Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

28
Jun 16

A caminho dum

PORTUGAL-ALEMANHA

(contando com o apoio indireto dos deuses gregos de 2004)

 

Com os próximos jogos – seleção da Polónia nos QF e País de Gales ou Bélgica se passar às MF – se verá se as opções de FS foram ou não as mais corretas. Para se equiparar à campanha do EURO 2012 com Paulo Bento no comando da seleção, Fernando Santos terá no mínimo que chegar às meias-finais; para a superar, a final de Paris deverá ser o nosso destino – o mais certo contra a Alemanha.

 

62337.jpg

Marselha – Estádio do Velódromo

(onde decorrerá o jogo dos QF POL-POR)

 

Já nos quartos-de-final do Europeu e ainda invicto, Portugal prepara-se agora para disputar com a Polónia um lugar nas meias-finais do torneio – utilizando de início serviços mínimos (três empates por 1-1, 0-0 e 3-3) e mesmo assim eliminando a Croácia (de seguida, à tangente e apenas por 1-0). Com o seguinte calendário a desenvolver-se entre a próxima quinta-feira, 30 e a final de Domingo, 10:

 

JOGO DIA Local Equipa Equipa
QF - - - -

A

(20:00 - RTP1)

30.06

(Quinta-feira)
Marselha Polónia Portugal

B

(20:00 - RTP1)

01.07

(Sexta-feira)
Lille País de Gales Bélgica

C

(20:00 - RTP1)

02.07

(Sábado)
Bordéus Alemanha Itália

D

(20:00 - RTP1)

03.07

(Domingo)

Paris França Islândia
MF - - - -

E

(20:00 - RTP1)

06.07

(Quarta-feira)
Lyon A B

F

(20:00 - RTP1)

07.07

(Quinta-feira)
Marselha C D
F - - - -

G

(20:00 - RTP1)

10.07

(Domingo)

Paris E F

 

Sendo neste momento e concluído os oitavos-de-final:

 

Uma das 5 equipas em prova ainda sem derrotas (a sexta seria Suíça já eliminada);

A 7ª equipa mais concretizadora ainda em prova a par da Itália (já com a Espanha e Croácia eliminadas);

A 3ª equipa em número de remates à baliza (só ultrapassada por Bélgica e Alemanha);

A 4ª equipa em número de passes e em número de cantos (ataque);

A 2ª equipa com mais faltas cometidas (só ultrapassada pela Itália) e a 3ª com mais faltas sofridas (só superada por Itália e Polónia) – 3 cartões amarelos;

Contando na lista dos 14 melhores marcadores com Ronaldo e Nani com dois golos cada (o outro golo de Portugal é de Quaresma);

E ainda com Ronaldo como o 3º jogador mais rematador (só ultrapassado por Bale e De Bruyne) e com Pepe a ser o 15º jogador com mais passes tentados.

 

maxresdefault.jpg

Ricardo Quaresma – POR-CRO

(festejando o seu golo que qualificava Portugal para os QF)

 

Para rematar e como conclusão sendo evidente que a escolha do treinador Fernando Santos de ficar em 3º lugar do seu grupo foi de todas a mais correta e a de maior alcance, sendo apenas concretizada já para lá da hora (quando a Islândia marcou o golo da vitória e ultrapassou Portugal) e atirando a seleção de Portugal para o lado mais acessível do quadro eliminatório (evitando Itália, Alemanha e França) – e assim contando, como as únicas equipas a interporem-se entre Portugal e a final do dia 10 em Paris, a Polónia (QF) e a Bélgica ou País de Gales (MF).

 

Assim no próximo dia 30 de Junho se verá se a 1ªparte da profecia do (ainda) Deus Grego Fernando Santos se concretizará (eliminando a Polónia), abrindo as portas para a concretização da 2ªparte dessa sua profecia (eliminando o País de gales ou a Bélgica) e assim comparecendo na final em Paris no próximo dia 10 e regressando finalmente a Portugal no dia seguinte a 11 – como Campeão ou Vice-Campeão Europeu.

 

[Mas se tudo correr mal o regresso será logo a 1 – e não apenas a 11! Nesse caso estaremos perante um simples problema de visão dupla, na projeção pelos vistos distorcida da profecia de FS]

 

(dados e imagens: uefa.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 13:43

15
Jun 16

Não culpo o adversário, várias vezes os jogadores esperam ganhar um jogo e isso acaba por não acontecer. Se queriam vencer a Islândia tinham que jogar melhor. É tão simples quanto isso”. (Lars Lagerback/treinador da Islândia – como resposta às críticas de CR invocando “a imagem do autocarro islandês parado à frente da sua baliza/sapo.pt)

 

Na ressaca do dia seguinte

Portugal – 1 Islândia – 1

Estádio Geoffroy Guichard – Saint-Etienne

(14.06.16)

 

ICELAND-afp-2-xlarge_trans++gsaO8O78rhmZrDxTlQBjdD

Golo da Islândia – B. Bjarnason

Sem dúvida e pelo valor das equipas em presença o momento mágico da partida

 

Neste primeiro jogo da seleção de PORTUGAL (5ª no ranking da UEFA) no EURO 2016 – contra a seleção da ISLÃNDIA (35ª no ranking da UEFA) – o adversário a defrontar teria como maior referência e termo de comparação a sua homóloga da Noruega (22ª no ranking da UEFA).

 

E como Portugal derrotou a seleção da Noruega há cerca de quinze dias atrás em pleno Estádio do Dragão por uns esclarecedores 3-0, seria de esperar que no seu jogo de esteia neste Europeu como cabeça de série e favorito no seu grupo, PORTUGAL se estreasse a ganhar.

 

Mas como sempre e em caso de dúvida (pelos vistos um fenómeno muito persistente e comum entre os últimos treinadores da seleção nacional), no momento decisivo escolhem-se sempre os mais velhos e aqueles com maior currículo – acabando sempre e com poucas exceções por sair furado e dar asneira.

 

Pelo que para o jogo de apresentação contra a seleção da Islândia (e tomando em consideração que a Islândia na fase de grupos ultrapassou a Turquia/3ª/atirando-a para o playoff e a Holanda/4ª/eliminando-a) e como medida preventiva os escolhidos deveriam ter sido os mesmos. E com os golos marcados à Noruega (logo 3) a serem de Quaresma, Raphael e Éder.

 

Sacrificando-se mais de metade da equipa inicial (Anthony Lopes, Cédric Soares, José Fonte, William Carvalho, Ricardo Quaresma e Éder) só para lá pôr os mais consagrados (Rui Patrício, Pepe, Vieirinha, Danilo, Nani e Cristiano Ronaldo): que por diversos motivos e razões acabaram por dar cabo de tudo (estragando a nossa festa e a de todos os emigrantes).

 

Hungria 2-0 3
Portugal 1-1 1
Islândia 1-1 1
Áustria 0-2 0

(golo de Portugal: Nani)

 

Esperemos que Fernando Santos tenha finalmente aprendido a lição (dois pontos já se foram e o terceiro lugar nada garante) e que no próximo jogo contra a HUNGRIA (33ª no ranking da UEFA) decisivo por ser contra o líder do grupo – no primeiro jogo a HUNGRIA venceu a ÁUSTRIA (16ª no ranking da UEFA) por 2-0 – não só vença como acima de tudo convença.

 

E como prova do que o que eu digo se apoia em factos e é mesmo verdade, é que se por um lado Ricardo Quaresma não o pode confirmar desde o início por estar lesionado (Éder coitado só teve 5 minutos), já no caso de Nani e mesmo não fazendo uma exibição por-aí-além, cumpriu a função pelo menos marcando (o que já não fez a estrela Cristiano Ronaldo).

 

No próximo jogo veremos – sábado, 18 de Funho – o que será contra a AÚSTRIA: em Paris no Parque dos Príncipes pelas 20:00 e com milhares de portugueses a apoiar. Com uma vitória a ser suficiente para o apuramento imediato (nem que seja como um dos melhores 4, entre um total de 6 terceiros). Nada a que já não estejamos há muito habituados.

 

Portugal – Áustria

18.06.2016 – 20:00

Parque dos Príncipes – Paris

Portugal – Constituição da equipa inicial:

 

Patrício

Cédric, Fonte, Pepe, Raphael Guerreiro

Danilo, Adrien, André Gomes e João Mário

Nani e Ronaldo

 

Já agora e para finalizar apresentando a minha proposta de equipa inicial para o próximo jogo da seleção de Portugal contra a seleção da Áustria – mudando apenas três jogadores iniciais do jogo contra a Islândia (Vieirinha, Ricardo Carvalho e João Moutinho) e substituindo-os pelos outros três da vitória contra a Bélgica (José Fonte, Cédric e Adrien Silva). Por acaso uma equipa atualmente 9ª no ranking da UEFA e derrotada no passado dia 29 de Maio no Estádio Municipal de Leiria por 2-1 (com golos de Cristiano Ronaldo e Nani).

 

(imagem: telegraph.co.uk)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 14:30

Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO