Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

03
Mai 17

Nos próximos dias 5 e 6 de Maio (sexta-feira e sábado) a Terra vai ser novamente bombardeada com fragmentos oriundos do cometa Halley: e se olhar para o céu durante a madrugada e nas horas antecedendo o nascer-do-sol, talvez veja uma dessas bombas a atravessar o céu e logo de imediato a desaparecer: terá visto mais uma Estrela Cadente.

118533main_AC86-0720-2 b.jpg

O cometa Halley aquando da sua última passagem nas proximidades da Terra

(ano de 1986)

 

Todos os anos entre os meados do mês de Abril e o fim do mês de Maio (com o pico a apontar para 5/6 de Maio), a Terra é invadida por uma vaga de objetos de pequenas dimensões, que ao entrarem na atmosfera terrestre e devido à reação provocada pelo atrito desse nosso manto protetor (a tal atmosfera), explodem e desintegram-se originando um breve mas intenso efeito luminoso.

 

Denominados como meteoros ou estrelas cadentes e neste caso estando associados à Chuva de Meteoros de ETA AQUARID ‒ pois sempre que por esta altura se visionam os primeiros destes pequenos objetos, estes parecem surgir nas proximidades dessa estrela pertencente à constelação AQUARIS.

 

skymap_north2014.gif

Para onde deve olhar para ver a Chuva de Meteoritos

(Hemisfério Norte)

 

Uma estrela localizada a 156 anos-luz do nosso planeta (sendo 44 X mais brilhante que o nosso Sol) e cujo único papel nesta situação será o de orientação e localização astronómica (deste fenómeno): com esta chuva de estrelas a ser o resultado da passagem do cometa HALLEY numa região agora atravessada pela Terra e com as mesmas (estrelas cadentes) a consistirem num conjunto de poeiras e de detritos deixados para trás a quando da passagem do mesmo e agora intersetando a órbita da Terra e colidindo com a nossa atmosfera.

 

Solar.gif

A posição atual do cometa Halley no Sistema Solar

(Maio de 2017)

 

Com a última visita deste cometa nas proximidades da Terra a referir-se há já mais de 30 anos atrás (1986) e no entanto, apesar do mesmo se situar de momento já para além da órbita de Úrano mas dada a grande quantidade de material largado atrás de si (compondo a sua extensa cauda), todos os anos afetando o nosso planeta por esta altura (sendo a outra altura por volta de Outubro já que a Terra atravessa essa região duas vezes por ano ‒ originando a Chuva de Meteoros das Oriónidas).

 

Com os residentes do Hemisfério Sul a serem os mais privilegiados com a observação deste fenómeno, já que é esperado o registo de 60 meteoros/hora neste hemisfério e apenas 30 meteoros/hora no Hemisfério Norte. De preferência a ser observado horas antes do nascer-do-Sol e simultaneamente esperando ter céu limpo. Neste preciso momento com o cometa Halley (período de cerca de 76 anos) localizado a cerca de 34.5 UA da Terra (sensivelmente o mesmo do Sol), continuando a afastar-se de nós ‒ passando por cá de novo lá para 2072.

 

(imagens: nasa.gov, spaceweather.com e fourmilab.ch)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:43

Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


18
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO