Um espelho que reflecte a vida, que passa por nós num segundo (espelho)

12
Mai 20

Despachado para Júpiter a 300.000Km/s e chegando lá em menos de 40 minutos, tendo a oportunidade ao passar muito próximo de Europa e apesar da sua ainda gloriosa juventude, ali poder confirmar a visão de um “Mundo Vivo” mas profundamente sulcado por inúmeras cicatrizes.

 

moon-jupiter-saturn-trio-ottewell-may12-2020-e1589

Lua, Saturno, Júpiter e ao lado ainda Marte

(e junto a Júpiter, mas não se vendo, Europa)

 

Olhando esta terça-feira (12 de maio) para o céu noturno na direção da constelação de Sagitários (amanhã de Capricórnio, depois de amanhã de Aquário), para além de observarmos a Lua bem visível “lá em cima”, podendo-se ainda descortinar bem ao lado da mesma (o único satélite da Terra) dois outros dos oito planetas (os dois Gigantes Gasosos) integrando o Sistema Solar: menos brilhante Saturno (de diâmetro superior a 116.000km e localizado a mais de 1.400.000.000Km) e mais brilhante Júpiter (de diâmetro inferior a 140.000Km e localizado a menos de 700.000.000Km), devido não só à sua posição, assim como ao seu tamanho, como ainda à sua distância à Terra. E próximo do planeta Júpiter o maior do nosso sistema planetário (tendo como estrela de referência, o Sol), dirigindo a nossa particular atenção para uma das suas cerca de 80 luas, uma das quatro “Luas de Galileu” (um dos 4 maiores satélites do planeta Júpiter): Europa. E ainda um pouco mais afastado o nosso vizinho externo o Planeta Vermelho (Marte) em conjunto com Mercúrio, Vénus e Terra integrando o grupo dos Planetas Interiores (interiores à Cintura de Asteroides).

 

europamapv2.jpg

A lua de Júpiter

EUROPA

 

The above map shows locations where each image, showcasing a variety of features, was captured by Galileo during its eighth targeted flyby of Jupiter's moon Europa.

 

pia23871_-_1st_in_gallery.jpgpia23872_-_2nd_in_gallery.jpg

Imagem

1/2

 

Images of (1) an area called Chaos Transition shows blocks that have moved and ridges possibly related to how the crust fractures from the force of Jupiter's gravity;

And (2) of an area called Crisscrossing Bands shows ridges, which may form when a crack in the surface opens and closes repeatedly. In contrast, the smooth bands shown here form where a crack continues pulling apart horizontally, producing large, wide, relatively flat features.

 

pia23873_-_3rd_in_gallery.jpg

Imagem

3

 

Image (3) showing chaos terrain where blocks of material have shifted, rotated, tilted and refrozen. Scientists use this as a puzzle for clues about how the surface has changed. The area is called Chaos Near Agenor Linea for its proximity to the wide band of that name at the bottom (of the image).

 

Europa uma das luas de Júpiter sensivelmente com a mesma dimensão da nossa Lua (ligeiramente menor), podendo, no entanto, ter Água (exteriormente sob a forma de gelo, mas sobretudo em oceanos, debaixo da superfície gelada, subterrânea), uma ligeira Atmosfera (contendo oxigénio) e até algum tipo de Vida (extraterrestre, algum tipo de bactéria). Exteriormente e observando a sua superfície (sendo ainda uma lua jovem, a nível tectónico e de deslocação de placas, ainda bem ativa) um dos mais lisos corpos integrando o Sistema Solar, sem grandes montanhas ou depressões (como crateras) ─ logo de baixa topografia ─ e apresentando-se aos nossos olhos (à distância, utilizando imagens de sondas por lá tendo andado ou então de telescópios terrestres, colocados para cá ou  para lá da nossa atmosfera) com imensos riscos escuros atravessando quase que caoticamente toda a sua superfície, entrecruzando-se com outras fraturas dispondo-se igual e como que aleatoriamente em todas as direções ─ e contendo (pela cor á sua superfície, o amarelo) cloreto de sódio tal como acontece com  Terra e com os seus oceanos (salgados).

 

europa_full.jpg

A sonda automática

EUROPA CLIPPER

 

E tal como no passado com os Canais de Marte, tornando este mundo interessante e algo misterioso: até pela presença de Água e conquistados outros corpos ─ como já previamente planeado a Lua e o planeta Marte (até meados deste século), com as viagens interplanetárias ─ podendo-se transformar no futuro em verdadeiros entrepostos, então para viagens ainda mais distantes (ultrapassada a Nuvem de Oort) como as Viagens Interestelares (para já só por lá andando, as sondas automáticas Pioneer 1 e 2). Para já nos contentando ainda com imagens da velha e defunta Galileu, mas já com uma nova missão em marcha tendo como objetivo esta lua (promissora pela água) de Júpiter: a da sonda automática Europa Clipper prevista para esta década de 20.

 

(texto/inglês: nasa.gov ─ imagens: Guy Ottewell’s blog/earthsky.org,

NASA/JPL-Caltech/SETI Institute e jpl.nasa.gov)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 23:17

31
Mar 20

Agora que os EUA começam definitivamente a tomar consciência de já terem entrado de vez na corrida de se transformarem − destronando definitivamente a China − no Nº 1 do Top Mundial de Infetados de Covid-19 (já com mais de 150.000 casos confirmados, 20% do total Global, 1ª medalha de Ouro) podendo ainda e a curto-prazo tornarem-se igualmente no Nº 1 do Top Mundial de Vítimas Mortais de Covid-19 (a caminho dos 2.000 infetados, perto de 8% do total Global, 2ª medalha de Ouro), com os Democratas a começarem mesmo que lentamente a demonstrarem finalmente poderem estar mais interessados no futuro (Coletivo) dos EUA − nos cidadãos que afirmam representar − do que no seu próprio futuro e ambição particular (Individual) – centrando-se exclusivamente e durante quatro anos no ataque ao presidente democraticamente eleito (respeitando as regras do jogo previamente conhecidas e aceite por todos) Donald Trump, tentando de uma forma mais direta e eficaz evitar a queda definitiva do Império Norte-Americano (com sede em Washington) e a entrada antecipada do novo Império Planetário encabeçado pela China tendo a seu lado a Confederação Russa, o Império Chinês (com sede em Pequim),

 

16fb5600-d642-434d-8a1a-f8e064e14a00-getty-1203497

 

Tornando-se verdadeiramente deprimente e assustador ver 75 anos após o fim da II Guerra Mundial, aqueles que antes destruíram a Europa e quase todo o Mundo − ainda-por-cima carregando às suas costas e de uma forma bem visível muitos dos cadáveres daí resultantes, de que os Campos de Concentração ainda são uma grande evidência e testemunho, tendo ainda como reflexo presente, ofuscante e brutal, um complexo de culpa que sempre transportarão consigo (e bem expresso) se não no seu corpo na sua alma – agora não se socorrendo de “Armas Físicas Manuais(de Destruição Maciça Objetiva, comprovando não serem os humanos à prova de bala), mas de “Canudos Psíquicos Intelectuais”, pudessem retornar e ressuscitar (equiparando-se a “Salvadores”) recorrendo de novo às mesmas teorias racistas agora não apenas de “cor ou de raça”, mas associando-as como alternativa viável a um novo processo de  exploração e negação (sobrepondo a economia dita coletiva à liberdade individual), à meteorologia local e condições ambientais (que naturalmente os pobres sobrevalorizam, não tendo outras perspetivas de vida), designando-nos inicialmente (não pessoalmente mas através dos seus intermediários/proxenetas) como “malandros só gostando de copos e de mulheres(uma afirmação só podendo ser proveniente do “verdadeiro macho”, mais habituado não a ter uma mulher, mas uma prostituta, no fundo insultando a classificando o género feminino) e posteriormente mesmo com os cadáveres a caírem como castelos de cartas (pensando ainda estarem a jogar “ao burro em pé”) nos catalogarem como “os merdas do sul” tendo como chefe de orquestra uma mulher fazendo-nos um manguito e na prática indicando-nos a nossa direção utilizando e bem ereto, hirto e determinado ”o seu dedo do meio”: num estado de desespero italiano vendendo os ventiladores à melhor proposta, apresentada pela Suíça (pelos vistos sem grandes resultados, para os compradores/clientes).

 

Enterrando-se e levando-nos com eles para o abismo, enquanto hesitam entre aqueles a quem obedecem sem questionar e nada fazem por eles (EUA, só tendo papel) e aqueles que na realidade lhes têm enchido os cofres (China e Rússia, tendo Ouro): e nem sequer aprendendo com quem nunca esteve connosco apenas nos usou (Reino Unido), um dia abandonando-nos e encostando-se aos EUA e agora com a chegada do Covid-19 vendo-se completamente isolado, falido e sem saber a quem recorrer.

 

37202645_28465860_WEB-1060x594.jpg

 

Mas chegando de falar de coisas (política/políticos) nojentas e já agora utilizando o Costa “repugnantes”, sendo apenas pena tal mensagem em vez de ser dirigido ao prostituto não ser dirigida ao atual gerente e financiador do bordel, pelos vistos moral e legal. Desculpem (mesmo os disparates e os erros) mas é da fúria incontida, acumulada e desesperada face ao número interminável de cadáveres. Europa? Deixa-me rir e chorar! É certo com a nossa parte de culpa e de responsabilidade, vivendo num país onde num só dia e em pouco tão tempo soubemos e apenas por denúncia (hierarquicamente igual ou inferior aos seus praticantes) o que fizeram agora com conhecimento de todos com um cidadão ucraniano (certamente tentando por todas as formas tal como muitos de nós chegar aos seus e ao seu país) − assassinando brutalmente, talvez como o fazem habitualmente (noutro contexto ou não) com “um cão – e como sempre prendendo-os mas assim não tanto (prisão domiciliária e para não os incomodar muito e dar-lhes mais espaço para se movimentarem prometendo-lhes uma pulseira eletrónica, quando deviam ser postos logo atrás das grades até para poderem conviver com o seu amigo covid-19) e subindo na hierarquia mas nunca atingindo o topo, o Ministro (que por decência devia assumir a sua responsabilidade e demitir-se) não fosse o “Diabo tecê-las”: algo que poderíamos dirigir em diferentes graus mas com as mesmas consequências aos responsáveis entre outros, da Educação (onde anda o Ministro vindo as sugestões do ministro da Economia e com os professores numa ação forçada e repugnante a avaliarem à pressa alunos a meio da corrida ignorando as regras iniciais, mandadas para a “bardamerda”), da Administração Interna (ignorando como se não fosse sua responsabilidade o que se passa nas cadeias) e até da Saúde, neste ultimo caso com os responsáveis ou até o 1ª Ministro a assumirem pessoalmente não propriamente a demissão destes mas o seu afastamento, mesmo que temporário (tanta a saturação pela falta de credibilidade técnica dos mesmos, necessitando as pessoas de novos seres humanos pelo menos frente às câmaras, de modo a ainda darem alguma esperança àqueles que sabem poder vir a morrer em combate apenas e inacreditavelmente – esperando-se que no futuro criminalizados pelas suas não ações) ou não estivessem os seus subordinados (os “Heróis do Povo”) completamente desarmados, “usando apenas fisgas e só sendo possível de o fazer uma vez” e (pasme-se) pelos vistos dirigidos pelos seus (por nomeação e confiança) especialistas e até matemáticos (denegrindo aquilo que muitos assumiram com sacrifício mas voluntariamente, não recorrendo certamente ao ”juramento do hipócrita”).

 

Chega (2ª vez)! Pedindo desculpa no entanto por qualquer coisinha e não deixando de mencionar seja qual for a sua ideologia política (eu sei, não é a minha, mas talvez pela 1ª vez votando em “Alguém” com letra grande) aquele “Homem de Ovar” que não “protegendo o seu cuzinho” se lançou mesmo assim às feras assumindo em nome do Povo e se necessário o seu sacrifício político e pessoal − e reparem vencendo e com todos os outros (uns bons, outros maus, é a vida, mas um tendo de ser sempre o 1ª) depois a tentarem copiá-lo.

 

(imagens: Getty Images − Estela Silva/Lusa/dinheirovivo.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:03

26
Mar 20

Com a Pandemia de Covid-19 a atingir globalmente  (26.03.2020 pelas 18:05 TMG) os 510.446 infetados (0,007% da população mundial) e dos infetados tendo-se já atingido as 23.079 vítimas mortais (4,5% dos infetados) – e com a China (taxa de mortalidade = 4,0%) ultrapassado o seu Pico Máximo a caminho da estabilização e do regresso progressivo à sua atividade económica (já nos 75%) – com os olhos de todo o Mundo a virarem-se agora para a Europa (sobretudo Ocidental), continente onde a tragédia parece não ter fim enquanto o número de mortes não para de crescer violentamente:

 

maxresdefault.jpg

Os Idosos o grupo etário de maior em risco

(Vítimas maioritárias do Covid-19)

 

Itália com mais de 8.000 mortes (taxa de mortalidade = 10,2% e mais de 3.500 em estado grave/crítico), Espanha com mais de 4.000 mortos (taxa de mortalidade = 7,4% e mais de 3.000 em estado G/C), França a caminho das 1.500 mortes (taxa de mortalidade = 5,3% e a caminho dos 3.000 em estado C/G), Reino Unido perto das 500 mortes (taxa de mortalidade = 4,8% e mais de 150 em estado G/C) e Holanda perto das 450 mortes (taxa de mortalidade = 5,8% e perto dos 600 em estado G/C), estes 5 países ocupando o TOP 5 Europeu de Vítimas Mortais.

 

Para já não falar do continente Americano, a norte (América do Norte) e ainda pelo “início da sua viagem” com os EUA a ultrapassarem as 1.000 mortes, mas para já com uma taxa de mortalidade de apenas 1,5% (no entanto com mais de 2.000 em estado G/C).

 

Já no caso de Portugal (26.03.2020 pelas 11:00 Lisboa) com os números da DGS a apontarem para os 3.544 casos confirmados e para 60 vítimas mortais (taxa de mortalidade = 1,7% e 61 em estado G/C). Com as regiões (7+Estrangeiro) mais atingidas (em casos confirmados) a serem o Norte (1.858 casos), Lisboa e Vale do Tejo (1.082 casos) e o Centro (435 casos), com o Algarve a seguir (89 casos) e com a Madeira com o menor nº de registos (apenas com 15 casos).

 

A nível de vítimas mortais (num total de 60) com 28 no Norte (46,7%), 13 no Centro (21,7%), 18 em Lisboa e Vale do Tejo (30,0%) e 1 no Algarve (1,6%).

 

E dos 5 concelhos do continente com mais casos confirmados de Covid-19 (e liderando a sua região) com Lisboa (284), Porto (259), Coimbra (87), Faro (25) e Évora (8) − e nas ilhas a Ilha da Madeira (20) e a Ilha de S. Jorge nos Açores (8).

 

No caso particular da Região do Algarve (e segundo a ARS Algarve) mantendo-se (felizmente para nós os aqui residentes) 1 vítima mortal (em Albufeira), com o nº de casos confirmados (do maior para o menor) a indicarem (em 83 casos) Faro/25, Albufeira/19, Portimão/16, Loulé/10, Silves/5, Lagoa/4, V. R. S. António/3 e Tavira/1.

 

Screenshot_2020-03-26 Ponto de Situação Atual em

Evolução de casos novos de Covid-19

(2 a 26 de março)

 

E se antes existiam dúvidas sobre os grupos etários mais fortemente atingidos olhando-se apenas para os casos confirmados, agora (com todos a correrem em socorro para os lares de idosos, sejam públicos ou privados) que o número de vítimas mortais em Portugal já atingiu as seis dezenas de mortes, cada vez sendo maior a certeza de que tal como em toda a Europa e no Resto do Mundo, os mais idosos começam a ser de longe as maiores vítimas deste novo e mortal coronavírus Covid-19. Dos 70 de idade para cima, uns 80%?

 

E ainda com toda a Europa a caminho do Topo da Curva e com os números a serem cada vez mais duros, desejando-se que em Portugal o Topo da mesma (Curva) seja mesmo bem achatada:

 

Para dar hipótese aos equipamentos e aos recursos humanos (da Saúde – mas da mesma forma em muitas outras profissões como as associadas ao transporte e alimentação, profissões de risco) de modo a atuarem e não nos deixando morrer, nos salvarem.

 

De momento em Portugal com os seus 3.544 casos e 60 mortos (1,7%), não estando muito longe das taxas de mortalidade de outros coronavírus numa determinada amostra, sendo de uns 2%:

 

Logo em 3.544 a média “normal” apontando para uns 70/71 mortos, estando nós ainda abaixo (-10/-11).

 

(imagens: covid19.min-saude.pt)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 20:22

20
Mar 20

“Em Portugal com a curva (a exponencial) continuando a subir, para já com 6 vítimas mortais (e 20 indivíduos em estado grave ou crítico): de momento com a taxa de mortalidade inferior a 0,6% (taxa de mortalidade média global 4%). E com a faixa etária mais atingida indo dos 30 aos 60 (anos de idade) a caminho dos 60% dos casos confirmados (mais “safos” até aos 10 anos de idade).”

 

coronavirus_italy_getty02292020.jpg

Italy announces

biggest one-day increase

for coronavirus death toll

(Marti Johnson/20.03.2020/thehill.com)

 

Às 12:05 TMG do dia 20.03.2020 com os números globais da PANDEMIA de COVID-19 tendo por um lado já ultrapassado 1/4 de UM MILHÃO de PESSOAS INFETADAS (252.850) e VITIMADO MORTALMENTE (VM) mais de 10 MILHARES de PESSOAS (10.405/taxa de mortalidade = 4%), e por outro lado com os doentes RECUPERADOS a caminho de serem 9X VM (89.061/taxa de recuperação = 35%) − dos CASOS ainda ATIVOS mais de 145 milhares (145.926), com mais de 7 milhares em SITUAÇÃO GRAVE ou CRÍTICA (7.458/5%) – com os casos mais preocupantes desta verdadeira INVASÃO PLANETÁRIA INTERNA UTILIZANDO UM AGENTE INFILTRADO E INVISÍVEL para já apenas DENOMINADO (ainda não bem definido, quase como se fosse intratável e com as suas VÍTIMAS sem ferramentas adequadas para o combater, particularmente as mais velhas as mais cansadas e mais suscetíveis, rapidamente perdendo o combate) como COVID-19 a serem, tanto pelo número de vítimas mortais, como pelo nº de casos ativos e ainda em estado crítico ou grave, ou ainda pela razão nº casos/milhão de pessoas a estarem localizados:

 

Pandemia Covid-19

Março, 20

Identificação

VM

CGC

C/M

País

C

% do Total

% do Total

Acima/Abaixo da Média

1

Itália

EUR1

3.405

32,7

2.498

33,5

679

↑↑↑↑↑

2

China

ASI1

3.248

31,2

2.136

28,6

56

3

Irão

ASI2

1.433

13,8

SD

SD

234

↑↑↑

4

Espanha

EUR2

1.002

9,6

939

12,6

427

↑↑↑↑

5

França

EUR3

372

3,6

1.122

15,0

168

↑↑

6

EUA

AME1

217

2,1

64

0,9

43

7

UK

EUR4

144

1,4

20

0,3

48

8

Coreia Sul

ASI3

94

0,9

59

0,8

169

↑↑

9

Holanda

EUR5

76

0,7

45

0,6

144

↑↑

10

Alemanha

EUR6

44

0,4

2

0,0

199

↑↑

-

Portugal

-

4

0,0

20

0,3

77

(163)

Total

-

10.405

100,0

7.458

100,0

32,4

=

Dados: worldometers.info

(VM: Vítimas Mortais CGC: Casos Graves Críticos

C/M: Casos por Milhão C: Continente SD: Sem Dados)

 

Como se vê pela tabela com os casos MAIS GRAVES a localizarem-se na ITÁLIA, IRÃO, ESPANHA e FRANÇA (com a CHINA ultrapassado o pico máximo de atividade do vírus Covid-19, já em decrescimento à procura da estabilização e da retoma económica), mudado o EPICENTRO da CRISE da ÁSIA (China) para a EUROPA (Itália) com toda a EUROPA em POLVOROSA muito próxima de “rebentando pelas costuras” acabar por ver IMPLODIR (mesmo antes do COVID-19 atingir o seu PICO MÁXIMO de atividade) o seu SISTEMA DE SAÚDE, e logicamente encaminhando-nos (de seguida e face aos políticos que temos) para uma nova CRISE ECONÓMICA GLOBAL talvez só comparável à Grande Crise Económica Global de 1929:

 

031820_ac_covid-heart_feat-1028x579.jpg

Some heart patients may be especially vulnerable to COVID-19 …

with hypertension and cardiovascular disease

risk severe bouts of the disease

(Aimee Cunningham/20.03.2020/sciencenews.org)

 

E se a Alemanha mostra alguns sinais de resistência à ação do AGENTE INTERNO INFILTRADO, já os outros países que deveriam fazer parte do Resto da Muralha de Defesa da EUROPA como entre outros a ITÁLIA, a ESPANHA, a FRANÇA, o UK, a HOLANDA e por aí fora, parecem estar perto de “atirar a toalha ao tapete− sendo neste momento a maior esperança atingir-se o mais rapidamente o pico máximo (sem um grande nº de mortos) e que recuperada a CHINA (e naturalmente toda a ÁSIA) estes venham em nosso auxílio:

 

Portugal Covid-19

Março, 20

Casos

%

L

Suspeitos

7.732

-

De 1017

Confirmados

1.020

100,0

Porto 506, Lisboa 361, Coimbra 106, Faro 29, Estrangeiro 9, Açores 3, Évora 2, Madeira 1

Internados

126

12,3

Recuperados

5

0,5

Óbitos

6

0,6

Lisboa 2, Centro 2, Norte 1 e Algarve 1

Ainda ativos

883

86,6

Dados: anmsp.pt e sapo.pt

(L: Localização)

 

Pois se estivermos à espera da VACINA vinda do outro lado do ATLÂNTICO mais especificamente dos EUA, “vem que poderemos escolher uma cadeira e lá morrer sentado− com  a ITÁLIA recorrendo aos chineses depois (do pedido de SOCORRO não atendido) do “manguito” enviado da Alemanha (cheia de ventiladores, recusando a ceder alguns, não fosse necessitar deles). Com altíssima preocupação e alarme observando-se o que vai acontecendo no Reino Unido e nos EUA, nunca esquecendo o BRASIL (do perigoso-criminoso Bolsonaro, inacreditavelmente Presidente) com todo o Hemisfério Sul a deixar o Verão e a entrar no Outono a caminho do Inverno − quando se diz que o que incomoda mais este bichinho mortal (tal como terá sido associado ao comportamento dos outros coronavírus) é o calor.

 

[Última atualização: Globalmente (17:36 TMG/worldmeter.com) com 265.976 infetados (+13.126), 11.186 mortos (+781) e 90.603 recuperados (+1.002) − a Itália já com mais de 4.000 mortos (+627); e em Portugal (13:03/anmsp.pt) com 1.020 infetados, 6 mortos (+2) e 5 recuperados.]

 

(imagens: Getty Images/thehill.com − STR/AFP/Getty Images/sciencenews.org)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:14

17
Mar 20

Numa caminhada iniciada no início deste ano (janeiro) levando no presente (março) e globalmente ao alastramento de um novo surto epidémico (coronavírus Covid-19)

 

− Oficialmente já declarada pela WHO, como uma PANDEMIA

 

Screenshot_2020-03-17 thumbs web sapo io webp (ima

Confirmando-se que a primeira vítima do Covid-19 em Portugal

era mesmo um amigo de Jesus

 

De momento (já com mais de dois meses de viagem) com os números a apontarem para mais de 180.000 infetados, mais de 7.000 vítimas mortais (taxa de mortalidade = 3,9%) e mais de 78.000 recuperados (taxa de recuperação = 42,9%), eis que Portugal (numa tabela global de infetados e de vítimas mortais, num 22º lugar virtual) ao 4º dia de Estado de Alerta (considerando sexta-feira 13, o dia em que foi declarado) e com 331 pessoas infetadas, declara oficialmente a sua 1ª vítima mortal: um indivíduo do sexo masculino integrando o grupo etário de maior risco (80 anos de idade e já com problemas respiratórios graves), por acaso o amigo de Jorge Jesus (o treinador português da equipa de futebol brasileira Flamengo). E assim para lá dos 331 infetados e 1 vítima mortal (taxa de mortalidade = 0,3%) − mais 86 casos relativamente ao dia anterior, mantendo o crescimento da exponencial – e dos 3 doentes entretanto recuperados (taxa de recuperação = 0,9%), mantendo-se ainda ativos 327 casos (98,8%) 18 deles em estado grave/crítico (5,5%). E na distribuição pelo país (Continente, Açores e Madeira) dos casos de infeção por Covid-19, com Lisboa a registar 142 casos, o Porto 138, Coimbra 31, Faro 13 e os Açores 1 − ainda sem casos no Alentejo e na Madeira.

 

coronavirus-symptoms-955x1024.jpg

Síntomas visíveis da possível presença, contágio e infeção

do novo coronavírus Covid-19

 

Globalmente com os números de novos casos na China (+36 novos casos) e na Coreia do Sul (+74 casos novos) a continuarem a descer indicando já terem ultrapassado o seu pico máximo de contágio/infeção, com um cenário completamente oposto verificando-se na Europa com o novo epicentro da ação do Covid-19 (deslocando-se da China) agora em Itália: com os seus 27.980 casos (de um dia para o outro − 15 para 16 − aparecendo mais de 3 mil casos), 2.518 vítimas mortais (taxa de mortalidade = 9%) e ainda nos ainda ativos 1.851 pessoas em estado grave/crítico. E a partir daí alastrando por toda a Europa e apanhando no seu caminho imparável e entre outros (e mais duramente):

 

País

Infetados

Vítimas

Mortais

Estado (grave/crítico)

China

80.880

3.213

3.226

Itália

27.980

2.158

1.851

Irão

14.991

853

0

Espanha

9.682

342

272

França

6.633

148

400

EUA

4.547

85

12

Coreia do Sul

8.236

75

59

Reino Unido

1.543

55

20

Japão

895

27

41

10º

Holanda

1.413

24

45

22º

Portugal

331

1

18

(163 países)

Total Global

181.917

7.139

6,162

(16.03.2020)

 

E entre os países da Europa com cidadãos infetados − mas ainda sem vítimas mortais − destacando-se (por mais conhecido, mais perto de nós) Chipre (46), Turquia (47), Croácia (57), Eslováquia (72) e Rússia (93). Casos opostos estando-se a registar noutros países para além do Irão (asfixiado e isolado por sansões, unilateralmente impostas pelos EUA e aceites pela Europa), sendo de destacar (até pela sua responsabilidade pertencendo estes ao quadrante mais desenvolvido deste planeta, o Hemisfério Norte Ocidental) o Reino Unido, o Brasil e os EUA: por coincidência cada um desses países com o seu respetivo TRUMP.

 

CDC

Coronavirus disease 2019 (COVID-19)

Prevention tips

Avoiding close contact with sick individuals; frequently washing hands with soap and water; not touching the eyes, nose, or mouth with unwashed hands; and practicing good respiratory hygiene.

 

E colocando de lado a experiência particular e distinta escolhida pelas autoridades britânicas sob a liderança de Boris Johnson (a réplica de TRUMP, o Trump Europeu) − para combaterem à sua maneira o surto epidémico e mortal do novo coronavírus Covid-19 (colocando os velhos em casa, deixando os mais novos para o vírus, criando novas proteções e assim, tentando deitar abaixo o pico máximo, estendendo-o mais no tempo e evitando desse modo, o caos e ainda mais mortes) – que poderá ter sucesso ou até sair bastante caro (caso por exemplo o número de ventiladores não cheguem), sendo verdadeiramente dramático até pela irresponsabilidade e incompetência (criminosa) o que se tem passado na América − do TRUMP original − e na América de Bolsonaro (a réplica de TRUMP, o Trump Sul-Americano): negando e pelo meio insultando e acusando e somente quando sem alternativa, colocado entre a espada e a parede (o seu lugar, o seu cargo, a sua vida) vendo e (não sendo tarde de mais) finalmente, rodeando-se de choradinhos e promessas (não vá o diabo-político tecê-las), atuando.

 

(dados: anmsp.pt e worldometers.info

– imagens: MadreMedia/24.sapo.pt e ercare24.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:46

13
Mar 20

Enquanto por todo o planeta o surto epidémico do novo coronavírus (COVID-19) prossegue o seu caminho − de expansão (conquista de território), intrusão (procura de hospedeiro), infeção (colonização do recetor), reprodução (reforço do contingente) e evolução (adaptação/metamorfose) 

 

pandemic-coronavirus-facemask-590d38a1c1bb2835694d

Em Espanha colocando uma máscara médica de proteção numa figura

após o cancelamento de um festival em Valência

causado pela pandemia de covid-19

 

No presente (13.03.2020/13:00/Lisboa) com os números globais a apontarem para mais de 135.000 contaminados, quase 5.000 vítimas mortais (taxa de mortalidade = 3,7%) e a caminho dos 70.000 recuperados (taxa de recuperados = 51,4%), o futuro deste surto (epidémico e mortal) afetando já 120 países (de todos os continentes) e agora finalmente promovido pela WHO (Organização Mundial de Saúde) a PANDEMIA, devido aos diversos fatores envolvidos (internos e externos, de cada país/povo/cultura/região) e às diferentes fases em que o mesmo processo se encontra (tendo-se iniciado aparentemente na China, a partir daí alastrando para todo o Mundo e por desenvolvimento do processo, atingindo a Europa e os EUA) ainda continua bastante incerto:

 

Na China (em principio o epicentro da crise) com o surto a parecer estabilizar podendo estar mesmo a abrandar (com reservas e numa 2ª hipótese, depois da 1ª ter falhado) − como parecem indicar os recentes dados económicos, estando a evoluir favoravelmente e em subida, acompanhando a descida dos casos de infeção/vítimas mortais sendo relatados (atingindo o nº de vítimas mortais um único digito/dia – ontem apenas c/ 8 mortos declarados  já tendo sido, dezenas/centenas/milhares, uma boa notícia para o Resto do Mundo sabendo-se 1/3 dele depender da China) – sendo acompanhada nesse caminho (de aparente regressão da ação do vírus) pela Coreia do Sul (ontem 5 mortes declaradas) com uma mortalidade inferior a 1% (neste grupo podendo incluir-se Macau até como um caso exemplar, com apenas 10 casos confirmados e dez casos recuperados, 100% de eficácia), mas por outro lado e contra todas as expetativas, previsões e negativamente, dado estarmos perante as sociedades mais desenvolvidas, organizadas e ricas do planeta (localizadas no Hemisfério Norte Ocidental), com a EUROPA (ITÁLIA à cabeça) perante a chegada do COVID-19 a paralisar, a deixar-se levar, a literalmente não saber bem o que fazer (perante a chegada da onda invisível e mortal deste vírus), refletindo de imediato a sua inação na explosão imediata e rápida dos números agora sendo inevitável e infelizmente repercutidos e replicados (tendo optado pela mesma estratégia de, “não quere ver, para não alarmar”) do outro lado do oceano (Atlântico), na Terra dos Excecionais (com a esmagadora maioria do seu povo não tendo acesso a testes e nem existindo perspetivas de vacina a curto-prazo), na Terra das Oportunidades (pelos vistos até para os vírus), na Terra do Amigo Americano (ontem virando as costas aos seus fieis Aliados Europeus, exceção feita ao reino Unido), nos EUA.

 

Para já não falar da vergonha sobre o que se passa no IRÃO, sem que ninguém diga nada para além do supérfluo, não passe da intervenção e atitude mais  hipócrita −  transformando a sua ação (só para cumprir serviço) numa mera e deliberada inutilidade  − e até com a UN (como sempre e mesmo com um Secretário-Geral português e contribuindo para o crime) a assobiar para o lado:

 

Irão com mais de 11.000 casos de infeção declarados e mais de 500 mortos registados (taxa de mortalidade < 5%) num cenário não sendo pior dado os seus mais de 3.500 recuperados (mas ainda com mais de 7.000 casos ativos).

 

top.jpg

Ao pedido desesperado de auxílio – equipamento/pessoal especializado – por parte da Itália na luta contra a pandemia (tendo já provocado mais de mil mortos) c/ a Alemanha (tal como outros países europeus) a recusarem e c/ os chineses a oferecerem-se e já lá estando

 

Mas para nós Europeus (e portugueses) sendo mais relevante o se passa por cá − na EUROPA – assim e como dizendo-nos Ocidentais e sendo os nossos Aliados (preferenciais e de sempre) os EUA:

 

Na Europa saber o que se passa no seu epicentro (Itália) e nos países em seu redor (como na Alemanha, na Itália, na França e na Espanha, a caminho de Portugal) e nos EUA (para além da luta política EUA/CHINA, cada um acusando o outro por ser o criador da epidemia/pandemia – um dizendo ser o outro o seu criador mesmo que inadvertidamente e assim contaminando todo o Mundo, o outro dizendo terem sido as tropas dos EUA estacionados na Ásia a transportá-lo para a partir daí contaminando-se, contaminando outros) o que se passa verdadeiramente com o surto aí já em curso e se por acaso o mesmo já não se terá manifestado antes (em território dos EUA) sendo catalogado e arquivado (“escondido/camuflado”) como sendo a variante Influenza (dada a expressão deste vírus − em vítimas mortais − podendo-se estar a falar de milhares, nunca indo ser contabilizados).

 

Na EUROPA com os países com o maior número de mortes declaradas a serem a ITÁLIA (1.016) − uma brutalidade (taxa de mortalidade = 7%) − a ESPANHA (120), a FRANÇA (61), os UK (10), a ALEMANHA (7), a SUÍÇA (7), a HOLANDA (5) e SAN MARINO (5) e nos EUA com o número de mortes (nesta contagem) a atingir as 41.

 

Com o número de recuperados a nível global a ultrapassar já os 70.000 e com o número de mortos ultrapassando os 5.000, significando que por cada vítima mortal registada salvando-se 14 pessoas (em cada 15 morrendo 1).

 

E com a situação em Portugal a atingir os 112 casos confirmados (34 casos novos), sendo que 111 estando ativos e 1 já tendo recuperado:

 

Do total de 112 casos reportados (1 recuperado) noticiando-se 1 em estado grave, com a região mais afetada (entre os 111 restantes) a ser a do  Porto (53 casos/47,8%), seguida da de Lisboa (46 casos/41,4%), de Coimbra (6 casos/5,4%) e de Faro (6 casos/5,4%). Certamente proporcionando um mau cenário presente e futuro para a Indústria Hoteleira Portuguesa, para já não tanto no Algarve ,mas o mesmo não se podendo afirmar para o Porto e para Lisboa (pelo maior nº de contágios confirmados, com quedas mais acentuadas).

 

E hoje começando-se uma nova etapa da luta contra o COVID-19 em Portugal, esperando-se não ter sido tarde e continuar a janela ainda aberta:

 

E com todos aqueles que tendo responsabilidades e negando a evidência (não a contabilística) querendo retardar tudo criando por cá uma nova Itália − pondo em perigo de vida jovens e idosos − devendo ser obrigatoriamente colocados até para sua consciencialização na fila da frente de combate (por exemplo como máscaras, não “bico-de-pato”, mas “bico-de-homem”).

 

graça-freitas-marta-temido.jpg

Tentando aproveitar uma possível abertura ainda existente na “Janela de Oportunidade” e declarado finalmente o “Estado de Alerta”, c/ os nossos governantes entre a opção de Macau (aproveitando a experiência chinesa) e a de Itália (não prevenindo e remediando, atrasando, c/ os resultados que se vêm) felizmente escolhendo a primeira

 

Com a ANMSP na sua última comunicação (hoje 13 de março) a indicar para Portugal 5.674 casos em vigilância, 1.308 casos suspeitos, 112 casos confirmados, 108 doentes internados e nenhum em cuidados intensivos (a worldometers.info indicando 1) como zero mortes registadas.

 

Num momento e num Mundo onde todos deviam ajudar e ser solidários e no entanto, com os EUA colocando-se de lado (como se nada tivessem a ver com o assunto, sendo apenas as únicas vítimas e cortando desde logo as ligações com os infetados) e até com a Alemanha a virar as costas fazendo um manguito aos seus vizinhos (à aflitíssima Itália, prometendo “não esquecer” a atitude) − recusando a dispensa (urgente) de equipamento e de pessoal de saúde em falta (dizendo necessário para si) felizmente tendo chegado graças à ajuda da China (em máscaras, outros equipamentos e até profissionais de saúde).

 

Com todo o Mundo ansiando pelo pico (máximo de atividade do vírus) para a partir daí ser sempre a descer e se planear o que aí virá e o que haverá a fazer (para após esta crise na Saúde evitarmos uma outra, mas agora, Económica).

 

(imagens: Alberto Saiz/AP/npr.org − yicaiglobal.com − jornaldoluxemburgo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 17:16

10
Mar 20

[Com o navio de cruzeiro “Grand Princess” depois de vários dias navegando ao largo da costa da Califórnia (o outro cruzeiro mais falado e nas mesmas condições sendo o Diamond Princess navegando ao largo do Japão) e com 2.400 pessoas a bordo (de mais de 50 países) − e devido à pressão crescente nos EUA, obrigando Trump e a sua equipa a agir, sob a direção do seu VP Mike Pence − a finalmente ser autorizado pelo governo norte-americano a atracar esta segunda-feira (março, 9) no porto de Oakland: com pelo menos 21 passageiros a bordo infetados pelo covid-19 (nem 1%).]

 

afdc8f47d26753ba21a6ee1c8b2c12b7.jpg

Cruzeiro Grand Princess atracado em Oakland

 

No momento (09.03.2020 pelas 22:45 Lisboa) em que o COVID-19 atinge a nível GLOBAL os 113.584 infetados – com 3.996 vítimas mortais (3,5%) e 62.496 recuperados (54,9%) – e em que nos EUA o nº de infetados é já de 607 – com 22 vítimas mortais (3,6%) e 7 recuperados (1,2%) – a preocupação no presente reside mais nos surtos epidémicos centrados na ITÁLIA (e estendendo-se por toda a Europa incluindo a Ocidental, onde se situa Portugal), na Coreia do Sul e no Irão (sob sansões totais dos EUA): respetivamente com 9.172 infetados/463 vítimas mortais (5,0%), 7.478 infetados/53 vítimas mortais (0,7%) e 7.161 infetados/237 vítimas mortais (3,3%). Com todos os continentes da Terra a já terem casos de infetados exceção feita e que se saiba ao Árico e à Antártida: atingindo 111 países um deles sendo Portugal (mantendo-se com os seus cerca de 30 casos ativos) e com os nossos vizinhos Europeus a serem bastante atingidos – para além da Itália (liderando de longe a tabela), surgindo ainda (seguindo em direção ao nosso país) na Alemanha (1.176 infetados/2 mortos/mortalidade 0,2%), na França (1.209 infetados/19 mortos/mortalidade 1,6) e na Espanha (1.073 infetados/28 mortos/mortalidade 2,6%). Com a Alemanha a registar as duas primeiras vítimas mortais (até ontem e apesar de mais de mil infetados, a zero), com Chipre a ser o último membro da EU (27 membros) a registar esta infeção (surgindo hoje o seu 1º caso) e se por um lado sendo possível o surto epidémico poder estar a estabilizar na China, no nosso continente – na EUROPA − estando para já a evoluir em sentido contrário.

 

ffd1f3acaf9be5675d4622c4660e37ac.jpg

O Homem  ao dispor do novo coronavírus Covid-19

 

E nos EUA o que se passará de verdade (para além do atrás mencionado)? No site governamental norte-americano  CDC (Centers for Disease Control and Prevention) com o mesmo pelas 16:00 desta segunda-feira (9 de março) a apontar para 423 infetados e 19 vítimas mortais em 35 dos estados norte-americanos (70%): com 72 infetados relacionados com viagens (17%), 29 contágio de pessoa-a-pessoa (7%) e 322 ainda indeterminados (76%) e com os estados mais atingidos a serem (mais de 10 casos) o de WASHINGTON (136 casos), da CALIFÓRNIA (110 casos), de NOVA IORQUE (40 caos) e de MASSACHUSETTS (28 casos). Aumentando a taxa de mortalidade e concentrando-se esta, no período de 20.02 até 06.03 numa média próxima dos 7 casos por dia. Mas será mesmo assim? Agora que a WHO (Organização Mundial de Saúde) vendo-se perante 111 países (a caminho dos 60%) dos 193 membros da UN e integrando todos os continentes da Terra, já  infetados, começa a sugerir estarmos apenas a um passo da PANDEMIA. E infelizmente (tarde de mais?) quando este novo coronavírus já deve estar instalado há várias semanas no interior do território dos EUA, travestido provavelmente como o vírus Influenza (gripe) e passando assim despercebido (as mortes podendo já ser devidas não ao influenza mas ao Covid-19) até para não causar alarmismo (entre os pobres, desprovidos de tudo): sabendo-se que os norte-americanos não existem apenas no interior dos EUA estando espalhados um pouco por todo o Mundo, não só como civis mas em muito maior número (milhares e mais milhares) como militares (em bases norte-americanas sediadas em todos os Continentes) − e conhecendo-se quem são e como são tratados (os seus soldados) daí se podendo tirar conclusões. Por exemplo tendo estado na Coreia do Sul e cumprido o serviço, regressado com uma simples “constipação” ao seu país, ao seio da sua família: na América e sem dinheiro tudo de mau sendo possível.

 

(imagens: yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 01:00

09
Mar 20

Estratégia Única Europeia:

Casa roubada, trancas à porta.

 

Como se pode verificar no gráfico abaixo indicado (gisanddata.maps.arcgis.com) abrangendo um período de quase 7 semanas, após uma 1ª fase (iniciada a 20 de janeiro) em que a partir de um determinado momento o vírus (depois de ter aparentemente atingido um pico máximo de atividade) parecia estar já em regressão, surpreendentemente disparando de novo os números (por volta de 13 de fevereiro) de 419 para 15.100 novos casos (de um dia para o outro, de 12 para 13) registados por dia − 36X mais – eis que numa 2ª fase a evolução contágio/infeção do COVID-19 parece estar a estabilizar e a regredir: (hoje, 9 de março) GLOBALMENTE com o número de indivíduos recuperados se não maior que o de contaminados andando ela por ela, sendo por vezes mesmo maior (nº recuperados/nº contaminados > 1) e reforçando a esperança – de que na CHINA a atividade do novo coronavírus já tenha atingido o seu pico máximo, estando já a sua ação em decrescimento.

 

Screenshot_2020-03-09 Coronavirus COVID-19 (2019-n

Evolução do número de casos globais e por dia do novo coronavírus COVID-19

(de 20 de janeiro a 8 de março)

Vermelho: Novos Casos Verde: Recuperados

 

E com medidor mundial referindo-nos ao COVID-19 a apresentar neste dia (9 de março) os seguintes valores (pelas 14:30) em constante atualização:

 

Casos de Covid-19:

111.648 (100%)

Casos Ativos:

45.081 (40%)

Casos Fechados:

66.567 (60%)

Condição Média:

39.101 (87%)

Condição Grave:

5.980 (13%)

Vít. Mortais:

3.884 (6%)

Recuperados:

62.683 (94%)

Países afetados:

110 (+ barco de cruzeiro "Diamond Princess")

Taxa de Mortalidade

3,5%

(Dados de 09.03.2020 14:30: worldometers.info)

 

Relativamente ao que se passa (não incluindo a CHINA) no Resto do Mundo e na EUROPA (e cingindo-nos agora aos dados Johns Hopkins CSSE) sendo de registar negativamente (pelo nº de vítimas mortais já provocadas), os casos extremos da ITÁLIA (7.375 casos/366 mortos/taxa de mortalidade=5,0%), do IRÃO (7.161 casos/237 mortos/taxa de mortalidade=3,3%) e da COREIA do SUL (7.478 casos/53 mortos/taxa e mortalidade=0,7%). E integrando a EUROPA podendo ser o caso da ITÁLIA extremamente grave para todos os seus vizinhos, mais ou menos próximos (ou distantes) e nos quais se incluiu Portugal: com a nossa próxima Itália batendo até o Irão (sujeito a um nº infinito de sansões e asfixiado pelos EUA) no número de vítimas mortais 366/237 − algo no mínimo estranho comparado o estado (social-económico-financeiro-sanitário-etc.) do Irão e da Itália e com esta última a ser recordista na mortalidade.

 

Screenshot_2020-03-09 Coronavirus Update (Live) 11

Evolução do nº de casos e do nº de mortos

(de 2 fevereiro a 5 de março)

Verde: Recuperados Laranja: Vítimas mortais

 

Certamente que preocupando e olhando apenas para ocidente (da Itália), a Alemanha, a França, a Espanha e Portugal. E ainda nos questionando sobre qual será a verdadeira atividade do vírus COVID-19 no interior do território dos EUA. Entretanto com a Alemanha com 1.151 casos e 0 vítimas mortais (t.m.=0%), a França com 1.209 casos e 19 vítimas mortais (t.m.01,6%), a Espanha com 979 casos e 25 vítimas mortais (t.m.=2,6%) e Portugal com 30 casos e 0 vítimas mortais (t.m.=0%). No caso de Portugal com os casos (30) a concentrarem-se a norte e estendendo-se até Lisboa, para no caso do Sul e particularmente no Algarve com o 1º caso (na região) a ser confirmado em Portimão. Finalmente nos EUA (com os testes de diagnóstico a custarem uma “fortuna”) e com poucos tendo sido os testes realizados, com os números a crescerem em casos confirmados/vítimas mortais (VM)/recuperações (R), de momento nos 565 confirmados nos e 22 VM/8 R (no interior e exterior do território) números da [Johns Hopkins CSSE]. Mas com muitos a insistirem que a epidemia de Covid-19 no interior dos EUA (e á falta evidente de estratégia mesmo por parte do CDC no combate ao surto epidémico) poderá vir a ter consequências muito mais graves.

 

E se o novo coronavírus levantou logo a suspeita em novembro/dezembro 2019 na China – disparando em janeiro/fevereiro 2020 , parecendo querer estabilizar/descer em março e confirmando-se tal, desaparecendo no decorrer de abril (assim se espera, se deseja) – se aprendemos algo com eles (os chineses) e seguindo um mesmo percurso (temporal) poderemos vermo-nos livres disto lá para o mês de Abril (se formos melhor que eles) ou então de Maio. O pior seria se não o conseguíssemos (como parece e para já, sugerir a Itália).

 

[Às 16:00 horas de hoje noticiando-se 30 a 31 casos confirmados (de Covid-19), sendo 1 a 2 desses casos no Algarve (oriundos de Portimão e importados de Itália).]

 

(imagens: arcgis.com − worldometers.info)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 16:49

06
Mar 20

[WHO: 2020-03-06 23:40:03 UTC]

 

Numa tabela incluindo os 96 países já infetados pelo vírus (COVID-19) e com PORTUGAL em  43º lugar (13 casos confirmados), com os líderes em vítimas mortais a serem a CHINA (com 3.042), a ITÁLIA (com 148) e o IRÃO (com 124) − com a Coreia do Sul (43) e os EUA (14) logo a seguir e a França (9),  perto deste último.

 

Screenshot_2020-03-06 Coronavirus 2019-nCov Statis

 

Casos de Covid-19:

100.776

Casos Ativos:

41.367 (41%)

Casos Fechados:

59.409 (59%)

Condição Média: 35.081 (34,8%)

Condição Grave: 6.286 (6,2%)

Vít. Mortais:

3.412 (3,4%)

Recuperados:

55.997 (55,6%)

Países afetados:

96

Taxa de transmissão

1 individuo infetando 2/3

Período de Incubação

0 a 14 dias (0/27)

Taxa de Mortalidade

3,4%

 

Procurando compreender melhor a evolução ao longo do tempo do surto epidémico associado ao aparecimento do novo coronavírus COVID-19 (entrados no terceiro mês e com os avisos e alertas a serem lançados logo no início deste ano de 2020) − como é o caso da evolução dos parâmetros Infetados/Vítimas Mortais/Recuperados registados até ao momento na China (o centro do surto), comparando-os com os agora registados no Resto do Mundo (a periferia de seguida sendo infetada) – sendo interessante consultar o site [virusncov.com COVID-19 Coronavirus] até para termos uma perceção mais completa da grandeza daquilo com que se está a lidar (dados na tabela acima): mais uma versão do coronavírus nas suas versões anteriores (como o MERS e o SARS) já tendo sido responsável por outros surto epidémicos e muitas e muitas vítimas mortais − para além do que por cá ficou e que nos acompanha até ao presente, desde que apareceu o vírus INFLUENZA (a GRIPE).

 

Screenshot_2020-03-06 Coronavirus 2019-nCov Statis

 

Acompanhados por três gráficos (indicados acima) indicando-nos a evolução (num determinado intervalo de tempo) do número total de casos, de mortes e numa sobreposição, de casos/mortes (com as respetivas curvas). E das tabelas e dos gráficos logo se concluindo a taxa de mortalidade andar ainda pelos 3,4%, mas com as taxas de recuperação a estarem já a caminho dos 60%: mas com a curva (da evolução negativa da doença) continuando a subir, apesar de parecer querer abrandar mas ainda lentamente, esperando-se que ainda este mês (o mais cedo possível) atinja o seu pico máximo (estabilizando, descendo, desaparecendo) − pelo menos na China, esperando para se ver o que sucederá agora, que ele já está (pelos vistos em força) na EUROPA (entre nós).

 

(imagens: virusncov.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 18:17

E para lá da China (o centro do surto epidémico) com as piores situações a localizarem-se na Itália (EUROPA) – aqui tão perto de nós e já com quase centena e meia de mortes e no Irão (ainda-por-cima, sujeito às sansões norte-americanas) ultrapassando já a centena de mortos.

 

Os 10 países dos 5 continentes liderando o nº de infetados/vítimas mortais/recuperados (em constante atualização) − com Portugal registando 8 infetados:

 

c5f7803d4d72adf570ca82eaa28c9e039a3af2d2.jpg

Tentando desinfetar as ruas de Teerão

(março 2020 − surto epidémico de Covid-19)

 

Região

I

VM

R

C

P

%

%

Ásia

China

80.552

3.042

3,8

53.716

66,7

Irão

3.513

107

3,0

739

21,0

Europa

Itália

3.858

148

3,8

414

10,7

França

423

7

1,7

12

2,8

América

EUA

233

3

1,3

8

3,4

Canadá

37

-

0,0

5

13,5

África

Argélia

16

-

0,0

-

0,0

Senegal

4

-

0,0

-

0,0

Oceânia

Austrália

58

2

1,3

21

36,2

N. Zelândia

4

-

0,0

-

0,0

Casos Globais do coronavírus Covid-19

Johns Hopkins CSSE

(06.03.2020/02:33:03)

 

Pela madrugada desta quinta-feira 6 de março, registando-se um total de 98.370 infetados, de 3.383 vítimas mortais (3,4%) e de 55.398 recuperados (56,3%).

 

E agora indo-se ver onde fica o Terceiro-Mundo, sabendo-se o que aconteceu na China e conhecendo-se a nossa idade média (da população, de cada continente): na Ásia na ordem dos 30 (anos), na Europa na dos 40 e sabendo-se como o Covid-19, entre todos prefere os (mais) idosos.

 

(imagem: AFP/STR/Yahoo.com)

publicado por Produções Anormais - Albufeira às 03:59

Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO