Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

27
Mar 20

Amanhã tratando os seus cidadãos como se fossem iranianos.

(tal como o já fazem e pratica para com todos aqueles

− Sendo chineses ou não –

para o povo identificados como os “olhos em bico”)

 

bf319c6b-3b3d-4abd-b0f1-a7e30bb9d593-GTY_121452786

The coronavirus test that wasn’t

How federal health officials misled state scientists

and derailed the best chance at containment

(Brett Murphy and Letitia Stein/27.03.2020/USA TODAY)

 

“Under growing pressure to ease up on states

sufffering from the coronavirus,

the US has once again gone the opposite way on Iran,

announcing yet another new round of sanctions

against them on Thursday.”

(Jason Ditz/26.03.2020/news.antiwar.com)

 

Pensando” em nós (o Resto do Mundo) tal e qual como “pensam” neles (perceba-se, nos seus cidadãos) − veja-se o que se está a passar neste preciso momento nos EUA (ultrapassando já os 85.000 infetados), com Nova Iorque a ser o novo Epicentro Global em casos confirmados de Covid-19 e em todo o país, com o número de desempregados a ultrapassar já (repentinamente e sempre em crescendo) os 3 milhões de trabalhadores – com a autoproclamada maior potência Mundial e exemplo a seguir por todo o Mundo (sejam eles Republicanos ou Democratas, as duas faces da mesma moeda) tentando manter a sua imagem de Supremacia Global (infelizmente só Militar) e manter no seu lugar o “Bloco China/Rússia”, mais uma vez virando-se para os mais fracos ainda-por-cima (depois de múltiplas e asfixiantes sansões, contribuindo face à epidemia para o agravamento da saúde de todos os iranianos, a favor ou contra o regime) já abandonados e entregues livremente (e deliberadamente) aos Efeitos desta Pandemia (com as sansões a aplicarem-se mesmo na área da Saúde) reforça ainda mais as sansões ao Irão, como se os seus mais de 30.000 infetados, mais de 2.000 vítimas mortais e quase 3.000 em estado crítico ou grave, nada representassem (com o Complexo Industrial-Militar sempre ativo mesmo em plena crise pandémica no interior dos próprios estados constituindo os EUA, com os seus soldados a serem crescentemente infetados e provavelmente com muitos deles já tendo morrido anteriormente, mas como se tivessem sofrido, não de “resfriadinho” como o afirma o louco e criminoso Bolsonaro, mas de uma “gripe” bem, bem mais grave):

 

MTcxNDEwNzM3NjQ0NzA5ODcw.jpg

COVID-19 has taken an entire aircraft carrier out of commission

The aircraft carrier USS Theodore Roosevelt (CVN 71) and the guided-missile cruiser USS Bunker Hill (CG 52) transit the Philippine Sea March 18, 2020

(David Roza/taskandpurpose.com)

 

“US announces new sanctions against Iran despite coronavirus crisis”

Washington issues blacklist despite

pleas from some Democrats and world powers

to ease measures

(26.03.2020/middleeasteye.net/news.antiwar.com)

 

E a meses de umas eleições que escolherão o próximo dirigente da Maior Potência Militar do Mundo − entre um candidato como o Republicano “Rei dos Negócios Donald Trump” e um outro Democrata parecendo já “Meio Choné como Joe Biden”, ambos septuagenários e estando no grupo etário de risco, tendo de se manter vivos até lá (mais sete meses até novembro e com Biden já protegido no seu Bunker) – com os EUA já na liderança dos Infetados, ultrapassados já os 1.000 mortos e para lá dos mais de 2.000 em estado grave/crítico, correndo-se o risco de face ao alastrar a grande velocidade desta Pandemia no interior do seu próprio território, os Militares (dando-lhes liberdade total de ação tal como o fazem e praticam no exterior) intervenham decididamente e em força, e face ao caos e ao desespero crescente comecem a atuar da mesma forma como se estivessem no exterior das suas fronteiras: levando a guerra até às portas das casas dos norte-americanos.

 

(imagens: USATODAY/usatoday.com

− Navy photo/Mass Communication Specialist 3rd Class Brandon Richardson/taskandpurpose.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:36

13
Mar 20

Enquanto por todo o planeta o surto epidémico do novo coronavírus (COVID-19) prossegue o seu caminho − de expansão (conquista de território), intrusão (procura de hospedeiro), infeção (colonização do recetor), reprodução (reforço do contingente) e evolução (adaptação/metamorfose) 

 

pandemic-coronavirus-facemask-590d38a1c1bb2835694d

Em Espanha colocando uma máscara médica de proteção numa figura

após o cancelamento de um festival em Valência

causado pela pandemia de covid-19

 

No presente (13.03.2020/13:00/Lisboa) com os números globais a apontarem para mais de 135.000 contaminados, quase 5.000 vítimas mortais (taxa de mortalidade = 3,7%) e a caminho dos 70.000 recuperados (taxa de recuperados = 51,4%), o futuro deste surto (epidémico e mortal) afetando já 120 países (de todos os continentes) e agora finalmente promovido pela WHO (Organização Mundial de Saúde) a PANDEMIA, devido aos diversos fatores envolvidos (internos e externos, de cada país/povo/cultura/região) e às diferentes fases em que o mesmo processo se encontra (tendo-se iniciado aparentemente na China, a partir daí alastrando para todo o Mundo e por desenvolvimento do processo, atingindo a Europa e os EUA) ainda continua bastante incerto:

 

Na China (em principio o epicentro da crise) com o surto a parecer estabilizar podendo estar mesmo a abrandar (com reservas e numa 2ª hipótese, depois da 1ª ter falhado) − como parecem indicar os recentes dados económicos, estando a evoluir favoravelmente e em subida, acompanhando a descida dos casos de infeção/vítimas mortais sendo relatados (atingindo o nº de vítimas mortais um único digito/dia – ontem apenas c/ 8 mortos declarados  já tendo sido, dezenas/centenas/milhares, uma boa notícia para o Resto do Mundo sabendo-se 1/3 dele depender da China) – sendo acompanhada nesse caminho (de aparente regressão da ação do vírus) pela Coreia do Sul (ontem 5 mortes declaradas) com uma mortalidade inferior a 1% (neste grupo podendo incluir-se Macau até como um caso exemplar, com apenas 10 casos confirmados e dez casos recuperados, 100% de eficácia), mas por outro lado e contra todas as expetativas, previsões e negativamente, dado estarmos perante as sociedades mais desenvolvidas, organizadas e ricas do planeta (localizadas no Hemisfério Norte Ocidental), com a EUROPA (ITÁLIA à cabeça) perante a chegada do COVID-19 a paralisar, a deixar-se levar, a literalmente não saber bem o que fazer (perante a chegada da onda invisível e mortal deste vírus), refletindo de imediato a sua inação na explosão imediata e rápida dos números agora sendo inevitável e infelizmente repercutidos e replicados (tendo optado pela mesma estratégia de, “não quere ver, para não alarmar”) do outro lado do oceano (Atlântico), na Terra dos Excecionais (com a esmagadora maioria do seu povo não tendo acesso a testes e nem existindo perspetivas de vacina a curto-prazo), na Terra das Oportunidades (pelos vistos até para os vírus), na Terra do Amigo Americano (ontem virando as costas aos seus fieis Aliados Europeus, exceção feita ao reino Unido), nos EUA.

 

Para já não falar da vergonha sobre o que se passa no IRÃO, sem que ninguém diga nada para além do supérfluo, não passe da intervenção e atitude mais  hipócrita −  transformando a sua ação (só para cumprir serviço) numa mera e deliberada inutilidade  − e até com a UN (como sempre e mesmo com um Secretário-Geral português e contribuindo para o crime) a assobiar para o lado:

 

Irão com mais de 11.000 casos de infeção declarados e mais de 500 mortos registados (taxa de mortalidade < 5%) num cenário não sendo pior dado os seus mais de 3.500 recuperados (mas ainda com mais de 7.000 casos ativos).

 

top.jpg

Ao pedido desesperado de auxílio – equipamento/pessoal especializado – por parte da Itália na luta contra a pandemia (tendo já provocado mais de mil mortos) c/ a Alemanha (tal como outros países europeus) a recusarem e c/ os chineses a oferecerem-se e já lá estando

 

Mas para nós Europeus (e portugueses) sendo mais relevante o se passa por cá − na EUROPA – assim e como dizendo-nos Ocidentais e sendo os nossos Aliados (preferenciais e de sempre) os EUA:

 

Na Europa saber o que se passa no seu epicentro (Itália) e nos países em seu redor (como na Alemanha, na Itália, na França e na Espanha, a caminho de Portugal) e nos EUA (para além da luta política EUA/CHINA, cada um acusando o outro por ser o criador da epidemia/pandemia – um dizendo ser o outro o seu criador mesmo que inadvertidamente e assim contaminando todo o Mundo, o outro dizendo terem sido as tropas dos EUA estacionados na Ásia a transportá-lo para a partir daí contaminando-se, contaminando outros) o que se passa verdadeiramente com o surto aí já em curso e se por acaso o mesmo já não se terá manifestado antes (em território dos EUA) sendo catalogado e arquivado (“escondido/camuflado”) como sendo a variante Influenza (dada a expressão deste vírus − em vítimas mortais − podendo-se estar a falar de milhares, nunca indo ser contabilizados).

 

Na EUROPA com os países com o maior número de mortes declaradas a serem a ITÁLIA (1.016) − uma brutalidade (taxa de mortalidade = 7%) − a ESPANHA (120), a FRANÇA (61), os UK (10), a ALEMANHA (7), a SUÍÇA (7), a HOLANDA (5) e SAN MARINO (5) e nos EUA com o número de mortes (nesta contagem) a atingir as 41.

 

Com o número de recuperados a nível global a ultrapassar já os 70.000 e com o número de mortos ultrapassando os 5.000, significando que por cada vítima mortal registada salvando-se 14 pessoas (em cada 15 morrendo 1).

 

E com a situação em Portugal a atingir os 112 casos confirmados (34 casos novos), sendo que 111 estando ativos e 1 já tendo recuperado:

 

Do total de 112 casos reportados (1 recuperado) noticiando-se 1 em estado grave, com a região mais afetada (entre os 111 restantes) a ser a do  Porto (53 casos/47,8%), seguida da de Lisboa (46 casos/41,4%), de Coimbra (6 casos/5,4%) e de Faro (6 casos/5,4%). Certamente proporcionando um mau cenário presente e futuro para a Indústria Hoteleira Portuguesa, para já não tanto no Algarve ,mas o mesmo não se podendo afirmar para o Porto e para Lisboa (pelo maior nº de contágios confirmados, com quedas mais acentuadas).

 

E hoje começando-se uma nova etapa da luta contra o COVID-19 em Portugal, esperando-se não ter sido tarde e continuar a janela ainda aberta:

 

E com todos aqueles que tendo responsabilidades e negando a evidência (não a contabilística) querendo retardar tudo criando por cá uma nova Itália − pondo em perigo de vida jovens e idosos − devendo ser obrigatoriamente colocados até para sua consciencialização na fila da frente de combate (por exemplo como máscaras, não “bico-de-pato”, mas “bico-de-homem”).

 

graça-freitas-marta-temido.jpg

Tentando aproveitar uma possível abertura ainda existente na “Janela de Oportunidade” e declarado finalmente o “Estado de Alerta”, c/ os nossos governantes entre a opção de Macau (aproveitando a experiência chinesa) e a de Itália (não prevenindo e remediando, atrasando, c/ os resultados que se vêm) felizmente escolhendo a primeira

 

Com a ANMSP na sua última comunicação (hoje 13 de março) a indicar para Portugal 5.674 casos em vigilância, 1.308 casos suspeitos, 112 casos confirmados, 108 doentes internados e nenhum em cuidados intensivos (a worldometers.info indicando 1) como zero mortes registadas.

 

Num momento e num Mundo onde todos deviam ajudar e ser solidários e no entanto, com os EUA colocando-se de lado (como se nada tivessem a ver com o assunto, sendo apenas as únicas vítimas e cortando desde logo as ligações com os infetados) e até com a Alemanha a virar as costas fazendo um manguito aos seus vizinhos (à aflitíssima Itália, prometendo “não esquecer” a atitude) − recusando a dispensa (urgente) de equipamento e de pessoal de saúde em falta (dizendo necessário para si) felizmente tendo chegado graças à ajuda da China (em máscaras, outros equipamentos e até profissionais de saúde).

 

Com todo o Mundo ansiando pelo pico (máximo de atividade do vírus) para a partir daí ser sempre a descer e se planear o que aí virá e o que haverá a fazer (para após esta crise na Saúde evitarmos uma outra, mas agora, Económica).

 

(imagens: Alberto Saiz/AP/npr.org − yicaiglobal.com − jornaldoluxemburgo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:16

11
Mar 20

A 3 de novembro de 2020 decidindo-se qual o novo Presidente dos EUA, entre o Democrata BIDEN e o Republicano TRUMP (mesmo havendo outros candidatos) salvo se algo ocorrer antes (Biden 78 anos de idade e Trump 74 anos de idade à data das eleições – e  já agora Sanders com 79).

 

hqdefault.jpg

Presidenciais EUA 2020

Candidato DEM BIDEN vs. Candidato REP TRUMP

3 novembro 2020

 

Iniciadas as primárias Democratas a 3 de fevereiro − com o Caucus do Iowa − e concluída a Mini Terça-Feira de 10 de março (ao 37º dia), atribuídos os 1.864 delegados em disputa  de um total de 3.979 (não incluindo os 771 Superdelegdos totalizando 4.750) − ou seja, 47% dos Delegados (quase metade) – e dado o cenário criado (proporcionado ao candidato oficial),

 

Com os resultados até agora anunciados a apontarem desde já e inequivocamente para o candidato vencedor para a nomeação Democrata, como seu representante para a eleição do próximo presidente dos EUA (eleições presidenciais a realizarem-se a 3 de novembro de 2020):

 

Não contando para nada a extremista Tulsi Gabbard (tal como Sanders apelidada por Hillary Clinton e sendo apoiada pelo DNC, de traidora, comunista e representante de Putin), com o moderado JOE BIDEN a distanciar-se claramente e cada vez mais do igualmente extremista Bernie Sanders.

 

C

DE

%

Joe Biden

823

44,2

Bernie sanders

663

35,6

Tulsi Gabbard

2

0,1

(outros)

163

8,7

(p/ atribuir)

213

11,4

Total

1.864 (de 3.979)

100,0

Delegados Eleitos

(C: Candidato DE: Delegados Eleitos)

11.03.2020 − 12:30

 

Assim ao 37º dia e com praticamente 50% dos delegados eleitos (nem sequer valendo a pena falar dos famosos 771 SUPERDELEGADOS esmagadora e como sempre apoiando o candidato do sistema, oficial) com JOE BIDEN podendo desde já declarar-se como candidato DEM à presidência dos EUA, tendo como seu adversário o atual Presidente concorrendo a um 2º mandato e atualmente sendo o favorito (apesar das sondagens) − seja o seu adversário Biden ou Sanders – o REP DONALD TRUMP.

 

E se Bernie Sanders ainda tiver dúvidas (com o seu caminho de novo armadilhado, antes favorecendo Hillary/2016 agora favorecendo Biden/2020) até 17 de março (com mais 5 votações e distribuídos mais 583 delegados) e aí com 62% dos delegados entregues ficará certamente esclarecido.

 

Hipótese

Embate

Resultado

A

D

BIDEN vs. TRUMP

48%/52%

53%/43%

SANDERS vs. TRUMP

51%/49%

52%/45%

Dados DEM vs. REP

A: Antes/Emerson 16.02 a 18.02 e D: Depois/CNN 03.03 a 03.07)

(A/D: Antes do assassinato/suicídio de Sanders/Depois do assassinato/suicídio de Sanders)

 

Mais uma vez e desmentindo a participação livre dos seus eleitores, manipulando-os, com a elite DEM e com o DNC a escolherem o seu candidato, faltando apenas saber quais serão as consequências (de tal ato, de novo replicado), o resultado disto tudo recordando 2016 e de tudo o que se passou (ou não, com os DEM obcecados por Trump, nada propondo aos seus cidadãos e eleitores) até cá.

 

(imagem: Let's Talk Elections/youtube.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:45

10
Mar 20

O Bombardeamento de Tóquio e a Operação Meetinghouse

 

[Bombardeamentos de Hiroshima e de Nagasaqui (utilizando bombas atómicas) em agosto/1945 e  bombardeamento de Tóquio (utilizando bombas incendiárias) em março/1945. Todas ocorridas já lá vão 75 anos, num total podendo atingir (em 3 bombardeamentos dos EUA levados a cabo no Japão) mais de 300.000 mortos.]

 

qncxs3z.jpg

Bombardeiros B-29 bombardeando Tóquio

Entre 9 e 10 de março de 1945 e tendo como alvo Tóquio, dando-se o ataque aéreo mais mortal da WW2: logo ali ficando 100.000 mortos e na prossecução dos bombardeamentos ainda outro tanto (total 200.000)

 

Relembrando que tal como a História está em constante movimento num processo natural de interpretação e compreensão pelo Homem de tudo aquilo que o lá coloca e identifica dando-lhe forma e conteúdo necessário parra a sua evolução, também teremos que entender e com a nossa pratica e experiencia de interiorizar que, para além de sermos antropocentristas e julgarmos que o Mundo existe apenas porque nós existimos, especialmente desde que com o Evento do surpreendente advento cientifico-tecnológico este nos envolveu e penetrou infelizmente derivando para uma mera interpretação contabilística de mercado, no presente tal como nos últimos cinquenta anos se tem verificado cada vez com mais intensidade – com o tempo vai-se perdendo a nossa memória, se não a cultivarmos nosso espaço − colocámos a memória e a cultura em questão tornando-nos estrategicamente seletivos: e de contadores de histórias oriundos de todo o mundo (muitos deles reais, muitos deles imaginários), passando a historiadores bem localizados e certificados, normalizados conforme os interesses do seu sistema (falsamente representando o coletivo) de origem. Daí uma das estratégias mais simples utilizada diariamente pelo sistema implantado nas nossas Sociedades, sendo o de face à velocidade a que temos agora de viver num espaço por vezes extremamente concentrado e limitado, disponibilizando poucas alternativas em optar por outros caminhos e atividades (por vezes nem nos dando tempo para nos reproduzirmos com relativa tranquilidade), apenas nos deixarmos levar e esquecermos entregando à memória de “outros” essa função (e aceitando-se docilmente essa lobotomia como se estivéssemos sob o efeito de droga).

 

50624246.jpg

Com Bombas de Fragmentação e Incendiárias

Descarregada em cargas sucessivas e maciças deixando tudo carbonizado e fumegante entre corpos e edifícios, numa área esmagadoramente civil e reduzindo a nada 25/30Km² da área urbana de Tóquio

 

No dia 6 de agosto de 1945 (de facto já a WW2 resolvida com a vitória dos Aliados) com os EUA a largarem a bomba atómica “Little Boy” sobre a cidade japonesa de Hiroshima originando entre 130.000, 150.000 ou mesmo 200.000 vítimas mortais (até 146.000, segundo a wikipédia) – “talvez mesmo umas 200.000 mortes numa cidade não superando os 350.000 habitantes para de seguida (ponto-de-rastos os civis japoneses) no dia 9 de agosto de 1945 (passados apenas 3 dias, sem tempo de reação para além da estupefação japonesa) largarem agora uma outra bomba atómica a “Fat Boy” sobre  outra cidade japonesa agora Nagsaqui e aí provocando quase outra centena de milhar de vítimas mortais (até 80.000 segundo a Wikipédia) – no mínimo os tais 80.000 numa cidade de nem 270.000 habitantes. E assim num Universo de 620.000 podendo ter vitimado mortalmente até 280.000 (uns 45%). Todos nos lembrando disso − das Bombas Atómicas de Hiroshima e de Nagasaqui  − pois integrando a maioria manuais de História e ainda hoje pelo tema − o NUCLEAR − sendo ainda uma preocupação Mundial (ou não tivessem os EUA provocado uma das maiores e mais concentradas carnificinas de que há memória). No entanto em 1945 dando-se um outro grande evento, anterior aos Rapazes Nucleares, o Pequeno e o Gordo  − a 9/10 de março de 1045: “O ataque aéreo Operação Meetinghouse, entre 9 e 10 de março 1945, é considerado como o mais destrutivo da história (wikipedia.org), também conhecido como o “Bombardeamento de Tóquio”. Faz agora 75 anos.

 

tokyo-bomb-damage-remains.jpg

Tóquio depois da Operação Meetinghouse

Destruindo centenas de milhares de edifícios, matando centena de milhares de pessoas, terraplanando uma área de quase 30Km² e comparativamente mais mortal que sob um evento nuclear

 

Bombardeamento de Tóquio que teve o seu apogeu com a “Operação Meetinghouse (março 1945) – numa nova etapa da WW2 envolvendo forças militares japonesas e norte-americanas, iniciada após o ataque surpresa (para os militares dos EUA) de Pearl Harbour (para os norte-americanos um ataque traiçoeiro e cobarde) em 7 de dezembro de 1941 e numa campanha inaugurada em abril de 1942 com o "Ataque Doolittle" – com mais de três centenas de bombardeiros B-29 a despejarem sobre a cidade de Tóquio múltiplas bombas de fragmentação, libertando cada uma delas quase quatro dezenas de bombas incendiárias, caindo sobre a cidade e como se a mesma fosse atravessada por uma “onda-de-fogo” queimando tudo em que tocava (ao cair), reduzindo tudo a escombros e matando logo ali mais de 100.000 indivíduos: transformando o bombardeamento de Tóquio com Bombas Incendiárias o mais mortal levado a cabo no período da WW2, ultrapassando mesmo os efeitos das Bombas Atómicas de Hiroshima e Nagasaqui (na destruição material/270.000 edifícios destruídos, nas pessoas sem abrigo/cerca de um milhão e no número de vítimas mortais/mais de cem milhares com a continuação dos bombardeamentos tendo chegado ao dobro). Alguém se lembra? Faz 75 anos por estes dias.

 

Com os japoneses a renderem-se a 15 de agosto de 1945.

 

(imagens: thevintagenews.com e ocaisdamemoria.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:46

[Com o navio de cruzeiro “Grand Princess” depois de vários dias navegando ao largo da costa da Califórnia (o outro cruzeiro mais falado e nas mesmas condições sendo o Diamond Princess navegando ao largo do Japão) e com 2.400 pessoas a bordo (de mais de 50 países) − e devido à pressão crescente nos EUA, obrigando Trump e a sua equipa a agir, sob a direção do seu VP Mike Pence − a finalmente ser autorizado pelo governo norte-americano a atracar esta segunda-feira (março, 9) no porto de Oakland: com pelo menos 21 passageiros a bordo infetados pelo covid-19 (nem 1%).]

 

afdc8f47d26753ba21a6ee1c8b2c12b7.jpg

Cruzeiro Grand Princess atracado em Oakland

 

No momento (09.03.2020 pelas 22:45 Lisboa) em que o COVID-19 atinge a nível GLOBAL os 113.584 infetados – com 3.996 vítimas mortais (3,5%) e 62.496 recuperados (54,9%) – e em que nos EUA o nº de infetados é já de 607 – com 22 vítimas mortais (3,6%) e 7 recuperados (1,2%) – a preocupação no presente reside mais nos surtos epidémicos centrados na ITÁLIA (e estendendo-se por toda a Europa incluindo a Ocidental, onde se situa Portugal), na Coreia do Sul e no Irão (sob sansões totais dos EUA): respetivamente com 9.172 infetados/463 vítimas mortais (5,0%), 7.478 infetados/53 vítimas mortais (0,7%) e 7.161 infetados/237 vítimas mortais (3,3%). Com todos os continentes da Terra a já terem casos de infetados exceção feita e que se saiba ao Árico e à Antártida: atingindo 111 países um deles sendo Portugal (mantendo-se com os seus cerca de 30 casos ativos) e com os nossos vizinhos Europeus a serem bastante atingidos – para além da Itália (liderando de longe a tabela), surgindo ainda (seguindo em direção ao nosso país) na Alemanha (1.176 infetados/2 mortos/mortalidade 0,2%), na França (1.209 infetados/19 mortos/mortalidade 1,6) e na Espanha (1.073 infetados/28 mortos/mortalidade 2,6%). Com a Alemanha a registar as duas primeiras vítimas mortais (até ontem e apesar de mais de mil infetados, a zero), com Chipre a ser o último membro da EU (27 membros) a registar esta infeção (surgindo hoje o seu 1º caso) e se por um lado sendo possível o surto epidémico poder estar a estabilizar na China, no nosso continente – na EUROPA − estando para já a evoluir em sentido contrário.

 

ffd1f3acaf9be5675d4622c4660e37ac.jpg

O Homem  ao dispor do novo coronavírus Covid-19

 

E nos EUA o que se passará de verdade (para além do atrás mencionado)? No site governamental norte-americano  CDC (Centers for Disease Control and Prevention) com o mesmo pelas 16:00 desta segunda-feira (9 de março) a apontar para 423 infetados e 19 vítimas mortais em 35 dos estados norte-americanos (70%): com 72 infetados relacionados com viagens (17%), 29 contágio de pessoa-a-pessoa (7%) e 322 ainda indeterminados (76%) e com os estados mais atingidos a serem (mais de 10 casos) o de WASHINGTON (136 casos), da CALIFÓRNIA (110 casos), de NOVA IORQUE (40 caos) e de MASSACHUSETTS (28 casos). Aumentando a taxa de mortalidade e concentrando-se esta, no período de 20.02 até 06.03 numa média próxima dos 7 casos por dia. Mas será mesmo assim? Agora que a WHO (Organização Mundial de Saúde) vendo-se perante 111 países (a caminho dos 60%) dos 193 membros da UN e integrando todos os continentes da Terra, já  infetados, começa a sugerir estarmos apenas a um passo da PANDEMIA. E infelizmente (tarde de mais?) quando este novo coronavírus já deve estar instalado há várias semanas no interior do território dos EUA, travestido provavelmente como o vírus Influenza (gripe) e passando assim despercebido (as mortes podendo já ser devidas não ao influenza mas ao Covid-19) até para não causar alarmismo (entre os pobres, desprovidos de tudo): sabendo-se que os norte-americanos não existem apenas no interior dos EUA estando espalhados um pouco por todo o Mundo, não só como civis mas em muito maior número (milhares e mais milhares) como militares (em bases norte-americanas sediadas em todos os Continentes) − e conhecendo-se quem são e como são tratados (os seus soldados) daí se podendo tirar conclusões. Por exemplo tendo estado na Coreia do Sul e cumprido o serviço, regressado com uma simples “constipação” ao seu país, ao seio da sua família: na América e sem dinheiro tudo de mau sendo possível.

 

(imagens: yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:00

09
Mar 20

Nesta MINI TERÇA-FEIRA 10 de março SANDERS saberá em definitivo

– Tantos os ex-candidatos em correria

para serem os primeiros a apoiarem BIDEN –

Se ainda é na realidade candidato.

 

Barack-Obama-and-Joe-Biden-Election-Campaign-Poste

Barack Obama and Joe Biden Election Campaign Poster

(em freakingnews.com)

 

Ponto de situação (valores aproximados) das primárias DEMOCRATAS (DEM) e REPUBLICANAS (REP), destinadas à escolha dos candidatos (pelos respetivos partidos) à nomeação para as Eleições Presidenciais EUA 2020 (a realizarem-se a 3 de novembro de 2020).

 

Convenção DEM

1.499 dos 4.750

(3979+771)

biden1000.jpg

J.B.

Na liderança com mais de 45%

C

 

DE

%

SD

%

TD

T%

Joe

Biden

664

44,3

125

49,6

789

45,1

Bernie

Sanders

573

38,2

25

9,9

598

34,1

Tulsi

Gabbard

2

0,1

1

0,4

3

0,2

(Outros)

 

158

10,6

101

40,1

259

14,8

Por

atribuir

102

6,8

0

0,0

102

5,8

Total

 

1.499

100,0

252

100,0

1.751

100,0

37% dos Delegados à Convenção Democrática atribuídos

(C : Candidato DE : Delegados Eleitos SD : Super delegados

TD: Total Delegados T%: Total em %)

 

Após a corrida de vários candidatos DEM agora desistindo e apoiando esmagadoramente JOE BIDEN (apenas Elisabeth Warren ainda não se tendo decidido entre apoiar Biden ou Sanders), c/ o candidato oficial DEM e apoiado pelo DNC (referido como democrata-moderado) a parecer distanciar-se definitivamente do candidato rebelde (referido como socialista-comunista): c/ 1.751 delegados já atribuídos e incluindo já os SUPERDELEGADOS, c/ a verdadeira distância BIDEN/SNDERS a cifrar-se já em 191 DELEGADOS ou seja, 11% (aproximadamente) −  perspetivando-se à distância uma vitória de JOE BIDEN tal como há quatro anos sucedeu (c/ Hillary Clinton), aí c/ o candidato oficial DEM/DNC a vencer as Primárias mas perdendo de seguida (e surpreendentemente) as Presidenciais 2016.

 

Convenção REP

1.024 dos 2.550

(2.443+107)

f_dc_trump_protest_160311.nbcnews-ux-1080-600.jpg

D.T.

Na liderança com quase 100%

C

D

%

Donald Trump

1.023

99,9

Bill Weld

1

0,1

Joe Walsh

0

0,0

(Outros)

0

0,0

Por atribuir

0

0,0

Total

1.024

100,0

40% dos Delegados à Convenção Republicana atribuídos

 

Por acaso p/ Donald Trump agora candidatando-se a um segundo mandato − à sua reeleição (quem diria) e de momento sendo o favorito (nas sondagens, seja qual for o seu rival na corrida presidencial, Biden ou Sanders). E pela “atual maré DEM” se Sanders sobreviver às próximas Primárias, sendo “um espanto”.

 

7a8a430525f15be89339a3c6b83296f5.jpg

Enough is Enough

(em Pinterest.com)

 

P/C

DE

Joe

Biden

Bernie

Sanders

Tulsi

Gabbard

Democrats Abroad

13

-

-

-

Idaho

20

-

-

-

Michigan

125

54

33

-

Mississippi

36

-

-

-

Missouri

68

50,5

37,5

-

North Dakota

14

-

-

-

Washington

89

41,5

39,5

-

Sondagens média RCP

09.03.2020

(P/C: Primária/Candidato)

 

Nem sequer falando dos SUPERDELEGADOS esmagadoramente apoiando Biden, com as perspetivas para Sanders nesta MINI TERÇA-FEIRA (em eleger delegados) pelo que nos dizem as sondagens a serem algo reduzidas: apenas em Washington (não chegando) podendo ter algumas esperanças. Em princípio e desde que as máscaras caíram, formando um cortejo e sendo no fim todos BIDEN (todos desistindo, quase todos o apoiando) com o destino de Sanders a estar traçado como numa 2ª edição (réplica) de 2016: que (tal como agora nas mãos de Hillary e do DNC) também teve um começo, um meio e um fim.

 

(imagens: freakingnews.com – canoe.com – nbcnews.com − pinterest.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 12:25

07
Mar 20

[Nos EUA e pelas 20:00 (de Lisboa) com os números a apontarem para 381 infetados, 14 vítimas mortais (3,7%) e 8 recuperados (2,1%); em Portugal passando-se a 20 infetados.]

 

DoD-Covid-19-Likely-to-be-a-Pandemic-Within-the-Ne

 

Entrados no 3º mês (início em janeiro deste ano) desde que a nova versão de coronavírus o COVID-19  irrompeu na CHINA, no presente (março, 7) com o número global de infetados tendo já ultrapassado a centena de milhares (102.471) e com o número de VÍTIMAS MORTAIS prestes a atingir os 3.500 (com a taxa de mortalidade mantendo-se em redor dos 3,4%) − apenas estando IMUNES à ação deste novo vírus e  que se saiba, a norte a região do ÁRTICO e a sul a região da ANTÁRTIDA (com todos os outros continentes já contaminados)

 

Eis que o alarme GLOBAL começa a soar com mais intensidade (e preocupação), aproximando-nos daquilo que a WHO parece querer a todo o transe evitar (o vírus começa já a atacar em África) e que os EUA (Terra de Excecionais e capital do Mundo Científico-Tecnológico) não queriam para já reconhecer (atrasando a comunicação para não causar maior alarme social), como igualmente presente no seu território: e se até aos últimos dias apesar de alguns casos já reportados e de uma ou outra vítima mortal ocorrida, toda a atenção dos responsáveis políticos norte-americanos se dirigiam esmagadoramente para a ÁSIA − mais especificamente para a CHINA, ou não estivesse nela o centro do contágio e toda a mão-de-obra barata trabalhando para os EUA − e um pouco para a EUROPA (ou não fossem os velhinhos amigos e seus Aliados), agora que o número de vítimas mortais começou a aumentar mais rapidamente (no tempo) a sua atitude interna parece ter mudado radicalmente − colocando até o VP MIKE PENCE no comando, liderando a equipa de norte-americanos que irá combater na BATALHA CONTRA o VÍRUS MORTAL COVID-19. No dia (março, 7 pelas 15:00 e segundo a Johns Hopkins CSSE) em que os EUA saltam repentinamente para os 340 infetados e (no mínimo) 14 vítimas mortais (taxa de mortalidade superior a 4%).

 

Sendo interessante apresentar algumas dessas intervenções e respostas dadas pelas autoridades responsáveis e políticas norte-americanas, até para os compreender melhor − os LÍDERES e POLÍCIAS do MUNDO − e a partir daí perceber (mais claramente e sem uma espessa camada de nuvens entre nós e a realidade para não nos deixar ver nem sequer imaginar apenas supor) o que nos irá acontecer (ou seja, ao Resto do Mundo particularmente à EUROPA) como seus dependentes e subordinados: em Portugal com 13 infetados e sem vítimas mortais, mas com a ITÁLIA perto das 200 Vítimas Mortais (197), a FRANÇA já nas 9 e a ESPANHA nas 5 (UK, Holanda, San Marino e  Suíça, todos com 1 vítima mortal).

 

5e55d403fee23d13a05d7624.jpg

 

E assim, aqui vamos nós (só com 4 coisinhas-preciosidades, dado ser fim-de-semana e esperando não ter covid-19):

 

US Army soldier tests positive for COVID-19 in South Korea, marking the first time a US service member is confirmed to have the disease.

(David Choi/26.02.2020/businessinsider.com)

 

Com o atual Presidente dos EUA Donald Trump não conseguindo mais alienar-se (e evitar as notícias nos Média de todo o Mundo) − numa estratégia defensiva aparentemente para evitar o “alarme social (e o caos daí podendo advir), mas certa e igualmente tendo em conta as Presidenciais 2020 (onde continua a ser o favorito) − da presença do surto epidémico do vírus Covid-19 no interior do seu território e contagiando já norte-americanos aí residentes, ao primeiro soldado a ser infetado por este novo coronavírus (colocando aí em causa a Segurança Nacional dos EUA), assumindo então o grande problema caído nas suas mãos e “chegada a hora, decisiva e patrioticamente” nomeando o seu VP (Mike Pence). Só depois da preocupação com os Militares, sendo reforçada a intervenção entre os Civis.

 

Covid-19 “Likely” to be a Pandemic Within the Next 30 Days

(DoD-Departamento de Defesa dos EUA/03.03.2020/theorganicprepper.com)

 

E tendo o COVID-19 chegado aos EUA começando a provocar as suas primeiras vítimas, e tendo em atenção o que já sucedeu na China/Resto do Mundo, algo preocupados e agora “fartos” da tomada de posição da WHO − “não querendo assumir (já) esta epidemia como uma pandemia” − com os atuais responsáveis políticos norte-americanos se não afirmando a pandemia já estar em curso (afinal de contas, já estando o Covid-19 nos EUA), prevendo e até datando a sua chegada: tal como AOC (Alexandria Ocasio-Cortez, Democrata) prognosticando o Fim-do-Mundo para daqui a 12 anos, com o DoD (Departamento de defesa dos EUA, Republicano) a prognosticar a chegada da Pandemia para daqui a 30 dias.

 

5e63f6e1230000c715dde38c.jpeg

 

Arguably, it’s already a pandemic since it has reached every continent except Antarctica. Many people in the United States are paying attention and ratcheting up their preparedness for possible quarantines and other measures.

(03.03.2020/theorganicprepper.com)

 

Como se vê com os norte-americanos a terem (a sua) razão, argumentando o vírus ter atingido já todos os cinco continentes (todos habitados), deixando apenas de lado os continentes gelados do Ártico e da Antártida (praticamente, fora alguns locais e expedições, inabitados). E sendo prevenidos para além de outras medidas (como quarentenas), preparando-se para o pior e começando a açambarcar.

 

This goes hand-in-hand with reports that the military began executing plans to prepare for a potential pandemic two weeks ago. As well, this could be the reason behind President Trump’s deal with the Taliban – it could be an effort to get soldiers out of an area where transmission could be widespread.

(HAF/06.03.2020/humansarefree.com)

 

E no meio de tudo isto e tal como sempre oriundo dos EUA (Republicano ou Democrata), com as justificações mais inacreditáveis a surgirem (neste mundo atual, sendo tudo possível) podendo até (abe-se lá) ser verdade: com o acordo com os Talibans servindo para a retirada das tropas do Afeganistão de modo afastá-los de regiões perigosas na propagação do Covid-19. Dos norte-americanos (“chefias”) sendo mesmo tudo de esperar (esperemos que igualmente, na descoberta de uma vacina).

 

march-2-covid-19-cover.jpg

 

[E acreditando no que dizem os cientistas e investigadores tendo a seu cargo o surto epidémico e mortal associado ao vírus COVID-19, com o pico máximo do contágio/infeção a ainda não ter sido atingido, apontando agora para o mês de março (no decorrer do mesmo) ou então para o período até à Páscoa (sendo móvel este ano caindo no domingo 21 de abril) para o mesmo ocorrer. Mas se para os mais otimistas o pico poderá já ter ocorrido − pelo menos olhando para os números vindos da China continental, parecendo querer estabilizar e/ou mesmo descer, mas não parecendo ser o caso no Resto do Mundo – com esse PICO MÁXIMO de AÇÃO do VÍRUS COVID-19 e segundo muitos outros (especialistas no caso), podendo apenas decrescer e desaparecer lá para o VERÃO: e aquilo, caso tal cenário pessimista se confirme, podendo vir a ser uma tragédia na ÁREA da SAUDE GLOBAL (com milhares e milhares de vítimas espalhados por todos os continentes), podendo-se estender ainda com os seus efeitos e consequências a NÍVEL SOCIAL e ECONÓMICO, o que provocaria certamente (mesmo não derivando daí um outro conflito) uma TRAGÉDIA GLOBAL. Com todos nós a torcermos ainda pelo ato de fé da WHO, não acreditando na necessidade de declaração de uma Pandemia.]

 

(texto/inglês: o indicado – imagens: humansarefree.com − Ahn Young joon/AP/businessinsider.com – California National Guard/AP/huffpost.com − zerohedge.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:23

05
Mar 20

Com a sombra de Hillary Clinton ainda a pairar lá por cima servindo-se sem hesitar de todo o seu peso esmagador, exercendo forte pressão (claustrofóbica) sobre os seus próprios e mais que fieis eleitores e apoiantes: servindo-se deles (tal como os outros, sejam DEM ou sejam REP) deploravelmente.

 

The-Life-of-Joe-Biden-as-a-College-Student.png

Joe Biden

De estudante a senador, VP e agora podendo ser Presidente

(escolhido o adversário do REP DONALD TRUMP)

 

Restando 3 candidatos e com os últimos desistentes (4), 3 deles apoiando BIDEN (Bloomberg, Buttigieg e Klobuchar) e 1 outro para já nada dizendo (Warren) – como conclusão, nenhum deles apoiando SANDERS – cada vez se tornando mais claro quem será o candidato à nomeação Democrata concorrendo para a Presidência dos EUA − numas eleições a realizarem-se a 3 de novembro de 2020 tendo como adversário o candidato REP e atual presidente Donald Trump: falamos naturalmente de JOE BIDEN − bastando olhar para a reviravolta registada na SUPER TERÇA-FEIRA (março, 3) quando os primeiros desistentes logo ali apoiaram Biden − o candidato oficial Democrata, não só sendo apoiado pelo topo da hierarquia DEM como também pelo DNC. E disso certamente já se tendo apercebido Sanders, esperando uma repetição do sucedido em 2016 (antes com Hillary, agora com Biden), mas mesmo assim não desistindo − até por respeito ao seu projeto e aos seus apoiantes e eleitores (algo que pelos vistos os outros não se respeitando, não respeitam).

 

[Imposta a lei do mais forte – o DÓLAR com as suas duas faces – com os dois candidatos presidenciais certificados oficialmente, a serem do lado REP TRUMP e do lado DEM BIDEN. E tendo-se apenas duas faces (mesmo sendo-se INDEPENDENTE, como Sanders, tendo de se estar integrado) não se permitindo (não se dando hipóteses) a outros candidatos. Apesar de a 3 de novembro de 2020 outros nomes aparecerem (Libertários, Verdes, Constitucionalistas e ainda, Independentes, entre outros).]

 

Designação

Candidatos

Joe

Biden

Bernie

Sanders

Tulsi

Gabbard

(Restantes)

DE

1.303

609

541

2

151

 %

100,0

46,7

41,5

0,2

11,6

Sondagens

 

Votações

de

10.03

(3ªfeira)

 

DE

(+SD)

 

Idaho

20

(+5)

-

-

-

-

Michigan

125

(+22)

21,3

27,4

1,2

-

Mississippi

36

(+5)

-

-

-

-

Missouri

68

(+10)

22,0

11,0

-

-

North

Dakota

14

(+4)

-

-

-

-

Washington

89

(+18)

12,4

25,2

0,5

-

Democrats abroad

13

(+4)

-

-

-

-

Total

365

(+68)

Joe

Biden

Bernie

Sanders

Tulsi

Gabbard

(Restantes)

(DE: Delegados Eleitos SD: Super Delegados)

05.03.2020 21:00 Lisboa

npr.org (delegados) e wikipedia.org (sondagens)

 

Peace-Action-endorses-Sanders-for-President-meme.j

Bernie Sanders

Não lhe servindo de nada ser contra o complexo Industrial-Militar

(e mantendo-se a vítima do duo HILLARY/DNC)

 

E assim na próxima terça-feira disputando-se mais umas quantas primárias DEM (num total de mais 365 delegados e infiltrando-se mais 68 SUPERDELEGADOS) com BIDEN no COMANDO, SANDERS ainda tentando controlar o LEME e GABBARD não sabendo bem o que por lá anda a fazer (“ela sabe, ela tenta, mas sem o essencial o dinheiro, não lhe servindo de nada”). Com poucos dados disponíveis sobre estas 7 potenciais eleições (realizando-se todas) e apenas se sabendo algo sobre três (3) delas – por sinal elegendo 282 dos 365 (ou seja, 77% dos DE) em jogo – em função do cenário agora montado numa corrida só a 3 (na realidade a 2), pondo de lado Gabbard (naturalmente uma futura apoiante de Sanders, tal como em 2016) e ficando a dupla BIDEN vs. SANDERS, muito podendo depender (para Sanders, indo em segundo) das primárias de Michigan e de Washington: (não se confirmando as sondagens) perdendo podendo “estar feito” e de novo, pronto a ser engolido.

 

[A 10 de março se verá − e até ao fim de março com mais sete (primárias) em disputa – mas certa e rapidamente se encontrando um vencedor: entre um velho de 77 e outro de 78, como se sabe mais suscetíveis − por idosos − ao contágio/infeção do novo coronavírus (covid-19):  razão para nos questionarmos, mas onde está a prevenção? Só se for no VP (Vice-Presidente a ser escolhido pelo Presidente)!]

 

(imagens: tun.com − sfbayview.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 21:01

04
Mar 20

[Mas como sempre e ao contrário de alguns (sortudos até pela diferença), sem resultados.]

 

Enterrado em casa (Albufeira) e (como quem diz) em princípio sem ter nada que fazer e com os canais de televisão (portugueses) a balançarem entre a presença do coronavírus em Portugal, o AVC de D. Dolores e a condenação no caso to triatleta assassinado, virando para os canais internacionais e enquanto na CNN e na FOX os comentadores se preparavam para mais uma noite (madrugada em Portugal) eleitoral com as primárias da SUPER TERÇA-FEIRA DEM, decidi mais uma vez dirigir-me para o meu PC e introduzir-me na rede da WEB  e aí visitar o site ustream.tv (já passava das 23:30) para a partir da transmissão ao vivo da NASA diretamente da ISS tentar observar (nem que fosse acidentalmente e por momentos) algo que nunca vi um OVNI − e tal como já me tinha informado (confirmação) e acontecendo assiduamente (durante muitas transmissões) aparecendo-me no ecrã a seguinte mensagem:

 

Screenshot_2020-03-03 ISS HD Earth Viewing Experim

 

Nada de imagem, nada de OVNI’S, sem transmissão (1 hora depois).

 

Sem nada para ver e com a outra câmara transmitindo a partir da ISS a igualmente nada mostrar (estando a estação espacial a atravessar a face não iluminada da Terra), pensando apenas no azar de sempre que queria poder confirmar (tal como todos os outros o fazem, pelos vistos alguns com êxito) a presença de possíveis objetos eventualmente de origem não terrestre (se terrestres desconhecidos ou sendo um erro induzido de perceção) nas imediações do nosso planeta − observando-nos e à ISS − algo contrariando-nos sempre acontecer (sistematicamente sem explicação/dos ditos eruditos, acabando por dar algum suporte às Teorias da Conspiração/dos referidos como leigos).

 

E uma hora depois continuando tudo na mesma (com a presença da mensagem) − nada de OVNI, nada de ET − e com a outra câmara (antes tudo escuro) agora a proporcionar-nos um ecrã azul – perdão, repentinamente regressando a imagem da ISS (de volta à parte iluminada do nosso planeta) vendo-se a Terra ao fundo (registo seguinte):

 

Screenshot_2020-03-04 Live_ISS_Stream(1).jpg

 

E duas horas depois (01:30 do dia seguinte) o que nos mostrariam as câmaras 1 e 2 da ISS? Ao contrário dos constantes avistamentos (se reais e não sendo qualquer tipo de erro por nós introduzido na projeção, misteriosos, desconhecidos e sem explicação) proporcionados a observadores atentos das transmissões tendo origem na ISS (diários) – com o mais diverso tipo, forma e cores de objetos movimentando-se nas nossas imediações, aproximando-se, afastando-se e desaparecendo, sem entendermos muito bem o que se passa (por estas bandas do Sistema Solar tão próximas do Sol e a apenas 1 UA do mesmo) provavelmente nada (veremos), sendo assim à 01:00.

 

Infelizmente − talvez com todo o Mundo, terrestres e extraterrestres, assistindo à SUPER TERÇA-FEIRA  eleitoral nos EUA (“Território de Excecionais”) − confirmando-se o esperado.

 

(imagens: ustream.tv/ISS/NASA)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 08:52
tags: , , , ,

03
Mar 20

Com o início do fim da U.R.S.S. tendo efetivamente como momento decisivo (o 1º sinal do que aí vinha, tendo sido a morte de Leonid Brejnev em 1982) o dia 11 de março de 1985

 

– Data da nomeação de Mikhail Gorbatchov (89 anos de idade)

como Secretário-Geral do P.C.U.S.

 

soviet_union_map_3.jpg

O fim da U.R.S.S.

dando origem à Confederação Russa

(fim simbólico/oficial dado a 26 de dezembro de 1991)

 

E com os passos que se lhe seguiram sendo apenas uma consequência natural e lógica de todo um processo socioeconómico (científico, tecnológico, militar e financeiro) levando no final à sua desagregação (c/Gorbatchov inicial e ideologicamente M-L, no início da década de 90 virando social-democrata) − afastado Gorbatchov num Golpe de Estado (1991) pela linha dura do partido e depois de algumas reviravoltas, com outro protagonista a entrar em ação o oposicionista no extinto Soviete Supremo Boris Ieltsin (1931/2007): culminando todo este processo no desaparecimento do mapa de uma das duas Grandes Potências Mundiais surgidas no fim da II Guerra Mundial − uma sendo a U.R.S.S. do TIO JOE a outra os E.U.A. do TIO SAM – numa data de facto sendo assinalada por simbólica a 26 de dezembro de 1991, quando a bandeira soviética foi substituída no Kremlin pela nova bandeira russa (desagregando-se a U.R.S.S. e daí surgindo a Confederação Russa). Já antes tendo ocorrido a Queda do Muro de Berlim (9 de novembro de 1989) para mais tarde e após a renúncia de Ieltsin (último dia de 1999) surgir então Vladimir Putin assumindo legalmente a Presidência (a 7 de maio de 2000).

 

september-11-2001-terror-attacks.jpeg

Ataque de 11 de setembro de 2001

WTC

(originando mais de 85% do total de vítimas mortais, cerca de 3.000)

 

E destruído um dos polos (U.R.S.S.) ficando apenas um deles (E.U.A.), liberto finalmente dos limites assumindo em seu nome (Unilateralmente) o domínio − e obviamente o controlo: total e absoluto e intitulando-se o POLÍCIA do MUNDO. Surgindo então o Evento dos Ataques Terroristas de 11 de setembro de 2001 no interior do território dos E.U.A., entre eles o ataque a Nova Iorque abatendo as Torres Gémeas do WTC (em Manhattan) e provocando perto de 3.000 vítimas mortais: o pretexto final para com total justificação os EUA se assumirem (e se autoproclamarem, secundarizando a UN) como única Potência Global e Defensora do Mundo (“ocidental e católico-romano”, acho eu) e a partir daí … se acharem no direito divino de como excecionais, fazerem o que quiserem. Como matar sem problemas milhões, destruir até as mais básicas infraestruturas (necessárias para a sobrevivência de um povo) e pôr em fuga pela Vida outros tantos milhões, em territórios como o do Afeganistão, do Iraque, da Líbia, da Síria, do Iémen, etc. (e com os resultados desastrosos e criminosos que se sabem), mas simultaneamente cometendo um erro crasso, esquecendo o Crescimento da Rússia do presidente Putin e o Despertar da China (desde 2013) com o presidente Xi Jinping: quando e apesar da histeria em torno do covid-19 (não pelas questões de saúde presentes, mas pelas consequências económicas futuras), o Eixo do Mundo acompanhando a Evolução tenderá sempre a deslocar-se de Ocidente (Washington) para Oriente (Pequim) − e ao período de decadência de um Império (Americano) seguindo-se o erguer de um outro Império (Asiático).

 

dfd3e5ba2f1bcc4be7a514c62ae527ea9f18e415.jpg

Drones turcos contra instalações do regime sírio

A Síria como um exemplo do confronto entre blocos

(envolvendo EUA/RÚSSIA e c/ os seus intervenientes no terreno Turquia/Irão)

 

No presente com múltiplos conflitos − não só de âmbito militar (envolvendo guerras) como de âmbito económico (envolvendo sansões) – a estenderem-se um pouco por todos os continentes (exceção talvez feita à Oceânia), com guerras intermináveis como as do Afeganistão, do Iémen, da Síria, do Iraque, da Líbia, da Palestina (“um campo de concentração a céu aberto”), da Ucrânia e ainda de vários países africanos (como Nigéria, Camarões, Níger e Chade, entre outros), estes últimos deparando-se com graves crises internos e/ou com a ação de movimentos insurgentes e terroristas (islâmicos) como a do grupo Boko Haram (seguindo as tradições de dois movimentos ligados ao Terrorismo Global, como a Al-Qaeda e o Exército Islâmico): 11 países independentes e soberanos segundo a carta da UN (de 4 continentes e com fronteiras físicas reconhecidas internacionalmente), aqui citados pelos seu conflitos armados sem fim à vista e acompanhados por um nível brutal de destruição e de mortos (“mortos à bala”), infelizmente sendo ainda complementados por outras ações/intervenções noutros países (integrando o plenário da UN), podendo ter consequências em tudo idênticas, como é o caso da Guerra Económica e das respetivas sansões (“mortos à fome”) – como será por exemplo o caso da Venezuela, da Coreia do Norte e do Irão.

 

E tendo todos (Afeganistão, Iémen, Síria, Iraque, Líbia, Palestina, Ucrânia, Nigéria, Camarões, Níger, Chade, Venezuela, Coreia do Norte e Irão, num total de 14) mesmo algo em comum, colocados no meio de um conflito (a eles exterior) entre dois blocos dominadores e com aspirações de Império: de um lado o Bloco Ocidental (EUA/EUROPA) comandante do atual Império (e com sede em Washington) do outro o Bloco Oriental (RÚSSIA/CHINA) aspirante a novo Império (e com sede em Pequim) − mas com o 1º estatisticamente (e até pelo seu tempo de duração, antes de ser descontinuado) a levar imensa vantagem (em destruição e mortes). E levando com as balas aqueles − o “MEXILHÃO” − estando no meio.

 

[E ainda hoje (neste mundo de FAKE NEWS e com os SUSPEITOS a serem sempre os do COSTUME) nos questionando sobre qual o verdadeiro papel de Boris Ieltsin na subida de Vladimir Putin ao poder (deixando cair o social-democrata Gorbatchov, derrotando de seguida os “últimos comunistas” e renunciando posteriormente do cargo − e aí escancarando as portas de entrada a Putin), sobre quais os verdadeiros impulsionadores dos atentados de 11 de setembro de 2001 nos EUA (falando-se em paralelo aos atentados de origem externa − e podendo haver algum tipo de ligação − de uma tentativa interna não convencional de golpe de estado) e já agora e dado o conflito continuar parecendo repercutir consequências (nada positivas) um pouco por todo o Mundo, a verdadeira razão para o continuar de mais este conflito (sabendo-se promovido pelos EUA, sobre um tradicional, fiel e estratégico aliado russo) inútil e sem saída (armada).]

 

(imagens: timetoast.com − History.com/gospelherald.com − AFP Photo/yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 15:03

Março 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15


29
30
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO