como “prometerem-nos Marte” sem quererem passar pela Lua) e com os russos e chineses a tomarem definitivamente a dianteira: os chineses (com o seu ROVER) já fazendo companhia em Marte aos ROVERS dos EUA e (sabendo do final próximo de atividade na ISS) tendo já a sua própria estação espacial em atividade (lançado o módulo central, já estando ocupada por três astronautas chineses).”

297167main_apollo_11_946-710.jpg

NASA

Buzz Aldrin na Lua fotografado por Neil Armstrong

(1969, missão Apollo 11)

 

Vivendo a nossa vida, confinados a um único planeta e sabendo no nosso percurso, irmos divisar o que para além dele existe unicamente “à vista desarmada” (salvo as, sempre presentes e necessárias exceções) ─ tudo isto, graças à janela aberta diante de nós, proporcionada pelo Céu que nos envolve, encaixado numa moldura entre o palpável e o ali colocado, este último como que representando, o nosso futuro trilho de Vida a ser “percorrido e descoberto”

Sendo sempre com interesse e dado não se poder estar do lado de lá (do lado do Espaço exterior ao nosso planeta, para além dos limites exteriores da nossa última película de separação e proteção, a atmosfera), receber-se novas notícias vindas desse “Outro Mundo” começando logo ali ao lado ─ o ESPAÇO ─ lugar onde “por acaso” o Homem já anda há mais de 60 anos, desde que YURI GAGARIN (ainda no tempo da U.R.S.S) completou uma órbita em torno da Terra em 12 de abril de 1961.

hls-resized-2.jpg

SPACEX

Oferecendo os seus serviços à NASA

(propondo a sua nave espacial, para atingir a Lua)

 

Oito anos depois (1969) com o voo espacial tripulado APOLLO 11 ─ com os astronautas norte-americanos NEIL ARMSTRONG, MICHAEL COLLINS e BUZZ ALDRIN ─ a atingirem a Lua e a poisarem nela com o seu módulo lunar (com Neil e Buzz a bordo, ficando Michael no módulo orbital), alcançando aí o Homem e pela 1ª vez um “Mundo Alienígena”, tocando-o (NEIL com as suas botas): de uma viagem podendo-se dizer local (de alguns quilómetros, na altura um ato pioneiro), passando-se a uma viagem (num encadeado, esperando-se contínuo e sendo outro ato pioneiro) podendo ser considerada agora (evoluindo, subindo degraus a caminho do CÉU) o protótipo das “Viagens Interplanetárias”. Uma viagem ligando a Terra ao objeto localizado no Espaço e estando mais perto de nós (com os planetas mais próximos Vénus e Marte, distando de muitos milhões de Km), num percurso de ida-e-volta de vários dias e de no mínimo uns 770 mil Km (distância Terra/Lua de 384,4 mil Km).

snapshot.jpg

BLUE ORIGIN

Hoje fazendo o seu 1º voo com 4 tripulantes a bordo

(a 19 de julho 2021, um deles sendo Bezos)

 

Desse modo e depois de anos e anos de Exploração Espacial “governamental” com investimento único sendo “público” (do próprio Estado) ─ com as grandes potências espaciais de momento a serem (como as 3 grandes potências Globais) os EUA, a RUSSIA e a CHINAoferecendo todo o saber e conhecimento acumulado através da realização de estudos e de experiências levadas a cabo por milhares de Homens, ano após ano (sacrificando-se por um projeto em nome coletivo do seu país) trabalhando para o cumprimento desse objetivo pessoal/coletivo (nobre), surgindo como não poderia deixar de ser até porque o Mundo não é uma redoma (limitada, com o Homem no centro), a iniciativa Privada: para já apenas nos EUA, mas integrando um panorama global (comercial, de penetração e expansão) algo semelhante seja ele a Ocidente (EUA)  ou a Oriente (Rússia/China), com a fonte de financiamento principal e fulcral (o alicerce) a ser sempre a mesma, o Estado (e os financiamentos provenientes do mesmo, depois de protegidos/pelos primeiros e em minoria, surgindo os Privados) ─ seja no capitalismo Norte-Americano (empresa ditas “privadas”, mas financiadas pelo Estado) ou no capitalismo de estado Russo ou Chinês (empresas ditas “estatais” e financiadas pelo Estado).

snapshot 2.jpg

VIRGIN GALACTIC

Momento da sua largada com Richard Branson a bordo

(11 julho 2021)

 

Empresas Públicas, Empresas Privadas e Empresas Mistas, nunca podendo sobreviver sem o apoio do seu próprio Estado/País. E se podendo existir algo de semelhante do “outro lado” no Oriente (em qualquer local existindo sempre elites), não se tendo conhecimento de tal talvez por falta de interesse nosso (ou condicionamento), indiferença ou alguma invisibilidade (até pela distância física e nem sequer falando da parte psíquica/espiritual/mental (que como seres humanos que são, mesmo andando do outro lado de “pernas-para-o-ar”, também têm), existindo certamente do nosso lado Ocidental ─ ainda-por-cima sabendo-se fazer parte dele e logo na liderança (de tudo) os EUA ─ empresas há já há algum tempo em ação (trabalhando nos EUA): como a SPACEX (do milionário norte-americano Elon Musk/Tesla), a BLUE ORIGIN (do milionário norte-americano Jeff Bezos/Amazon) e a VIRGIN GALACTIC (do menos milionário por inglês Richard Branson/Virgin).

Nos EUA autoproclamando-se a maior potência Global (sendo-o na realidade, podendo destruir o nosso planeta Terra muitas mais vezes do que todos os outros juntos, não se indicando no entanto se sobrevivendo, quem colocariam a fazer o que eles não querem nem sabem fazer) ─ Militar, mas talvez já não o sendo a nível Económico e Financeiro (o Hemisfério Norte dividindo-se em duas partes, a Ocidental/em decadência e a Oriental/em expansão) ─ entregando-se todo o trabalho e sacrifícios (anteriores, por parte da NASA) de bandeja à iniciativa privada, presenteando-nos (esta última e agora, talvez como sempre) como justificação da sua entrada neste ramo (no ramo Espacial, mesmo que sendo um pretexto para a inovação cientifico-tecnológica, mas militar), mais “com conduto” do que com alguma essência inovadora, revolucionária, transformadora (como se estivéssemos a aguardar por “Eles”, podendo-nos indicar o caminho ─ utilizando eles sempre o mesmo, o mais seguro para eles):

chinese-crew-enters-ne.jpg

CHINA

Estação Espacial Chinesa Tianhe

(astronautas no interior do módulo central, 17.06.2021)

 

Com a SPACEX transportando já material e astronautas para a ISS, com a BLUE ORIGIN ultrapassando hoje a “Linha de Karman” (fronteira virtual separando a Terra do Espaço) em cerca de 100Km ─ com sucesso e levando consigo o jovem holandês Oliver Daemen/18 anos e a ex-astronauta Wally Funk/82 anos ─ e finalmente  com a VIRGIN GALACTIC como que demonstrando ao que vem (comercialização de viagens turísticas no Espaço) e recuperando a visão dos Vaivéns (nada de novo), levando não um foguetão mas um avião para os limites superiores da atmosfera ─ nunca atingindo o Espaço exterior (não superando a “Linha de Karman” e ficando-se por pouco mais de 80Km de altitude).

Abandonando os EUA o Espaço (como prioridade de Estado), a Rússia e a China (sobretudo esta última) substituindo-os: “agradecendo” e passando a liderar nessa mesma prioridade.

(imagens: yahoo.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 22:53

E o Telescópio Hubble Ressuscitou

Terça-feira, 20.07.21

[Voltou a Ver e a Mostrar.]

Passadas várias semanas a partir do momento em que o telescópio Espacial HUBBLE se colocou offline (13 de junho de 2021), devido a um problema surgido num dos pontos do circuito eletrónico do seu computador de bordo,

Screenshot 2021-07-20 at 01-38-39 STScI-01FAXGZY14

Par de galáxias ARP-MADORE2115-273 (à esquerda) e

galáxia em espiral ARP-MADORE0002-503 (à direita)

 

─ Um instrumento ótico fundamental para o estudo do nosso Sistema Solar (mais próximo) como de todo o Universo (mais afastado), não tendo nas observações do Espaço a interferência da nossa atmosfera, entre este e a superfície terrestre

A alegria de todos os que têm usufruído deste instrumento de observação, demonstrando-nos como para além da Terra muito mais existe por aí de interessante e ainda por explorar, significando que a nossa Vida nunca se poderá restringir a um único lugar, nem se limitar a um determinado espaço de tempo (tendo que existir Mundos Paralelos, talvez com os buracos-negros sendo uma das partes, do problema/da solução), até por ser algo ainda de abstrato (de momento e para nós) não tendo ainda atingido o nível de uma nova dimensão, integrando-se com as restantes.

No passado dia 17 de julho de 2021 (passado sábado) e resolvido o pequeno problema computacional, com o telescópio HUBBLE a regressar à Vida (a ressuscitar), recomeçando de novo a sua busca de imagens de “Outro Mundos” estranhos e distantes, misteriosos (deixando-nos sedentos de Aventura), esperando (como se partilhássemos o mesmo espelho) que um dia lá cheguemos.

snapshot.jpg

Depois de mais de um mês fora de serviço

c/ o telescópio HUBBLE regressando ao ativo

 

Telescópio exterior (aos limites da Terra e da sua atmosfera) oferendo-nos desde logo imagens de galáxias algo estranhas, um ícone nosso voltando à Vida e presenteando-nos com o COSMOS, Espaço onde também se integra a TERRA ─ como diria CARL SAGAN, esse pequeniníssimo PONTO AZUL perdido na imensidão escura e profunda do Espaço, mas pelo menos para nós, Único.

Aqui apresentando-nos duas galáxias, uma (à direita na 1ª imagem) a galáxia em espiral e de três braços ARP-MADORE0002-503 (a quase 500 milhões de anos-luz de distância da Terra) ─ tendo a particularidade (daí o estranho) dos seus braços se poderem estender por mais de 160 mil anos-luz, tornando-a em dimensão o triplo da nossa Via Láctea

A outra (à esquerda na 1ª imagem) um par de galáxias (daí o estranho, podendo estar ou não em rota de colisão) interagindo uma com a outra e denominada como ARP-MADORE2115-273 (a quase 300 milhões de anos-luz de distância da Terra).

HUBBLE (última imagem) regressando de novo ao trabalho, após umas “férias-forçadas” de 34 dias (sem retratos para enviar para casa).

(imagens: hubblesite.org ─ NASA Goddard/youtube.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:50

Espaço ─ De Foguetão ou de Avião

Terça-feira, 13.07.21

[Para se manter o subsídio (entre eles o do Estado, abrindo outros caminhos), oferecendo-nos a versão mais simples de um foguetão (numa ideia só podendo ter vindo de um génio), um avião.]

Num mundo submerso pela imposição de infindáveis leis, regras e convenções, colocadas deliberadamente no nosso caminho (exceto no do topo da pirâmide social) de modo a tornarem-se obstáculos aparentemente inultrapassáveis ─ desse modo afastando definitivamente a concorrência (de algum tipo/forma de acesso, ao “vértice superior” da pirâmide)

UNITY22_CREW_1-2000x1200.jpg

A tripulação da Virgin Galactic

incluindo Ricard Branson

(Unidade 22)

 

Surgindo desde logo no top de individualidades dominando o desenvolvimento tecnológico mundial (ou seja norte-americano), erguendo subtilmente a bandeira da Exploração Espacial (sendo o seu objetivo prioritário, como subsídio-dependentes do estado, o aspeto comercial), nomes de bilionários como Jeff Bezos (norte-americano, 1º Ranking Mundial, 177 biliões, Amazon), como Elon Musk (norte-americano, 2º Ranking Mundial, 151 biliões/Tesla) e até de outros mais pobrezinhos como Richard Branson (britânico, dentro do Top 500, uns míseros 6 biliões/Virgin): tendo em vista o objetivo final previamente definido (até para a obtenção de financiamentos públicos e privados) o da “Exploração Espacial”, dois deles apresentando um foguetão (um já estando em utilização ─ o da Space X ─ e o outro em vésperas de o fazer ─ o da Blue Origin) e o terceiro ─ “o espertalhão” ─ em sua substituição oferecendo-nos um avião (o da Virgin Galactic).

Depois de Elon Musk, mas antes de Jeff Bezos, com Richard Branson reafirmando a sua presença na Futura Corrida e Exploração Espacial, apesar de não poder afirmar ter verdadeiramente atingido o convencionado como “Espaço” (o seu início, face à Terra),

Screenshot 2021-07-12 at 17-55-35 Richard Branson

Lançamento da Virgin Galactic

com Richard Branson a bordo

(11 julho 2021)

 

No fundo não abandonando a camada atmosférica terrestre, apenas fazendo o seu voo a uma maior altitude (quase no limite superior, o inferior sendo o nível médio da água do mar), se comparado com o de uma avioneta ou de um jato comum (podendo até, no fundo e para alguns ser um UAP, versão Pentágono): com a Virgin Galactic de Richard Branson não tendo atingido sequer a “Linha de Kármán” o limite convencionado separando a atmosfera terrestre do espaço exterior (a “fronteira” entre nós e o resto), os 100Km. No passado dia 11 de julho com Branson (o “comandante”) a bordo da sua “nave espacial” Virgin Galactic ─ atingindo uma velocidade de cerca de 3.700Km/h (Mach 3) e uma altitude de 86Km ─ a ficar a apenas 14Km de distância de mergulhar no vazio do Espaço. Mas sendo notícia e para tal lá estando os Média Globais (norte-americanos para a nossa parte do Hemisfério Norte/o Ocidental, o Oriental sendo a outra metade e o Hemisfério Sul “não contando”) trabalhando para os mesmos objetivos, sendo remunerados de uma forma cruzada pelos mesmos investidores.

[Depois de Richard Branson e do seu avião-nave-espacial o “maior da atmosfera” (atingindo grande altitude), seguindo-se a 20 de julho Jeff Bezos e o seu foguetão Blue Origin (pretendendo esse sim, ultrapassar a “Linha de Kármán”) ─ com Elon Musk já o podendo ter feito antes e ainda-por-cima por várias vezes, mas em sua vez enviando um boneco, denominado Starman e em direção a Marte (mas sendo um batedor ─ publicitário, tipo “insuflável” ─ nunca alcançando o planeta).]

(imagens: universetoday.com/Virgin Galactic)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:19

Não Pela Informação, Apenas Pela Sua Beleza

Terça-feira, 08.06.21

Imagens do remanescente da SUPERNOVA 1E 0102.2-7219 (resultado da explosão de uma estrela) ocorrida numa galáxia vizinha da Via Láctea (esta última onde o nosso planeta se integra).

vlt_supernova_neutronstar.jpg

Figura 1

Com o círculo de gás vermelho abaixo do centro da imagem,

a rodear uma estrela-de-neutrões emitindo os seus brilhantes raios X

 

Uma imagem conjunta (figura 1) elaborada por 3 instrumentos de observação, o telescópio espacial HUBBLE (a vermelho, as estrelas), o VLT (a verde) e o observatório de raios X CHANDRA (a azul, a roxo).

hst_smc_snr_neutronstar.jpg

Figura 2

Telescópio Hubble proporcionando-nos na mesma região da SUPERNOVA

a visão grandiosa do que será uma região cheia de jovens estrelas

 

Na imagem seguinte (figura 2) ─ referindo-se à mesma região do Espaço onde se situa esta SUPERNOVA ─ observando-se igualmente o aparecimento de nuvens gasosas constituídos por restos resultantes da explosão da estrela e no canto inferior da mesma (imagem/figura 2), uma enorme região “berço-de-estrelas” denominada como N76.

Uma beleza, num cenário (considerada a nossa dimensão) demolidor.

(dados: syfy.com/wikipedia.org ─ imagens: ESO/NASA/ESA/HUBBLE)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:45

Eles Já Chegaram!

Segunda-feira, 17.05.21

Não nos estando a referir à chegada dos súbditos de sua majestade ─ a rainha de Inglaterra Isabel II ─ à região turística do Algarve (hoje, 17 de maio),

E1ZAQSnXEAAtBin.jpg

There is certainly life on Mars!

We are the life of the party!

(declaração CNSA)

 

Mas à chegada do 1º veículo motorizado oriundo da China à superfície do planeta Marte (na passada sexta-feira, 14 de maio): e se relativamente aos ingleses (viagens terrestres/aéreas) sendo estes os primeiros a chegar a Portugal com os seus investimentos (vinhos/turismo), só muito mais tarde surgindo os chineses (Lojas dos 100/300, seguindo-se entrepostos/empresas), já no que diz respeito aos chineses (viagens espaciais) e deixando os ingleses bem lá para trás (nem sequer tendo ainda chegado ao ponto de partida), com a maior potência asiática atual candidata a amanhã se tornar a maior potência Global ─ a China ─ a juntar-se aos EUA e a tornar-se o segundo país em todo o Mundo a colocar com sucesso um veículo motorizado em Marte. Com três países tendo como objetivo final  da sua missão colocar veículos motorizados ou ROVERS sobre a superfície do Planeta Vermelho concretizando tal facto (tocando o solo do planeta), tendo o primeiro falhado nas suas tentativas (na aterragem/despenhando-se ou após ela nas comunicações/ausentes)  a Rússia (ex-URSS, em 1971) e os dois restantes atingindo-o (com sucesso total, aterrando e com o seu ROVER ativo): desde 1997 com os EUA (no presente com dois ROVERS ainda em funcionamento, o ROVER CURIOSITY e o ROVER PERSEVERANCE) e agora em 2021 com a China (e o seu ROVER ZHURONG).

ec1986a6-42d1-4fd2-81af-e22c383a0a1d-AP_China_Spac

Centro de Controlo Aeroespacial de Pequim

Aterragem com sucesso da sonda Tianwen-1 em Marte

(CNSA)

 

ROVER ZHURONG lançado o ano passado (23 de julho) a bordo da sonda automáticaTIANWEN-1 ejetada (propulsionada) para o Espaço exterior por um foguetão Longa Marcha ─ projetando-a na direção do primeiro planeta exterior (à Terra) MARTE ─ e tornando-se a 14 de maio no 3º veículo motorizado (terrestre, para os “marcianos” alienígena) ─ 2 norte-americanos e 1 chinês ─ a circular nesse planeta (e com os Europeus através da ESA a pretenderem a curto-prazo alcançar o mesmo). Com os chineses depois da Lua (tendo lá e já, o seu ROVER) e da sua Estação Espacial (tendo colocado já em órbita o seu 1º módulo espacial de 3, iniciais), atirando-se tal como os norte-americanos ainda mais além, sendo agora o seu objetivo Marte (e já lá estando) ─ replicando (mas desejando-os ultrapassar, com o seu conhecimento e experiência suplementar) os passos dos EUA ─ pela sua ambição, eficácia e estando de acordo com os desejos da governação chinesa, sendo de imediato um facto relevado pelo seu presidente Xi Jinping (sendo mais uma demonstração de todo o poderio atual da China, no presente o único contrapeso juntamente com a Rússia à supremacia Global dos EUA):

An important step in our country’s interplanetary exploration journey, realizing the leap from Earth-moon to the planetary system and leaving the mark of the Chinese on Mars for the first time. ... The motherland and people will always remember your outstanding feats! (Presidente da China, Xi Jinping)

Mars_Viking_21i093.jpg

Marte ─ Utopia Planitia

Sonda automática Viking 2

(18 maio 1979)

 

Explorada intensamente a Terra (a caminho dos 8 biliões de habitantes) tendo-se forçosamente de procurar outros mercados (só o dinheiro nos fazendo mover) e com isso (e entenda-se, como consequência) outras “Terras” (A, B, C, etc.): isto porque “o segredo é a alma do negócio”, não sendo o sujeito (para quem manda) a prioridade, mas sim o objeto produtor de mais-valia (e que amanhã será uma máquina, o nosso sucessor).

[Nas últimas notícias referindo-se ao ROVER ZHURONG de momento estacionado na região denominada UTOPIA PLANITIA e tendo para si projetada uma missão de cerca de três meses ─ procurando (entre outras observações) a presença de água-gelada e ainda o estudo da atmosfera e do magnetismo (de Marte) ─ tudo parecendo normal com o funcionamento do ROVER aparentemente pronto a entrar em ação. Juntando-se dentro de pouco tempo no seu trabalho diário (ou SOL) a dois outros ROVERS e tendo muito perto de si (mesma região) o seu colega norte-americano PERSEVERANCE.]

(imagens: CNSA/@CNSA en/twitter.com/usatoday.com ─ wikipedia.org)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:31

O Novo Império ─ Depois da Terra o Espaço

Sexta-feira, 14.05.21

A caminho de se tornar a maior potência Global Terrestre (substituindo os EUA) e investindo desde já (tal como os EUA o fizeram no passado) e fortemente (nem o público/privado norte-americano os acompanhando) na Conquista do Espaço: o novo mercado ─ para já (inicialmente) para exploração de matéria-prima (minerais), posteriormente como entreposto (de lançamento) de viagens interplanetárias e Interestelares.

Screenshot_2021-05-14 China is about to try a high

A Terra como vista da Lua

(missão chinesa Chang’e)

 

Uma imagem da TERRA (1) tal como registada a partir do módulo lunar integrando a missão espacial chinesa à LUA ─ missão “CHANG’E” (integrando o seu ROVER) ─ no ano de 2016. Agora que a Agência Espacial da China (CNSA) com a sua missão a MARTE ─ missão TIANWEN-1 ─ se prepara para aterrar na superfície deste planeta (entre hoje/14 e terça-feira/18), colocando lá o seu respetivo veículo motorizado terrestre o ROVER ZHURONG.

Screenshot_2021-05-14 China is about to try a high

Rover Zhurong

(ilustração da missão espacial Chang’e)

 

Depois de várias sondas direcionadas à LUA (agora já aterrando e com ROVER) ─ posteriormente a MARTE ─ e ainda recentemente depois de instalar em órbita da TERRA o 1º módulo da sua futura ESTAÇÃO EPACIAL (entrando já em atividade até ao final do ano e sendo completada com dois outros módulos para o ano) ─ sabendo-se do fim próximo da atividade na ISS, sendo dentro de poucos anos descontinuada (e com os russos tendo já iniciado a construção da sua estação) ─ chegando literalmente a MARTE e aí (na sua superfície) aterrando, na região de UTOPIA PLANITIA.

41-1523197686-1696221093.jpg

A Terra e a Península Ibérica

(missão chinesa Chang’e)

 

Vivendo-se agora um momento de expetativa até à decisão do momento de aterragem, com a missão da nave espacial Tianwen-1, desde há várias semanas a “circular” Marte numa órbita elíptica (passando por vezes mais perto do planeta e observando-o mais detalhadamente), procurando as melhores coordenadas e o melhor momento de aterragem para o seu módulo e respetivo ROVER ZHURONG: tal como todos os outros seus colegas tendo executado a mesma manobra (sair de órbita e aterrar), uns conseguindo-o outros não, passados os “Sete Minutos de Terror” e aterrando o módulo chinês no PLANETA VERMELHO com sucesso, com a China a começar a fazer companhia ao Clube dos ROVERS norte-americanos (uns ainda ativos como o CURIOSITY e o PERSEVERANCE, outros não como o OPPORTUNITY).

41-1523198692-600589895.jpg

Vislumbrando a presença de astronautas da China em Marte

(antecipando-se a russos e norte-americanos, seja público ou privado)

 

Dentro de horas ou de dias se saberá se os chineses acompanham ou não os norte-americanos (tal como na Terra, até superando-os), na especial por espacial, “Corrida em Marte”.

(imagens: cnsa.gov.cn e nexusmods.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:56

Será que Marte Aceita o Homem (talvez de volta)?

Terça-feira, 11.05.21

“Depois de todo o sacrifício físico e do isolamento mental e forçado de mais de um ano (devido à Pandemia), a Humanidade estará certamente mais preparada do que nunca, para o impacto da existência de alienígenas e até para uma viagem coletiva até Marte.”

marsexpress_cerberus_fossae.jpg

As falhas de Cerberus

(a 15°N do equador de Marte)

 

Mantendo viva ainda hoje a considerada forte possibilidade de um dia habitarmos o corpo celeste mais próximo de nós capaz de nos proporcionar tão excecional usufruto (só podendo ser para além da Lua ─ sendo apenas um satélite ─ os planetas Vénus ou Marte) e simultaneamente e tendo abandonado a Lua há mais de meio século (continuando a razão para além da invocada, a económica, a ser um mistério) continuando o Homem completamente obcecado com a conquista e colonização do planeta mais parecido com a Terra e que um dia até poderá ter partilhado um ecossistema muito semelhante ao nosso e possuindo Vida ─ o Planeta Vermelho (devido à presença de óxido de ferro) ou Marte

Encarando-se com normalidade as sucessivas mensagens encorajadoras para a prossecução de tal importantíssimo empreendimento para o futuro da Humanidade (da sua expansão e desenvolvimento), tanto vindo do setor do estado (EUA/NASA) como da iniciativa privada (ELON MUSK/SPACEX), tanto pela sua expressão teórica como prática (estudo de Marte, construção de naves espaciais): e se a iniciativa privada com a SPACEX e a BLUE ORIGIN procuram equipar-se de veículos que os façam cumprir o seus objetivos, de atingir, aterrar, instalar uma base, criar aí uma colónia e um futuro entreposto espacial (para outras viagens futuras como as Interestelares), já com a NASA e não abdicando do seu projeto próprio (de enviar igualmente astronautas a Marte) investindo para já fortemente num melhor e mais detalhado conhecimento de Marte através do envio de sondas automáticas, veículos terrestres (ROVERS) e agora até pequenos helicópteros experimentais (como o pioneiro INGENUITY).

Cerberus Fossae 04 by Themis.jpg

Região de Cerberus

(estendendo-se por mais de 50Km)

 

E (ainda) se por um lado os protótipos dos diferentes veículos espaciais vão sendo construídos e testados tendo como objetivo atingir Marte ainda esta década (faltando mesmo muita coisa para tal se concretizar, uma delas sendo as condições de segurança dos astronautas para tão longa viagem, não de dias, mas de meses), evoluindo e permitindo-nos pensar em tal hipótese (como alcançável/credível), por outro lado os cientistas não param de nos surpreender cada dia que passa descobrindo algo mais aproximando cada vez mais este planeta do nosso:

Depois de no seu passado bastante remoto (há mais de 3 biliões de anos) e além de geologicamente bastante ativo, poder tal como a Terra ter estado coberto parcialmente de água (um oceano), ter atmosfera e até possuir alguma forma de Vida (mesmo que básica) e de complementar e atualmente ainda existirem alguns depósitos de água à sua superfície (calotes polares) ou em depósitos em profundidade e pelos vistos e interiormente sinais de movimentos tectónicos/vulcânicos (indicando que geologicamente Marte ainda está vivo), com o desejo por Marte a crescer (um pouco mais) ainda por cima estando nós a passar no presente (e desde há mais de um ano) o que poderia ter sido uma Catástrofe Biológica Apocalíptica ao nível da extinção, não o sendo mas podendo vir a sê-lo (atingindo-nos antes de um eventual asteroide).

Screenshot_2021-05-11 SpaceX.jpg

Planeta Marte

(considerado o mais habitável nas proximidades da Terra)

 

Com a sonda orbital MRO a dar-nos uma ajuda de cima (observando as fraturas/e a sua idade, existentes na superfície do planeta) ─ verificando a existência de umas velhas/2biliões a 3 biliões de anos, outras novas/100 mil a 1 milhão de anos e outras mais recentes/50 mil a 200 mil anos ─ e com o módulo marciano INSIGHT uma visão do interior (equipado de um sismógrafo, registando as movimentações geológicas abaixo da superfície) mostrando-nos o “monstro” (bem lá no fundo) estar vivo. Tendo o sismógrafo da INSIGHT já registado um sismo de intensidade M3,0 e com a sonda MRO a já ter detetado material rico num mineral os piroxénios (comum de aparecer em zonas vulcânicas): um importante grupo de 21 inossilicatos de cadeia simples encontrados em múltiplas rochas ígneas e metamórficas, em muitas das quais constituem o grupo mineral dominante. (wikipedia.org)

Com cada vez mais evidências a indicarem uma possível ligação Terra/Marte, podendo um destes objetos ser a imagem do outro (dependendo do tempo, em que um poderá ter sido ou vir a ser o outro, em alternativa), aumentando por antecipação e necessidade de alguma ficção (até tecnológico-científica) a crença, de que o futuro do Homem estará com os Astronautas na Conquista dos “Oceanos” do Espaço tal como antes o fizera (com riscos mortais) com os Navegadores (entre eles portugueses) Conquistando os Oceanos da Terra: um dia tendo-se que abandonar este sistema (Solar) e esta galáxia (Via Láctea), já por si (a nossa galáxia) em rota de colisão com uma outra (galáxia de Andromeda) e indo dar origem (por fusão de ambas) a uma terceira. Utilizando uma tecnologia capaz de dobrar a luz, podendo dobrar-se o Universo fazendo-o coincidir (dois pontos distintos) e tornando desse modo as viagens instantâneas.

(imagens: ESA ─ NASA ─ SPACEX)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:31

Espaço, Oceanos e Atmosfera ─ Plástico e Poluição

Terça-feira, 20.04.21

Já tendo tocado a Lua (a mais de 384.000 Km da Terra) e prevendo dentro de alguns anos tocar Marte (hoje perto dos 289.500.000Km da Terra), o Homem já no decorrer do ano 2021 ainda é incapaz de tocar as profundezas dos oceanos: sabendo-se que o local no presente (e conhecido) com maior profundidade ─ a Depressão Challenger localizada nas profundezas do Oceano Pacífico (Fossa das Marianas) a 300Km a sudoeste de Guam ─ se fica (modestamente) nem pelos 11Km (11.994 metros).

 

bdHvHhyRQjZz34M96wz6L7-970-80.jpg

O ar que respiramos (incorporando-o, fazendo parte do nosso corpo)

a ser constantemente invadido por um nº crescente de partículas de plástico

 

Dispondo de toda uma tecnologia avançada e revolucionária criada pelo desenvolvimento científico e pela extraordinária capacidade da mente humana, mas que talvez pela conclusão de que tudo isto um dia terá um fim e dada a exploração desenfreada até agora levada a cabo (no nosso planeta) ─ destruindo a Natureza e transformando-a em matéria-prima, apenas na busca do lucro ─ não tendo qualquer hipótese de recuperação e como tal, orientando o foco futuro de investimento não para o interior (p/ a Terra) mas em direção ao exterior (p/ o Espaço).

 

Dessa forma e como consequência, em vez de tentarmos resolver os problemas internos ─ como é o caso da poluição em terra, atmosférica e oceânica ─ virando-nos para o Espaço profundo e ainda bastante desconhecido (e extremamente perigoso, até pela distância), chegando mesmo a procurar outras Terras alternativas a muitos e muitos anos-luz de distância da Terra, sendo completamente incessíveis para o Homem: dando prioridade à colocação do Homem na Lua (de novo, já lá vão mais de 50 anos) e até em Marte e descurando a observação do que comemos/bebemos e respiramos, o básico, para não termos no futuro problemas sobretudo de Saúde.

 

for_press_release-2000x1200.jpg

Uma tecnologia capaz de nos lançar em ambientes distantes e hostis

no entanto não atingindo na Terra uns míseros 11Km de profundidade

 

E aí, depois da poluição da terra e do mar, chamando-nos à atenção a poluição atmosférica e nela de um outro (grande) problema adicional ─ a proliferação dos plásticos em pequeníssimas partículas no ar que todos os dias respiramos: e se antes afirmávamos que “somos o que comemos” agora também podemos acrescentar que também “somos o que respiramos”. Se pelo lado da Exploração Espacial os recursos financeiros parecem ser imensos, envolvendo não só as agências espaciais do estado como até as da iniciativa privada (veja-se o caso dos EUA, com os privados como a SpaceX a utilizarem verbas do estado ─ em biliões de dólares ─ anteriormente destinadas para a NASA), não sendo pelas verbas dispensadas à preservação do nosso Ecossistema e nele incluindo os humanos (uma miséria, se comparada), que os Estados irão à falência: por exemplo em terra, no mar e no ar “controlando os plásticos”.

 

Segundo um estudo da NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica, norte-americana) com milhares de toneladas de micro plástico circulando na atmosfera, fazendo diariamente parte (a cada microssegundo que passa) do ar que todos nós respiramos: plástico entrando já na nossa cadeia alimentar, até nas garrafas de água que consumimos vindos da própria cápsula (de plástico, ao rodar/abrir largando igualmente partículas para o eu interior). E respirando-se agora um “ar plastificado” tendo-se forçosamente de esperar, consequências negativas (para a saúde) ─ como se já não bastasse até pela camada (protetora) de ozono, o mal provocado pelos aerossóis: destruindo essa camada (daí o aparecimento de “buracos”, felizmente e para já, recuperando) tendo como uma das suas importantíssimas funções a de proteger a Vida da ação dos raios ultravioleta. E passando por ela todos os raios/radiações esterilizando o planeta.

 

(imagens: livescience.com ─ universetoday.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:35

As Poeiras como origem do Homem

Sábado, 10.04.21

Em dois estudos publicados em sciencedaily.com (um de 2 de abril, outro de 8 de abril) focando o mesmo tema ─ as “poeiras do Espaço” ─ a indicação de que poderemos ter a nossa origem (do Homem) nessas mesmas partículas (movimentando-se no Espaço) e de que as mesmas continuam (continuando pelos vistos a cumprir a sua função) a atingir-nos:

 

210402141742_1_900x600.jpg

Tabela Periódica

 

Com o Carbono a fazer uma viagem Interestelar até atingir a Terra, transformando passados milhões e milhões de anos uma esfera inicialmente “efervescente”, num extraordinário Ponto-Azul pleno de Movimento e de Vida ─ contribuindo como fator inicial, para o aparecimento da mesma (Vida) ─ num processo posteriormente alimentado por outras partículas ou “poeiras espaciais” resultantes da passagem de cometas e de asteroides (nas proximidades da Terra), acabando algumas delas por se atravessarem no nosso caminho e nos atingir. Tal como com o “Ciclo da Água” com o “Ciclo da Poeira” mantendo-se a Vida. Colocando-se de novo a questão de qual o fator primordial para se dar o arranque da Vida (tal como a conhecemos), sendo o Homem basicamente composto por Água (H₂O), outros elementos (como Carbono) e outras substâncias minerais (cálcio, fósforo, etc.), mas não sendo uma água engarrafada gaseificada, mas um ser orgânico, biológico, consciente, mexendo-se e estando vivo: em termos simplistas e tendo-se noção da distância existente entre uma estrutura como a da Terra (no conjunto não se vendo, como se não existisse) e a do Universo (tão grande, esmagador, sem dimensões, e que incapazes de o compreender, definimos como Infinito) ─ ele próprio fazendo parte de um conjunto ainda mais vasto o Multiverso ─ e ao mesmo tempo questionando-nos sobre o que será a “Alma” e sobre a sua existência (e finalidade), confrontando-nos com uma dúvida sobre se será mesmo o “Mundo Orgânico” a nossa origem/destino ou se não será (em sua substituição e como o original) o ainda predominante “Mundo Mineral”.

 

210408131503_1_900x600.jpg

Chuva de Meteoros

 

Sabendo-se que à nossa volta (no Espaço exterior) assim como debaixo dos nossos pés (com sismos, erupções, deslocamento de placas, etc.), as rochas são poderosas e até (se quiserem/se calhar, qual a diferença?) nos esmagam: e se ainda acreditamos na existência da Alma (o nosso único passaporte, podendo-nos proporcionar uma viagem, para outros lugares), talvez seja porque o nosso Universo considerando-se em si como um “Organismo Vivo” também terá uma Alma, a sua (dando-lhe possibilidade de comunicar, de se transportar, de se poder replicar noutro lugar/nem que o faça num Mundo Paralelo, descortinando o ponto de interseção e comum entre eles, depois sendo apenas “saltar” e ver-se do outro lado da projeção/do holograma) ─ não se vendo como a nossa mas existindo ─ a “Alma Eletromagnética” ─ unindo e separando Mundos, transformando-os (para ele, par nós) mas nunca se perdendo. E a Terra só “funcionando” (existindo) dada a presença no seu interior (centro) de um dínamo-gigante alimentado pelo Sol. E da Matéria e da Energia (e apenas existindo, sem princípio nem fim, tendo-se apenas que se proporcionar o momento ─ originários como somos do mesmo molde, facilmente podendo ser atualizados) se fazendo tudo o que existe. Mas e como sempre suspeitamos (mas por despeito nunca afirmamos) num enlace fortuito e extraordinário (digamos que, acontecendo de cem em cem anos), podendo a nossa mente dar outro “Salto” e de repente estando-se noutro Mundo (noutra Galáxia, ou Universo, ou num Mundo com parâmetros diferentes “espirituais-eletromagnéticos”). Talvez nesta grande bolha (integrando bolhas de nível superior) só existamos mesmo nós (daqui até ao infinito) e para se conhecer mais alguém, tendo-se de arranjar uma forma de a conseguir rebentar e daí, começando-se (a II Grande Viagem de Circunavegação) logo a avistar.

 

(imagens: vchalup/Paulista/stock.adobe.com/sciencedaily.com)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 02:47